Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ana Paula de Souza Caetano

Ciências Biológicas

Botânica
  • desenvolvimento, estrutura, funcionamento e evolução de anteras rostradas em melastomataceae: uma estratégia adaptativa que potencializa a economia de pólen?
  • Embora a maioria das plantas zoófilas disponibilize o néctar como recurso a seus polinizadores em suas flores, algumas espécies oferecem apenas o pólen como recurso floral, sendo estas chamadas de “flores de pólen”. Este cenário por levar a um conflito evolutivo conhecido como “dilema do pólen”, uma vez que os grãos tem função reprodutiva e de recurso alimentar ao polinizador. Tal conflito pode ser minimizado por algumas estratégias adaptativas, como anteras com deiscência poricida. Estas restringem a coleta de pólen por um pequeno grupo de polinizadores, geralmente abelhas, que precisam vibrar as anteras para que o pólen seja liberado, em um processo denominado polinização por vibração (i.e. buzz pollination). Anteras poricidas podem ainda, apresentar um ápice rostrado, ou seja, estreitado na forma de um tubo (Fig. 1). O rostro afunila a região de saída do pólen, mas seu desenvolvimento, estrutura e funcionamento são desconhecidos entre as angiospermas. Melastomataceae é uma das 65 famílias de angiospermas com ocorrência de anteras poricidas, e destaca-se pela ampla distribuição taxonômica desta condição. No grupo, anteras rostradas são reportadas em diversas espécies de diferentes tribos, o que torna a família um bom modelo para investigar questões relacionadas ao rostro. O presente projeto objetiva esclarecer a ontogenia, a estrutura anatômica e a influência do rostro na liberação do pólen em espécies de diferentes linhagens de Melastomataceae. Ainda, busca-se compreender a evolução dessa estrutura na família. Os resultados poderão esclarecer se a aparente similaridade morfológica do rostro entre linhagens distintas é resultado de padrões de desenvolvimento, estrutura histológica e história evolutiva semelhantes. A distribuição relativamente pouco comum e em grupos não relacionados indica que tal condição deve ter surgimentos independentes em Melastomataceae, podendo refletir em algumas diferenças ontogenéticas e estruturais. Além disso, será possível elucidar se a semelhança morfológica do rostro nos distintos grupos resulta em uma mesma função, o que pode ser resultado de pressões seletivas similares. Uma vez que o rostro afunila a região de saída do pólen, é plausível que ele exerça um papel na regulação da liberação dos grãos, provavelmente limitando sua retirada. Os resultados obtidos neste projeto ajudarão a compreender, de um ponto de vista interdisciplinar, se as anteras rostradas representam um mecanismo que potencializa a restrição ao consumo de pólen em anteras poricidas. Tal condição pode servir como um excelente exemplo de como atributos morfológicos são moldados em resposta a pressão seletiva pela economia de gametas, particularmente em sistemas onde os grãos de pólen são os únicos recursos ofertados, como na maioria das Melastomataceae.
  • Universidade Federal de Mato Grosso - MT - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Paula de Souza Faloni

Ciências da Saúde

Odontologia
  • avaliação in vivo da influência do trauma cirúrgico em sítios ósseos distintos após tratamento com antirreabsortivos
  • Medicamentos antirreabsortivos utilizados no tratamento da osteoporose e de outras patologias ósseas tem sido associados à osteonecrose nos maxilares, enquanto os demais ossos raramente são afetados. Considerando que a ocorrência da osteonecrose nos maxilares pode estar relacionada à procedimentos cirúrgicos odontológicos e levando em conta também que osteoclastos de sítios ósseos distintos podem diferir entre si, o propósito do presente estudo consistirá em avaliar a influência do trauma cirúrgico em osteoclastos de sítios ósseos distintos (maxila e tíbia) após o tratamento com três diferentes agentes antirreabsortivos (odanacatibe, denosumabe e alendronato de sódio). Para isto, 56 camundongos serão aleatoriamente divididos em 4 grupos experimentais: odanacatibe (GOdn), denosumabe (GDen), alendronato de sódio (GAle) e veículo (GVeh). No GOdn os animais receberão 3,6 mg/kg do inibidor seletivo de catepsina K – odanacatibe, 1 vez/semana, por gavagem. Os animais do GDen receberão injeção subcutânea de 10 mg/kg do inibidor de RANKL (denosumabe), duas vezes por semana. No GAle os animais serão tratados com 1mg/kg de alendronato de sódio, por via subcutânea, uma vez por semana. No GVeh, os animais receberão apenas o veículo de diluição dos medicamentos (solução salina fisiológica - cloreto de sódio 0,9%), por via subcutânea, duas vezes por semana. Os medicamentos ou o veículo de diluição dos mesmos serão administrados durante 8 semanas. Após esse período, serão promovidos traumas cirúrgicos na maxila e na tíbia. Na maxila será realizada a extração dos primeiros molares superiores, enquanto na tíbia será confeccionado um defeito de 1 mm de diâmetro. Três e 28 dias após as cirurgias, 7 animais de cada grupo serão submetidos à eutanásia e os fragmentos de maxila e tíbia serão fixados por 48 horas. Em seguida, serão lavados em água corrente para análise visual da ocorrência de osteonecrose. As amostras serão, então, descalcificas em solução de EDTA 7% durante cerca de 60 dias e processadas para inclusão em parafina. Cortes corados com Hematoxilina e Eosina serão utilizados para análise morfológica. A partir de cortes submetidos à histoquímica para a enzima TRAP (marcador de osteoclastos) serão realizadas a quantificação do número de células TRAP-positivas, a mensuração da superfície linear das lacunas de reabsorção e da área dos osteoclastos TRAP-positivos, além da quantificação do seu número de núcleos. Serão realizadas também reações imuno-histoquímicas para detecção de RANKL e OPG, (associados à formação, atividade e sobrevivência de osteoclastos), catepsina K (proteína associada à degradação da matriz óssea por osteoclastos) e de caspase-3 clivada (expressa por células em processo irreversível de apoptose). O qPCR será utilizado para análise da expressão gênica de c-FMS, M-CSF, NFATc-1 e DC-STAMP (associados à formação de osteoclastos), além de RANKL e OPG. Os dados obtidos serão submetidos à analise estatística, considerando-se p<0,05.
  • Universidade de Araraquara - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Paula Del Vesco

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • epigenética transgeracional sobre a imunidade inata, capacidade antioxidante e desempenho de frangos de corte
  • Acredita-se que uma das maneiras de o ambiente exercer influência sobre a expressão gênica seja através dos mecanismos epigenéticos de regulação gênica. A forma como os mecanismos epigenéticos são transferidos para as gerações seguintes, a epigenética transgeracional, tem se tornado uma área promissora por atuar na compreensão da variação das respostas fisiológicas dos indivíduos ao meio ambiente, bem como a herança genética destas respostas. Estes processos são baseados em todos os mecanismos que não aqueles relacionados a variações na sequência de DNA. A epigenética transgeracional é o fenômeno pelo qual a informação do ambiente parental, geralmente materno, é traduzida em respostas de memória que prepararão a progênie para seu próprio ambiente. Como consequência, os indivíduos da próxima geração podem mostrar características fenotípicas diferentes, dependendo se as suas mães foram mantidas sob diferentes condições ambientais. Sendo assim, esse projeto visa obter maiores informaçoes a respeito de como o ambiente materno pode influenciar na capacidade antioxidante, imunidade inata, e desempenho de frangos de corte filhos de matrizes submetidas a diferentes condições experimentais: Experimento 1- EFEITO DA TEMPERATURA NO AMBIENTE MATERNO SOBRE A CAPACIDADE ANTIOXIDANTE DE FRANGOS DE CORTE SUBMETIDOS AO ESTRESSE TÉRMICO; Experimento 2- TRANSFERÊNCIA DA MEMÓRIA IMUNE DE MATRIZES SOB RESTRIÇÃO ALIMENTAR PARA A PROGÊNIE SUBMETIDA AO ESTRESSE TÉRMICO APÓS O NASCIMENTO; e Experimento 3- TRANSFERÊNCIA DA MEMÓRIA ALIMENTAR: EPIGENÉTICA TRANSGERACIONAL SOBRE O COSUMO DE RAÇÃO, ABSORÇÃO INTESTINAL E DEPOSIÇÃO PROTEICA EM FRANGOS DE CORTE.
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Paula Dias Turetta

Outra

Ciências Ambientais
  • avaliação do impacto de práticas rurais sustentáveis na segurança alimentar, hídrica e energética do entorno do reservatório de ribeirão das lajes – rj
  • Estima-se que a população mundial será de 8,3 bilhões de pessoas em 2030, pressionando ainda mais as fontes de energia, água, alimentos, e o uso da terra e extração mineral, sobretudo no mundo em desenvolvimento. A agricultura precisará produzir globalmente 60% a mais de alimentos, e 100% a mais nos países em desenvolvimento até 2050. Essas estimativas indicam a necessidade imediata de adoção de intervenções capazes de minimizar esses impactos. Muito se fala em sustentabilidade mas ainda é raro a disponibilização de resultados de avaliações integradas em diversos temas. Quando se considera a avaliação integrada Nexus Alimento-Água-Energia (A-A-E), esse fato é ainda mais desafiador. Considerando a relevância do setor agrícola no Brasil e a concentração de áreas em diferentes estágios de degradação em zonas rurais, esse setor torna-se estratégico para intervenções que possam gerar benefícios socioeconômicos e ambientais e impactos positivos ao tripé A-A-E. Dessa forma, a presente proposta terá como área de estudo o entorno da represa de Ribeirão das Lajes (RJ), onde será desenvolvida uma abordagem metodológica que gerará uma ferramenta de avaliação integrada de práticas rurais conservacionistas na abordagem Nexus A-A-E. Será apresentado como resultado, um portfólio com as práticas mais indicadas para a área de estudo, validado por stakeholders. Esse portfólio tem um caráter inovador uma vez que poderá ser utilizado imediatamente pelos tomadores de decisão locais e, assim, beneficiar de forma direta a sociedade. Destaca-se que os riscos dessa proposta serão minimizados uma vez que a mesma conta com o apoio de redes de pesquisa e parcerias institucionais já estabelecidas.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 05/12/2017-31/12/2020
Foto de perfil

Ana Paula Drummond Rodrigues de Farias

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • desenvolvimento de membranas poliméricas contendo nanopartículas de prata para associação de fármacos e aplicação no tratamento de doenças
  • Os avanços na interação entre a nanotecnologia e a liberação controlada de fármacos vem apresentando um crescimento no desenvolvimento de estratégias para o tratamento de diversas doenças infecciosas que acometem milhões de pessoas em todo o mundo, tal como as leishmanioses, doença de Chagas, toxoplasmose, malária, entre outras causadas por agentes patogênicos. Desta forma, o objetivo deste estudo é avaliar os efeitos in vitro das bionanoparticulas de prata (AgNPs) produzidas a partir do cultivo de fungos dos gêneros Aspergillus e Fusarium por biossíntese extracelular e, ainda, sua interação com os polímeros poliuretano e polivinilpirrolidona (PVP), para posterior incorporação de fármacos já utilizados no tratamento de doenças infecciosas. Para determinar o melhor biofilme polimérico, primeiramente será realizada a caracterização das partículas e dos biofilmes por microscopia eletrônica de transmissão (TEM), microscopia eletrônica de varredura (MEV), espectroscopia infravermelho transformada de Fourier (FTIR), espectroscopia de energia dispersiva (EDS) e difração de raios X (XRD), e posteriormente, serão utilizados modelos biológicos para determinar a atividade de cada um dos biofilmes produzidos, tendo como modelo experimental de doença infecciosa, as leishmanioses (Leishmania amazonensis e Leishmania braziliensis). Portanto, neste estudo será feito o uso de técnicas de nanotecnologia com a finalidade de se obter uma compatibilidade ótima entre a AgNPs e seu revestimento com polímeros, afim de obter as seguintes características: menor citotoxicidade, e melhoramento da dispersão de fármacos, para aplicações biomédicas. Além disso, estes compostos serão passíveis de serem modificados com outras macromoléculas o que permitirá sua melhor atuação sobre doenças infecciosas como leishmanioses.
  • Instituto Evandro Chagas - PA - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Paula Farina

Ciências da Saúde

Odontologia
  • biomodificação do colágeno por meio de substância rica em proantocianidinas e longevidade de restaurações adesivas
  • O extrato de semente de uva (GSE) é um agente natural e não tóxico que permite criar novas ligações cruzadas no colágeno e reduzir suas taxas de biodegradação podendo estabilizar restaurações adesivas ao longo do tempo. Dessa forma, o objetivo deste estudo será avaliar o módulo de elasticidade da matriz de colágeno tratada com diferentes concentrações de GSE e a longevidade das restaurações adesivas coronárias e radiculares. A hipótese proposta é que o uso do GSE melhoa as propriedades biomecânicas do colágeno dentinário e consequentemente aumenta a resistência de união imediata e à longo prazo de restaurações adesivas. Para isto, o estudo será dividido em 4 métodos: 1) avaliar o módulo de elasticidade do colágeno (sem a parte mineral) no grupo controle (sem GSE) e nos grupos com diferentes concentrações do GSE (30, 50 e 70%). A mensurações do módulo de elasticidade será realizada após obtenção dos dados do baseline, imediatamente após o tratamento, 3, 6 e 12 e 24 meses; os resultados expressos em MPa; 2) analisar a resistência de união (push out) de pinos de fibra de vidro reembasados com resina composta à dentina radicular tratada com GSE (30, 50 e 70%) e não tratada (controle). Os pinos serão cimentados com cimento RelyX U200 (autoadesivo) e RelyX Ultimate com dois sistemas adesivos (Scotch Bond Multipurpose e Single Bond Universal). O teste de push out será avaliado imediatamente e após 24 meses de armazenamento; 3) analisar a resistência de união (microtração) em dentina coronária, através dos mesmos sitemas adesivos/substâncias/tempos descritos no teste anterior; 4) avaliar a penetração dos materiais adesivos à dentina radicular e coronária com e sem o uso do GSE nas diferentes concentração citadas acima por meio de microsopia confocal e eletrônica de varredura. Os dados de todos os testes serão tabulados e analisados estatisticamente. Se os dados apresentarem normalidade serão avaliados pelos testes de ANOVA e o teste complementar de Tukey.
  • Universidade de Passo Fundo - RS - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Paula Folmer Correa

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • peptídeos bioativos de subprodutos da indústria pesqueira da amazônia
  • Entre as diversas atividades econômicas que causam impactos ao meio ambiente destaca-se o setor pesqueiro. Esta atividade apresenta uma grande geração de resíduos em todas as etapas do seu processo produtivo, desde a captura até a comercialização do pescado. Este fato torna necessárias alternativas para o reaproveitamento dos resíduos gerados pela indústria do pescado, que é rico em proteínas e pode proporcionar produtos de valor para a indústria. Os consumidores estão cada vez mais à procura de alimentos minimamente processados e/ou com propriedades funcionais e que possuam longo tempo de prateleira, porém preparados sem a adição de conservantes químicos, o que leva as indústrias e instituições de pesquisa a buscar novas tecnologias de conservação e processamento. Uma das alternativas para aumentar a segurança e o tempo de prateleira dos alimentos é a bioconservação, na qual uma microbiota protetora e/ou peptídeos bioativos são aplicados. Tais agentes também vêm sendo investigados quanto à produção de alimentos funcionais. Nesse projeto de pesquisa, o resíduo gerado pela indústria pesqueira será hidrolisado através da utilização de duas enzimas, uma comercial (alcalase) e outra obtida a partir da bactéria Bacillus sp. P7, que integra a coleção de micro-organismos do Instituto de Ciência e Tecnologia de Alimentos da UFRGS. Esse resíduo também será avaliado quanto à atividade antioxidante e antibacteriana. A partir destes dados, poderá haver a possibilidade de aplicação destes peptídeos bioativos nas áreas de ciência e tecnologia de alimentos e nutrição, assim como, aumentar potencialmente o valor nutricional, a vida de prateleira e a segurança de produtos alimentícios, além de contribuir com o desenvolvimento de alimentos funcionais.
  • Universidade Federal de Roraima - RR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Paula Fortuna Perez

Ciências Biológicas

Botânica
  • estudos taxonômicos, filogenéticos e biogeográficos no gênero eriosema (dc.) desv. (leguminosae, papilionoideae, phaseoleae)
  • Eriosema (DC.) Desv. possui distribuição pantropical, apresentando dois principais centros de diversidade para as cerca de 150 espécies, um na África e outro nas Américas, onde é registrada a ocorrência de 38 espécies, das quais 30 ocorrem no Brasil. Está incluído subtribo Cajaninae (Phaseoleae), que tem sido considerada monofilética nas filogenias atuais, apesar da baixa amostragem. Em contraposição, pouco se sabe sobre as relações interespecíficas em Eriosema e até mesmo sobre sua precisa distinção com Rhynchosia, gênero mais relacionado filogeneticamente. Os poucos trabalhos filogenéticos existentes com estes gêneros não amostram mais do que duas espécies, fato este que não esclarece a monofilia deles. A distinção entre estes dois gêneros é, basicamente, a localização do ponto de inserção do funículo da semente em relação ao hilo, sendo terminal em Eriosema e central, subcentral ou terminal em Rhynchosia. Eriosema é uniforme morfologicamente, dificultando a delimitação das espécies, que são circunscritas principalmente por caracteres foliares, que podem ser variáveis de acordo com condições ambientais. O mais recente tratamento taxonômico do gênero foi publicado por Grear em 1970, que tratou apenas as espécies americanas. Considerando a riqueza de táxons de Eriosema existentes no Brasil, a pouca descontinuidade entre os caracteres diagnósticos infragenéricos, a escassez de estudos taxonômicos recentes deste gênero, e o pouco conhecimento sobre as relações filogenéticas em Cajaninae, especialmente de Eriosema com Rhynchosia, este estudo tem por objetivos: realizar um estudo taxonômico das espécies de Eriosema ocorrentes no Brasil; testar o monofiletismo do gênero Eriosema; esclarecer a delimitação de Eriosema com membros de Cajaninae, especialmente com Rhynchosia; estudar a filogenia no intuito de verificar as relações interespecíficas; propor, se pertinente, uma classificação infragenérica para Eriosema de acordo com os padrões filogenéticos observados; determinar tempo de diversificação e compreender a história biogeográfica do gênero; e reconstruir estados ancestrais baseados principalmente nas estruturas secretoras que são peculiares à Eriosema e representantes de Cajaninae.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Paula Furlan

Engenharias

Engenharia Civil
  • contribuição ao estudo do comportamento à deformação permanente e à fadiga de misturas solo-agregado e solo-agregado-cimento
  • A estabilização de solos é um recurso muito utilizado no melhoramento das características e propriedades de materiais geotécnicos para aplicação em pavimentos. Dentre as misturas estabilizadas física e quimicamente utilizadas como camadas de base ou subbase de pavimentos, a mistura solo-agregado-cimento pode ser uma opção interessante para garantir comportamento mecânico equiparado a misturas já consagradas, a custos menores econômica e ambientalmente. No entanto, apesar de muito praticada, estudos sobre essa mistura ainda são escassos, principalmente no que tange ao método de dosagem e ao seu comportamento ao longo do tempo de cura. Desta forma, esta pesquisa experimental busca compreender o material de solo-agregado-cimento, observando seu comportamento mecânico.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Paula Girol

Ciências Biológicas

Morfologia
  • avaliação da proteína anti-inflamatória anexina a1 em administrações preventiva e terapêutica na uveíte autoimune experimental
  • A uveíte está associada a várias doenças autoimunes e é uma das principais causas da cegueira no mundo. Embora existam diferentes fármacos aplicados no tratamento da uveíte, os efeitos colaterais desses medicamentos limitam seus usos e estimulam a busca por novas alternativas terapêuticas. Nos últimos anos, o papel da proteína anti-inflamatória anexina A1 (AnxA1) nos processos inflamatórios oculares tem sido investigado em estudos in vivo e in vitro e apontam a AnxA1 como um dos mediadores essenciais na homeostasia do processo inflamatório. Recentemente, o mecanismo de ação e o uso potencial da AnxA1 e do peptídeo mimético Ac2-26 foram demonstrados na uveíte induzida por endotoxina em roedores e nas células ARPE-19 ativadas pelo lipopolissacarídeo e mostraram que a AnxA1 interage com o receptor para peptídeos formilados (fpr2) para inibir o processo inflamatório. Diante dessas considerações e devido ao fato de não existirem estudos sobre a ação da AnxA1 na uveíte autoimune, o objetivo desse trabalho será investigar, in vivo, no modelo de uveíte autoimune experimental (EAU), a expressão da proteína endógena AnxA1 e sua interação com o receptor fpr2 nos tecidos oculares, bem como, o possível efeito anti-inflamatório da administração do Ac2-26, em protocolos de prevenção e terapêutico, nessa condição experimental. Para a realização do trabalho serão usados ratos machos da linhagem Wistar (150 a 200g), divididos em quatro grupos (n=10/grupo). A EAU será desenvolvida pela inoculação, na pata direita dos animais, de 100 µg de IRBP bovina em 100 µl de emulsão de adjuvante completo de Freund. Simultaneamente, uma injecção intraperitoneal (i.p.) contendo 0,5 µg da toxina purificada de Bordetella pertussis em 100 µl PBS será administrada como um adjuvante adicional. A eficácia do tratamento com o Ac2-26 será testada por meio da administração i.p. de 200 µg do peptídeo em 200 µl de PBS em 2 grupos EAU. Os animais serão tratados diariamente, do dia 1 até o dia 13 pós-imunização (protocolo de prevenção) e do dia 8 até o dia 13 pós-imunização (protocolo terapêutico). Os animais EAU, tratados ou não, serão sacrificados 14 dias pós-imunização, por dose excessiva de anestésico. Animais sem manipulação serão usados como controle. A severidade da EUA será avaliada clinicamente, por meio da biomicroscopia, diariamente em todos os grupos, a partir do dia 2 pós-imunização até o final do experimento. Após eutanásia, os leucócitos serão quantificados no humor aquoso e serão realizadas análises histopatológicas de olhos esquerdos incluídos em parafina. O método imuno-histoquímico será realizado para verificar a expressão da proteína AnxA1, receptor fpr2 e enzima ciclo-oxigenase-2 (COX-2) e quantificar os macrófagos (ED-1). Os sobrenadantes dos olhos direitos, após maceração, serão usados para as dosagens de proteínas totais pelo método de Bradford, dos mediadores químicos pró-inflamatórios (fator de necrose tumoral-α, interferom-γ, interleucina (IL)-2 e proteína quimiotática para monócitos-1) e anti-inflamatórios (IL-4, IL-10) pelo sistema MAGPIX e expressão da proteína AnxA1 e receptor fpr2 por Western blotting. A significância dos resultados será avaliada estatisticamente. O estudo da proteína AnxA1 na EAU será extremamente importante, complementando os estudos anteriores na busca do entendimento do mecanismo de ação da proteína na modulação do processo inflamatório ocular e, ainda, poderá incluir a AnxA1 como potencial agente preventivo e/ou terapêutico na uveíte não infecciosa.
  • Centro Universitário Padre Albino - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Paula Grotti Clemente

Ciências da Saúde

Nutrição
  • impacto da fortificação da alimentação infantil com micronutrientes em pó na anemia em crianças matriculadas em creches/pré-escolas brasileiras: estudo multicêntrico longitudinal de duas coortes
  • A anemia por deficiência de ferro tem uma das maiores cargas documentadas de doenças dentre as carências de micronutrientes, sendo esta estabelecida como o desvio nutricional mais comum do mundo. No Brasil, dados do último levantamento nacional realizado há 13 anos, a anemia afetava 20,9% das crianças menores de 5 anos. A Estratégia de fortificação da alimentação infantil com micronutrientes em pó – NutriSUS, recomendada pela OMS e mundialmente utilizada, foi implementada recentemente no Brasil como política pública de combate às carências nutricionais específicas junto às creches/pré-escolas pertencentes ao Programa Saúde na Escola – PSE. Dessa maneira, o objetivo deste estudo é avaliar a efetividade da Estratégia de Fortificação da Alimentação Infantil com Micronutrientes (vitaminas e minerais) em Pó – NutriSUS na prevenção da anemia e na deficiência de ferro em crianças de 06 - 48 meses de idade matriculadas em creches/pré-escolas públicas ou conveniadas ao poder público, em cinco cidades, uma de cada macrorregião brasileira. Trata-se de estudo multicêntrico longitudinal com o acompanhamento de duas coortes, uma de crianças matriculadas em creches/pré-escolas que recebem o NutriSUS e outra de crianças matriculadas em creches/pré-escolas públicas ou conveniadas ao poder público que não aderiram a tal estratégia, a ser realizado em cinco cidades brasileira com representatividade de cada macrorregião do país (Região nordeste: Maceió/AL, Região norte: Rio Branco/AC, Região Sudeste: Nova Ponte/MG, Região Centro-Oeste: Aquidauana/MS e Região Sul: Pinhais/PR). A amostra será composta por 912 crianças, totalizando 456 em cada grupo de estudo. A coleta de dados acontecerá em dois momentos: antes do primeiro ciclo e após o segundo ciclo do NutriSUS. A partir de questionários padronizados serão coletados dados: sociodemográficos, participação no PNSF e PNVITA a ser verificado na Caderneta de Saúde da Criança, aplicado a Classificação Econômica Brasil (CCEB) e a Escala Brasileira de Insegurança Alimentar (EBIA). As crianças passarão por avaliação antropométrica (peso e altura) e bioquímica para diagnóstico de anemia e das reservas orgânicas de ferro, retinol sérico (vitamina A) e infecção (hemoglobina, ferro sérico, ferritina, retinol sérico e proteína C reativa ultrassensível). Também será avaliado o consumo alimentar por meio da aplicação de registro alimentar de dois dias não consecutivos. Ao final do estudo, a aceitação ao programa será verificada através da aplicação de questionário aos funcionários das creches/pré-escolas responsáveis pela administração da fortificação e oferta dos alimentos as crianças e aos coordenadores municipais e estaduais responsáveis pela estratégia NutriSUS. Os dados serão digitados em dupla entrada no programa Epi-Info 6.04 e analisados com o auxílio do software Stata com nível de significância fixado em 5%. Visto posto, o presente projeto visa uma avaliação inédita, através de um estudo multicêntrico com representatividade das cinco regiões brasileiras, da efetividade do NutriSUS na prevenção da anemia e na deficiência de ferro em crianças de 6-48 meses de idade matriculadas em creches/pré-escolas que aderiram a esta Estratégia, o que o torna de extrema importância social e científica, considerando os recursos investidos para este fim, uma vez que trata-se de uma política pública aplicada nacionalmente, e principalmente, o grande impacto que a anemia traz a saúde da população.
  • Universidade Federal de Alagoas - AL - Brasil
  • 07/01/2020-31/01/2022
Foto de perfil

Ana Paula Guedes Frazzon

Outra

Ciências Ambientais
  • microbioma, resistência aos antimicrobianos e isolamentos de enterococos de fezes de animais selvagens e de cativeiro
  • A fauna do Brasil possui uma das maiores diversidade em espécies de animais aquáticos e terrestre. Na Zona Costeira do Rio Grande do Sul há registros de diversas espécies de animais marinhos, como lobos-marinhos-sul-americanos (Arctocephalus australis), lobos-marinhos-subantárticos (Arctocephalus tropicalis), pinguim-de-magalhães (Spheniscus magellanicus) e tartarugas marinhas (Eretmochelys imbricata e Chelonia mydas). Já nas matas do Rio Grande do Sul são encontradas diversas espécies de animais selvagens como o macaco-prego (Sapajus nigritus), as borboletas castanha-vermelha (Heliconius erato phyllis), os sapos da barriga vermelha (Melanophryniscus macrogranulosus) e os graxains-do-campo (Lycalopex gymnocercus). Todos estes animais merecem nossa atenção e cuidado, pois grande parte deles está ameaçada de extinção, e outros são espécies raras. As fragmentações das matas, a poluição, a perda de habitats e a proximidade com os homens podem ser consideradas como os fatores negativos para a conservação dos animais selvagens. A contaminação das águas e solo com efluentes urbanos é uma forma de disseminar antibióticos e/ou bactérias resistentes de forma a contaminar os animais que habitam esses ambientes. Como consequência, estas modificações ambientais interferem no equilíbrio hospedeiro-microrganismo. A identificação dos milhões de microrganismos que estão presentes no hospedeiro é definida como microbioma, e a composição e, consequentemente, o funcionamento do microbioma, pode sofrer influências de diferentes fatores: ambiente, alimentação, uso de antibióticos, doenças, senescência, entre outros. Entre os microrganismos que compõe microbioma intestinal dos animais destaca-se o gênero Enterococcus spp. Este gênero é considerado sentinela em relação ao impacto do ser humano na natureza, podendo, por exemplo, servir para avaliar para avaliar os efeitos antropogênicos no ambiente. Sob essa perspectiva, alguns agentes biológicos isolados a partir de animais poderiam ser utilizados como indicadores de perturbação do ecossistema. Sem dúvida, uma importante chave para a ampla distribuição do gênero Enterococcus spp. na natureza e a sua capacidade de suportar uma variedade de condições ambientais. Algumas espécies de enterococos vêm recebendo atenção, devido ao aumento na frequência de resistências aos antimicrobianos, principalmente em infecções nosocomiais. O resistoma, por outro lado, avalia todos os genes de resistência encontrados em bactérias. A resistência aos antibióticos é reconhecida como um sério risco para a saúde pública que continuamente preocupa e desafia a comunidade científica. Em ambiente hospitalar, os mecanismos de disseminação da resistência são bem conhecidos e documentados, entretanto muito pouco ou até mesmo insuficiente informação sobre a disseminação e aquisição de determinantes de resistência, em outros nichos ecológicos, como as comunidades bacterianas que habitam a fauna selvagem, parte da qual em risco de extinção. Esta situação torna-se demasiadamente preocupante no momento em que, são encontradas bactérias comensais resistência aos antimicrobianos em populações de animais selvagens. A caracterização do microbioma, dos genes de resistência e análise de bactérias sentinelas são fundamentais no avanço da compreensão da relação hospedeiros, microrganismos e ações antropogênicas. Nesse sentido, a presente proposta estrutura-se em quatro subprojetos: I) Estudar a microbiota bacteriana intestinal dos animais selvagens capturados nas matas fragmentadas e de cativeiro; II) Avaliar a presença de genes de resistência de importância clínica humana e veterinária nas fezes de animais selvagens e de cativeiro; III) Estudar a disseminação da resistência aos antimicrobianos nos enterococos isolados das fezes de animais selvagens de vida livre capturados nas matas fragmentadas e de cativeiro; e IV) Determinar a relação clonal entre os enterococos isolados de animais selvagens e cativeiro com cepas patogênicas isoladas de humanos.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Paula Junqueira-Kipnis

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • vacinologia reversa aplicada ao desenvolvimento de vacinas bcg recombinantes aptas para plataforma de produção e ensaio clínico humano.
  • A tuberculose é a doença infecciosa que mais mata no mundo. O agente causal da tuberculose, Mycobacterium tuberculosis (Mtb), infecta cerca de um terço da população mundial que se constitui em reserva natural do bacilo. A prevenção da tuberculose se dá pelo uso da vacina BCG que é uma vacina segura, utilizada a mais de 96 anos, que apresenta eficácia contra as formas graves da tuberculose na infância, mas não protege indivíduos adultos. Apesar de existirem 15 vacinas contra tuberculose em estudos de fase clínica, nenhuma até o momento mostrou maior proteção que a vacina BCG em regiões endêmicas e várias voltaram às etapas pré-clínicas para aprimoramento de suas funções. Nesse sentido, ainda é importante que se desenvolva novas vacinas para combater essa doença milenar. O acúmulo de informações genômicas de diferentes patógenos aliados aos avanços das ferramentas de imunoinformática nos permitem fazer uma abordagem racional para o desenvolvimento de novas vacinas com abrangência de ação mundial como por exemplo a construção de vacinas de multi-epítopos lineares longos (LLMEVs) e/ou multi-epítopos (MEVs) baseado na estratégia de vacinologia reversa. Nenhuma das vacinas em teste clinico ou pré-clinico atualmente utilizou desta tecnologia. Esta abordagem evitaria o dispêndio de investimento no desenvolvimento de vacinas que induzam a resposta imune desejada porém com baixa abrangência mundial e sem previsão de toxicidade in silico. Logo, seguindo uma tendência mundial, um dos objetivos deste projeto é o desenvolvimento de um algoritmo baseado em programação em linguagem C para processar as plataformas Bepipred Linear Epitope Prediction, IEDB MHC-I e MHC-II para geração de possíveis candidatos vacinais e checados quanto a possibilidade terem cobertura populacional mundial baseado no Allele Frequence Net Database seguido de verificação de potencial alergênica ou toxica usando plataformas apropriadas como por exemplo AllergenFP. A comprovação da eficácia desta abordagem será feita pela investigação de alguns genes que codificam para proteases, dentre os cerca de 100 genes potencialmente codificantes de Mtb. As proteases são importantes fatores de virulência ao ajudar a estabelecer o processo infeccioso e a evasão da resposta imune. O Objetivo seguinte será selecionar três proteases com melhor desenvoltura no algoritmo desenvolvido para construir uma proteína de fusão recombinante que será reavaliada no algoritmo quanto a sua aplicação em modelo murino respeitando a manutenção de sua abrangência de imunogenicidade na população humana. Essa proteína recombinante será usada para a construção de vacinas em M. bovis BCG e M. smegmatis (mc2) seguras e de acordo com os critérios de produção de vacinas para plataformas pilotos de teste em humanos. O nosso grupo tem experiência no desenvolvimento de vacinas contra tuberculose e duas vacinas, BCG-CMX e mc2-CMX, produzidas e testadas em ensaios pré-clínicos em seus aspectos de mecanismos de indução de proteção e segurança, apresentaram características que favorecem a sua preparação para ensaio clínico em indivíduos saudáveis. A vantagem dessas vacinas em relação às que estão sendo testadas mundialmente são as características únicas da proteína de fusão recombinante criada, que sozinha tem habilidade adjuvante e indutora de resposta Th17. Portanto, um dos objetivos do projeto será preparar as vacinas iBCG-CMX e imc2-CMX, através da transferência do cassete gênico codificando a proteína de fusão para o genoma da vacina BCG ou do mc2, e avaliar a segurança vacinal em modelo murino, desenvolver o processo de produção e formulação vacinal, testando a estabilidade das formulações em apresentações em frascos multidoses para estarem aptas para um piloto experimental fase clínica 1. Os lotes vacinais assim gerados serão reavaliados quanto a segurança e a proteção em modelos animais (camundongos selvagens e IFN-γ-KO). Os resultados esperados deste projeto gerarão tecnologias inovadoras, utilizando ferramentas atuais, desenvolver vacinas originais compostas por proteína de fusão recombinante baseada em proteases que não foram objeto de estudo para vacina contra Mtb e portanto contribuirá diretamente para a melhoria do estado da arte no desenvolvimento de vacinas para tuberculoses ou outras doenças infecciosas. Outro aspecto impactante decorrente dos resultados deste projeto é o aprimoramento de uma vacina de fusão recombinante brasileira passível de ser patenteada para uso em humanos. O grupo proponente tem grande experiência na área de vacinas e no desenvolvimento/formação de recursos humanos, logo o impacto principal desta proposta é a estimular e formar alunos de graduação e pós-graduação.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Paula Kirchheim

Engenharias

Engenharia Civil
  • desenvolvimento e caracterização de cimentos ternários (lc3) com baixo teor de clínquer a partir de calcários e fontes cauliníticas – uma opção mais sustentável para a indústria da construção
  • A indústria cimenteira se encontra entre as principais emissoras de gases causadores do efeito estufa. Em relação as emissões antropogênicas do CO2, a produção de cimento contribui de 5 a 8% atualmente. Essa alta emissão se dá principalmente pela descarbonatação do calcário durante o processo de produção do clínquer Portland. Por isso, a cadeia produtiva do cimento vem sendo alvo de críticas e preocupações a nível mundial, devido ao elevado impacto ambiental que sua produção resulta. Diante desse cenário e do crescimento da produção de cimento ocasionada pela demanda crescente por infraestrutura no mundo, muitos estudos estão sendo desenvolvidos com o foco em soluções tanto relacionadas a cimentos alternativos, quanto a formas de tornar o uso do cimento Portland cada vez mais eficiente. A fim de promover um mercado competitivo e um desenvolvimento sustentável, a indústria de cimento brasileira tem melhorado continuamente e é considerada a mais eficiente mundialmente no controle das suas emissões de gases de efeito estufa, por vários esforços e estratégias implementadas ao longo das últimas décadas. Entretanto, mesmo com a melhora nos indicadores, há muitos desafios para que esta indústria produza e atenda à demanda crescente de um país em desenvolvimento, como é o Brasil, reduzindo ainda mais os níveis de emissões de gases de efeito estufa. Assim, a maior inovação a nível científico desenvolvido neste projeto será a produção e caracterização de cimentos LC3 - Limestone Calcined Clay Cement, uma das tecnologias de ponta a nível mundial que busca reduzir o fator clínquer na produção de cimento em até 50 %, através de uma mistura de argilas calcinadas, calcários e sulfato de cálcio. Destaca-se para este projeto a utilização de materiais argilosos localmente disponíveis na região Sul do Brasil, capazes de superar em quantidade outras adições de uso mais comum, como a cinza volante, por exemplo. Além disso, um desses materiais argilosos a serem testados é um resíduo (argilito) da extração de carvão mineral na região de Candiota – RS, contribuindo ainda mais para a utilização de um material que não encontraria emprego industrial e evitando danos ambientais devido à sua exposição a céu aberto. A fim de promover um mercado competitivo e um desenvolvimento sustentável, o Brasil tem desenvolvido materiais mais ambientalmente amigáveis através do uso de seus recursos locais, visto que o modal transporte é um dos mais impactantes quando se avalia o ciclo de vida dos materiais envolvidos no processo de produção dos insumos. A pesquisa experimental será realizada a partir do treinamento e orientação de alunos de graduação e pós-graduação. As matérias-primas serão beneficiadas e caracterizadas, e os sistemas cimentícios serão avaliados físico-químico e mecanicamente. Também a microestrutura, durabilidade, propriedades reológicas e perfil ambiental destes materiais serão definidos. Os principais resultados do projeto proposto serão apresentados em congressos internacionais e publicados em revistas científicas reconhecidas. Isso vai proporcionar um reconhecimento nacional e internacional do grupo de pesquisa. Se o projeto for aprovado, ele irá agregar ferramenta (equipamento) importante ao recém-criado LINCE (Laboratório de Inovação em Cimentos Ecoeficiente) para o desenvolvimento das atividades deste e de projetos paralelos e também fortalecer a área de cimentos alternativos no PPGCI/UFRGS. Gerará novas alianças e cooperações com outros pesquisadores que trabalham no tema, como apontado no grande grupo de apoiadores e colaboradores nacionais e internacionais desta proposta. Aumentará a interação universidade x indústria, pois há interesse industrial neste novo produto inovador. Isso será a garantia de futuros desenvolvimentos na área e a inserção dos pesquisadores desta proposta em um grupo importante de pesquisadores internacionais e nacionais preocupados com a redução do impacto ambiental da indústria cimenteira.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Paula Legey de Siqueira

Outra

Divulgação Científica
  • criação de vídeos 3d, holograma e jogo digital para serem apresentados à população com a finalidade de divulgar, por meio de um espaço de ciência itinerante, informações sobre dengue, zika, chikungunya, o vetor aedes aegypti e profilaxias relacionadas.
  • Há vários anos o vírus da dengue tem se mostrado um grande problema para as autoridades de saúde, provocando um grande número de mortes e uma sobrecarga no sistema de saúde dos municípios. Ele é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, trazido à América do Sul pelos navios negreiros oriundos da África no período colonial. Recentemente, foi confirmado que este mesmo vetor é capaz de transmitir, além da dengue, os vírus Zika e Chikungunya. Tendo em vista que o vírus Zika já foi relacionado pelo Ministério da Saúde a casos de microcefalia e síndrome de Guillain-Barré, a adoção de práticas mais eficientes de conscientização da população no combate ao mosquito se mostra ainda mais urgente. Por outro lado, materiais educativos baseados em Realidade Virtual (RV) têm sido considerados uma importante fonte de comunicação e estão cada vez mais presentes no dia a dia das pessoas, além do que têm sido utilizados como potenciais instrumentos didáticos. Além disso, a RV provoca um maior envolvimento do público alvo em relação às formas tradicionais de comunicação, ao promover a imersão e a interação com o cenário apresentado, além de unir a diversão ao aprendizado. Os vídeos 3D e jogos computacionais criados a partir de técnicas de RV são concebidos em ambientes tridimensionais no computador, com alto grau de realismo, como ferramentas inovadoras de aprendizagem, capazes de alcançar áreas onde os métodos tradicionais não estão atingindo, de forma compreensível, o conteúdo a ser apreendido. Diante desse quadro, este projeto propõe o desenvolvimento de materiais inovadores, para serem apresentados à população com a finalidade de divulgar, por meio de uma estrutura itinerante, em escolas e espaços públicos, informações sobre Dengue, Zika, Chikungunya, o vetor Aedes aegypti e profilaxias relacionadas como, por exemplo, ações simples do dia-a-dia que contribuem para eliminar os focos do agente transmissor. Além disso, propõe que se realize o programa de divulgação de forma continuada, contribuindo com as ações do Governo Federal. O material proposto utiliza holografia, vídeo 3D e jogos digitais que serão dinamizados em atividades cujos objetivos são informar, desmistificar e conscientizar a população em geral acerca deste grave problema.
  • Centro Universitário Carioca - RJ - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Paula Macedo

Engenharias

Engenharia Biomédica
  • resistência à fratura após ciclagem mecânica e distribuição de tensão por análise por elementos finitos de conectores de próteses implanto suportadas em resina reforçada por fibra.
  • O desenvolvimento de materiais capazes de aumentar o sucesso clínico em longo prazo das reabilitações orais e que satisfaça requisitos estéticos e funcionais para os pacientes tem sido alvo de muitos estudos. Recentemente, foi desenvolvida uma resina reforçada por fibra (Trinia) para ser usada como infraestruturas de reabilitações protéticas, tendo em vista a vantagem de agregar características estéticas e funcionais de outros materiais. Entretanto, ainda não há estudos conclusivos na literatura. Diante disso, o objetivo deste estudo é avaliar o desajuste vertical e resistência à fratura do pôntipo em infraestruturas de três elementos com diferentes conectores (circular e elíptico) e confeccionadas em diferentes materiais (resina reforçada por fibra [CAD/CAM] e metal [fundição convencional]). Adicionalmente, objetiva-se também avaliar a distribuição de tensões nas infraestruturas, nos implantes e no osso de suporte, por meio do método de elementos finitos (MEF). Serão confeccionadas 60 infraestruturas e separadas em 2 grandes grupos (n=30) em função do material utilizado: resina reforçada por fibra (Trinia) e metal. Cada grupo apresentará 3 subgrupos (n=10) em função do conector: A – Circular; B – Elíptico (proporção altura/largura 3:4) e C Elíptico (proporção altura/largura 2:3). Todas as infraestruturas confeccionadas serão cimentadas em seus respectivos modelos finais com cimento resino RelyX U200. A análise do desajuste vertical será realizada antes e após a ciclagem mecânica, com o auxílio do microscópio ótico comparador com precisão de 1 µm e aumento de 40x. Para a realização da ciclagem mecânica, as infraestruturas serão posicionadas na máquina de ensaio e, sobre elas, será aplicada a carga de 50 N, buscando simular 2 anos de utilização (600.000 ciclos). A resistência máxima à fratura do pôntipo será realizada com uma carga perpendicular ao longo eixo da infraestrutura aplicada com uma velocidade de aproximação de 2mm/min. A avaliação da distribuição de tensões na infraestrutra, nos implantes e no osso de suporte será realizado por meio do MEF, quando forem submetidos à carregamento oclusal distribuído e puntiforme, ambos simulados em software específico.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Paula Martins do Amaral Cunha

Ciências Agrárias

Agronomia
  • dados agrícolas obtidos por “crowdsourcing” para subsidios à modelagem do risco de colapso de safras e ao monitoramento dos impactos da seca no semiárido do brasil
  • A produção agrícola no semiárido do Brasil é predominantemente de agricultura familiar, sendo afetada pela frequente ocorrência de secas e prolongadas estiagens. As projeções futuras de clima indicam riscos de secas intensas no semiárido, reduções de chuva em até 40% e aumento de dias secos consecutivos. Os impactos dessas alterações poderão afetar diretamente cerca de sete milhões de pessoas que são vinculadas à agricultura familiar no semiárido. Os principais mecanismos de um plano de preparação e mitigação dos efeitos da seca são a previsão, o monitoramento e a avaliação dos impactos. No contexto da previsão de risco de colapso de safra, torna-se necessário que modelos agrometeorológicos sejam integrados com uma rede observacional (dados meteorológicos e informações do solo) e com informações específicas dos cultivares. No que diz respeito ao monitoramento da seca agrícola e seus impactos, diversos índices têm sido propostos; no entanto, seja com a modelagem agrometeorológica ou mesmo com o monitoramento por meio de índices, qualquer que seja a ferramenta a ser considerada, torna-se desafiador quando a região a ser avaliada é extensa e apresenta características heterogêneas com relação aos cultivares. Posto isto, o principal objetivo da presente proposta consiste em criar um banco de dados robusto contendo diferentes dados sobre as principais culturas de subsistência e técnicas de manejo adotadas para o semiárido do Brasil, a partir de uma plataforma de envio e coleta de dados já existente. O banco de dados será gerado a partir de informações coletadas e enviadas por telefonia celular em diferentes municípios do semiárido. O banco de dados criado subsidiará pesquisas em curso que incluem modelagem agrometeorológica, para a posterior previsão do risco de colapso de safras, e, também, o aprimoramento das técnicas de monitoramento da seca agrícola e avaliação de impactos.
  • Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ana Paula Mendes de Miranda

Ciências Humanas

Antropologia
  • diversidades e intolerâncias: análise de processos de mobilizações e de políticas públicas em conflitos de natureza religiosa, étnico-racial e de gênero
  • Trata-se de uma pesquisa dedicada a analisar situações de conflito cuja motivação seja de natureza étnico-racial-religiosa, privilegiando o recorte de gênero, bem como as formas de mobilização política e de administração institucional de conflitos, numa perspectiva comparada. Para tanto, o foco de análise serão as manifestações de discriminação, intolerância e coexistência de grupos religiosos, em especial os de matriz afro-brasileira e o islã, em diferentes contextos (Brasil, Estados Unidos e Portugal). Neste sentido, os diferentes campos empíricos, que constituirão os loci de nossas atuações, têm em comum formas institucionalizadas ou não, de administração de conflitos, considerando práticas interpessoais e/ou coletivas, que resultam em construções de corporalidades, moralidades e produção de subjetividades, em tensão ou em disputa. O projeto é resultado da articulação de pesquisadores de instituições de ensino e pesquisa nacionais e internacionais, com experiência de pesquisa de campo, interessados em compreender os processos de expansão transnacional de conflitos dessa natureza e suas motivações. A possibilidade de construção de um olhar interdisciplinar surge da contribuição que uma perspectiva antropológica traz para a compreensão dos conflitos e processos de reconhecimento de direitos, no sentido de expor as práticas locais, que costumamos chamar de “o ponto de vista nativo”, para apreender as singularidades do caso a ser analisado em contraste com concepções consideradas mais universais, tais como são representadas nos campos da Política Pública e/ou o Direito. Destaca-se que o projeto se inspira em uma perspectiva comparada e multidisciplinar de análise pioneira no Brasil em relação à interlocução entre o Direito e as Ciências Sociais, que compreende que a administração institucional de conflitos realizada no âmbito da Segurança Pública se dá em um campo de disputas e consensos que não se limita à criminalidade e à intervenção repressiva. Faz-se necessário destacar ainda que a construção desse diálogo implica em reconhecer que, enquanto a Antropologia privilegia a compreensão do conflito e/ou da situação social no qual ele está inserido, o Direito e a Teoria Política, aqui expressa pelo campo de Políticas Públicas, tende a orientar-se pelo foco na decisão. É nesse contexto que a produção de etnografias é imprescindível, pois possibilita a descrição e interpretação das situações sociais, analisadas localmente, visando ampliar o debate teórico no campo das Ciências Humanas e Ciências Sociais Aplicadas. Ressalta-se que este enfoque auxilia a compreensão da complexidade da gestão pública, das formas de administração de conflitos e de mobilização social, permitindo expor as diferentes percepções dos atores envolvidos. A principal contribuição do projeto será a produção, pelos pesquisadores envolvidos, de conhecimento empírico e teórico sobre as demandas de direitos que, ao serem apresentadas no espaço público revelam dilemas e dificuldades dos modos de gestão das “burocracias”, com seus saberes e tecnologias de governo próprias, em lidar com as diversidades – religiosas, étnico-raciais e de gênero. Esse descompasso entre as demandas apresentadas e as formas institucionais de administração de conflitos revelam dinâmicas de poder diferenciadas, conforme o público a que se destinam. Assim, as etnografias, em diálogo com outras disciplinas, problematizam as perspectivas homogêneas do Estado, nas suas atividades corriqueiras e extraordinárias, dando destaque aos seus efeitos na construção da cidadania no Brasil, em contraste com outros contextos nacionais, no caso Estados Unidos e Portugal. A possibilidade da internacionalização da pesquisa de campo representa não só um avanço no intercâmbio institucional entre pesquisadores, estudantes e professores dos países abrangidos, com vistas à troca de experiências de pesquisa, de ambientes acadêmicos, mas, principalmente, cria oportunidades para realização de pesquisas de campo em outros países, com a finalidade de produzir resultados que possam ser contrastados àqueles aqui obtidos. Para tanto, o conhecimento produzido resultará em publicações e divulgação dos resultados de modo a possibilitar uma reflexão conjunta pelos setores sociais envolvidos. Outro aporte será a transferência do conhecimento para gestores públicos e a sociedade civil, por meio de debates sobre os processos institucionais e a possibilidade de expansão de direitos. Além disso, pretende-se seguir atuando na formação de estudantes vinculados aos cursos de graduação e pós-graduação.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ana Paula Milla dos Santos Senhuk

Engenharias

Engenharia Sanitária
  • i mostra de trabalhos em ciência e tecnologia ambiental
  • A I Mostra de Trabalhos em Ciência e Tecnologia Ambiental, de abrangência municipal, tem como objetivo incentivar o desenvolvimento de projetos ambientais por alunos do Ensino Fundamental das escolas municipais de Uberaba-MG. Esta proposta visa contribuir para o desenvolvimento científico e tecnológico do País, aproximando alunos da Rede Básica de Ensino, Instituições de Ensino Superior e comunidade. Os projetos ambientais serão desenvolvidos em cada uma das 30 escolas municipais por Agentes Ambientais Mirins, grupos formados por no máximo 12 alunos do 6° ao 9° do Ensino Fundamental. Cada projeto será acompanhado por alunos da graduação em Engenharia Ambiental e do PPGCTA/UFTM. Os projetos, contendo resultados e discussão preliminares, serão enviados em forma de resumo para a Comissão Científica, a fim de serem avaliados. Um evento de um dia será realizado na primeira semana de junho de 2019, nas instalações do Complexo Cultural e Científico de Peirópolis (CCCP), situado às margens da BR 262 no Km 784, aproximadamente a 22 Km de Uberaba. Durante o evento, os alunos serão divididos em grupos menores (de até 30 pessoas) e participarão de atividades alternadas como: apresentação dos resultados em forma de pôster; palestras; visita guiada ao Museu dos Dinossauros; oficinas e atividades ao ar livre. A Comissão Científica dará uma nota para o resumo e outra para a apresentação do trabalho em forma de pôster, resultando na escolha e premiação do melhor trabalho. Cinco alunos do Ensino Fundamental, autores do trabalho premiado, receberão uma bolsa de Iniciação Científica Júnior cada um, com vigência de 6 meses, estimulando a continuação do projeto na escola. Ao final de 6 meses os bolsistas deverão enviar um Relatório Final das atividades desenvolvidas à coordenação do evento. A seleção dos bolsistas, caso o grupo vencedor tenha mais de cinco alunos, será baseada nas melhores médias escolares obtidas nos últimos quatro bimestres (agosto de 2018 a junho de 2019). Espera-se que a aprovação desta proposta possa viabilizar a troca de experiência e conhecimentos entre estudantes do Ensino Fundamental, com graduandos, pós-graduandos, professores e pesquisadores sobre temas relacionados ao meio ambiente, criando um ambiente favorável à formação de profissionais conscientes de seu papel na sociedade, além de identificar jovens talentosos e estimular o interesse pela pesquisa, fomentando o surgimento de novos cientistas e pesquisadores.
  • Universidade Federal do Triângulo Mineiro - MG - Brasil
  • 04/12/2018-31/12/2020
Foto de perfil

Ana Paula Morais Krelling

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • circulação de mesoescala na região oceânica adjacente à plataforma continental dos estados do rio grande do norte, ceará, piauí e maranhão
  • A porção norte da margem continental nordeste brasileira tem sua circulação oceânica dominada pelo sistema Corrente Norte do Brasil / Subcorrente Norte do Brasil (CNB/SNB). Apesar deste sistema ser bem conhecido, ainda são poucos os trabalhos que caracterizam o padrão tridimensional de circulação da região; os estudos já realizados, em sua maioria, são essencialmente sobre caracterização superficial ou composição de massas de água do oceano superior. Alguns estudos sugerem variabilidade espacial e temporal da circulação na região, porém essa variabilidade ainda carece de mais estudos para um melhor entendimento. Além disso, a modificação da orientação da costa e da batimetria dinamicamente sugerem que haja alteração no sistema de correntes ao longo de sua trajetória para noroeste. Assim, este projeto vem propor uma caracterização hidrográfica e hidrodinâmica tridimensional a partir de dados observacionais na região oceânica adjacente à plataforma continental dos estados do Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí e Maranhão. Ademais, considerando a carência de dados da região, são propostos experimentos com modelagem numérica, a fim de obter uma descrição mais detalhada da oceanografia física da região de interesse, especialmente no que tange à parte hidrodinâmica. Estima-se que as análises realizadas no escopo do projeto possam dar base a dois trabalhos de conclusão de curso de graduação, além de contribuir de forma bastante relevante para o conhecimento da oceanografia física da região. Além disso, esta proposta vem auxiliar a criar a linha de pesquisa de circulação oceânica de mesoescala no Labomar/UFC, uma vez que é uma área do conhecimento ainda incipiente em na Universidade Federal do Ceará e em universidades das regiões Norte e Nordeste do Brasil de uma forma geral.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020