Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Andreza Barbosa

Ciências Humanas

Educação
  • inovar, empreender, modernizar: (neo)tecnicismo nas universidades estaduais paulistas
  • O tecnicismo pedagógico, tendência de destaque na educação brasileira na década de 1970, teve seus pressupostos questionados pelo campo educacional na década seguinte e foi retomado de forma paulatina por ocasião da implantação das reformas educacionais de caráter gerencialista nos anos de 1990. Com forte apoio das tecnologias digitais, o neotecnicismo pedagógico tem sido associado às denominadas metodologias ativas de ensino e à inovação da educação. Esses pressupostos, já difundidos na educação básica e na educação superior privada, chegam recentemente às universidades públicas que, mesmo com reconhecida crítica, observada principalmente na produção dos últimos 20 anos sobre ensino na educação superior, passam a incorporar o neotecnicismo ao discurso da modernização dos cursos de graduação, fenômeno que constituirá o foco central deste projeto de pesquisa. As universidades públicas estaduais paulistas (Usp, Unesp e Unicamp) têm publicado editais internos de chamada de propostas voltadas à modernização do ensino de graduação por meio de mudanças nos currículos e incorporação de novas metodologias. Frente a isso, o objetivo do projeto é compreender a presença do neotecnicismo pedagógico nas três instituições paulistas por meio da análise de editais destinados à chamada modernização e/ou inovação dos cursos de graduação. A questão norteadora é: quais são os pressupostos pedagógicos que se expressam em tais editais e quais suas relações com o contexto político atual posto para a educação superior? Para tal, essa investigação será desenvolvida em três etapas complementares: i) elaboração de estado do conhecimento dos últimos 20 anos sobre a dimensão do ensino na educação superior brasileira; ii) identificação e análise de editais voltados à modernização e/ou inovação dos cursos de graduação; iii) realização e análise de entrevistas com os profissionais responsáveis pela elaboração e acompanhamento desses editais.
  • Pontifícia Universidade Católica de Campinas - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Andreza Pain Marcelino

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • produção e avaliação de protótipo de ensaio imunoenzimático-elisa para o diagnóstico da leishmaniose tegumentar americana: comparação entre antígeno solúvel de l.(v.) braziliensis e proteína quimérica multiepitopo de linfócitos b
  • Trata-se de um estudo de validação de método para diagnóstico da leishmaniose tegumentar americana-LTA por Ensaio Imunoenzimático-ELISA. O ELISA constitui método diagnóstico sorológico de fácil execução, baixo custo e muito utilizado na rotina diagnóstica de diversos agravos. A coleta de soro é um procedimento universalmente utilizado e o transporte e armazenamento de amostras sorológicas é bem estabelecido e regulado no Brasil. No entanto, não existe na Rede Pública de Saúde, até o momento, um método sorológico eficaz, em relação aos aspectos de acessibilidade, custo e desempenho, para o diagnóstico da LTA. O Laboratório de Pesquisa Clínica e Vigilância em Leishmanioses (LaPClinVigiLeish) do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) possui experiência no atendimento de pacientes suspeitos de LTA, na assistência clínica como também laboratorial e utiliza esta técnica “in house”, com antígenos brutos de Leishmania (Viannia) braziliensis para diagnóstico da LTA. Entretanto, este método necessita de padronização e validação para que possa ser descentralizado para outras unidades de atendimento laboratorial do país, principalmente porque a LTA não é uma doença que induza a produção de altos níveis de anticorpos. A padronização de método sorológico altamente sensível e especifico agregaria valor ao diagnóstico da LTA considerando as dificuldades existentes para a realização de biópsias para o diagnóstico parasitológico de certeza e a logística para a coleta, transporte e análise do material obtido por biopsias e escarificação das lesões, principalmente a necessidade de profissional adequadamente treinado para a leitura das laminas de exame direto e estrutura laboratorial para a realização do cultivo “in vitro”. Por outro lado, sabemos que a produção de kits diagnósticos em escala industrial com antígenos brutos é difícil, principalmente para manutenção dos meios de cultura. Muitos pesquisadores investigam modelos antigênicos com proteínas sintéticas ou recombinantes, que possam apresentar vantagens não só em relação ao desempenho como também na facilidade de produção em larga escala. A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Departamento de Patologia Clínica, desenvolveu uma proteína quimérica de epítopos de linfócitos B, com resultados promissores, para uso em ELISA para diagnóstico da LTA. Sendo assim, este projeto propõe a padronização e avaliação de dois protótipos de kits ELISA utilizando os dois princípios antigênicos distintos supracitados, comparando o desempenho de cada um deles e elegendo o melhor modelo como proposta para produção de kits diagnósticos para LTA. Esta produção será realizada na plataforma de produção de kits diagnósticos de Bio-Manguinhos, Fiocruz e avaliados pelo LaPClinVigiLeish.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 14/12/2020-30/06/2023
Foto de perfil

Andrezza Kyarelle Bezerra de Moura

Outra

Multidisciplinar
  • simpósio marajoara de educação, cultura, ciência e tecnologia
  • Este projeto propõe a realização do segundo Simpósio Marajoara de Educação, Cultura, Ciência e Tecnologia (SIMECT 2022) pelo IFPA Campus Breves, no território do Marajó, Pará, a fim de despertar, nos jovens, o interesse pela ciência, tecnologia, inovação e educação como elementos desencadeadores de desenvolvimento regional e pessoal. Além disso, o evento tem importância por atingir um público que está à margem da plenitude do acesso aos seus direitos, inclusive à inclusão no universo da IA. O SIMECT será ofertado híbrido com atividades presenciais e remota, de forma gratuita, durante os dias 18 a 21 de outubro de 2022. Serão realizadas diferentes atividades como, palestras, mesas redondas, minicursos, workshop, apresentações culturais, apresentação de trabalhos científicos e oficinas. Espera-se, com a realização deste evento que haja, divulgação e democratização da ciência, tecnologia, inovação, educação e cultura no território marajoara, através de trabalhos e exposições científicas e culturais e estímulo aos jovens para a produção científica e tecnológica visando o desenvolvimento regional e pessoal.
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará - PA - Brasil
  • 20/09/2022-31/03/2023