Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Vilma Sousa Santana

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • contribuição de fatores de risco ambientais e ocupacionais para o adenocarcinoma gástrico
  • O câncer de estômago (CE) é uma das neoplasias mais comuns em todo o mundo, especialmente o adenocarcinoma gástrico (AdG). Os seus fatores de risco conhecidos, de maior expressão epidemiológica como revelada pela fração atribuível, são o H. Pylori, tabagismo e baixo status socioeconômico, além da idade acima de 45 anos, sexo masculino, dieta com alta ingestão de sal e conservantes, sedentarismo, obesidade e antecedentes familiares (Karimi et al, 2014; Forman e Burley, 2006). Todavia, vários estudos vêm demostrando que exposições ocupacionais podem ter um papel importante entre as causas do CE. Evidência disso, trabalhadores da agricultura (incluindo pecuária, silvicultura, pesca e outros conforme a Classificação Brasileira de Atividades Econômica, CNAE) têm até duas vezes maior incidência e mortalidade por CE quando comparados aos demais trabalhadores ou à população geral, em outros países (Santibañez et al, 2012; Forman e Burley, 2006; Cocco et al, 1996) e também no Brasil (Chrisman et al., 2008; Meyer et al., 2003). Embora trabalhadores da agricultura estejam expostos a fatores de risco relacionados às condições socioeconômicas e de estilo de vida, o papel de exposições ocupacionais, a exemplo de agrotóxicos, isolada ou em combinação com outros fatores conhecidos para o CE, requerem estudos apropriados. O Brasil, principal produtor de alimentos de origem agropecuária, é o maior consumidor e o 3º. maior produtor de agrotóxicos no mundo. Todavia, há pouca conformidade com as normas e recomendações nacionais ou internacionais de uso seguro e garantia de proteção contra contaminação e exposição. Estudos com populações circunscritas de agricultores mostram que as prevalências de exposição a agrotóxicos baseadas em auto relatos variam de 42% a 74.8% (Campos et al., 2016; Piccoli et al., 2016; Nishyama 2003), com níveis ainda mais elevados quando se empregam marcadores biológicos de agrotóxicos do grupo de organoclorados (Cremonese et al. In press) que são biopersistentes. Exposição a outros compostos químicos variam, com maiores prevalências para Isoxazolidinone (80,0%), dinitroanilina (77,3%), dicarboximida (68,2%), piretróides (60,8%) dentre outros (Campos et al, 2016). Em uma revisão recente (Almeida, 2018) verificou-se que fatores ocupacionais para o CE em agricultores são o uso de agrotóxicos com Brometo de Metila® (Barry et al., 2012), Clordano®, 2,4D®, Propargite® e Trifluralina® (Mills e Yang, 2007), herbicidas (Saftlas et al., 1987), cultivo de azeitonas (Settimi et al., 2001), cítricos (Mills e Kwong, 2001), na produção de leite e criação de gado (Burmeister et al., 1983). O uso de agrotóxicos por 10 anos ou mais (Forastiere, 1993) ou 14 anos ou mais de trabalho na agricultura (Mills e Kwong, 2001) se associaram com o CE, apoiando essa hipótese. Todos esses achados resultam de análises exploratórias e, portanto, não conclusivas. Pretende-se nesse estudo identificar fatores de risco ocupacionais para o CE, focalizando a atividade na agricultura e outras ocupações de exposição potencial a agrotóxicos, empregando-se modelos multicausais que integram componentes sociais, comportamentais e biológicos (genômica) empregando-se diagramas acíclicos causais. Este Sub-Projeto compõe o Projeto “Epidemiologia e Genômica de Adenocarcinomas Gástricos no Brasil”, estudo caso-controle multicêntrico, de base hospitalar, com 900 casos e dois grupos controle de 1150 sujeitos cada, conduzido em parceria de várias instituições nacionais e estrangeiras. A coleta de dados está em curso em Fortaleza, Belém e São Paulo. Planeja-se introduzir um centro na Bahia, com recrutamento de sujeitos em duas unidades oncológicas hospitalares do SUS, em Vitória da Conquista e Feira de Santana, para onde convergem trabalhadores rurais. A coleta de dados será realizada com questionário específico aplicado de modo cego a casos e controles, para identificação de trabalhadores potencialmente expostos a agrotóxicos e, dentre esses, o detalhamento da experiência de exposição com base em instrumentos empregados em outros estudos (Brower et al, 2016; Blanco-Romero et al., 2011) considerando-se o tipo de cultivo e tarefas de trabalho (Brower et al, 2014) e as substâncias químicas prevalentes no país como o glifosato, malathion, DDT e outros organoclorados, organofosforados, piretróides, dentre outros. Esses questionários serão testados para avaliação da adequação da linguagem e validade, e poderão ser incluídos para os novos sujeitos do estudo dos demais centros. As características específicas destas exposições, como tempo, duração, frequência e intensidade e outras exposições de interesse como poeiras, gases de escape de máquina agrícola, e residência em área rural serão consideradas. Esse estudo aproveita a oportunidade única de integrar um Projeto Multicêntrico de Caso-Controle sobre ADG, em curso no país, que focaliza fatores de risco sóciodemográficos, de estilo de vida, consumo de medicamentos, H. pilory, dentre outros aspectos, além da genômica, ao incorporar entre esses, determinantes ambientais e ocupacionais, com foco no trabalho agropecuário e exposição a agrotóxicos. Assim, permitirá a análise simultânea de dados biológicos de susceptibilidade genética, obtidos com técnicas e tecnologia de ponta custosas, possível por integrar várias instituições, para a análise de fatores ambientais e ocupacionais para o CE. Trabalhadores da agricultura representam expressivo grupo de trabalhadores, aproximadamente 15 milhões no Brasil (15%) e a exposição a agrotóxicos, muitos deles cancerígenos, é comum e ainda negligenciada pelas políticas e programas de saúde do trabalhador.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vilma Terezinha de Araújo Lima

Ciências Humanas

Geografia
  • a construção do conhecimento ambiental no ensino básico nas escolas públicas em manaus
  • Vide projeto anexo
  • Universidade do Estado do Amazonas - AM - Brasil
  • 12/08/2019-30/11/2021