Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Sinval Pinto Brandão Filho

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • detecção de anticorpos contra antígenos salivares de lutzomyia migonei e lutzomyia longipalpis como um possível marcador indireto de exposição à leishmania spp. em cães
  • Flebotomíneos são vetores de protozoários do gênero Leishmania, os quais são transmitidos a um hospedeiro susceptível durante o repasto sanguíneo de fêmeas infectadas. Neste mesmo momento, proteínas salivares imunogênicas também são depositadas no hospedeiro induzindo uma resposta imunológica com a produção de anticorpos. A detecção destes anticorpos anti-saliva no hospedeiro permite estimar a exposição do mesmo a picadas de flebotomíneos em áreas onde as leishmanioses são endêmicas. Lutzomyia longipalpis é o principal vetor de Leishmania infantum nas Américas. Adicionalmente, a espécie Lutzomyia migonei é bastante comum em algumas áreas endêmicas para as leishmanioses, sendo vetor permissivo de várias espécies de Leishmania, incluindo L. infantum. Estudos para detecção de anticorpos anti-saliva de algumas espécies de flebotomíneos já foram realizados, mas não existem estudos para a detecção de anticorpos anti-saliva de Lu. migonei. Portanto, o objetivo desse trabalho é detectar anticorpos anti-saliva de Lu. migonei e de Lu. longipalpis em cães de áreas endêmicas para leishmaniose visceral e cutânea e com a presença de ambas espécies de flebotomíneos, como ferramenta para avaliar o risco de exposição desses cães à infecção por Leishmania spp. Para tanto 300 amostras de soro de cães naturalmente expostos a flebotomíneos serão testados por sorologia (ELISA) para detecção de anticorpos anti-saliva de ambas espécies de flebotomíneos. Adicionalmente, amostras de sangue total também serão testadas para detecção de DNA de Leishmania spp. utilizando PCR em tempo real. Espera-se encontrar associação significativa infecções por Leishmania spp. e anticorpos anti-saliva de Lu. migonei e Lu. longipalpis em cães de áreas endêmicas. A detecção de anticorpos anti-saliva poderá ser uma ferramenta útil para detectar a exposição do hospedeiro a flebotomíneos, estimando assim o risco de exposição desses à infecção Leishmania spp. em áreas endêmicas.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 15/05/2019-31/05/2022
Foto de perfil

Sofia Lerche Vieira

Ciências Humanas

Educação
  • política educacional, cidadania global e diversidade territorial: expedição escolas do brasil
  • O projeto Política educacional, cidadania global e diversidade territorial: expedição escolas do Brasil pretende examinar os nexos entre a formulação e implementação de políticas educacionais focalizando escolas públicas com características diferenciadas localizadas em uma amostra inicial de 12 (doze) unidades da federação brasileira, que poderá vir a ser ampliada numa perspectiva de pesquisa colaborativa. A iniciativa articula-se a projeto submetido pela proponente e aprovado pelo Edital CNPq Bolsista de Produtividade – 2015 (Processo n⁰ 309979/2015-3). A proposta, ora encaminhada à Chamada Universal MCTI/CNPq Nº 014/2015, amplia o projeto anterior e agrega pesquisadores de diferentes unidades da federação e origens institucionais reunidos em torno de interesses de investigação comuns buscando, ao mesmo tempo, assegurar recursos para a realização da referida pesquisa. Configuram-se como questões da pesquisa: identificar como as políticas educacionais, concebidas no âmbito central para todas as unidades da federação, chegam às diferentes escolas nos diferentes territórios e contextos; verificar o modo como as escolas constroem e reconstroem as políticas nacionais em seu cotidiano; identificar se existe no âmbito da política educacional brasileira uma compreensão e/ou definição de Educação para a Cidadania Global e, em caso positivo, desvelar elementos de sua prática e implementação na amostra de escolas integrantes do estudo, mediante análise de entrevistas com educadores e estudantes; verificar se as escolas desenvolvem iniciativas próprias de avaliação com vistas a obter melhor performance nas provas nacionais; em caso positivo, identificar o que, como e quais estratégias adotam para preparar seus alunos; e, examinar se as escolas da amostra do estudo oferecem “padrões mínimos de qualidade” do ponto de vista de infraestrutura e a concepção das equipes escolares sobre a matéria. A definição da amostra de escolas será feita com base em indicadores socioeconômicos (população, Índice de Desenvolvimento Humano - IDH), ambientais (rural/urbano, bioma) e educacionais - índice de complexidade de gestão, indicador do nível socioeconômicos dos alunos, e Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), podendo ainda ser incluídas outras variáveis relevantes, a exemplo do SAEB e ENEM. A proposta dá sequência à trajetória de investigação da proponente e de pesquisadores da equipe integrante do projeto, cujos estudos têm contemplado matizes diversos da política educacional tanto no passado como no presente, seja em sua dimensão de ação de governo, seja em suas diferentes formas de implementação no âmbito escolar. Visando contribuir para o aprofundamento teórico e empírico da pesquisa no campo e, na expectativa de explicitar a articulação entre as políticas nacionais e locais no contexto da transnacionalização, a investigação ora proposta focaliza escolas do Brasil, tomando como fio condutor da análise a política de avaliação de larga escala. Nesse movimento, o estudo pretende elucidar aspectos relativos a uma face nem sempre visível em estudos sobre o tema: o modo como os sujeitos exercem sua autonomia para reinventar e resignificar os espaços e sentidos da escola no processo de implementação de políticas, de modo especial, a leitura sobre como as políticas de avaliação de larga escala chegam às escolas e são compreendidas e reinterpretadas por parte das equipes escolares. A política educacional enquanto ação de governo configura-se como mediação entre a formulação e a implementação de ideias, valores e crenças do projeto educativo de uma dada sociedade em um determinado momento histórico. Hoje, num mundo cujas fronteiras são alargadas e abolidas por processos de globalizações (SANTOS, 2002; TEODORO, 2011 e OLSENN, CODD & O’NEILL, 2004), cresce a relevância de investigar o significado e os impactos de iniciativas transnacionais nos cenários locais. Nesse cenário mais geral, a educação encontra-se diante do desafio de além de formar cidadãos para a plena inserção no âmbito do Estado Nação, como também, e cada vez mais, em contextos globais A educação para a cidadania global é, pois, um requerimento e um desafio para a sociedade, seus sistemas educativos e escolas. Outro elemento central a ser considerado em um país de dimensões continentais, como o Brasil é a diversidade territorial. O legado da colonização portuguesa foi um vasto território, hoje composto por 27 Estados e 5.561 municípios que, juntos, compõem a federação brasileira. Sendo a educação tarefa compartilhada entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, sendo organizada sob a forma de regime de colaboração (CF, Art. 11 e LDB, Art. 8º) é oportuno investigar como políticas concebidas com o intuito de atingir todas as escolas do país aportam na esfera local, marcado por especificidades diversas da territorialidade, aí incluindo tanto a dimensão socioeconômica, como também a dimensão ambiental e outros contornos que caracterizam a geografia humana brasileira. O projeto, concebido numa perspectiva metodológica quanti-qualitativa é integrado por uma equipe de 10 pesquisadores, 3 estudantes de doutorado e 1 de mestrando, sendo encaminhada também ao CNPq solicitação relativa a 2 bolsas para apoiá-lo: 1 de Iniciação Científica (IC) e 1 de Apoio Técnico Nível Superior (AT-NS).
  • Universidade Nove de Julho - SP - Brasil
  • 01/06/2017-28/02/2021
Foto de perfil

Sofia Suely Ferreira Brandao Rodrigues

Outra

Multidisciplinar
  • valorização do conhecimento local, inclusão, promoção e divulgação da ciência: a inteligência artificial em suas diferentes abordagens
  • A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia é uma iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações (MCTIC) que tem por objetivo aproximar a Ciência e Tecnologia da população, promovendo eventos que congregam centenas de instituições a fim de realizar atividades de divulgação científica em todo o País . Para a edição de 2020, foi escolhido o tema “Inteligência Artificial: A nova fronteira da ciência Brasileira”. Quando pensamos em inteligência artificial, geralmente a evocamos com o viés do senso comum: nos vem logo as imagens de Hollywood, nas quais robôs têm completa autonomia de ser, de sentir, de tomar as próprias decisões; enfim, são substitutos à raça humana. Contudo, o que vemos hoje é uma interação simbiótica entre homem e máquina, aos moldes do que foi descrito por Licklider (1960). Neste contexto, homem e máquina trabalham juntos, sendo a máquina a extensão do homem, realizando as tarefas pré-estabelecidas por ele. Enquanto sociedade, estamos mais acostumados a relacionar inteligência artificial com aquilo que é digital e está ao nosso alcance, como conversar com os serviços de assistência pessoal da Apple (Siri), da Alphabet (Google Assistant) ou ainda tecnologias disruptivas, como os carros autônomos. Contudo, estes são os exemplos mais noticiados. Aos usarmos plataformas de streaming, como o YouTube ou a Netflix; ou ao escolhermos em que link (conteúdos) clicamos nas plataformas do Facebook ou Twitter; ou ainda quais produtos compramos nos marketplaces como Amazon ou Mercado Livre, após algum tempo, itens semelhantes nos são mostrados. Nestes casos, também estamos fazendo uso de inteligência artificial. Todos esses exemplos pertencem ao que é chamado de Nova Economia – economia associada ao oferecimento de serviços e não à produção de bens. Hoje estamos vivendo a 4º Revolução Industrial – Indústria 4.0: a integração entre homem e máquina, como propôs Licklider, nos meios de produção. Através do monitoramento de diversos parâmetros operacionais de uma fábrica, podemos evitar o desperdício de água, de energia, de matéria-prima e de outros insumos necessários à produção. No campo, através da Agricultura Digital, podemos monitorar quais foram as regiões, de uma mesma plantação, que receberam mais chuvas e reduzir a irrigação nessa área; através do reconhecimento de padrões em imagens coletadas por drones ou satélites, podemos verificar se alguma região está com deficiência em nutrientes ou sendo atacada por alguma praga. Com os exemplos da Nova Economia e da Indústria 4.0 ilustrados anteriormente, é percetível a adesão da Inteligência Artificial aos diversos Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável (doravante ODS) da Organização das Nações Unidas e presentes na Agenda 2030. Citamos como exemplos claros de aderência: ODS 2 – Fome zero e agricultura sustentável; ODS 3 – Saúde e bem-estar; ODS 6 – Água potável e saneamento; ODS 8 – Trabalho decente e crescimento econômico; ODS 9 – Indústria, inovação e infraestrutura; ODS 12 – Consumo e produção responsáveis. Em um país de dimensões continentais, com regiões diferentes entre si e com problemas em diversas áreas, tecnologias que visem o uso racional de recursos escassos têm terreno fértil para se propagarem para tal, bastando o fomento ideal. Com 110 anos de história, o IFPE - Campus Recife (doravante Campus) conta com aproximadamente quinhentos servidores docentes e seis mil discentes, esses distribuídos em diversas modalidades: Ensino Médio Técnico Integrado, Proeja, Subsequente, Tecnológico, Licenciatura, Bacharelado e Pós-Graduação (Especialização e Mestrado) . A proposta do Campus tem como objetivo geral estimular servidores e discentes a desenvolver e divulgar ideias, produtos e serviços nos diversos campos do conhecimento e relacionados à Inteligência Artificial, fortalecendo o tripé Ensino, Pesquisa e Extensão através do diálogo bidirecional Sociedade – Academia. Uma vez que Recife é um polo de desenvolvimento de tecnologias reconhecido internacionalmente, para o pleno desenvolvimento da proposta, a comunidade externa não participará apenas como ouvinte: todos serão também protagonistas do evento através da difusão de seus conhecimentos. A participação se dará nos formatos disponibilizados pelo evento, como palestras, oficinas, minicursos, workshops, debates, dentre outros a se realizarem de forma exclusivamente online e com a participação de escolas públicas e privadas dos municípios de Camaragibe, Jaboatão dos Guararapes, municípios pertencentes à Região Metropolitana do Recife, além daquelas instituições localizadas na própria capital pernambucana.
  • Instituto Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 03/11/2020-31/05/2021
Foto de perfil

Solange Aparecida Ságio

Ciências Agrárias

Agronomia
  • análises moleculares voltadas para o estudo da cultura da batata-doce
  • Considerando a grande importância econômica e social que a cultura da batata-doce tem para o Brasil e dos poucos estudos realizados com ferramentas biotecnológicas que podem, juntamente com o melhoramento convencional, produzir melhorias incalculáveis nos sistemas de produção desde a qualidade até a produtividade, por meio de estudos genéticos do transcriptoma, este trabalho tem como objetivo identificar e validar protocolos de extração de RNA e genes de referência ao desenvolvimento de estudos moleculares sobre a cultura da batata-doce. As análises moleculares possibilitarão identificar o melhor protocolo de extração de RNA de qualidade, para cada um dos tecidos que serão estudados em um trabalho ainda não realizado para a cultura da batata-doce. Essas análises irão permitir a realização de ensaios sensíveis, como os estudos transcricionais via RT-qPCR e RNAseq, os quais permitirão compreender melhor a genômica funcional dessa espécie. Já a validação dos genes de referência, para estudos de expressão gênica via PCR em tempo real, permitirá o desenvolvimento de estudos moleculares, que possibilitarão elucidar como funcionam e interagem as diversas rotas metabólicas, no intuito de aplicar esse conhecimento ao melhoramento da cultura. Além disso, os resultados desse estudo ainda podem gerar inovações tecnológicas de impacto significativo, na cadeia produtiva das culturas amiláceas, pois este trabalho permitirá estudos genéticos sobre a batata-doce, os quais poderão ser usados no melhoramento de outras amiláceas, como o inhame, a mandioca e a mandioquinha-salsa.
  • Universidade Federal do Tocantins - TO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022