Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Vania dos Santos Nunes Nogueira

Ciências da Saúde

Medicina
  • efetividade e segurança do bortezomibe no tratamento do mieloma múltiplo e avaliação do impacto orçamentário de sua incorporação no sus
  • Objetivo: avaliar os efeitos do bortezomibe na sobrevida geral, sobrevida livre de progressão, qualidade de vida, adesão, eventos adversos e mortalidade relacionada ao tratamento em pacientes com mieloma múltiplo, tanto na primeira linha quanto na recidiva. Introdução: O mieloma múltiplo (MM) é uma neoplasia maligna incurável caracterizada pela proliferação clonal de plasmócitos que representa cerca de 1% de todas as neoplasias e 10% das hematológicas. O bortezomibe é um dos medicamentos mais utilizados no tratamento de primeira linha e recidivas subsequentes, e foi recentemente incorporado ao sistema público de saúde brasileiro, resultando em um acréscimo importante ao limitado arsenal terapêutico para portadores de MM neste cenário e, consequentemente, há expectativa do ganho de sobrevida global em pacientes que anteriormente não tinham acesso a novos medicamentos, população predominante no Brasil. Critérios de inclusão: Esta revisão considerará desenhos de estudos experimentais e quase-experimentais, incluindo estudos controlados randomizados, estudos controlados não randomizados, antes e depois dos estudos e estudos de séries temporais interrompidos. Além disso, estudos observacionais analíticos, incluindo estudos de coorte prospectivos e retrospectivos, serão usados. Métodos: pesquisaremos Embase, Medline, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde e Ensaios Clínicos Controlados da Colaboração Cochrane e incluiremos estudos que compararam: 1) regimes de tratamento semelhantes, com combinação de bortezomibe (intervenção) e sem associação de bortezomibe (1); 2) regimes de tratamento diferentes contendo bortezomibe (intervenção) e não contendo bortezomibe (1). Dois revisores extrairão independentemente os dados dos resultados e o risco avaliado de viés. Realizaremos uma avaliação do impacto orçamentário da sua incorporação no SUS, perspectiva do SUS, horizonte temporal de 5 anos.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 04/12/2021-31/12/2022
Foto de perfil

Vania Grim Thies

Ciências Humanas

Educação
  • modos de produção e participação nas culturas do escrito por pomeranos da região sul (século xx)
  • O projeto está ancorado na perspectiva da História Cultural (BURKE, 2005; CHARTIER,1989) com foco na história da cultura escrita (práticas de escrita e leitura). A proposta tem como objetivo geral verificar os modos de participação nas culturas do escrito (GALVÃO, 2010) pelo grupo étnico pomerano, no sul do Rio Grande do Sul, a partir de indivíduos, famílias ou grupos das comunidades rurais da região sul no século XX. Os pomeranos são um grupo étnico oriundo da região da Pomerânia. Se instalaram no sul do Rio Grande do Sul, na Serra dos Tapes, em meados do século XIX, na região meridional do RS, nos municípios de Pelotas, Canguçu e São Lourenço do Sul (THUM, 2010, WEIDUSCHADT, 2007). O problema mobilizador do projeto é: como e por que os pomeranos guardam os registros escritos em seus arquivos pessoais entre as diferentes gerações, tendo por base seus os aspectos culturais? O que guardam e por que guardam? A hipótese é de que os materiais escritos dão sentidos simbólico aos aspectos culturais entre os pomeranos. O conceito de cultura escrita problematizado está ancorado na acepção antropológica utilizado por Galvão (2010) considerando-a como “o lugar – simbólico e material – que o escrito ocupa em/para determinado grupo social, comunidade ou sociedade” (GALVÃO, 2010, p. 218). As pesquisas sobre os pomeranos tem o foco na imigração, escolarização e aspectos culturais (DREHER, 2000; WEIDUSCHADT, 2007, THUM, 2010,), porém, ainda não há investigação específica sobre os modos de participação e produção dos artefatos escritos que analisem a relação simbólica entre a participação desse grupo étnico nas culturas do escrito (GALVÃO, 2010). Será realizada a coleta de materiais escritos (manuscritos e impressos) para salvaguarda no centro de memória e pesquisa História da Alfabetização, Leitura, Escrita e dos Livros Escolares (Hisales - UFPEL). Junto de cada coleta de dados, serão realizadas entrevistas dialogadas sobre o uso dos materiais junto aos doadores.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Vania Zanella Pinto

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • gryllus assimilis como proteína alternativa para alimentação humana e animal
  • Objetiva-se desenvolver criação de Gryllus assimilis processos e produtos derivados, como fonte de proteína alternativa para alimentação humana e animal. A proposta será executada em 4 partes: Estudo da biologia e comportamento dos grilos em diferentes dietas e análise de custos da produção; Processamento, caracterização e desenvolvimento de produtos; Digestibilidade, avaliação nutricional, desempenho zootécnico e metabólico em Tilápias; Estudo de tecnologias inovadoras no processamento de proteínas de grilo. Em cada subprojeto serão feitas avaliações específicas para cumprir os 8 marcos físicos previstos. Almeja-se dar continuidade e aprofundar as atividades desenvolvidas nos projetos iniciais já em execução, que possuem financiamento e bolsas de IC e permitiram o início da criação de grilos. As temáticas abordadas pelos projetos individuais já aprovados possuem convergência e complementam os marcos físicos e objetivos idealizados nesta proposta. A equipe multidisciplinar será composta por 1 eng. de alimentos, 2 eng. químicos, 2 biólogas, 1 farmacêutica, 1 eng. agrônomo e 1 contador, todos doutores. O projeto apresenta relevância científica, tecnológica e de inovação pelo desenvolvimento de sistema sustentável para produção de alimentos para consumo humano e animal, estuda os efeitos do processamento da matéria-prima e a sua estabilidade e, também o desempenho zootécnico de animais aquáticos alimentados com grilo. Ainda, emprega diferentes estratégias inovadoras de processamento, como tratamento com plasma, eletrofiação e impressão 3D. Os resultados promoverão avanços na fronteira do conhecimento das áreas de alcance da proposta, contribuirão para a consolidação dos grupos de pesquisa envolvidos, fortalecerá os PPGCTAL e PPGADRS, ampliará a formação de recursos humanos, a divulgação da ciência e dos métodos propostos, com ampla divulgação e publicações de elevado impacto e fomentará a inovação.
  • Universidade Federal da Fronteira Sul - SC - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Vasco Ariston de Carvalho Azevedo

Ciências Biológicas

Genética
  • uma abordagem integrativa para entender a estrutura, função e dinâmica da protease do hiv: aplicações para projetar novos inibidores
  • Os países Índia, África do Sul e Brasil são amplamente afetados pela epidemia de HIV / AIDS. Embora as terapias de tratamento tenham como alvo várias proteínas do HIV, as proteases são os principais alvos dos medicamentos anti-retrovirais (antiretroviral-ARV). Várias análises experimentais e computacionais foram realizadas para entender a estrutura, função, mecanismo de ação do fármaco, resistência a drogas, e a maioria dos estudos está focada no subtipo B. Pawar et al. (2018) mapeou os dados genotípicos com a estrutura da enzima e propôs um método usando aprendizado de máquina para classificar a resistência à protease do HIV. Eles mostraram que os modelos de aprendizado de máquina treinados com um inibidor poderiam classificar a resistência de outros inibidores com base na similaridade de estruturas químicas. Li et al. (2018) desenvolveram um método de previsão de consenso usando diferentes técnicas de aprendizado de máquina, juntamente com fingerprints e características físico-químicas para discriminar os inibidores e decoys de protease do HIV. Koushi et al. (2018) revelaram as ligações químicas de ligantes com dois resíduos de Asp catalíticos de protease de HIV-1 por cristalografia de neutrões. Pintro e de Azevedo (2017) desenvolveram uma função de pontuação para prever a afinidade de ligação de ligantes com a protease do HIV-1 usando métodos de molecular docking. Zhua et al. (2019) usaram a estratégia conhecida como scaffold-hopping para combinar o inibidor de protease do HIV-1 Darunavir (DRV) e os triterpenóides pentacíclicos para projetar novos compostos. Ghosh et al. (2018) projetaram e sintetizaram uma ampla gama de inibidores de protease excepcionalmente potentes e estruturalmente intrigantes e mostraram propriedades semelhantes a drogas favoráveis. Nosso grupo caracterizou diferentes tipos de mutações para distinguir entre a presença ou ausência da doença (Kulandaisamy et al. 2019), bem como inibidores específicos de mutação (Anoosha et al. 2019). Por outro lado, vários bancos de dados como BindingDB, ChEMBL e The Stanford HIV Drug Resistance Database foram desenvolvidos para moléculas do tipo droga, que incluem inibidores e mutações resistentes a drogas do subtipo B de protease do HIV. No entanto, estes estudos baseiam-se principalmente no subtipo B do HIV-1 e sabe-se que os fármacos / inibidores disponíveis são menos eficazes contra algumas variantes do subtipo C. Um dos pesquisadores, o grupo do Professor Yasien Sayed iniciou o trabalho no subtipo C, focando na superexpressão, purificação e caracterização, bem como a susceptibilidade à droga e capacidade de replicação das variantes da região charneira da protease do subtipo C do HIV-1 (Zondagh et al. 2018, 2019). Portanto, é necessário realizar investigações detalhadas sobre a estrutura e função do subtipo C da protease do HIV, desenvolver bancos de dados e inibidores / fármacos projetados especificamente para as proteases do subtipo C do HIV.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 08/08/2019-28/02/2023
Foto de perfil

Velci Queiróz de Souza

Ciências da Saúde

Farmácia
  • utilização de compostos bioativos obtidos de plantas do bioma pampa gaúcho em terapias de desordens decorrentes do envelhecimento.
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal do Pampa - RS - Brasil
  • 23/01/2020-22/01/2025
Foto de perfil

Venceslau Xavier de Lima Filho

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • fabricação de ligas intermetálicas para aplicações aeronáuticas e espaciais por manufatura aditiva
  • As duas principais formas de melhorar o desempenho de aeronaves são a redução de peso de seus componentes e o uso de materiais resistentes à altas temperaturas. Através da utilização intensiva de materiais leves no peso dos componentes aeroespaciais, o peso final pode ser significativamente reduzido. Uma redução no peso aumenta a relação empuxo- peso resultando em economia de combustível e emissões de carbono mais baixas. As ligas intermetálicas TiAl apresentam grande potencial para a utilização em aplicações aeroespaciais devido tanto ao seu baixo peso quanto à sua excelente resistência à altas temperaturas. No projeto proposto, será utilizada a tecnologia inovadora de manufatura aditiva para produção de peças de materiais leves de TiAl. Processos de manufatura aditiva como Sinterização Direta de Metais por Laser (DMLS) permitem a fabricação de componentes metálicos de formatos complexos diretamente através do pó utilizando-se de projetos de modelos digitais em softwares específicos para tal. Esta tecnologia também permite a fabricação de peças com designs inovadores impossíveis de serem produzidas através de processos convencionais, além de redução de custos e de tempo devido ao seu processo de fabricação não necessitar de etapas posteriores de usinagem. Todos esses fatores são muito desejáveis na indústria aeroespacial. Será realizada a completa caracterização das ligas de TiAl produzidas por manufatura aditiva incluindo análises de textura cristalográfica, microestrutura e químicas, além de análise de propriedades mecânicas. Será também estudado o comportamento do material em resposta à aplicação de diferentes tratamentos térmicos incluindo testes de resistência à corrosão a altas temperaturas. Serão medidas as tensões residuais nas peças fabricadas. Após toda a caracterização, serão otimizados os parâmetros de processo e finalmente, formas geométricas, incluindo protótipos de peças aeroespaciais serão produzidas e analisadas.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 07/04/2022-30/04/2025
Foto de perfil

Vera Cascon

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • xv fecti – décima quinta feira de ciência, tecnologia e inovação do estado do rio de janeiro.
  • O objetivo do presente projeto é a realização da XV FECTI - Décima Quinta Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Rio de Janeiro, organizada pela Fundação CECIERJ, fundação pública de direito público, órgão da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação do Rio de Janeiro. A realização da feira de ciências estadual FECTI integra as ações executadas pela Fundação CECIERJ, que tem como origem o Centro de Ciências do Estado da Guanabara (CECIGUA), que foi criado em 1965 como o objetivo de “promover a educação científica do povo”, atuando na capacitação de professores, produzindo e distribuindo livros-texto e materiais para os laboratórios das escolas, além de ter realizado feiras de ciências estaduais de 1968 a 1974. A Fundação CECIERJ, comprometida com a difusão e popularização da ciência e com a melhoria do ensino de ciências, retoma a iniciativa de feiras de ciências em 2005 com o estabelecimento do programa FECTI – Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Rio de Janeiro, que conta com o apoio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação do Rio de Janeiro (Anexo I). A FECTI é a maior feira de ciências do Estado do Rio de Janeiro e tem contado com o auxílio da FAPERJ desde sua primeira versão, em 2005, e das chamadas organizadas pelo CNPq para feiras de ciência e mostras científicas, desde 2010. A participação, gratuita, na FECTI ocorre de duas formas: por inscrição avulsa no site, ou por meio de indicação de feiras afiliadas, que sejam realizadas até o final da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Todos os projetos, mesmo os indicados por feiras afiliadas, necessitam se inscrever na FECTI, enviando um relatório do projeto que será avaliado pela comissão científica da FECTI. Os estudantes de 6º ao 9º ano poderão inscrever seus projetos nas categorias Ciências no Ensino Fundamental II- 6º e 7º ano e Ciências no Ensino Fundamental II- 8º e 9º ano; e os estudantes do ensino médio e técnico nas categorias: Ciências Biológicas & da Saúde, Ciências Exatas, Desenvolvimento de Tecnologia, Interdisciplinar (para projetos de Arte e Ciência, Sociedade, Ciência e Esporte, Educação e Ensino de Ciências, História da Ciência). Os projetos inscritos na FECTI são submetidos a uma pré-seleção realizada pela equipe da Divulgação Científica da Fundação CECIERJ. Nessa pré-seleção, são considerados a originalidade, o cumprimento às normas da FECTI (Anexo II) e aos princípios éticos que regem a pesquisa com seres vivos. Os projetos considerados aptos a participar da FECTI são avaliados pelo Comitê Científico, composto por cerca de 160 professores e pesquisadores ligados a instituições de ensino e pesquisa e museus de ciência (Anexo III). A seleção para a mostra da XV FECTI levará em consideração a qualidade e o número máximo de 190 projetos finalistas. Os relatórios dos projetos finalistas serão publicados nos Anais da XV FECTI, em mídia digital. A XV FECTI será realizada nos dias 3 e 4 de dezembro de 2021, no CEFET/RJ, Campus Maracanã, cidade do Rio de Janeiro. Durante o evento, das 10h às 17h, com entrada gratuita, os projetos serão apresentados pelos estudantes ao público e à comissão de avaliação. Concomitantemente com a feira, irá ocorrer nas dependências do CEFET/RJ o 5º. Encontro de professores FECTI, para troca de experiências entre professores, com a participação de especialistas em ensino de ciências e dos professores orientadores dos projetos expostos na FECTI. Também serão oferecidas oficinas para formação continuada aos professores, ministradas pelos professores integrantes da Praça da Ciência Itinerante, programa da Fundação CECIERJ voltado à formação continuada de professores da educação básica. Para os estudantes, será realizada a visitação aos laboratórios do CEFET/RJ, uma oportunidade de incentivar esses jovens a seguirem seus estudos, especialmente nas carreiras de ciência e tecnologia. Ao final do evento, os expositores, alunos, professores e suas escolas, receberão o certificado de participação e os vencedores em cada categoria serão premiados. A realização anual da FECTI promove o desenvolvimento no ambiente escolar de projetos de pesquisa, nas diversas áreas de ciência e tecnologia, envolvendo estudantes e seus professores na investigação científica, contribuindo para a melhoria do ensino de ciências e matemática e abrindo caminho para a formação de jovens com um pensamento inventivo e crítico. A realização do evento, aberto e gratuito, permite à população o desenvolvimento de uma cultura científica. Assim, além de despertar o gosto de jovens pelas carreiras científicas e tecnológicas, espera-se contribuir para a formação de cidadãos mais críticos e participativos.
  • Fundação Centro de Ciências e Educação Superior à Distância do Estado do RJ - RJ - Brasil
  • 28/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

Vera Cascon

Outra

Divulgação Científica
  • xvi fecti – décima sexta feira de ciência, tecnologia e inovação do estado do rio de janeiro
  • O objetivo do presente projeto é a realização da XVI FECTI - Décima Sexta Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Rio de Janeiro, organizada pela Fundação CECIERJ. A FECTI é a maior feira de ciências do Estado do Rio de Janeiro e atua promovendo o desenvolvimento no ambiente escolar de projetos de pesquisa, desde 2005. Os estudantes de 6º ao 9º ano poderão inscrever, gratuitamente seus trabalhos nas categorias Ciências no Ensino Fundamental II e os estudantes do ensino médio e técnico nas categorias: Ciências Biológicas & da Saúde, Ciências Exatas, Desenvolvimento de Tecnologia, Interdisciplinar (para projetos de Arte e Ciência, Sociedade, Ciência e Esporte, Educação e Ensino de Ciências, História da Ciência), Os projetos são avaliados pelo Comitê Científico, composto por cerca de 160 professores e pesquisadores. A seleção para a mostra da XVI FECTI levará em consideração a qualidade e o número máximo de 190 projetos finalistas. A XVI FECTI será realizada dias 2 e 3 de dezembro de 2022, em formato misto: Presencial: apresentação dos projetos finalistas das Modalidades 1 e 2 em evento sediado no CEFET/RJ – Campus Maracanã. Virtual: apresentação dos projetos selecionados da Modalidade 3 a membros do Comitê Científico e exposição de vídeos com apresentação dos projetos pelos estudantes. Durante o evento presencial, das 10h às 17h, com entrada gratuita, os trabalhos serão apresentados pelos estudantes ao público e à comissão de avaliação. Concomitantemente, irá ocorrer o 4º. Encontro de professores FECTI, para troca de experiências de especialistas em ensino de ciências com os professores orientadores. Também serão oferecidas oficinas para formação continuada aos professores. A realização do evento, aberto e gratuito, permite à população o desenvolvimento de uma cultura científica. Assim, além de estimular os jovens a seguir carreiras científicas e tecnológicas, espera-se contribuir para a formação de cidadãos mais críticos e participativos.
  • Fundação Centro de Ciências e Educação Superior à Distância do Estado do RJ - RJ - Brasil
  • 08/12/2021-31/12/2023
Foto de perfil

Vera Lucia Amaral Ferlini

Ciências Humanas

História
  • base digital de história do açúcar: do mediterrâneo ao tlântico ( séculos vi a xxi)
  • O açúcar constitui um dos marcos da formação da sociedade ocidental, desde a introdução pelos árabes no Mediterrâneo, sua expansão pelas ilhas do Atlântico e sua expansão nas Américas. Nesse processo, a ocupação e da colonização européia foram fundados na produção açucareira, responsável pelo desenvolvimento do escravismo, pela concentração de riqueza e poder nas Américas. O Prjeto apresentado insere-se nas atividades do Grupo de Pesquisa CNPq, Civilizações do Açúcar, que congrega pesquisadores do Brasil e do exterior, articulados na Rede Internacional de História do Açúcar. Dentro da perspectiva da História Global e das Humanidades Digitaia, objetiva oferecer à comunidade científica e ao público em geral elementos de pesquisa e reflexão sobre a História do Açúcar. Trata-se de Plataforma Digital, com dados das áreas de produção acúcareira, desde o século VI, no Mediterrâneo até a atualidade Atlântica. Baseada em pesquisa documental, bibliográfica, iconográfica e cartográfica, permite obter, nas áreas georreferenciadas, dados históricos, econômicos e técnicos, bem como bibliografia e fontes disponíveis. Acompanha essas áreas, através do tempo, apontando sua situação atual, atividades econômicas e IDH, permitindo questionar esse percurso e lançar novas questões.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 24/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Vera Lúcia Lopes Cristovão

Lingüística, Letras e Artes

Lingüística
  • laboratório integrado de letramentos acadêmico-científicos (lila): compreensão e produção textual na educação superior
  • A compreensão e produção de textos de estudantes universitários e as especificidades dessas práticas nas várias culturas disciplinares (HYLAND, 2004) vêm se estabelecendo como objeto de estudo de pesquisadores da Linguística Aplicada (LA) há anos. Nesse contexto, o Laboratório Integrado de Letramentos Acadêmico-científicos (LILA) nasceu de resultados de dois tipos de pesquisa: i) o estado da arte sobre letramentos acadêmicos (LEA;STREET, 1998) e científicos (MAGALHÃES;CRISTOVÃO, 2018) no Brasil; e ii) a análise das ementas de disciplinas dos cursos de graduação de três instituições (UEL, UTFPR e UNESPAR) e das respostas a questionários dirigidos a discentes, docentes e gestores. Essas análises objetivaram levantar ações didáticas em prol de letramentos acadêmicos-científicos existentes e as possibilidades de atuação do LILA nas necessidades evidenciadas no conjunto de resultados. Tendo sido criada a rede LILA, que atualmente conta com pesquisadores de dez IES paranaenses, faz-se premente a pesquisa das ações implementadas no laboratório para avaliar seus impactos nos letramentos acadêmico-científicos nas instituições envolvidas. Logo, a proposta consiste no estudo de dados gerados em ações de ensino e extensão a serem realizadas pelo LILA, evidenciando o movimento cíclico – planejamento, implementação, avaliação – inerente ao projeto. A hipótese é que tais ações, coletivas, colaborativas e interinstitucionais podem gerar inovação na busca por superar dificuldades postas nas universidades quanto a letramentos acadêmico-científicos. Em especial, destacamos os percursos formativos e dispositivos didáticos propostos em colaboração interinstitucional entre laboratórios e projetos voltados aos letramentos acadêmico-científicos em âmbito estadual, para a formação de docentes e discentes de culturas disciplinares selecionadas, conforme a necessidade das IES integrantes.
  • Universidade Estadual de Londrina - PR - Brasil
  • 13/02/2022-28/02/2025