Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Rubens Leonardo Panegassi

Ciências Humanas

História
  • permeabilidade entre mundos e a recepção moura do projeto imperial manuelino (séculos xv-xvi)
  • O interesse deste projeto é aprofundar algumas questões que nortearam minha trajetória acadêmica e, também, consolidar uma agenda de pesquisa enquanto docente na Universidade Federal de Viçosa (UFV), Campus de Viçosa. Em linhas gerais, tal agenda articula-se às problemáticas que se desdobram do contexto dos descobrimentos marítimos perpetrados pelas nações ibéricas a partir do século XV, bem como à estruturação dos fundamentos ideológicos do primeiro grande império da Época Moderna. Entretanto, nosso interesse, agora, incide no mapeamento dos vínculos entre a Europa cristã e o islão. Entendemos a mediação ibérica no contato com diferentes povos e religiões, se caracteriza por uma ampla porosidade, em que se expressa um necessário descentramento que pode nos dar a conhecer conexões e interesses que conjugam experiências locais a outras dinâmicas históricas. Entendemos, em suma, que por este projeto se desdobrar do caminho que percorremos unindo a pesquisa à docência, esperamos alcançar resultados satisfatórios e correspondentes ao financiamento pleiteado.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rubens Manoel dos Santos

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • regimes de alagamento e funcionamento de florestas tropicais em várzeas e nascentes (watforfun)
  • A alta biodiversidade, o endemismo biológico, ecológico e funcional dos ecossistemas de florestas sazonalmente inundadas, bem como os serviços ecossistêmicos, têm chamado a atenção da comunidade científica. É a inundação sazonal de grandes rios moldaram esses sistemas, mas a interação entre a duração da inundação e a intensidade dessas florestas e sua composição e estrutura não é bem conhecida. Como resultado, os efeitos das mudanças nos regimes de precipitação e frequência de cheias devido ao clima e mudanças no uso da terra na ecologia e diversidade de plantas e outras espécies terrestres e aquáticas nestes sistemas não são bem conhecidos. O objetivo desta proposta de pesquisa é duplo: 1) investigar características da comunidade arbórea em diferentes freqüências de inundação, compreender sua ecologia (estrutura da comunidade, diversidade e estrutura filogenética, diversidade funcional e estrutura), suas relações com fatores ambientais (solo, hidrologia e clima), e sua dependência da água de inundação para a transpiração, e 2) para determinar se podemos usar o conhecimento sobre a relação entre a vegetação e a extensão da inundação para calibrar os modelos hidrológicos. Para tanto, planejamos estudar várzeas em duas bacias hidrográficas distintas: Rio Grande e Rio São Francisco. A bacia do Rio São Francisco possui grandes áreas de várzea, enquanto o Rio Grande possui uma topografia mais acidentada. Em cada uma delas, planejamos amostrar cinco nascentes (correspondentes à nascente do rio principal e seus quatro maiores afluentes) e a foz de quatro afluentes no total; estabeleceremos locais de pesquisa em 10 locais de nascentes e na foz de 8 afluentes. Em cada local de primavera serão instaladas 25 parcelas de 400 m², totalizando 250 parcelas ou 10 ha de área, e em cada tributário iremos instalar 30 parcelas de 400 m², totalizando 240 parcelas ou 9,6 h. As parcelas serão localizadas ao longo do gradiente de várzea: dique marginal, lagoa marginal, terraço inferior, planície inferior e planície superior. Em cada parcela, mediremos e identificaremos todas as árvores com diâmetro à altura do peito igual ou maior que 5 cm e coletaremos amostras de solo que serão posteriormente analisadas quanto à textura e nutrientes do solo. Levaremos amostras de xilema e amostras de solo quatro vezes por ano para análises de isótopos. Em cada local de pesquisa ao longo do gradiente de várzea, instalaremos câmeras de lapso de tempo e poços rasos para determinar a duração da inundação. Em cada local, também mediremos o estágio do fluxo e o fluxo de fluxo em um número selecionado de dias. Para cada parcela, calcularemos as medidas de diversidade taxonômica e filogenética, estrutura da comunidade, biomassa e características funcionais, e determinaremos a importância relativa da água da enchente e da precipitação local para a transpiração das árvores. Para avaliar os efeitos de variáveis ​​hidrológicas, climáticas e edáficas sobre as comunidades arbóreas, ajustaremos modelos lineares mistos (e / ou aditivos), pois estes são os mais adequados para lidar com a estrutura aninhada das parcelas e dependência espacial. Usaremos modelos de transporte hidrológico para determinar a infiltração de água da enchente no solo e misturar modelos para determinar a importância relativa da água da enchente e da água da chuva local para a absorção de água pelas árvores. Calibramos um modelo hidrológico conceitual para cada um dos rios e tributários usando dados sobre a largura do fluxo e a extensão da inundação (com base nas medições, dados da árvore e dados de satélite) para determinar o valor desses dados para a calibração do modelo. Finalmente, usaremos diferentes cenários climáticos para determinar o efeito da mudança climática na extensão e duração da inundação e com base nas ligações entre duração e frequência das cheias e dependência das árvores na água da enchente para a transpiração determinar os efeitos das mudanças climáticas sobre esses ecossistemas inundados.
  • Universidade Federal de Lavras - MG - Brasil
  • 01/04/2019-31/03/2022
Foto de perfil

Rubens Maribondo do Nascimento

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • saúde e biodiversidade como elementos de consolidação da pós-graduação e desenvolvimento regional
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 09/01/2020-09/01/2025
Foto de perfil

Rubens Müller Kautzmann

Engenharias

Engenharia de Minas
  • formulação de produto mineral para remineralização de solo
  • O produto remineralizador de solos é definido na Lei No 12.890/2013 como “material de origem mineral que tenha sofrido apenas redução e classificação de tamanho por processos mecânicos e que altere os índices de fertilidade do solo por meio da adição de macro e micronutrientes para as plantas, bem como promova a melhoria das propriedades físicas ou físico-químicas ou da atividade biológica do solo”. O conceito de remineralizador é fruto das pesquisas realizadas no Brasil sobre a rochagem de solos, que teve seu primeiro Congresso Brasileiro de Rochagem em 2009. A propriedade de fertilização de solos através da aplicação de rochas moídas, não é nova, já havia sido proposta pelo francês Missoux (1853) e pelo alemão Julius Hensel (1880). Os benefícios da aplicação de rocha moída para remineralizar solos, estão relacionados à disponibilização de nutrientes (macro e micros), ao bom desenvolvimento das plantas, e os mesmos são isentos de toxicidade, portanto a aplicação de produtos remineralizadores de solo trazem benéficos para o solo, e para as plantas. As características remineralizadoras dependem, portanto, da matriz mineral da rocha, como também da granulometria do material. A presente proposta de pesquisa trabalhará com materiais de rochas silicáticas, estudadas em projetos anteriores, para comporem formulações de produtos remineralizadores. Foi considerado o fator regional da localização das fontes de material mineral e as culturas agrícolas a serem atendidas pelos produtos formulados. A utilização de fontes in natura de insumos fertilizantes, acessíveis em sua localização para o produtor rural, visa agregar a redução de custos e principalmente da dependência exclusiva dos adubos químicos, na grande totalidade importados. A pesquisa dá continuidade aos estudos sobre remineralizadores e rochagem de solos desenvolvida no Unilasalle, em uma rede de colaboradores e indutores do projeto. A inovação oferecida pela pesquisa traz o estudo de formulações ou misturas de tipologias de material rochoso para atenderem melhor as necessidades de grupos de cultura ou técnicas de produção. Estudará também, de forma inédita, a concentração de zeolitas contidas em ocorrência de horizontes amigdaloides do Grupo Serra Geral no Nordeste do Rio Grande do Sul. Este tipo de horizonte apresenta expressivas ocorrências, em contatos dos derrames com arenitos e sedimentos arenosos. Os objetivos e etapas de pesquisa foram delineadas a partir dos resultados da caracterização de 30 amostras de matéria mineral procedentes de 19 pedreiras e saibreras comerciais e uma extração municipal. As formulações projetadas utilizarão amostras de rochas vulcânicas ácidas (dacitos), horizontes vulcânicos amigdaloides contendo zeolítas, zeolita comercial e um concentrado (beneficiado) de zeolita, para aplicação em culturas de lavoura (soja e/ou arroz) e desenvolvimento de substrato para hortaliças em estufas. A pesquisa contempla três etapas metodológicas: 1) caracterização mineral e geoquímica das amostras de rocha e das formulação para remineralizadores, observando parâmetros normatizados pelo Ministério de Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA), e aplicando ensaios de liberação de nutrientes por lixiviação; 2) estudos de beneficiamento para concentração da fase zeolita dos horizonte vulcânicos amigdaloide, avaliando o rendimento de diferentes técnicas: densimétricas, gravimétricas e físico-químicas; e 3) a aplicação agronômica dos produtos/formulações de remineralizadores em culturas de lavoura extensiva e de produção orgânica, acompanhados de análises de qualidade dos produtos agrícolas.
  • Universidade La Salle - Canoas - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rubens Onofre Nodari

Ciências Agrárias

Agronomia
  • caracterização genética e molecular e adaptabilidade de germoplasma de videira com genes de resistência à doenças para o sul do brasil.
  • O cultivo da videira é um dos mais antigos e importantes no mundo para a produção de uva de mesa, suco, vinho e outros produtos. A produção mundial de vinhos concentra-se principalmente no uso de variedades da espécie Vitis vinifera, por apresentar maior qualidade para a produção de vinhos quando comparadas as outras espécies do mesmo gênero, como Vitis labrusca por exemplo, ou híbridos entre as duas espécies. No entanto, as variedades de V. vinífera são amplamente suscetiveis à doenças, tais como o míldio, oídio, antracnose, entre outras. A tentativa de controle do avanço das doenças é feito com o o uso intensivo de agrotóxicos. Duas são as consequências principais: o aumento do custo de produção e a exigência cada vez maior dos consumidores por menores resíduos dos agroquímicos tanto na fruta, quanto no suco ou no vinho. Como genes de resitência estão presentes em outras espécies do gênero Vitis, são necessários cruzamentos e vários retrocruzamentos para combinar genes rde resistência com a qualidade do vinho em uma nova variedade. Variedades com genes de resistência ao míldio e ao oídio, denominadas de variedades Piwi (do alemão Pilzwiderstandsfähige) já são sucesso em vários países como Alemanha, Hungria, Austria, Itália e França. No sul do Brasil, onde se concentra a maior área com o cultivo de variedades para vinhos finos, as doenças também ocorrem, cuja tentativa de controle do progresso da doença é feita com aplicações de fungicidas. Alinhado com a estratégia de melhoristas de outros países e considerando o principio fundamental de que a diversidade genética em cultivo é uma estrátégia eficiente que evita a vulnerabilidade genética e, portanto dificulta ou mesmo impede a ocorrência de epidemias, a utopia consiste no desenvolvimento de variedades com disintas combinaóes de alelos de resistência, que poderiam ser espaço e temporalmente cultivados. Dentro deste contexto, e como forma dse contribuir neste longo processo, o objetivo geral deste projeto é caracterizzar genética e molecularmente e determinar a adapatavbilidade de variedades de videira resistentes à doenças. Serão avaliadas tanto variedades (Piwi) já desenvolvidas na Alemanha e Itália, bem como progênies geradas na UFSC, a partir de cruzamento de variedades de Vitis vinifera com variedades Piwi ou com outras espécies de Vitis, tais como V. betulifolia, V. amurensis e V. caribea, cultivadas em dois ou mais locais. Especificamente para midio (Plasmopara viticola) o projeto visa elucidar, em nível celular e molecular, o funcionamento de mecanismos de resistência em folhas de plantas e em linhagens celulares de videira contendo alelos de diferentes genes, bem como quantificar a expressão de genes de defesa, bem como, as alterações em rotas metabólicas relacionadas a síntese de compostos de defesa; Para antracnose será analisada a segregação para a característica de resistência à antracnose, causada pela inoculação com Colletotrichum nymphaeae e C. fructicola, em populações RC1F1 em videiras obtidas de retrocruzamentos. Para estas duas espécies de Colletotrichum serão desenvolvidos marcadores microssatélites para estimar índices de diversidade e mapear genes de resistência à antracnose causada por espécies de Colletotrichum em populações segregantes de videira. Além disso, o projeto pretende identificar marcadores moleculares que flanqueiam os genes de resistência à antracnose para fins de seleção assistida por marcadores. Por fim, em relação a interação genótipo x ambiente (GxE), mensurar os efeitos do genótipo, do ambiente e da interação genótipo x ambiente nas características de desenvolvimento de plantas e de qualidade de frutos de variedades videira com genes de resistência em distintos ambientes de Santa Catarina; e identificar as combinações alélicas específicas superiores em termos de estabilidade e adaptabilidade visando o cultivo comercial de novas variedades. Neste contexto, a fenotipagem com auxílio de imagens capatadas por câmeras e softwares poderá aumentar e acelerar a coleta e interpretação de dados. As metodologias para os três grupos de atividades estão detalhadas no projeto e seguem o padrão dos estudos mais recentes sobre os referidos tópicos. Espera-se, de um lado avançar no conhecimento cientifico e formar novos pesquisadores na área com esta nova vertente do melhoramento genético da videira, bem como selecionar tipos superiores adaptados as distintas condições de Santa Catarina, que sejam resistentes às principais doenças e que produzam frutos que, se vinificadas, produzam um vinho de alta qualidade. Para tal, serão realizadas análises genéticas, fitopatológicas e fisiológicas em germoplasma contendo genes de resistência (germoplasma Piwi) e em patógenos causdores de doenças. Por fim, também é relevante mencionar que este projeto é parte de um esforço de um conjunto de pesquisadores e linhas de pesquisa, que coletivamente estamos irmanados na busca desta utopia, que poderá ser alcançada passo a passo. Assim, será possível atender a crescente demanda na produção de uvas, reduzir o uso de agrotóxicos e contribuir para a preservação ambiental.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022