Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

João Alcione Sganderla Figueiredo

Outra

Ciências Ambientais
  • formação de recursos humanos em nível de doutorado e consolidação das redes de pesquisa em temas estratégicos
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Feevale - RS - Brasil
  • 08/01/2020-08/01/2025
Foto de perfil

João Alencar Pamphile

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • otimização, padronização e reuso do nanobiocompósito af-fe3o4, obtido da interação de aspergillus flavus endofítico e nanopartículas magnéticas (fe3o4), para remoção de contaminantes de águas
  • Grandes quantidades de corantes sintéticos azo são descarregadas em cursos de água, impactando os ecossistemas e os seres humanos. As metodologias convencionais para tratamento de águas não são completamente eficientes na remoção desta classe de corantes. Com isso, outros métodos têm se destacado, como a biorremediação utilizando micro-organismos como agentes de biodegradação ou biotransformação de compostos presentes no resíduo tóxico em formas inócuas que não ofereçam riscos de impacto ambiental. Recentemente, o Laboratório de Biotecnologia Microbiana da Universidade Estadual de Maringá (LBIOMIC/UEM) realizou o depósito do pedido de patente intitulado “Processo de obtenção de nanobiocompósito de Aspergillus flavus endofítico e nanopartículas magnéticas (Fe3O4) com potencial de biorremediação de corante e sua reutilização” (Processo INPI nº: BR 10 2020 014930-0), junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). Com isso, o grupo LBIOMIC/UEM vem se destacando na pesquisa de aplicação biotecnológica de nanobiocompósitos na biorremediação de águas contaminadas com rejeitos tóxicos. Assim, este projeto visa complementar o referido pedido de patente depositado, com a ampliação do uso do nanobiocompósito obtido (NBC Af-Fe3O4), com a otimização e padronização da obtenção e utilização da sua biomassa, bem como a realização de experimentos para verificação da reutilização máxima (número de ciclos de reutilização), estudos de cinética da reação e de remoção de poluentes (corantes e outros compostos) do meio aquoso (estudos químicos).
  • Universidade Estadual de Maringá - PR - Brasil
  • 21/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

João Alexandre Ribeiro Gonçalves Barbosa

Ciências Biológicas

Biofísica
  • estudos estruturais e funcionais das esterol c24-metiltransferases dos fungos patogênicos humanos candida auris e aspergillus fumigatus visando o desenvolvimento de potenciais fármacos antifúngicos
  • Infecções fúngicas invasivas são a maior causa de mortalidade entre os pacientes imunodeprimidos, sendo principalmente causadas pelos gêneros Candida e Aspergillus. Destacam-se as espécies Candida auris com altas taxas de mortalidade chegando a 72% e Aspergillus fumigatus com taxas entre 60% e 90%. Existem apenas quatro classes principais de medicamentos antifúngicos disponíveis para tratar infecções fúngicas invasivas, os azóis, os polienos, as equinocandinas e as fluoropiridinas. O fato de os fungos serem eucarióticos, com estreita relação evolutiva com hospedeiros humanos dificulta a busca por alvos antifúngicos. O ergosterol é um lipídio essencial para a viabilidade fúngica pois é responsável pela fluidez e permeabilidade da membrana. Colesterol e ergosterol compartilham a mesma via metabólica até a etapa de síntese de zimosterol, a partir deste ponto se diferenciam e utilizam enzimas distintas. Atualmente, o principal alvo é a enzima lanosterol 14-α-demethylase, codificada pelo gene erg11 e inibida por azóis, que atua em etapa comum das vias do colesterol e ergosterol. Consequentemente, pacientes podem apresentar efeitos colaterais durante o tratamento com azóis, além da ineficiência no tratamento de C. auris e A. fumigatu devido à sua resistência a essa classe de compostos. O gene erg6, presente em fungos e ausente em humanos codifica a esterol C-24 metiltransferase (SMT) que atua adicionando um grupo metil ao C-24 do zimosterol convertendo-o a fecosterol, ou, alternativamente, ao lanosterol convertendo-o em eburicol. A ausência da SMT em humanos torna-a um excelente alvo terapêutico. Até o momento, nenhuma estrutura cristalográfica de SMT foi resolvida, dado crucial para o conhecimento detalhado das interações entre as proteínas e outras moléculas. Portanto, o objetivo deste projeto é fornecer informações estruturais e funcionais das SMTs de C. auris e de A. fumigatus para o desenvolvimento de fármacos potentes e seletivos.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

João Augusto Mattar Neto

Ciências Humanas

Educação
  • desenvolvimento de competências digitais em professores e estudantes da educação básica e superior
  • O desenvolvimento de competências digitais em educação já era uma preocupação antes da pandemia da covid-19, que deixou mais patente sua importância. As competências digitais envolvem conhecimentos, habilidades e atitudes relacionados à utilização de tecnologias digitais. Seu domínio é importante para o processo de ensino e aprendizagem. Assim, organizações educacionais enfrentam o desafio de incorporar o desenvolvimento dessas competências em seus planos de ensino. O problema a ser abordado nesta proposta é a complexidade da formação para o desenvolvimento de competências digitais. A questão específica a ser investigada é como desenvolver adequadamente competências digitais em professores e alunos. O projeto envolve inicialmente a avaliação do nível de competência digital de professores e alunos por meio da aplicação de instrumentos desenvolvidos e validados. Em seguida, prevê a elaboração, aplicação e avaliação de atividades visando o desenvolvimento de competências digitais em professores e estudantes. Por fim, serão realizados cursos de formação de professores para o desenvolvimento de competências digitais em alunos. A pesquisa é aplicada, explicativa, longitudinal e de campo, com uma abordagem de métodos mistos. A metodologia inclui surveys, intervenções com delineamento pré-experimental e estudos de caso. A coleta de dados ocorrerá por meio da aplicação de questionários e testes, complementada por entrevistas e observação. A análise dos dados quantitativos utilizará estatística descritiva e inferencial, e dos dados qualitativos, codificação e categorização. Espera-se que as propostas de atividades contribuam para o desenvolvimento de competências digitais em professores e alunos da educação básica e superior, assim como o curso de formação oriente os educadores a utilizarem essas estratégias em suas atividades docentes. A pesquisa em rede internacional é desenvolvida em parceria com a Université Téluq (Canadá) e a Universidade de Lisboa (Portugal).
  • Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - SP - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Joao Batista Calixto

Ciências Biológicas

Farmacologia
  • inovação em medicamentos e identificação de novos alvos terapêuticos - inct inovamed
  • Apesar dos esforços da CAPES e CNPq para formar pessoal e dos avanços da ciência brasileira em periódicos internacionais, o Brasil progrediu pouco com relação a apropriação do conhecimento para gerar inovação tecnológica. Na área de medicamentos, apesar do Brasil ser o oitavo mercado mundial, em 2013 tivemos um déficit na balança comercial da ordem de 7 bilhões de dólares. Fica portanto, claro que o Brasil necessita apoiar grupos de pesquisa das universidades, Institutos de pesquisa e ICTs, para estabelecer parcerias necessárias ao fortalecimento das atividades de P&D das indústrias farmacêuticas de capital nacional e, reduzir a médio e longo prazo, esse déficit de conhecimento que separa o Brasil dos países desenvolvidos e alguns em desenvolvimento. Através da interação entre diferentes instituições brasileiras e colaboradores internacionais, esta proposta visa o desenvolvimento de novos fármacos e a pesquisa de novos alvos terapêuticos. Este projeto, portanto, pretende contribuir para avançar a inovação e a ciência de qualidade na área de desenvolvimento de medicamentos e tem os seguintes objetivos: 1) Estabelecer parcerias com as principais indústrias farmacêuticas brasileiras (de capital nacional ou multinacional) visando realizar pesquisas pré-clínicas e clínicas nas seguintes áreas: câncer, depressão, ansiedade, psoríase, coceira; e doenças crônicas e degenerativas (artrite reumatóide, doença de Alzheimer, dor e esclerose múltipla), com especial ênfase na interação entre o sistema imune e o sistema nervoso; 2)Identificar e validar novos alvos terapêuticos para as doenças citadas acima, empregando técnicas de biologia celular e molecular, além de estudos funcionais clássicos; 3) Produzir ciência de alta qualidade com publicações em revistas internacionais de destacado prestigio internacional e contribuir para a inserção internacional do grupo e para o aumento da visibilidade da ciência e tecnologia brasileira; 4) Formar recursos humanos nas áreas relacionadas ao desenvolvimento de medicamentos e na identificação e validação de alvos biológicos de interesse ao desenvolvimento de medicamentos; 5) Apoiar grupos emergentes nas áreas de farmacologia, neurociências, biotecnologia e biologia parasitária visando a consolidação dos mesmos; 6) Contribuir para a melhoria dos programas de pós-graduação onde estes grupos encontram-se inseridos; 7) Apoiar e disseminar o emprego das boas práticas de laboratório, necessárias ao desenvolvimento de medicamentos,no Brasil; 8) Disseminar para a comunidade em geral, através de congressos, simpósios, sites, cursos, palestras; os avanços recentes que vêm ocorrendo na área de medicamentos e estimular as parcerias entre as universidades/centros de pesquisa e as empresas. O projeto conta com dois centros modernos de pesquisas pré-clínica (CIEnP) e clinica (NPDM) que possuem experiência em trabalhar em parceria com as industrias farmacêuticas. O primeiro grupo liderado pelo coordenador deste INCT tem mais de 25 anos de experiência em estudos pré-clínicos e participou do desenvolvimento de alguns produtos que estão no mercado como: Acheflan, Syntocalm (Lab. Aché) e Flavonoides de passiflora (linha Cronos, Natura, além de 4 medicamentos que estão em estudos clínicos. O grupo da UFC liderado pelo vice-coordenador deste INCT foi pioneiro na realização de estudos clínicos no Brasil, sendo um dos grupos que mais colaborou com a introdução bem sucedida dos medicamentos genéricos no Brasil. Os dois grupos agora contando com excelentes estruturas para o desenvolvimento de pesquisa pré-clínica e clínica, financiados pelo MCTI, MS, governo de SC e BNDES; pretendem trabalhar em colaboração e em estreita parceria com as principais indústrias farmacêuticas estabelecidas no Brasil, para que com o apoio das políticas públicas, colaborar para que o país se torne, em médio e longo prazo, menos dependente da importação de medicamentos. Além disso, o projeto conta com pesquisadores com boa formação acadêmica e experiência na área de farmacologia e biologia molecular das seguintes universidades: UFSC, UFPR, UFRJ, UNIVALI, UNCEUMA, além de 9 pesquisadores colaboradores internacionais. Espera-se que o desenvolvimento do presente projeto permitirá atingir as seguintes metas: 1. consolidação de parcerias com as principais indústrias farmacêuticas brasileiras (de capital nacional ou multinacional), estabelecer uma rede de cooperação entre diferentes IES brasileiras e estrangeiras; 2. identificar e validar novos alvos terapêuticos para o câncer, depressão, ansiedade, psoríase, coceira; e doenças crônicas e degenerativas (artrite reumatóide, coceira, psiríase, doença de Alzheimer, depressão, esclerose múltipla, dor crônica); 3. produção de ciência de alta qualidade disseminada através de publicações em revistas internacionais de alto impacto 4. formação de recursos humanos em diferentes níveis (graduação, mestrado, doutorado, pós-doc) nas áreas relacionadas ao desenvolvimento de medicamentos e na identificação e validação de alvos biológicos. 5. consolidação de grupos de pesquisa e melhoria dos programas de pós-graduação emergentes nas área de farmacologia, neurociências, biotecnologia e biologia parasitária; 6. Apoiar a disseminação do emprego de boas práticas laboratoriais, necessárias ao desenvolvimento da área de medicamentos no Brasil.
  • Centro de Inovação e Ensaios Pré-Clínicos - SC - Brasil
  • 28/11/2016-30/11/2024
Foto de perfil

João Batista de Macedo Freire Filho

Ciências Sociais Aplicadas

Comunicação
  • a comunhão da aversão: mídia, política e sensibilidade moral
  • Este projeto de pesquisa possui como tema a mobilização política do “idioma moral do nojo” efetuada por líderes e porta-vozes da extrema-direita no Brasil e a consequente construção de figuras execráveis, descritas, numa profusão de textos e de imagens, como portadoras de atributos, disposições e ideais capazes de contaminar e de corromper toda a nação. O objetivo da pesquisa é, mais especificamente, analisar como discursos e artefatos midiáticos produzidos por grupos conservadores e por representantes da extrema-direita acionam, de modo sistemático, a retórica e a iconografia do asco com o intuito de rechaçar integrantes de movimentos sociais e de partidos políticos associados ao campo progressista. Argumentamos que é fundamental estudar tais representações desumanizadoras do oponente político, porque sua circulação crescente, em diferentes esferas, comporta significativas consequências psíquicas e materiais: além de servir para deslegitimar as reivindicações de minorias por direitos civis, inclusão social e reconhecimento cultural, pode contribuir para racionalizar medidas repressivas e atitudes hostis (em certos casos, até mesmo letais) contra as presumidas ameaças aos bons costumes, à vida produtiva e à segurança nacional. O quadro de referência teórico da nossa investigação é composto, essencialmente, por trabalhos de pesquisadores das áreas das ciências sociais e da filosofia que abordam o nojo como uma emoção hierárquica e política — o substrato afetivo da construção de barreiras simbólicas e concretas contra a mobilidade social e espacial do Outro asqueroso e intolerável. Para o exame do material que integra o corpus empírico, tomamos como base arcabouço analítico proposto por Sara Ahmed, em The Cultural Politics of Emotion, para desvendar como figuras de linguagem afetivamente carregadas (metáfora e metonímias, em especial) produzem a emotividade dos textos culturais que movem os leitores, aproximando-os ou afastando-os de determinados objetos e corpos.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Joao Batista Florindo

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • análise de imagens médicas usando redes convolucionais profundas e descritores fractais
  • Este projeto propõe o estudo e desenvolvimento de ferramentas matematico-computacionais para análise de imagens médicas combinando redes neurais profundas com geometria fractal. As redes neurais profundas convolucionais têm se popularizado também na análise de imagens médicas, porém os descritores clássicos, como os fractais, ainda são competitivos nesta área, além de, na maioria das vezes, poderem ser mais facilmente interpretados. Neste contexto, propõe-se que ambas as abordagens sejam combinadas. Tal combinação se dá de dois modos: treinando a rede a partir da imagem original e da imagem submetida a uma transformação multifractal ou calculando a dimensão fractal da saída associada a cada filtro aprendido pelas camadas convolucionais da rede. Os descritores extraídos serão aplicados a dois problemas da área médica: análise de evolução do Adenoma Pleomórfico para Carcinoma (câncer) e estudo da relação entre imagens de tecidos afetados pelo Carcinoma Neuroendócrino de Pulmão do tipo ``de Pequenas Células'' com a expectativa de vida do paciente. Espera-se que os resultados obtidos tragam implicações importantes para a sociedade, ajudando na melhor compreensão destes processos carcinogênicos e fomentando assim possibilidades tanto de um diagnóstico mais precoce quanto de um tratamento mais eficaz, melhorando assim a qualidade e a expectativa de vida do paciente.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023
Foto de perfil

João Batista Garcia Canalle

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • 25 olimpíada brasileira de astronomia e astronautica
  • Vamos realizar a 25ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica em cerca de 10.000 escolas com a participação de aproximadamente 1.000.000 alunos do ensino fundamental e médio, haja vista que em 2021 participaram, mesmo com pandemia, 481.525 alunos. A realização da OBA, contudo, implica na realização de diversos eventos dela decorrentes que abaixo listamos. Realização do Curso à distância de Astronomia para alunos participantes das “seletivas”, isto é, para alunos que tentarão participar das equipes internacionais. Realização da Jornada Espacial com cerca de 60 alunos e 60 professores dentre aqueles alunos do ensino médio que se destacaram nas respostas às perguntas de Astronáutica. Realização da XVI Mostra Brasileira de Foguetes entre alunos do ensino fundamental e médio entre todas as escolas previamente cadastradas para participarem da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica. Realização de 10 Jornadas de Foguetes com os alunos campeões em suas Escolas. Realização das Provas seletivas a partir das quais selecionamos as equipes internacionais. Participação na Olimpíada Latino-americana de Astronomia e Astronáutica a qual em 2022. Participação na Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica a qual em 2022. Organização dos Encontros Regionais de Ensino de Astronomia em cerca de oito diferentes cidades do Brasil.
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 10/12/2021-31/12/2023
Foto de perfil

João Batista Garcia Canalle

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • 24 olimpíada brasileira de astronomia e astronautica
  • Vide projeto anexo
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 22/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

João Batista Lopes

Outra

Ciências Ambientais
  • desenvolvimento de compósito destinado a design ecológico de mobiliário
  • O desenvolvimento de materiais a partir de fontes renováveis vem despertando interesse dos meios científicos, técnicos e produtivos, considerando-se a possibilidade da inserção no mercado de produtos eficientes, energeticamente, ancorados nas amplas abordagens da sustentabilidade. A fibra de penas de frango é um produto biodegradável, que dentre outras aplicações, tem se apresentado, potencialmente, eficaz como reforço de materiais da construção civil. Trata-se de produto de baixa densidade, excelente compressibilidade e resiliência, capacidade de amortecimento de som, retenção de calor e morfologia com distinta estrutura de farpas. Ressalte-se, ainda que a produção de frango de corte o Brasil tem se firmado como importante atividade econômica, porém, em contrapartida, gera grande volume de resíduo, especialmente, as penas, que se não forem utilizadas devidamente, pode provocar grande impacto ambiental. Assim, tem-se como hipótese que a associação penas de frango com resinas pode se tornar alternativa sustentável no desenvolvimento de compósito com aplicação direta na fabricação de móveis, minimizando o uso de madeiras maciças, bem como materiais como o MDF e MDP. Com o presente estudo, pretende-se avaliar o potencial das fibras de penas a serem utilizadas como reforço em base de matriz polimérica, para a utilização no design de interiores, bem como de mobiliário. O material será obtido nos abatedouros de Teresina, em seguida, submetido a tratamento físico, visando a limpeza do material para se obter um resíduo de boa qualidade. As penas passarão por um processo de desidratação em estufa a 60ºC, por 48 horas. Em sequência, os compósitos serão confeccionados com diferentes proporções de fibra de penas e resina, devendo-se avaliar as propriedades por meio de testes de resistência a tração, impacto, absorção, inchaço, microdureza, decomposição do material, investigação microscópica comparativa sobre as características e propriedades intrínsecas, em relação ao MDF.
  • Universidade Federal do Piauí - PI - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

João Batista Rosolem

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • laboratório integrador cpqd (sisfóton-mcti)
  • Desde sua criação, em 1976, o CPQD destaca-se como um elo entre as universidades, cujo foco é a pesquisa científica (centradas na geração de conhecimento), e as empresas, cujo foco são produtos inovadores (centradas na exploração do conhecimento), colaborando no desenvolvimento e disseminação do conhecimento (tecnologia) para o setor empresarial. O CPQD possui um amplo ecossistema de parceiros e grande experiência na composição de arranjos produtivos visando consolidar a rede de inovação ideal, integrando atores com competências e tecnologias complementares (academia, startups, empresas, indústrias e governo). Na proposta do CPQD a integração dos laboratórios do Sisfóton-MCTI será feita pelos Laboratório de Sensoriamento e Monitoração Óptica (LSMO) e Laboratório de Integração Fotônica (LIF). O LSMO possui 4 doutores, 2 mestres, e 2 engenheiros e 1 técnico em seu quadro de pesquisadores. Os pesquisadores do LSMO através de projetos de pesquisa e desenvolvimento da ANEEL, da ANP e da FINEP desenvolveram projetos e introduziram redes de sensoriamento óptico em diversas empresas do setor elétrico e de óleo e gás, atendo como objetivo a demonstração de suas vantagens. Entre estas empresas citamos a Petrobrás, Cemig, Eletrobrás, Repspol, CPLF, Copel, Baesa, Prysmian, Foz do Chapecó, Engie-Tractebel, Epasa, DME. O número de patentes solicitadas pelo LSMO é de 27, sendo que 6 patentes já foram concedidas. O número de artigos publicados em periódicos Qualis/CAPES A1 é de 27 e o número de artigos publicados em anais de eventos nacionais e internacionais é 80. Uma característica que diferencia o LSMO de outros laboratórios é sua vocação para aplicações reais de sensores ópticos, sendo que em todos os projetos são realizados testes de campo dos sistemas desenvolvidos. Já o LIF possui 2 doutores, 1 mestre, 1 engenheiro e 1 bolsista em seu quadro de pesquisadores. Os pesquisadores do LIF, através de projetos de pesquisa e desenvolvimento da FINEP atualmente desenvolvem componentes fotônicos (moduladores, fotodetectores, etc) dentro do contexto do projeto “Sistemas Ópticos em 1TB/s para Internet do Futuro”. Através de projetos no âmbito Embrapii desenvolve projetos de lasers sintonizáveis de cavidade integrada para aplicações em sistemas ópticos de telecomunicações, cuja transferência de tecnologia para o mercado se dará através da empresa parceira IDEA sistemas eletrônicos. Com relação ao LIF, todos os pesquisadores são membros da Sociedade Brasileira de Fotônica, atuando em conjunto nas determinações e direcionamentos desta Sociedade perante o cenário global das tecnologias fotônicas. Mantém parcerias com empresas tais como Padtec e Idea sistemas eletrônicos e diversas universidades, com destaque à Unicamp, USP, UFPB e centros de pesquisa tais como CNPEM e CTI. A estratégica para se obter a integração dos laboratórios dos Sisfóton se baseia na execução das seguintes atividades: Atividade 1 – Conhecer Laboratórios 1.1 - Conhecer os laboratórios de Fotônica aprovados na chamada Sisfóton e mapear o ecossistema de cada laboratório. 1.2 - Conhecer o desenvolvimento do estado da arte em Fotônica através de participação em eventos internacionais, substancialmente nos temas desenvolvidos pelos laboratórios do Sisfóton. 1.3 - Difundir uma visão única entre os laboratórios baseada nos princípios do Sistema Nacional de Laboratórios de Fotônica (Sisfóton-MCTI). Atividade 2 – Acompanhar Laboratórios 2.1 - Acompanhar qualitativamente o desenvolvimento dos projetos aprovados pelos laboratórios de Fotônica. 2.2 - Interagir com instituições parceiras regionais de forma a facilitar a integração dos laboratórios nacionalmente. 3.3 - Evidenciar para os laboratórios do Sisfóton o desenvolvimento da fotônica no país em relação a visão de estado da arte/futuro a ser difundida periodicamente pelo Laboratório Integrador. Ao mesmo tempo analisar nas áreas que sendo priorizadas/trabalhadas se existem deficiências. Atividade 3 - Integrar Laboratórios 3.1 - Promover encontros com periodicidade semestral com apresentações conjuntas dos laboratórios de Fotônica junto com empresas/startups de forma a difundir modelos de negócio, formas de operação e de boas práticas, além de compartilhamento de experiências. 3.2 - Identificar demandas específicas de cada laboratório do Sisfóton, auxiliar no suprimento das necessidades a partir da cooperação entre os demais integrantes da rede e avaliar a prontidão (readiness level) das tecnologias ópticas dos laboratórios para aplicações das empresas/startup. 3.3 - Planejar e realizar interações entre os laboratórios de Fotônica e empresas/startups a partir de eventuais de interesses manifestados pelos laboratórios e ou empresas, que levem a realização de negócios e investimentos. 3.4 - Promover encontros presenciais ou online com periodicidade anual entre os laboratórios nacionais de fotônica e laboratórios internacionais. Atividade 4 – Captar Recursos 4.1 - Acompanhar a disponibilidade de editais e ou chamadas de P&D de agências de fomento federais ou estaduais, Lei da Informática, Embrapii e de empresas atuantes no setor elétrico, petróleo, saúde, automotivo, entre outros, que tenham temas para submissão de projetos de Fotônica, como fontes de recursos adicionais aos laboratórios do Sisfóton. Atividade 5 – Divulgar Resultados 5.1 - Divulgar os resultados dos laboratórios de Fotônica e de possíveis interações com empresas através da realização de eventos de divulgação a serem realizados no CPQD ou nas instituições dos laboratórios de Fotônica. O CPQD irá construir também uma página na internet em seu domínio para a divulgação dos resultados. Outras atividades a serem propostas são promover a realização de webinars e visita virtuais em cada lab. 5.2 - Estimular a divulgação dos resultados científicos dos laboratórios de Fotônica através de publicações em capítulos de livros em periódicos de boa avaliação da CAPES. Atividade 6 – Finalizar Projeto 6.1 Finalização do projeto com a avaliação.
  • Fundação Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações - SP - Brasil
  • 19/07/2021-31/07/2024
Foto de perfil

João Batista Souza Junior

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • nanocelulose decorada com nanomateriais como plataforma multifuncional para aplicações em meio ambiente e biomedicina
  • A utilização das propriedades óticas, elétricas e magnéticas únicas observadas para nanomateriais requer o desenvolvimento de dispositivos que garantem a estabilidade química e coloidal dos sistemas nanoestruturados. Dessa forma, a utilização da nanocelulose como plataforma mecânica para ancorar nanomateriais destaca-se pela versatilidade de desenvolvimento de sistemas multifuncionais e de elevado valor tecnológico agregado. A nanocelulose foi escolhida pela sua elevada razão de área de superfície, possibilidade de funcionalização com químicos funcionais e elevado poder de absorção (aerogel). Variando os nanomateriais, diversas plataformas multifuncionais podem ser sintetizadas para utilização desde áreas como saúde (tratamento de feridas e liberação controlada de fármacos) a meio ambiente (remediação ambiental e plásticos biodegradáveis). O problema a ser abordado neste projeto é a obtenção de compósitos estáveis de nanocelulose obtidos pela funcionalização de superfície da nanocelulose (carboxilatos, aminas e tióis) e a ligação química com a superfície das nanopartículas (Fe2O3, Ag, Au e óxidos metálicos). Os nanocompósitos magnéticos serão avaliados frente as aplicações como aerogel para remediação ambiental, enquanto nanocompósitos com propriedades óticas e bacteriológica serão avaliados para aplicações em biomedicina. O diferencial deste projeto será a obtenção de compósitos com estabilidade química e estruturais adequadas para diferentes aplicações (multiplataforma), ou seja, nanopartículas estarão ancoradas na matriz com boa distribuição e evitando a agregação. A metodologia a ser abordada envolverá a utilização de protocolos de obtenção da nanocelulose já estabelecidas no grupo de síntese do LNNano e duas etapas de síntese dos nanocompósitos. O primeiro via síntese in situ das nanopartículas no meio reacional contendo a nanocelulose e o segundo a ancoragem de nanopartículas previamente sintetizadas através de mistura mecânica na matriz de nanocelulose.
  • Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais - SP - Brasil
  • 09/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

João Carlos Medeiros

Ciências Agrárias

Agronomia
  • balanço de carbono em sistemas de cultivo de cacau (theobroma cacao) no bioma mata atlântica
  • A dinâmica dos gases de efeito estufa (GEE), relacionados às atividades agrícolas é dependente do manejo dos solos, o qual interfere na permanência destes no solo ou a emissão para a atmosfera, contribuindo para o aumento do efeito estufa. Visando a redução das emissões é preconizada a utilização de práticas de manejo que permitam a permanência desses gases no solo e o menor lançamento para a atmosfera. A região sul da Bahia nos últimos 30 anos vem passando por alterações no uso do solo, relacionadas aos sistemas de cultivo de cacau, principal atividade econômica da região. E, não existem ainda estudos que tenham avaliado emissões de GEE, nessa região do Brasil, considerando os sistemas de cultivo de cacau. Portanto, o trabalho será desenvolvido com o objetivo de identificar o montante de GEE emitidos em sistemas de cultivo de cacau, realizar o balanço de carbono orgânico do solo, e, gerar um índice monetário que relacione as emissões por unidade de cacau produzido. O estudo será realizado na CEPLAC, em Ilhéus, BA. Serão avaliados sistemas de cultivo de cacau predominantes na região, com quatro repetições: (i) SAF de cacau + açaí; (ii) SAF de cacau + cupuaçu; (iii) SAF cabruca, onde o cacau é cultivado no sub-bosque da mata atlântica; (iv) cacau a pleno sol consorciado com plantas de cobertura de espécies de Fabaceas nas entrelinhas; (v) cacau a pleno sol consorciado com Braquiária; (vi) Cacau a pleno sol consorciado com cobertura de plantas espontâneas; (vii) cacau a pleno sol mantendo o solo exposto e como referência (viii) mata atlântica nativa. Será realizada avaliação das emissões dos GEE (CO2, CH4 e N2O), o levantamento de dados de precipitação, temperatura média do ar, temperatura do solo e coleta de solo para determinação de análises relacionadas com as emissões (físicas, químicas e microbiológicas). Será avaliado o estoque de carbono orgânico total (COT) até 1m de profundidade e a produtividade de cacau nos sistemas avaliados.
  • Universidade Federal do Sul da Bahia - BA - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

João Carlos Palazzo de Mello

Ciências da Saúde

Farmácia
  • desenvolvimento de micropartículas mucoadesivas contendo extrato de baicuru como tratamento adjuvante na periodontite
  • As doenças periodontais, incluindo gengivite e periodontite, são um problema de saúde bucal global que afeta quase 10% da população mundial. Porphyromonas gingivalis é a principal bactéria envolvida nesses processos inflamatórios, pois é capaz de invadir o tecido do hospedeiro e colonizar o epitélio subgengival pela ação de proteases sobre as gengivas. Micropartículas mucoadesivas têm sido desenvolvidas com o objetivo de aderir a mucosa oral, liberando o(s) ativo(s) de forma prolongada, aumentando a eficácia, reduzindo efeitos adversos e melhorando a adesão do paciente ao tratamento, além de mascarar características organolépticas desagradáveis. Limonium brasiliense, popularmente conhecido como baicuru, é uma planta rica em polifenóis em seus rizomas. Esses compostos já são conhecidos por apresentarem boa atividade contra proteases de P. gingivalis. Além disso, apresentou potencial bacteriostático, antioxidante, antiviral e anti-inflamatório. O tratamento periodontal atualmente utilizado consiste no desbridamento mecânico e, eventualmente, no tratamento antibacteriano local e sistêmico. As terapias que usam antioxidantes podem ser interessantes para prevenir ou diminuir a degradação dos tecidos periodontais. Estudos recentes in vitro indicam atividade bacteriostática, anti-inflamatória e antioxidante de extratos de L. brasiliense e o uso de design fatorial para produzir diferentes tipos de extratos que demonstraram atividade antibacteriana frente a diferentes bactérias, incluindo as multirresistentes e bactérias relacionadas à doença periodontal. Estudos clínicos mais detalhados em seres humanos são necessários para comprovar a eficácia do extrato de L. brasiliense ou dos compostos isolados frente à doença periodontal. Sendo assim, o objetivo deste trabalho será avaliar o efeito clínico do extrato de L. brasiliense em micropartículas mucoadesivas como adjuvante no tratamento da doença periodontal em pacientes fumantes.
  • Universidade Estadual de Maringá - PR - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

João Cláudio Bassan de Moraes

Engenharias

Engenharia Civil
  • produção e caracterização de cimento à base de magnésio empregando lodo de estação de tratamento de água (leta)
  • Um tema global é a busca por opções de materiais na construção civil que apresentem melhores propriedades (mecânicas, físicas, etc.) e maior sustentabilidade (durabilidade, aproveitamento de resíduos, menor gasto energético, etc.). Dentro deste contexto, o cimento à base magnésio é uma opção de material que pode apresentar vantagens em relação ao cimento Portland, como menor demanda energética, melhor durabilidade e possibilidade de empregar fibras naturais como reforço, e ainda apresentar propriedades similares ao cimento convencional. Esse tipo de cimento pode ser obtido a partir da combinação de um material rico em óxido de magnésio e outro rico em silicato/aluminossilicato. Dentro da proposta de trabalho, a fonte de óxido de magnésio será a magnesita (MgCO3), enquanto o material empregado como fonte de aluminossilicato será um resíduo: o lodo de estação de tratamento de água (LETA). O problema geral que será resolvido com o emprego do LETA é fornecer um destino apropriado ao grande volume gerado deste resíduo, trazendo um caráter de sustentabilidade ao projeto. A destinação do LETA tem sido um grande desafio atualmente, e a possibilidade do emprego de grande volume deste resíduo em uma aplicação nobre, como a produção de cimentos, visa atender às demandas de propriedades do material e sustentáveis na construção civil. A principal questão deste trabalho é avaliar o LETA na produção de cimento à base de magnésio e fornecer uma destinação adequada a um resíduo através de uma aplicação nobre. Como o LETA é um material rico em aluminossilicatos, estudos preliminares mostraram que o resíduo tem grande potencial para ser empregado como matéria-prima em cimento à base magnésio. A magnesita e o LETA serão tratados termicamente combinados a fim de produzir o cimento à base de magnésio. Este cimento será caracterizado fisicamente e quimicamente, e depois será usado em pastas e argamassas para sua microestrutura, propriedades mecânicas/físicas e processo de hidratação.
  • Instituto Tecnológico de Aeronáutica - SP - Brasil
  • 21/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Joao Damasceno Martins Ladeira

Ciências Sociais Aplicadas

Comunicação
  • divulgadores científicos no brasil contemporâneo: criadores de audiovisual em plataformas de streaming
  • A pesquisa se foca nas reconfigurações recentes das indústrias culturais, abordando um grupo de criadores voltados à produção de audiovisual dirigido a plataformas de streaming como o YouTube. O projeto recorta canais de divulgação científica reunidos em torno do ScienceVlogs Brasil, projeto cuja premissa consiste em estabelecer critérios de excelência para conteúdo on-line. Considera-se tais criadores como um nicho ocupando lugar dentro de um campo amplo de produtores e distribuidores de imagens. Trata-se de criadores de menor porte, participando de uma estrutura complexa para produção de cultura, na qual estão presentes tanto personagens mais discretos quanto empresas de tecnologias como o Google e as demais big techs. Como pressuposto, entende-se que o ecossistema midiático se encontra em transformação, e que o audiovisual não se restringe mais às redes nacionais de televisão ou às emissoras globais distribuídas a cabo ou via satélite. Difundido decididamente pela internet, elabora um campo em que forças de diferentes intensidades se encontram em embate, recorrendo, cada uma delas, a estratégias distintas, retomando o referencial teórico de Bourdieu. A interação entre criadores e tecnologias de distribuição controladas por plataformas digitais transforma esses personagens em parte de um processo produtivo que flexibiliza as dinâmicas prévias para a apropriação da cultura. Nesse conflito, cada personagem desfruta de acesso a diferentes recursos, com capacidade desigual de manuseá-los. Mapear essa situação se torna o objetivo do projeto. O esforço se justifica pela necessidade de identificar tanto oportunidades quanto dificuldades estruturais, pensando em estratégias para profissionais que pretendam se envolver no circuito. A metodologia recorre à a entrevista com interesse de registrar a biografia dos personagens. A divulgação da pesquisa transformará as entrevistas num podcast, narrando a vivência dos produtores e concedendo maior visibilidade ao trabalho.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

João Fernandes da Silva Júnior

Ciências Agrárias

Agronomia
  • mapeamento digital de solos e predição de atributos utilizando suscetibilidade magnética, espectrocolorímetro, temperatura da superfície terrestre e aprendizado de máquina em diferentes substratos geológicos e paisagens
  • O mapeamento de classe e atributos dos solos em escala detalhada ainda é um grande desafio para o manejo sustentável dos solos tropicais. Uma vez, que não existem leis específicas para a conservação e governança no País. Para a conservação e governança dos solos é fundamental o mapeamento detalhado para alcançar os objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS): 13 Combate as alterações climáticas, 14 Vida na água e 15 Vida terrestre. No entanto, para obter essas informações dos solos de forma rápida, precisa e econômicas como: suscetibilidade magnética (SM), cor e temperatura da superfície terrestre para mapear e estimar de forma indireta as classes taxonômicas e atributos físicos e químicos dos solos. Nesse sentido nós propomos o uso da suscetibilidade magnética, cor do solo e temperatura da superfície terrestre junto com machine learning(ML) para entender melhor os solos para poder planejar o futuro uso do solo. É possível criar um mapa pedológico digital de solos baseados nas em uma área de referência e ML e também é possível usar smartphone, colorímetro e SM para estimar atributos físicos e químicos do solo? Sayão et al., (2018); Hounkpatin et al., 2018 Baldo et al 2020 mostraram que nossas hipóteses são plausíveis. Serão selecionadas 21 covariáveis obtidas do odelo digital de elevação do SRTM 30m e dos satélites Landsa5 5 e PlanetScope. A área de referência (AR) será o município de Tracuateua. Já a área de validação (AV) (verdade do terreno) será o mapa pedológico legado. Depois da escolha entre (KNN, SVM, RF, RNA), será usado esse algoritmo para os municípios vizinhos: Capanema, Primavera e Quatipuru. Com um grid de 250 amostras de solo de capanema: serão separados em dois conjuntos, calibração 70% das amostras n=175 e validação 30% das amostras n=75. A regressão linear será utilizada para obter as equações de pedotransferencia, o coeficiente de determinação (R²), raiz do erro quadrático médio (RMSE) aplicado ao conjunto de dados de validação.
  • Universidade Federal Rural da Amazônia - PA - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

João Ferreira de Oliveira

Ciências Humanas

Educação
  • expansão e qualidade da educação superior no contexto do plano nacional de educação – pne 2014-2024: transições políticas, novos modos de regulação e perspectivas de controle social
  • Este projeto insere-se no contexto de análise crítica das políticas e reformas da educação superior no Brasil a partir dos anos 1990. Objetiva analisar as políticas, indicadores, metas, estratégias e processos de expansão da educação superior, estabelecidas, sobretudo, a partir do PNE (2014-2024), considerando as transições políticas, os novos modos de regulação, as perspectivas de controle social e a compreensão do papel da educação superior no processo de desenvolvimento econômico e social do país. Serão examinadas, portanto, as metas e estratégias do PNE que tratam da expansão e qualidade da graduação e da pós-graduação à luz das políticas, das ações, das estratégias dos agentes, da conjuntura e das condições objetivas do atual sistema de educação superior no país. Questiona-se em que medida as transições políticas que vem ocorrendo, os novos modos de regulação e as alterações no controle social e no papel da educação superior mudaram efetivamente as condições para se atingir as metas do Plano? A investigação conta com pesquisares da UFG, UFRN, UERN e UEG. A metodologia prevista contempla: revisão de literatura acerca da temática em estudo; levantamento e análise de fontes documentais primárias e secundárias, bem como dos dados agregados, em conformidade com variáveis e indicadores definidos na investigação; e, ainda, tratamento e análise de dados coletados. Os indicadores serão explorados em cruzamentos diversos, uma vez que os bancos de dados disponíveis não contemplam todas as especificidades tratadas nas metas e estratégias do Plano. Considera-se que, a partir de 2014, as políticas, programas e ações, visando o cumprimento das metas do PNE, vem sofrendo severa descontinuidade, especialmente devido à crise econômica e política, que resultou, dentre outros, na aprovação da Emenda Constitucional No 95 (EC-95). Esta decisão tem prejudicado não só o cumprimento do PNE em vigor, mas também poderá inviabilizar os dois futuros planos nacionais de educação.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

João Flávio da Silveira Petruci

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • construção de plataformas analíticas iot miniaturizadas e de baixo custo para sensoriamento remoto de analitos em amostras diversas
  • A miniaturização e automação de sistemas de análises químicas tem como principais vantagens a diminuição do volume de amostra requerida, o acoplamento de múltiplas etapas analíticas, diminuição no custo total e baixo consumo de energia. Essas características conferem portabilidade ao instrumento, permitindo a realização de análises no local (in situ) e minimizando erros comumente obtidos em etapas convencionais de transporte, armazenamento e tratamento de amostras. Com o atual desenvolvimento tecnológico, a miniaturização de sistemas analíticos é facilitada pela variedade de dispositivos (opto)eletrônicos, métodos de fabricação e dispositivos de aquisição e transmissão de dados disponíveis. Entretanto, devido a diferentes exigências de performance analítica e tipos de amostras, a construção de microssistemas analíticos deve ser realizada de maneira dedicada a aplicação requerida. Dessa forma, o objetivo deste projeto é a construção de diferentes microssistemas de análises químicas e aplicação em problemas analíticos relevantes, como por exemplo: (i) monitoramento móvel de poluentes atmosféricos utilizando microimpingers e reações colorimétricas e acoplando a plataforma analítica com veículos aéreos (drones); (ii) análise de contaminantes em alimentos e cosméticos utilizando técnica de microextração por difusão a gás seguida por análise colorimétrica; (iii) eletrodos sensores integrados a um potenciostato sem fio acoplados a um protetor bucal para a análise de Li+ na saliva e (iv) outras aplicações. Métodos ópticos e eletroquímicos possuem grande potencial para aplicação devido a variedade de reações químicas de identificação e fácil acesso a dispositivos eletrônicos de detecção, conferindo adaptabilidade ao problema abordado. Em todos os instrumentos desenvolvidos, a transmissão dos resultados gerados será realizada utilizando dispositivos IoT, facilitando a aplicação remota e obtenção/tratamento de dados em diferentes períodos de tempo e/ou tipos de amostras
  • Universidade Federal de Uberlândia - MG - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Joao Francisco Galera Monico

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • tecnologia gnss no suporte à navegação aérea
  • O uso de sistemas de posicionamento por satélites (GNSS) para a navegação aérea constitui uma tendência mundial na atualidade e será a principal tecnologia adotada no futuro para a determinação de posição das aeronaves em todas as fases do voo. O uso de tecnologia desta natureza apresenta inúmeras vantagens com uma considerável redução na necessidade de instalação de equipamentos em solo, otimização do espaço aéreo com rotas, redução do tempo de voo e consequente economia de combustível, dentre outros. Inserido neste contexto, destaca-se o sistema GBAS (Ground-Based Augmentation System), tecnologia que faz uso de sistemas GNSS, sobretudo o sistema de posicionamento global americano (GPS) com a transmissão de correções para a melhora da acurácia na determinação de posição visando a conduzir aeronaves para um pouso de precisão. Entretanto, os sinais do sistema GPS, assim como o de qualquer outro sistema de posicionamento por satélite, sofre forte influência da camada ionosférica, com a introdução de erros que podem afetar os requisitos de acurácia, integridade, disponibilidade e continuidade exigidos pela Organização de Aviação Civil Internacional (OACI). A camada ionosférica apresenta comportamentos distintos em função da localização (sobretudo com a variação de latitude), da hora do dia, do período do ano e do ciclo de atividade solar, cujo período é de onze anos. A ionosfera sobre o território brasileiro, em especial nas regiões de ocorrência da anomalia da ionização equatorial, apresenta características singulares com relação ao restante do planeta pela concentração de fenômenos e anomalias que ali ocorrem fazendo com que o desempenho de sistemas de posicionamento por satélite na região seja pior quando comparado a regiões como os Estados Unidos e a Europa, por exemplo. Por esta razão, a aplicação de tecnologias baseada em GNSS na aviação sobre o território brasileiro exige uma avaliação profunda dos efeitos da ionosfera. Estudos nesse sentido revestem-se de grande importância em razão dos criteriosos requisitos de segurança envolvidos na aviação, por envolver risco de vidas humanas. Diante deste cenário, a proposta de criação deste INCT visa realizar uma análise detalhada dos modelos de decorrelação de erros devido à ionosfera (modelo de risco), desenvolvidos para uso nos Estados Unidos, que garantem a segurança da operação para sistemas de pouso de precisão, como o GBAS. Tais modelos exigem uma análise de viabilidade para uso no Brasil, uma vez que as condições ionosféricas são bastante distintas daquelas para onde foram desenvolvidos os modelos. Adicionalmente, serão propostas adaptações e melhorias neste modelo de risco a fim de adequá-lo à realidade brasileira de modo a atender os critérios de acurácia, integridade, continuidade e disponibilidade exigidos pela OACI. Também os estudos deste projeto INCT contribuirão para o aperfeiçoamento do uso da fusão GNSS com sistemas inerciais. Para o desenvolvimento do projeto em tela, faz-se necessário um conjunto consistente e abrangente de dados de receptores de GNSS em território nacional a fim de subsidiar as análises das especificidades da ionosférica brasileira e a consequente viabilização do uso de tecnologias GNSS para a navegação aérea. Por isso, propõe-se uma ampliação das redes de monitoramento contínuo existentes compostas por receptores GNSS com capacidade de medição dos parâmetros mais importantes da atividade ionosférica: o Conteúdo Eletrônico Total (CET) e os índices de cintilação ionosférica (S4 e P2). A demanda exposta foi apresentada pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) para atender a comunidade brasileira com um serviço seguro para procedimentos de pouso de precisão. Os dados de receptores GNSS desta nova rede poderão ser utilizados para a otimização do desempenho dos receptores GNSS durante a incidência de cintilações ionosféricas e ainda para disponibilizar aos usuários mapa em tempo real dos erros causados pelo atraso ionosférico e da ocorrência de cintilação. Tais mapas são úteis em diversas aplicações geodésicas, dentre as quais agricultura de precisão e posicionamento de plataformas de prospecção de petróleo. Podem ainda ser assimilados por modelos ionosféricos e utilizados em diversos estudos científicos. Contudo, o enfoque do projeto se dará com fins à navegação aérea. Vislumbra-se ainda a possibilidade de, no futuro, os mapas de TEC e cintilação incorporarem um serviço prestado pelo Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB). No contexto do problema exposto, a UNESP Presidente Prudente, que vem pesquisando o desenvolvimento de metodologias e algoritmos considerando aplicações do GNSS para Geodésia, Atmosfera e Agricultura de Precisão, em conjunto com o INPE, que é um instituto especializado em estudos da ionosfera e o ITA e o IAE, especializados em questões aeronáuticas, propõe o presente INCT visando atender a essa demanda da sociedade.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 08/01/2017-30/11/2024
Foto de perfil

João Guilherme Bezerra Alves

Ciências da Saúde

Medicina
  • influência do padrão de atividade física e nível sérico de vitamina d nos desfechos da covid-19: estudo caso-controle multicêntrico
  • Background: A pandemia vigente da COVID-19 é um grave problema de saúde pública, tanto pela morbidade e mortalidade, como pelas consequências econômicas nos mais de 200 países afetados. Até o momento não existe tratamento e nem vacinas, sendo as medidas de isolamento social os meios mais eficazes para diminuir o avanço da pandemia. Entretanto, essas quarentenas limitam a atividade física e diminuem a exposição solar, contribuindo para dois possíveis fatores de risco que podem favorecer as complicações respiratórias e causas de morte na COVID-19. Entretanto, ainda não se sabe se a inatividade física e a insuficiência de vitamina D são fatores de risco para complicações da COVID-19. Além disso, como é a primeira vez que a COVID-10 está acometendo um país com áreas pobres, como a região do nordeste do Brasil, este estudo epidemiológico pode ainda, de forma também pioneira, contemplar a influência de alguns aspectos socioeconômicos (educação, renda, estado nutricional, condições de moradia e saneamento básico) e de assistência à saúde nos desfechos graves da COVID-19. Objetivo: Verificar se o padrão de atividade física e os níveis séricos de vitamina D, oferecem proteção contra o desenvolvimento de complicações respiratórias pelo SARS-Cov-2. De forma secundária, verificar a influéncia de fatores socioeconômicos e assistência médica na evolução da COVID-19. Métodos: Será realizado um estudo multicêntrico caso-controle com pacientes hospitalizados por complicações respiratórias da COVID-19. Serão selecionados como controles, pareados por sexo e idade, pacientes também com confirmação diagnóstica de infecção pelo SARS-CoV-2 e que desenvolveram formas assintomáticas ou apresentaram sinais de infecção de vias aéreas superiores. Os centros participantes serão o IMIP e Hospital Dom Moura, respectivamente os maiores hospitais exclusivamente SUS nascidades de Recife e Petrolina, no estado de Pernambuco. Este projeto deverá receber aprovação prévia do Comitê de Ética do IMIP e todos participantes deverão assinar um termo de consentimento livre e esclarecido. O nível de atividade física será determinado através do “Questionário Internacional de Atividade Física” e os níveis de 25-hidroxi-vitamina D serão determinados através da cromatografia líquida. Todos os participantes preencherão um questionário com informações sobre as condições sócioeconômicas e de assistência à saúde, incluindo o atendimento médico na doença atual. A amostra de 614 pacientes foi calculada com um poder de 80%, admitindo um risco de proteção > 10% para pessoas fisicamente ativas ou com níveis adequados de vitamnina D. Os grupos serão devidamente comparados e calculado o “odds ratio”. Os resultados serão apresentados em publicações científicas e através da mídia social e imprensa local.
  • Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira - PE - Brasil
  • 27/08/2020-26/09/2022
Foto de perfil

Joao Luis Ribeiro Fragoso

Ciências Humanas

História
  • as escrituras da cabeça política do estado do brasil: construção de um banco de dados dos livros de notas de salvador da bahia, 1664-1807
  • Este projeto objetiva elaborar um banco de dados de TODAS as escrituras públicas dos tabelionatos (Ofícios de Notas) da antiga América portuguesa entre os séculos XVI e XVIII. Tais escrituras legalizavam e publicizavam, como até hoje o fazem, diferentes atos da sociedade. Nelas temos vendas, créditos, contratos de negócios, testamentos, alforrias, patrimônios para padres, procurações etc. Portanto, a sociedade ao rés do chão. O ponto de partida serão os tabelionatos da cidade de Salvador da Bahia, por ser a cabeça política do então Estado do Brasil, disponibilizados no site da British Library, para o período 1664 – 1807 (76.472 imagens). Essas escrituras serão transcritas com o auxílio do aplicativo Transkribus (a transcrição manual de 15% do documento gera modelos que transcrevem do restante) e contém ainda ferramentas de buscas. Em seguida, será elaborado um banco de dados permitindo investigações nas áreas de Ciências Humanas e Econômicas. O banco será hospedado em universidades públicas e, via internet, franqueado ao público em geral. O projeto será capitaneado pelo grupo de pesquisa Antigo Regime nos Trópicos (ART) da UFRJ e credenciado no CNPq, em rede com pesquisadores de diferentes Universidades públicas do Brasil. Aquelas escrituras servem à diversas metodologias da historiografia. Para os adeptos da história serial dos Annales é possível estudar as mudanças e permanências da sociedade; no caso de séries temporais das vendas, dos créditos etc. Para a micro história o tabelionato registrava, ao menos, parte das relações vividas pelos agentes da sociedade. Assim, tendo como fio de Ariane os nomes das pessoas em tais papeis –dotes, testamentos etc – poder-se- ia entender a lógica da sociedade. Além, de permitir fazer mapas georreferenciados. Seja qual for o método optado o banco das escrituras irá dar a solides empírica para a ainda jovem historiografia brasileira. Auxiliando a melhor compreensão da sociedade contemporânea e a solução de seus problemas.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

João Luiz Nicolodi

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • integração da gestão costeira com o planejamento espacial marinho: múltiplas abordagens para um planejamento eficiente do sistema marinho-costeiro
  • A zona costeira e marinha do Brasil apresenta elevado grau de estresse ambiental, social e populacional em função da exploração de recursos naturais, uso desordenado do solo e baixa efetividade de políticas de planejamento territorial. Agrega-se as discussões acerca de mudanças climáticas e seus aspectos como vulnerabilidade, risco e sensibilidade. Uma das principais problemáticas nesse cenário é a falta de integração entre bases conceituais, ferramentas e, principalmente, de um escopo metodológico que propicie a otimização da utilização de informações nos instrumentos de gestão com foco no planejamento. Parte-se da premissa de que, a partir da adoção da perspectiva informacional, conjuntos de dados possam ser efetivamente integrados e adotados em instrumentos de gestão territorial. Propõe-se o desenvolvimento conceitual de um sistema embasado no tratamento de informações suas formas de representação e visualização a partir da convergência entre cartografia e tecnologia da informação. Vislumbra-se contribuir, para além dos aspectos acadêmicos, na redução de custos e esforços para elaboração e implantação destes instrumentos. Este é o enfoque desta proposta, a qual está estruturada em três módulos: 1: Análise multi-escalar de governança: estabelece o contexto de políticas públicas e relações entre setores interessados na utilização de espaço e recursos e identifica fontes e tipologia de dados oficiais disponibilizados em formato digital com potencial emprego em sínteses. 2: Sistematização informacional: padronização metodológica de sínteses cartográficas que subsidiem os instrumentos de gestão costeira conforme as escalas de governança, e estruturação da informação publicamente disponível para aplicação nas metodologias e catalogamento de metadados com disponibilização pública em plataforma Web. 3: Elaboração de produtos audiovisuais a partir de conceitos e técnicas que trabalham na transposição de conteúdos científicos complexos para linguagens de acesso universal.
  • Universidade Federal do Rio Grande - RS - Brasil
  • 09/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

João Manoel da Silva Malheiro

Ciências Humanas

Educação
  • os clubes de ciências e os processos de ensino e aprendizagem das ciências na educação básica
  • As escolas públicas, são espaços propícios a criação de Clubes de Ciências que tenham atividades didático-pedagógicas com foco em Metodologias Ativas, em especial o Ensino Investigativo. Com base nos resultados exitosos do Clube de Ciências/Campus Castanhal, acreditamos que a efetivação desses espaços, poderá contribuir para despertar o interesse e a aprendizagem das Ciências entre os estudantes da escola básica, contribuindo para que professores replanejem suas aulas objetivando a aprendizagem dinâmica dos alunos. Diante de um ensino de Ciências muitas vezes desinteressante pela forma como os conteúdos são ensinados é que acreditamos que a criação de Clubes de Ciências, fundamentados no Ensino investigativo, proporcionará a alunos e professores o desejo de compreender de forma dinâmica como a Ciência se desenvolve ao longo do tempo. Objetivando compreender de que maneira as ações didáticas e pesquisas científicas realizadas em Clubes de Ciências do Pará podem contribuir para a melhoria dos processos de ensino e de aprendizagem das Ciências no ambiente de sala de aula, é que propomos esse projeto, acreditando que é possível ensinar e aprender Ciências de forma mais ativa e contextualizada, mesmo sem laboratórios nas escolas. Pesquisas recentes demonstram que Clube de Ciências com metodologias investigativas, mesmo em escolas sem laboratórios e com poucos recursos didáticos, conseguem ter bons resultados com a utilização de materiais de baixo custo e/ou recicláveis, promovendo a motivação para ensinar entre os professores e o aprender entre os alunos. Portanto, a execução desse projeto permitirá a fomentação e possível implementação de Clubes de Ciências nos municípios interessados, a formação continuada de professores de Ciências nas escolas públicas, além de motivar a organização de um Ensino Investigativo dinâmico dentro dos processos interativos/dialógicos, motivando o desenvolvimento de processos formativos entre professores e alunos.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 24/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

João Marcello Fortes Furtado

Ciências da Saúde

Medicina
  • deficiência visual e cegueira em pessoas em situação de rua de ribeirão preto, brasil
  • Existe uma escassez de estudos sobre de cegueira e deficiência visual no Brasil, principalmente de estudos que abordam populações vulneráveis. As pessoas em situação de rua apresentam fatores de risco aumentado para diversas condições que podem afetar os olhos, como doenças infecciosas, desnutrição e maior exposição ao ultravioleta, além de menor acesso a serviços de saúde. Por isso, conhecer as condições de saúde ocular e os fatores de risco para deficiência visual das pessoas desta população é de extrema importância para o desenvolvimento de políticas públicas. Tendo como população-alvo pessoas em situação de rua de Ribeirão Preto (SP), os objetivos do projeto são descrever: 1) a frequência de deficiência visual e cegueira e suas causas; 2) as doenças oculares presentes e suas frequências; 3) a qualidade de vida relacionada a visão. Como as populações vulneráveis possuem mais barreiras ao acesso a serviços de saúde ocular, nossa hipótese é que pessoas em situação de rua apresentem altas frequências de deficiência visual e cegueira, principalmente por erros refrativos não corrigidos. Resultados compatíveis com esta hipótese foram encontrados em outras populações vulneráveis. Serão incluídos neste estudo transversal 500 adultos em situação de rua atendidos nos centros de apoio da cidade, divididos em 20 visitas. Será utilizado o questionário socioeconômico e protocolo de atendimento do Brazilian Amazon Region Eye Survey adaptado para o estudo. A avaliação clínica será composta de medida de acuidade visual para longe e perto, tonometria, biomicroscopia, refração, oftalmoscopia indireta, retinografia, e aplicação do questionário VFQ-25. Será designada a causa principal acuidade visual pior que 20/32 por olho e por participante. Tabelas de frequência serão utilizadas para análise descritiva, e as associações entre variáveis categóricas e co-variáveis serão avaliadas por análise de regressão logística múltipla. P menores que 0,05 serão considerados significativos.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Joao Marcio Palheta da Silva

Ciências Humanas

Geografia
  • mapeamento dos impactos territorias dos grandes empreendimentos de mineração na amazônia brasileira (2010/2021)
  • O projeto de pesquisa propõe analisar, o período de 2010 a 2021, com base nas políticas territoriais do Estado brasileiro, que impactam os territórios da Amazônia Legal e as suas contradições no uso e apropriação dos recursos minerais pelos Grandes Empreendimentos Mineradores (GEM); analisar as concessões de territórios para uso das atividades econômicas da mineração, através do diagnóstico e do mapeamento cartográfico dos conflitos nas áreas diretamente atingidas pela atividade de mineração e como as políticas territoriais tem fortalecido ou aumentado o grau de vulnerabilidade socioeconômico e a pressão sobre a infraestrutura, os bens e serviços desses territórios. Através da construção da metodologia comparativa entre os territórios estudados, propomos classificar quais são as áreas sob influência direta e indireta dos Grandes Empreendimentos Mineradores, mensuradas através da criação do índice de desenvolvimento territorial em áreas de mineração e grau de bem estar social das cidades sedes dos GEM nos estados do Pará, Maranhão, Amapá e Mato Grosso.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 21/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

João Maurício Gama Boaventura

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • criação de valor aos stakeholders
  • A teoria dos stakeholders se desenvolveu nas três últimas décadas e sua influência na sociedade é cada vez maior. Evidências recentes disto estão no Manifesto Davos 2020, no qual o propósito universal das empresas deve ser a criação de valor a todos os stakeholders (World Economic Forum, 2020) e na Declaração do Propósito da Firma, pelo CEO Roundtable, em 2019, que redefine o propósito da empresa para todos os stakeholders e não apenas aos acionistas. Apesar do avanço desta teoria ainda há pontos obscuros, carentes de teses e evidências empíricas. Recentemente Freeman (2017) delimitou os limites desta teoria, apontando a ausência de um critério claro para a distribuição de valor aos stakeholders. Este projeto foca esta lacuna teórica e fundamentando-se na discussão ligada à importância estratégica do stakeholder para a criação de valor, como abordado por Garcia-Castro e Aguilera (2015), Tantalo e Priem (2016) e Yin e Jamali (2016) e nos aspectos positivos de justiça no tratamento aos stakeholders ao desempenho da empresa (Bridoux e Stoelhorst, 2014), desenvolve-se a hipótese que quão maior for a justiça na distribuição de valor aos stakeholders maior será o desempenho da empresa. Neste sentido, esta pesquisa tem por objetivo desenvolver um modelo teórico de distribuição justa de valor entre os stakeholders que se relacione com um desempenho superior e testá-lo. Se validado, este modelo tem aplicação prática na gestão de empresas, e o projeto promoverá tanto uma contribuição teórica como prática. A coleta de dados se dará por meio de análise de conteúdo nos prospectos para abertura de capital (IPOs) na Brasil, Bolsa, Balcão – B3, na New York Stock Exchange – NYSE, na National Association of Securities Dealers Automated Quotations – NASDAQ, na London Stock Exchange – LSE, na Bolsa Mexicana de Valores – BMV e na Australian Securities Exchange - ASX, no período de 2003 a 2020. O tratamento dos dados irá empregar método quantitativo, por meio de regressões estatísticas.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 30/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

João Paulo Assis Gobo

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • investigação de microplasticos aerotransportados: uma cooperação entre brasil e frança (ima)
  • Um tipo emergente de poluição, os microplásticos, origina-se a partir da quebra de resíduos plásticos e representa um desafio ambiental futuro. Essas partículas possuem estrutura microscópica e podem persistir na atmosfera por longos períodos. Ainda há lacunas quanto às pesquisas de microplásticos em suspensão na atmosfera e na precipitação pluviométrica, em especial na região Amazônica. Propõe-se então investigar a poluição potencial por microplásticos aerotransportados e precipitados em áreas da Amazônia e do Sudeste do Brasil. A hipótese que orienta essa proposta é a de que os microplásticos estão presentes na precipitação pluviométrica e no ar de centros urbanos e locais não urbanos da Amazônia brasileira e de São Paulo, tendo sua concentração forte relação com o uso e ocupação do solo. A metodologia será composta da comparação de precipitação pluviométrica coletada por meio de um Pluviômetro Ville de Paris, e de material aerotransportado com amostradores passivos e ativos (hi-vol) durante todos os meses no intervalo de um ano, em diferentes localidades: na cidade de Porto Velho-RO, na Reserva biológica Jaru (município de Ji-Paraná-RO); em São Paulo-SP; e Iguape-SP, representativas de diferentes ambientes (urbano médio, urbano denso, florestal e litorâneo). Todas as amostras serão filtradas em filtros de fibra de quartzo GF / A Whatman (1,6 μm). Os filtros serão armazenados em placas de Petri de vidro e analisados com um estereomicroscópio com câmera acoplada, para posterior Espectroscopia no Infravermelho por Transformada de Fourier (FTIR) para identificar as fibras sintéticas e sua composição química. Por fim, será realizada interpretação e relação espacial das amostras a partir da identificação da presença e abundância dos microplásticos aerotransportados e precipitados, comparados aos resultados obtidos na França, utilizando-se do modelo HYSPLIT da NOAA calcular as trajetórias, distâncias e direções das partículas, e identificar as fontes de poluição.
  • Universidade Federal de Rondônia - RO - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

João Paulo Bassin

Engenharias

Engenharia Química
  • tratamento de esgoto por meio da tecnologia inovadora de lodo granular aeróbio: aliando eficiência na remoção de poluentes e recuperação de recursos
  • O déficit de tratamento de esgoto doméstico é uma grande preocupação do Brasil. No país, esse tratamento é geralmente realizado em plantas de grande porte, localizadas em áreas distantes de comunidades sem rede coletora. Outra preocupação emergente é a remoção de micropoluentes (como fármacos e produtos de higiene pessoal) do esgoto, pois trazem impactos negativos à saúde humana e de outros animais. Sistemas de tratamento descentralizados que sirvam toda a população de coleta, e que apresentem maior capacidade de remoção de poluentes, são, portanto, imprescindíveis na conjuntura atual. Além disso, a recuperação de subprodutos a partir do tratamento permite a geração de renda para um setor tradicionalmente visto como ônus para os municípios. A tecnologia de lodo granular aeróbio (LGA) vem sendo considerada um divisor de águas na área de saneamento. A presença de diversos microrganismos possibilita a remoção simultânea de diversos poluentes, como matéria orgânica e nutrientes (nitrogênio e fósforo), em um único reator compacto. Devido à ampla diversidade microbiana, esse processo biológico tende a ser mais eficiente na remoção de micropoluentes. Adicionalmente, permite a recuperação de subprodutos de alto valor agregado a partir do lodo biológico em excesso, como exopolissacarídeos do tipo alginato, que podem ser usados em aplicações médicas e alimentícias. Nesse trabalho pretende-se avaliar a remoção combinada de matéria orgânica, nutrientes, e micropoluentes de esgoto doméstico, sintético e real, em condições ambientais brasileiras, por meio do LGA. Para tornar a processo autossustentável, serão obtidos, a partir do lodo biológico em excesso, subprodutos como alginato e biogás, esse último a partir da digestão anaeróbia. Os principais microrganismos presentes nos grânulos serão avaliados e relacionados com o desempenho dos reatores biológicos. Espera-se que, com o ajuste das condições operacionais, seja possível tratar esgoto de forma eficiente e gerar recursos.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

João Paulo Bizarro Lopes

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • desenvolvimento de compostos heterocíclicos para inibição de proteínas quinases associadas à proliferação de células tumorais
  • O câncer é a segunda doença com maior causa de morte no mundo e a maioria dos fármacos utilizados no tratamento possui modo de ação citotóxico, com risco de comprometer também células saudáveis. Dentro do contexto da terapia alvo, que é mais seletiva para determinada célula, tecido ou órgão, os inibidores de proteínas quinases representam uma alternativa mais segura, como os fármacos já comercializados imatinibe, ribociclibe e palbociclibe, entre outros. No entanto, é recorrente o aparecimento de linhagens celulares resistentes. Neste cenário, o desenvolvimento de fármacos mais potentes, eficazes e alternativos, representa um avanço proeminente no combate ao câncer. A modificação estrutural em compostos bioativos é uma importante estratégia, que pode ampliar a diversidade molecular e oferecer um elenco variado dentro de um novo nicho a gerar propriedade intelectual. Além disso, contribui para o entendimento das interações com a enzima alvo, possibilitando o planejamento de drogas mais seletivas. Neste contexto, este projeto visa a obtenção de compostos inibidores de quinases e com atividade antiproliferativa, para aplicação como agentes terapêuticos para diversos tipos de câncer. Como objetivos específicos, visa-se a síntese de: derivados de purina na forma de híbridos purina-difenilureia, visando combinar as atividades de inibição do ciclo celular e da angiogênese; híbridos quinazolinas-difenilureias, desenhadas para expressarem atividade citotóxica contra linhagens de células tumorais, bem como atividade de inibição de quinases relacionadas à proliferação celular; híbridos de quinazolinas contendo o núcleo selenazol; além de estudos de Modelagem Molecular envolvendo os compostos propostos neste projeto com enzimas associadas e à proliferação celular, à interrupção da mitose e do ciclo celular. Os compostos serão sintetizados utilizando metodologias simples de síntese orgânica a partir de produtos naturais, como a hipoxantina, e reagentes comerciais simples.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 22/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

João Paulo Gama Oliveira

Ciências Humanas

Educação
  • os jornais estudantis em sergipe (1874-1959): práticas educativas pela ótica dos discentes do secundário
  • A proposta em tela tem como objetivo geral investigar as práticas educativas do ensino secundário através dos jornais estudantis produzidos por estudantes secundaristas de Sergipe entre os anos de 1874 a 1959. O marco inicial, 1874, refere-se à publicação de O Porvir e o limite final situa-se no ano de 1959, com a circulação de O Eco, vinculado à associação estudantil Grêmio Cultural Clodomir Silva. Compreende-se que os jornais estudantis constituem-se como fontes para o estudo dos costumes, das práticas culturais, das manifestações ideológicas e dos espaços de sociabilização da juventude brasileira. Nesse sentido, o Projeto almeja responder à seguinte questão: quais práticas educativas os jornais estudantis produzidos por discentes secundaristas em Sergipe, entre o final do século XIX até meados do século XX, podem revelar? Para o desenvolvimento da pesquisa, recorreremos às fontes de textos normativos da legislação, documentos manuscritos das instituições aportes desses jornais e, fundamentalmente, dos próprios periódicos estudantis salvaguardados no Centro de Educação e Memória do Atheneu Sergipense, Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, Arquivo Público do Estado de Sergipe, Biblioteca Epifânio Dórea, como também em acervos digitais e de outras escolas a serem investigadas. Como potencial de impacto dos resultados do ponto de vista técnico-científico, de inovação, difusão, socioeconômica, a pesquisa visa: vinculação aos Departamentos de Educação e ao Programa de Pós Graduação em Ensino de História da UFS e da UFPel; vinculação com escolas da educação básica que produziram tais jornais e ainda em funcionamento; aportar alunos de diferentes níveis de ensino nas etapas da pesquisa, gerando resultados impactantes na formação de recursos humanos; difusão de conhecimento acerca da temática em eventos, periódicos, sites institucionais e redes sociais com a ampliação e renovação da História da Educação, a partir da ótica dos discentes do secundário.
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Joao Paulo Machado Torres

Ciências Biológicas

Ecologia
  • exposição e impacto de contaminantes ambientais na biota do arquipélago de são pedro e são paulo
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 28/11/2019-30/11/2022
Foto de perfil

João Paulo Sales Macedo

Ciências Humanas

Psicologia
  • saúde mental e povos tradicionais: desenvolvimento de tecnologias de detecção, análise e atenção para populações vulneráveis de difícil acesso
  • No cenário acadêmico, quando se trata de pesquisas em saúde mental, particularmente sobre a incidência de transtornos mentais, padrões de uso de álcool, drogas e de psicofármacos, predominam investigações focalizadas em áreas urbanas. Há uma evidente defasagem quando se trata de moradores das zonas rurais, especialmente com os povos tradicionais, os quais são fortemente afetados por inúmeras adversidades sociais, políticas e ambientais. Assim, os povos tradicionais encontram-se em condição de maior vulnerabilidade psicossocial, especialmente em tempos de pandemia. Logo, podem apresentar condições mais deterioradas de saúde mental. Contudo, as especificidades culturais, limitações teórico-metodológicas e dificuldades de acesso restringem as pesquisas e as possibilidades de intervenção junto a essas populações. Em razão disso propomos uma investigação em comunidades quilombolas e indígenas com o objetivo de: 1) Definir o perfil de morbimortalidade em saúde mental; 2) Identificar padrões de uso de álcool e outras drogas; 3 Detectar a incidência de transtornos mentais comuns; 4) Identificar os níveis de cobertura e acesso aos cuidados em saúde mental; 5 Mapear necessidades em saúde mental, levando em conta suas especificidades socioculturais; 6) Identificar problemas e potencialidades na rede de atenção primária e psicossocial em relação aos cuidados em saúde mental dirigidos a essa população, visando sua reorganização; 7) Propor estratégias interventivas culturalmente sensíveis à realidade dessas comunidades; 8) Realizar parcerias e colaborar com equipes e gestores de saúde nos territórios pesquisados. A pesquisa é de natureza mista (quanti-quali), em comunidades quilombolas e indígenas dos estados do PI, CE, RN, AL e MG, com manejo de dados secundários (indicadores de saúde mental) e primários, e uso de instrumentos de rastreio em saúde mental (AUDIT, ASSIST, SRQ-20), roteiro de entrevista e grupo focal com gestores e profissionais de saúde.
  • UNIVERSIDADE FEDERAL DO DELTA DO PARNAÍBA - PI - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Joao Pereira Leite

Ciências da Saúde

Medicina
  • estudos translacionais nas epilepsias farmacorresistentes e suas comorbidades
  • Pacientes com epilepsia do lobo temporal (ELT) apresentam alta frequência de farmacorresistência, e para estes a remoção cirúrgica da zona de início ictal é o principal tratamento, sendo a esclerose hipocampal (EH) a etiologia mais frequente. Além das crises não controladas, pacientes farmacorresistentes apresentam importantes comorbidades, como déficits de memória, depressão, psicose, e em alguns crises psicogênicas. A nova classificação da EH trouxe importantes evidências da ligação entre o padrão de perda neuronal hipocampal e a história clínica dos pacientes. Entretanto, ainda há importantes lacunas quanto à associação entre tipos de EH e as comorbidades encontradas nestes pacientes. Na presente proposta, buscamos investigar, com modelos animais e pesquisa clínica, as associações entre comorbidades e alterações na comunicação entre diferentes regiões cerebrais, bem como entre comorbidades e as alterações estruturais e moleculares observadas no hipocampo. Para investigar estas associações, realizaremos uma série de estudos que visam demonstrar: 1) a ligação entre maior heterogeneidade nas imagens de ressonância magnética no lobo temporal e a presença de depressão em pacientes; 2) a associação entre alterações nas espinhas dendríticas e moleculares em pacientes com EH2 e performance nos testes de memória; 3) a relação entre tipo de EH e padrão de microRNAs em pacientes com comorbidades psiquiátricas; 4) a existência de dinâmica amigdalo-cortical própria em modelos animais de desamparo aprendido, uma situação próxima da depressão comórbida observada na ELT; 5) diferenças na plasticidade homeostática, medida através da morfologia de espinhas dendríticas, em modelo de ELT; 6) demonstrar a importância da neurotransmissão glutamatérgica na anedonia em camundongos nocaute para NMDAr Maior detalhamento sobre este projeto e sua equipe podem ser encontrados em https://www.dropbox.com/s/e00o9ieaivabtrt/Projeto_Universal_2021.pdf?dl=0
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

João Renato Rebello Pinho

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • estudo da variabilidade de co-infecção em pacientes com sars-cov-2 e de seus efeitos sobre os diferentes desfechos clínicos da doença.
  • COVID-19 é uma infecção do trato respiratório que foi declarada uma pandemia em março de 2020. O agente etiológico desta infecção é um novo coronavírus, denominado SARS-CoV2 e sintomas que variam desde quadros gripais leves a necessidade de ventilação mecânica por longo período. Até o momento não se conhece a fundo os fatores que determinam as diferentes gravidades da doença, mas acredita-se que seja uma mistura de fatores ambientais e intrínsecos do hospedeiro. Desde dezembro de 2019 até abril de 2020, o SARS-CoV2 se disseminou por todo o globo, tendo quase 3.000.000 casos confirmados da doença dos quais mais de 200.000 foram a óbito. Apesar do grupo de maior gravidade da doença serem os indivíduos masculinos de idade superior a 60 anos e com outras comorbidades, outras faixas etárias e de diferentes histórias clínicas também apresentam quadros graves, e não se sabe ao certo quais são os fatores determinantes para este desfecho. Co-infecções virais respiratórias, definidas como a detecção de mais de um patógeno viral na mesma amostra são detectados em até 30% das crianças com infecção aguda do trato respiratório por outros agentes, sendo possível que diferentes graus de severidade estejam associados à presença de outros microrganismos. Existe atualmente pouca literatura a respeito desses achados e os resultados descritos podem ser bastante contraditórios. Infecções por H1N1 apresentaram um maior grau de gravidade quando em presença de outros coronavírus de que por rinovírus. A recuperação de uma infecção viral imediatamente antes do VRS pode levar à regulação positiva da imunidade viral inata ou da reatividade cruzada inespecífica enquanto que a presença de co-infecções pode ser um marcador de baixa imunidade associada à fraca depuração viral. Em pacientes infectados por influenza A ou B, a co-infecção por aspergilose eleva a taxa de complicações pulmonares de 5% para 19% em UTI. Co-infecções por bactérias também podem estar envolvidas em maior gravidade, maior tempo no hospital e necessidade de ventilação mecânica. Dados referentes a co-infecção do SARS-Cov2 com outros agentes são escassos, em especial quando se refere à população brasileira. Grande parte desses estudos foram realizados com a investigação específica de diferentes patógenos através da metodologia de RT-qPCR. Entretanto, atualmente com o advento do sequenciamento de nova geração (NGS) é possível realizar uma ampla varredura e detectar microrganismos não previamente determinados. Esta estratégia pode aumentar a certeza com que os achados de co-infecção são determinados, uma vez que a falha em encontrar correlações pode ocorrer pela falha em encontrar patógenos. Esta atual contradição reforça a necessidade de estudos mais aprofundados que visem esclarecer estas correlações em diferentes tipos de infecções e populações. Adicionalmente, fatores genéticos do hospedeiro podem contribuir para as diferentes respostas imunológicas a infecções virais e consequentemente ao aparecimento de sintomas respiratórios crônicos ou agudos. Tendo em vista que as infecções respiratórias frequentemente occorem com outros patógenos é de extrema importância para entender a relação entre a resposta do hospedeiro e a infecção por COVID-19, que sejam avaliados nos mesmos indivíduos tanto o arcabouço genético, imunológico e proteico, quanto a diversidade de microrganismos. A inclusão da pesquisa de viroma e microbioma com as investigações multi-ômicas nos mesmos indivíduos trará informações inéditas e um perfil mais aprofundado do cenário genético-ambiental que pode explicar os diferentes desfechos da SARS-CoV-2. O presente projeto tem como objetivo a identificação de outros patógenos em secreção nasoorofaríngea concomitante à infecção por COVID-19 que possam influenciar diferentes desfechos clínicos da doença e sua correlação com o desfecho clinico, através de NGS para a caracterização de vírus e bactérias presentes na nasoorofaringe de pacientes infectados pelo SARS-CoV2.
  • Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein - SP - Brasil
  • 27/08/2020-26/09/2022
Foto de perfil

João Ricardo Vieira Iganci

Ciências Biológicas

Botânica
  • pampa singular: popularização da ciência através de ações transversais
  • O projeto visa criar espaços educativos, de diálogos e participação para pensar coletivamente no potencial do ecoturismo e da conservação da biodiversidade como negócios socioambientais de impacto para a região do bioma Pampa. Nesta construção coletiva do saber, desenvolveremos conhecimentos e práticas que estimulem o pertencimento, empoderamento a autonomia dos sujeitos envolvidos. Através da sensibilização para o ecoturismo focado na paisagem, criaremos espaços para que a comunidade pense o seu território como um potencial socioeconômico. Assim, a metodologia ativa de aprendizagem englobará diferentes práticas com o objetivo de fazer do aluno o protagonista da própria aprendizagem, participando ativamente de sua jornada educativa e estimulando o interesse em assuntos promissores para o desenvolvimento sustentável da região. As atividades promoverão o estímulo a uma maior responsabilidade do estudante pela construção do próprio saber em instituições de ensino básico nos municípios abrangidos pela proposta. Assim, o estudante se envolve no processo de aprendizagem de maneira ativa, superando a ideia de aulas expositivas e com pouca interação do tradicional processo de ensino. Serão empregadas ações de arte-educação e edu-comunicação através de oficinas direcionadas para estudantes e professores da rede básica de ensino. Nestas ferramentas os estudantes serão estimulados a contarem suas próprias histórias, criando espaços de diálogo para pensar em formas de gerar renda e conservar a biodiversidade. Na metodologia ativa, os estudantes são protagonistas e participam na resolução de problemas de forma colaborativa, onde o engajamento, empoderamento e pertencimento são estimulados pelos facilitadores. Desta forma, espera-se popularizar a Ciência no interior do estado do Rio Grande do Sul e contribuir para a conservação dos recursos naturais remanescentes. Ao final do projeto, será realizada a Primeira Mostra Científica Pampa Singular, em alusão ao dia do bioma Pampa.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 08/12/2021-31/12/2023
Foto de perfil

João Ricardo Vieira Iganci

Outra

Divulgação Científica
  • pampa singular: transversalidade na ciência e na arte para o desenvolvimento sustentável
  • O Museu de Ciências Naturais Carlos Ritter apresenta em seu acervo uma importante coleção representativa da biodiversidade do bioma Pampa. Conservar este patrimônio e levar o conhecimento à comunidade são importantes atividades desenvolvidas pelo Museu, capazes de despertar o interesse pelo conhecimento e conservação da biodiversidade. A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia representa um grande potencial para estimular o contato da comunidade com o Museu e assim fomentar a divulgação e popularização da ciência em Pelotas e região. Desta forma, o projeto visa criar espaços educativos, de diálogos e participação para pensar coletivamente no potencial da divulgação científica e popularização da ciência para a conservação da biodiversidade e desenvolvimento sustentável do bioma Pampa. Nesta construção coletiva do saber, desenvolveremos conhecimentos e práticas que estimulem o pertencimento, o empoderamento e a autonomia dos sujeitos envolvidos. Através da sensibilização para a biodiversidade local, criaremos espaços para que a comunidade pense o seu território como um potencial socioeconômico sustentável. Assim, a metodologia ativa de aprendizagem englobará diferentes práticas com o objetivo de fazer do aluno o protagonista da própria aprendizagem, participando ativamente de sua jornada educativa e estimulando o interesse em assuntos promissores para o desenvolvimento sustentável. As atividades promoverão o estímulo a uma maior responsabilidade do estudante pela construção do próprio saber em instituições de ensino básico. Serão empregadas ações de arte-educação e edu-comunicação como ferramentas onde os estudantes serão estimulados a desenvolver a sensibilidade pelos ecossistemas que os rodeiam, criando espaços de diálogo para pensar culturas e história através de ferramentas da ciência e da arte. Através da organização de oficinas, palestras, workshop e uma exposição temática virtual, será possível mobilizar a comunidade para ampliar a visitação ao Museu, elevando ainda mais o diálogo entre a comunidade científica e a população em geral. A exposição temática abordará a Ilustração Científica, apresentando espécies ameaçadas de extinção, empregando a transversalidade entre ciência e arte. Desta forma, será possível destacar a importância de conhecer e preservar a biodiversidade local, empregando a arte como potente ferramenta para acelerar o processo de sensibilização da comunidade para a necessidade de conservar os recursos naturais, contribuindo para as metas firmadas pelo Brasil junto à Convenção da Diversidade Biológica e com os objetivos de desenvolvimento sustentável.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 05/10/2021-31/10/2023
Foto de perfil

João Ricardo Vieira Iganci

Ciências Biológicas

Botânica
  • pampa singular: transversalidade e conservação da flora endêmica
  • Apenas 10% da flora endêmica do Pampa tem avaliação formal do risco de extinção, o que é necessário para indicar áreas prioritárias para conservação. Métodos em Inteligência Artificial surgem do desafio de acessar o estado de conservação de toda a flora, indicando espécies e áreas em risco. A expansão da agricultura e o aumento de espécies invasoras, por sua vez, transformam a paisagem, fragmentam habitats e reduzem a biodiversidade no Pampa. A pecuária no Rio Grande do Sul iniciou em 1607, através dos espanhóis, e durante as expedições dos primeiros naturalistas, as paisagens originais do Pampa já sofriam influência antrópica. Os relatos e ilustrações desta época evidenciam as transformações na paisagem ao longo do tempo. O Pampa guarda singularidades ainda inexploradas pelo turismo ecológico sustentável. Integrar diferentes disciplinas e atores assegura maior efetividade na conservação dos recursos naturais. Assim, integrar a comunidade é o primeiro passo para conservar espécies ameaçadas e contribuir para o desenvolvimento regional através de alternativas socioeconômicas. Neste contexto, o projeto avaliará o estado de conservação da flora endêmica do Pampa e sensibilizará a comunidade local para a conservação, e é guiado pelas perguntas: Quais espécies são endêmicas e ameaçadas de extinção no Pampa brasileiro? O que os relatos naturalistas dos séculos XVIII e XIX revelam sobre a vegetação original do Pampa? Qual o nível atual de conhecimento sobre biodiversidade do Pampa nas comunidades locais e qual o impacto da educação ambiental para a conservação? O estado de conservação da flora endêmica do Pampa será avaliado através das categorias e critérios da IUCN, aplicando Inteligência Artificial; um resgate histórico sobre paisagens naturais do Pampa será produzido. Oficinas de educação em ciências e arte-educação sensibilizarão a comunidade e promoverão o sentimento de pertencimento local e o conhecimento da biodiversidade para a conservação e uso sustentável.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

João Ricardo Viola dos Santos

Ciências Humanas

Educação
  • formações e atuações de professores que ensinam matemática e atividades baseadas em categorias do cotidiano
  • Se por um lado, a formação de professores que ensinam matemática ainda é um tema de grande relevância e complexidade no contexto educacional, visto os distanciamentos entre formação inicial e atuação na Educação Básica, por outro, as transformações em nossa sociedade contemporânea, o avanço do individualismo, o aprofundamento das desigualdades sociais, e de modo geral, as complexas e problemáticas relações entre seres humanos, máquinas e natureza, nos impõe a construção de estratégias outras para lidar com esses desafios. O homem não é mais o centro das discussões em nossa era caracterizada como antropoceno. Em muitos contextos, perspectivas humanistas, muitas vezes pautadas em dicotomias e teleologias de progresso e melhorias, parecem não dar mais conta. Diante disso, o objetivo desse projeto é investigar processos de formação e atuação de professores que ensinam matemática, nos quais atividades baseadas em categorias do cotidiano são implementadas. Nesses espaços as atividades são operadas como convites para construção de outras lógicas e outros modos de atravessar discussões e/ou problematizações matemáticas, políticas, econômicas, culturais, filosóficas com os professores. Por meio de uma abordagem qualitativa de pesquisa e tomando o Modelo dos Campos Semânticos como principal referência teórico-metodológica, em composições com perspectivas pós-humanistas, produziremos nossos dados a partir de múltiplos instrumentos de acordo com as características dos espaços de formação e atuação de professores aos quais focaremos nossas discussões, sendo alguns deles: Residência Pedagógica, PIBID, Estágio Supervisionado, Disciplinas na Licenciatura em Matemática, Grupos de Trabalho com professores que ensinam matemática. Nossa intenção, de modo geral, é construir alternativas para formação inicial e continuada de professores que ensinam matemática, bem como para o trabalho em sala de aula, por meio de produções, discussões e problematizações dessas atividades.
  • Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - MS - Brasil
  • 09/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

João Roberto Moro

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • feira de ciência e tecnologia do estado de são paulo
  • A feira tem como objetivos incentivar jovens estudantes dos ensinos fundamental, médio e técnico a iniciar pesquisas científicas nas diversas áreas do conhecimento, ser um instrumento de divulgação e popularização das ciências entre o público não especializado, motivar estudantes a seguirem na carreira científica, capacitar professores e estudantes na elaboração e desenvolvimento de projetos de pesquisa, estreitar a relação entre centros de pesquisa, escolas e comunidade, incentivar a experimentação científica e pensamento crítico desde os primeiros anos de escolarização e contribuir para o desenvolvimento científico e tecnológico da região e do país. As metas propostas para a feira são a capacitação de professores de escolas estaduais e municipais da região, a aumento da participação de trabalhos de escolas públicas da região na feira, o envolvimento da comunidade acadêmica na elaboração de projetos, incrementar o número de visitantes e alcance da feira entre o público não especializado, tornar a feira referência na região em divulgação científica. Para se atingir os objetivos e metas, são planejadas diversas ações antes e durante a feira. Como auxílio na elaboração de projetos e capacitação de estudantes e professores, a feira oferece um material online com orientações de como se elaborar um projeto de pesquisa, desde os passos iniciais até o momento de apresentação do trabalho nas feiras. Além desse material, é oferecido um curso o curso gratuito, de 60h, "Metodologia Científica e Orientação de Projetos de Pesquisa no Ensino Médio", voltado para professores da rede pública. A Comissão organizadora disponibiliza, duas vezes por mês, plantões de dúvidas para estudantes e professores, com o objetivo de auxiliar na elaboração dos projetos. Para marcar o início dos trabalhos de pesquisa, a feira realiza um minicurso sobre Design Thinking. Durante a feira são feitas pesquisas de opinião com participantes, estudantes e autores para avaliarmos os resultados da feira. Além da apresentação de trabalhos dos estudantes, a feira conta com diferentes atividades. Todos os anos, nos horários de início, intervalos e fim da exposição, ocorrem apresentações culturais como peças de teatro, música, exposições, literatura, oficias, entre outros. Ocorrem também atividades relacionadas com sustentabilidade e preservação do meio ambiente, como plantio de árvores, oficinas de aproveitamento de material de reciclagem, palestras de orientação, entre outras. A feira é aberta para estudantes do 8° e 9° ano do ensino fundamental e ensino médio e técnico. Os estudantes podem submeter trabalhos nas áreas de (i) Informática, (Iii) Engenharias; (iii) Ciências exatas e da natureza; (iv) Ciências Humanas e Linguagem. A submissão de trabalhos é feita a partir do Plano de Pesquisa e Resumo de projeto em nosso sistema. A seleção de trabalhos para a feira ocorrem em 3 etapas: (i) verificação da documentação; (ii) pré-avaliação por consultores ad hoc; (iii) análise pelo Comitê Técnico. A apresentação de trabalhos ocorre durante os 3 dias da feira, onde os autores apresentam seus resultados para a comunidade e para avaliadores ad hoc. A avaliação do trabalho é feita a partir da análise dos seguintes tópicos dos projetos apresentados: criatividade e inovação, método científico ou engenharia, profundidade, habilidade, apresentação oral, análise de documentos. Para cada tópico é atribuída uma nota de 1 a 5 e os projetos são classificados e premiados. Ao final da feira, são verificados alguns indicadores de acompanhamento para avaliação da feira, como por exemplo, o alcance das divulgações em mídias sociais, a quantidade de pessoas cadastradas no sistema de avaliação, apoios e colaboradores conseguidos, número de trabalhos inscritos. Agendamento de escolas, número de visitantes, porcentagem de trabalhos presentes e ausentes, alcance das publicações em mídias sociais, impacto na imprensa, pesquisa de satisfação entre os participantes.
  • Instituto Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 02/03/2021-31/03/2023
Foto de perfil

João Tomé de Farias Neto

Ciências Agrárias

Agronomia
  • melhoramento genético de euterpe olerecea e euterpe precatoria na amazônia - melhoraçai- fase iii
  • O açaí é a fruteira nativa da Amazônia com maior expansão de área cultivada nos últimos anos, resultado do grande aumento da demanda pela polpa de seus frutos, tanto no mercado interno como externo. De acordo com estatísticas do IBGE (2020) a receita do açaí (R$ 4,754 bilhões) foi a 3a maior entre as frutas produzidas no Brasil, inferior apenas a laranja (R$ 10,898 bilhões) e banana (R$ 8,638 bilhões). A demanda superou a capacidade de produção do extrativismo, o que motivou investimento no cultivo comercial do açaí. Para assegurar o desenvolvimento sustentável da cadeia produtiva do açaí cultivado é necessário desenvolver tecnologias que proporcionem alta produtividade, qualidade, precocidade e segurança contra problemas bióticos e abióticos, fato possível através de programa de melhoramento genético. A Embrapa Amazônia Oriental iniciou na década de 90 um programa de melhoramento da espécie Euterpe oleracea (açaí de touceira), que já resultou no lançamento de duas cultivares (BRS Pará em 2005 e BRS Pai d’égua em 2019) e recentemente foi estabelecido um programa de melhoramento da espécie E. precatoria (açaí solteiro). Ambas as espécies apresentam grande variabilidade genética para vários caracteres, fato que permite antever altos ganhos genéticos via seleção. e ocorrem em regiões e condições edafoclimáticas distintas, divergindo para várias características de planta e fruto, como composição da polpa e período de safra, o que justifica o investimento no melhoramento de ambas. Nesta proposta serão avaliadas progênies de meios-irmãos de E. oleracea e E. precatoria em experimentos já estabelecidos em campo e realizar coleta de germoplasma de E. precatoria visando o estabelecimento de novos experimentos. Também será avaliado o transcriptoma de E. oleracea de resposta a estresse hídrico, visando identificar sequências de DNA que poderão ser trabalhadas como marcadores genéticos para realização de seleção precoce.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - PA - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

João Trindade Marques

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • aprendizado de máquina para análise de bibliotecas de metatranscriptômica e identificação de sequências virais independente de similaridade de sequência: prova de conceito em amostras de mosquitos vetores
  • O estudo da biodiversidade é importante do ponto de vista ecológico para podermos entender a evolução e adaptação das espécies, e do ponto de vista biotecnológico e médico para permitir o desenvolvimento de estratégias de uso ou controle de organismos. Os vírus contribuem com uma grande parte da diversidade genética observada em diversos ambientes. O estudo da biodiversidade é limitado pela capacidade de identificação de microrganismos em laboratório. Nesse contexto, a metagenômica permite o estudo da diversidade genética coletiva presente em um ecossistema através do sequenciamento direto do material genético isolado do meio ambiente. A metagenômica tem sido empregada em estudos para identificação do conjunto de vírus, o viroma, em amostras biológicas. A caracterização do viroma de mosquitos do gênero Aedes tem uma particular significância para a saúde humana, visto que mosquitos transmitem diversos vírus com potencial para causarem epidemias, como o Zika virus, Dengue virus e Chikungunya virus. Além disso, a caracterização do viroma de mosquitos vetores é fundamental para o monitoramento de vírus emergentes ou re-emergentes que posam como grande ameaça a saúde pública. As estartégiuas convencionais de procura por similaridade de sequência contra referências conhecidas são uma grande limitação para a descoberta de novos vírus. Os vírus possuem genomas pequenos que evoluem rapidamente, e sua classificação por similaridade contra referências conhecidas pode fornecer uma estimativa equivocada da real dimensão dos viromas. Nosso grupo foi pioneiro na ideia da utilização de características independentes da sequência primária como o perfil de pequenos RNAs gerados por uma dada sequência como uma assinatura viral. Esta ideia, proposta e implementada pelo nosso grupo, permite a descoberta de novos vírus mesmo que não tenham similaridade de sequência com nenhuma referência depositada em bancos de dados. Nesta proposta, nosso grupo se propõe a expandir os estudos iniciais utilizando modelos de aprendizado de máquina (do inglês machine learning) para extrair novas características básicas de sequências de origem viral que possam ser utilizadas para identificação e classificação de vírus. Desta maneira, em uma época com baixo custo do sequenciamento em larga escala e a rápida expansão do número de sequencias depositadas, nossa estratégia pode ajudar na classificação de sequências órfãs também chamadas como a matéria negra dos projetos de sequenciamento, que não possuem similaridade dom referências conhecidas, e que são normalmente descartas.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 20/08/2020-31/08/2022
Foto de perfil

João Victor Nicolini

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • desenvolvimento de biossensores nanoestruturados de pla/grafeno impressos em 3d: uma nova plataforma de biossensoriamento de baixo custo e modulável para detecção eletroquímica de doenças.
  • Tecnologias emergentes baseadas em eletrodos de impressão para a fabricação avançada de materiais de eletrodos impressos abrem novos caminhos para várias aplicações eletroquímicas. A liberdade de design possibilitada pela impressão 3D abre possibilidades para o desenvolvimento de novos materiais e dispositivos de detecção eletroquímica em grande escala, de forma rápida, de baixo custo, sob a geometria e propriedades desejadas e geração mínima de resíduos. Esta proposta consiste no desenvolvimento de um nanocompósito condutor constituído de poli-ácido lático (PLA) e grafeno (GO) por impressão 3D visando sua aplicação em plataformas de biossensoriamento para detecção eletroquímica precisa e eficaz de doenças que estão em preocupação mundial como câncer, diabetes, COVID-19 e Zika vírus, por exemplo. A maioria dos eletrodos não podem ser inteiramente seletivos para detecção de uma única espécie em diferentes meios biológicos. Além disso apresentam alto custo, o que compromete a utilização em larga escala. Por esta razão, é imprescindível o desenvolvimento de biossensores eletroquímicos altamente seletivos para aplicação em meios complexos, de baixo custo e moduláveis à imobilização de biomoléculas de interesse para o analito a ser detectado. A impressão 3D substitui etapas de fabricação e instrumentação demoradas e protocolos caros para fabricar sensores. No entanto, o desempenho de biossensores é afetado pelo tipo de materiais do eletrodo impresso e métodos de fabricação empregados. Biossensores baseados em plataformas impressas 3D incorporando nanomateriais condutores, como o grafeno, exibem características atraentes, como melhor desempenho, custo-benefício, escalabilidade e alta seletividade para vários analitos eletroativos direcionados. Desta forma, os eletrodos de PLA/grafeno serão produzidos por impressão 3D e as biomoléculas imobilizadas por ligação covalente para obtenção dos biossensores. A detecção dos analitos será realizadas por medidas eletroquímicas.
  • Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Joaquim Albenisio Gomes da Silveira

Ciências Agrárias

Agronomia
  • variabilidade espaço-temporal de respostas fisiológicas e aclimatação em plantas de arroz sob salinidade.
  • Os mecanismos responsáveis pela aclimatação das plantas aos estímulos externos ainda permanecem pouco conhecidos, o que limita a manipulação desses processos para a obtenção de fenótipos com maior resiliência a estresses ambientais. Parte dessa limitação se deve ao fato de que tais respostas ocorrem em diferentes escalas de tempo e com diferentes sensibilidades locais nos diversos módulos que formam as plantas (ex. folhas em diferentes posições espaciais e com diferentes idades fisiológicas). Isso se deve ao fato de que geralmente estudos dessa natureza são desenvolvidos em plantas modelo sob condições controladas e raramente envolvem uma perspectiva integradora multi-escalar e sua variabilidade temporal. Neste contexto, o foco do presente estudo é desenvolver uma abordagem integrativa das relações entre a planta e seu ambiente, utilizando como modelo de estudo plantas de arroz submetidas a condições de salinidade, que é um forte limitador da produção agrícola em áreas de várzea. A partir de experimentos delineados baseados em perguntas específicas, pretende-se testar a hipótese principal de que a variabilidade espaço-temporal das respostas à salinidade possui uma estreita relação com a capacidade de aclimatação de plantas de arroz às condições adversas. Pretende-se demonstrar que uma alta variabilidade espaço-temporal confere maior resiliência às plantas, especialmente sob condições de estresse recorrente e/ou diferentes níveis de controle ambiental, quando efeitos da memória da planta podem emergir na forma de uma nova propriedade ou característica fisiológica. As análises serão realizadas em diferentes órgãos da planta (dimensão espacial) avaliando desde alterações epigenéticas, expressão de genes do ritmo circadiano , atividade de enzimas antioxidantes, dinâmica das trocas gasosas, crescimento e do acúmulo de proteínas e metabólitos. As avaliações serão realizadas com frequência de amostragem (dimensão temporal) ao longo da evolução das respostas à salinidade.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Joaquim de Araújo Nóbrega

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • preparo de amostras inorgânicas usando radiação micro-ondas e investigações sobre padrões internos em plasmas
  • Este projeto de pesquisa abordará duas linhas principais de investigação: (1) desenvolvimento de procedimentos de preparo de amostras inorgânicas assistidos por radiação micro-ondas e (2) medidas de emissão (linhas atômicas e iônicas) em plasmas acoplados indutivamente. A primeira linha de pesquisa focará a contínua redução do uso de reagentes agressivos para o preparo de amostras inorgânicas. Nesse sentido serão investigados procedimentos assistidos por radiação micro-ondas em forno de alta pressão e temperatura (199 bar e 300 oC) e forno mufla com aquecimento rápido. No caso de procedimentos de fusão, a aplicabilidade de processos de síntese mecanoquímica serão investigados. As soluções geradas em ambos os procedimentos deverão ser compatíveis com determinações de elementos por espectrometria de emissão óptica plasma acoplado indutivamente (ICP OES) e com plasma de micro-ondas (MIP OES). Além do uso desses métodos instrumentais para análises elementares, aspectos relacionados com a escolha e o desempenho de padrões internos e estratégias especiais de calibração serão sistematicamente investigados. Assim, o objetivo geral desta proposta é o desenvolvimento de procedimentos de análise química com capacidade de determinação de elementos traço de forma multielementar combinando-se conceitos modernos em preparo de amostras e tratamento de dados analíticos. Busca-se gerar uma melhor compreensão de processos de preparo de amostras por via úmida, via seca e fusão sob altas temperaturas e sobre estratégias para aperfeiçoamento de exatidão de medições analíticas efetuadas usando plasmas.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023
Foto de perfil

Joaquim Miguel Maia

Engenharias

Engenharia Biomédica
  • avaliação e desenvolvimento de novas técnicas para processamento de sinais e geração de imagens de ultrassom em plataformas abertas de pesquisa
  • Este projeto tem por objetivo o estudo e desenvolvimento de novas técnicas de processamento digital de sinais para geração de imagens de ultrassom em tempo real que permitam o aumento da taxa de quadros por segundo e a otimização na qualidade da imagem. As técnicas a serem avaliadas envolvem o uso de ondas planas (plane wave) e esparsidade na excitação dos elementos transdutores, de forma a permitir a geração de imagens nos modos B, Doppler e de Elastografia. O trabalho será desenvolvido utilizando-se uma plataforma de pesquisa Verasonics Vantage® 128, um equipamento Siemens Acuson X300 e um Ultrasonix Sonix MDP com interface para pesquisa e pacote para elastografia, de forma a auxiliar no desenvolvimento e testes das rotinas desenvolvidas e no estudo de novas técnicas de imageamento ultrarrápido baseado em plane wave. Além dos equipamentos comerciais, serão utilizados os dados da plataforma de pesquisa de arquitetura aberta ULTRA-ORS, que foi implementada no Laboratório de Ultrassom da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), e também os dados de uma nova plataforma que vem sendo desenvolvida em colaboração com outros grupos do Brasil e que receberá uma atualização de hardware pela equipe da UTFPR durante a vigência deste projeto. Os testes para validação dos algoritmos desenvolvidos serão realizados utilizando-se objetos de testes (phantoms) de uso geral, de contraste e detalhes, e de elastografia. A avaliação dos resultados será feita através da comparação com imagens reconstruídas por técnicas tradicionais e parâmetros de resolução e contraste. Espera-se como resultados principais do trabalho a obtenção de novos algoritmos de processamento/geração de imagens que possam ser utilizados futuramente para auxiliar no desenvolvimento de um equipamento nacional de ultrassom para auxílio ao diagnóstico por imagens, além da formação e capacitação de recursos humanos na área de Engenharia Biomédica, com especialização na área de ultrassom em medicina.
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Joaquim Tavares da Conceição

Ciências Humanas

Educação
  • identidade e responsabilidade histórica. organização e preservação de documentos no centro de pesquisa documentação e memória do colégio de aplicação - ufs (cemdap)
  • O projeto busca ampliar os processos de produção e a organização e preservação da massa documental histórica sob a custódia no Centro de Pesquisa, Documentação e Memória, do Colégio de Aplicação-UFS (Cemdap), e produzir compreensões históricas do Colégio e/ou de seus agentes educativos e da Universidade. A proposta é aderente ao eixo temático da área da História da Educação denominado Patrimônio Educativo, Arquivos e Acervos. Deficiências nos processos e práticas de guarda têm gerado dificuldades para a preservação do acervo documental para o acesso à documentação e, por conseguinte, a produção de fontes. Diante disso, o projeto deverá discutir aspectos relacionados com os processos e práticas de guarda, seleção e preservação do acervo escolar; manejo de fontes; funções e finalidades de centros de memória, história oral e patrimônio histórico educativo. Defende-se a hipótese de que a massa documental custodiada no Cemdap reveste-se de importância pela sua natureza de patrimônio educativo e pela perspectiva de responder a questões em torno de configurações e funções de colégios de aplicação de universidades federais. A existência de uma massa documental custodiada no Cemdap; o resultado exitoso de projetos e produções anteriores; o envolvimento de uma equipe e grupos de pesquisas envolvidos e a colaboração do Centro de Memória-Unicamp (CMU) são indicativos da viabilidade da proposta. O estudo utilizará a pesquisa documental, técnicas de manejo de arquivos e procedimentos da história oral (produção de documentação audiovisual), além de reflexões a respeito de tratamento e preservação documental, memória e patrimônio educativo. O projeto apresenta três eixos de desenvolvimento e interligações: organização e tratamento do conjunto de documentos históricos produzidos e/ou acumulados pelo Colégio de Aplicação; a produção de documentação audiovisual e o estudo histórico da entidade produtora da massa documental.
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 23/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Jochen Schongart

Ciências Biológicas

Ecologia
  • sítios demonstrativos de ecossistemas de áreas úmidas oligotróficas pristinos e impactados na amazônia central: encontrando tendências e preenchendo lacunas
  • A integridade da vasta região Amazônica está intrinsicamente relacionada ao equilíbrio de interações biosfera-atmosfera e de ciclos hidrológicos e biogeoquímicos, que exercem influência também sobre outras regiões do Brasil e do Planeta. Além disso, a Amazônia hospeda uma mega biodiversidade que fornece múltiplos serviços ecossistêmicos essenciais para a região, e para a manutenção da qualidade de vida humana de seus habitantes. Entretanto, a região vem sofrendo um conjunto de distúrbios sem precedentes, como resultado das mudanças do clima e das formas de uso da terra, bem como pelas sinergias entre esses vetores de mudanças. A severa degradação ambiental vem sendo intensamente discutida para as florestas de terra-firme, porém, esta discussão ainda necessita ser aprofundada para as diferentes áreas úmidas (AUs) da região que cobrem mais de 30% na Amazônia, e onde muitos empreendimentos impactantes vêm sendo implantados. As AUs são elementos-chave na paisagem amazônica, pois abrigam enorme biodiversidade parcialmente endêmica, e são importantes motores para processos de diversificação e especiação. Além disso, fornecem serviços ecossistêmicos fundamentais para a sociedade, como armazenamento e purificação da água, abastecimento das águas subterrâneas, regulação do clima, manutenção dos ciclos biogeoquímicos e de nutrientes, fornecendo recursos naturais para grandes centros urbanos e para a subsistência das populações tradicionais e indígenas, contribuindo para sua salvaguarda cultural. Desde 2013, o PELD-MAUA se dedica ao estudo integrado de dois dos principais ecossistemas de áreas úmidas (AUs) oligotróficas florestadas na Amazônia Central: a) os igapós ao longo dos rios de água-preta, que cobrem mais de 140.000 km² da região, ocorrem sobre solos pobres, e sofrem pulsos de inundação regulares e previsíveis por águas de elevada acidez, provenientes das formações cratônicas do Escudo da Guiana, e b) as campinaranas, que ocorrem de forma fragmentada em um total de mais de 330.000 km² da região, e se caracterizam por solos ácidos e arenosos, fortemente lixiviados, de baixíssima fertilidade, que podem sofrer alagamento na estação chuvosa, mas são expostos a déficit hídrico na estação seca, pela baixa capacidade de armazenamento de água dos solos. Mudanças climáticas se tornaram uma realidade para a Bacia Amazônica nas últimas décadas, principalmente pela manifestação de aumentos de temperatura e pela intensificação dos regimes pluviométricos e ciclos hidrológicos, resultando no aumento significativo de cheias e secas em sua região central. Para as próximas duas décadas, além do aumento da temperatura, secas severas associadas ao fenômeno El Niño podem ser esperadas para a Amazônia, afetando diretamente extensas áreas de igapós e campinaranas, ambientes com alta vulnerabilidade às secas e incêndios. A capacidade das espécies arbóreas de sobreviver a estas condições extremas depende de suas adaptações e traços funcionais relacionados ao ajuste a estes fatores. Assim, conhecer essas adaptações é essencial frente às mudanças climáticas previstas. Principalmente as florestas de igapó são vulneráveis ao fogo devido ao microclima seco, grande estoque de serapilheira e tapete de raízes finas na superfície do solo, formando uma enorme camada combustível. A lenta sucessão secundária mantém as cicatrizes de queimadas colonizadas por uma vegetação aberta, exposta a fogos recorrentes devido às fontes de ignição abundantes. Outra ameaça às AUs é o planejamento e instalação de mais de 400 usinas hidrelétricas (>1 MW) na Bacia Amazônica. Muitos estudos com foco nas áreas das barragens e reservatórios apontam graves impactos socioambientais das hidrelétricas. Porém, os impactos nos igapós a jusante das barragens são grandemente negligenciados. O PELD-MAUA vem preencher esta lacuna, diferenciando este projeto de outras abordagens. Uma primeira síntese de distúrbios ao longo de 35 anos da hidrelétrica de Balbina já permite a formulação de recomendações concretas para políticas públicas em relação à operação e avaliação de impacto ambiental (EIA/RIMA) desses empreendimentos. Os futuros cenários resultantes da sinergia entre os impactos induzidos por mudanças do clima (aumento das temperaturas e intensificação dos ciclos hidrológicos) e uso de terra (incêndios, barragens hidrelétricas) podem resultar em distúrbios severos que ameaçam a integridade funcional das AUs amazônicas. A degradação ambiental progressiva pode aproximar as AUs oligotróficas ao ponto de não retorno, devido à sua alta vulnerabilidade, baixa resiliência e lenta dinâmica regenerativa. Esse ponto de não retorno já foi estimado para as florestas de terra-firme, porém, para os sistemas de AUs amazônicas ainda não existe essa abordagem. Frente aos cenários previstos de mudanças do clima e de intensificação do uso de terra, a Fase III do PELD-MAUA visa elucidar os impactos destes vetores nas campinaranas e igapós por meio de uma abordagem transdisciplinar, combinando monitoramento (parcelas permanentes), estudos em campo, experimentos (microcosmo, casa de vegetação) e análises retrospectivas (sensoriamento remoto, dendroecologia), desde o nível da população, interações da biota (árvores, herbáceas, epífitas, fungos, peixes) até o da paisagem. Serão assim criados sítios demonstrativos que, embasados em um conhecimento científico robusto, permitam apontar os impactos oriundos de mudanças climáticas e uso da terra nestas AUs, e disseminá-los para um público abrangente com estratégias de ampla divulgação, por meio de diversas plataformas de mídia. Além disso, o projeto vai consolidar sítios que permitam expandir estudos para outras AUs oligotróficas e validar modelos, fornecendo um conhecimento científico integrado sobre a biodiversidade, as inter-relações de componentes chaves da biota, sobre processos e serviços ecossistêmicos e funcionamento integral das AUs oligotróficas, integrando também aspectos socioambientais e políticas públicas.
  • Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - AM - Brasil
  • 07/12/2020-31/12/2024
Foto de perfil

Joel Christopher Creed

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • um mapa de habitat e serviços ecossistêmicos das gramas marinhas do brasil
  • As gramas marinhas formam extensas pradarias ou bancos submersos vegetados ao longo de quase toda a costa do Brasil, em lagunas, estuários, baías e entorno de recifes de corais. Estes ecossistemas fornecem importantes serviços ecossistêmicos como oxigenação e depuração da água, habitat, proteção da costa, recursos pesqueiros, sequestro de carbono atmosférico e mitigação das mudanças climáticas. Apesar de sua importância, o conhecimento sobre estes sistemas no Brasil é insuficiente e áreas provavelmente subestimadas. As lacunas sobre sua distribuição, abundância, extensão e biodiversidade representam um “gargalo” científico para o desenvolvimento de planos de conservação, aos níveis, regional, nacional e global. Neste sentido, o mapeamento detalhado do habitat e seus serviços são essenciais para previsões sobre mudança do clima, modelos de distribuição de espécies, avaliações de conectividade e cálculos de taxas de sequestro de carbono. O objetivo deste projeto é a compilação e a integração das informações espalhados nos diversos bancos de dados e instituições do país sobre os ecossistemas de gramas marinhas no Brasil de modo a criar um mapa atual. Para isso, as informações mantidas pelos laboratórios da UERJ e FURG, que estudam estes sistemas desde a década de 80, serão atualizadas através de buscas online e de consultas com pesquisadores, compondo uma base de dados georreferenciada. Os dados compilados serão corroborados, complementados por levantamentos de campo e analisados para descrever padrões na sua conectividade e serviços. Os registros serão publicados e incluídos em um portal bilingue (POR-ING), voltado para o público geral e a comunidade científica e com acesso gratuito. Parte do portal será dedicado à ciência cidadã, onde o público poderá postar registros fotográficos. Os resultados do projeto colocarão o ecossistema de pradarias brasileiras em evidência, com impactos nacionais e internacionais para a ciência, conservação e economia azul.
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Joel Thiago Klein

Ciências Humanas

Filosofia
  • conceitos e perspectivas da liberdade
  • A liberdade foi um dos conceitos centrais sobre o qual a ciência e a sociedade moderna se desenvolveram. A partir da sua ampliação e diversificação desenvolveu-se o pluralismo social, religioso, o avanço científico, o estado de direito e os direitos individuais. As diversas esferas nas quais a liberdade precisa se estruturar geram inevitáveis conflitos, que se não forem claramente compreendidos, delimitados e regulados, podem colapsar sob seu próprio fundamento. Nesse sentido, surgem pleitos de uma liberdade para não ser vacinado, para desinformar, para impor legalmente posições religiosas, para ensinar criacionismo em escolas, para comprar armas ou desmatar, todos esses são exemplos de situações que nossa sociedade enfrenta e serão absolutamente decisivos para definir o futuro da democracia, da sociedade e da ciência, ou sua ausência. Esse projeto pretende apresentar um mapeamento dos diversos conceitos e perspectivas que a liberdade assumiu desde a filosofia moderna, nas tradições do republicanismo, do liberalismo e do conservadorismo, tendo em vista também diversas esferas, como o âmbito social, religioso, acadêmico, estético, jurídico, político e intergeracional. Pretende-se avaliar como a liberdade interage com a igualdade política e social e como ela opera como um valor capaz de mobilizar a ação política. Utilizando uma metodologia de reconstrução e contextualização histórica e de análise conceitual a partir de problemas, nossa hipótese é a de que apesar de haver uma grande divergência quanto às definições e limites da liberdade, é possível encontrar um denominador comum no que se pode chamar de liberdade dos modernos, a qual está na base tanto das concepções republicanas, liberais quanto conservadoras e que elas excluem a versão ideológica e sem compromisso teórico que vem sendo utilizada para minar os fundamentos do estado de direito, da democracia, da liberdade acadêmico-científica e do pluralismo.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 14/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Joelson Gonçalves de Carvalho

Ciências Sociais Aplicadas

Economia
  • terra, agroecologia e universidade: articulando saberes, trocando experiências e construindo conhecimentos
  • Esse projeto tem como objetivo a criação e consolidação de um Núcleo de Estudo em Agroecologia e Produção Orgânica (NEA) no campus de São Carlos da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), a fim de fortalecer as alianças entre a comunidade universitária e as comunidades rurais da agricultura familiar no estado de São Paulo. Temos por foco, especialmente, o desenvolvimento de trabalhos de extensão rural baseados em princípios agroecológicos e metodologias participativas em assentamentos da Reforma Agrária e junto aos povos e comunidades tradicionais do território. Assim, tem por principais objetivos: 1) ampliar, divulgar e fortalecer o debate e reconhecimento de um modelo de desenvolvimento rural baseado na transição agroecológica e na agricultura familiar na comunidade universitária; 2) promover metodologias participativas de pesquisa e extensão na formação de estudantes e docentes; 3) promover e consolidar a transição agroecológica nas comunidades rurais do território por meio da constituição de parcerias, baseadas na articulação entre instituições públicas e privadas parceiras do projeto, três grupos de referências e demais sujeitos sociais envolvidos nas ações propostas; 4) fortalecer as atividades produtivas, o cooperativismo, o acesso a mercados e políticas públicas junto aos grupos de agricultores familiares do território; 5) valorizar as identidades de agricultores familiares assentados da reforma agrária e povos e comunidades tradicionais junto à comunidade da UFSCar, populações dos municípios do território e governos municipais e estadual. O público-alvo deste projeto são os agricultores familiares, assentados da reforma agrária e comunidades tradicionais, visto que o objetivo final de todas as atividades relacionadas a esse projeto é o diálogo, construção e socialização de saberes que apoiem a consolidação de sistemas de produção de base ecológica voltados para esse público. Pretende-se criar 3 grupos de referência, a partir do trabalho com três assentamentos rurais no estado de São Paulo, todos na modalidade de Projeto de Desenvolvimento Sustentável (PDS), a saber: o PDS Mário Lago, em Ribeirão Preto; o PDS Sepé Tiaraju, localizado na divisa dos municípios de Serrana e Serra Azul e, por fim, o PDS Santa Helena, no município de São Carlos. Dentre os objetivos específicos, cabe destacar: 1) Estabelecer a UFSCar como um centro de referência multidisciplinar em construção e socialização de saberes agroecológicos, dentro de uma perspectiva de horizontalização dos processos dialógicos de ensino, pesquisa e extensão; 2) Consolidar uma rede de docentes, técnicos, estudantes e parceiros engajados em promover o debate sobre a Agroecologia, transição agroecológica e sistemas de produção orgânicos, bem como questões ambientais e agricultura convencional em fóruns internos e externos à Universidade; 3) Empoderar os grupos de pesquisa, ensino e extensão envolvidos no projeto, bem como os parceiros, com ferramentas de pesquisa participativa, pesquisa-ação e observação participante, de modo a nortear, subsidiar e fortalecer os projetos desenvolvidos pela comunidade universitária em territórios complexos como os dos assentamentos rurais, comunidades tradicionais, entre outros; 4) Implantar três grupos de referência, em suas respectivas áreas, destinados a sediar projetos pedagógicos de ensino, pesquisa e extensão que tematizem Agroecologia, transição agroecológica e sistemas de produção orgânicos; 5) Apoiar os diferentes movimentos sociais do campo e coletivos de agricultores em suas demandas em relação à Agroecologia, a exemplo do incentivo de feiras livres, beneficiamento mínimo, comercialização de cestas agroecológicas, cooperativismos, acesso a políticas públicas e etc. Do ponto de vista dos resultados esperados e das metas, a equipe do projeto se propõe a: Promover a troca de experiências entre agricultores familiares, assentados da reforma agrária e comunidades tradicionais, pesquisadores e extensionistas que atuem dentro dos princípios da Agroecologia, nos territórios circundantes dos quatro campi da UFSCar, com o apoio de outros NEAs e CVTs já constituídos e a constituir; Fortalecer os grupos locais de compra direta de produtos orgânicos e em transição provindos da agricultura familiar, assentados da reforma agrária e comunidades tradicionais envolvidos no projeto, priorizando-se os grupos de referência elencados; Apoiar a organização e formalização de organizações de Controle Social para a garantia da qualidade orgânica, sendo estes Organizações de Controle Social (OCSs) ou Sistemas Participativos de Garantia (SPGs); Realizar um seminário final de avaliação e repasses de resultados do projeto, que possa ser gravado e que também possa servir de memória para nortear ações futuras; Sistematizar experiências já existentes de transição agroecológica nos grupos de referência elencados no projeto, envolvendo sistemas de produção de base ecológica e sistemas agroflorestais, contribuindo assim para a construção do conhecimento agroecológico e Sistematizar, a partir das trocas de saberes e relações dialógicas com os sujeitos sociais envolvidos no projeto, uma “agenda social de pesquisa”, que, oriunda como se pretende, terá capilaridade social e materialidade nos problemas concretos urgentes e emergentes socialmente, agenda essa que será levada aos discentes e docentes da Universidade, interessados e comprometidos com a temática. O projeto proposto, orientado pelas mesmas preocupações da Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Pnapo), volta a suas ações e objetivos para atuar junto às organizações sociais do campo, comunidades tradicionais, assentamentos rurais e agricultores familiares em geral, com o intuito de fortalecer a Agroecologia, a transição agroecológica e os sistemas de produção orgânicos na região de Ribeirão Preto e São Carlos.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 01/08/2017-31/10/2022
Foto de perfil

John Elton de Brito Leite Cunha

Engenharias

Engenharia Civil
  • nova geração de modelos para estimativas de evapotranspiração para o semiárido brasileiro
  • O Sensoriamento Remoto (SR) é o modo mais eficiente de monitorar a superfície terrestre e de obter estimativas regionais de evapotranspiração (ET). Contudo, as observações de satélite não têm uma assinatura específica que possa ser diretamente atribuída à ET. A ET tem sido obtida por combinação das observações de satélite nas várias bandas do espectro eletromagnético com valores de variáveis climáticas medidas ao nível da superfície. Os métodos utilizados para calcular a ET a partir dos produtos de SR vão desde modelos físicos a empíricos. Em aplicações de grande escala, os métodos de base física surgem como os preferidos, mas muitas vezes estes modelos dependem de simplificações excessivas das resistências aerodinâmicas ou dependência de parâmetros locais. Essas soluções pragmáticas são necessárias, mas limitam a sua performance. Por outro lado, abordagens empíricas, como Machine Learning (ML), são muito úteis para mapear entradas e saídas, sendo capazes identificar os parâmetros relevantes e que não podem ser ignorados no processo de modelagem. As mensurações realizadas pelos sensores de superfície para ground truth são sensíveis aos ventos no instante de medição, tendo sua resposta representada por uma área de contribuição (footprint). Contudo, o problema em estimar ET em grande escala usando técnicas de ML é a incompatibilidade de escala de observação de cada sensor. A calibração/validação de modelos híbridos (físicos com ML) só pode ser alcançada com a compatibilização das escalas espaciais de observações botânica, sensores remoto e superfície. Técnicas de hibridização serão aplicadas para reamostragem e agregação dos modelos de ET avaliados. A configuração do modelo híbrido mais eficiente será submetida ao processamento em computação em nuvem para construção de bases de dados de ET em escala regional. Esta nova base de dados elevará o uso das informações de ET para gestão dos recursos hídricos e avaliação dos impactos ambientais no Semiárido brasileiro.
  • Universidade Federal de Campina Grande - PB - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

John Fredy Franco Baquero

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • desenvolvimento de métodos de otimização para o planejamento de sistemas de distribuição com recursos energéticos distribuídos no contexto de mercados locais de eletricidade
  • Recursos energéticos distribuídos (REDs) como veículos elétricos, geração distribuída renovável e sistemas de armazenamento de energia devem ser adequadamente integrados no futuro sistema de distribuição de energia elétrica (SDEE), de forma a trazer benefícios econômicos e ambientais para a sociedade. Portanto, o planejamento da expansão e da operação do SDEE deve facilitar essa integração ao tempo que levem em conta o desafio das incertezas dos REDs. Recentemente, o conceito de mercados locais de eletricidade (MLEs) tem sido discutido para aproveitar os REDs e promover a participação de todos os agentes no SDEE, sendo indispensável sua consideração no planejamento. Assim, novos conceitos e métodos para auxiliar o planejador do SDEE são necessários para enfrentar os desafios de integrar REDs no contexto de MLEs. Essas ferramentas de apoio na tomada de decisão do planejamento devem evitar investimentos excessivos na expansão da rede e manter a qualidade do serviço para uma alta penetração de REDs, visando aproveitá-los adequadamente. Este projeto de pesquisa visa o desenvolvimento de métodos de otimização para o planejamento do futuro SDEEE no contexto de MLEs, em que os REDs podem fazer ofertas de capacidade de potência e programas de gestão pelo lado da demanda são incluídos. Os métodos de otimização devem estar baseados em Programação Estocástica e Programação Robusta, para que as soluções de planejamento da expansão e da operação sejam adequadas perante as incertezas de curto e de longo prazo (intermitência de geração renovável, demanda dos usuários e nível futuro de penetração de REDs). Os métodos serão avaliados usando sistemas teste da literatura, permitindo quantificar a contribuição no aumento na integração de REDs, a redução no custo da energia para os usuários finais, a mitigação de impactos ambientais e a melhora na qualidade do serviço.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

John William MacQuarrie

Ciências Exatas e da Terra

Matemática
  • desenvolvimento e utilização de ferramentas computacionais na teoria dos grupos e as suas representações.
  • Seguindo a numeração sugerida: 1. Grupos e as suas representações, que exercem um papel fundamental dentro da área da álgebra, possuem descrições compactas e portanto são adequados de serem estudados por meios computacionais. O projeto ampliará o conhecimento de tais estruturas algébricas, desenvolvendo e utilizando ferramentas computacionais. 2. O projeto terá três focos: desenvolver algoritmos práticos para o problema de isomorfismo explícito de grupos clássicos; desenvolver algoritmos para construir reticulados p-ádicos para um p-grupo abeliano; desenvolver técnicas para estudar fatorações de grupos de comprimento minimal e atacar a conjectura de Babai sobre o grafo de Cayley dos grupos clássicos. 3. Desenvolver algoritmos para serem implementados nos sistemas computacionais GAP e Magma, integrar tais ferramentas nos sistemas e utilizar elas para atacar conjecturas importantes e famosas de álgebra -- os programas resolverão o problema de isomorfismo para dados grupos clássicos; calcularão reticulados p-ádicos para p-grupos abelianos finitos; estudarão fatorações de comprimento minimal de um grupo como produto de subgrupos. A importância do projeto vem da importância das conjecturas para ser atacadas, e da utilidade geral das ferramentas propostas dentro da comunidade internacional de álgebra. 4. A hipótese principal do projeto é que ferramentas computacionais são fundamentais para estudar problemas teóricos de álgebra. 5. Os três membros da equipe já utilizaram sistemas computacionais para chegar em conclusões teóricas, um deles com algoritmos já implementados nos sistemas GAP e Magma. As ferramentas propostas são altamente computáveis e a equipe já tem ideias concretas de como implementá-las. 6. Metodologias: em grupos clássicos, baseada na computação do centralizador de uma involução aleatória; em reticulados, baseada numa correspondência com módulos sobre corpos finitos; em fatorações de grupos, baseada em computações com o gráfo de Cayley.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Joice Melo Vieira

Ciências Sociais Aplicadas

Demografia
  • as famílias brasileiras e o bem-estar de crianças e adolescentes: uma abordagem sociodemográfica sobre diversidade e desigualdades
  • Por segunda transição demográfica entende-se uma nova etapa da história das populações humanas caracterizada pelo declínio das taxas de nupcialidade, aumento da prevalência de uniões consensuais, de divórcios e de nascimentos fora do casamento, bem como uma fecundidade abaixo do nível de reposição populacional (<2,1 filhos por mulher). A maioria dos estudos realizados no Brasil adotam uma perspectiva adultocêntrica dessas transformações. O que está acorrendo com os níveis de bem-estar de crianças e adolescentes à medida que se identificam traços de uma segunda transição demográfica no Brasil? A abordagem adotada visa documentar níveis de bem-estar de crianças e adolescentes inseridos nas diversas configurações familiares. Serão considerados como dimensões de análise: a erradicação do trabalho entre menores de 14 anos; autopercepção sobre estados depressivos e emocionais; frequência escolar e continuidade dos estudos em nível apropriado para a idade; iniciação sexual, entrada em união e início da trajetória reprodutiva ainda durante a menoridade; e os cuidados recebidos. A principal hipótese é de que os arranjos familiares que emergem na segunda transição demográfica impactam de forma distinta crianças e adolescentes procedentes grupos étnicos, estratos socioeconômicos e áreas geográficas diferentes. Por conseguinte, na ausência de políticas sociais, as disparidades entre crianças e adolescentes na base e no topo da pirâmide social devem se intensificar tal como já documentado para os Estados Unidos. A metodologia pauta-se em análises descritivas e multivariadas explorando as fontes de dados disponíveis: Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (2012-presente); Pesquisa Nacional de Saúde (2013 e 2019); Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (2015 e 2019); censos demográficos, entre outras. As análises considerarão diferenciais segundo sexo, raça/cor, grande região, faixa de renda domiciliar per capita e composição do domicílio de residência.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 13/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Joice Nunes Ferreira

Ciências Biológicas

Ecologia
  • peld-ras: monitoramento de longo-prazo da biodiversidade e funcionamento ecológico das florestas antropizadas do leste da amazônia
  • Contexto amplo: As florestas amazônicas são amplamente reconhecidas como um refúgio de biodiversidade e uma fonte vital de recursos naturais para toda a humanidade. Nos últimos anos, essas florestas têm sido ameaçadas por um número de fatores: desmatamento, degradação florestal (ex: exploração madeireira), aumento da temperatura, diminuição na precipitação e um aumento na frequência e intensidade de secas extremas e incêndios florestais. As mudanças climáticas também influenciam as populações tradicionais da Amazônia, cujos modos de vida dependem dos recursos naturais e do uso do fogo para sua subsistência. As interações entre distúrbios antrópicos em escala local combinados com mudanças climáticas graduais e extremas não somente ameaçam a biodiversidade e as florestas amazônicas, mas também os benefícios que trazem para a humanidade. O que já foi feito no PELD-RAS (fase-1): Nos últimos quatro anos, nós [a] geramos avanços na compreensão dos impactos da degradação florestal, publicando estudos nas melhores revistas científicas e ecológicas do mundo (e.g. Nature, Science, Global Change Biology); [b] expandimos nossa rede de colaborações ao fazer parcerias com outros grupos de pesquisa na Amazônia (incluindo PELD-POPA e PELD-TANG); [c] ajudamos no treinamento da próxima geração de pesquisadores da Amazônia, com estudantes interagindo com grupos de pesquisa multidisciplinares, internacionais e publicando em revistas (e.g. Ecology e Biotropica); [d] nvestimos com sucesso na divulgação dos resultasdos das pesquisas para o público em geral, tanto no Brasil quanto internacionalmente, e [e] influenciamos a tomada de decisões local, regional e nacional – por ex. influenciando diretamente o plano do estado do Pará para se tornar neutro nas emissões de carbono até 2035. Nossos objetivos na próxima fase: Nos próximos quatro anos, o PELD-RAS terá como objetivos (O) [O1] melhorar o entendimento da resiliência climática a longo prazo da biodiversidade e do funcionamento das florestas amazônicas, e [O2] auxiliar no desenvolvimento de estratégias – que sejam ecologicamente desejáveis e socialmente justas – para melhorar [i] a conservação da biodiversidade, [ii] a mitigação climática e [iii] os meios de subsistência das populações tradicionais que moram na região. Especificamente, nós iremos [a] monitorar as consequências a longo-prazo dos distúrbios antrópicos e climáticos nas florestas para a biodiversidade e processos ecológicos nas florestas da Amazônia em três regiões do leste da Amazônia no leste do Pará, cada uma correspondendo a um centro de endemismo diferente (CE): Santarém (Oeste do Pará; CE-Tapajós), Bragança (Nordeste do Pará, CE-Belém) e Marabá / Parauapebas (Sudeste do Pará; CE-Xingu). Este objetivo também avaliará quais fatores (por exemplo, intensidade da perturbação, perturbação anterior, contexto da paisagem) influenciam as trajetórias de recuperação pós-perturbação. Além disso, vamos [b] integrar o conhecimento científico com o conhecimento ecológico tradicional e as perspectivas de atores locais e regionais, a fim de promover o manejo sustentável e a resiliência climática de longo prazo das florestas na Amazônia. Isso será alcançado por meio do [c] fortalecimento de trabalhos de extensão e divulgação científica para a sociedade em geral; [d] usando abordagens inter- e intra-disciplinares para informar práticas de manejo mais sustentáveis aos fazendeiros, populações tradicionais, gestores florestais e assentados de reforma agrária; [e] capacitação de técnicos e cientistas brasileiros; e [f] contínuo engajamento para informar, com evidências científicas, as políticas ambientais no estado do Pará e no Brasil.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 20/12/2020-31/12/2024
Foto de perfil

Jonas Otaviano Praça de Souza

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • mudanças hidrológicas e modificações na dinâmica hidrogeomorfológica de rios intermitentes
  • O presente projeto de pesquisa visa aprofundar as discussões sobre como os impactos causados por grandes obras hídricas afetam a dinâmica hidrogeomorfológica de rios intermitentes no semiárido brasileiro. Observa-se, que intervenções como barramentos e projetos de transferência de água bruta – transposição entre bacias como o Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional (PISF), Cinturão das Águas do Ceará (CAC) – e barramentos afetam o regime e a conectividade hidrológica. Consequentemente, modificam a conectividade de sedimentos afetando a dinâmica hidrogeomorfológica dos rios intermitentes, visto que a morfologia desses é resultante de uma dinâmica hidrológica baseada em pulsos de vazão e longos períodos de seca. Dessa forma, a análise das modificações hidrológicas é a base para o entendimento das respostas hidrogeomorfológicas, comportamento e evolução desses canais. Ressalta-se que há diferentes cenários de mudanças hidrológicos, tais como: regularização da vazão com a diminuição dos períodos sem vazão, perenização e diminuição dos períodos sem vazão, diminuição das vazões e controle de cheias. Assim, é necessário entender as correlações entre impacto antrópico e mudanças hidrogeomorfológicas dessas intervenções, e assim identificar quais respostas irão ocorrer, informações estas que deveriam subsidiar os projetos de intervenção e gestão ambiental dessas áreas. Para realizar a análise serão escolhidos trechos em rios intermitentes da Paraíba e Ceará impactados por grandes infraestruturas hídricas (PB/CE), tais como o PISF, o projeto CAC e pela barragem do Castanhão. Será realizada a análise da dinâmica pregressa dos trechos a partir de sensoriamento remoto e dados climáticos e fluviométricos. Assim, eles serão caracterizados e monitorados a partir de análises e mapeamentos hidrogeomorfológicos, sensoriamento remoto, aerofotogrametria e dados climáticos e fluviométricos.
  • Universidade Federal da Paraíba - PB - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Jonas Rafael Becker Arenhart

Ciências Humanas

Filosofia
  • mecânica quântica e realidade: como obter uma imagem da realidade a partir da mecânica quântica
  • A mecânica quântica (MQ) nos traz importantes lições sobre a natureza da realidade. Todavia, a teoria sozinha não indica, de forma unívoca, como a realidade é; precisamos de ferramentas interpretativas para alcançar uma imagem da realidade de acordo com a teoria. Compreender as implicações da MQ para nossa imagem da realidade exige que se adote uma interpretação da teoria, que nos indica como deve ser o mundo se a teoria for verdadeira. Essas interpretações costumam invocar entidades como consciência, mundos possíveis, partículas com trajetórias ocultas, entre outras. Para que a imagem seja clara, alguns filósofos sugerem que essa descrição deve ser complementada com metafísica, a disciplina filosófica que tradicionalmente investiga a natureza de entidades como consciência, mundos possíveis, individualidade de partículas, entre outras. Ou seja, além da interpretação, se sugere que adicionemos uma camada de metafísica. Nesse projeto, investigaremos as possibilidades de sucesso em se conectar metafísica e MQ para se obter tal imagem da realidade. As dificuldades com essa conexão são enormes: a MQ, sozinha, não nos fala nada sobre a metafísica apropriada. A metafísica, se desvinculada da MQ, perde toda a chance de um contato com a realidade mediado pela MQ; de qualquer modo, ficamos sem uma imagem clara da realidade. Investigaremos mais especificamente a proposta de que a MQ, mesmo que não nos indique uma única teoria metafísica correta, dentre a variedade de teorias metafísicas disponíveis, pode nos sugerir que algumas delas estão equivocadas. De fato, a MQ coloca restrições severas a qualquer candidata a metafísica da realidade descrita pela teoria, e isso, vamos sugerir, pode restringir o número de opções disponíveis, por razões científicas. Buscaremos expor essas incompatibilidades que possuem origem na própria MQ. Teorias metafísicas tradicionais podem deixar de ser candidatas legítimas em algumas interpretações da MQ, sugerindo um cenário mais restrito das opções
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Jordana Grazziela Alves Coelho dos Reis

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • prospecção de novas moléculas com atividade antiviral e anti-inflamatória para o tratamento da covid-19
  • O mundo vive a quase dois anos uma pandemia sem precedentes associada a um novo Coronavirus, capaz de gerar doença letal, a COVID-19, representando desta forma ameaça constante a sociedade. Em contraste, permanecem escassas as alternativas terapêuticas para inibir a replicação viral e o processo inflamatório gerado por ele. Desta forma, a presente proposta se baseia na avaliação da atividade antiviral e anti-inflamatória de novos compostos para tratamento da COVID-19. Para tal, serão testados compostos modificados do Aminoadamantano, fármaco já utilizado no mercado como Amantadina para o tratamento de doenças degenerativas do sistema nervoso central e indicado para reposicionamento para o tratamento da COVID-19. Foi especulado que apesar de Amantadina ser um potencial antiviral in vitro, sua elevada IC50 seria impeditivo de seu uso como antiviral. Assim, no intuito de contribuir e melhorar a atividade da Amantadina, nosso grupo realizou modificações na molécula guiadas por análise in silico. Após síntese, realizamos experimentos in vitro em laboratório de nível de biossegurança 3 e verificamos que os novos derivados da Amantadina apresentam baixa citotoxicidade celular e têm potencial para inibir o SARS-CoV-2 em proporções 100 vezes maiores que a Amantadina. Desta forma, propomos realizar ensaios para avaliar atividade antiviral e anti-inflamatória dos novos derivados do Aminoadamantano in vitro e in vivo em modelos experimentais humanizados adaptados para SARS-CoV-2. Propomos também estudar os mecanismos de inibição da biossíntese viral por meio de avaliação de expressão de genes antivirais, avaliação da atividade enzimática de proteases como a catepsina L importantes para o vírus, bem como por estudo de docking molecular e por microscopia de transmissão. Acreditamos que esta proposta irá contribuir com alternativas terapêuticas para o enfrentamento da pandemia de COVID-19, que representa o maior desafio vivido pela humanidade no início do século XXI.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Jorge Alberto Soares Tenório

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • recuperação de tântalo e nióbio a partir de fontes secundárias
  • A busca por uma sociedade mais sustentável com o uso de fontes renováveis de energia fez com que a oferta de alguns materiais não atender a futura demanda. Dentre estes metais, o tântalo e o nióbio tem chamado a atenção devido as suas aplicações tecnologias da informação e comunicação (ICTs), baterias, produção de energia eólica, drones e aviões para usos militares, setor aeroespacial, ligas metálicas mais leves e impressoras 3D. Hoje, os maiores produtores de tântalo são China e países da África, e no caso do nióbio é o Brasil. Com o crescimento populacional e a globalização contribuem para o aumento da geração de resíduos sólido. Aliado a isso, os acidentes de Mariana (2015) e Brumadinho (2018) deram um sinal de alerta para os resíduos de mineração. Assim, o uso de resíduos de mineração como fontes secundárias de tântalo e nióbio poderão atender a demanda por estes metais e ainda usar resíduos como fontes secundárias. Desta forma, o presente tem por objetivo o estudo de resíduos de mineração como fontes secundárias de tântalo e nióbio. Os materiais serão caracterizados para determinar a composição química, mineralógica e física. Técnicas de lixiviação serão estudadas para solubilizar os metais, tais como lixiviação direta, fusão alcalina e sulfatação seguidas por lixiviação. Técnicas de purificação e separação serão estudadas para obter óxidos puros de tântalo e nióbio. A análise de viabilidade técnica será realizada por software de simulação de processo. Como há pouca ou quase inexistente literatura sobre o assunto, haverá desenvolvimento tanto teórico quanto prático a partir deste projeto. O projeto deverá atender os Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável da ONU, de acordo com a análise final do projeto.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 24/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Jorge Barbosa Soares

Engenharias

Engenharia Civil
  • uso de ciência de dados/inteligência artificial para o entendimento do efeito da umidade na evolução dos defeitos dos pavimentos asfálticos
  • A perda de adesividade agregado-ligante e a umidade são descritas na literatura como fatores de influência na vida útil dos pavimentos asfálticos. Porém, os mecanismos de deterioração devido à perda da adesividade e à umidade ainda são pouco explorados quanto à vida de fadiga e à deformação permanente de misturas asfálticas, bem como para o caso dos revestimentos do tipo tratamento superficial. Isso é um obstáculo técnico-científico para a infraestrutura rodoviária e dificulta a otimização de materiais desde a nanoescala (modificadores de ligantes e de superfície de agregados) até a macroescala – rodovias. Embora métodos de dimensionamento mecanístico-empíricos, como o novo método de dimensionamento nacional (MeDiNa), tragam a robustez da mecânica dos pavimentos em relação ao método empírico em vigor no Brasil, eles ainda precisarão de muitos dados de campo nos próximos anos. Esses dados (temperatura, tráfego, pluviometria e defeitos) são gerados em grande volume, e se faz necessário o uso da ciência de dados para extrair informações importantes e gerenciáveis. Nos próximos anos, as funções de transferência campo-laboratório deverão inserir temperatura e pluviometria em análises, o que por um lado trará um novo entendimento da deterioração dos pavimentos e por outro a necessidade de usar ferramentas computacionais robustas para analisar o grande volume de dados. Novas metodologias de detecção de defeitos serão ferramentas de impacto positivo no dimensionamento dos pavimentos de alto e baixo volume de tráfego. Nesse sentido, o objetivo geral deste projeto é investigar os efeitos da adesividade agregado-ligante e da umidade no dimensionamento de pavimentos asfálticos com o uso de ciência de dados. Espera-se atingir resultados técnico-científicos e auxiliar na formação de recursos humanos, tanto na graduação em Engenharia Civil, quanto na Pós-Graduação em Eng. de Transportes da UFC e dos demais programas parceiros, na UFC e nas universidades colaboradoras.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Jorge Elias Kalil Filho

Ciências Biológicas

Imunologia
  • inct de investigação em imunologia
  • O Instituto de Investigação em Imunologia(iii), inicialmente criado como um Instituto do Milênio em 2001, atua em doenças Infecciosas, HIV/AIDS, alergias, doenças autoimunes, transplantes e imunodeficiências primárias. Estas enfermidades, com forte componente imunológico, constituem problemas de saúde que afetam milhões de pessoas em nosso País e no mundo. Além da relevância sócio-econômica, estas doenças são também modelos biológicos importantes, pois permitem avançar no conhecimento de mecanismos fisiopatológicos, possibilitando o desenvolvimento de estratégias terapêuticas orientadas pela fisiopatologia. A Imunologia foi pioneira no desenvolvimento e uso de biofármacos. A expansão do arsenal de anticorpos monoclonais e proteínas recombinantes comercializados requer compreensão das causas e mecanismos das doenças-alvo, para o desenvolvimento de terapias inovadoras. Acreditamos que uma abordagem global e integrada que inclua ferramentas clínicas, moleculares, informáticas, de biologia de sistemas e epidemiológicas seja necessária para encontrar novas soluções para essas questões. Precisamos de conhecimento integrado e mais abrangente para inovar no desenvolvimento de novas vacinas, nas imunoterapias para rejeição dos transplantes, nas doenças infecciosas e suas sequelas, nas doenças autoimunes, e nas alergias e imunodeficiências. O iii propõe desenvolver pesquisa de tradução visando testar, em seres humanos, as estratégias inovadoras desenvolvidas na experimentação. Nas três etapas anteriores do iii, formamos recursos humanos e criamos instalações para o desenvolvimento de rotas tecnológicas. Isto nos permitiu caminhar do reconhecimento da doença para a descoberta de mecanismos patogênicos, passando para o desenho de biofármacos baseados nestes mecanismos e chegar a testes em modelos animais, criando um portfólio de novos imunobiológicos. Durante a terceira fase do iii, formamos 42 mestres, 82 doutores e 21 pós-doutores, gerando 468 publicações, aprimoramos nosso portfólio de produtos em desenvolvimento, obtivemos patentes e financiamentos para os ensaios clínicos que estão por iniciar. Continuaremos a pesquisa de tradução nas diversas áreas temáticas, com foco especial na produção e testes clínicos dos produtos de nosso portfólio. Em autoimunidade, vamos avançar o projeto da vacina candidata contra o S. pyogenes e a febre reumática, realizando os primeiros estudos clínicos fase I/IIa com o nosso já patenteado produto, além de avaliar seu papel terapêutico. Também testaremos imunomoduladores (probióticos naturais ou recombinantes) na doença inflamatória intestinal. Tais probióticos também serão testados no transplante e em doenças infecciosas como a leishmaniose, transplante e o HIV/AIDS. Planejamos vários estudos sobre a patogênese da infecção pelo HIV e a AIDS, e meios de auxiliar no tratamento, com estratégias que atuem no sistema imune. Concluiremos os ensaios pré-clínicos em primatas, qualificando-nos, assim, para realizar o primeiro estudo clínico fase I com a nossa vacina profilática candidata contra o HIV, também já patenteada. Essas duas vacinas – contra o S. Pyogenes e contra o HIV – foram totalmente concebidas por pesquisadores brasileiros do iii. Continuaremos os estudos de imunologia celular e molecular da patogenia das imunodeficiências primárias. Testaremos novas abordagens para prevenção/tratamento da leishmaniose tegumentar e visceral e, na Dengue, realizaremos uma inovadora varredura de anticorpos neutralizantes, com implicações para o conhecimento da patogenia e tratamento da doença, incluindo teste de terapia genética com tais anticorpos. Investigaremos potenciais mecanismos da tolerância operacional no transplante humano; Estudaremos a atividade imunorreguladora do anticorpo anti-CD3 humanizado, e iniciaremos estudos sobre as células T reguladoras humanas, visando uso em terapia celular, além do anticorpo monoclonal humano anti-toxóide tetânico, para uso em terapia. Nas alergias, estudaremos novos alérgenos de importância no Brasil, buscando também novas mutações associadas à alergia, a interferência do parasitismo por A. lumbricoides na asma, e avaliação de reatividade cruzada entre alérgenos. Aliado à pesquisa de tradução, continuaremos a investir na formação de estudantes, compartilhando saberes e na capacitação para o trabalho em rede. Para potencializar o trabalho em rede e o treinamento de pessoal, desenvolvemos plataformas - Proteômica, Epidemiologia e Ensaios Clínicos, Produção de Imunobiológicos, Bioinformática, Qualidade e Ensino e Interação com a Sociedade - que possibilitam o funcionamento matricial com as diferentes áreas temáticas. Nesta nova fase do iii, incluímos três eixos conceituais à sua estrutura matricial - imunorregulação, microbiomas e biologia de sistemas. Esses potencializarão a integração transversal entre as diferentes áreas temáticas, estimulando colaborações, dentro de uma visão mais integrada dos processos patológicos e fisiológicos. Visando somar forças para resolver gargalos ainda em aberto, incorporamos no iii jovens cientistas, ex-alunos do iii. Acreditamos que a Ciência pode ter um papel importante também na educação básica e na construção de cidadania mais ativa. O iii inclui na sua missão desenvolver projetos educacionais relacionados à ciência, imunologia e saúde com professores e estudantes da rede pública, assim como com a população de áreas endêmicas para as doenças em que trabalhamos, estimulando a curiosidade e despertando a vocação pela ciência. Ademais, o iii se atua na comunicação/difusão do conhecimento científico junto à sociedade, contribuindo para a aproximação da sociedade do mundo da ciência. Na configuração atual, o iii compõe uma rica combinação de indivíduos capaz levar os produtos criados pelo instituto para aplicação clínica, gerar novos conhecimentos, novos produtos e contribuir para as políticas públicas, em sintonia com a sua missão de elevar a imunologia brasileira a padrões internacionais.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 23/11/2016-30/11/2024
Foto de perfil

Jorge Elias Kalil Filho

Ciências Biológicas

Imunologia
  • estudo clínico de fase i / ii escalonado, randomizado, duplo-cego e placebo controlado para avaliar a tolerabilidade, segurança e imunogenicidade da vacina brasileira anti covid-19 em adultos saudáveis.
  • Vacinas intranasais com vírus influenza não replicante, e de nanoparticulas expressando a proteína RBD e peptídeos antigênicos do SARS-CoV2 em dose única desencadearão resposta imune sistêmica e de mucosa, mediada tanto por linfócitos T quanto anticorpos neutralizantes. Esta resposta será potencializada com boost heterólogo.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 02/11/2020-02/11/2022
Foto de perfil

Jorge Luiz Cunha Cardoso Filho

Ciências Sociais Aplicadas

Comunicação
  • corpos da cena/em cena: imagens estético-políticas realizadas em coletividade no recôncavo da bahia e na grande são paulo
  • Processos sociohistóricos ocorridos nas duas últimas décadas - da ampliação do acesso ao ensino superior e a descentralização das universidades públicas aos avanços tecnológicos que produziram a democratização nas formas de realização audiovisual e a expansão das redes sociais digitais – fizeram emergir sujeitos oriundos de contextos minoritários que passaram a reivindicar o direito de se narrar, rasurando as paisagens hegemônicas do sensível. No caso da produção audiovisual pós-industrial, essas rasuras se dão no nível estético, discursivo e institucional: pessoas negras, mulheres, indígenas, migrantes, periféricas e dissidentes de gênero e sexualidade ocupam hoje diversos espaços de circulação com imagens com desejo de intervenção social, de disputa por visibilidade e de superação de imaginários datados que contribuíram para perpetuar historicamente posições de assujeitamento e a reificação de violências estruturais. Este projeto pretende mapear audiovisuais produzidas por coletivos localizados nos territórios do recôncavo da Bahia e da grande São Paulo, em diferentes formatos e gêneros narrativos, que façam emergir corpos e imaginários estético-políticos tradicionalmente invisibilizados, a fim de compor um banco de dados público em um site bilíngue, a ser construído durante a vigência do projeto. Tomando por base as cooperações já estabelecidas entre os pesquisadores na relação entre a UFRB e a ESPM, desde 2018, quando coordenaram pela primeira vez o Grupo de Pesquisa Estéticas, Políticas do Corpo e Gêneros da INTERCOM, o projeto promoverá a consolidação da parceria interinstitucional por meio de ações de mobilidade de estudantes e professores, oferta de disciplina conjunta de pós-graduação em modalidade remota, realização de simpósio para apresentação de resultados, publicação de artigos em periódicos científicos (nacionais e internacionais) e livro coletânea com os resultados finais da pesquisa.
  • Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - BA - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Jorge Otávio Trierweiler

Engenharias

Engenharia Química
  • unidades modulares autônomas e intensificadas de pirólise rápida e microalgas
  • A ideia básica das biorrefinarias descentralizadas é a combinação de Unidades Modulares Autônomas e Intensificadas (UMAIS) com capacidade de processamento diário de até 10 toneladas operadas próximas onde os resíduos ou biomassas estão localizadas. Essas unidades modulares são orquestradas em rede através de uma central de monitoramento remoto, responsável pelo acompanhamento operacional, assistência técnica e logística de toda a operação e produção. No entorno da central, orbitam 30 a 40 unidades distribuídas em um raio de 150 km de distância da central. Os módulos de produção que estão sendo desenvolvido são totalmente automatizados e operados de forma semiautônoma, requerendo apenas uma mão-de-obra local não especializada. Esse projeto visa contribuir para o desenvolvimento de duas UMAIS, baseadas nas: (a) Plataforma Termoquímica através dos processos de Pirólise Rápida e Torrefação envolvendo pós-processamento catalítico para aprimorar a qualidade do bio-óleo. Aqui será desenvolvida uma unidade móvel que servirá de piloto para o aumento de escala e demonstração. Essa unidade visa processar os mais variados resíduos que vão desde resíduos agrícolas (p.ex., casca de arroz, folhas, galhos e cascas de eucalipto, bagaço de cana de açúcar etc.) a resíduos urbanos (p.ex., plásticos, restos de comida, cascas de cocos, espigas de milho etc.) e (b) Biorremediação de efluentes a partir de microalgas. O terceiro desenvolvimento será o estudo da logística, modelo de negócio e viabilidade econômica da proposta. A unidade móvel poderá ser facilmente transportada através de um reboque para ilustrar o funcionamento in loco onde os resíduos se encontram demonstrando tanto o acesso remoto como a viabilidade do modelo de negócio proposto. Os fotobiorreatores serão instalados na FURG e remotamente operados na UFRGS demonstrando os sensores óticos desenvolvidos para acompanhar o crescimento das microalgas. Detalhes veja no vídeo: https://youtu.be/-jts0g2lJUc
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 15/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Jorge Renato de Souza Verschoore Filho

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • modelo de governança de rede para a adoção de tecnologias habilitadoras no contexto da indústria da saúde
  • A fim de lidar com seus inúmeros e complexos desafios, a indústria da saúde tem se estruturado em redes colaborativas envolvendo múltiplos atores como órgãos públicos, hospitais públicos e privados, operadoras de planos de saúde, farmacêuticas, clínicas e laboratórios. Paralelamente, o setor vem passando por significativas mudanças à medida que os atores incorporam novas tecnologias como inteligência artificial e blockchain. Essas tecnologias atuam como impulsionadoras da interação e da colaboração em rede, mas também reforçam a necessidade da coordenação dos esforços coletivos. O fluxo de informações e a eficiência na prestação de serviços demandam ainda a garantia do sigilo e do uso correto dos dados dos usuários. Nesse contexto, o presente projeto busca responder a seguinte pergunta de pesquisa: como realizar a governança de redes colaborativas na indústria da saúde, com o apoio de tecnologias habilitadoras e respeito aos interesses dos usuários? A resposta a essa pergunta contribuirá para potencializar a colaboração interorganizacional na indústria da saúde no Brasil. O setor afeta diretamente a vida dos cidadãos e representa gastos públicos e privados na ordem de 9% do PIB, indicando sua relevância e criticidade para o país. O projeto também contribuirá para a discussão teórica emergente sobre o papel das tecnologias habilitadoras como impulsionadoras da colaboração e da coordenação dos esforços em rede. O estudo será executado em duas grandes etapas. Na primeira etapa, serão realizados estudos de caso sobre a formação e a governança de iniciativas conjuntas de enfrentamento da pandemia de coronavírus e de atendimento à saúde. Entre elas, se destaca o projeto Minha Saúde Digital, que integra dados clínicos de pacientes em um sistema baseado em blockchain e OpenEHR. Na segunda etapa, será adotada a metodologia de design de interação para propor um artefato de governança de rede que forneça suporte às relações entre organizações e máquinas na indústria da saúde.
  • Universidade do Vale do Rio dos Sinos - RS - Brasil
  • 06/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Jorge Tiago Bastos

Engenharias

Engenharia de Transportes
  • estudo naturalístico de direção brasileiro
  • Há um consenso na literatura sobre a predominância do fator humano na ocorrência dos sinistros de trânsito, seja isoladamente ou em conjunto com fatores viário/ambientais e veiculares. As metodologias mais difundidas para investigações sobre fatores de risco relacionados ao comportamento humano são geralmente baseadas em questionários, grupos focais ou mesmo em simuladores de direção. Contudo, tais procedimentos apresentam limitações relacionadas à memória do respondente, ao viés do que é socialmente aceitável como resposta ou à dificuldade de reproduzir circunstâncias reais de condução. Os Estudos Naturalísticos de Direção, ou Naturalistic Driving Studies (NDS), têm sido desenvolvidos internacionalmente desde os anos 2000 como uma metodologia capaz de avaliar a tarefa real de condução mediante a instrumentação do veículo do condutor. No Brasil, uma iniciativa pioneira com 30 condutores foi desenvolvida entre 2019 e 2021, o Estudo Naturalístico de Direção Brasileiro (NDS-BR), em que se validou uma solução de baixo custo para a coleta de dados naturalísticos. Esta pesquisa tem por objetivo produzir indicadores de desempenho da segurança viária associados ao comportamento dos condutores brasileiros com ênfase em fatores humanos e viário/ambientais a fim de orientar o planejamento de ações relacionadas ao excesso de velocidade, uso do telefone celular e interação com pedestres e ciclistas. A investigação de tais comportamentos é uma estratégia fundamental para a gestão dos riscos no trânsito adequada às características do cenário urbano brasileiro. A metodologia envolve a continuidade da execução do NDS-BR, com uma amostra adicional de 80 condutores (totalizando 110), cujas etapas incluem a instrumentação do veículo do condutor participante, a coleta de dados (monitoramento do condutor), tratamento e conversão dos dados, codificação de comportamentos, uso de ferramentas de análise espacial e aplicação de análises estatísticas.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 09/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

José Albertino Rafael

Ciências Biológicas

Zoologia
  • diversidade de insetos com ênfase no bioma amazônico brasileiro
  • O Brasil é o país com a maior biodiversidade do mundo e assume papel preponderante no compromisso em favor do seu conhecimento, conservação e sustentabilidade. Na atual conjuntura de mudanças climáticas e alterações antrópicas é essencial conhecer as espécies antes que desapareçam e, no Brasil, existem milhares de espécies ainda desconhecidas, especialmente entre os insetos, um mundo a ser descoberto e explorado. Infelizmente, o conhecimento desta imensa riqueza está muito aquém do desejado, particularmente na Amazônia, por falta de recursos financeiros e humanos. O desafio em busca de acelerar o descobrimento de espécies é necessário e urgente, utilizando a taxonomia integrativa que envolve diferentes fontes de evidência para solucionar problemas taxonômicos. Neste sentido, a formação de uma equipe multi-institucional e multitaxonômica visa agregar e consolidar esforços em prol da quantificação e qualificação da diversidade de insetos, preenchendo lacunas taxonômicas básicas, fundamentais para inferências mais aprofundadas nas áreas de sistemática, ecologia e biogeografia. A disponibilidade de material biológico é uma evidência da plausibilidade desta proposta, atendendo o que é requerido e cobrado cada vez mais pela sociedade: o incremento do conhecimento e preservação da nossa biodiversidade. São informações que serão utilizadas pelos biólogos, professores, pesquisadores, conservacionistas, legisladores, políticos e administradores, imprescindíveis para políticas públicas de gestão e conservação da biodiversidade. O material será analisado e identificado por especialistas e estudantes envolvidos, mas sem excluir colaborações prévias e a possibilidade de outros especialistas participarem, a qualquer tempo. É uma proposta louvável no sentido de protagonizar a formação e fixação de recursos humanos, além de contribuir para atualizações do Catálogo Taxonômico da Fauna do Brasil e para o desenvolvimento científico e tecnológico do País.
  • Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - AM - Brasil
  • 16/05/2022-31/05/2025
Foto de perfil

Jose Alexandre Felizola Diniz Filho

Ciências Biológicas

Ecologia
  • ecologia, evolução e conservação da biodiversidade
  • O INCT em Ecologia, Evolução e Conservação da Biodiversidade (EECBIO) reunirá especialistas nas principais áreas de pesquisa em biodiversidade, consolidando uma rede de pesquisa e formação de recursos de excelência. A compreensão dos padrões e processos relativos à origem e manutenção da diversidade biológica, em diferentes escalas espaciais e em diferentes níveis da hierarquia biológica, permite que sejam adotadas medidas adequadas para sua conservação, o que, em última instância, é fundamental para o desenvolvimento humano. Assim, a missão do EECBIO é a de se tornar uma referência internacional nas diferentes áreas metodológicas e teóricas para análise da biodiversidade e sua conservação, unificando experiências globais anteriores que mostram a importância de interação entre pesquisadores para inovar e definir novas direções de pesquisa e intervenção. A equipe do ECCBIO é formada por 103 docentes e pesquisadores oriundos de 30 instituições de ensino superior e pesquisa do Brasil, com atuação nas diferentes áreas de conhecimento envolvendo biodiversidade e amplamente distribuídas no Brasil. Desse total, 57 são bolsistas de produtividade do CNPq (incluindo 27 PQ nível 1 (7 PQ1A) e 30 PQ2;). Além disso, estão incluídos 27 pesquisadores de 14 países, destacando pesquisadores que já possuem forte interação com a equipe nacional e/ou pesquisadores de destaque nas linhas do EECBIO, e que podem gerar novas interações importantes. Há apoio formal de colaboração institucional com 3 centros importantes da África do Sul, Dinamarca e Alemanha. Em termos de área de pesquisa, o EECBIO tem por objetivo a avaliação dos aspectos teóricos relativos a padrões e processos biológicos, o desenvolvimento e teste de métodos inovadores para a obtenção de dados e análise estatística-computacional para melhor compreender padrões e processos relativos à biodiversidade, bem como a utilização dessas informações para desenvolver estratégias ótimas para sua conservação em diferentes escalas. As atividades do Instituto estão organizadas em três grandes linhas de pesquisa, cujas ações são interligadas. A primeira delas (PADRÕES DE DIVERSIDADE EM DIFERENTES NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO E ESCALAS DE TEMPO E ESPAÇO) englobará os projetos relativos à análise de padrões de diversidade em diferentes escalas e níveis hierárquicos. Isto inclui desde padrões de estrutura genética entre populações e padrões filogeográficos ao longo das distribuições geográficas das espécies até os padrões de diversidade de espécies em múltiplas escalas (local, regional e global), bem como sua decomposição em variação na riqueza e composição mensurada a partir de dados de espécies e suas relações filogenéticas e funcionais. A segunda linha (ADAPTAÇÃO, EVOLUÇÃO DO NICHO ECOLÓGICO E MUDANÇAS CLIMÁTICAS) pretende avaliar os processos adaptativos e o nicho ecológico das espécies, com foco especial na partição dos componentes neutros e adaptativos em diferentes escalas. Nessa linha, as análises de biodiversidade deverão enfocar novos desenvolvimentos tecnológicos na análise de adaptação e estresse ambiental por meio de análise genômica, bem como a integração de conhecimentos entre ecofisiologia, respostas às mudanças climáticas e evolução do nicho por meio de novos métodos filogenéticos comparativos. Finalmente, na terceira linha (PLANEJAMENTO EM CONSERVAÇAO E USO SUSTENTÁVEL DA BIODIVERSIDADE) todos esses conhecimentos serão integrados no contexto de conservação e desenvolvimento humano, utilizando novas metodologias de análise para delinear estratégias ótimas para conservação dos padrões e processos investigados nas linhas 1 e 2. Essa análise integrativa levará em consideração as questões relativas ao desenvolvimento humano e manutenção de atividades socioeconômicas, notadamente as relacionadas à agricultura, pecuária e demais atividades humanas, assim como a conservação dos serviços ecossistêmicos. Os projetos de pesquisa nas diferentes linhas serão apresentados em reuniões periódicas e financiados com recursos do INCT em três ciclos de discussão/avaliação ao longo de seis anos. Além disso, a fim de alcançar esses objetivos de pesquisa e consolidar a posição do Brasil como uma referência mundial nas linhas de pesquisa delineadas acima, o EECBIO deverá adotar uma série de estratégias como, por exemplo, a realização de grupos de trabalhos temáticos, para reunir os especialistas do Brasil e de outros países a fim de subsidiar o desenvolvimento das atividades das linhas de pesquisa definidas acima, em um modelo semelhante ao utilizado no NCEAS (National Center for Ecological Analysis and Synthesis), NESCent (National Evolutionary Synthesis Center), iDiv (German Centre for Integrative Biodiversity Research), CEBC (Centre for Evidence-Based Conservation), dentre outros. Vale destacar que grandes desafios científicos e práticos, relacionados com o tema biodiversidade, têm sido avaliados de forma bem sucedida por esses centros. Ainda, pode-se inferir que o sucesso desses centros de pesquisa pode ser atribuído, em grande parte, ao trabalho em cooperação realizado por pesquisadores. Além de se basear nas melhores práticas desses centros (e.g. avaliação de questões de interesse geral, trabalho fundamentalmente cooperativo, compartilhamento e síntese de dados, desenvolvimento de métodos computacionais, formação de recursos humanos altamente qualificados), a proposta do EECBIO também será voltada para o teste, aprimoramento e desenvolvimento de métodos de coletas de dados primários. Espera-se que, ao longo desse processo, sejam formados estudantes em diferentes níveis, desde graduação ao pós-doutorado, em um contexto de pesquisa de ponta e com forte inserção internacional. Ao mesmo tempo, o EECBIO deverá investir em uma maior divulgação de suas atividades e realizar ações que visem diminuir desigualdades sociais em termos de educação científica, tanto no Brasil quanto em relação a outros países, especialmente os de língua portuguesa na África(começando com Moçambique)
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 26/11/2016-30/11/2024
Foto de perfil

José André de Moura Brito

Engenharias

Engenharia de Produção
  • métodos de otimização aplicados a problemas de estatística: melhorando a eficácia e a eficiência no levantamento e divulgação das estatísticas oficiais
  • Atualmente, o IBGE trabalha com a resolução aplicações estatísticas associadas a problemas computacionais difíceis, que aparecem nas fases de planejamento e divulgação das estatísticas obtidas via pesquisas amostrais e censos. Para resolver tais problemas, serão propostos métodos que produzam soluções robustas, traduzidas em estatísticas oficiais de qualidade e baixo custo para governos etc. De forma garantir/melhorar a eficácia e a eficiência em relação a produção dessas estatísticas, serão estudados tópicos relativos à estatística e otimização, formando arcabouço metodológico para atingir tal objetivo. Serão abordadas duas aplicações na área de amostragem, associadas a problemas de agrupamento derivados da adoção de amostragem estratificada: agrupamento de setores censitários e de unidades primárias de amostragem. A qualidade das estatísticas utilizadas, por exemplo, pelos governos no planejamento de políticas públicas, depende de resolução satisfatória e rápida desses problemas; algo garantido via aplicação de métodos de otimização. Em uma pesquisa, ao adotar-se a amostragem estratificada, produz-se, com menor tempo e custo, melhores estatísticas, sendo a eficácia da estratificação decorrente do grau de homogeneidade dos estratos. A hipótese é que é possível obter estratos mais homogêneos aplicando-se métodos de otimização. Análises provenientes de diversas pesquisas realizadas, via amostragem estratificada, mostram ganho de eficiência e eficácia em detrimento a outras pesquisas baseadas amostragem simples; fato corroborado a partir da leitura de vários artigos, mostrando, via experimentos robustos, que a estratificação, quando bem realizada, traz ganhos relevantes. Como macro etapas do projeto, serão realizadas revisão bibliográfica relativa ao tema do projeto, estudo de tópicos de análise de agrupamentos, amostragem, estatística e otimização, possibilitando desenvolver algoritmos paralelizados, fazer análise teórica e computacional dos resultados.
  • Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - RJ - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Jose Angel Alvarez Perez

Ciências Agrárias

Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca
  • subsídios científicos para o manejo espacial e com enfoque ecossistêmico da pesca demersal nas regiões sul e sudeste do brasil
  • O projeto propõe a estruturação de um programa de investigação científica e tecnológica voltado à geração de conhecimento aplicável ao processo de ordenamento dos recursos pesqueiros demersais das regiões Sul e Sudeste do Brasil. O programa terá duração de quatro anos e será subdividido em etapas multidisciplinares a serem executadas por uma rede de pesquisadores/ instituições nacionais e internacionais, atuantes na gestão e no estudo da pesca demersal em seus diversos aspectos, incluindo: dinâmica das frotas pesqueiras, economia pesqueira, tecnologia pesqueira, biologia de recursos pesqueiros, avaliação de estoques, impactos ecossistêmicos da pesca e manejo. Como principal aspecto centralizador, o programa subsidiará a construção de um ‘Modelo Espacial de Gestão’, com enfoque ecossistêmico, que (a) racionalize a distribuição do esforço de pesca na região, reduzindo os impactos negativos da pescaria sobre os recursos, sobre as espécies acompanhantes e sobre o meio, (b) busque a sustentabilidade biológica, econômica e social das pescarias, e (c) permita conciliar a gestão da pesca demersal dessa região com outras atividades antrópicas (e.g. navegação, indústria do petróleo, áreas de conservação) num contexto de planejamento do uso do espaço marinho brasileiro. Através da execução destas etapas, o programa visa também instrumentalizar o Subcomitê Científico (SCC), do Comitê Permanente de Gestão e do Uso Sustentável de Recursos Demersais Sudeste e Sul - CPG Demersais Sudeste e Sul.
  • Universidade do Vale do Itajaí - SC - Brasil
  • 10/02/2016-31/10/2022
Foto de perfil

Jose Antonio Eiras

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • materiais multiferroicos com forte acoplamento magnetoelétrico
  • Devido às promissoras aplicações potenciais em tecnologias spintrônicas, materiais multiferroicos com forte acoplamento magnetoelétrico (ME) vêm recebendo crescente atenção da comunidade científica. Produzir materiais multiferroicos à temperatura ambiente, é o maior desafio e o objetivo final para as áreas de ciência e física de materiais. Neste projeto serão estudados materiais multiferroicos, com forte acoplamento magnetoelétrico à temperatura ambiente. Ações voltadas à síntese, caracterização, fenomenologia e controle de propriedades serão efetuadas em conjunto com as equipes Chinesa e Russa, em um processo dinâmico de cooperação científica, acadêmica e tecnológica, voltado para o aprimoramento das habilidades científicas dos participantes da proposta, para a troca de experiências e expertises, e para a complementação de competências e habilidades, concomitantemente com a formação de recursos humanos. Temas como o entendimento da física, o modelamento e simulação, o processo de preparação e o controle das propriedades de materiais multiferroicos monofásicos, com forte acoplamento ME, serão estudados com base na modulação de simetria, controle da interação de Dzyaloshinskii-Moriya (DM), controle da inclinação de octaedros de oxigênio, controle e modulação de estrutura de domínios e controle, sintonização e aprimoramento microestrutural em perovskitas e óxidos relacionados, serão conjunta- e profundamente investigados. Espera-se que o presente projeto estabeleça uma base para a aplicação prática de materiais magnetoelétricos em dispositivos avançados. O presente projeto é composto por três subprojetos: 1) Cerâmicas monofásicas multiferroicas baseadas em ferroeletricidade híbrida (HIF) e ferroeletricidade geométrica (este subprojeto será realizado pela equipe chinesa); 2) Materiais monofásicos multiferroicos baseados na interação Dzyaloshinskii – Moriya e no acoplamento orbital de spin e suas transições de fase e estruturas de domínio (este subprojeto será realizado pela equipe russa) e 3) Cerâmicas monofásicas multiferroicas nanoestruturadas, monocristais e heteroestruturas com estrutura perovskita (este subprojeto será realizado pela equipe brasileira). O projeto cooperativo será iniciado por meio da realização de vídeo conferências entre os coordenadores gerais do projeto (equipes brasileira, russa e chinesa), nas quais assuntos afetos ao projeto serão abordados e elencados por esses pesquisadores. Com essas ações preliminares serão identificados e especificados, pontos de contato e interesse científico comum, desafios e oportunidades de cooperação científica e tecnológica entre a equipe brasileira e as equipes estrangeiras, além da identificação de competências complementares àquelas da equipe brasileira.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 08/08/2019-30/11/2023
Foto de perfil

Jose Antonio Eiras

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • materiais ferroicos fotovoltaicos nanoestruturados: síntese, propriedades, fenomenologia e aplicações.
  • A utilização de energia de fontes não convencionais e renováveis, como a solar, é uma área estratégica do ponto de vista científico, tecnológico, econômico e ambiental. A energia solar pode ser reaproveitada com a utilização de dispositivos fotovoltaicos. Pesquisas recentes visam primordialmente o aumento da eficiência dos dispositivos fotovoltaicos, que potencialmente pode ser obtida em materiais multiferroicos. O efeito fotovoltaico (EF) considera dois processos básicos: a geração fotoinduzida de um par elétron-buraco e a separação de elétrons e buracos. Conversores fotovoltaicos de materiais multiferroicos, diferente dos semicondutores clássicos, apresentam um campo elétrico intrínseco, que promove separação dos portadores fotoinduzidos. Neste projeto propomos o desenvolvimento de novos materiais ferroicos (ferroelétricos e multiferroicos) visando aumentar a eficiência de conversão fotovoltaica em captadores de energia solar. Materiais ferroicos nanoestruturados serão investigados na forma de nanoestruturas bi- ou tridimensionais, monofásicas ou compósitos, com o domínio da síntese e entendimento das relações estrutura/propriedades (alta polarização espontânea e “band gap” na região do espectro visível). As atividades serão desenvolvidas por meio de uma abordagem experimental (síntese, processamento e caracterizações), fenomenológica (correlação estrutura/propriedades) e testes em protótipos. O campo elétrico intrínseco em multiferroicos permite gerar tensões (VF), nos eletrodos, superiores ao “band gap”. Altas VFs e adequado “band gap” serão os principais focos para aumentar a eficiência fotovoltaica nesses materiais. Para o desenvolvimento, com sucesso, das pesquisas contamos com uma Equipe interinstitucional (seis instituições), com competências complementares e que interage há anos. Esforços serão envidados no sentido de promover a divulgação, o engajamento e a formação de recursos humanos.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Jose Antonio Marengo Orsini

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • inct para mudanças climáticas (inct-mc)
  • O novo Programa INCT Mudanças Climáticas tem como objetivo implementar e desenvolver uma rede global de pesquisa interdisciplinar sobre a mudanças globais e sustentabilidade. Baseia-se na cooperação entre cerca de 30 grupos de pesquisa de todas as regiões do Brasil e quatro grupos de pesquisa internacionais, envolvendo na sua totalidade mais de 200 pesquisadores, estudantes e técnicos e estabelecendo-se como uma das maiores redes de pesquisa ambiental no Brasil. O programa consiste em seis linhas temáticas (ou subcomponentes): 1. Segurança alimentar; 2. Segurança hídrica; 3. Segurança energética; 4. Saúde; 5. Desastres naturais, impactos sobre a infraestrutura física em áreas urbanas e de desenvolvimento urbano; 6. Impactos nos ecossistemas brasileiros, tendo em vista as mudanças no uso da terra e da biodiversidade. Essas subcomponentes estão interligadas por três temas integradores (ou transversais): 1. Economia e impactos em setores-chave; 2. Modelagem do sistema terrestre e produção de cenários climáticos futuros para estudos de Vulnerabilidade-Impactos-Adaptação-Resiliencia para Sustentabilidade (VIARs) 3. Comunicação, disseminação do conhecimento e educação para a sustentabilidade. Os temas integradores permitirão que os impactos das mudanças globais possam ser avaliados do ponto de vista econômico, utilizando-se projeções de clima futuro para avaliar seus impactos potenciais. Também possibilitarão que os resultados sejam apresentados e comunicados à sociedade e os governos de forma clara e objetiva, proporcionando maior compreensão pelos tomadores de decisão para propor políticas públicas de enfrentamento dos desafios atuais e futuros das mudanças globais. A definição mais aceita para o termo sustentabilidade e desenvolvimento sustentável é: um desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da sociedade atual, sem comprometer a capacidade de atender às futuras gerações. Para ser alcançado, o desenvolvimento sustentável depende de planejamento e do reconhecimento de que os recursos naturais são finitos. Este conceito representa uma nova forma de desenvolvimento econômico, que leva em conta o meio ambiente. O projeto do INCT MC fornece uma visão geral das questões relacionadas à sustentabilidade e negócios ambientalmente responsáveis, a fim de facilitar a participação ou mesmo a implementação de atividades em diferentes áreas de gestão de instituições públicas e privadas e seus relacionamentos com os "stakeholders". O desenvolvimento da agenda científica do INCT MC proporcionará melhores condições para o país desenvolver a excelência científica em diversas áreas de mudança ambiental global e suas implicações para o desenvolvimento sustentável, principalmente quando se considera que a economia dos países em desenvolvimento está fortemente associada aos recursos renováveis, como é notadamente o caso do Brasil. A ênfase sobre os impactos das mudanças climáticas globais sobre a agricultura, saúde, energias renováveis, desenvolvimento urbano e desastres naturais, como temas centrais integrados com modelagem ambiental, junto com avaliações de economia e a comunicação desses impactos para o público, comunidade científica e setor acadêmico, negócios da indústria e do governo, pode contribuir para manter a excelência em atividades de Ciência, Tecnologia e Inovação como eixo do desenvolvimento sustentável do meio ambiente, com um caráter integrador e inovador. Será utilizado o estado-da-arte em modelagem climática, a partir de modelos regionais e globais para gerar cenários de mudanças climáticas, bem como do desenvolvimento de modelos para avaliar impactos e consequências de mudanças de vários setores-chave no Brasil. Também serão utilizadas informações nas áreas climática, de uso da terra, de saúde e socioeconômicas, incluindo experimentos em campo e em laboratório, visando avaliar os impactos do clima nos sistemas naturais e humanos e compreender as possíveis implicações e opções de mitigação. Esta proposta inclui a transferência de conhecimento por meio de instrumentos que vão além dos artigos científicos. Produções audiovisuais, ferramentas web e outros produtos permitirão o desenvolvimento de uma cultura científica, melhorando a percepção pública da ciência das mudanças globais. Também se prevê uma maior integração e inserção internacional do Brasil em negociações ambientais. A estrutura do novo INCT MC é caracterizada por objetivos e metas a serem alcançados em curto, médio e longo prazo. A consecução do projeto se realizará por meio de atividades bem articuladas, concatenadas e sinérgicas, em que os 6 eixos principais são integrados por avaliações econômicas e de risco ambiental e pelo uso do estado da arte em cenários de projeções de clima futuro desenvolvidos pelo INPE para projetar as mudanças no curto, médio e longo prazo. As instituições participantes mantêm cursos de graduação e pós-graduação, bem como de formação tecnológica, ou são centros de operações que aplicam o conhecimento do estado-da-arte sobre mudanças climáticas e os extremos para as avaliações, monitoramento e previsões de desastres naturais e seus impactos. Algumas das instituições participantes têm as competências científicas e logísticas necessárias para criar redes funcionais para pesquisar de forma eficaz. Assim, as atividades operacionais e de pesquisa podem ser favorecida pelas visitas de pesquisadores de grupos internacionais que já estão trabalhando em questões relevantes para VIARs. Para o INCT MC, pretendemos integrar as instituições nacionais com programas regionais e globais internacionais de excelência em matéria de investigação e formação relevantes para a vulnerabilidade, impactos, adaptação, resiliência e sustentabilidade.
  • Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais - SP - Brasil
  • 23/11/2016-30/11/2024
Foto de perfil

José Arnaldo Barra Montevechi

Engenharias

Engenharia de Produção
  • aplicação de computação em nuvem para implementação de digital twins de processos produtivos
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal de Itajubá - MG - Brasil
  • 04/09/2020-30/09/2022