Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Carlos Alberto Della Rovere

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • desenvolvimento de ligas multicomponentes refratárias para aplicações aeroespaciais: seleção, produção, caracterização e comportamento de oxidação em alta temperatura
  • As ligas multicomponentes têm despertado a atenção em vista de seu conceito distinto e inovador de elaboração, o qual envolve a combinação de vários elementos principais, e que; por isso, pode resultar em materiais com estruturas únicas e combinações interessantes de propriedades, como alta resistência mecânica, excelente resistência à corrosão e estabilidade térmica. Atualmente, atenção cada vez maior tem sido dada às ligas multicomponente com elementos refratários (LMR) como Cr, Hf, Mo, Nb, Ta, Ti, V, W e Zr (e adições de Al e Si), pois estas são consideradas candidatas potenciais para atender à necessidade de ligas de alto desempenho para aplicações em temperaturas elevadas e condições operacionais agressivas, como aquelas experimentadas em motores de turbina a gás e veículos hipersônicos. Entretanto, o espaço de composição multidimensional a ser explorado com esse novo conceito é praticamente ilimitado e apenas regiões pequenas foram investigadas até agora. Além disso, como o desenvolvimento das LMRs é relativamente recente, muitas de suas propriedades ainda são motivo de investigação, como, por exemplo, o comportamento de oxidação em altas temperaturas. Dessa forma, o projeto de pesquisa tem como objetivos principais selecionar, produzir e caracterizar composições de LMRs que sejam promissoras para aplicações em temperaturas elevadas. Inicialmente, pretende-se, por meio de simulação termodinâmica computacional, pesquisar intensivamente e sistematicamente composições baseadas em sistemas refratários que possuam baixa massa específica, microestruturas promissoras para estabilidade térmica e elementos formadores de óxidos estáveis em temperaturas elevadas (> 1000 °C). Na sequência, produzir e caracterizar as composições selecionadas visando entender a viabilidade de fabricação e processamento. Estudar o comportamento de oxidação ao ar das ligas produzidas por meio de ensaios de oxidação isotérmica e cíclica a 1000, 1100 e 1200 °C por tempos prolongados (> 100 h).
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Carlos Alberto Marques

Ciências Humanas

Educação
  • perspectivas metodológicas específicas ao ensino da química verde
  • Com o projeto busca-se aprofundar pesquisas no âmbito do ensino da Química Verde, mais especificamente, destacar, analisar e discutir tendências, perspectivas teóricas, modelos e propostas ou aspectos metodológicos específicos para promover o seu ensino. Por meio de um amplo levantamento e análise bibliográfica, buscar-se-á individualizar incialmente características tradicionais e não-tradicionais de textos voltados ao ensino, problematizando relações entre a natureza da QV e especificidades metodológicas para seu ensino. Um dos pressupostos é que dada a natureza incremental e transformativa da QV, e seu envolvimento com os desafios da sustentabilidade e ao tratamento sistêmico, seu ensino tende a reclamar estratégias didáticas específicas e inovadoras. Pesquisas como essa podem auxiliar da evolução da Química na perspectiva da sustentabilidade, ao aportar sínteses analíticas relativas às dificuldades de implementação e de experiências exitosas de ensino da QV. Como resultado da pesquisa, dentre as suas metas estão a formação de pessoal de alto nível (mestrados, doutoramentos, seminários e disciplinas), produção acadêmica (artigos, e-book), divulgação (ambiente virtual) e intercâmbios acadêmicos internacionais.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Carlos Alberto Nobre Quesada

Ciências Biológicas

Ecologia
  • ciclo do carbono e limitações por nutrientes na amazônia: uma plataforma experimental para compreender os processos que regulam o ecossistema
  • Simulações de modelos sugerem que o aumento do CO2 atmosférico (eCO2) poderia aumentar a produtividade florestal, resultando em menores alterações na Amazônia em função da mudança no clima. Entretanto, isto depende do papel que a disponibilidade de nutrientes no solo pode desempenhar no controle da produtividade florestal e na limitação das respostas ao eCO2. Se a disponibilidade de nutrientes no solo já estiver limitando a produtividade florestal, a capacidade de resposta da Amazônia ao eCO2 será restrita, tornando-a mais vulnerável. Muito do que sabemos sobre limitação nutricional vem de florestas temperadas, limitadas por N, entretanto florestas tropicais tendem a ser limitadas por elementos de rochas (P e cátions), assim, a compreensão dos controles nutricionais sobre a produtividade em regiões temperadas não se aplica aos trópicos. Muito do que sabemos sobre limitação nutricional na Amazônia vem de estudos de gradientes naturais de fertilidade, onde também ocorrem mudanças de clima e composição de espécies, confundindo sua interpretação. Neste contexto, experimentos de manipulação de nutrientes fornecem um método direto para avaliar o efeito da limitação nutricional. Esta proposta pretende avaliar o impacto da limitação nutricional sobre o ciclo do C em uma floresta na Amazônia, utilizando um experimento de manipulação de nutrientes em larga escala. Este experimento manipula N, P, Cátions e controle num desenho fatorial completo, em 4 blocos e 32 parcelas de 50x50m. Em particular, iremos determinar, em nível foliar e ecossistêmico, quais nutrientes limitam os processos de produtividade primária bruta e liquida (fotossíntese, produtividade de folhas, madeira e raízes) e a eficiência no uso do carbono, através da respiração dos diferentes componentes. Compreender os processos e mecanismos de funcionamento do ecossistema vai permitir a parametrização e avaliação de modelos do sistema terrestre usados para simular os efeitos das mudanças climáticas na Amazônia.
  • Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - AM - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Carlos Alberto Vieira de Azevedo

Ciências Agrárias

Engenharia Agrícola
  • peróxido de hidrogênio como atenuante do estresse salino no cultivo de gravioleira
  • A região semiárida do Nordeste Brasileiro apresenta condições edafoclimáticas propícias para exploração da gravioleira; no entanto, as águas disponíveis para irrigação são, na maioria das vezes, salinas, o que pode comprometer a produção; desta forma, torna-se imprescindível o desenvolvimento de tecnologias que viabilizem a aplicação dessas águas na irrigação destacando-se o uso de peroxido de hidrogênio na aclimatação das plantas ao estresse salino. Assim a presente proposta tem como objetivo avaliar o efeito da aplicação exógena de peróxido de hidrogênio como atenuante do estresse salino no crescimento, índices fisiológicos, bioquímicos e na produção de plantas enxertadas de gravioleira cv. Morada Nova. A pesquisa será desenvolvida sob condições de casa-de-vegetação, pertencente ao Centro de Tecnologia e Recursos Naturais da Universidade Federal de Campina Grande (CTRN/UFCG), localizada em Campina Grande, PB. A pesquisa será constituída de dois experimentos, em sucessão, sendo estudados, no primeiro, os efeitos do peróxido de hidrogênio aplicado na embebição das sementes e mediante pulverizações foliares na formação de mudas sob estresse salino. No segundo, será avaliado os efeitos das concentrações de peróxido de hidrogênio como atenuante do estresse salino pós-enxertia até a fase de produção da gravioleira. No primeiro experimento, será utilizado o delineamento experimental de blocos casualizados, em esquema fatorial 5 x 5 x 5, cujos tratamentos serão construídos pela combinação de três fatores: cinco níveis de condutividade elétrica da água de irrigação – CEa (0,6; 1,2; 1,8; 2,4; 3,0 dS m-1), cinco concentrações de peróxido de hidrogênio (0; 10; 20; 30 e 40 µM), associados a cinco períodos de embebição das sementes (12. 24, 36, 48 e 60 horas), com quatro repetições e duas plantas por parcela. No segundo experimento, os tratamentos resultarão da combinação entre dois fatores: cinco níveis de condutividade elétrica da água de irrigação (0,6; 1,2; 1,8; 2,4 e 3,0 dS m-1) associados a cinco concentrações de peróxido de hidrogênio (0; 10; 20; 30 e 40 µM); o delineamento experimental será em blocos inteiramente casualizados em arranjo fatorial 5 x 5, com quatro repetições, perfazendo o total de 100 unidades experimentais. Os níveis de salinidades da água (0,6; 1,2; 1,8; 2,4 e 3,0 dS m-1) serão preparados de modo a se ter uma proporção equivalente de 7:2:1, entre Na:Ca:Mg, respectivamente, a partir dos sais NaCl, CaCl2.2H2O e MgCl2.6H2O. Os efeitos dos diferentes tratamentos sobre a cultura da gravioleira, nos dois experimentos, serão avaliados mediante a mensuração das variáveis de crescimento: altura de planta, diâmetro de caule, número de folhas, área foliar, razão de área foliar, área foliar específica, e taxas de crescimento absoluto e relativo, e das variáveis fisiológicas referentes ao teor relativo de água, pigmentos fotossintéticos, trocas gasosas e fluorescência da clorofila a. Também serão avaliados a produção de fitomassas fresca e seca de caule, folhas e raiz, parte aérea e total, além da nutrição dos porta-enxertos, bem como sua qualidade através do índice de qualidade de Dickson (IQD) acrescentando-se, ainda, no segundo experimento, a determinação das variáveis de produção e seus componentes. Os dados coletados serão submetidos à análise de variância pelo teste F ao nível de 0,05 de probabilidade e, quando significativo, realizar-se-á análise de regressão polinomial linear e quadrática, utilizando-se do software estatístico SISVAR. Caso ocorra heterogeneidade nos dados, verificada através dos valores de coeficiente de variação, será realizada análise exploratória dos dados com transformação de dados em raiz de x.
  • Universidade Federal de Campina Grande - PB - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023
Foto de perfil

Carlos Alexandre Wuensche de Souza

Ciências Exatas e da Terra

Astronomia
  • desenvolvimento dos receptores e simulações de missão do radiotelescópio bingo
  • BINGO (BAO from Integrated Neutral Gas Observations) é um radiotelescópio projetado especificamente para mapear a distribuição de densidade de hidrogênio neutro em distâncias cosmológicas, tendo como um de seus objetivos realizar a primeira detecção de Oscilações Acústicas de Bárions (em inglês, BAO) na banda de frequência 980 MHz - 1260 MHz, correspondendo a um intervalo de redshift 0,127
  • Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - SP - Brasil
  • 08/02/2022-28/02/2025