Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Adriana Ávila Moura

Ciências da Saúde

Medicina
  • triagem para infecção por vírus zika no pré-natal: desfechos gestacionais entre imunes e infectadas e análise in vitro do risco de dano do complexo anticorpo-vírus zika ao tecido embrionário humano
  • O vírus zika (ZIKV) foi descoberto em 1947, entretanto os sintomas manifestados em pessoas infectadas eram brandos ou assintomáticos, e o conhecimento sobre seus mecanimos de ação e fisiopatologia foi subestimado. Com a migração do vírus através de diferentes continentes, adaptações e mutações genéticas foram adquiridas e, concomitantemente, seus efeitos tornaram-se severos. Recentemente, associou-se a infecção pelo ZIKV a danos no sistema nervoso central, principalmente a microcefalia e síndrome de Guillain-Barré. A descoberta alarmou os órgãos de saúde pública e mobilizou entidades do mundo inteiro na busca de informações sobre o vírus, seus efeitos, mecanimos fisiopatológicos envolvidos e possíveis imunizações e tratamentos. Portanto, este projeto visa avaliar os efeitos prejudicias ou imunizantes de uma infecção prévia por ZIKV frente a reexposição ao vírus durante a gestação e o neurodesenvolvimento. No estudo, serão incluídas gestantes (e seus conceptos) que realizarem o pré-natal na rede pública de saúde nas Unidades Básicas de Saúde de Maceió: 20 com infecção prévia por Zika vírus e 300 sucetíveis à infecção, das quais 45 participantes serão selecionadas considerando a soroconversão durante qualquer período gestacional (IgM e IgG não reagentes no primeiro teste e IgM ou IgG reagentes no segundo ou terceiro testes). Será aplicado questionário sobre informações sócio-demográficas, clínicas e epidemiológicas e será realizada coleta de sangue periférico das gestantes para realização de sorologias (IgM e IgG) para zika, citomegalovirus, Toxoplasma gondii, sífilis e HIV, e para mensurar os níveis de fatores tróficos e citocinas inflamatórias. Exames de rotina de pré-natal serão realizados (ultrassonografia e outros testes clínicos). Conceptos e recém-nascidos das gestantes, reagentes ou não reagentes para ZIKV, serão monitorados. No estudo in vitro, será avaliado o potencial neuromodulador do soro de gestantes IgG reagentes durante a reexposição ao vírus em cultura de células-tronco pluripotentes induzidas e organóides cerebrais (minicérebros) obtidos a partir de fibroblastos de pele. As biópsias de pele serão coletadas de residuais de abdominopalstia de dois pacientes saudáveis. Serão avaliados os níveis de fatores de crescimento e citocinas inflamatórias em diferentes períodos de neurodiferenciação no sobrenadante das iPSCs e em diferentes etapas do neurodesenvolvimento de organóides cerebrais.
  • Universidade Federal de Alagoas - AL - Brasil
  • 30/10/2016-31/10/2020
Foto de perfil

Adriana Barreto de Souza

Ciências Humanas

História
  • legislação, experiências sociais e conflitos em torno da justiça militar: conexões entre lisboa, rio de janeiro e pará, 1799-1810.
  • Esse projeto desdobra uma pesquisa em fase de finalização (PQ2, CNPq/2016-2019) que aborda um terreno inexplorado pela historiografia, o da justiça militar na virada para o século XIX. A partir do mapeamento dos dispositivos legislativos que constituíram este novo campo justiça, formalizado como tal em fins do século XVIII, optamos à época por analisar esses dispositivos não só como ideias racionalizadas no plano escrito, mas como ações que podiam ser apreendidas no cotidiano das relações sociais no circuito que ligava Lisboa ao Rio de Janeiro, entre os anos de 1764 e 1820. Os resultados preliminares desta pesquisa indicaram a existência de pelo menos três níveis de conflitos nesse circuito. O primeiro deles estava localizado em Lisboa, desenvolvendo-se em torno da elaboração de um código penal militar. O segundo envolvia dois administradores coloniais: José Narcizo de Magalhães e Menezes, general português nomeado em 1799 para o Comando das Tropas do Rio de Janeiro, e o vice-rei, d. Fernando José de Portugal. Convencido do préstimo dos oficiais pretos e pardos, e da falta de interesse de parte dos oficiais brancos pela carreira, fosse ela nas milícias ou no Exército, o general recém-chegado de Lisboa reorganizou os Regimentos de Milícias de Pardos e Pretos da cidade, fomentando um terceiro nível de conflitos, que envolvia estes oficiais na luta pelo acesso aos postos superiores de seus Regimentos. O presente projeto pretende conectar esses vários conflitos, investindo em uma análise micro-analítica de cada um deles e na incorporação de um novo espaço colonial, o Pará. A transferência do general Magalhães e Menezes para esta capitania em 1805 foi resultado de suas desavenças com o vice-rei. Acreditamos que seguir seu rastro pode ser um meio eficaz para perceber como, em meio a esse debate sobre a carreira militar, a legislação e as instituições da justiça militar eram acionadas por diferentes atores, situados em regiões distintas do Império e da hierarquia social, a fim de orientar lutas que se desenrolavam em arenas jurídica, política e mais propriamente militar. Mais que investigar a origem da justiça militar, este projeto pretende entendê-la como um terreno de confronto, onde diferentes noções de justiça e concepções do que era “ser militar” eram disputadas por um grupo bastante heterogêneo de oficiais: das tropas de linha e das milícias, reinóis e nascidos nas colônias, brancos, pardos e pretos.
  • Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022