Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Tais Cristina Bastos Soares

Ciências Agrárias

Agronomia
  • análise morfofisiológica, herança materna e expressão diferencial dos genes ccgols1 e ccmpr1 em progênies de coffea canephora para tolerância à seca.
  • A cultura do cafeeiro tem uma importância econômica substancial para o PIB brasileiro e configura uma das principais commodities do Brasil. Dentre as mais de 124 espécies do gênero Coffea, somente as espécies C. arabica e C. canephora têm grande importância econômica. Coffea canephora é a segunda espécie do gênero mais cultivada no mundo, e o Espírito Santo se destaca como o maior produtor brasileiro desta espécie, designada no Estado como café conilon. Com as previsões de grandes mudanças climáticas, sobretudo relacionadas com um aumento da escassez de água, a busca por materiais mais adaptados às variações climáticas, em especial à seca, tem se destacado. No Espírito Santo as crises hídricas ocorridas nos anos de 2015 e 2016 levaram a perda expressiva de produção do conilon. Para auxiliar na escolha de genótipos importantes para tolerância à seca e para programas de melhoramento genético, destaca-se a biologia molecular na análise da expressão gênica, assim como as análises bioquímicas e morfofisiológicas. Assim é possível estudar genes ou regiões genômicas relacionados no controle de caracteres de interesse agronômico e concomitantemente avaliar a herança materna, utilizando cruzamentos recíprocos. O estresse por seca desencadeia uma série de respostas de plantas, envolvendo cascatas transcricionais e interações entre produtos gênicos que causam uma mudança importante em toda a fisiologia, crescimento e desenvolvimento da planta. Caso haja influência materna na resposta à seca, é possível identificar diferenças no cruzamento recíproco nas progênies, sendo controladas pela mãe quando no cruzamento é receptora do pólen com o óvulo. Diante do exposto, objetiva-se com este estudo avaliar a possibilidade de herança materna para tolerância à seca, em genótipos candidatos para tolerância à seca, pré-selecionados dos cruzamentos dialelos recíprocos 120x109 e 109x120 com parentais contrastantes à seca, clone109 suscetível e o 120 tolerante; selecionar genótipos com maior desempenho na seca; verificar a expressão gênica dos genes CcGolS1 e CcMPR1 nos clones e nos genótipos pré-selecionados para avaliar a possibilidade de respostas diferenciais destes genes. Espera-se com este estudo identificar indivíduos superiores para tolerância à seca dentro dos genótipos pré-selecionados, identificar locus relacionados a características morfofisiológicas envolvidas em mecanismos de tolerância à seca e verificar se o clone 120 na condição de mãe no cruzamento tem influência nas progênies com superioridade para seca.
  • Universidade Federal do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022