Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Alessandra Luzia Da Róz

Engenharias

Engenharia Química
  • ii mostra científica e feira de ciências do ifsp itapetininga
  • A II Mostra de Científica e Feira de Ciências do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) Câmpus Itapetininga é um evento idealizado e realizado pelas Coordenadoria de Pesquisa, Inovação e Pós-graduação, Diretoria Adjunta Educacional e Coordenadoria de Extensão do Câmpus Itapetininga do IFSP no âmbito da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Ao promover a II Mostra Científica e Feira de Ciências do IFSP Itapetininga pretende-se possibilitar que estudantes do Ensino Fundamental, Médio e Técnico das redes municipais, estaduais e federal do município de Itapetininga e região possam entrar em contato com um ambiente facilitador e estimulante ligado às ciências, corroborando o trabalho realizado em sala de aula por professores previamente treinados pelo corpo docente do IFSP, via parceria entre Prefeitura Municipal e Diretoria Estadual de Ensino. A II Mostra Científica e Feira de Ciências é um espaço para discussão, apresentação e exposição de trabalhos técnicos e científicos desenvolvidos e os melhores trabalhos serão premiados em diversas categorias, incluindo premiação exclusiva para meninas. No evento, além da apresentação de trabalhos, ocorrerão diversas atividades concomitantes, tais como: mostra de robótica, mostra de protótipos, Congresso Paulista de Ensino de Ciências, experimentos de ciências do projeto Show da Física, também iniciativa do Câmpus Itapetininga, e tour pelo Espaço Giroscópio de Ciências. O Câmpus possui ampla experiência na realização de eventos científicos, técnicos e tecnológicos, pois desde 2010 realiza seu Congresso de Iniciação Científica e o Work Tech Itapê. Em 2019, a I Feira de Ciência teve a participação de cerca de 110 trabalhos de várias cidades da região e ocorreu em outubro na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia com participação de mais de 1000 alunos, incluindo expositores do Ensino Básico e Médio. Devido a pandemia de COBID-19, a Feira não ocorreu no ano de 2020; porém, as atividades base da Feira, como manutenção das parceiras iniciadas, continuaram acontecendo para a implantação adequada da II Mostra Científica e Feira de Ciências do IFSP.
  • Instituto Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 15/04/2021-30/04/2023
Foto de perfil

Alessandra Matte

Ciências Humanas

Sociologia
  • sistemas agroalimentares no brasil: sustentabilidade e práticas culturais em espaços rurais e urbanos
  • A sociedade contemporânea vivencia em todo o mundo o recrudescimento da fome e da pobreza. Por outro lado, há o aumento da produtividade e da produção de alimentos em diferentes contextos globais. Assim, em um contexto de crescentes inequidades, a preocupação não somente com a origem, forma de processamento e qualidade, mas também da acessibilidade dos alimentos fica evidente. Com o intuito de elucidar o decurso desses processos e o seu impacto na segurança alimentar, o objetivo deste projeto consiste em analisar mudanças nos sistemas agroalimentares a fim de compreender aspectos da produção, do processamento, da comercialização e do consumo de alimentos, com ênfase na sustentabilidade e em práticas culturais presentes em espaços rurais e urbanos nas diferentes regiões do Brasil. A análise comparativa entre as diferentes regiões permitirá identificar as singularidades, assim como as semelhanças e diferenças, de maneira a desenhar caminhos para uma transição dos sistemas alimentares mais equitativos e sustentáveis. A equipe interdisciplinar fará uso de método misto, por ser um procedimento de coleta, análise e combinação de técnicas quantitativas e qualitativas em um mesmo desenho de pesquisa. A partir das lições geradas em escala local em cada um dos sítios do estudo, é almejado avançar e consolidar a produção de conhecimentos científicos úteis também para a tomada de decisão em nível regional e global, bem como torná-los acessíveis ao público geral. Participar de uma iniciativa em rede colaborativa, atuando em parceria com diversas instituições, possibilita a identificação de soluções sustentáveis e a capacitação e formação de recursos humanos. A proposta incentiva a produção e o acesso a alimentos de qualidade, a autonomia de famílias de produtores rurais por meio da promoção da comercialização de alimentos e a compreensão de escolhas dos consumidores, promovendo ações direcionadas ao estímulo de sistemas agroalimentares mais equitativos e sustentáveis.
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 19/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alessandra Mussi Ribeiro

Ciências Biológicas

Farmacologia
  • investigação dos mecanismos relacionados a atividade neuroprotetora dos compostos isolados de plantas 1,8 cineol, limoneno e mirtenol em modelo animal da doença de parkinson
  • A incidência de doenças neurodegenerativas teve um aumento expressivo nas últimas décadas. Dentre essas, a Doença de Parkinson (DP) tem um papel de destaque principalmente pelo seu caráter progressivo e limitante. Dessa forma, torna-se cada vez mais importante o desenvolvimento de intervenções terapêuticas mais inovadoras e eficazes para o tratamento da sintomatologia dessa doença. Dentro deste contexto, o Brasil é responsável pela gestão do maior patrimônio de biodiversidade do mundo, essas ricas fauna e flora podem ser fontes de substâncias biologicamente ativas com potencial terapêutico. Estudos demonstram que substâncias de extratos de plantas são potenciais agentes antioxidantes e anti-inflamatórios. que são verdadeiras “armas químicas” com diversos efeitos farmacológicos. Essas moléculas podem ser instrumentos que auxiliam no tratamento de doenças neurodegenerativas. Apesar do extraordinário potencial ainda há pouca utilização clínica desse tipo de bioativo. Recentemente, nós realizamos a bioprospecção de potenciais extratos de plantas que pudessem apresentar uma ação neuroprotetora quando testados em um modelo progressivo da DP em roedores. Nossos principais resultados mostraram que os extratos da Eplingiella fruticosa e Lippia grata apresentam atividade neuroprotetora, em comum ambos extratos tem terpenos. E mais, a manipulação biotecnológica desses extratos através da complexação com beta-ciclodextrina para melhorar a hidrofobicidade promoveu uma potencialização do efeito neuroprotetor, sugerindo um esboço para o desenvolvimento de um método para obtenção de um novo fármaco antiparkinsoniano. Neste contexto, na presente proposta de pesquisa, nosso objetivo é verificar se os terpenos 1,8 cineol, limoneno e mirtenol complexados com beta-ciclodextrina são os responsáveis pelos efeitos neuroprotetores já observados nos extratos de E. fruticosa e L. grata, além de investigar por qual(is) o(s) mecanismo(s) de ação(es) isso ocorre.
  • Universidade Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alessandra Pio Silva

Ciências Humanas

Educação
  • domas: valores civilizatórios para uma educação decolonial e antirracista
  • A educação decolonial antirracista deve ser protagonizada em nossas escolas o mais urgente possível, pois, apesar de haver leis que orientem que escolas prevejam em seus currículos conhecimentos focados nas afro-brasilidades, isso ainda não é efetivado na maioria das escolas. E, quando o fazem, os conteúdos aparecem de forma desconexa, dissociados da vida dos alunos. Assim, este projeto se enquadra na educação decolonial e antirracista, inserido numa realidade em que o currículo escolarizado ainda se encontra naturalizado pelo viés da colonialidade eurocêntrica. Desse modo, adotaremos um processo formativo para a transformação social, aquisição da consciência política e formação de identidades afrocentradas, tendo-se nos Valores Civilizatórios Afro-brasileiros a sustentação do currículo. Mesmo as Leis 10.639/03 e 11.645/08 sendo sancionadas há mais de 18 anos , muitas escolas não incluíram em seus currículos ações para o estudo da História e Cultura Afro-Brasileira. A questão central desse projeto é refletir junto com professores e alunos, a partir de suas experiências, sobre como, e se, a educação decolonial antirracista é abordada em escolas públicas da Região do Seridó do RN. Elucidar a questão acima é fundamental, pois a temática está em consonância com três objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU: educação de qualidade; redução das desigualdades; paz, justiça e instituições eficazes. Ademais, esse estudo pode formar docentes capacitados para auxiliar os estudantes que respeitem e promovam os direitos humanos, conforme as competências 7 e 9 para a educação básica da BNCC. Esse trabalho será conduzido através de uma metodologia qualitativa, tendo como procedimento a Pesquisa-Ação. Isso é necessário, pois iremos desenvolver uma estreita parceria com os docentes colaboradores do estudo, em uma dinâmica ação-reflexão-ação e assim torná-los protagonistas na busca por alternativas pedagógicas para o ensino de valores civilizatórios na sala de aula.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025