Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Antonio Azevedo da Costa

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • spintrônica e nanomagnetismo
  • A spintrônica, ao contrário da eletrônica convencional, onde apenas a carga do elétron é usada, explora o momento angular de spin dos elétrons para armazenar, codificar, acessar, processar e/ou transmitir informações. As descobertas seminais da área de spintrônica ocorreram no final do século XX e logo foram incorporadas em dispositivos de armazenamento de dados. O nanomagnetismo trata de fenômenos específicos no regime de tamanhos submicrométricos e lida com problemas científicos que podem ser colocadas de maneira resumida como, (i) sintetizar, (ii) explorar e (iii) desenvolver materiais com propriedades magnéticas não usuais. Dentre estes materiais destacamos as nanoestruturas obtidas por técnicas “bottom-up” e “top-down” com propriedades otimizadas para conversão mútua spin-carga e desenvolvimento de dispositivos spintrônicos. Neste estágio, é fundamental determinar a relação entre as propriedades estruturais e magnéticas, tendo em vista que defeitos, segregação e contornos de grãos influenciam profundamente as propriedades e funcionalidades dos nano-dispositivos. Destacamos o interesse em investigar materiais óxidos funcionais, materiais com intensa interação spin-órbita, materiais 2D, materiais quânticos, materiais magneto-elétricos, entre outros. Para que o projeto tenha sucesso, são necessárias condições adequadas de capital humano, de equipamentos e técnicas específicas. Neste caso, temos uma equipe formada por nove pesquisadores experientes, de quatro instituições diferentes, que interagem cientificamente há muitos anos, como mostram os artigos científicos publicados em coautoria. Além do caráter complementar da equipe, destacamos o elenco de técnicas de fabricação e caracterização de nanomateriais, bem como técnicas de caracterização de propriedades magnéticas. A metodologia a ser utilizada envolve a interação já estabelecida entre os membros da equipe, incluindo cooperação com estudantes através de coorientações de teses e dissertações de mestrado.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Antonio Carlos Andrade Ribeiro

Ciências Humanas

Sociologia
  • ação social e significação no enfretamento dos riscos à inovação no setor público.
  • Estudos sobre inovação no setor público tem se dedicado a análise dos elementos que antecedem a gênese de inovações. As pesquisas investigam o perfil dos agentes inovadores e as variáveis contextuais que favorecem ou constrangem a agência inovadora. Esta proposta de pesquisa avança ao analisar a ação cotidiana de agentes inovadores e seus apoiadores no enfrentamento dos riscos às inovações por eles patrocinadas. Aqui, riscos são consideradas práticas conducentes à execução de ideias alternativas à inovação implementada ou ao retorno à velhas formas de fazer. A investigação sobre as formas de enfrentamentos dos riscos às inovações no setor público é relevante para compreendermos o alcance de processos de inovação no longo prazo, para além dos fatores que contribuem para a gênese de inovações. Nossa proposta de pesquisa destaca o seguinte problema central: como agentes inovadores e seus apoiadores dentro de organizações públicas defendem cotidianamente as inovações que promovem? Nossa hipótese de trabalho sustenta que os agentes inovadores e seus apoiadores ressignificam suas inovações a partir de explicações pós-implementação que justificam a sobrevivência das inovações contra os riscos que a ameaçam. Garfikel (2018) apresenta vários casos que mostram como os atores sociais em situações cotidianas justificam suas escolhas de modo a legitimá-las retrospectivamente. A plausibilidade de nossa hipótese resiste nesta constatação, restando investigar os métodos utilizados pelos agentes inovadores no enfrentamento de riscos às inovações no setor público. Serão realizadas entrevistas semiestruturadas com servidores de Minas Gerais e Mato Grosso que: 1) atuaram como agentes inovadores; e 2) forem citados como apoiadores importantes para a sobrevivência da inovação. Será realizada etnografia virtual para observar e descrever as relações dos agentes nas mídias digitais a fim de mensurar o impacto das interações virtuais no processo de ressignificação das narrativas inovadoras.
  • Universidade Federal de Ouro Preto - MG - Brasil
  • 23/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Antonio Carlos Campos de Carvalho

Ciências da Saúde

Medicina
  • instituto nacional de ciência e tecnologia em medicina regenerativa
  • A importância crescente da Medicina Regenerativa está relacionada às modificações demográficas e sociais do mundo atual. O aumento progressivo da idade média das populações gera a necessidade de garantir, cada vez mais, uma qualidade de vida compatível com um custo e uma carga social aceitáveis. Estima-se que o número de pessoas na terceira idade (65-85 anos) triplicará nos próximos 50 anos, e o número de habitantes com mais de 85 anos será multiplicado por seis no mesmo período. Por causa, principalmente, das doenças degenerativas, o segundo desses dois grupos consome vinte vezes mais recursos de assistência médica e duas vezes mais de internações hospitalares do que o primeiro. Por outro lado, as populações jovens, vivendo em regiões de alta densidade populacional, estão mais expostas a lesões traumáticas. Embora numericamente menos significativas, essas lesões tem um altíssimo custo social, gerando, frequentemente, pessoas jovens debilitadas ou permanentemente incapacitadas para uma vida normal e produtiva. Em populações urbanas do Brasil, as lesões traumáticas são a primeira causa tanto da internação hospitalar quanto da morte na segunda e terceira décadas da vida dos jovens. Tanto as doenças degenerativas como as lesões traumáticas exigem terapias que possam preservar, melhorar, e/ou restaurar as funções teciduais. Contrastando com a produção de fármacos, antibióticos ou vacinas, que podem ser usados indistintamente por um grande número de pessoas, a Medicina Regenerativa tende a ser individualizada, dirigida, especificamente, a cada paciente. A proposta de um Instituto Nacional de Ciência, Tecnologia Inovação e Desenvolvimento em Medicina Regenerativa (INCT- REGENERA) se enquadra na área da Saúde, como proposta de demanda induzida, tendo, como objetivo, articular, organizar e consolidar as competências existentes no País em células-tronco, terapias celulares e bioengenharia tecidual. As aplicações da Medicina Regenerativa dependem ainda do desenvolvimento de conhecimentos básicos e pré-clínicos que demandam um trabalho multidisciplinar de equipes, as quais, integradas, reunem cientistas com formações distintas. O INCT de Medicina Regenerativa objetiva organizar uma rede de pesquisa em células-tronco, terapias celulares e bioengenharia tecidual abordando diferentes doenças de alta prevalência, morbidade e mortalidade na nossa população, garantindo a transferência dos conhecimentos gerados e das tecnologias desenvolvidas para a assistência médica, potencializando e viabilizando seu uso em todos os Estados da nação. Iremos contribuir para a formação científica qualificada de pessoal em Medicina Regenerativa, e promover a divulgação das potencialidades e limitações da Medicina Regenerativa para a Sociedade, contribuindo, de forma efetiva, para seu uso racional e seguro. Através desses mecanismos, queremos aumentar a qualidade de vida dos pacientes, bem como reduzir a morbidade e mortalidade destas doenças e minorar os custos no Sistema Único de Saúde (SUS). INCT-REGENERA objetiva desenvolver diferentes estratégias na área de Medicina Regenerativa para os seguintes sistemas: cardiovascular, nervoso, respiratório, renal, digestório, endócrino, locomotor e tegumentar através de estudos básicos, pré-clínicos e clínicos. Para tal, objetiva-se desenvolver modelos in vitro e modelos animais, de doenças que afetam seres humanos, e testar a segurança e eficácia das terapias regenerativas com diferentes tipos de células e matrizes nestes modelos, estudando seus mecanismos de ação através do uso de métodos ômicos. A partir dos resultados obtidos nestes estudos serão desenhados estudos clínicos. Inclui-se nesta proposta, como empresas participantes, os seguintes hospitais: São Rafael (Bahia), UNIMED-Rio, Albert Einstein (São Paulo) que fornecerão sua infra-estrutura para estudos clínicos, assim como a empresa CELLMED (Porto Alegre) que fornecerá sua infra-estrutura para teste de terapias regenerativas em animais espontaneamente lesados. Além disso, teremos a participação do Instituto Nacional de Cardiologia (INC), vinculado ao Ministério da Saúde. Vale ressaltar que todos os estudos terão a participação presencial de umcorpo clínico qualificado para conduzir ensaios clínicos de segurança, exequibilidade e, posteriormente, eficácia das terapias regenerativas em doenças para as quais não existe ainda terapêutica adequada. O INCT-REGENERA conta com a participação de Centros de Terapia Celular (CTCs) dentre os quais podemos citar o da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, o da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, o da Universidade de São Paulo, o do Instituto Nacional de Cardiologia e o do Hospital São Rafael em Salvador. Os CTCs da PUC-PR e do São Rafael, certificados pela ANVISA, já estão preparados para fornecer células em condições de boas práticas de manufatura (GMP) para os estudos propostos e os outros estão em fase de conclusão e/ou credenciamento. O INCT-REGENERA está apto a viabilizar, o mais precocemente possível, os estudos básicos, pré-clínicos e clínicos, pois a equipe proponente inclui especialistas, líderes dos grupos de pesquisa associados, que atuam, já há algum tempo, nesta área. No ambiente da inovação, o INCT- REGENERA tem como propósito desenvolver técnicas de Bioengenharia visando ao desenvolvimento de órgãos que possam, no futuro próximo, ser transplantados. Outra responsabilidade do novo INCT-REGENERA será a organização de cursos de treinamento em terapias celulares e cursos de boas práticas em laboratório (BPL) e de manufatura (BPM). Caberá ainda ao INTC-REGENERA desenvolver um banco de dados em parceria com o Instituto Virtual de Células-Tronco (www.ivct.org) contendo informações sobre a biologia básica e o potencial terapêutico de células-tronco além de dados sobre as linhagens disponíveis para a comunidade científica e médica do Brasil.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 23/11/2016-30/11/2024