Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ana Cristina de Albuquerque

Ciências Sociais Aplicadas

Ciência da Informação
  • organização do conhecimento e documentação museológica: relações classificatórias na dimensão social, cultural e política em catálogos de museus brasileiros
  • O objetivo da Organização do Conhecimento é possibilitar incursões quanto ao processo de sistematização da organização, representação e recuperação do conhecimento, através da elaboração e do estudo dos Sistemas de Organização do Conhecimento. No bojo dos questionamentos oriundos de uma perspectiva crítica, a OC vem sendo discutida por diversos estudiosos sobre sua dimensão social, cultural e política e sobre os limites hegemônicos de organizar o conhecimento. Este ponto contradiz o caráter dialético de compreensão dos fenômenos e considera apenas um recorte da realidade, deixando de lado perspectivas que podem ajudar a compreender a construção implícita nos instrumentos que representam o conhecimento. O interesse recai sobre a documentação museológica como ação que documenta, preserva e narra de forma classificatória, as informações sobre documentos e sua organização dentro do universo em que se encontram. Questiona-se de que maneira se estabelecem relações classificatórias, tendo como principal elemento os conceitos, que caracterizam uma Organização do Conhecimento ligada a seu contexto social, político e cultural na documentação museológica do século XIX de museus brasileiros. O método de Análise do Domínio será utilizado para caracterizar o domínio específico do conhecimento, assim como as comunidades discursivas que incluem tanto os pesquisadores quanto os documentos produzidos sobre esse domínio. Os locais escolhidos são o Museu Paranaense, PR, Museu Emilio Goeldi, PR e Museu Paulista, SP, ambos fundados na segunda metade do século XIX. A proposta visa contribuir transversalmente com discussões teóricas na Ciência da Informação, na documentação museológica, na Teoria da Classificação e Organização do Conhecimento possibilitando o intercâmbio de conhecimentos oriundos de referencial bibliográfico nacional e internacional, assim como um olhar para um entendimento contextual dos documentos que narram, medeiam e organizam o conhecimento para seus usuários.
  • Universidade Estadual de Londrina - PR - Brasil
  • 03/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Cristina Miranda Brasileiro

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • memória do estresse em plantas: uma estratégia biotecnológica inovadora para mitigar os efeitos das mudanças climáticas
  • Plantas cultivadas estão constantemente expostas a estresses ambientais simultâneos e recorrentes que causam perdas significativas de produtividade em diversas culturas. No contexto das mudanças climáticas previstas, esses fatores abióticos afetarão cada vez mais o setor agrícola, tornando-se imperativo o desenvolvimento de cultivares mais tolerantes a múltiplos estresses para garantir a segurança alimentar mundial. As plantas desenvolveram, ao curso da evolução, mecanismos para memorizar suas respostas de defesa após vivenciar uma situação de estresse, e reagir de maneira mais rápida e eficiente a um próximo estresse. Este processo, conhecido como ‘priming’, de aquisição de memória do estresse e pré-ativação de defesa constitui um enorme potencial a ser explorado no desenvolvimento de novas cultivares adaptadas às condições subótimas de crescimento. Entretanto, até o momento, não está descrito na literatura científica ou patentária brasileira a aplicação da engenharia de genes de memória em commodities agrícolas de interesse para o país. A equipe proponente acumulou, ao longo dos anos, dados de sequências genômicas de interesse e um extenso conhecimento sobre os mecanismos moleculares de defesa desenvolvidos por espécies silvestres de Arachis, nativas do Brasil, para sobreviver às inúmeras combinações de estresses que ocorrem em seus ambientes naturais. Este acervo constitui, assim, uma oportunidade ímpar para a exploração de genes ‘silvestres’ de memória no desenvolvimento de novas soluções biotecnológicas visando reduzir os danos causados por estresses em plantas. A presente proposta propõe a identificação, engenharia, e caracterização fenotípica in planta de genes de memória oriundos da biodiversidade brasileira, possibilitando a exploração de todo potencial biotecnológico destes genes na aquisição constitutiva de memória do estresse em plantas e o desenvolvimento de cultivares com maior tolerância a múltiplos e simultâneos estresses abióticos.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Cristina Rodrigues Lacerda

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • avaliação do perfil sarcopênico, nível de atividade física e força muscular em idosos com condições crônicas
  • A sarcopenia é uma doença muscular (CID-10-MC) caracterizada pela perda da quantidade e/ou qualidade muscular recebendo atenção das políticas públicas de saúde devido à alta prevalência e associação com desfechos negativos à saúde do idoso. Durante a pandemia do novo coronavírus, percebeu-se aumento na incidência da sarcopenia, pois pessoas que contraíram a Covid-19 e se recuperaram tiveram a sarcopenia como sequela. Assim, essa condição pode ter origem primária quando associada à senescência e secundária quando relacionada a condições desencadeantes, como doença pulmonar obstrutiva crônica, doenças e pós cirurgias osteomusculares e doença renal crônica. Estudos apontam a sarcopenia como fator associado a desfechos clínicos em condições crônicas, incluindo pior prognóstico e qualidade de vida, resultando em altos encargos pessoais, sociais e econômicos. Entretanto, ainda existem desafios para compreensão, prevenção, identificação e tratamento da sarcopenia. Assim, pretendemos avaliar por meio de estudos exploratórios o perfil sarcopênico, o nível de atividade física, a força muscular e fatores associados em idosos com condições crônicas. O ponto forte da metodologia será o controle interno por meio do diagnóstico da sarcopenia utilizando absormetria de raios-x de dupla energia (padrão-ouro). Os resultados contribuirão para o avanço no conhecimento teórico e prático, incluindo diretrizes e protocolos para facilitar o rastreio e a abordagem da sarcopenia nos serviços de saúde. A equipe, capitaneada pela primeira mulher bolsista de produtividade em pesquisa (desde 2009) de instituição federal localizada em área de atuação na SUDENE no estado de Minas Gerais estuda aspectos neuroimunoendócrinos e associação com desempenho em grupos especiais há cerca de 13 anos e publicou mais de 70 artigos, além de orientar mais de 20 dissertações e teses. Membros da equipe que hoje atuam em instituições federais e particulares de ensino superior foram orientados pela proponente.
  • Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - Campus JK - MG - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Ana Elisa Madalena Rinaldi

Ciências da Saúde

Nutrição
  • licença maternidade e duração do aleitamento materno exclusivo – visão de mães e empregadores
  • O estudo das condições de trabalho da mulher constitui estratégia para o cumprimento do Agenda 2030, no que tange ao Objetivo do Desenvolvimento Sustentável Nº5 da Organização das Nações Unidas. Nas últimas duas décadas a participação das mulheres no mercado de trabalho formal e informal cresceu de 34,1% para 43,9% no Brasil. Nesse cenário, o desafio de conciliação dos papéis no universo produtivo e reprodutivo torna-se realidade de muitas brasileiras, especialmente num país marcado por acentuadas assimetrias sociais e econômicas, incluindo desigualdades de gênero, raça e classe. Trabalhadoras formais e informais relatam o escasso apoio à manutenção da amamentação no ambiente de trabalho, com cargas horárias extensas e rotinas pouco flexíveis. Para as inseridas no mercado formal, a licença maternidade de 120 dias e duas pausas de 30 minutos para amamentar estão previstas na Consolidação das Leis Trabalhistas. Em 2008, foram garantidas 180 dias de licença maternidade às servidoras públicas federais e trabalhadoras de empresas que aderiram ao programa Empresas Cidadãs. Entretanto, trabalhadoras do setor informal continuam sem o benefício da licença maternidade remunerada, deixando-as numa situação de maior vulnerabilidade. Nesse contexto, o retorno ao trabalho tem sido associado a interrupção precoce do aleitamento materno exclusivo (AME). Entretanto, ainda há pouca informação sobre como as mães lactantes vivenciam esse período de retorno ao trabalho, assim como a visão dos empregadores sobre esse tema. Esse estudo utilizará abordagem quanti-qualitativa para (i) descrever as condições do ambiente de trabalho adequadas à amamentação, adesão à Empresa Cidadã e verificar a associação entre condições de trabalho (setor e formalidade do trabalho, carga horária, licença maternidade, presença de sala de amamentação) e a duração do AME; e (ii) compreender qualitativamente a vivência de retorno ao trabalho e a visão dos empregadores sobre o apoio à mulher que amamenta.
  • Universidade Federal de Uberlândia - MG - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Elisa Silva de Abreu

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • análise da estabilidade de encostas com o uso integrado de sensores inerciais, sensores de umidade e métodos geofísicos
  • O estudo detalhado das encostas e seu monitoramento são uma ferramenta importante para o desenvolvimento de alertas antecipados de escorregamento que permitam a evacuação de populações em situação de risco. No entanto, a sua implementação em grandes e numerosas áreas apresenta custos elevados e requer o amplo conhecimento das variáveis envolvidas na deflagração dos escorregamentos. O uso integrado de novas tecnologias para monitoramento das encostas, como sensores de baixo custo e métodos geofísicos multitemporais pode tanto dar novas respostas a este problema, como também constituir alternativas mais econômicas. A utilização de sensores inerciais (acelerômetros associados a giroscópios e magnetômetros) para o monitoramento de movimentações da encosta, associados a sensores de umidade, tensiômetros e piezômetros, como se propõe nesta pesquisa, não é ainda convencional em geologia de engenharia. A intenção neste projeto é utilizar sensores de baixo custo, que possam ser instalados em grandes áreas e que possam ser facilmente substituídos, para atender necessidades típicas do Brasil. Da mesma forma, o uso conjugado e multitemporal de técnicas geofísicas como Tomografia de Resistividade Elétrica (ERT) e Análise Multicanal de Ondas Superficiais (MASW) possibilita estabelecer as interrelações entre o solo e a infiltração de água. Seu uso também permite dar respostas integradas e robustas para as movimentações sazonais causadas pelas alterações na hidrologia da encosta. A pesquisa será realizada em uma encosta da Serra do Mar no município de Guarujá (SP), que será monitorada durante pelo menos dois anos hidrológicos. Nesta encosta, serão instalados os sensores e realizados os levantamentos geofísicos. Com os resultados obtidos, espera-se aumentar a compreensão dos processos envolvidos na deflagração de escorregamentos e dos sinais coletados, com o intuito de que, eventualmente, estes possam ser aproveitados para fins de alerta antecipado.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025