Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Filipe de Carvalho Victoria

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • geno-island: adaptações moleculares das plantas aos ambientes insulares
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal do Pampa - RS - Brasil
  • 28/11/2019-30/11/2022
Foto de perfil

Filipe Ferreira da Costa

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • impacto de uma formação de profissionais de educação física para atuação nos núcleos de apoio à saúde da família: uma pesquisa-ação
  • A promoção da atividade física tem sido amplamente reconhecida pelo Ministério da Saúde do Brasil como uma das estratégias prioritárias para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT’s). As ações, o aconselhamento e divulgação das práticas corporais e atividade física constituem um dos oito temas prioritários da Política Nacional de Promoção da Saúde. Nesse sentido, a atenção básica em saúde, organizada no Brasil por meio da Estratégia de Saúde da Família (ESF), constitui um contexto privilegiado e estratégico para a promoção de modos de vida saudáveis, dado o seu potencial para atuar sobre os principais fatores de risco modificáveis para as DCNT´s em uma grande parcela da população brasileira, e a crescente cobertura da ESF nos municípios (alcançou aproximadamente 60% da população brasileira em 2015). Idealmente, o profissional de Educação Física dos Núcleos de Apoio Saúde da Família – NASF correspondem atores privilegiados no sentido de ampliar e qualificar as ações de educação e promoção da atividade física na atenção primária em saúde. Contudo, pela deficiência de formação inicial para atuação no SUS segundo a lógica de trabalho própria do NASF, o matriciamento, não tem sido plenamente desenvolvido. Portanto, o presente estudo objetiva desenvolver um processo de educação permanente e avaliar seus impactos nas práticas profissionais de trabalhadores da atenção primária à saúde. Trata-se de uma pesquisa-ação a ser desenvolvida com 16 profissionais de Educação Física do NASF de João Pessoa-PB, e os respectivos profissionais de saúde matriciados por estes. A intervenção educativa está organizada em fases, quais sejam o diagnóstico, planejamento, implementação e avaliação. Todo o processo será pautado a partir do referencial da Política Nacional de Educação Permanente em Saúde, favorecendo abordagens problematizadoras para o desenvolvimento das ações. O compartilhamento de experiências de pesquisadores e trabalhadores de outras regiões do país será oportunizado por meio de videoconferência. A coleta de dados ocorrerá por meio de gravações dos encontros de formação, grupos focais, entrevistas e observação participante nos cenários de prática. Para análise dos dados, a técnica de análise de conteúdo será utilizada. Para fins de avaliação do impacto da intervenção, um levantamento do tipo senso será realizado no período pré-intervenção e seis meses após a mesma, utilizando questionário padronizado previamente validado. Os dados quantitativos serão avaliados por meio da distribuição de frequências absoluta e relativa. Como resultados, espera-se o desenvolvimento de um processo de educação permanente capaz de provocar mudanças nos processos de trabalho de profissionais da atenção primária à saúde de João Pessoa-PB, com potencial para ser reproduzido em outros locais e em maior escala. Como produtos deste projeto, espera-se que sejam formados dois doutores pelo Programa Associado de Pós-graduação em Educação Física UPE/UFPB.
  • Universidade Federal da Paraíba - PB - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Filipe Pereira Mesquita dos Santos

Outra

Divulgação Científica
  • realidade virtual e aumentada: tecnologia para espaços não-formais de educação
  • O presente projeto visa estimular a utilização de tecnologias emergentes em espaços formais e não formais de ensino. Atualmente, alguns jogos e aplicativos de telefones utilizam ferramentas tecnológicas avançadas para o entretenimento, e a academia tem sido tímida na apropriação desse conhecimento que pode auxiliar em tarefas de divulgação científica e aulas. Apresentamos um conjunto de possibilidades instrumentais e metodológicas que podem ser construídos e utilizados em salas de aula e espaços não formais de educação. Propomos, de forma objetiva, a construção de dois aparatos: um utilizando realidade virtual, outro realidade aumentada.
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Filipe Selau Carlos

Ciências Agrárias

Agronomia
  • pastagens de outono/inverno em terras baixas: alternativa para o aumento da eficiência do uso de nutrientes na cultura do arroz irrigado
  • O arroz irrigado é uma cultura que demanda grandes quantidades de nutrientes para obtenção de satisfatórios níveis de produtividade. Contudo, o sistema de produção de arroz irrigado é um sistema “aberto”, pois, a maior parte das áreas cultivadas com essa gramínea estival permanecem em pousio no outono/inverno. Essa condição poderia ser explorada com o cultivo de plantas de cobertura e/ou pastagens que, dentre várias vantagens, pode contribuir para a maior ciclagem e suprimento de nutrientes para o arroz irrigado cultivado em sucessão. Dessa forma, esse trabalho terá o objetivo de avaliar a contribuição de pastagens para a disponibilidade de nutrientes em solos de terras baixas e os reflexos na nutrição e produtividade de arroz irrigado. O estudo 1 será um experimento de campo que será conduzido na área experimental da Granja Quatro Irmãos, Rio Grande-RS. Este experimento terá como tratamentos as duas coberturas de solo: I) trevo persa e II) pousio em que serão submetidas doses crescentes de N (0, 60, 120 e 180 kg N ha-1) no cultivo de arroz, para avaliar a contribuição do trevo. O segundo estudo será dividido em duas ações de pesquisa. A ação 1 do estudo 2 irá avaliar o impacto de diferentes sistemas integrados de produção agropecuária em terras baixas que vem sendo conduzido na Fazenda Corticeiras, Cristal-RS. Nessa ação os tratamentos são cinco sistemas de produção de arroz no RS: de monocultivo contínuo de arroz até sistemas mais diversificados com a inserção do pastejo e a rotação de cultuas. A ação 2 do estudo 2 será conduzida em casa de vegetação na área experimental da UFPel. Nessa ação irá ser feita a avaliação e nutrição de plantas e produtividade de grãos de arroz e soja dos diferentes sistemas integrados de produção agropecuária do estudo 2, em ambas culturas sem fertilização. Dessa forma, espera-se um maior entendimento dos processos de ciclagem e disponibilidade de nutrientes nestes sistemas em ambientes de terras baixas e os reflexos no desenvolvimento de plantas de arroz. Espera-se com essa pesquisa criar subsídios para o uso de leguminosas e de sistemas integrados de produção agropecuária no sistema de produção de arroz irrigado com vistas a redução dos níveis de fertilização nitrogenada e manutenção de satisfatórios níveis de produtividade de grãos.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Filipe Vieira Santos de Abreu

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • análise da presença e persistência do sars-cov-2 em águas de superfície e ictiofauna da bacia hidrográfica do baixo e médio jequitinhonha, mg
  • A bacia hidrográfica do rio Jequitinhonha abrange uma região com sistemas de saúde e saneamento básico precários, fazendo-se necessário adotar medidas eficientes de controle e prevenção de doenças. Sabe-se que a via fecal-oral é uma rota importante para a transmissão de agentes virais, juntamente com a água e alimentos contaminados. Soma-se a isso, que estudos recentes indicaram que o esgoto pode ser um veículo para transmissão da COVID-19. No presente trabalho, objetiva-se analisar a presença e persistência do SARS-CoV-2 em águas de superfície e em peixes da Bacia Hidrográfica do Baixo e Médio Jequitinhonha, MG. As amostras de água e de muco de peixe serão coletadas durante 2 anos, num período de seis meses consecutivos em cada ano, iniciando-se em pontos de amostragem que contenham elevados índices de contaminação. Cada amostra de água será previamente concentrada por ultrafiltração e posteriormente submetida a filtro bacteriano/viral de eficiência 99,99%. O vírus retido, nesta última etapa, será extraído com meio Dulbecco MEM (DMEM), congelado com nitrogênio líquido e armazenado a -80 °C em frascos esterilizados. Amostras de mucosa da boca e da camada externa da pele do peixe serão capturadas com auxílio de swab tipo Rayon Estéril Stuart e ambos submetidos a ensaios moleculares (RT-qPCR) no departamento de microbiologia da UFMG (Lab vírus), enquanto será montado, paralelamente, laboratório de microbiologia no IFNMG visando-se a filtração das amostras de água e a capacitação da equipe para realização futura de testes. Espera-se identificar o SARS-CoV-2 ou partículas virais tanto na água como no muco de peixes e compreender possíveis mecanismos de transmissão e dispersão naturais desse vírus.
  • Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 27/08/2020-26/09/2022
Foto de perfil

Filippe Elias de Freitas Soares

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • perfil enzimático de fungos entomopatogênicos em resposta a fatores abióticos de estresse
  • O desenvolvimento do setor agrícola brasileiro observado nos últimos anos apresenta uma correlação com o aumento da produção e aplicação de defensivos químicos para o controle de pragas agrícolas. O uso excessivo e não planejado de produtos químicos vem apresentando efeitos negativos, sejam eles do ponto de vista ambiental e de saúde pública, com aumento dos casos de acidente de trabalho, intoxicação, e perda da biodiversidade local, bem como do ponto de vista econômico, com o surgimento de insetos cada vez mais resistentes às formulações existentes no mercado. Metodologias alternativas para o controle de pragas têm sido objeto de estudo, destacando-se entre elas o desenvolvimento de formulações e metodologias de aplicação de fungos entomopatogênicos como agentes de biocontrole. Com o presente trabalho, espera-se avaliar os efeitos de termotolerância e virulência proporcionados pela metabolização da vitamina riboflavina adicionada ao meio de cultura de diferentes espécies de fungos entomopatogênicos. Espera-se também identificar o perfil das enzimas expressas frente a suplementação de riboflavina no meio de cultura e avaliar a sua aplicação in vitro no controle de artrópodes de interesse agropecuário. Para o cultivo dos fungos o meio de cultura terá sua composição otimizada para a produção de biomassa e enzimas. Em seguida, as enzimas serão extraídas e concentradas, por meio de métodos como a liofilização, filtração e centrifugação. A enzimas também serão purificadas utilizando procedimentos como precipitação com sulfato de amônio, cromatografia e eletroforese. Serão utilizadas cromatografias de exclusão molecular, troca iônica, e etc. As enzimas também serão caracterizadas em relação ao pH, temperatura, termoestabilidade e influência de sais. Por fim, será avaliada a atividade das enzimas sobre indivíduos adultos, larvas e ovos de artrópodes de interesse agropecuário, como Tenebrio molitor, Rhipicephalus sanguineus, Rhipicephalus microplus, Musca domestica e Aedes aegypti. O projeto objetiva melhores perspectivas para o desenvolvimento e utilização de micoinseticidas, bem como contribuir para boas técnicas de manejo integrado de pragas.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flábio Ribeiro de Araújo

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • sequenciamento genômico para análise de persistência local e disseminação de focos de tuberculose bovina
  • A tuberculose bovina é uma importante enfermidade infecto-contagiosa, causada pela bactéria Mycobacterium bovis e responsável por consideráveis perdas econômicas. A tuberculose bovina também se constitui uma barreira sanitária e, além dos aspectos econômicos, é um problema de saúde pública, pelo potencial de transmissão ao homem. O sequenciamento genômico apresenta grande potencial para investigação da epidemiologia da tuberculose bovina. A possibilidade de observar mutações no genoma bacteriano permite o rastreio da transmissão da doença a diferentes escalas, ao nível do animal ou do rebanho, e permite a inferência da estrutura de contatos entre populações. Esta estratégia tem sido usada com sucesso visando rastreamento de focos e estudos epidemiológicos no Reino Unido e Estados Unidos. Este projeto tem como objetivo gerar informações genômicas de isolados provenientes de áreas de ocorrência de tuberculose bovina no Brasil, visando gerar marcadores que possam ser usados para avaliação da persistência local e disseminação de focos. Para tanto, serão sequenciados genomas de 60 isolados de M. bovis do Rio Grande do Sul e 15 isolados de Mato Grosso do Sul, provenientes de cultivo de tecidos de bovinos em identificados pelo Serviço Veterinário de cada estado; e 19 isolados de M. bovis do Rio Grande do Sul, provenientes de javalis. Em seguida, serão identificados os polimorfismos de sítio único em cada isolado e determinada a divergência genômica entre isolados de M. bovis de bovinos e de javalis de vida livre em diferentes focos. Também será avaliado se as distâncias genéticas entre isolados se correlacionam com a distância espacial entre as fazendas e/ou com a distância entre fazendas e localização dos javalis, e se as distâncias genéticas entre isolados de M. bovis de bovinos e de javalis se correlacionam com a movimentação de animais. Ainda será determinada a taxa e modo de dispersão dos distintos genótipos de M. bovis, e confirmada se há transmissão entre animais bovinos e javalis.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - MS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flávia Andressa Mazzuco Pidone

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • o papel da apoptose em coração de camundongos infectados com trypanosoma cruzi: relação entre morte celular e cardiopatia chagásica
  • A doença de Chagas é um problema de saúde pública uma vez que afeta milhões de pessoas no Brasil e no mundo. No homem, o Trypanosoma cruzi, agente etiológico da doença, causa graves complicações cardíacas que podem levar o indivíduo à morte súbita, além do aumento progressivo e generalizado do esôfago e cólon e comprometimento hepático severo. Observou-se anteriormente em camundongos, que a resposta imune era extremamente prejudicada quando os animais estavam infectados com T. cruzi. Tal resposta tinha como característica principal linfócitos T CD8+ com perfil pró-apoptótico que impedia um controle eficiente da infecção, levando os animais à cronificação da doença. Por outro lado, quando os animais foram submetidos à imunoterapia, a resposta celular não só era mais rápida, como também mais potente, sem a presença de moléculas que favoreciam a morte precoce dos linfócitos. Outros grupos de pesquisa também têm estudado o papel anti-apoptótico do T. cruzi. Se por um lado, o parasito é capaz de evadir as respostas imunes do hospedeiro com aumento da taxa de apoptose de células T CD8+, por outro lado, ele também possui a habilidade de promover a sobrevida de cardiomiócitos por meio da ação da cruzipaína. Dessa forma, o objetivo do presente projeto será avaliar a expressão de genes envolvidos nas vias da apoptose, em coração de camundongos infectados com a cepa Y do T. cruzi, buscando a correlação destes genes com as alterações histológicas, por meio da técnica de PCR Array. Por fim, realizaremos o ensaio do cometa, a fim de avaliar se as alterações causadas pela presença do parasito são capazes de causar danos ao DNA no coração dos animais infectados. A compreensão de mecanismos complexos de sobrevivência dos quais o parasito se utiliza, contribuirá de forma significativa para o entendimento da relação patógeno-hospedeiro, abrindo perspectivas para o desenvolvimento de novos fármacos e para o entendimento de outros microrganismos. Palavras-chave: T. cruzi, apoptose, coração, expressão gênica.
  • Universidade Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flávia Caló de Aquino Xavier

Ciências da Saúde

Odontologia
  • influência do colesterol/caveolina-1 nas propriedades de membrana celular e de células-tronco em carcinoma epidermoide de boca.
  • A Caveolina-1 (Cav-1) é a principal proteína que constitue as cavéolas, áreas ricas em colesterol na membrana plasmática. A Cav-1 tem sido implicada como importante biomarcador molecular na progressão tumoral no Carcinoma Epidermoide de Boca (CEB). A depleção de colesterol desestrutura a integridade da membrana, associando-se a alterações na sinalização e na permeabilidade celular. Ainda, pouco se sabe como os componentes da membrana plasmática podem afetar as propriedades e fenótipo das células-tronco tumorais. O presente estudo tem como objetivo avaliar o efeito das alterações na relação colesterol/Cav-1 nas propriedades de membrana celular em linhagem celular de CEB, bem como a sua influência na caracterização de um perfil de células tronco-tumorais. Será determinado o nível de colesterol e a expressão gênica de CAV-1 em 6 grupos experimentais: SCC9 não-tratada (SCC9 parental); SCC9 depleção de colesterol (MbetaCD-SCC9); SCC9 depleção de colesterol sobrenadante (MbetaCD-SCC9 sobrenadante); SCC9 enriquecida de colesterol (Chol-SCC9); SCC9 transfectada com controle, siRNA não-específico (si Ctrl-SCC9); SCC9 transfectada siRNA CAV-1 (si CAV-1-SCC9). A fluidez de membrana será determinada através de marcação por sonda fluorescente seguida de análise por FACS. A adesão e invasão celular serão também determinadas. Adicionalmente, o perfil de expressão de marcadores de células-tronco (ALDH1, OCT4, SOX2, BMI1, CD44/ESA), que será determinado por FACS, e o ensaio de formação de colônia auxiliarão na caracterização do fenótipo dos grupos experimentais. Os resultados do estudo contribuirão no entendimento do complexo colesterol/CAV-1 como possível regulador de eventos moleculares relacionados a proliferação, invasão e resistência tumoral em CEB. Assim, acredita-se que o estudo promova um auxílio direto na caracterização de um fenótipo tumoral que pode ser modulado e beneficiado com terapias alternativas.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flávia Campos Corgosinho

Ciências da Saúde

Nutrição
  • efeitos da suplementação de compostos bioativos na expressão gênica de marcadores inflamatórios e na infiltração de macrófagos em pacientes com obesidade
  • A genômica nutricional representa hoje uma nova ciência dentro da nutrição, que busca compreender como os nutrientes ou compostos bioativos interagem com o nosso genoma modulando a expressão gênica. Nesse sentido, nutrientes ou compostos bioativos com ações anti-inflamatórias podem atuar em vias de sinalização de fatores de transcrição envolvidos na inflamação. Apesar dos esforços globais para promover o emagrecimento, a obesidade ainda é um dos principais problemas de saúde pública. A hipertrofia exacerbada do tecido adiposo, decorrente do balanço energético positivo, leva à um quadro pró-inflamatório que é intensificado pela infiltração de macrófagos. A infiltração de macrófagos tem sido associada ao desenvolvimento de outras doenças como Diabetes Mellitus tipo 2, Hipertensão Arterial, Dislipidemias, Esteatose Hepática Não Alcoólica (EHNA) e consequentemente à síndrome metabólica. Mediante a complexidade da obesidade novas alternativas são necessárias para otimizar a redução do estado inflamatório da doença e consequentemente minimizar o seu impacto na saúde. Atualmente, a curcumina tem sido alvo de estudos por suas diversas propriedades: antioxidante, anti-inflamatória e anticancerígena. Além disso, investigações prévias demonstraram que os ácidos graxos poli-insaturados ômega-3 possuem ação anti-inflamatória e importante papel na modulação metabólica. Embora vários estudos demonstrem os benefícios da curcumina e do ômega 3, os estudos que avaliam os seus efeitos diretamente no tecido adiposo e na infiltração de macrófagos são limitados à modelos experimentais, denotando uma importante lacuna científica na pesquisa clínica a ser investigada. Diante do exposto, o presente estudo tem como objetivo avaliar os efeitos da suplementação da curcumina e do ômega-3 na expressão gênica de marcadores inflamatórios e na infiltração de macrófagos no tecido adiposo. Trata-se de um ensaio clínico, duplo-cego, placebo controlado, composto por uma amostra de indivíduos com obesidade que serão submetidos à cirurgia bariátrica e receberão suplementação prévia de 3g/dia de curcumina, 3g/dia de ômega-3 ou 3g placebo/dia, estabelecida através de estudos prévios, durante 12 semanas. O presente estudo será realizado na cidade de Goiânia, com pacientes do Hospital Estadual Geral de Goiânia Dr. Alberto Rassi (HGG). Serão inclusos 60 pacientes adultos, com índice de massa corporal (IMC) acima de 40kg/m² que não apresentarem doenças inflamatórias agudas, doenças neoplásicas, síndromes genéticas, e que não relatem consumo crônico de álcool e drogas ilícitas ou psicotrópicos. A história clínica, antropometria, consumo alimentar, exames bioquímicos e ultrassonografia abdominal serão avaliados em dois momentos distintos que correspondem aos períodos que anterior e após a suplementação. Durante a cirurgia serão coletadas amostras de tecido adiposo subcutâneo e visceral através da técnica de biopsia, para análise morfológica e expressão gênica do perfil inflamatório. A avaliação nutricional será obtida por antropometria, recordatório habitual de 24 horas, Questionário de Consumos de Frequência Alimentar. A antropometria será avaliada através da medida do peso corporal, estatura, cálculo do IMC, circunferências de cintura, quadril e pescoço. A avaliação hepática será realizada por ultrassonografia abdominal. O sangue será coletado após jejum de 12 horas para dosagem de glicose, lipídeos totais, triacilgliceróis, colesterol total e frações, enzimas hepáticas e proteína C reativa. Alíquotas de soro e plasma serão estocadas adequadamente (-80°C) para posterior análise do perfil inflamatório, por meio de ensaios imunoenzimáticos (ELISA - Enzyme-Linked Immunosorbent Assay). Durante o ensaio clínico, a equipe de pesquisa realizará visitas domiciliares aos voluntários a cada três semanas para orientar quanto ao uso do suplemento, recolhimento dos frascos vazios e distribuição de novas cápsulas. A coleta do tecido adiposo será realizada durante a cirurgia e as amostras destinadas para análise morfológica serão submetidas a formalina (4%). Posteriormente as amostras de tecidos preparados serão encaminhadas ao laboratório de ciências biológicas da Universidade Federal de Goiás e fixadas em parafina para corte histológico. A infiltração de macrófagos será avaliada em parceria com a Università Politecnica Delle Marche (Itália), por imuno-histoquímica, e serão analisados o tamanho dos adipócitos assim como a concentração de macrófagos por área. Um segundo fragmento de cada tecido será colocado em Tubos de reação livres de RNA-ase e DNA-ase e serão congelados instantaneamente com gelo seco e álcool e armazenado a - 80ºC para análises de expressão gênica de marcadores pró-inflamatórios. A análise da expressão dos genes será realizada por reação em cadeia da polimerase em tempo real (qRT-PCR), com o auxílio de ensaios TaqMan Gene Expression inventariados, em parceria com o laboratório de biologia molecular da Universidade Federal de São Paulo. A avaliação do nível de expressão de miRNAs será realizada em amostras de plasma, de tecido adiposo por meio da reação em cadeia da polimerase em tempo real (qPCR). Todos os dados obtidos serão submetidos à análise estatística realizada com testes adequados para distribuição dos dados, com nível de significância fixado à 5%. O presente estudo permitirá o desenvolvimento de uma linha de pesquisa pautada na investigação de novas estratégias nutrigenômicas para aplicação na prática clínica. Sua relevância é destacada pelo fato de que as estratégias desenvolvidas no estudo podem ser facilmente implementadas na rotina clínica, caso seja comprovado os benefícios da suplementação tanto na inflamação quanto no perfil metabólico desses pacientes. Adicionalmente, a execução desse projeto possibilitará a interação e parceria entre professores de diferentes departamentos e instituições, interações entre alunos de graduação de diferentes cursos da área da saúde, em seus diferentes níveis de formação.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flávia Charão Marques

Ciências Humanas

Antropologia
  • cooperação, criatividade e sociobiodiversidade: uma questão de gênero
  • Por meio da sinergia de competências nos estudos do desenvolvimento e da alimentação, o projeto busca identificar e analisar as transformações socioeconômicas produzidas pelo cooperativismo, particularmente em sua interseção crítica entre as demandas contemporâneas de gênero por igualdade e inclusão socioeconômica, e a problemática da alimentação. Assim, esta proposta assume que a incorporação de mulheres em empreendimentos cooperativos traz uma contribuição significativa para a autonomia econômica das mulheres rurais, sendo um processo influencia positivamente o desenvolvimento social e econômico dos territórios. No entanto, considerando que esse processo de organização em cooperativas pode implicar em mudanças nos modos de vida e nas relações familiares, propomos a realização de estudos de cooperativas protagonizadas por mulheres rurais; de maneira a fornecer evidências empíricas para a descrição e análise de práticas, processos de criatividade, novas materialidades e relações sociais associadas a elas. Isso é importante para compreender a incorporação das mulheres às redes sociopolíticas, às cadeias de valor, ao mercado e aos centros de informação. Em nossa visão, essas materialidades contemporâneas estão gerando mudanças que ocorrem dentro e fora da unidade social familiar. A proposta considera as inter-relações entre as esferas da sociobiodiversidade e a geração de renda, uma interface central entre esses dois domínios territoriais existentes para estimular mudanças situadas localmente e ampliar a dinâmica de trocas no mercado. A pesquisa prioriza a busca de dados em experiências de campo, no intuito de transformá-los em informações úteis para organizar cooperativas de mulheres rurais. Serão utilizadas descrições e análises dos elementos e propriedades que territorializam as práticas socio-biológicas orientadas por aspectos de gênero, de modo a compreender como estas estão interligadas com a geração de renda e os empreendimentos cooperativos. Transversalmente, o foco na alimentação é particularmente importante, pois é uma prática generalizada e cotidiana nos níveis familiar, comunitário, territorial e social. O estudo da alimentação e suas práticas podem mostrar o uso criativo das interconexões da sociobiodiversidade, entre o individual, o coletivo e o mercado. O estudo desses envolvimentos de múltiplas dimensões pode contribuir para elucidar como as mulheres cooperativadas, em suas práticas situadas localmente, estão vivenciando mudanças intrafamiliares e comunitárias, ao mesmo tempo em que expandem seu espaço de existência vital individual, através de formas de organização cooperativa e da sua inclusão nos mercados, obtendo reconhecimento seus territórios e de seus produtos como parte de um patrimônio bio-cultural. Para além da produção científica, o projeto prevê a comunicação com a comunidade não acadêmica uso da combinação de imagem e texto para divulgar resultados e informações por meio de diferentes dispositivos e sites, além da organização de uma exposição fotográfica e da elaboração de um catálogo (digital e impresso) para tornar visíveis as propriedades culturais e os produtos da sociobiodiversidade (objetos territoriais). Espera-se que as estratégias de difusão possam promover a visibilidade das cooperativas de mulheres e seus produtos territoriais, destacando suas origens e biografias, enfatizando a importância do cooperativismo e das trajetórias socioeconômicas das mulheres como parte ativas em contextos contemporâneos de empreendedorismo.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 08/09/2018-30/09/2021
Foto de perfil

Flavia Cristina Camilo Moura

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • transformação de rejeitos de mineração em materiais de alto valor agregado para a remoção de antirretrovirais de meio aquoso por processos avançados de oxidação
  • Neste projeto serão desenvolvidos materiais de alto valor agregado a partir de rejeitos de mineração, ricos em ferro, para aplicações na remoção de antirretrovirais de meios aquosos, uma classe de contaminantes muito pouco estudada até então. Este projeto é de extrema importância para o Estado de Minas Gerais que possui intensa atividade mineradora e siderúrgica. As atividades de mineração geram uma quantidade significativa de estéreis e rejeitos, subprodutos inerentes ao processo de lavra e beneficiamento do minério, sendo que a disposição destes materiais afeta de forma qualitativa e quantitativa o meio ambiente. A forma de disposição dos rejeitos está relacionada diretamente ao tipo de minério e de processo empregado para o seu beneficiamento, ou seja, em princípio, seu estado de disposição (pasta, granel ou polpa) estará condicionado às etapas do processo e às características da planta, podendo, posteriormente, ser alterado conforme a metodologia proposta para a sua disposição final. A quantidade de rejeitos produzida é enorme. Uma preocupação desse setor refere-se ao grande espaço na natureza necessário para reter a enorme quantidade de rejeito gerado, configurando em grandes impactos ambientais negativos. Sendo assim, é interessante a busca por soluções que visem à diminuição da quantidade de resíduos gerados ou que permitem o seu aproveitamento como materiais alternativos em diversas áreas do conhecimento. Outra preocupação em relação à contaminação ambiental é a presença de contaminantes orgânicos em ambientes aquáticos. Entre os compostos orgânicos de interesse ambiental destacam-se os antirretrovirais. Nos últimos 20 anos, o aumento do número de pessoas que vivem com HIV e fazem tratamento com antirretrovirais teve um aumento exponencial, sendo que em 2016 a estimativa era que 19,5 milhões de pessoas faziam uso desses medicamentos. Essa grande quantidade de fármaco consumida gera preocupações ambientais já que, como outros medicamentos, os antirretrovirais não são completamente metabolizados ou absorvidos pelo corpo humano, sendo que excretado é dispensado nas águas superficiais. Existem estudos que mostram que a concentração de antirretrovirais em águas superficiais já é bem elevada, como no continente africano onde há maior concentração de pessoas vivendo com o vírus HIV, ou considerável como por exemplo, na China e Alemanha. No Brasil, onde aproximadamente 530 mil pessoas fazem uso do tratamento com antirretrovirais, não existem estudos na literatura que avaliam a presença desses medicamentos nas águas. Como os tratamentos de esgoto convencionais são insuficientes frente à degradação/remoção desses compostos, grande parte é lançada aos corpos d’água, chegando intactos ao meio ambiente. Portanto, a avaliação dos antirretrovirais e seus produtos de degradação é de grande relevância e existem poucos estudos na literatura sobre este tema. Com isso, a proposta deste trabalho é avaliar a remoção de antirretrovirais em sistemas aquosos com o intuito de caracterizar e identificar seus produtos de degradação, sobretudo visando a completa degradação desses medicamentos. Assim, o desenvolvimento de materiais de alto valor agregado a partir de rejeitos de mineração e sua utilização como adsorventes e catalisadores em processos de remoção de antirretrovirais por adsorção e oxidação, especialmente através de Processos Oxidativos Avançados – POAs, são foco deste projeto de pesquisa. Com esta linha de pesquisa central pretendem-se os seguintes impactos: • Criação de novos materiais baseados em rejeitos de mineração de ferro e alumínio de alto valor agregado com aplicações ambientais e tecnológicas; • Contribuir para o desenvolvimento de processos de remoção de contaminantes orgânicos de meios aquosos; • Criar novos materiais magnéticos, ricos em ferro, com caráter anfifílico, podendo atuar em sistemas óleo-água (bifásicos); • Contribuir para o reaproveitamento de rejeitos ricos em ferro, que é especialmente interessante para o Brasil e para o estado de Minas Gerias que possuem uma intensa atividade mineradora; • Estudar uma nova classe de contaminantes ambientais que até hoje pouco estudo tem sido realizado, como a presença dos antirretrovirais que tem tido sua utilização crescente no Brasil e no mundo; • Gerar patentes. O trabalho realizado tem potencial para gerar novas tecnologias e patentes; • Gerar colaboração com o setor industrial. O trabalho realizado já resultou em um projeto de colaboração com uma indústria, podendo gerar outros; • Resultar na transferência desta tecnologia; • Publicações científicas: o trabalho tem o potencial para gerar várias publicações devido ao caráter inovador e ambiental destes compósitos e contaminantes em foco, os antirretrovirais; • Formação de recursos humanos: estão envolvidos no projeto 4 alunos de pós-graduação e 2 alunos de IC.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flávia Cristina de Paula Freitas

Ciências Biológicas

Genética
  • identificação de rnas circulares no controle do ciclo celular de mamíferos e insetos
  • Este projeto visa compreender as funções reguladoras dos RNAs circulares no controle do ciclo celular usando o desenvolvimento embrionário de abelhas e células de mamíferos em cultivo como modelos. Os circRNAs emergiram como um novo componente das vias de regulação de processos biológicos complexos como a diferenciação neural e a proliferação celular graças a sua capacidade de sequestrar moléculas de miRNAs. Análises preliminares em ovócitos de abelhas encontraram transcritos circulares do gene CaMKII que apresentam um enriquecimento para elementos de regulação do miR-34, sugerindo que circ-CaMKII possa sequestrar transcritos do miR-34. O miR-34 regula majoritariamente genes do ciclo celular e da padronização do corpo em abelhas e humanos. Assim, a hipótese deste trabalho é de que circ-CaMKII sequestre moléculas de miR-34 e que seus alvos ficam livres para atuar na progressão do ciclo celular na embriogênese de abelhas. Como ambos os componentes desta interação são altamente conservados, a interação circCaMKII e miR-34 será também testada em células de mamíferos. Para testar esta hipótese, será usada uma abordagem inovadora que integra análises computacionais, bases de dados biológicos e experimentos de biologia celular e molecular para compreender as bases moleculares que controlam o ciclo celular. Este trabalho também propõe encontrar outras circRNA-miRNAs com potencial para atuar no controle do ciclo celular em mamíferos e insetos. Assim, este projeto contribuirá não apenas com a compreensão de como as primeiras divisões da embriogênese são reguladas, mas com o entendimento dos mecanismos de ação dos circRNAs, ainda pouco conhecidos.
  • Universidade Federal de Alfenas - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flávia Cristina Gomes Catunda de Vasconcelos

Ciências Humanas

História
  • conhecimento científico nas escolas em prol do desenvolvimento da região do agreste pernambucano
  • Na sociedade sabe-se que a ciência escolar é rotineira, pouco atrativa, tediosa e muito difícil, pois o processo de ensino é dificultado devido a escola ter limitações de espaço físico e material, e da resistência de aprendizagem por parte dos alunos na área das Ciências da Natureza. Deste modo, é necessário tornar esse processo de ensino e aprendizagem mais dinâmico e prazeroso, pois se com o passar dos anos o educando mudou, o professor também precisa mudar. No contexto formativo, esta transformação pode ocorrer durante a formação inicial do professor, ao se vivenciar disciplinas que possuem caráter formativo. Logo, acredita-se, que através da mudança na prática metodológica, o professor pode permitir aos seus alunos “três conjuntos de competências: comunicar e representar; investigar e compreender; contextualizar social ou historicamente os conhecimentos.” (BRASIL, 2002), estimulando os alunos a adquirirem um maior interesse pelas aulas de Ciências. Para os professores atuantes na educação básica, se faz necessária a realização de práticas de formação continuada com viés de transformar sua prática docente. Desta forma, para mudança da prática docente, identifica-se que uma das soluções é o desenvolvimento de prática científica em sala de aula, que possibilita o aluno descobrir que a metodologia de pesquisa se baseia na exploração ativa, no seu envolvimento pessoal, no uso dos sentidos, no estímulo a curiosidade, no esforço intelectual na formulação de questões e na busca de respostas. Fomentar a pesquisa no viés investigativo, com realização de perguntas, possibilita no aluno o desenvolvimento da indagação e do interesse pela ciência, fazendo com que o mesmo construa suas respostas, transformando a sua qualidade de vida e as relações entre os homens e o meio. Nesta situação, o professor deve ter noção de que ele continua tendo experiência na produção dos saberes, mas que não é um transmissor do conhecimento, e sim um mediador do conhecimento. Assim, é preciso compreender que os alunos são verdadeiros autores da construção e da reconstrução do saber que lhe é ensinado (FREIRE, 1996), e que o recurso utilizado durante a aula faz parte dos instrumentos utilizados durante este processo. Considerando a contextualização como uma possibilidade de se aprender Ciências de forma mais significativa, esta perspectiva perpassa nos contextos da realidade, vivência, no cotidiano, no contexto social e cultural do ser, além de relacionar com os conhecimentos prévios dos alunos. Assim, ela é o eixo norteador para o ensino das Ciências, significando um entendimento mais complexo dos fatos e fenômenos que acontecem no cotidiano, com a compreensão de uma problemática e a sua consequente resolução. Ao se analisar estas discussões, percebe-se que os professores buscam atividades de cunho investigativo geralmente na realização de atividades científicos culturais, conhecidas no ambiente escolar como ‘Feiras de Ciências’. Infelizmente, estas práticas acontecem como uma atividade isolada do conteúdo, onde os assuntos escolhidos são diferentes do que se é explorado em sala de aula. Além disto, o que é mais grave é que as ‘pesquisas’ realizadas pelos alunos ocorrem em função da realização da Feira de Ciências da escola, e não o contrário. Ou seja, a Feira de Ciências deveria ser a culminância final das atividades investigativas desenvolvidas pelos alunos no decorrer de um período com fins de se fazer ciência, com qualidade e caráter científico, pois basicamente se identifica mais um caráter de pesquisa bibliográfica, com montagem de maquetes e exibição de experimentos. As Feiras de Ciências se apresentam como práticas educativas de ambientes não-formais que possibilita a alfabetização científica de indivíduos de modo geral. Além disto, ela incentiva os alunos a desenvolverem atividades científicas que favorecem a realização de ações interdisciplinares, estimulando o planejamento e execução de projetos. Ademais, estimula o aluno na busca e elaboração de conclusões a partir de resultados obtidos, desenvolvendo no aluno também a capacidade de elaborar critérios de análise e interpretação de dados para compreensão de fenômenos ou fatos, sejam científicos ou do cotidiano. Assim, a Feira possibilita um trabalho cooperativo, pois poderá resolver problemas de outras localidades além dos encontrados por eles. Ou ainda, ter a possibilidade de buscar novos objetos de investigação com novos parâmetros de produção. Ademais, considerando que para a construção do trabalho de pesquisa, na região do agreste, no qual este projeto será desenvolvido, os alunos precisam realizar leituras, pesquisas, entrevistas, experiências, construções, sistematização e roteiros de apresentação, isto envolve um esforço que requer planejamento, divisão de tarefas, e controle das ações. Nesta perspectiva, espera-se que a III Feira de Ciências do Agreste possa estimular professores e estudantes de escolas públicas e privadas a desenvolverem uma aproximação entre pesquisa e ensinodas Ciência, utilizando o método científico como um dos instrumentos para o desenvolvimento de habilidades específicas. Além de contribuir com a promoção e ampliação do ensino de ciências de qualidade em todos os níveis de ensino, valorizando a curiosidade, a criatividade e a experimentação. Esta ação oportuniza ao aluno a integração com outros estudantes e empresas de diversos setores da Região do Agreste, de modo que seja possível a ampliação de suas relações pessoais e profissionais, socializando os resultados dos trabalhos desenvolvidos na pesquisa, contribuindo assim para a formação de cidadãos aptos para atuar na realidade socioambiental. Estimulando o interesse científico dos alunos de ensino fundamental, médio e superior da região, nas diversas áreas do conhecimento, fortalecendo os ambientes formais e não-formais de ensino como ambientes de aprendizagem.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 07/01/2020-31/01/2022
Foto de perfil

Flávia Cristina Gomes Catunda de Vasconcelos

Outra

Divulgação Científica
  • snct 2020: inteligência artificial acessível para todos
  • A presente proposta, em consonância com a orientação do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), pretende realizar ações formativas, as quais buscam viabilizar o acesso a informações científicas que são desenvolvidas aos longo da história por diversos grupos de pesquisa no mundo inteiro, no que tange a temática da SNCT 2020: Inteligência Artificial. Esta iniciativa prioriza a importância de divulgar e popularizar a ciência se embasando em políticas, pesquisas e ações que perpassam pelos pressupostos das tecnologias assistivas, sociais, discursivas e práticas. Considerando que na Região do Agreste Pernambucano existem problemas cotidianos que podem ser resolvidos a partir de ações científicas e tecnológicas, por vezes, viáveis de resolução quando a população tem o conhecimento para tal. Dentre os problemas, destacam-se: o descarte de rejeitos das indústrias de vestuários no Rio Ipojuca; o desenvolvimento de produção têxtil e o descarte irregular das sobras dos materiais utilizados nas confecções; a Feira de Caruaru e a comercialização dos alimentos minimizando a produção de lixo; o desequilíbrio ambiental presente no Rio Ipojuca; uso de agrotóxicos para o controle de pragas nas lavouras da região; uso de chás e ervas com fins medicinais; dentre outros. Reforça-se também que a iniciativa viabiliza a participação do público explorando os saberes populares e como isto se aplica em sua cultura. Neste ano, reorganizamos toda a equipe e devido as determinações estaduais e municipais no que tange o isolamento e distanciamento social, para as atividades da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2020, proporemos a criação de um site que conterá diversas atividades on-line, interativas, com: palestras, Webinar, jogos interativas, mostra de filmes, apresentação de informações, Quis, dentre outros. Assim, as ações envolverão não apenas a comunidade do CAA-UFPE, mas oportunizando a toda a população, inclusive de outros países, para terem acesso às informações referente a temática. Ademais, estão previstas também atividades de forma presencial, integradas a outras ações do campus, que serão realizadas no primeiro semestre de 2021, possibilitando a integração da tríade da Universidade, que é o ensino, pesquisa e extensão.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 20/10/2020-30/04/2021
Foto de perfil

Flávia Cristina Gomes Catunda de Vasconcelos

Ciências Humanas

Educação
  • popularização da ciência através da divulgação das pesquisas científicas desenvolvidas nas escolas da região do agreste pernambucano
  • Na sociedade sabe-se que a ciência escolar é rotineira, pouco atrativa, tediosa e muito difícil, pois o processo de ensino é dificultado devido a escola ter limitações de espaço físico e material, e da resistência de aprendizagem por parte dos alunos na área das Ciências da Natureza. Deste modo, é necessário tornar esse processo de ensino e aprendizagem mais dinâmico e prazeroso, pois se com o passar dos anos o educando mudou, o professor também precisa mudar. No contexto formativo, esta transformação pode ocorrer durante a formação inicial do professor, ao se vivenciar disciplinas que possuem caráter formativo. Logo, acredita-se, que através da mudança na prática metodológica, o professor pode permitir aos seus alunos “três conjuntos de competências: comunicar e representar; investigar e compreender; contextualizar social ou historicamente os conhecimentos.” (BRASIL, 2002), estimulando os alunos a adquirirem um maior interesse pelas aulas de Ciências. Para os professores atuantes na educação básica, se faz necessária a realização de práticas de formação continuada com viés de transformar sua prática docente. Desta forma, para mudança da prática docente, identifica-se que uma das soluções é o desenvolvimento de prática científica em sala de aula, que possibilita o aluno descobrir que a metodologia de pesquisa se baseia na exploração ativa, no seu envolvimento pessoal, no uso dos sentidos, no estímulo a curiosidade, no esforço intelectual na formulação de questões e na busca de respostas. Fomentar a pesquisa no viés investigativo, com realização de perguntas, possibilita no aluno o desenvolvimento da indagação e do interesse pela ciência, fazendo com que o mesmo construa suas respostas, transformando a sua qualidade de vida e as relações entre os homens e o meio. Nesta situação, o professor deve ter noção de que ele continua tendo experiência na produção dos saberes, mas que não é um transmissor do conhecimento, e sim um mediador do conhecimento. Assim, é preciso compreender que os alunos são verdadeiros autores da construção e da reconstrução do saber que lhe é ensinado (FREIRE, 1996), e que o recurso utilizado durante a aula faz parte dos instrumentos utilizados durante este processo. Considerando a contextualização como uma possibilidade de se aprender Ciências de forma mais significativa, esta perspectiva perpassa nos contextos da realidade, vivência, no cotidiano, no contexto social e cultural do ser, além de relacionar com os conhecimentos prévios dos alunos. Assim, ela é o eixo norteador para o ensino das Ciências, significando um entendimento mais complexo dos fatos e fenômenos que acontecem no cotidiano, com a compreensão de uma problemática e a sua consequente resolução. Ao se analisar estas discussões, percebe-se que os professores buscam atividades de cunho investigativo geralmente na realização de atividades científicos culturais, conhecidas no ambiente escolar como ‘Feiras de Ciências’. Infelizmente, estas práticas acontecem como uma atividade isolada do conteúdo, onde os assuntos escolhidos são diferentes do que se é explorado em sala de aula. Além disto, o que é mais grave é que as ‘pesquisas’ realizadas pelos alunos ocorrem em função da realização da Feira de Ciências da escola, e não o contrário. Ou seja, a Feira de Ciências deveria ser a culminância final das atividades investigativas desenvolvidas pelos alunos no decorrer de um período com fins de se fazer ciência, com qualidade e caráter científico, pois basicamente se identifica mais um caráter de pesquisa bibliográfica, com montagem de maquetes e exibição de experimentos. As Feiras de Ciências se apresentam como práticas educativas de ambientes não-formais que possibilita a alfabetização científica de indivíduos de modo geral. Além disto, ela incentiva os alunos a desenvolverem atividades científicas que favorecem a realização de ações interdisciplinares, estimulando o planejamento e execução de projetos. Ademais, estimula o aluno na busca e elaboração de conclusões a partir de resultados obtidos, desenvolvendo no aluno também a capacidade de elaborar critérios de análise e interpretação de dados para compreensão de fenômenos ou fatos, sejam científicos ou do cotidiano. Assim, a Feira possibilita um trabalho cooperativo, pois poderá resolver problemas de outras localidades além dos encontrados por eles. Ou ainda, ter a possibilidade de buscar novos objetos de investigação com novos parâmetros de produção. Ademais, considerando que para a construção do trabalho de pesquisa, na região do agreste, no qual este projeto será desenvolvido, os alunos precisam realizar leituras, pesquisas, entrevistas, experiências, construções, sistematização e roteiros de apresentação, isto envolve um esforço que requer planejamento, divisão de tarefas, e controle das ações. Nesta perspectiva, espera-se que a II Feira de Ciências do Agreste possa estimular professores e estudantes de escolas públicas e privadas a desenvolverem uma aproximação entre pesquisa e ensinodas Ciência, utilizando o método científico como um dos instrumentos para o desenvolvimento de habilidades específicas. Além de contribuir com a promoção e ampliação do ensino de ciências de qualidade em todos os níveis de ensino, valorizando a curiosidade, a criatividade e a experimentação. Esta ação oportuniza ao aluno a integração com outros estudantes e empresas de diversos setores da Região do Agreste, de modo que seja possível a ampliação de suas relações pessoais e profissionais, socializando os resultados dos trabalhos desenvolvidos na pesquisa, contribuindo assim para a formação de cidadãos aptos para atuar na realidade socioambiental. Estimulando o interesse científico dos alunos de ensino fundamental, médio e superior da região, nas diversas áreas do conhecimento, fortalecendo os ambientes formais e não-formais de ensino como ambientes de aprendizagem.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 04/12/2018-31/12/2020
Foto de perfil

Flávia da Fonseca Feitosa

Ciências Sociais Aplicadas

Planejamento Urbano e Regional
  • representações espaciais e multidimensionais do deficit habitacional (reside)
  • O deficit habitacional brasileiro atinge uma notável parcela da população e encontra-se posicionado como tema de reconhecida relevância no âmbito acadêmico e das políticas públicas. Entretanto, sua caracterização e quantificação ainda é permeada por controvérsias e reconhecidas lacunas do conhecimento. Levando em consideração as limitações, potencialidades e complementariedades das metodologias existentes para a estimativa do deficit habitacional, o desafio norteador deste projeto consiste no desenvolvimento de uma abordagem multidimensional e explicitamente espacial de caracterização e mensuração do deficit habitacional, dentro e fora dos assentamentos precários. Para tanto, o projeto basear-se-á no uso intensivo de dados de fontes diversas, geotecnologias, métodos estatísticos e técnicas de análise espacial para desenvolver indicadores das distintas dimensões das necessidades habitacionais, elaborar modelos para a identificação e caracterização de tipologias de assentamentos precários, bem como desenvolver estratégias de integração espacial das múltiplas representações construídas para estimar o deficit habitacional.
  • Universidade Federal do ABC - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flávia de Lima Osório

Ciências da Saúde

Medicina
  • saúde mental e sobrecarga emocional de profissionais de saúde do brasil envolvidos no atendimento a pacientes portadores de covid-19: indicadores e fatores associados
  • As condições gerais de saúde de profissionais envolvidos nos cuidados dos pacientes acometidos pela COVID-19 têm se mostrado comprometidas, não só pelo risco iminente de contaminação a que estão expostos, mas também pela sobrecarga de trabalho e estresse decorrente do colapso do sistema de saúde, ampliando os riscos para o desenvolvimento de transtornos mentais diversos. Conhecer esse cenário atual de sobrecarga emocional dos profissionais de saúde pode favorecer que tratamentos efetivos e modelos preventivos de intervenção e assistência sejam prontamente adaptados e instalados gerando, assim, um menor impacto para saúde pública em geral e para os profissionais individualmente. Assim, o objetivo desse estudo é avaliar e acompanhar a evolução dos indicadores de saúde mental e sobrecarga emocional de profissionais de saúde brasileiros que atuam nos cuidados à portadores de COVID-19 e identificar os fatores de risco e proteção associados. Para isso, uma amostra de conveniência (não probabilística) e composta por diferentes profissionais de saúde brasileiros (médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, técnicos de radiologia, psicólogos, fisioterapeutas, nutricionistas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, dentistas, farmacêuticos e assistentes sociais) envolvidos nos cuidados a pacientes com COVID-19, durante o período de pandemia, será avaliada por meio da auto avalição de sinais e sintomas. Os participantes receberão um link eletrônico para acesso à pesquisa, gerado pelo aplicativo SURVEY da plataforma REDCap, o qual será disseminado via redes sociais, mídias eletrônicas e contatos com instituições de saúde de relevância no país. Ao acessar o link o participante terá acesso ao TCLE e somente prosseguirá após lê-lo e assiná-lo digitalmente. Após essa etapa, serão apresentados instrumentos para auto preenchimento, relacionados à avaliação de ansiedade, depressão, sono, estresse e burnout (variáveis de desfecho), além de um questionário para caracterização sociodemográfica e profissional e instrumento para avaliação de traços de personalidade e coping. Ao término, os dados automaticamente serão salvos e arquivados na plataforma REDCap para posterior análise. Os participantes serão convidados a continuar participando do estudo (fase de seguimento) e, aqueles que aceitarem, receberão, a cada quinze dias, nos próximos três meses (total de seis vezes: D15, D30, D45, D60, D75, D90), um link (via email ou celular) para responder os instrumentos de desfecho. Testes para comparação de grupos (paramétricos ou não paramétricos) serão utilizados para comparar cada sintoma entre dois ou mais grupos, de acordo com variáveis de interesse (por exemplo, sexo, profissão, anos de profissão, região do Brasil, condição de saúde mental prévia, entre outros). Para avaliar possíveis fatores de risco/ proteção para a saúde mental dos participantes será utilizada a análise de regressão logística multivariável. Adotar-se-á como nível de significância p>0.05.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 16/07/2020-15/08/2022
Foto de perfil

Flávia Eloisa Caimi

Ciências Humanas

Educação
  • a produção do conhecimento escolar no cotidiano de escolas de ensino fundamental: interações discursivas
  • O presente projeto estabelece interlocução com dois campos afetos à pesquisa educacional: os estudos sobre a produção do conhecimento na escola e sobre os aspectos culturais e psicológicos implicados nos processos de aprendizagem. Emerge da necessidade de compreender o fato de o Brasil, apesar de ter atingido as metas de universalização da escolarização pública ainda na década de 1990, não ter resolvido o problema da qualidade dos processos pedagógicos e das aprendizagens no âmbito do espaço escolar até o presente momento. Tal cenário exige estudos sobre o que acontece nas salas de aula que faz com que, apesar do tempo destinado a ela por crianças, jovens e professores, a qualidade das aprendizagens não esteja em consonância com os esforços e as capacidades empregados e com os resultados esperados de cada ano de escolarização. O projeto sustenta-se, ainda, nos achados de pesquisas anteriores, desenvolvidas no âmbito do Grupo de Estudos e Pesquisas em Alfabetização – GEPALFA, os quais permitiram observar que, apesar de as crianças manterem relações produtivas com o conhecimento escolar, nem sempre os conceitos que lhes são disponibilizados contribuem para o alargamento das formas de conhecimento que já possuem. Em sala de aula ocorre a elaboração de conceitos, mantidos, porém, em um nível elementar, pois se observou a ausência de intervenções que facultem o envolvimento entre conceitos espontâneos e conceitos científicos em um sistema que permita o desenvolvimento ascendente dos primeiros em direção aos segundos (VIGOTSKI, 2001). Na teoria histórico-cultural, abordagem a que se filia esta proposta, o problema dos conceitos científicos é tratado como uma questão de ensino e de desenvolvimento, já que a sua aprendizagem é possibilitada pelos conceitos espontâneos e aquela, por sua vez, possibilita o desenvolvimento. Segundo Pontecorvo, Ajello, Zuccermaglio (2005), com base nos estudos sobre a interação verbal de Bakhtin (1997) – aos quais este projeto também se filia – e sobre o desenvolvimento mental em Vigotski (2001), afirmam que há um suporte externo na forma de mecanismos de controle que é dado pelos contextos interativos adulto-criança e também pela interação entre pares, o qual oferece oportunidade de explicitação e de consequente justificação das próprias ações. Considerando o exposto, pergunta-se: sendo a sala de aula um ambiente de ensino, de reflexão e de sistematização de conhecimentos e concebendo que a tomada de consciência é alcançada por meio do recurso a conceitos científicos, mediante que condições ocorre, nesses espaços, a emergência desse processo? São situações intencionais que dinamizam esse processo? Que suportes externos são dados pelos contextos interativos adulto-criança e também pela interação entre pares para que sejam explicitados os conceitos espontâneos e sejam justificadas as ações de pensamento em curso na relação com um dado objeto de conhecimento? Que lugar ocupam os diferentes sujeitos e recursos mediacionais (materiais didáticos, fontes de informação) no processo de apropriação/domínio de conceitos científicos em sala de aula? O projeto de pesquisa em exposição centra, por fim, a investigação na seguinte questão: que mecanismos pedagógicos, psicológicos e/ou culturais restringem, dificultam, impulsionam e/ou ampliam os processos de organização de sistemas de conceitos, que se materializam no curso das interações discursivas professor – estudante – objeto de conhecimento, em salas de aula do Ensino Fundamental de escolas públicas? Para atender às exigências postas por esse problema, o GEPALFA busca no GESPE – Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação (UPF) uma parceria, ampliada pela participação de consultores pertencentes a outros três grupos de pesquisa: o GEPSA (UFMG), o GEALE (UFPel) e o Grupo de Pesquisa História e Ensino de História (UEL). Tais grupos dispõem-se a investigar o processo de elaboração de conceitos em situações de ensino e de aprendizagem em sala de aula, materializado nas interações discursivas que ocorrem na tríade professor – aluno – objeto de conhecimento e concebido como um dos territórios em que os sistemas de conceitos emergem e os conceitos espontâneos e científicos se relacionam. Em termos metodológicos, a pesquisa inscreve-se no âmbito das pesquisas qualitativas e tem por base a etnografia interacional apresentada por Gumperz e seu grupo (COOK-GUMPERZ, 1991a; GUMPERZ, 1982) e desenvolvida nos trabalhos do GEPSA (GOMES; NEVES; DOMICINI, 2015). O trabalho de campo realizar-se-á junto a classes de Ensino Fundamental – 4º e 5º e 6º ano – de escolas da rede pública de Passo Fundo/RS e região que estabelecerem parceria com o GEPALFA e o GESPE. Os dados produzidos mediante videogravação, entrevista semi-estruturada, observação, identificação e análise de documentos e registro fotográfico de situações de produção individual e/ou coletiva serão analisados em conformidade com os princípios da análise microgenética, que, de acordo com Góes (2000). Por meio dos resultados desse trabalho, pretende-se contribuir com os estudos sobre o ensino e a aprendizagem de áreas de conhecimento que discutem como os objetos a ensinar e os objetos ensinados atuam em uma sala de aula e aprofundar relações de mútua colaboração entre distintos grupos de pesquisa que têm como foco os processos de ensino e de aprendizagem no contexto da sala de aula. Fundamentalmente, almeja-se que de suas conclusões professores e gestores dos sistemas de ensino possam se beneficiar, a fim de planejar e implementar projetos e práticas que atuem proativamente sobre a complexa e preocupante realidade educacional brasileira.
  • Universidade de Passo Fundo - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Flávia Jorge de Lima

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • análise comparativa dos registros deposicionais do planalto sedimentar do araripe (ce) e do maciço de água branca (al) e adjacência: contribuição aos estudos de morfogênese do nordeste do brasil ao longo do quaternário superior
  • A compreensão dos processos formativos assume um papel fundamental para explicar detalhadamente os elementos causadores de rupturas no equilíbrio das condições ambientais e, consequentemente, desencadeadores dos episódios de maior atividade geomórfica nas encostas. No decorrer do tempo geológico as formas de relevo são esculpidas, elaboradas e reafeiçoadas pela dinâmica superficial, cujos registros guardados nos modelados de agradação são capazes de elucidar como as diferentes paisagens evoluíram e quais processos atuaram. Propõe-se como áreas de pesquisa o sertão alagoano - Maciço de Água Branca e adjacência - e o setor E-NE do Planalto Sedimentar do Araripe, por corresponderem a ambientes reconhecidos como “Brejos de altitude” encravados no contexto regional de semiaridez. O uso das propriedades micromorfológicas como caminho elucidativo dos principais processos geradores de depósitos e suas transformações pós-deposicionais constituirá uma ferramenta importante na constatação de marcadores paleoclimáticos de caráter regional. Tem como objetivo geral caracterizar, em escala macroscópica (descrição de seções estratigráficas) e microscópica (luz visível), os sedimentos coluviais modernos e pretéritos encontrados ao longo do maciço de Água Branca e adjacência e do setor E-NE do Planalto Sedimentar do Araripe (aqui incluindo o registro de paleossolos). A metodologia do trabalho pautará na abordagem morfoestratigráfica, na sedimentologia, micromorfológia de solos e datação por Luminescência Opticamente Estimulada (LOE). Espera-se, balizado por dados descritivos de seções estratigráficas, reconhecer marcadores paleoclimáticos de caráter regional, estabelecendo uma cronologia dos processos paleoambientais responsáveis pela morfogênese no interior do Nordeste do Brasil ao longo do Quaternário Superior
  • Universidade Federal de Alagoas - AL - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022