Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Adair Mendes Nacarato

Ciências Humanas

Educação
  • as práticas docentes e as prescrições curriculares oficiais
  • Recentemente, a comunidade brasileira tem se deparado com várias reformas educacionais, a exemplo da Base Nacional Curricular Comum (BNCC), que têm prescrito novas formas de organizar e padronizar o trabalho docente. Nesse sentido, pautando-nos na perspectiva histórico-cultural, na abordagem enunciativo-discursiva e na interface com o método (auto)biográfico na produção de narrativas, o presente projeto tem como objetivo geral investigar e analisar as prescrições curriculares oficiais, identificando quais são elas, como elas chegam até à escola e como os professores organizam seu trabalho diante dessas prescrições tendo em vista a heterogeneidade de alunos presente nas salas de aula. Tem ainda como objetivos específicos: 1) Identificar quais os principais documentos que são dirigidos ao professor da educação básica e que interferem na sua prática pedagógica; 2) Conhecer como essas prescrições promovem a intensificação do trabalho docente; 3) Problematizar, junto com os professores, a natureza desses documentos e, colaborativamente, planejar ações para a sala de aula; 4) Conhecer como tais prescrições contemplam (ou não) a educação inclusiva e como os professores vêm lidando com ela; 5) Buscar indícios de transformações de práticas dos professores, a partir da problematização e de ações compartilhadas; 6) Produzir um banco de dados de documentação narrativa dos professores que possa contribuir para a formação continuada e inicial de professores no curso de Pedagogia. Para atingir tais objetivos, será constituído um grupo, de caráter colaborativo, formado por professores convidados do ensino fundamental das redes municipais de ensino e pelas pesquisadoras vinculadas à universidade e responsáveis pelo projeto. A pesquisa será de abordagem qualitativa, na perspectiva da pesquisa-ação-formação e terá como fonte de produção de dados as narrativas escritas e orais das participantes, bem como episódios de suas práticas de aula. Não há, na perspectiva que adotamos, como estabelecer categorias de análise a priori, mas temos como hipótese de que, no movimento interativo e dialógico, emergirão discussões acerca de: como os professores vão ressignificando o sentido das prescrições que regem as questões do ensino; como as vozes dos outros (da teoria, dos participantes, das pesquisadoras etc.) podem contribuir para a ressignificação das práticas docentes; de que forma o conhecimento partilhado e colaborativo pode contribuir para a formação continuada.
  • Universidade São Francisco - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Adair Roberto Aguiar

Engenharias

Engenharia Civil
  • comportamento singular de sólidos no contexto de teorias local e não-local
  • A teoria de elasticidade linear clássica prediz fenômenos espúrios, tais como a autointerseção da matéria, na vizinhança de pontos interiores de sólidos anisotrópicos, cantos e vértices de trincas. A autointerseção, por sua vez, está associada à violação da condição cinemática $J>0$, em que $J$ é o determinante do gradiente de deformação, em uma região próxima destes pontos. Tipicamente, o surgimento deste fenômeno espúrio está relacionado a alguma singularidade no campo de deformação. Uma maneira de impor $J>0$ combina a teoria de elasticidade linear clássica com uma técnica de multiplicadores de Lagrange. O problema de minimização com restrição associado é altamente não linear, podendo admitir mais de um minimizador e, em geral, requer uma solução numérica. Esta teoria de minimização com restrição juntamente com uma formulação de penalidade têm sido utilizadas na investigação teórico-numérica de problemas com soluções radialmente simétricas. Neste projeto continuaremos investigando a existência de soluções que não sejam radialmente simétricas. Estas soluções são diferenciáveis em quase todos os pontos do sólido e os problemas correspondentes são formulados no contexto de uma teoria local clássica. Teorias não locais têm sido propostas para modelar o comportamento de sólidos na vizinhança de pontos singulares, tais como vértices de trincas e pontos sobre interfaces entre diferentes materiais. Em particular, na teoria peridinâmica utiliza-se o conceito de interação entre partículas separadas por distânicas finitas entre si para reescrever a equação de movimento em termos das forças de interação correspondentes. Estas forças são dadas em termos dos deslocamentos relativos entre as partículas, o que possibilita aplicar a equação governante resultante diretamente sobre superfícies de descontinuidade, tais como as bordas de uma trinca ou as interfaces materiais que podem aparecer como resultado da deformação de um sólido. Neste projeto daremos continuidade ao desenvolvimento de uma teoria peridinâmica que seja fisicamente plausível e matematicamente acessível à análise.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Adair Roberto Soares dos Santos

Ciências Biológicas

Fisiologia
  • estudo pré-clínico e clínico do efeito da acupuntura e terapia manual no manejo da dor: pesquisa translacional
  • A dor é um importante problema clínico, social e econômico, no mundo inteiro. A estimativa é que 20% dos adultos sofrem de dor, sendo que esse dado pode variar entre países, podendo atingir índices que chegam a 25% da população diagnosticada com dor crônica. Sendo assim, existem importantes razões para considerar seu tratamento como uma prioridade na saúde pública, não só por sua alta prevalência, mas também como sendo um fenômeno multifatorial, dinâmico e difícil de quantificar, o que dificulta seus dados epidemiológicos em todo mundo. A dor é uma queixa clínica importante, com reflexos negativos na vida social das pessoas, trazendo prejuízo na produtividade e na economia. Além disso, o manejo inadequado da dor é desumano e pode resultar no aumento da morbidade ou mortalidade. Tanto na dor somática, quanto na visceral, o alívio da dor, com o mínimo de efeitos secundários é o principal foco independente da doença que acompanha. A eficácia do tratamento bem como as considerações de ordem econômica é priorizada apesar de que esses objetivos não são alcançados com os fármacos comumente prescritos. No Brasil ainda não possuímos dados concretos, porém acredita-se que os custos com o tratamento da dor também sejam altos e pouco efetivos. Todos os analgésicos comumente usados têm limitações importantes quando usados no controle da dor crônica. Por exemplo, o uso prolongado de paracetamol (acetaminofeno) pode causar alterações na função hepática que são exacerbadas pelo consumo concomitante de álcool e antiinflamatórios não esteroidais estão associados a efeitos colaterais renais, gastrointestinais e cardiovasculares potencialmente graves. Os efeitos colaterais dos analgésicos opiáceos são constipação e sedação (particularmente em idosos) e o tratamento em longo prazo também pode levar à tolerância, hiperalgesia, dependência e uso indevido. Todavia, pacientes com dor crônica frequentemente não respondem bem a uma única abordagem de tratamento, bem como necessitam de cuidados de longa duração com reavaliações frequentes e ajuste da terapia. Tal fato ocorre devido a multiplicidade de fatores que contribuem para a dor crônica. O Laboratório de Neurobiologia da Dor e Inflamação (LANDI), o qual sou coordenador, gradativamente vem procurando formar um grupo de pesquisa multi- e transdisciplinar no manejo da dor. O LANDI desenvolve pesquisa com abordagem farmacológica, em que estuda as propriedades antinociceptivas (analgésicas) e anti-inflamatórias de produtos de origem sintética ou natural, em especial os derivados de plantas medicinais por meio da Etnofarmacologia. Todavia, nos últimos anos o LANDI vem trabalhando em projetos que visam estudar, por meio do uso de ferramentas farmacológicas, o efeito analgésico e anti-inflamatório, bem como o mecanismo de ação da acupuntura, terapia manual, exercício físico e fototerapia (emprego do LASER e LED). Neste sentido, a presente proposta visa estender os dados do nosso grupo acerca do efeito da acupuntura e da terapia manual no controle da dor aguda e crônica de origem pós-operatória, neuropática e muscular (DA SILVA et al., 2011, 2015; CIDRAL-FILHO et al., 2011; MORÉ et al., 2013; MARTINS et al., 2011, 2012, 2013, 2013a). Considerando que de maneira geral a dor crônica é de difícil tratamento e que as drogas disponíveis apresentam baixa eficácia e muitos efeitos colaterais, a realização de pesquisas pré-clínicas e clínicas que possam fornecer subsídios neurofisiológicos do efeito terapêutico da acupuntura e terapia manual são relevantes. Entre as dores crônicas de relevância e impacto na sociedade destaco a fibromialgia (FM) e a dor lombar (DL). A FM é uma síndrome bastante comum, caracterizada por dores articulares e musculares generalizadas, onde também se pode observar a presença de fadiga, alterações do humor, do sono e da cognição. Estima-se que sua prevalência chegue próxima a 5% da população, ocorrendo principalmente em mulheres, com idade que varia de 35 a 60 anos. A etiologia da FM não foi completamente elucidada, contudo, evidências recaem sobre a sensibilização do sistema nervoso central (SNC), o que leva ao quadro de hiperalgesia, alodínia e distúrbios autonômicos. Por outro lado, a DL é uma condição clínica que afeta 90% da população em algum momento da vida, sendo que nos últimos 10 anos esse quadro clínico aumentou em 162%. Muito disso se deve a vida agitada do dia-a-dia. Estudos nos mostram que fatores biopsicossociais como catastrofização, cinesiofobia, ansiedade, depressão, estresse e insatisfação no trabalho, e preocupação financeira podem ser problemas associados com a DL. Ademais, acreditamos fortemente que os dados gerados a partir deste projeto podem fornecer subsídio científicos que reafirmaram a importância da utilização destas práticas no controle da dor crônica no Sistema Único de Saúde (SUS), tendo em vista as políticas relacionadas as Práticas Integrativas e Complementares (PICs). Com isso, podemos contribuir fornecendo dados científicos para a utilização da acupuntura e terapia manual na atenção básica como forma de reduzir a dor e melhorar a qualidade de vida das pessoas com dor crônica. Assim, a presente proposta pretende dar continuidade aos estudos desenvolvidos no LANDI visando avaliar os efeitos da acupuntura e terapia manual no controle da dor e inflamação associado a fibromialgia e lombalgia por meio de uma abordagem da pesquisa translacional, utilizando estudos pré-clínicos e clínicos. Além disso, no decorrer do desenvolvimento do presente projeto pretende-se dar continuidade à formação de pessoal em nível de graduação (iniciação cientifica) e pós-graduação (mestrado e doutorado).
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Adaíses Simone Maciel da Silva

Ciências Biológicas

Botânica
  • briófitas em habitats com elevadas concentrações de elementos tóxicos: diversidade taxonômica, fenotípica e epigenômica
  • Apesar dos esforços recentes para gerar produtos de uma forma limpa e sustentável, o nível de resíduos tóxicos produzidos por indústrias e pela agricultura, que contaminam os solos e as bacias hídricas, continuam aumentando no Brasil e no mundo. Por outro lado, estes mesmos solos contaminados podem ser colonizados por crostas biológicas (biocrusts) que reúnem diferentes organismos, tais como, briófitas, líquens, fungos, algas e cianobactérias, constituindo um verdadeiro microcosmo extremamente importante para retenção da umidade e ciclagem de nutrientes. Neste contexto, as briófitas, plantas antigas com ciclo de vida curto e adaptações surpreendentes para dessecação, surgem como excelentes modelos para estudos de tolerância, plasticidade e adaptação a condições de estresses abióticos. Visto que o desenvolvimento vegetal é amplamente governado por mecanismos genéticos e epigenéticos, os quais ativam programas fisiológicos e alteram o fenótipo em resposta a sinais ambientais, nossos principais objetivos neste projeto são: 1) Identificar espécies de briófitas estabelecidas em ambientes com alta concentração de metais e metaloides; 2) avaliar o potencial de tolerância dessas espécies a metais e metalóides em condições controladas e seu potencial para modificar características físico-químicas de solos contaminados; 3) caracterizar a plasticidade fenotípica de algumas dessas espécies em resposta a metais; 4) determinar a variabilidade epigenética possivelmente associada a mecanismos de tolerância. Importante ressaltar que este projeto pretende abordar três aspectos de inovação relevantes e correlacionados, ou seja, um inventário taxonômico e florístico de briófitas associadas a áreas com contaminação de metais (metais/metalóides), um estudo da tolerância e plasticidade de briófitas em resposta a diferentes níveis de contaminantes, e a investigação dos mecanismos moleculares associados a adaptação a esses estresses abióticos. Assim, as perspectivas envolvem a descoberta de novas espécies com potencial fitorremediador bem como a compreensão de mecanismos de plasticidade e adaptação em resposta a estresses em plantas.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Adalberto Luis Val

Ciências Biológicas

Biologia Geral
  • inct para adaptações da biota aquática da amazônia - adapta-ii
  • A diversidade biológica existente nos diversos ambientes aquáticos da Amazônia é uma “mina de ouro” biológica. São milhares de espécies de mamíferos, peixes, crustáceos, insetos, plantas, algas, fungos e microrganismos que se espalham desde os grupos ancestrais até os grupos mais especializados. Entre os peixes, por exemplo, encontram-se arraias e acarás vivendo em simpatria; enquanto aquelas pertencem ao grupo dos peixes cartilaginosos que apareceram há cerca de 400 milhões de anos, os acarás constituem um grupo altamente especializado que apareceu mais recentemente. O genoma dessas espécies encerra um conjunto especial de informações que, a despeito de dar origem a uma “marcante unidade bioquímica”, possibilita a geração da diversidade biológica que marca a Amazônia, em particular o ambiente aquático. Estamos muito longe de conhecer a diversidade que podemos ver a olho nu ou sob as lentes de um microscópio, e mais distante ainda, de conhecer o rol de informações que o genoma de cada animal ou planta encerra. Por isso, não raras vezes, temos colocado a Amazônia aos lado de sistemas também desconhecidos como o Mar e o Espaço Sideral. No entanto, o processo de ocupação desordenado que ocorre desde o “descobrimento” do continente americano, em conjunto com a ação do homem moderno no planeta, que divide o ônus do desenvolvimento, como, por exemplo, os efeitos das mudanças climáticas, coloca em risco essa “mina de ouro” biológica aquática, já que os corpos d’água são os receptores finais dessas atividades. Cabe à ciência antecipar-se e produzir informações robustas que permitam a mitigação de efeitos, ou a adaptação aos novos cenários ou, ainda, a compatibilização da expansão urbana, da construção de hidroelétricas, da abertura de estradas, da mineração, do aquecimento global com a conservação ambiental. O conhecimento adquirido na fase inicial do ADAPTA, veiculado em centenas de artigos científicos, dissertações e teses, permite-nos avançar de forma segura e contribuir com informações robustas para a conservação ambiental, para a mitigação dos efeitos das mudanças ambientais e, a partir da habilidade adaptativa de plantas e animais, desenhar processos e buscar novos produtos que permitam ampliar a inclusão social e a geração de renda. Evidentemente, um forte compromisso com a capacitação de pessoal em todos os níveis e a socialização da informação, por meio de unidades demonstrativas, vão permitir que a finalidade social da informação produzida se concretize. Para isso, a presente proposta, baseada no conjunto de informações produzido até aqui, utilizará desde ferramentas convencionais da biologia até tecnologias de última geração, como a genômica, a transcriptômica e a metabolômica, para alcançar os objetivos e será desenvolvida valendo-se das seguintes estratégias: a) experimentos em laboratório e sob condições controladas, com uso de microcosmos que simulam os cenários ambientais previstos pelo IPCC para o ano 2100, já em funcionamento; b) análise comparativa de peixes, plantas e invertebrados vivendo em ambientes naturais com diferentes características ou expostos a ambientes modificados pelo homem; c) avaliação de ação para recuperação de um trecho de igarapé poluído com vistas à produção de um processo a ser aplicado em outros sistemas; d) contribuição para o estabelecimento de uma espécie de peixe tropical amazônica para a aquicultura mundial; e) contribuição para a definição de uma espécie de peixe tropical modelo para experimentação laboratorial; f) capacitação de pessoal em todos os níveis acadêmicos; g) socialização da informação por diversos meios; h) cooperação técnico-científica e intercâmbio de estudantes para assegurar a continuidade dos estudos; e i) interação com INCTs envolvidos com recursos hídricos de outras regiões, incluindo a criação de um programa de doutorado internacional em recursos aquáticos. A presente proposta prevê a colaboração de mais de duas dezenas de laboratórios brasileiros associados, localizados em diferentes regiões do país, liderados por pesquisadores com destaque acadêmico, vários com bolsas de produtividade, bem como de mais de uma dezena de pesquisadores estrangeiros de destaque internacional (vide lista de participantes). A consecução da presente proposta resultará na produção de informações robustas, inéditas, que contribuirão de forma marcante com o avanço científico no que se refere a questões centrais da biologia, da bioquímica, da fisiologia e da ecologia, com o desenvolvimento sustentável da região, ao produzir informações que balizam a tomada de decisões, e com a capacitação de pessoal de alto nível para as instituições locais. Por fim, é importante destacar que a proposta alinha-se com as áreas estratégicas estabelecidas pelo Governo Federal do Brasil e envolve os seguintes temas considerados estratégicos pelo edital: Tecnologias ambientais e mitigação de mudanças climáticas, Biotecnologia e uso sustentável da biodiversidade, Agricultura (aquicultura), e Saúde e fármacos.
  • Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - AM - Brasil
  • 25/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

Adalberto Pessoa Junior

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • desenvolvimento de processo biotecnológico para produção do biofármaco antileucêmico l-asparaginase recombinante: otimização e estudo de viabilidade econômica
  • A L-asparaginase (ASNase) é um importante biofármaco utilizado no tratamento de neoplasias do sistema linfático, principalmente a leucemia linfoide aguda. No Brasil este medicamento, obtido por processo biotecnológico, é fornecido pelo SUS. Entretanto o País ainda não possui a tecnologia de produção, sendo totalmente dependente da oferta de empresas internacionais. A crise de desabastecimento da ASNase é discutida desde 2011, mas se agravou recentemente em função de questionamentos sobre o processo de compra e a qualidade da ASNase fornecida. Atualmente sua aquisição é tema de debate entre a sociedade, médicos, acadêmicos e governo, evidenciando a urgência da autonomia do Brasil na produção da ASNase para aplicação farmacêutica. O presente projeto busca o desenvolvimento de um processo nacional e industrialmente viável para produção biotecnológica da ASNase. Para tanto, será utilizada a bactéria E. coli BL21(DE3) capaz de superexpressar uma ASNase resistente a proteases plasmáticas. Serão estudados a os parâmetros nutricionais e operacionais para otimização do processo fermentativo em biorreatores em condições de serem utilizadas para produção em escala ampliada, por meio do cultivo em alta densidade celular, por processo descontinuo-alimentado, e a melhor estratégia de purificação afim de se obter alta produtividade de ASNase. Também serão estudadas as alterações a nível de membrana e pH intracelular durante o processo de produção, com objetivo de compreender mais profundamente os mecanismos de exportação da enzima e a influência das condições de cultivo na fisiologia celular de forma a facilitar e aumentar o rendimento das operações unitárias de purificação. Como suporte ao desenvolvimento do processo, serão realizadas análises proteômica e transcriptômica das células, a fim de monitorar alterações no genótipo e fenótipo celular como resposta às condições de estresse, sobretudo por causa das elevadas concentrações celulares, durante o cultivo em sistema descontínuo-alimentado. Outro parâmetro importante a ser estudado será a viabilidade técnico-econômica do processo a partir dos resultados experimentais de otimização do cultivo e purificação da enzima, cujo objetivo será auxiliar na busca da estratégia de produção do biofármaco com menor custo. Com este projeto espera-se obter resultados fundamentais para o estabelecimento de processo biotecnológico com geração de um biofármaco inovador (L-asparaginase de E. coli recombinante resistente a proteases plasmáticas, com maior meia vida sanguínea), com potencial para exportação (uma vez que apresenta características farmacocinéticas e farmacodinâmicas potencialmente superiores aos biofármacos encontrados no mercado), a ser transferido para produção em condições de desenvolvimento em BPL (Boas Práticas de Laboratório) e de BPF (Boas Práticas de Fabricação), que contribuirão fortemente para o desenvolvimento científico e tecnológico do País. O projeto contribuirá para a implementação de tecnologia nacional inovadora na produção de biofármaco antileucêmico, com potencial para ser transferido ao setor produtivo visando aos mercados nacional e internacional, e geração de importantes conhecimentos científicos e tecnológicos de forma a reduzir a dependência tecnológica do Brasil nesta área do conhecimento, com formação de recursos humanos de alto nível nas diferentes áreas da biotecnologia (do upstream ao downstream). Vale ressaltar que a produção de um biofármaco de grau farmacêutico e injetável pelo Brasil irá abrir caminhos para viabilizar o desenvolvimento e produção de novas biomoléculas de alto valor agregado pelo Brasil.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Adalmir de Oliveira Gomes

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • desempenho de organizações policiais no brasil
  • O desempenho de organizações policiais em geral e da polícia em particular constitui tema de alta relevância política e social. Conhecer o desempenho da polícia é necessário para satisfazer as exigências de prestação de contas e buscar a melhoria dos seus serviços. A sociedade aspira por conhecer medidas confiáveis do desempenho policial para permitir a consecução de resultados relevantes com os recursos disponíveis. O serviço prestado pelas polícias inclui interesses difusos e conflitantes, o que dificulta um consenso sobre quais devem ser os seus objetivos prioritários, o que deve ser medido, e quais indicadores deveriam ser utilizados para medir o desempenho policial. Aliado a isso, trata-se de tema pouco estudado com a lente da administração. Neste sentido, o presente projeto tem como objetivo identificar dimensões que expliquem o desempenho da Polícia Federal, em seu segmento de polícia judiciária, e da Polícia Militar, bem como propor indicadores que permitam implementar sistemas de avaliação desses segmentos policiais no Brasil. Por meio da revisão de literatura para a construção do projeto foi possível identificar a existência de uma lacuna do conhecimento a respeito do desempenho de organizações policiais brasileiras, o que torna relevante a pesquisa para suprir tal carência e oferecer subsídios para a formulação e melhorias de políticas públicas relacionadas com o desempenho dessas instituições. O método a ser utilizado na pesquisa é quali-quanti, com pesquisas documentais, entrevistas, survey e análise de dados numéricos secundários. São previstos os seguintes resultados: a) dois relatórios de pesquisa, sendo um relativo à Polícia Federal e outro à Polícia Militar; b) duas teses de doutorado em Administração; c) dois trabalhos de iniciação científica concluídos; d) quatro trabalhos publicados em anais de eventos científicos; e) quatro artigos publicados em periódicos científicos de alta qualidade; f) dois seminários para apresentação e discussão de resultados junto às polícias pesquisadas; e g) duas escalas de medição do desempenho da atividade policial. Os resultados da pesquisa podem oferecer informações que auxiliem na criação de ferramentas de monitoramento e gerenciamento das atividades das organizações policiais brasileiras, o que permitiria o aprimoramento das suas ações, resultando na racionalização de recursos públicos e na melhoria dos serviços prestados. O estudo proposto também proporcionará conhecimentos novos a respeito de desempenho policial e pode incentivar o início de uma cultura de avaliação do desempenho nas organizações que compõem o sistema de segurança público do país.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Adalto Rodrigues Gomes dos Santos Filho

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • aplicações de campos escalares a espalhamento de kinks e problemas de energia escura
  • Procura-se neste projeto de pesquisa abordar alguns tópicos fundamentais de física de campos escalares. Usando o formalismo de teoria clássica de campos iremos abordar os seguintes problemas: i) Estudar espalhamento de kinks procurando entender efeitos de teorias não-integráveis; ii) Investigar modelos cosmológicos acoplados no setor escuro como uma abordagem do problema da coincidência cósmica.
  • Universidade Federal do Maranhão - MA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Adebaro Alves dos Reis

Ciências Humanas

História
  • v feira de ciência, tecnologia e inovação social da amazônia paraense (v fecitis): valorizando saberes e sabores amazônicos
  • A V FEIRA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO SOCIAL DA AMAZÔNIA PARAENSE (V FECITIS): Valorizando Saberes e SaboresAmazônicos temo objetivo de Promover a V Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação Social da Amazônia Paraense (V FECITIS): valorizando saberes e sabores amazônicos, visando a popularização da ciência, como instrumento de contribuição para o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação do estado do Pará. A V FECITIS terá abrangência estadual, mobilizando participantes dos territórios do Estado do Pará, envolvendo escolas de rede pública de ensino médio e técnico, assim como, os campi do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará. O público alvo serão os pesquisadores e professores da educação profissional e tecnológica dos Campi do IFPA, professores da educação básica do ensino fundamental, médio e técnico de escolas públicas, alunos da educação básica (ensino fundamental, médio e técnico das escolas públicas), do ensino profissionalizante/técnico, do ensino superior, da rede pública ou particular de ensino, bem como todos aqueles que tenham interesse em ciência e tecnologia. A comunidade em geral e segmentos socialmente vulneráveis, tais como: agricultores familiares, quilombolas, ribeirinhos, indígenas, aquicultores, pescadores, meninas e mulheres rurais, deficientes físicos, dentre outras. A V Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação Social da Amazônia Paraense (V FECITIS): Valorizando Saberes e Sabores Amazônicos será realizada junto com o XIV Seminário Internacional em Desenvolvimento Rural Sustentável, Cooperativismo e Economia Solidária (XIV SICOOPES), a partir de metodologias participativas e interdisciplinar. Além disso, a V FECITIS irá utilizar metodologias criativas, valorizando a experimentação, a inovação e a utilização do método científico, incentivando trabalhos interdisciplinares e a atitude investigativa, a fim de estimular o trabalho colaborativo e as atividades de iniciação científica na educação básica.
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará - PA - Brasil
  • 12/01/2021-31/01/2023
Foto de perfil

Ademar Arthur Chioro dos Reis

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • rede de atenção às urgências e a produção viva de mapas de cuidados
  • O SUS é definido como uma rede regionalizada e hierarquizada de ações e serviços de saúde, cuja materialização nas últimas décadas propicou avanços e desafios na estruturação do sistema (Chioro dos Reis et al, 2017). A implantação das Redes de Atenção à Saúde (RAS) a partir de 2010 representou uma nova etapa de organização do sistema, com o objetivo de garantir a integralidade e mudar os modos de produzir cuidado. As redes temáticas priorizadas foram: Cegonha, Urgência e Emergência, Psicossocial, da Pessoa com Deficiência e Doenças Crônicas (Brasil, 2011, 2012, 2014). As RAS propõem um novo modelo de estruturação do sistema com o objetivo de se obter melhores resultados epidemiológicos e de integralidade (Brasil, 2010), já utilizado em diversos países onde predominam condições crônicas, como o Canadá e a Europa Ocidental (Mendes, 2010), como estratégia para garantia da integralidade, economia de escala e de escopo. A Rede de Atenção às Urgências (RUE) foi proposta com a finalidade de articular e integrar os equipamentos de saúde, ampliar e qualificar o acesso dos usuários às urgências/emergências, de forma ágil e oportuna, a partir de pontos de atenção: UBS, serviços de atenção pré-hospitalar, hospitais e atenção domiciliar (Brasil, 2011). Avanços têm sido alcançados, mas há dificuldades a serem superadas para se engendrar novos arranjos de gestão e governança e instituir uma nova cultura institucional na saúde (Jorge, 2014). Na experiência de implementação das Redes Temáticas podemos identificar dois grandes campos conceituais que se interconectam: as Redes de Atenção à Saúde (Mendes, 2010) e as Redes Vivas de Saúde (Merhy et al, 2014), cujas relações não são determinísticas ou dicotômicas, mas imanentes e complementares. A definição das RAS como redes constituídas por diversos pontos de atenção à saúde, com centralidade da atenção básica, sistemas logísticos e de apoio (Mendes, 2010), contem elementos estrutural-funcionalistas e traz um novo modelo de financiamento (incentivos e/ou orçamentação global atrelados à metas) que busca superar a lógica de remuneração por procedimentos (Moreira et al, 2017). A proposta de implementação das RAS aposta no fortalecimento da da governança regional, mas as 438 regiões de saúde instituídas no país e os espaços regionais de gestão não garantem um processo vivo e potente de regionalização (Chioro dos Reis et al, 2017). A regionalização, mais do que um processo de organização das ações e dos serviços, é uma construção política que deve favorecer o diálogo entre os atores locais e os gestores para o reconhecimento e enfrentamento das necessidades de saúde dos territórios específicos (Mendes et al, 2015). A RUE, conduzida com forte indução financeira, baseada no planejamento regional e em instrumentos legais-normativos extensos aplicados em diferentes realidades, pode ter desencadeado processos meramente burocratizados, mas sem necessariamente obter os resultados propostos (Tofani, 2016). Já o conceito de Redes Vivas de Saúde é fundamentado no processo micropolítico de gestão e do trabalho em saúde. Chioro dos Reis et al (2017) propõem a Regionalização Viva como potencializador da gestão e governança regional sob a perspectiva micropolítica. Cecílo (2007) já alertava que não há arranjo institucional que consiga capturar ou circunscrever a complexidade das relações institucionais. Também o protagonismo dos usuários, ao construírem seus próprios itinerários terapêuticos, através do regime de “regulação leiga”, transcende as estruturas e processos rígidos (Cecílio, 2014). O estranhamento e a externalidade dos gestores com o espaço micropolítico traduz-se em práticas e modelos de implementação de políticas públicas que buscam normalizar e controlar este território (Cecílio, 2012). Ou seja, as políticas oficiais são reprocessadas e adquirem novos desenhos nem sempre “planejados” por seus formuladores (Chioro dos Reis, 2011). Questão central da pesquisa: quais mapas de cuidado tem sido produzidos a partir da implementação da RUE? Objetivo geral: analisar o processo de implementação e conformação dos modos de produção do cuidado da Rede de Atenção às Urgências (RUE) em duas regiões de saúde. Objetivos específicos: a) Identificar analisadores da produção micropolítica presentes no processo de pactuação e implementação da RUE; b) Analisar as diferentes produções no processo de gestão a partir de sua implementação nas regiões de saúde de Campinas (SP) e Passo Fundo (RS); c) Caracterizar as transformações ocorridas nos modos de produção do cuidado em saúde a partir da implementação da RUE nas regiões de saúde. Metodologia: A pesquisa terá caráter qualitativo, analítico, com abordagem micropolítica. Caracteriza-se como estudo de casos e fará uso do método biográfico. Fases da pesquisa: revisão bibliográfica e análise de documentos oficiais da formulação da RUE; coleta de depoimentos com informantes-chave identificados entre os gestores do SUS nas regiões de saúde; entrevistas com usuários-guia para a coleta de narrativas sobre o uso da rede; entrevistas em profundidade com gerentes de diferentes serviços que compõem a RUE. O material empírico será analisado por planos de visibilidade mediante as categorias identificadas, tendo como referência a “Abordagem do Ciclo de Políticas Públicas”, desenvolvido por Ball. Resultados esperados: O principal resultado é o aprofundamento de formulações teórico-conceituais em relação aos processos de formulação e implementação de políticas de saúde, contribuindo para o alargamento do pensamento teórico sobre as dinâmicas organizacionais e a superação de modelos teóricos demasiados simplificados e funcionalizantes, com baixa capacidade para compreender e intervir em complexas dinâmicas organizacionais. Produtos esperados: 2 mestrados acadêmicos e 1 doutorado; 1 livro; 3 artigos; 6 trabalhos em congressos; relatório técnico para compartilhamento com gestores do SUS.
  • Universidade Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022