Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Wendell Marcelo de Souza Perinotto

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • utilização de metarhizium anisopliae para controle dos estágios de vida livre de rhipicephalus microplus e nematoides gastrintestinais de ruminantes nas condições climáticas do recôncavo da bahia
  • O recôncavo da Bahia é caracterizado por um clima tropical quente e úmido, com temperatura média, umidade relativa do ar elevada e com bons índices pluviométricos. Por isso, possui muitas propriedades produtoras tanto de bovinos quanto de pequenos ruminantes, sendo a caprinovinocultura a fonte de renda de muitas famílias. Todavia, essas condições ambientais também propiciam a sobrevivência de ecto e endoparasitos nos solos e pastagens. Dentre estes merece destaque o carrapato Rhipicephalus microplus e os nematoides gastrintestinais (NGIs) da superfamília Trichostrongyloidea. Em geral, o controle destes parasitos baseia-se na utilização intensiva e indiscriminada de fármacos químicos. Entretanto, este método está cada vez menos eficiente devido ao desenvolvimento da resistência a esses produtos. Nesta perspectiva, o presente estudo terá como objetivos avaliar a eficácia de M. anisopliae sobre os estágios de vida livre de R. microplus e NGIs de ruminantes, nas condições climáticas do Recôncavo da Bahia nos períodos de seca e chuvosos e analisar o período de permanência deste microrganismo no solo. O trabalho será realizado no Campus da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - UFRB, localizado no município de Cruz das Almas. Para realização dos ensaios biológicos, a forrageira Brachiaria brizantha será cultivada em vasos, os quais serão mantidos em área com incidência direta de sol e chuva nas instalações externas do campus da UFRB. Os experimentos serão compostos por quatro grupos para R. microplus e quatro para NGIs: Controle aquoso, tratado com solução de água e Tween 80 a 0,1%; Controle oleoso, tratado com óleo mineral e Tween 80 a 0,1%; Formulação aquosa de M. anisopliae, tratado com a formulação de M. anisopliae diluída em água e Tween 80 a 0,1%; Formulação oleosa de M. anisopliae, tratado com a formulação de M. anisopliae diluída em água e Tween 80 a 0,1% e acrescida de 10% de óleo mineral. Cada grupo será composto por 10 vasos. Tanto o ensaio biológico com R. microplus quanto com os NGIs serão realizados duas vezes, a primeira com início em março na época das chuvas e a segunda em setembro, na estação de estiagem. Os parâmetros avaliados no experimento com carrapatos serão o percentual de mortalidade das fêmeas ingurgitadas e recuperação das larvas de R. microplus, e para o ensaio com NGIs será a verificada o percentual de larvas recuperadas. Além disso, será realizado o isolamento e identificação de colônias de Metarhizium spp. para a avalição da persistência do fungo no solo. A partir deste estudo espera-se demonstrar que as condições climáticas do recôncavo da Bahia podem propiciar a sobrevivência e persistência do fungo M. anisopliae no solo por um período prolongado, aumentando a chance de controlar os carrapatos e nematoides gastrintestinais de ruminantes, e assim, demonstrar que o controle microbiano pode servir como um método integrado no combate desses parasitos na região.
  • Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Wesley Bueno Cardoso

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • soluções localizadas em meios não lineares inomogêneos
  • Neste Projeto de Pesquisa iremos investigar a dinâmica de soluções localizadas em sistemas não lineares e não homogêneos. Focaremos nos condensados de Bose-Einstein, fibras ópticas, cristais não lineares e cavidades opticas não lineares, ambos modelados por equações de Schrödinger não lineares ou pela equação de Lugiato-Lefever. Os fenômenos que estamos interessados são a formação de sólitons, breathers e vórtices em sistemas inomogêneos, bem como suas interações e condições de espalhamento incluindo efeitos de emaranhamento. Também, iremos verificar o surgimento de soluções localizadas devido à pequenas perturbações em um meio não linear, fenômeno conhecido como instabilidade modulacional.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Wesley Klewerton Guêz Assunção

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • extração de linhas de produtos de software a partir de produtos variantes em empresas de software de pequeno e médio porte
  • O reúso de software é uma técnica fundamental para construções de novos produtos. Nesta estratégia, artefatos já desenvolvidos são a base para o desenvolvimento de novos artefatos. Geralmente o reúso é aplicado por meio de uma abordagem oportunista, aonde os artefatos são simplesmente copiados/clonados e então modificados/adaptados para construir o produto desejado. Contudo, a abordagem oportunista gera problemas técnicos relacionados a manutenção e evolução de um portfólio com muitos produtos. Para contornar este problema, existem as estratégias de reúso sistemático, como por exemplo, as Linhas de Produtos de Software (LPSs). Em uma LPS, uma infra-estrutura comum é utilizada em vários produtos e somente as diferenças são implementas. Esta centralização de artefatos sistematiza o reúso e evita problemas técnicos de manutenção e evolução. Apesar dos benefícios, as LPSs são pouco utilizadas em empresas de pequeno e médio porte. Além disso, as técnicas existentes para extração de LPSs a partir de produtos variantes desenvolvidos de forma oportunista não consideram as limitação de recursos humanos, financeiros, e necessidade específicas de empresas de pequeno e médio porte. Com foco neste cenário, este projeto de pesquisa visa a definição de um processo e a construção de uma ferramenta para auxiliar pequenas e médias empresas alcançar o reúso sistemático utilizando seus produtos já existente.
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Wildo Navegantes de Araújo

Ciências da Saúde

Medicina
  • determinação da acurácia de diferentes testes e dinâmica da transmissão e evolução da infecção por sars-cov-2 na população privada de liberdade
  • No Brasil, o encarceramento em massa sem estrutura adequada leva a uma superpopulação carcerária em condições inapropriadas, acarretando problemas de saúde relacionados ao ambiente. Locais de alta densidade populacional são considerados como potenciais disseminadores da COVID-19 por sua elevada transmissibilidade. Avaliar novas tecnologias diagnósticas para o COVID-19 e conhecer a dinâmica da transmissão da doença na população privada de liberdade (PPL) é imprescindível para ações eficazes de controle nesse cenário de alta vulnerabilidade. No sistema prisional, as medidas habitualmente adotadas para a população geral não são aplicáveis. Para a realidade das prisões, as medidas atualmente adotadas visam minimizar o contato com pessoas externas às unidades prisionais, através da suspensão de visitas, limitação das audiências e redução das transferências. Os estudos em PPL podem auxiliar os serviços de saúde a implementar medidas mais eficazes no controle da doença, bem como gerar resultados que colaborem para a prevenção futura de surtos epidêmicos. Por conta da possibilidade de testar pelo menos três técnicas diagnósticas novas para detecção do vírus ou do desenvolvimento de anticorpos (RT-PCR, ELISA, GeneXpert-COVID-19, teste rápido imunocromatográfico), os resultados dessa pesquisa poderão ir além dos resultados diretamente para a população prisional, mas também trazer resultados da acurácia dos testes que poderão ser incorporados no arsenal de medidas para o controle do COVID-19. Na proposta, visamos determinar a acurácia de diferentes testes diagnósticos e a dinâmica da transmissão e evolução da infecção por SARS-COv-2 em presídios no Mato Grosso do Sul (Estabelecimento Penal Jair Ferreira de Carvalho e Instituto Penal de Campo Grande) e Distrito Federal (Complexo da Papuda: Penitenciária do DF I e Penitenciária do DF II). Os objetivos específicos são avaliar a acurácia de novos diagnósticos para coronavírus no cenário local; Medir a prevalência e a taxa de infecção por coronavírus nas prisões; Caracterizar a dinâmica da infecção viral por coronavírus em PPL; Descrever os dados epidemiológicos e clínicos dos casos confirmados de COVID-19; Identificar a cadeia de transmissão do vírus no ambiente prisional. Será conduzido um estudo observacional, descritivo, quantitativo de casos de infecção por SARS-COv-2 em população privada de liberdade associado a uma abordagem analítica relacionada ao estudo de acurácia entre testes laboratoriais. Os participantes serão previamente informados do estudo e terão suas dúvidas esclarecidas. Aqueles participantes que forem considerados elegíveis e aceitarem participar deverão assinar o TCLE, e só então responderão ao questionário com perguntas objetivas, dando início a sua participação na pesquisa. Os dados coletados ficarão sob a guarda e a responsabilidade dos pesquisadores por período de cinco anos. Os resultados decorrentes do estudo, favoráveis ou não, serão organizados e apresentados à sociedade científica na forma de relatórios para os gestores, publicações de artigos científicos e resumos em eventos científicos, prezando sempre pelo sigilo de modo que nenhum participante seja identificado. Reitera-se que a pesquisa não trará riscos imediatos ou futuros aos participantes. Durante a coleta de sangue e swab nasal e orofaríngeo poderá ocorrer desconforto durante os procedimentos e, raramente, hematoma no local da punção venosa. Reitera-se, ainda, que o benefício direto será o diagnóstico laboratorial da doença, seja na fase assintomática como sintomática, reduzindo, por exemplo, surto e óbitos. Além disso, a utilização dos dados/resultados obtidos no desenvolvimento da pesquisa será importante para a reorientação de ações e propostas de vigilância e manejo referentes à transmissão dessa infecção na população estudada. Seguindo as determinações da Resolução no. 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde, a mesma será encaminhada ao Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (CEP/UFMS) e para o Comitê de Ética em Pesquisa da Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília (FM/UnB) para as providências de praxe.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 27/08/2020-26/09/2022