Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Alexandre Fortes

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • obtenção, identificação, separação e efeito do processamento sobre compostos bioativos em alimentos: uma estratégia para o fortalecimento do ppgcta-ufrrj.
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 04/02/2020-03/02/2025
Foto de perfil

Alexandre Fortes

Ciências Humanas

História
  • história do trabalho na era digital: atualizando métodos e ferramentas
  • O Brasil ocupa papel de destaque no cenário internacional dos estudos históricos sobre o trabalho. A realização de seminários nacionais anuais por mais de vinte anos, com participação crescente de pesquisadores estrangeiros; o aumento da publicação de autores brasileiros pelos principais periódicos mundiais da área; os doze anos de atividade da Revista Mundos do Trabalho; a transformação do GT-Mundos do Trabalho em Associação Nacional de História do Trabalho demonstram o vigor desse campo de estudos no país. Paralelamente, aumenta a disponibilidade online de fontes primárias e recursos bibliográficos e ampliava-se o número de integrantes da comunidade de historiadores profissionais dedicados ao tema, com a expansão das universidades públicas e do sistema de pós-graduação. A despeito da consolidação do campo, a expansão das fontes e bibliografia em circulação e o aumento do número de especialistas têm imposto desafios à produção de balanços historiográficos capazes de orientar o desenvolvimento de pesquisas futuras. Ao mesmo tempo, a consistência, o volume e o reconhecimento internacional da qualidade da pesquisa brasileira em história do trabalho ainda não se refletiram em mudanças mais expressivas nas metanarrativas dominantes sobre a história do país. O vasto conhecimento gerado ao longo das últimas décadas sobre o papel ativo da classe trabalhadora na história brasileira continua a ser em grande medida ignorado pela mídia, em obras de síntese produzidas por historiadores para o grande público e em debates relevantes das demais ciências sociais. Este projeto, integrando centros de pesquisa e documentação de quatro universidades, pretende fazer uso da tecnologia digital para gerar as condições necessárias à produção de sínteses historiográficas atualizadas e abrangentes, facilitar o acesso de novos pesquisadores a acervos e instrumentos de apoio à análise e ampliar o impacto das iniciativas de história pública do trabalho no país.
  • Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alexandre Gori Maia

Ciências Sociais Aplicadas

Economia
  • o uso de big data para avaliação da efetividade de intervenções não farmacológicas no enfrentamento de epidemias e seus impactos econômicos
  • A emergência do tema associado à avaliação de impactos de intervenções não farmacológicas (INF) exige o uso de indicadores de acesso público e disponibilidade imediata. Neste sentido, a coleta de dados por meio da raspagem de plataformas online oferece uma rica quantidade de dados (big data) para monitorar os impactos de INF nas condições de saúde e economia dos municípios brasileiros. O objetivo geral desse projeto é utilizar big data para avaliar a efetividade de estratégias de INF no combate à epidemia de COVID-19 e seus impactos diretos e indiretos nas condições de saúde e atividade econômica dos municípios brasileiros. Especificamente, deseja-se: 1) gerar base de dados municipais com indicadores associados à intensidade do cumprimento das INF, condições de saúde e atividade econômica, utilizando informações de redes sociais e plataformas públicas online; 2) identificar os determinantes do cumprimento das INF; 3) avaliar os impactos de estratégias INF sobre indicadores de saúde e atividade econômica; 4) avaliar como a antecipação das INF pode maximizar os benefícios à saúde e minimizar os impactos econômicos; 5) avaliar a intensidade de propagação dos impactos da intervenção na saúde e atividade econômica dos municípios vizinhos. Os indicadores da intensidade do cumprimento das INF e seus determinantes serão obtidos de redes sociais (Twitter e Facebook) e imagens de satélites (concentração de poluentes provenientes de veículos automotores). Os indicadores econômicos referem-se ao saldo líquidos de empregos e arrecadação de impostos nos municípios (ICMS). Os indicadores de saúde referem-se tanto ao número de casos e óbitos associados ao COVID-19 quanto óbitos totais. Além de inovadores no que se refere ao uso de big data para avaliação de políticas públicas de saúde, os resultados utilizam estratégias de análise que são robustas a potenciais vieses que podem surgir neste tipo de avaliação (vieses de omissão), incluindo: modelos de dados em painel com estimadores de efeitos fixos e modelos de regressão com controle de dependência espacial. Os resultados orientarão o planejamento de INF que, além de efetivas na redução da morbidade e mortalidade associadas a epidemias, minimizem os impactos indesejados na economia e em óbitos totais não relacionados à epidemia.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 16/07/2020-15/08/2022
Foto de perfil

Alexandre Kirilov

Ciências Exatas e da Terra

Matemática
  • soluções globais para operadores (pseudo)diferencias em variedades
  • Este projeto trata de questões relacionadas ao estudo de operadores diferenciais em diferentes espaços funcionais, ligados principalmente a problemas de resolubilidade e regularidade de solução, além da preservação destas propriedades após os operadores serem submetidos a perturbações. Nosso interesse é no estudo de propriedades globais de operadores (pseudo)diferenciais definidos em variedades compactas, em grupos de Lie e também sobre o espaço euclidiano. Por exemplo, se M é uma variedade fechada, D'(M) é o espaço das distribuições sobre M, e P é um operador (pseudo)diferencial sobre D'(M), procuramos condições que possam garantir que u é suave sempre que Pu for suave. Essa propriedade é conhecida como hipoeliticidade global e possui várias consequências, por exemplo: se P é globalmente hipoelítico, então o núcleo possui apenas funções suaves, consequentemente este núcleo possui dimensão finita. A hipoeliticidade global, assim como a resolubilidade global, tem sido amplamente estudada nos últimos anos, especialmente no caso em que a variedade fechada M é o toro n-dimensional e o operador é um campo ou sistema de campos vetoriais. Nos últimos anos obtivemos avanços significativos, estendendo resultados clássicos e obtendo novidades nos casos de: operadores pseudodiferenciais sobre toros; campos vetoriais sobre grupos de Lie compactos; operadores fortemente invariantes definidos sobre uma variedade fechada; em classes de funções ultradiferenciáveis (de Gevrey e de Komatsu); e regularidade de operadores sobre o espaço euclidiano em espaços de Gelfand-Shilov, que podem descrever simultaneamente o decaimento e regularidade de soluções globalmente definidas em diferentes direções. As principais técnicas envolvidas neste projeto vêm da análise de Fourier. Também usaremos técnicas de sistemas dinâmicos dentro da teoria de equações diferenciais parciais, para abordar problemas relacionados a formas normais na presença de fenômenos diofantinos.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 09/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Alexandre Leite Rodrigues de Oliveira

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • potencial terapêutico de vesiculas extracelulares derivadas de células estromais mesenquimais multipotentes caninas na encefalomielite experimental autoimune
  • A Esclerose Múltipla (EM) em humanos e as Meningoencefalomielites de Origem Desconhecida (MUO) em cães são enfermidades neuroimunes incapacitantes, cuja terapia se baseia em drogas imunosupressoras com limitada eficácia e efeitos adversos a longo prazo. A Encefalomielite Experimental Autoimune (EAE) tem contribuído para o entendimento da fisiopatologia das doenças neuroimunes, no contexto da medicina translacional para desenvolvimento de novos fármacos. Cães com MUO representam um excelente modelo para encefalomielites autoimunes, pois desenvolvem a doença de forma natural com características histopatológicas, clínicas e radiológicas semelhantes à EM. Os mecanismos terapêuticos das MSCs estão relacionados com sua capacidade antiinflamatória, imunomoduladora, neuroprotetora/regenerativa e de modulação da apoptose por meio da secreção de fatores solúveis e de vesículas extracelulares (EVs). O desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas com o uso de EVs derivadas de MSCs visa aumentar a eficácia do tratamento das enfermidades neuroimunes, com a expectativa de favorecer o prognóstico e de evitar os efeitos adversos dos fármacos imunossupressores. Estudos com EAE têm demonstrado que a aplicação de EVs derivadas de MSCs murinas e humanas apresentam efeitos positivos no processo de imunomodulação e neuroregeneração. Contudo, não existem dados do potencial terapêutico de EVs derivadas de MSCs caninas, que suportem a realização de estudos futuros com cães naturalmente acometidos por MUO. Pretendemos investigar a hipótese de que a terapia com EVs derivadas de MSCs provenientes de tecido adiposo canino diminui o infiltrado de linfócitos e a desmielinização do sistema nervoso central de camundongos com EAE. O projeto consistirá em três etapas: isolamento, cultivo, caracterização e potencial terapêutico in vitro das MSCs; isolamento e caracterização das vesículas extracelulares derivadas das MSCs; indução de EAE, terapia terapia e avaliação da eficácia das EVs.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alexandre Lima Nepomuceno

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • aumento da tolerância à seca em genótipos elite de soja por edição gênica via crispr/cas
  • A commodity mais importante do agronegócio nacional é a soja, sendo que o Brasil se destaca como maior produtor mundial. Apesar dos dados positivos, cenários apontam para o aumento na frequência de fenômenos climáticos extremos como a seca, o que pode afetar não apenas a produtividade, como também a distribuição espacial da cultura. Entre as estratégias para mitigação dos efeitos da seca está o desenvolvimento de genótipos mais tolerantes. A tolerância à seca é governada por um grande número de genes, tornando difícil a obtenção de cultivares com essa característica por meio do melhoramento genético clássico. Ferramentas biotecnológicas podem contribuir nesse sentido. Trabalhos prévios do nosso grupo mostram que a superexpressão de genes de Arabidopsis thaliana responsivos a via do ácido abscísico (ABA) promovem aumento da tolerância à seca em soja. No entanto, por serem plantas transgênicas, aspectos regulatórios dificultam a disponibilização dessas tecnologias no mercado. Técnicas inovadoras de melhoramento de precisão, como a edição gênica por recombinação homóloga dirigida (HDR) via CRISPR/Cas, são ferramentas úteis para superar esse cenário adverso. Assim, pretendemos de maneira inédita engenheirar o promotor de genes endógenos da soja responsivos à via do ABA visando aumentar sua expressão, e com isso, obter plantas mais tolerantes à seca. A edição gênica será realizada nas cultivares elite de soja BRS 573 e BRS 537, via CRISPR/Cas-HDR, utilizando protocolos pré-estabelecidos em nosso laboratório. De maneira mais precisa, vamos inserir os elementos cis regulatórios ABRE, G-box e TATA-box isolados ou em combinações, no promotor dos genes alvos da própria espécie. Ao final do projeto esperamos obter cultivares de soja GM-free adaptadas à seca e que apresentam maior estabilidade de rendimento frente ao estresse. Adicionalmente, o projeto contribuirá para capacitação de estudantes de graduação e pós-graduação na área de biotecnologia vegetal.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - PR - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Alexandre Magno Alves Diniz

Ciências Humanas

Geografia
  • mistura social em territórios metropolitanos: diálogos interescalares e internacionais.
  • A análise da distribuição dos grupos sociais nas metrópoles brasileiras nas últimas décadas aponta a dispersão territorial dos grupos médios, gerando espaços socialmente mistos e desafiando o modelo centro-periferia. Os estudos, em geral, utilizam unidades de análise espacial amplas, escamoteando dinâmicas intraurbanas, daí a necessidade de análises em unidades espaciais próximas do cotidiano, tendo em vista as tendências a processos como a gentrificação, mais evidentes na microescala. A pesquisa orienta-se pela hipótese central de que na microescala observam-se diferentes processos de segregação social. Diante do imperativo de escrutinar o interior dos espaços heterogêneos e da necessidade de comparar com outras realidades metropolitanas, propõe-se uma abordagem multiescalar e multimétodo, abrangendo as metrópoles de Belo Horizonte, Buenos Aires e Lille, consolidando parcerias internacionais. A partir da comparação da estruturação das três metrópoles, propõe-se o mergulho na realidade de cada uma delas, identificando os bairros onde se destaca a mescla social. Na terceira fase, de natureza qualitativa, a partir de definição de amostras de bairros heterogêneos selecionados na fase anterior, propõe-se a realização de observações de campo e entrevistas com moradores, abordando seu histórico na cidade, percursos cotidianos, formas de viver, mobilidades, tempo de residência no bairro e formas como se apropriam do espaço de moradia segundo distinções sociais, de gênero, cor, educacionais, associativas entre outras. Para tanto a equipe se constitui de pesquisadores com distintas formações e especializações. A pesquisa deverá resultar em novos conhecimentos sobre a estruturação socioespacial nas metrópoles, em particular na microescala da vivência cotidiana, contribuindo internacionalmente com os avanços teóricos/metodológicos na temática, podendo também contribuir para o desenho de políticas públicas.
  • Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Alexandre Melo Bailão

Ciências Biológicas

Genética
  • o que a homeostase de cobre pode nos revelar sobre a patogênese de fungos causadores de doenças negligenciadas?
  • A Histoplasmose (HPM) e Cromoblastomicose (CBM) são doenças fúngicas endêmicas e negligenciadas (NTDs) com alta incidência e morbimortalidade na América Latina incluindo o Brasil. A HPM é causada pelo fungo dimórfico Histoplasma capsulatum e a CBM pelo fungo dematiáceo Fonsecaea pedrosoi. O nutriente cobre (Cu) é essencial para sobrevivência dos organismos, mas em quantidades altas pode ser tóxico. O hospedeiro utiliza mecanismos de limitação de Cu e/ou de toxicidade por excesso do metal como estratégias microbicidas. Como patógenos estes fungos devem apresentar mecanismos moleculares para adaptação e sobrevivência nestas condições encontradas nos sítios de infecção. Tanto a maquinaria de captação de Cu em baixa disponibilidade como a maquinaria de combate a toxicidade tem sido descritos como aspectos relevantes na patogênese de fungos e bactérias. No caso de H. capsulatum, estudos demostraram que a maquinaria de captação de Cu é importante para sobrevivência mais tardiamente, após o pico da imunidade adaptativa do hospedeiro. Entretanto, dados preliminares demonstraram que, nos estágios iniciais da infecção, a maquinaria de detoxificação de Cu é ativada e se mostrou importante para a virulência deste fungo. Estudos iniciais do genoma de F. pedrosoi mostraram que este patógeno apresenta maquinaria para captação em baixa disponibilidade bem como para detoxificação de Cu. Portanto esta proposta objetiva elucidar a relação do Cu com a virulência de dois fungos patogênicos humanos. Estes aspectos serão analisados utilizando ferramentas moleculares, como proteômica e RNAseq, para compreensão dos mecanismos moleculares e bioquímicos de manutenção da homeostase de cobre nos microrganismos; bem como construção de linhagens repórteres e mutantes para avaliação do papel dos genes de interesse na biologia e na virulência desses patógenos. Ainda, serão utilizadas ferramentas genéticas acopladas à proteômica para caracterização dos complexos regulatórios da homeostase do Cu.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Alexandre Ramalho Alberti

Engenharias

Engenharia de Produção
  • análise e otimização de políticas de manutenção oportuna e baseada na condição para sistemas complexos com dependência estocástica entre componentes
  • Com o desenvolvimento tecnológico do setor industrial, sistemas de manufatura cada vez mais complexos têm sido utilizados a fim de satisfazer requisitos de produção e segurança. Tais sistemas comumente são compostos por múltiplos componentes, que estão sujeitos a falhas durante a operação, com potenciais impactos negativos em aspectos diversos da gestão. A prática de manutenção preventiva tem sido difundida como um modo efetivo de garantir um bom desempenho de sistemas de manufatura, requerendo para tal métodos apropriados para apoiar o planejamento de ações de manutenção visando alcançar bons níveis de performance a um custo adequado. Duas estratégias de manutenção têm se destacado quando se trata da melhoria do desempenho de sistemas técnicos com reduzido desperdício de recursos: manutenção preditiva e manutenção oportuna. Manutenção preditiva pode ser definida como um conjunto de ações planejadas com base no monitoramento do estado do sistema, enquanto manutenção oportuna trata de se tirar proveito de condições que permitem adiantar a realização de ações de manutenção com o benefício de economias de escala. Tais estratégias têm o potencial de reduzir a frequência de ações preventivas, ao mesmo tempo em que se reduz a incidência de falhas. O objetivo deste projeto é desenvolver uma metodologia para apoiar o estabelecimento de políticas de manutenção oportuna e baseada na condição para sistemas complexos com componentes que apresentam relações de dependência estocástica (isto é, o nível de deterioração de um componente influencia o processo de deterioração de outros), e avaliar o potencial de tais políticas em comparação a práticas já difundidas. Para o processo de desenvolvimento, implementação e validação da metodologia de apoio, serão utilizados dados obtidos por meio de simulações e experimentos de bancada, técnicas de modelagem e algoritmos de otimização. Também será investigado o potencial de aplicação de inteligência artificial no contexto apresentado.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 07/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Alexandre Rodrigo Nishiwaki da Silva

Ciências Humanas

Educação
  • prevenção de violência contra a comunidade lgbt nas universidades brasileiras
  • As Universidades, antes reservadas apenas a uma pequena parcela da população, ao ampliarem o acesso, se vêem diante de novos desafios, tais como: garantir a diversidade e o respeito às diferenças, promover espaços de diálogo e construção de políticas específicas para diversos grupos sociais. Por outro lado, o processo inclusivo, induzido por políticas públicas, gerou também muitos conflitos. Não são poucos os relatos de violência, de tentativa de burlar as ações afirmativas, de isolamento, de preconceito, de aumento do suicídio, do adoecimento docente e discente. No que tange à violência contra a população LGBT, o levantamento publicado em 2018 pelo Ministério dos Direitos Humanos, aponta que foram registradas 2964 violações LGBTfóbicas, das quais uma média de 20% é de violência física contra lésbicas, transexuais, travestis e gays (BRASIL, 2018). Segundo Amaya e Ríos (2019), nas últimas décadas, as questões LGBT tornaram-se de interesse para a pesquisa internacional, tendo como vetores os movimentos reivindicatórios que almejam transformações sociais. O presente projeto tem como objetivo geral investigar a forma como as universidades públicas brasileiras realizam o acolhimento e a prevenção de violência contra a população LGBT. Para tanto, utilizaremos diferentes instrumentos: análise de documentos das universidades, tais como regimentos, Planos de Desenvolvimento Institucional e Políticas de Ações Afirmativas, com o intuito de localizar a existência ou inexistência de políticas específicas de proteção à população LGBT; análise, por meio da Metodologia Comunicativa de Investigação, da forma como os/as estudantes LGBT são atendidos/as no ambiente universitário, buscando os elementos que potencializam a violência e elementos que a previnem. Pretende-se com esta pesquisa, além de compreender a violência contra a população LGBT nas universidades, superá-la a partir de propostas que favoreçam o desenvolvimento acadêmico de todos e todas.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Alexandre Rossetto Garcia

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • tecnologias digitais para incremento da produtividade leiteira e bem-estar animal em sistemas de ilpf
  • A produção leiteira é uma das atividades agrícolas mais relevantes do Brasil, mas atualmente desafiada pela indisponibilidade de mão de obra rural e pelo estresse calórico imposto pelo clima tropical. O estresse pelo calor afeta aproximadamente 85% dos bovinos no país e determina substancial redução na produtividade, mas pode ser mitigado pela adoção de sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta (iLPF), que incorporam árvores nas pastagens, oferecem sombreamento natural e aumentam a fixação de carbono. Assim, o projeto tem como objetivo desenvolver ações de pesquisa avançada em pecuária de precisão que resultem em estratégias inteligentes para criação de bovinos, focando no uso direcionado de sensores, atuadores, softwares e aprendizado de máquina para elevação do bem-estar animal e da produtividade de vacas leiteiras mantidas em pastagens tropicais em sistema de iLPF. O projeto é multiinstitucional, durará 36 meses e será executado por equipe de excelência em pesquisa e desenvolvimento, e tem colaboração internacional. As coletas de dados serão realizadas na Embrapa Pecuária Sudeste. Serão usadas 50 vacas em lactação, alocadas em pastagens de iLPF e com acesso a ordenha autômata voluntária ("robô de ordenha"). As coletas de dados do ambiente, dos animais e das amostras de leite serão realizadas com periodicidade distinta, a depender de cada uma das ações de pesquisa planejadas e logicamente concatenadas. Marcos físicos de alcance bem definidos permitirão o acompanhamento objetivo e o cumprimento das metas. O Plano de Gestão concentrará atividades de gestão, difusão de tecnologias e comunicação institucional. Como resultados esperados, serão desenvolvidas metodologias inovadoras e processo de produção agropecuária capazes de automatizar tarefas hoje realizadas de forma laboriosa ou não adotadas nas propriedades leiteiras. As inovações pouparão mão de obra, melhorarão o bem-estar e a saúde dos animais, aumentarão a produtividade e a qualidade do produto final.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alexandre Silva de Vargas

Engenharias

Engenharia Civil
  • cimentos especiais à base de escória de aciaria elétrica a arco (eaea) ativada por co2 supercrítico
  • As escórias de aciaria elétrica a arco (EAEA), resíduos de siderúrgicas que utilizam o forno elétrico a arco para a produção do aço, diferente das escórias de alto forno, não são utilizadas na indústria cimenteira, pois apresentam óxidos livres de cálcio e magnésio, que, quando adicionadas em argamassas e concretos, tendem a ocasionar expansão do material e comprometer a sua durabilidade. Uma alternativa ao seu uso como material cimentício é a tecnologia de ativação acelerada por CO2, pois resistências à compressão da ordem de 35 MPa foram atingidas por amostras de EAEA. Porém, e se o processo de ativação for realizado por CO2 supercrítico? Poderia haver uma melhora no processo e assim produtos com maiores resistências à compressão? Assim, este projeto tem como objetivo identificar as condições ideais de ativação da EAEA por CO2 pressurizado e por CO2 supercrítico para a produção de cimentos especiais. Serão preparados corpos de prova (CPs) com traço, em massa, 1:3 (EAEA:areia). Na 1ª etapa, os CPs serão submetidos ao CO2 pressurizado e ao CO2 supercrítico, variando-se a temperatura, a pressão e o tempo de exposição. A partir dos resultados de resistência à compressão, será possível identificar a condição ideal de cada processo. Na 2ª etapa, novos CPs serão moldados e submetidos às condições ideais de ativação determinadas na 1ª etapa. Serão determinadas a resistência à compressão (alguns ensaios serão instrumentada para determinar o comportamento tensão-deformação do material), absorção, densidade relativa, porosidade e variação dimensional. Serão coletados fragmentos dos CPs submetidos aos ensaios de compressão e caracterizados morfológica (MEV), mineralógica (DRX) e microestruturalmente (FTIR). Na 3ª terceira etapa, os CPs serão expostos a altas temperaturas em forno elétrico, nos patamares de temperatura de 200, 400, 600 e 900°C, e após 91 dias da exposição, serão submetidos a ensaios de resistência à compressão, e os fragmentos analisados por MEV, DRX e FTIR.
  • Universidade Federal de Santa Maria - RS - Brasil
  • 18/04/2022-30/04/2025
Foto de perfil

Alexandre Suman de Araujo

Ciências Biológicas

Biofísica
  • estudo da ação e interação de peptídeos com potencial antimicrobiano e anti cancerígeno com modelos de membrana celular e cultura celular por métodos biofísicos teóricos, computacionais e experimentais.
  • O uso indiscriminado de antibióticos vem selecionando cepas bacterianas resistentes a um amplo espectro deste tipo de medicamento. Assim, o desenvolvimento de novas drogas que atuem por vias antibióticas ainda não exploradas e, principalmente, de difícil adaptação bacteriana, é de grande interesse na atualidade. Os peptídeos antimicrobianos (PAM) são pequenas cadeias polipeptídicas produzidas pelo sistema imune de alguns animais e vegetais e que apresentam ação, além de bactericida, contra vírus, fungos e células cancerígenas. O Polybia-MP-I (MP-I, ou simplesmente MP1) é um PAM extraído do veneno de uma vespa social nativa do Brasil, a Polybia paulista. O MP1, que é catiônico em pH fisiológico, atua sobre a membrana celular das bactérias, a qual é constituída por uma fração de fosfolipídeos aniônicos, induzindo poros e lise celular. Estudos recentes indicaram que a ação anticancerígena do MP1 pode estar associada ao fato de que as células tumorais apresentam um excesso de fosfolipídeos aniônicos em sua superfície. Os detalhes do mecanismo de ação do MP1 sobre células bacterianas e cancerígenas ainda não estão completamente esclarecidos. O uso de métodos biofísicos teóricos, computacionais e experimentais podem contribuir significativamente para o entendimento desse mecanismo em nível atômico/molecular, possibilitando explorar de modo racional o potencial antibacteriano e quimioterápico do MP1. Além disso, o conhecimento gerado para o MP1 pode ser usado para a proposta de moléculas sintéticas mais eficientes e seletivas. No presente projeto propomos o estudo do processo de adsorção e ação do MP1 e seus análogos sintéticos sobre bicamadas lipídicas, usadas como modelo de membrana celular, por meio de estudos analíticos das interações eletrostáticas envolvidas, simulações de dinâmica molecular, estudos experimentais biofísicos e experimentos em culturas de células cancerígenas e de bactérias.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alexsandra Maria Vieira Muniz

Ciências Humanas

Geografia
  • reestruturação produtiva e mercado de trabalho urbano metropolitano no contexto de inflexão ultraliberal e pandemia
  • Este estudo trata das recentes transformações na estrutura produtiva e no mercado de trabalho e seu impacto no território cearense, o que permitirá compreender a estrutura e dinâmica do trabalho industrial e o setor do comércio e de serviços, notadamente ligados aos ramos têxtil e confeccionista, calçados, alimentos e bebidas, construção e suas consequências socioespaciais. Tendo como recorte espacial as Regiões metropolitanas de Sobral, Fortaleza e do Cariri verificar-se-á o papel das cidades, notadamente a requalificação dos centros comerciais e os subcentros comerciais. Esta análise permitirá ainda a revisão da configuração espacial das regiões metropolitanas, a partir do novo REGIC e do estudo sobre os Arranjos Populacionais. Ademais, com os projetos estruturantes no Estado há uma redefinição de fluxos de investimento diante da descentralização do capital industrial, com impulso a interiorização e metropolização. Em contrapartida, o capital financeiro assume forte pressão no setor imobiliário e no turístico. Tanto a estrutura produtiva e espacial como o mercado de trabalho formal e informal têm sido duramente afetados pela atual crise econômica que se agrava na pandemia com rebatimento no território. A metodologia envolve revisão bibliográfica, levantamento de dados secundários e pesquisas de campo. A revisão da classificação das atividades econômicas solucionará o problema de termos uma classificação de atividades econômicas híbrida, em que as atividades produtivas estão classificadas segundo o nível de intensidade tecnológica e as atividades de serviços estão classificadas segundo sua função econômica. Para a análise interna das regiões metropolitanas, evidenciaremos o tipo de classificação que seria a mais adequada(RAIS/ PNAD contínua),bem como construindo classificações para análises específicas do urbano-Imobiliário;comércio eletrônico,serviços de tecnologia intensiva e conhecimento, assim como tradicionais. A delimitação temporal é 2014 até nossos dias.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alexsandra Rodrigues Feijão

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • adolescência e juventude e exposição ao hiv em estados brasileiros: análise epidemiológica, geoespacial e desenvolvimento de ações preventivas multiplicadoras
  • Considerando que a prevenção e promoção da saúde sexual poderá reduzir as taxas do HIV e AIDS os objetivos do presente estudo serão: avaliar o perfil epidemiológico e os fatores de risco de infecção pelo HIV entre adolescentes e jovens; desenvolver, validar, implementar e avaliar o efeito de ações de promoção da saúde sexual, prevenção e redução da exposição ao HIV e AIDS para adolescentes, jovens, profissionais de saúde e professores da educação básica. Trata-se de pesquisa de natureza quantiqualitativa, de multimétodo e sequenciada a ser realizada em cinco estados brasileiros (Goiás, Pará, Ceará, Paraná e Rio Grande do Norte). A população de estudo será selecionada de acordo com a área adscrita da Unidade de Saúde da Família sendo, adolescentes e jovens (10 a 24 anos), profissionais de saúde da atenção primária e professores da educação básica (fundamental e médio). O estudo contará com três grandes etapas, a saber: (1) Análise do cenário atual; (2) Desenvolvimento e validação de tecnologia educacional e (3) Implementação e avaliação de estratégias de enfrentamento do problema. A etapa 1 será constituída por dois subprojetos: 1a. estudo de caráter ecológico retrospectivo com abordagem quantitativa que envolverá a determinação da expressão geográfica do HIV e AIDS entre adolescentes e jovens (10 a 24 anos) nos estados, identificando-se os municípios com maiores incidências, bem como as zonas com maior pressão epidemiológica, correlacionando-se esses resultados com fatores geoespaciais facilitadores da propagação dessa infecção. Para isso serão usados dados secundários provenientes do Sistema de Informação de Agravo de Notificação (SINAN) da Secretaria de Saúde Pública dos estados, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do aplicado técnicas de georreferenciamento e; 2a. abordagem qualitativa utilizando-se o referencial teórico-metodológico da Fenomenologia Social de Alfred Schultz para compreender o risco do outro e o próprio risco em adquirir HIV e AIDS, (pré)conceitos, comportamentos e medidas usuais para conviver e/ou prevenir HIV e AIDS e as formas cuidativas de prevenção e/ou interrupção da cadeia de transmissibilidade. A etapa 2 será realizada após a etapa 1 composta pelo subprojeto 2: pesquisa exploratória, aplicada, de produção e validação tecnológica, tendo como finalidade a criação de tecnologia educacional direcionada à prevenção do HIV e AIDS de adolescentes e jovens de 10 a 24 anos de idade. Após a criação da tecnologia educacional, a validação ocorrerá de acordo com três dimensões: pedagógica, experiência do usuário e interface. A dimensão pedagógica, envolve o processo de ensino-aprendizagem, diz respeito ao desenvolvimento do sujeito, especialmente os que se preocupam com a ampliação dos recursos cognitivos. Já, a dimensão experiência do usuário avalia as experiências provocadas no jogador, a fim de tornar o jogo mais interessante. Permite refletir sobre a capacidade do jogo em motivar, desafiar, favorecer a concentração. E a dimensão interface, define se o jogo é de fácil compreensão para ser jogado. Será avaliado o grau de concordância em relação a cada uma delas em quatro padrões: 1- muito ruim; 2- ruim; 3- bom; 4- muito bom. A validação da tecnologia será realizada por especialistas em educação sexual de adolescentes da medicina, enfermagem, educação, computação e designer, equitativamente, seguindo a normativa da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) (ISO/IEC) 25062: 2011, que remete a avaliação da qualidade do produto de um software. A etapa 3 trata da avaliação do efeito das oficinas de prevenção e da intervenção tecnológica educacional. Será realizado um ensaio aleatorizado por conglomerados paralelos, em Unidade de Saúde da Família (USF) e escolas. A seleção dos conglomerados participantes se dará pela identificação das USF com maior número de adolescentes e jovens, segundo os dados consolidados pelas Secretarias Municipais de Saúde do ano anterior ao estudo. Eles serão aleatorizados para compor os grupos intervenção (dois grupos = oficinas de prevenção e da intervenção tecnológica educacional) ou controle (um grupo = medidas usuais universais). A aleatorização dos conglomerados será realizada em duas etapas: formação de três grupos balanceados de conglomerados tendo em conta o tamanho da população adscrita e, a segunda, se constituirá na alocação dos grupos entre intervenção e controle. Os sorteios serão realizados por meio da função de aleatorização do software Microsoft Excel 2013 (https://products.office.com/) – sequência de números gerados por computador. Em todos os momentos, previamente, levantar-se-á o Letramento em Saúde. Os dados quantitativos serão tabulados em planilha do Microsoft Office Excel 2016 e as análises estatísticas realizadas por meio da utilização do SPSS® realizando-se a análise descritiva mediante cálculos de frequência absoluta e relativa, a análise bivariada e multivariável realizando-se o teste do qui-quadrado e regressão logística binária. A seleção das variáveis de confundimento que entrarão no modelo ajustado seguirá critério matemático e teórico. O nível de significância adotado nas análises será de p≤0,05. Espera-se que os resultados desse estudo possam traçar o diagnóstico situacional em saúde para o HIV e AIDS nos cinco estados brasileiros, desenvolver metodologias educacionais em saúde sexual eficazes e serem difundidas em outros estados e, ampliar o acesso à medidas de prevenção para reduzir a exposição ao HIV e AIDS, tanto pelos adolescentes/jovens quanto pelos profissionais de saúde, professores da educação básica e contribuir para a implementação de estratégias de combate ao HIV e AIDS pelas autoridades de saúde local, regional e nacional.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 02/03/2020-31/03/2023
Foto de perfil

Alexsandro da Silva

Ciências Humanas

Educação
  • letramento e alfabetização na educação infantil e nos primeiros anos do ensino fundamental: um estudo no âmbito de políticas públicas brasileiras das últimas décadas
  • Este projeto de pesquisa inscreve-se no quadro mais amplo dos estudos que se dedicam a investigar os processos de letramento e de alfabetização, na educação Infantil e nos primeiros anos do ensino fundamental, considerando as articulações, por um lado, entre letramento e alfabetização e, por outro, entre educação infantil e ensino fundamental. O estudo assume como objetivo geral investigar concepções teóricas e proposições metodológicas referentes ao letramento e à alfabetização na educação infantil e nos primeiros anos do ensino fundamental em documentos oficiais nacionais que materializam políticas públicas brasileiras das últimas décadas. Contempla, como procedimento metodológico, a análise de documentos oficiais nacionais – que serão tratados por meio da análise temática de conteúdo – relativos às seguintes políticas públicas brasileiras: BNCC (2017); Parâmetros Curriculares Nacionais – Língua Portuguesa – 1ª a 4ª séries (1997); Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil (1998); Política Nacional de Alfabetização (2019); Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (2012); Pró-Letramento: Programa de Formação Continuada de Professores dos Anos/Séries Iniciais do Ensino Fundamental (2005); PROFA: Programa de Formação de Professores Alfabetizadores (BRASIL/MEC/SEF, 2001). Considerando o escopo desta investigação, compreendemos que ela poderá aportar significativas contribuições para um exame crítico das continuidades e das descontinuidades das concepções teóricas e das proposições metodológicas assumidas no âmbito de políticas curriculares e de formação continuada de professores alfabetizadores das últimas décadas, no cenário brasileiro, no que concerne ao letramento e à alfabetização.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 07/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Alfred Sholl Franco

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • x olimpíada brasileira de neurociências
  • As Olimpíadas de Neurociências (Brain Bee) são competições de neurociências para estudantes do ensino médio, que surgiram em 1998, no âmbito da década do cérebro, cujo principal objetivo é despertar o interesse dos estudantes para o conhecimento científico relacionado às neurociências. A participação em Olimpíadas de Neurociências é um importante motivador da juventude para aprender mais sobre as ciências do cérebro. Precisamos despertar este interesse e motivar os jovens para que estes usem sua energia e sua paixão para ajudar a estudar/conhecer, assim como a encontrar a cura/tratamento para doenças como autismo, doença de Parkinson, esclerose múltipla, lesão da medula espinhal e outros transtornos do sistema nervoso. A X Olimpíada Brasileira de Neurociências (X OBN) será realizada em duas fases, sendo a primeira classificatória e eliminatória e a segunda apenas classificatória, nos dias 16 de julho e 30 de julho de 2022. A depender da evolução da atual pandemia do coronavírus e das orientações das autoridades sanitárias, a competição ocorrerá de forma exclusivamente online ou, se presencial, será sediada no Centro de Ciências da Saúde, na Universidade Federal do Rio de Janeiro. A competição contará com avaliações teóricas e práticas, mas também com palestras para o público em geral e uma mesa redonda sobre neurociências e temas relevantes para o público jovem, como a carreira do neurocientista, uso de drogas, estresse e outros. Contaremos com competidores provenientes de pelo menos 19 comitês locais, além das dezenas de células descentralizadas pelo país. Assim, a competição nacional selecionará o representante brasileiro que irá participar da 22a International Brain Bee. Trata-se de uma oportunidade para reforçar o potencial brasileiro na produção científica e divulgação das neurociências entre os estudantes do ensino médio, além de favorecer a consolidação desta iniciativa e o fomento à formação de novos comitês locais em todo o território nacional.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 23/12/2021-31/12/2023
Foto de perfil

Alfred Sholl Franco

Engenharias

Engenharia Civil
  • ix olimpíada brasileira de neurociências
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 28/05/2021-31/05/2023
Foto de perfil

Alfredo Carlos Storck

Ciências Humanas

Filosofia
  • scholastica colonialis: a filosofia escolástica no período colonial
  • 1. Investigação acerca de um período pouco estudado na história da filosofia: a recepção da filosofia no período colonial: análise das técnicas de ensino, modalidades de difusão do conhecimento filosófico, levantamento de autores e obras do período. 2. A caracterização da Scholastica colonialis como ciclo de produção do conhecimento filosófico no início da modernidade. A transmissão da filosofia europeia e seu impacto no período colonial. 3. A proliferação de universidades e centros de formação fora do continente europeu é acompanhada da formação de um nome gênero literário: o cursus philosophicus. O objetivo é do projeto consiste em analisar as variedades desse modelo, seu impacto na definição dos currículos, as principais correntes filosóficas que atuaram na confecção desse modelo. 4. O projeto pretende investigar a produção filosófica do período colonial, analisando como as teses interpretativas ad mentem Thomae e ad mentem Scoti influenciarão na caracterização de diversos problemas filosóficos: natureza da lógica, dos transcendentais, da natureza dos atos cognitivos, da justiça, da redistribuição. 5. O material apresentado durante o projeto evidencia não somente a existência das duas correntes interpretativas acima mencionadas, mas também oferece indícios de outras que permanecem completamente inexploradas e que necessitam ser completamente inventariadas. 6. Análise prosopográfica do material, com disponibilização de autores, obras, biografia e elaboração de material explicativo.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 23/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Alfredo Ribeiro Neto

Engenharias

Engenharia Sanitária
  • risco associado a eventos extremos hidrometeorológicos e medidas adaptativas no nordeste e amazônia.
  • Os biomas Caatinga e Amazônia são reconhecidamente hotspots diante de cenários do clima futuro. Os impactos nessas regiões serão mais graves devido à provável intensificação do clima e do regime hidrológico, que leva ao aumento da frequência dos eventos extremos de seca e cheia. Além dos dois biomas citados, a pesquisa se propõe a estudar os efeitos da intensificação do clima em cidades da zona costeira como, por exemplo, as localizadas no Estado de Pernambuco. A pesquisa utilizará análise de risco considerando o clima presente e futuro para, em seguida, propor medidas adaptativas que visam o aumento da resiliência dos sistemas estudados. Para isso, as seguintes etapas devem ser realizadas. Seleção de indicadores e índices. Inicialmente, deve-se levantar os indicadores utilizados em trabalhos realizados no âmbito do território brasileiro. Exemplos que podem ser citados são o Plano Nacional de Segurança Hídrica (PNSH) (ANA, 2019) e a Quarta Comunicação Nacional (4CN) (MCTI, 2019). Parte das dimensões dos dois estudos citados acima tem como base indicadores relacionados a eventos extremos. É o caso da disponibilidade hídrica dada pela vazão com 90% de permanência (Q90), resiliência (reservação de água, potencial de armazenamento subterrâneo e variabilidade pluviométrica), ecossistêmica (vazão Q95) e vulnerabilidade a inundações. Processamento dos dados. Os dados básicos para o cálculo dos indicadores consistem de variáveis hidrometeorológicas como precipitação, temperatura do ar, vazão nos rios, armazenamento em aquíferos, umidade do solo, dentre outras. Dados medidos em estações in situ, produtos de sensoriamento remoto, reanálises e Modelos de Circulação Global (MCG) compõem o rol de possibilidades de fontes. Para a avaliação relacionada aos cenários do IPCC, deve-se utilizar os dados provenientes das simulações dos Modelos de Circulação Global (MCG) do Coupled Model Intercomparison Project Phase 6 (CMIP6). Modelagem hidrológica e cálculo dos índices. Após seleção, os indicadores serão calculados com base nas variáveis hidrometeorológicas. A vazão nos rios será uma variável chave na análise de eventos extremos associados à segurança hídrica nas áreas de estudo. Com as séries temporais de descargas nos rios, será possível calcular as vazões de referência Q5, Q10, Q90, Q95 e Q7,10. Para a obtenção das séries de vazões, será selecionado um modelo que permita a representação dos processos hidrológicos tendo como entrada a precipitação, evapotranspiração potencial, mapas de cobertura e uso da terra, tipo de solo, dentre outras informações. Dois modelos são potenciais candidatos para simulação nas áreas de estudo. O Modelo Hidrológico de Grandes Bacias (MGB-IPH) já foi aplicado satisfatoriamente em escalas comparáveis às que o projeto se propõe a estudar (Ribeiro Neto et al., 2016; Brêda et al., 2020). Outra possibilidade é o modelo WRH-Hydro Modelling System (WRF-Hydro) desenvolvido no National Center for Atmospheric Research dos Estados Unidos (NCAR) (Gochis et al., 2014). Risco de impacto. Tomando-se o arcabouço teórico proposto em IPCC (2014), o risco de impacto será estimado com as dimensões de ameaça climática, vulnerabilidade e exposição. Na literatura, as análises de risco seguem normalmente essa tríade e atuam na quantificação da frequência dos eventos e de seus respectivos danos. Consequentemente, análises probabilísticas podem ser executadas para o desenvolvimento de índices e mapeamento do risco. A dimensão da ameaça climática será tratada conforme descrito nos itens anteriores da metodologia (processamento de dados do CMIP6, simulação hidrológica e cálculo dos indicadores). A vulnerabilidade será composta por indicadores capazes de representar os aspectos de sensibilidade dos sistemas e da capacidade adaptativa nas condições atuais das áreas de estudo. A exposição deve seguir estratégia semelhante no que diz respeito à sua caracterização conforme as condições atuais. Estratégias de recuperação hídrica no NEB. É necessário desenvolver ações que garantam o aumento do estoque de água continental no NEB considerando as magnitudes dos impactos já observados na disponibilidade hídrica e também em condição de aquecimento de 2°C na temperatura regional, que para a região é esperado ocorrer entre 2040 e 2050. Medidas de adaptação. IPCC (2014) chama a atenção para a importância da busca de soluções e medidas adaptativas em consonância com o desenvolvimento sustentável. São os casos, por exemplo, de incremento de infraestruturas e consumo que podem trazer consequências para o meio ambiente. Há opções para adaptação que envolvem de um lado, a melhora na gestão da demanda por água e, por outro lado, a ampliação e garantia de serviços ambientais úteis para lidar com os extremos hidrometeorológicos. Em qualquer situação, o fortalecimento do arcabouço responsável pelo gerenciamento dos recursos hídricos é essencial no enfrentamento dos impactos advindos da variabilidade climática do presente e das mudanças futuras. O Plano Nacional de Segurança Hídrica será investigado através da estrutura de análise socioecológica apresentada por Ostrom (2009). Outras estruturas de investigações de sistemas socioecológicos também poderão ser consideradas no decorrer do projeto.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 15/12/2020-31/12/2023