Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Adailson Feitoza de Jesus Santos

Ciências Agrárias

Agronomia
  • rizobactérias nativas do semiárido como estratégia para mitigação das mudanças climáticas - seca.
  • Os eventos de seca se tornaram mais frequentes a partir do século 20. De acordo com dados divulgados pela Organização das Nações Unidas, o nordeste brasileiro enfrentou em 2013 a maior seca dos últimos 50 anos, com mais de 1.400 municípios afetados. Sendo a previsão atual de que até 2030 quase metade da população mundial estará vivendo em áreas com grande escassez de água. E ainda, de acordo com a mesma organização, a partir de estudos feitos pelo Banco Mundial, a variabilidade das chuvas e a intensidade das secas no Nordeste continuarão aumentando até 2050, com graves efeitos para a população. Esses dados têm indicado que a falta de água gera mais vítimas do que a combinação de terremos e furações, uma vez que mais de 2 bilhões de pessoas sofreram com as secas no último século e 11 milhões morreram em função delas. A Estação Ecológica Raso da Catarina (ESEC Raso da Catarina) está sobre influência do clima semiárido e apresenta uma vegetação típica de Caatinga. Embora a maioria das culturas vegetais não consigam tolerar períodos de secas prolongadas, a vegetação nativa do bioma Caatinga apresenta plantas que podem sobreviver por todo um período de seca. A região nordeste, em especial a Bahia, apresenta uma cultura vegetal (sisal Agave sisalana) que se adaptou muito bem às condições semiáridas, e tem revelado grande importância sócio-econômica para a região, pois tem sido um dos fatores de manutenção de várias famílias na região sisaleira. Associado com estas plantas existe uma comunidade microbiana (microbioma), predominantemente composta por fungos e bactérias e que estão distribuídos em todos os compartimentos vegetais, tanto na parte externa, quanto nas partes internas, além de uma grande diversidade destes no sistema da rizosfera. O microbioma vegetal é capaz de influenciar a fisiologia vegetal, uma vez que produz uma série de compostos que podem ser benéficos para as plantas de forma direta ou indireta, levando muitas vezes a processos de promoção de crescimento vegetal e tolerância a estresses abióticos. O objetivo deste projeto é isolar bactérias rizosféricas associadas a plantas nativas da Caatinga (Cactáceas) presentes na ESEC-Raso da Catarina bem como presentes na rizosfera de plantas de sisal. As bactérias serão selecionadas quanto a capacidade de tolerar estresse abiótico (condições de ambientes áridos e/ou semiáridos) como déficit hídrico, tolerância a temperaturas elevadas e diferentes concentrações de salinidade e pH. Também serão selecionada para características que promovam crescimento vegetal in vitro, como: produção de ACC-desaminase, produção de ácido indol acético, produção de sideróforos, solubilização de fosfato inorgânico, redução de acetileno e produção de exopolissacarídeos. Os isolados mais promissores serão testados para promoção de crescimento vegetal bem como indução de tolerância a seca, em plantas de milho (cultura de grande importância para região). As plantas sob déficit hídrico e inoculadas com os isolados promissores serão avaliadas através de parâmetros de promoção de crescimento e análises fisiológicas. Os isolados que se mostrarem positivos nestas análises serão testados em condições de campo e passaram por processo de formulação, objetivando o desenvolvimento de um inoculante para a cultura.
  • Universidade do Estado da Bahia - BA - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Adailton João Bortoluzzi

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • complexos de ferro para reações de fenton e aplicação em processos oxidativos avançados
  • Diferentes segmentos industriais, como os de tintas, papéis, e principalmente os têxteis, utilizam corantes orgânicos para fornecer coloração aos produtos, e, além disso, consomem uma quantidade considerável de água nos seus processos, o que resulta em um enorme volume de efluentes para serem tratados. Os corantes são compostos de difícil degradação através de processos tradicionais de tratamento de efluentes e sua permanência nos efluentes podem provocar efeitos mutagênicos, carcinogênicos e/ou teratogênicos, além de provocar alterações na biota aquática e causar toxidade aguda e crônica em diferentes ecossistemas. Diante disso, este projeto tem como objetivo investigar a capacidade de complexos de ferro, preparados com ligantes multidentados N,O-doadores, de promover a mineralização de corantes por meio da reação de Fenton visando desenvolver sistemas mais eficientes para tratamento de efluentes da indústria têxtil utilizando processos oxidativos avançados.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022