Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Paulo Sergio Ramirez Diniz

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • inteligência computacional aplicada à extração de informação de sinais multimídia e de telecomunicações
  • O presente projeto engloba atividades de pesquisa, desenvolvimento e formação de recursos humanos em engenharia realizadas por um grupo de oito pesquisadores do Laboratório de Sinais, Multimídia e Telecomunicações (SMT, www.smt.ufrj.br) da COPPE/UFRJ, em conjunto com dois pesquisadores colaboradores do Instituto Militar de Engenharia (IME). As pesquisas endereçam a utilização e a proposição de novas ferramentas de processamento de sinais e aprendizado de máquinas com o objetivo de solucionar problemas práticos e pertencentes ao estado da arte atual no campo da Engenharia Elétrica e/ou de Computação. O grupo solicitante possui longo histórico de colaborações e conhecimentos técnicos complementares, o que nos garante abrangência e profundidade nos temas de pesquisa aqui considerados. Em particular, vamos nos concentrar nos seguintes assuntos de investigação diretamente ligados aos temas centrais de Processamento de Sinais e Aprendizado de Máquina aplicados: (i) Algoritmos de aprendizado com seleção de dados para aprendizado de máquina; (ii) Projeto de transceptores para sistemas de comunicações multiportadoras para além da 5a geração (B5G); (iii) Compressão de imagens plenópticas (light fields); (iv) Detecção automática de focos de mosquito por técnicas de visão computacional aplicadas a vídeos adquiridos por plataformas drones; (v) Restauração de áudio e extração de informação musical; (vi) Detecção e geo-localização passiva de interferências. (vii) Aprendizado de máquina contínuo custo-efetivo. Os problemas abordados são continuações naturais das linhas de pesquisa nas quais a equipe vêm contribuindo de forma bem sucedida. Portanto, é de se esperar que as propostas estão dentro do espectro de realizações de mesma monta alcançadas no passado. A metodologia tradicional é acionar o conhecimento de cada membro. Além das áreas citadas, o grupo de pesquisa atua em inúmeras atividades de pesquisa não listadas aqui para preservar a linha-mestre do projeto.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Paulo Sérgio Ramos de Araújo

Ciências da Saúde

Medicina
  • avaliação de sarcopenia em pessoas vivendo com hiv/aids
  • Os dados sobre prevalência de sarcopenia entre PVHIV são bastante variáveis no Brasil e no mundo. Estudos existentes têm relatado a prevalência de sarcopenia variando de 5 a 24% nas PVHIV, porém esses estudos envolveram um pequeno número de pacientes, em diferentes estágios do HIV e usando definições variáveis de sarcopenia. A falta de uniformidade entre as prevalências nas diversas regiões do Brasil e do mundo pode estar associada ao uso de diferentes critérios diagnósticos, às diferentes características das populações analisadas, ao tratamento ou ao estágio da infecção pelo HIV dificultando a comparação entre os dados e fazendo-se necessária a realização de estudos locais para definir a prevalência de sarcopenia em PVHIV em cada região. Os níveis séricos de interleucina 15 (IL15) encontram-se elevados em PVHIV, em especial, naqueles com carga viral elevada, porém, nos pacientes sem infecção pelo HIV e com o diagnóstico de sarcopenia, essa interleucina, que é fortemente expressada pela musculatura esquelética, tem seus níveis séricos diminuídos. Não há descrição na literatura sobre o comportamente da IL15 nas PVHIV sarcopênicas. É crucial avaliar a presença de sarcopenia e os fatores a ela associados, devido ao risco de quedas e fraturas que pode levar à imobilidade e dependência, aumentando a morbimortalidade. Reconhecer essa patologia no início do seu curso e intervir apropriadamente podem prevenir a perda da independência entre esses indivíduos.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 15/05/2019-31/05/2022
Foto de perfil

Paulo Simionatto Polito

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • o arquipélago de são pedro e são paulo como zona de transições inter-hemisféricas (interzonas)
  • O interesse deste projeto é entender a variabilidade dos processos físicos que ocorrem no oceano Atlântico equatorial à oeste do Arquipélago de São Pedro e São Paulo (ASPSP). O principal objetivo é desmembrar os principais mecanismos que atuam especificamente nessa região, mas que sua origem pode ser traçada a distintos pontos da bacia. Investigaremos como os ondas planetárias formadas no lado leste da bacia são modificadas ao atravessar o ASPSP e quanto desse sinal propagante é influenciado pela Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) em escalas intra-anuais. Esse processo será identificado como a Conexão Leste-Oeste. Por outro lado, investigaremos uma Conexão Sul-Norte, onde os sinais da Circulação de Revolvimento Meridional (MOC) será investigada como a responsável pelas trocas interhemisféricas entre o Atlântico Sul e Atlântico Norte em escalas interanuais, influenciada pela ZCIT. O estudo será conduzido através de uma estratégia abrangente onde diversas fontes de dados serão utilizadas para obtermos uma descrição global dos processos que atuam na região de ASPSP e adjacências. Para tanto, utilizaremos dados provenientes de satélites, derivadores de superfície, perfiladores Argo, boias do PIRATA e saídas um modelo numérico oceânico de alta resolução. Como um aspecto inovador do projeto, planejamos fazer lançamento de derivadores de superfície a leste de ASPSP e implementar um algoritmo de rastreamento de partículas lagrangeano para simular o deslocamento dos derivadores e ajudar a validar o modelo numérico a ser utilizado.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 28/11/2019-30/11/2022
Foto de perfil

Paulo Yukio Gomes Sumida

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • conexões bênticas em altas latitudes do hemisfério sul - becool
  • As mudanças no clima da Terra vêm trazendo sérias consequências para os organismos vivos, como alterações no comportamento migratório, expansão/redução de habitat, entre outros. Nos oceanos, apesar de mais lentas do que na atmosfera, as alterações no sistema de correntes causadas por mudanças de padrões de vento e de circulação termohalina irão afetar de maneira significante a distribuição dos organismos vivos e, consequentemente, a função ecossistêmica. Essencialmente, tais mudanças terão implicações globais significativas decorrentes da circulação oceânica, incluindo aquelas que afetam as áreas da margem continental sul-americana; e locais, como, por exemplo, as consequências do derretimento de geleiras que reduzem o albedo contribuindo para o aumento de temperatura e maior aporte de material particulado para o ambiente marinho, afetando sobremaneira as comunidades costeiras. As diferenças na complexidade biológica e histórias evolutivas entre as regiões polares e o restante do planeta sugerem que estresses nas funções ecossistêmicas polares podem apresentar, fundamentalmente, respostas distintas daquelas que ocorrem em menores latitudes. Da mesma forma, respostas de táxons presentes num gradiente latitudinal podem ser distintas, influindo em suas histórias de vida e sua resiliência às mudanças climáticas. Uma série de respostas a estresses (a partir de níveis bioquímicos moleculares, fisiológicos até populações e comunidades) pode ser esperada como resultado desta era de mudanças climáticas, afetando inclusive organismos encontrados no oceano profundo. A Península Antártica é uma das regiões do planeta que vem sendo mais drasticamente afetadas, através de um aquecimento sem precedentes na história geológica recente, causando o derretimento de importantes geleiras. Adaptações evolutivas ao ambiente polar podem restringir a habilidade de seus organismos responderem às mudanças ambientais tão rapidamente quanto elas vêm ocorrendo. Os agrupamentos de organismos marinhos antárticos refletem a influência de eventos macro-evolutivos, invasões, extinções, processos tectônicos e mudanças climáticas, considerando-se uma longa escala de tempo. Por outro lado, em escalas de tempo menores, os organismos estão sujeitos a fatores ecológicos, tais como características do habitat, suprimento de alimentos, entre outras. Estas duas escalas de tempo refletem os extremos de um contínuo através do qual há uma interação entre a importância relativa dos fatores ecológicos e evolutivos. A presente proposta visa estudar as conexões populacionais da fauna bêntica entre a Antártica e a América do Sul, bem como o papel das mudanças climáticas nas barreiras geográficas entre estes ecossistemas marinhos (i.e., mudanças na Frente Polar e retração de geleiras) no presente e em futuros cenários que alterem as comunidades de altas latitudes e o isolamento de suas populações. Para avaliar estas questões uma abordagem intercontinental (Antártica e América do Sul) e outra local serão adotadas, nas quais a fauna bêntica será investigada quanto à sua sucessão, estruturação e filogeografia. No âmbito mais global, utilizaremos a fauna de substratos orgânicos como estudo de caso através da implantação de estruturas autônomas experimentais (landers) contendo substratos orgânicos para a atração de organismos especialistas e generalistas por um período de um ano em águas rasas (~100 m) e mar profundo (~1500 m). Evidências mostram que estas “ilhas orgânicas” contribuem de maneira significativa para o aumento da biodiversidade bêntica de mar profundo, sustentando modos de vida altamente especializados. Porém, uma grande lacuna existe sobre padrões de larga escala na biodiversidade, biogeografia e conectividade entre populações bentônicas que exploram estas ilhas, bem como nas relações entre diversidade e funcionamento destes ecossistemas. Assim, será analisada a biota associada a ilhas orgânicas no mar profundo e plataforma continental (ossos de baleia e parcelas de madeira) ao longo da margem continental sul-americana e antártica, em locais sob rotas migratórias sazonais de baleias e com proximidade histórica a extensas florestas continentais (florestas subpolares da América do Sul). Em termos de avaliação local, a enseada Martel, Baía do Almirantado, Ilha Rei George, faz parte de uma das regiões mais sensíveis às mudanças climáticas no nosso planeta e possui um sólido registro de dados meteorológicos, biológicos e ambientais. Dados recentes apontaram uma perda de mais de 10% das geleiras na enseada entre os anos de 1979 e 2011. Amostragens em zonas costeiras previamente conhecidas e em áreas recentemente livres de gelo poderão contribuir para a compreensão dos prováveis efeitos da retração de geleiras e processos de colonização bêntica. Nestas áreas, serão efetuadas amostragens remotas do fundo com imageamento por um robô submarino para caracterização dos habitats e da megafauna bêntica, além de coletas da fauna e sedimentos. O imageamento e coleta serão prioritariamente feitos próximo às geleiras onde foram registradas maiores retrações. Também instalaremos um lander para estudos de sucessão de longo prazo. Análises ecológicas, moleculares e genéticas tanto dos organismos associados aos ossos e madeira, quanto daqueles encontrados na Baía do Almirantado, permitirão avaliar padrões regionais, a história evolutiva de polissacarídeos sulfatados de interesse biotecnológico e aspectos biológicos locais que sinalizam a conectividade entre populações de organismos especialistas da Região Magelânica e da Antártica e avaliar o papel da Frente Polar e do isolamento propiciado pela Corrente Antártica Circumpolar nos últimos 30 milhões de anos como barreira de dispersão entre as regiões de estudo. A comparação da biodiversidade e funcionamento dessas ilhas orgânicas entre bacias oceânicas terá forte colaboração internacional e contará com dados pretéritos disponíveis para o Atlântico Sudoeste, Pacífico Nordeste e Baía do Almirantado.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 25/12/2018-31/12/2022
Foto de perfil

Pedro Augusto da Costa Franceschini

Ciências Humanas

Filosofia
  • a correspondência entre goethe e schiller: arte e filosofia na aurora do pensamento alemão clássico
  • A conhecida aliança entre Goethe e Schiller, no final do século XVIII, constitui um importante marco da história da estética e do pensamento alemão em geral. Mais do que a mera promoção de um novo movimento artístico, nota-se no diálogo entre os dois poetas o desenvolvimento de um verdadeiro pensamento estético, cujas formulações seriam determinantes para o florescimento das novas concepções filosóficas do idealismo e do romantismo. A presente pesquisa tem por objeto principal a tradução completa e comentada da correspondência entre Goethe e Schiller, a partir da qual se propõe a investigação dos principais diálogos desses autores, incluindo seus desdobramentos no debate estético da época. Composto de 1015 cartas, trocadas de 1794 a 1805, o epistolário entre ambos permite uma verdadeira incursão nesse campo: por um lado, as cartas expõem de maneira direta como se posicionaram criticamente frente aos autores e tendências de então; por outro lado, expõem como discussões teóricas se associaram a questões de execução poética, revelando a gênese de obras centrais de Goethe e Schiller, que nesses cerca de dez anos viveram um momento especialmente produtivo. Fazendo convergir essas duas dimensões, procuraremos investigar, a partir de alguns núcleos temáticos desse diálogo, em que medida Goethe e Schiller transpuseram e operaram em suas obras e pensamento importantes questões filosóficas, tornando-se eles mesmos protagonistas desse importante momento de consolidação da estética alemã que se realiza entre Kant e Hegel, como evidenciam as próprias filosofias da arte do romantismo e do idealismo. Logo, com o objetivo central de traduzir e publicar a correspondência de ambos, oferecendo assim um recurso fundamental para a compreensão da relação de Goethe e Schiller à filosofia de sua época, a proposta se desdobra em estudos específicos, eventos e publicações em torno desse diálogo e de suas reverberações na estética da virada dos séculos XVIII e XIX.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Pedro Bertemes Filho

Engenharias

Engenharia Biomédica
  • sistema bio-eletroquímico point-of-care de detecção viral potencializado por amplificação isotérmica
  • A OMS declarou que o surto de COVID-19 constitui uma emergência de saúde pública internacional, já causando mais de 4,5 milhões de mortes no mundo todo. Sistemas de diagnóstico rápido, eficientes, sensíveis, e de custo baixo são necessários para garantir a capacidade produtiva e escalabilidade de produção a nível mundial. Diagnósticos com base no RNA viral são eficientes em infecções nos estágios iniciais, permitindo rápido acesso à informação e tomada de decisões assertivas de tratamento. Estes métodos utilizam uma infraestrutura elaborada de alto custo operacional e alto tempo de análise. Técnicas moleculares de amplificação de RNA/DNA através de amplificação isotérmica são superiores pois permitem a detecção no formato Point-of-Care das infecções virais, como o SARS-CoV-2. Sensores acoplados à técnica de amplificação isotérmica são necessários para que novos dispositivos de diagnóstico rápido sejam viáveis. Neste projeto, será criado um biossensor que se baseia na amplificação de DNA a partir do RNA viral através de modificações da técnica de Loop-mediated Isothermal Amplification (LAMP). A captura molecular específica do DNA produzido será sobre nanofolhas de grafeno que gerarão alterações no espectro eletroquímico da impedância na interface entre o biossensor e o meio reagente. As alterações serão transduzidas para indicar a positividade da amostra analisada. Tal biossensor tem custo produtivo baixo e capacidade de escalabilidade para atender demanda para utilização de sistema de detecção molecular do vírus no formato Point-of-Care de maneira ampla no Sistema de Saúde Brasileiro, integrando-se aos sistemas de diagnósticos da rede via plataforma customizada de IoT. Assim, o presente estudo objetiva desenvolver uma plataforma inovadora para a detecção de qualquer material genético, podendo ser aplicada a diferentes variantes do SARS-CoV-2, assim como a outras infecções de interesse epidemiológico que possam vir a ameaçar o sistema de saúde público Brasileiro.
  • Universidade do Estado de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Pedro Carlos Oprime

Engenharias

Engenharia de Produção
  • mapeamento e desenvolvimento de tecnologias da qualidade 4.0 para monitoramento e controle de processos das indústrias manufatureiras do setor cerâmico brasileiro.
  • O paradigma da Indústria 4.0 representa um estágio evolutivo dos sistemas de produção com ênfase nas transformações tecnológicas que surgiram na última década. Neste cenário, as inovações decorrentes deste novo modelo industrial poderão gerar novas soluções no âmbito da gestão da Qualidade (Qualidade 4.0), de modo a propiciar o desenvolvimento de sistemas ciberfísicos (Cyber-Physical Systems) e fábricas inteligentes. A implementação da Qualidade 4.0 (Q4.0) requer novas técnicas de coleta de dados e monitoramento de processo em tempo real, assim como análise preditiva com base em uma grande quantidade de dados (Big Data Analytics). O objetivo deste projeto é desenvolver e avaliar práticas de implementação da Qualidade 4.0 em processos de manufatura no setor cerâmico nacional. Essas práticas abrangem sistemas de monitoramento de processos em tempo real, comunicação machine-to-machine (M2M), sistema de visão artificial e análise preditiva combinando técnicas de analytics e machine learning. Para alcançar os objetivos do projeto serão conduzidas pesquisa do tipo Design Science Research por meio de provas de conceito envolvendo empresas do setor cerâmico brasileiro. Os resultados deste projeto serão publicados em congressos internacionais e periódicos de impacto.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 08/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Pedro Donizete Colombo Junior

Outra

Divulgação Científica
  • contribuições de museus de ciências universitários e da divulgação científica contra o negacionismo da ciência
  • Ciência e tecnologia (C&T) são temas frequentes na sociedade, sendo sua apropriação um caminho que qualifica o cidadão para participar ativamente em debates públicos. Enquanto construções humanas, tais temas são perpassados por valores éticos e morais, sofrendo influências de fatores políticos, religiosos, econômicos e sociais. Junto aos inegáveis avanços propiciados pela C&T, nos deparamos também com grande número de questões sociocientíficas controversas, como vacinas, medicamentos para o tratamento de doenças, e mudanças climáticas, alertando o cidadão para a necessidade de buscar informações confiáveis que contribuam com seu sentimento de pertencimento democrático na sociedade e afastando-o do obscurantismo científico e do negacionismo, que pode ser interpretado como a não aceitação ou recusa de evidências concretas da realidade. Frente a tais contextos, os museus de ciências, como espaços de Divulgação Científica (DC), têm sido cada vez mais chamados a contribuir, visto que tais discussões são muito caras para ficarem represadas apenas na escola. Esta pesquisa busca investigar as contribuições de Museus de Ciências Universitários (MCU) e da DC no combate ao negacionismo da ciência. Temos presenciado atualmente informações, instauradas no campo epistêmico, no qual o negacionismo vitimiza pessoas e a cultura científica. Entender a contribuição dos MCU nesse enfrentamento é importante para pensar estratégias de Alfabetização Científica da população. Como espaços potenciais para a pesquisa tem-se a participação de MCU vinculados as instituições dos integrantes da proposta. A pesquisa apoia-se em abordagens metodológicas qualitativas, com dados construídos em observação participante, gravações em áudio e vídeo e entrevistas semiestruturadas com visitantes dos MCU, além de análise de materiais e exposições dos espaços. Os dados serão organizados a partir da análise de conteúdo e, analisados à luz de referenciais teóricos da área de DC e museus de ciências.
  • Universidade Federal do Triângulo Mineiro - MG - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Pedro Fernando Teixeira Dorneles

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • fecipampa – feira de ciências do pampa
  • A Universidade Federal do Pampa (Unipampa) consolidada como instituição multicampi é formada por 10 campi, estendendo-se desde a região da Encosta do Sudeste (campus Jaguarão), região da Campanha Gaúcha (campus Bagé, D. Pedrito, Caçapava do Sul, São Gabriel, Santana do Livramento, Alegrete e Uruguaiana) até a região das Missões (Itaqui e São Borja). Nos campi Bagé e Caçapava do Sul da Unipampa ocorrem Feiras de Ciências ininterruptas desde 2011. No campus Dom Pedrito, as Feiras de Ciências começaram a ocorrer, no ano de 2014, a partir da chamada CNPq que envolveu a Universidade Federal da Fronteira Sul e Unipampa em uma dimensão interestadual, sendo a partir daí integradas com as Feiras do Campus Bagé. O Campus Uruguaiana passou a realizar feiras a partir de 2017. No ano de 2019 (últimas feiras presenciais) o somatório de alunos envolvidos foi de 1150 nas feiras que o foram organizadas pela Unipampa, já nos anos anteriores (de 2011 a 2018) foram 186, 246, 494, 581, 849, 869, 815, 1144, respectivamente. O crescimento significativo no número de trabalho nos últimos anos é fruto da ampliação das equipes organizadoras, da maior divulgação dos projetos, pela realização de rodas de conversa para professores da Educação Básica e, também, pelo início de um projeto de pesquisa intitulado: Feiras de ciências estimulam a alfabetização científica dos estudantes da Educação Básica? Esse crescimento numérico e de consolidação de equipes de trabalhos, com experiências em formações para professores da Educação Básica, planejamento, organização e realização de Feiras de Ciências, aliado ao fato de não haver até o momento uma feira que faça um movimento de integração entre os munícipios do sul ao oeste do estado do Rio Grande do Sul (região de abrangência da Unipampa), com a presente proposta visamos conceber um evento estadual de Feiras de Ciências e aglutinador de feiras municipais, pois nosso estado tem uma forte identificação com as feiras desenvolvidas anteriormente pelo CECIRS (Centro de Ciências do Rio Grande do Sul). Para isso, buscamos apoio da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Unipampa para constituir um projeto institucional, o que resultou em uma chamada aos servidores (docentes e Técnicos em Assuntos Educacionais) da Unipampa para manifestarem interesse em participarem da presente proposta. Assim, formamos uma equipe de trabalho com representantes de todas as 10 cidades com campus da Unipampa. No caso dos campi São Borja e Santana do Livramento, por não terem cursos na área Ciências da Natureza, buscamos parcerias com a Universidade Estadual do Rio Grande do Sul e o Instituto Federal Farroupilha. Dessa forma, estamos propondo além da Feira Estadual (FECIPAMPA – Feira de Ciências do Pampa) a realização de duas etapas anteriores (municipal e integradora), ou seja, as equipes de cada campus irão fomentar a realização de feiras nos municípios vizinhos para o credenciamento de trabalhos nas feiras integradoras (feiras nos 10 campi da Unipampa), as quais selecionarão trabalhos para a FECIPAMPA. Assim, esperamos ter nas feiras municipais, os espaços para a participação de muitos estudantes e professores e nas etapas seguintes o grau de avaliação se tornando maior. As feiras integradoras constituirão um comitê científico para avaliar os trabalhos a serem selecionados para a etapa da FECIPAMPA, na qual esperamos ter no mínimo a representação de 75 municípios do Rio Grande do Sul compreendendo 53 trabalhos selecionados das feira integradoras e uma reserva de vagas por meio de duas chamadas: uma para feiras afiliadas e outra para municípios que não participaram das feira integradora, possibilitando assim, inscrição de trabalhos de todo o estado e dos países vizinhos (Uruguai e Argentina). O número de trabalhos das chamadas vai ser estimado a partir do número de trabalhos das feiras integradoras. Ao total estimamos de 140 a 160 trabalhos para a FECIPAMPA (aproximadamente 90 das feiras integradoras, 30 de feira que se afiliarão a FECIPAMPA e 30 de municípios que não participaram das feiras integradoras). Tal estimativa será possível de ser alcançada a partir do apoio da presente chamada e da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura, que já manifestou o apoio em realizar um edital de seleção de bolsistas de graduação para atuarem nos dez campi da Unipampa como monitores das equipes locais. Além disso, temos articulação com mais projetos da Universidade, tais como: Gurias do Pampa (com foco na inclusão das meninas em CT&I), Inclusive, Planetário para Todos, Rede Sacci (Ciência na Escola), etc. Como perspectivas futuras temos a intenção de criar uma rede estadual de Feiras de Ciências, articulando atividades de extensão, pesquisa e ensino (curricularização da extensão nos cursos de graduação) das universidades públicas e privadas e dos institutos federais do Rio Grande do Sul, tornando um evento itinerante pelas cidades gaúchas.
  • Universidade Federal do Pampa - RS - Brasil
  • 28/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

Pedro Fernando Teixeira Dorneles

Outra

Divulgação Científica
  • fecipampa: feira de ciências do pampa
  • A Universidade Federal do Pampa (Unipampa) consolidada como instituição multicampi é formada por 10 campi. Nos campi Bagé e Caçapava do Sul da Unipampa ocorrem Feiras de Ciências ininterruptas desde 2011. No ano de 2019 (últimas feiras presenciais) o somatório de alunos envolvidos foi de 1150 nas feiras que o foram organizadas pela Unipampa, já nos anos anteriores (de 2011 a 2018) foram 186, 246, 494, 581, 849, 869, 815, 1144, respectivamente. O crescimento significativo no número de trabalho nos últimos anos é fruto da ampliação das equipes organizadoras, da maior divulgação dos projetos, pela realização de rodas de conversa para professores da Educação Básica e, também, pelo início de um projeto de pesquisa intitulado: Feiras de ciências estimulam a alfabetização científica dos estudantes da Educação Básica? Com a presente proposta espera-se conceber um evento estadual de Feiras de Ciências e aglutinador de feiras municipais, pois nosso estado tem uma forte identificação com as feiras desenvolvidas anteriormente pelo CECIRS (Centro de Ciências do Rio Grande do Sul). Para isso, temos apoio da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Unipampa para a proposição de algo além da Feira Estadual (FECIPAMPA - Feira de Ciências do Pampa) a realização de duas etapas anteriores (municipal e integradora), ou seja, as equipes de cada campus irão fomentar a realização de feiras nos municípios vizinhos para o credenciamento de trabalhos nas feiras integradoras (feiras nos 10 campi da Unipampa), as quais selecionarão trabalhos para a FECIPAMPA. Assim, esperamos ter nas feiras municipais, os espaços para a participação de muitos estudantes e professores e nas etapas seguintes o grau de avaliação se tornando maior.
  • Universidade Federal do Pampa - RS - Brasil
  • 10/12/2021-31/12/2023
Foto de perfil

Pedro Henrique Avelino de Andrade

Engenharias

Engenharia Nuclear
  • sistematização de informações computacionais sobre radiações ionizantes para utilização pela comunidade médica e científica.
  • O objetivo principal da dosimetria em proteção radiológica é avaliar a energia depositada em órgãos e tecidos radiossensíveis do corpo humano por fontes de radiação ionizante. Com a intenção de que o número de pessoas expostas e a probabilidade de ocorrência de exposições mantenham-se tão baixas quanto possa ser razoavelmente exeqüível a dosimetria conta com diversas possíveis estratégias para realizar sua desafiadora tarefa, incluindo simulações computacionais. O corpo humano é uma geometria complexa por natureza e as técnicas de construção de modelos computacionais tem evoluído com o passar dos anos e para que os resultados dosimétricos obtidos, após as simulações, sejam mais fidedignos busca-se o máximo de compatibilidade possível com o indivíduo que se deseja representar. Avaliar dose nos moldes recomendados pelas instituições nacionais e internacionais implica cumprir diversas etapas que vão da produção dos fantomas antropomórficos (geometria que simula computacionalmente o corpo humano) apropriados até o desenvolvimento de um sistema computacional que realize todos os passos necessários para a obtenção dos dados dosimétricos organizados em tabelas e gráficos. Este projeto pretende desenvolver e disponibilizar para a comunidade médica e científica um novo Sistema de Informações Dosimétricas utilizando uma plataforma de fabricação de Fantomas já em funcionamento no Laboratório Multiusuário de Dosimetria Numérica do IFPE, que suprirá o sistema com fantomas destinados à população nordestina. Estes fantomas, produzidos no ambiente do software de modelagem 3D Blender, serão acoplados a um código Monte Carlo robusto (EGSnrc) contendo, adicionalmente, algoritmos simuladores de fontes de radiação ionizante para simular sua interação com a matéria e ao final salvar os resultados dosimétricos em arquivos de texto. Todas as informações produzidas serão organizadas em um banco de dados e disponibilizados as comunidades médica e científica em uma aplicação web.
  • Instituto Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Pedro Henrique Brum Togni

Ciências Agrárias

Agronomia
  • conciliando agricultura e conservação em agroecossistemas sustentáveis por meio dos serviços providos por insetos benéficos
  • Um dos principais desafios globais atuais é conciliar produção agrícola e conservação da biodiversidade, especialmente em segmentos econômicos em ampla expansão como a agricultura tropical. Os insetos provêm serviços ecossistêmicos de alto valor econômico como controle biológico, polinização e decomposição que podem ser manejados para serem mais eficientes, especialmente na agricultura orgânica. Compreender como esses serviços podem ser manejados a partir de uma perspectiva ecológica pode melhorar a produtividade e qualidade dos cultivos e reduzir os impactos negativos no ambiente, tornando o setor ainda mais competitivo. Contudo, a eficiência do manejo local pode depender das características da paisagem, devido a sua influência sobre a ocorrência das espécies e suas interações com os cultivos. O objetivo deste projeto é compreender como estratégias de manejo local de agroecossistemas orgânicos interagem com a paisagem na conservação de insetos benéficos e na provisão dos serviços de controle biológico, polinização e decomposição. O projeto está estruturado em três subprojetos complementares, buscando o aproveitamento dos recursos compartilhados e explorando as diferentes especialidades da equipe. O primeiro subprojeto identificará como plantas espontâneas podem ser utilizadas como um banco de insetos predadores para o incremento do controle biológico nos cultivos e a influência da composição e configuração da paisagem sobre as espécies e seus serviços. O segundo subprojeto focará no manejo da polinização pelo entendimento da rede de interações entre abelhas, plantas espontâneas e cultivos e em como a paisagem pode mediar o fluxo gênico de abelhas entre locais. O terceiro subprojeto avaliará como a fragmentação da vegetação nativa na fazenda afeta as espécies de insetos decompositores nos cultivos e seus serviços. O projeto conta com abordagens e métodos ecológicos e agronômicos modernos que contribuirão para o avanço no conhecimento de fronteira sobre o tema.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Pedro Henrique Ferreira Machado

Engenharias

Engenharia de Energia
  • modelagem de dados aplicada à geração distribuída fotovoltaica no brasil- estudo de caso em campus universitário público
  • A Geração Distribuída Fotovoltaica (GDFV) no Brasil vem ganhando espaço considerável nos últimos anos, sendo impulsionada, sobretudo, pela necessidade de reduzir a utilização de combustíveis fósseis, diversificação da matriz energética nacional e redução nos custos de comercialização de energia elétrica. A Geração Distribuída (GD) no Brasil é regulada pela Resolução Normativa 482/2012 da ANEEL. Ainda que tal normativa tenha sido um marco para a GD no país, ainda não foi definida uma normativa de como as informações destas fontes distribuídas devem ser mantidas e disponibilizadas aos operadores de sistema e usuários. Diante disso, a proposta deste trabalho é criar uma modelagem de dados que seja capaz de ilustrar os tipos de dados usados e armazenados em um sistema GDFV, permitindo avaliar os impactos técnicos e econômicos da implementação de usinas fotovoltaicas que operam no modelo de geração distribuída. O presente trabalho aborda a potencialidade que a implementação de bancos de dados bem estruturados e normatizados de usinas fotovoltaicas traz em relação à operação, manutenção e planejamento de sistemas GDFV. A crise hídrica, somada a fatores de falta de planejamento estratégico do sistema elétrico, evidenciam que uma boa gestão de dados pode dar suporte a decisões estratégicas que fortaleçam a confiabilidade e eficiência do sistema elétrico nacional. Para este trabalho, a equipe de pesquisadores tem como estratégia metodológica: i) fase de monitoramento em campo; ii) fase de tratamento e modelagem de dados; iii) fase de criação, observação e testes do modelo. Para tanto, a validação do trabalho será feita com um estudo de caso em uma usina fotovoltaica, já em operação, localizada no Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG), campus Ibirité.
  • Instituto Federal Minas Gerais - MG - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Pedro Henrique González Silva

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • otimização de hiperparâmetros para aprendizado máquina através de métodos híbridos
  • A Otimização de hiperparâmetros busca encontrar a melhor configuração que produzirá os modelos de aprendizado de máquina mais precisos. Recentemente, foi demonstrado que os algoritmos genéticos híbridos podem superar significativamente a lacuna das abordagens usuais. Isso tem grandes implicações para o treinamento de modelos, mas as possibilidades de uso de métodos híbridos ainda não foram totalmente exploradas. Na primeira parte deste projeto, um conjunto de algoritmos de otimização que combina algoritmos genéticos de chave aleatória (BRKGA) com algoritmos de otimização de hiperparâmetros de última geração será desenvolvido. Em seguida, os seus desempenhos serão analisados, buscando novas informações sobre quais classes de algoritmo se integram melhor. Na segunda parte deste projeto, será realizado um estudo de como reduzir os requisitos de tempo de uso de tais funções Surrogates. Duas perguntas de pesquisa serão investigadas: (1)Como uma redução no conjunto de dados afeta o desempenho? (2)Como a aplicação de funções substitutas a apenas parte da população afeta o desempenho?
  • Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca - RJ - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Pedro Henrique Hermes de Araujo

Engenharias

Engenharia Química
  • nanoestruturas poliméricas para o tratamento de infecções microbianas
  • O mundo está enfrentando uma crescente crise de infecções microbianas, onde a prevalência contínua de bactérias resistentes a infecções representa um desafio e uma questão de saúde eminente para a sociedade atual. Para combater esta situação precária, abordagens inovadoras devem ser desenvolvidas rapidamente, que não só aumentam o acúmulo de drogas e a eficácia em relação aos micróbios patogênicos, ao mesmo tempo que reduzem os efeitos colaterais, mas também reduzem a propensão ao desenvolvimento de resistência. A equipe chinesa preparará nanoestruturas uniformes semelhantes a fibras contendo núcleo de oligo(p-fenileno vinileno) (OPV) e corona antimicrobiana de comprimento e composição variável controlados por auto-montagem acionada por cristalização viva. As propriedades biológicas dessas micelas semelhantes a fibras serão investigadas por ensaios de inibição do crescimento microbiano contra bactérias Gram-positivas e Gram-negativas clinicamente relevantes, fungos e hemólise, para melhor compreensão da relação propriedade-estrutura (atividade antimicrobiana) desta nova nanoestrutura anti-bacteriana para a prevenção e tratamento de infecções patogênicas resistentes a múltiplos fármacos. A equipe brasileira realizará o encapsulamento in-situ de medicamentos por polimerização direta em miniemulsão e por fotopolimerização tiol-eno de dispersões de água-óleo-água em miniemulsão. Esta última estratégia também abre a possibilidade de encapsulamento simultâneo in-situ de drogas hidrofílicas e hidrofóbicas na mesma partícula, o que pode fornecer um efeito sinérgico contra microorganismos. A polimerização tiol-eno permite a formação de polímeros biocompatíveis e biodegradáveis contendo ligações ester na cadeia principal obtidos a partir de monômeros derivados de fontes renováveis e permite grande flexibilidade para sintonizar as propriedades das partículas poliméricas pela incorporação de diferentes moléculas na superfície da partícula durante a etapa de polimerização que incluem as fibras antimicrobianas fornecida pela equipe chinesa. As drogas antiparasitárias a serem encapsuladas incluem buparvaquona e dietilditiocarbamato e o efeito de diferentes morfologia e composição em bactérias Gram-positivas e Gram-negativas e infecção parasitária como leishmaniose serão avaliados. A equipe indiana desenvolverá sistemas nano-portadores de drogas anti-parasitárias, juntamente com o uso de estratégias de complexação com ciclodextrina. A formulação desenvolvida será sistematicamente examinada quanto à sua farmacocinética e toxicologia para substanciar sua segurança e eficiência. Este complexo de ciclodextrina baseado em nanopartículas irá esconder as propriedades indesejáveis do fármaco e levar a um efeito sinérgico ou aditivo. Os sistemas desenvolvidos serão testados contra a Leishmaniose, Theileria e outras infecções parasitárias. Além disso, a influência do comprimento das micelas e do tipo de nanopartículas de poli(tioeter-éster) nos tempos de circulação no sangue e na eficiência das micelas e das nanopartículas de polimero que entram nas células será sistematicamente examinada pela equipe indiana. Além disso, após a conclusão bem-sucedida dos estudos preliminares, o composto selecionado também será utilizado para testar animais de grande porte, especialmente o gado, para acessar seus potenciais de aplicação.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 08/08/2019-31/08/2022
Foto de perfil

Pedro Henrique Monteiro Torres

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • receptor para fator de ativação de plaquetas (paf) e lisofosfatidilcolina (lpc) em trypanosoma cruzi como alvo para quimioterapia experimental
  • A doença de Chagas é causada pelo protozoário parasita Trypanosoma cruzi e geralmente transmitida por insetos triatomíneos. Os parasitas fazem um complexo processo de diferenciação celular, quando passam de um hospedeiro invertebrado para vertebrado e vice-versa. Os mediadores lipídicos fator ativador de plaquetas (PAF) e lisofosfatidilcolina (LPC) desempenham importantes papéis fisiopatológicos na doença de Chagas. Várias espécies de LPC, incluindo C18:1 LPC, que mimetiza os efeitos do PAF, são sintetizadas pelo T. cruzi. Recentemente, identificamos um receptor no T. cruzi, homólogo aos membros da família de receptores de progestina e adiponectina (PAQRs), que se liga ao PAF e LPC. Nós nocauteamos o gene PAQR do T. cruzi (TcPAQR) e confirmamos a identidade da proteína expressa através de ensaios de imunoblotting e imunofluorescência, usando um anticorpo anti-PAQR humano. O nocaute obtido foi simples, de apenas um alelo, já que a eliminação dos dois alelos leva à inviabilidade dos parasitos, o que sugere ser o TcPAQR essencial para o T. cruzi. Os parasitas nocaute simples para TcPAQR foram incapazes de reagir com o PAF ou com LPC em relação à diferenciação celular in vitro e às interações com macrófagos peritoneais de camundongos. Nossa hipótese é a de que o TcPAQR é um alvo altamente promissor para quimioterapia experimental. A partir de um modelo tridimensional do TcPAQR e do docking molecular, que já fizemos para predizer as interações do modelo TcPAQR com PAF e LPC, será feita uma triagem virtual de milhares de compostos, para identificação de quais se ligarão ao TcPAQR. A partir dos compostos selecionados, será feita uma triagem in vitro de viabilidade celular dos parasitos selvagens e nocauteados para o gene do TcPAQR, tratados e não tratados com os compostos supracitados. A seguir, será feita uma triagem in vivo, utilizando o modelo de Galleria mellonella e parasitos selvagens e nocauteados para o gene de TcPAQR, tratados e não tratados com esses compostos.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 27/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Pedro Henrique Triguis Schimit

Engenharias

Engenharia de Produção
  • modelagem espacial da dengue usando autômatos celulares e jogos evolucionários
  • A proposta desse projeto tem como objetivo atualizar e fornecer mais uma ferramenta para a simulação de sistemas populacionais do "Laboratório de Dinâmicas Populacionais", criado em projeto financiado pela Fapesp (#2017/12671-8) e Chamada Universal do CNPq (#402874/2016-1) do proponente. O laboratório contém uma infraestrutura para simulação de problemas baseados em populações e sistemas multiagentes, com placa de cálculo da NVIDIA para processamento paralelo e otimização do tempo computacional. A demanda do laboratório vem crescendo com o andamento dos projetos dos alunos e é possível usar a infraestrutura da Amazon Web Services como ferramenta flexível para que o laboratório possa comportar a demanda do grupo de pesquisa. Da parte acadêmica, propõe-se modelos populacionais para representar sistemas dinâmicos complexos evolutivos. Estes sistemas são definidos por agentes com dinâmica própria conectados por uma rede aleatória não trivial e o comportamento dos agentes é influenciado pelas interações com seus vizinhos, pela história do sistema e pelo seu estado atual, formalizados pela teoria de jogos evolucionários, pois esses agentes agem de modo racional e buscam maximizar sua recompensa. As aplicações desse tipo de sistema serão propostas nas áreas de epidemiologia matemática, e jogos evolucionários, sendo que as simulações serão feitas de maneira analítica e numérica. Assim, espera-se determinar medidas de controle de doenças propagadas por vetores, contendo o estudo da inclusão da bactéria wolbachia nos mosquitos Aedes aegypti para diminuir a taxa de novas infecções, olhando para o sistema como um sistema evolutivo.
  • Universidade Nove de Julho - SP - Brasil
  • 18/08/2020-31/08/2022
Foto de perfil

Pedro Israel Cabral de Lira

Ciências da Saúde

Nutrição
  • condições de vida e segurança alimentar e nutricional em pernambuco: uma investigação do sistema alimentar na perspectiva da saúde humana e ambiental
  • 1. Os Sistemas Alimentares hegemônicos, baseados na monocultura e exploração dos recursos naturais, repercutem nas condições de saúde e nutrição humana e ambiental, agravadas pela pandemia da covid-19; 2. A insegurança alimentar e nutricional retrata o comprometimento qualitativo e quantitativo de acesso aos alimentos, assim como de outras necessidades essenciais, como moradia, renda, saúde e educação, de modo que o ambiente alimentar interfere diretamente nessa condição; 3. A urgência fome, das desigualdades socioeconômicas e a estrutura do ambiente alimentar contemporâneo suscitam a necessidade de investigações direcionadas às famílias, no contexto pandêmico. Esses resultados além de trazerem um diagnóstico da situação das macrorregiões de saúde do estado de Pernambuco podem despertar novas linhas de pesquisa e auxiliar gestores públicos no planejamento estratégico voltado para o desenvolvimento social, ambiental e humano; 4. Hipótese: A precarização das condições de vida, do ambiente alimentar, da saúde e nutrição agravaram a situação de Insegurança Alimentar e Nutricional das famílias pernambucanas, em meio a pandemia da Covid-19; 5. A Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional apontou que a população das regiões Nordeste e Norte teve suas condições de vida mais precarizadas durante a pandemia, quando comparado com as demais regiões do país. Além disso, mais de 40 milhões de pessoas conviviam com algum grau de InSAN no Nordeste, em 2020, contribuindo para um complexo cenário de saúde e nutrição; 6. Neste sentido, este projeto tem o objetivo de realizar um inquérito domiciliar nas macrorregiões de saúde do estado de Pernambuco para mapear as condições de vida, ambientes alimentares, estado de saúde e nutrição, além da InSAN, no contexto da pandemia da Covid-19. Serão entrevistados chefes de família e realizadas auditorias nos estabelecimentos de venda de alimentos, com medidas de geocodificação do ambiente alimentar.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Pedro Ivo da Silva Maia

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • desenvolvimento de novas formulações para tratamento de doenças tropicais negligenciadas baseadas em metalofármacos derivados do megazol
  • A doença de Chagas e as Leishmanioses são doenças tropicais negligenciadas (DTNs) que afligem populações pobres, especialmente da América Latina. Devido às baixas projeções de mercado, não há incentivo suficiente para a descoberta de novos fármacos, sendo a quimioterapia existente antiga e ineficaz. Diante disso, neste projeto buscaremos “como fornecer uma quimioterapia mais eficiente para as DTNs causadas por parasitos protozoários encontradas na América Latina: Leishmanioses e a doença de Chagas”. Visando atingir este objetivo, são necessários “novos agentes terapêuticos com múltiplos mecanismos de ação’’. Para tanto, serão preparadas novas moléculas derivadas do Megazol, um agente antiparasitário conhecido, com o intuito de obter de potencializar sua atividade e reduzir a toxicidade. Dada a sua capacidade de atuar como quelante, estas serão ainda coordenadas à íons metálicos de modo a se obter novos metalofármacos com alto potencial farmacológico visto que, além da atividade relativa ao composto orgânico bioativo, os íons metálicos podem inibir a atividade de enzimas essenciais aos parasitos. Deste modo, a coordenação do Megazol e seus derivados a íons metálicos pode melhorar suas propriedades biológicas bem como levar a um mecanismo de ação em múltiplos alvos. Além disso, o estudo da interação de tais compostos com biomoléculas através de docking molecular pode ser usado como ferramenta para o design de fármacos mais potentes. Um alvo biomolecular encorajador é a família de proteínas conhecidas como ‘Old Yellow Enzymes’ (OYE), as quais estão presentes em protozoários patogênicos, fazendo delas alvos relevantes para o design de fármacos antiparasitários e cujos efeitos podem ser avaliados prontamente através de testes bioquímicos. Diante do exposto, o presente projeto de pesquisa propõe usar o Megazol como base para obtenção de novos metalofármacos visando obter formulações com potencial para atuar no tratamento da doença de Chagas e/ou de leishmanioses.
  • Universidade Federal do Triângulo Mineiro - MG - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Pedro José Rolim Neto

Ciências da Saúde

Farmácia
  • desenvolvimento de medicamentos pediátricos associação dose fixa (adf) à base de praziquantel e epiisopiloturina como alternativa terapêutica para o tratamento de esquistossomose
  • Para o tratamento da esquistossomose em crianças, a dose usual também é de 40mg/kg, contudo devido a diferença de peso (criança/adulto) a posologia correta na maioria das vezes não é atendida, pois no mercado existem poucas variações de dosagem. Sua ação farmacológica PZQ consiste na atuação sobre o tegumento e o tecido muscular, causando contrações no parasita, desencadeando sua morte. O PZQ inibe também, em baixas concentrações, a produção de ovos pelas parasitas fêmeas. Apesar destes efeitos, o fármaco em questão não apresenta eficácia sobre todos os estágios de vida do S. mansoni, tendo atividade predominantemente frente ao parasita adulto, inclusive já foi verificado em algumas cepas (casos esporádicos) o desenvolvimento de resistência. Além disso, o fármaco é classificado no grupo II dentro do Sistema de Classificação Biofarmacêutica, ou seja, é um fármaco de baixa solubilidade e alta permeabilidade no trato gastro intestinal. Devido a sua baixa solubilidade em água, o PZQ apresenta problemas de biodisponibilidade, necessitando de uma dose utilizada relativamente alta. Por este motivo, existe a necessidade de buscar novas terapias inovadoras, que apresentem melhor efeitos farmacológicos. Baseado nas pesquisas citadas sobre o efeito sinérgico do PZQ/EPI e sobre o incremento de solubilidade propiciado pelos sistemas HDL e ciclodextrina, o objetivo desse projeto é desenvolver formas farmacêuticas Associação Dose Fixa (ADF) contendo HDL/PZQ e HPBCD/EPI como alternativa terapêutica para o tratamento da esquistossomose infantil para o SUS em parceria já estabelecida com o laboratório público LAFEPE. Espera-se obter um medicamento com tecnologia inovadora que permitirá melhor eficácia e menor incidência de efeitos adversos, regime posológico com redução de dose e mais adequado para melhor adesão ao tratamento. Pretende-se obter formas farmacêuticas de uso oral para público infantil, tais como: preparações extemporâneas formadas por pellets; formas líquidas como xaropes, soluções e/ou suspensões; formas sólidas compostas por sistemas multiparticulados como pellets e microcomprimidos, comprimidos e/ou cápsulas contendo pellets. A utilização de sistemas microparticulados permite minimizar limitações de solubilidade, visto que a redução do tamanho de partículas, entre 1micrômetro a 500micrômetros, tem como consequência o aumento da área superficial, podendo elevar de um modo considerável a biodisponibilidade do fármaco. Além disso, os sistemas microparticulados são interessantes devido a suas vantagens tecnológicas e biofarmacêuticas, dentre elas: favoráveis ao processo de revestimento, possibilidade de veicular substâncias incompatíveis, facilidade na obtenção de dosagens diferentes para o mesmo produto, menor risco de irritação da mucosa do trato gastrointestinal, menor risco de “dose dumping”. Ressalta-se que o proponente já possuiu larga experiência no desenvolvimento tecnológico de formas farmacêuticas e medicamentos inovadores, incluindo transferência de tecnologia. No escopo do projeto, já foram desenvolvidos e concluídos: dez projetos de pesquisa com HDL e diferentes fármacos, sendo 3 de iniciação científica, 4 de mestrados e 3 de doutorados, dos quais um doutorado e um mestrado forma especificamente com o desenvolvimento de formas farmacêuticas contendo HDL/PZQ, no qual está em andamento o desenvolvimento de formulações extemporâneas para uso pediátrico; um projeto de doutorado com o complexo de inclusão HPβCD/EPI finalizado e um mestrado em andamento para o desenvolvimento de cápsulas contendo pellets para uso adulto. Na expertise de ADF, um projeto de mestrado e um doutorado para o desenvolvimento de comprimidos ADF contendo albendazol, doxiciclina e ivermectina para tratamento de filariose; vários doutorados e mestrados com desenvolvimento de comprimidos, cápsulas e outras formas em ADF para tratamento da AIDS, os quais foram desenvolvidos em pareceria com LAFEPE para o programa DST-AIDS. Por fim destaco, que o presente projeto adota uma política promissora para os “produtos estratégicos para o SUS”, alinhado com a produção nacional de insumos farmacêuticos ativos, possibilitando que futuramente um produto farmacêutico de qualidade e baixo custo seja acessível à população. Ademais, possibilitará a troca de experiências e qualificação de recursos humanos com as parcerias a serem realizadas com outras instituições públicas de ensino, pesquisa e desenvolvimento, transferências de novas tecnologias e técnicas para o Estado de Pernambuco na presença marcante do LAFEPE como empresa estratégica em desenvolver inovação que chegue a sociedade.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 13/01/2020-31/01/2023