Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Hirla Costa Silva Fukushima

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • produção de zebrafish (danio rerio) isogênico para uso em pesquisa biomédica
  • Este trabalho é uma parceria entre biotérios da UFSCar e da USP que visa gerar tecnologias que possibilitem a produção de Zebrafish com controle genético (inbred) e sanitário (livre de patógenos específicos - SPF) para uso em pesquisas no Brasil. O Zebrafish é um modelo experimental em destaque em pesquisas biomédicas em todo o mundo e seu emprego é capaz de aumentar a eficiência das pesquisas e reduzir substancialmente seus custos. Contudo, o Brasil não possui produtores de Zebrafish com genética definida e, neste contexto, o projeto tem como objetivo avaliar a viabilidade de produção de Zebrafish SPF isogênico para uso em pesquisas de instituições de ensino, empresas e governo. Propõe-se a produção do modelo de Zebrafish inbred a partir da aplicação de técnicas zootécnicas de manipulação cromossômica em embriões SPF recém fertilizados. A técnica de ginogênese será usada para criar peixes homozigotos em cada lócus. Para tanto, serão avaliados tempo/intensidade de exposição de espermatozoides de Zebrafish em UV para destruição de seu material genético sem inviabilizá-los e diferentes momentos para choque térmico em embriões recém fertilizados (meiose II, mitose I ou mitose II) que garantam a produção da homozigose. Adicionalmente, uma parcela da prole F2 será invertida sexualmente através de hormônio masculinizante para avaliar a viabilidade da produção de embriões isogênicos através do cruzamento F2xF2. Portanto, pretende-se iniciar a comunicação entre programas de aquicultura, bioterismo e pesquisa biomédica, que garanta a geração de animais definidos com ausência de variação induzida por fatores genéticos e sanitários e os resultados poderão contribuir para dar suporte a métodos científicos que garantam a aplicação do princípio dos 3Rs (replacement, refinement, reduction) e otimizar a reprodutibilidade e competitividade das pesquisas brasileiras no cenário mundial.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Hironobu Sano

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • nível de maturidade dos laboratórios de inovação no setor público brasileiro: análise de experiências do rio grande do norte e são paulo
  • Este projeto de pesquisa tem como objeto central de investigação os laboratórios de inovação no setor público (iLabs) considerando o aumento do número de experiências nacionais (Assis e Caliman, 2017; DEIOP, 2016; Narcizo, 2017; JFRN, 2017; Oliveira, 2017; Santos, A., 2017; Santos, P., 2016) e internacionais (Acevedo e Dacen, 2016; Ramírez-Alujas, 2016; Tonurist, Kattel e Lember, 2017; UNICEF, 2012; UNDP, 2017). Os iLabs são espaços para geração de ideias e soluções para os problemas públicos a partir de uma abordagem colaborativa, envolvendo o setor privado e a sociedade civil (Acevedo, Dassen, 2016; Schuurman e Tõnurist, 2017). O crescimento dos iLabs está relacionado com a inovação no setor público que, por sua vez, busca aumentar a capacidade de resposta do Estado frente às demandas sociais (Mulgan e Albury, 2003). A inovação pode ser “entendida como algo novo em relação ao anterior” (Spink, 2003), mas que deve trazer uma mudança substantiva em relação às práticas anteriores, com aumento na eficiência, eficácia ou qualidade dos resultados (Mulgan e Albury, 2003; Spink, 2003). A inovação pode envolver mudanças: (1) em serviços - a introdução de um novo serviço ou melhoria na qualidade dos existentes, (2) em métodos de entregas de serviços, (3) administrativas - nas rotinas ou estruturas organizacionais, (4) conceituais, a partir de contestações aos pressupostos vigentes, (5) em políticas públicas, e (6) sistêmicas, que envolve a criação de novas formas de interação com outras organizações e fontes de conhecimento (Windrum, 2008). Uma mudança pode ser: (1) incremental -pequenas alterações nos serviços e processos já existentes, (2) radical -introdução de um novo serviço, produto ou forma de entrega, mas que mantém inalterada a dinâmica do setor, e (3) sistêmica ou transformacional, resultante da aplicação de novas tecnologias e que leva à criação de novas estruturas, organizações e formas de relacionamento (Mulgan e Albury, 2003). A inovação pode ser analisada como um processo que começa com a invenção, quando a criatividade é central para a geração de ideias; segue para a implementação, quando as ideias são convertidas em mudanças efetivas; e, por fim, a difusão, quando a inovação é adotada por outras organizações (Hartley, 2013). O processo de inovação pode encontrar barreiras, tais como: pressões para entrega de resultados e sobrecarga nas atividades administrativas, planejamento e orçamento de curto prazo, cultura de aversão ao risco, resistência às novas tecnologias, ausência de mecanismos de incentivos à inovação (Mulgan e Albury, 2003). Por outro lado, também há indutores da inovação, como uma liderança proativa, um novo mandato político ou mesmo uma legislação (Borins, 2014). O fato é que os elementos citados podem atuar como indutores ou barreiras e raramente são mutuamente exclusivos (Koch e Hauknes, 2005; Vries, Bekkers e Tummers, 2016). A sociedade também é vista também como colaboradora da inovação pública, num processo de inovação aberta e em contraposição à inovação fechada, quando as ideias e soluções advêm apenas de atores internos às organizações (Lee, Hwang e Choi, 2012; Veeckman, Schuurman, Leminen e Westerlund, 2013). Na perspectiva aberta, os laboratórios funcionam como espaço de fomento à interlocução do governo com os demais setores, criando um ambiente propício para a coprodução da inovação (Alves, 2013; Bommert, 2010; Mergel, 2017) e para a experimentação e, portanto, uma forma de superar as barreiras à inovação. Puttick, Baeck e Colligan (2014) classificaram os laboratórios conforme seus propósitos: (1) desenvolvedores e criadores de inovações, (2) facilitadores da inovação, ou seja, buscam o engajamento da sociedade civil e empresas na geração de ideias, (3) educadores, quando o foco está na capacitação de servidores públicos para a inovação e que possam levar a mudanças na cultura organizacional, (4) arquitetos, quando, além da busca de soluções, tem uma preocupação maior com o contexto social no qual estão inseridos. Mulgan (2014) propõe compreender os laboratórios de acordo com uma espiral dos estágios de inovação, conforme a Figura 1. FIGURA 1 – Espiral dos estágios de inovação 1. Identificar oportunidades e desafios 2. Gerar ideias 3. Desenvolver e testar (prototipação) 4. Estabelecer um caso 5. Implementar 6. Ampliar a escala 7. Mudanças sistêmicas Fonte: Mulgan (2014) Esta espiral representa o ciclo de inovação dentro de um laboratório e cada um dos estágios pode ser compreendido a partir do Quadro 1. QUADRO 1 – Estágios de inovação e alcance das ações N. - ESTÁGIO - ALCANCE DAS AÇÕES 1 - Oportunidades e desafios - Compreender melhor os desafios do setor no qual atuam de forma a identificar oportunidades de atuação 2 - Geração de ideias - Desenvolver ideias inovadoras para superar os problemas identificados 3 - Desenvolvimento e testes - Desenvolver um protótipo, testar sua aplicabilidade e analisar o alcance de resultados 4 - Estabelecimento do caso - Elaborar um caso bem fundamentado 5 - Entrega e Implementação - Implementar a solução inovadora 6 - Crescimento e escalabilidade - Ampliar a utilização da solução inovadora e disseminar as inovações 7 - Mudanças sistêmicas - Promover mudanças sistêmicas Fonte: Mulgan (2014). Mulgan (2014) identificou que a maioria dos laboratórios encerra suas atividades na prototipação, ou seja, não implementam as inovações e, portanto, não são capazes de disseminar suas ideias e gerar mudanças sistêmicas. No contexto apresentado, o problema de pesquisa é: como iLabs brasileiros se situam em relação aos estágios de inovação? A espiral dos estágios de inovação será adotada como uma primeira abordagem para se criar uma escala do nível de maturidade dos laboratórios. A partir da pesquisa com os iLabs, a tipologia será testada e, se necessário, adaptada. Além disso, a pesquisa busca compreender os fatores que promovem ou dificultam a passagem de um estágio a outro.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Holmer Savastano Junior

Engenharias

Engenharia Civil
  • cura de elementos construtivos à base de fibrocimento em ambiente saturado de co2
  • O objetivo desta pesquisa é desenvolver uma nova tecnologia utilizando ambiente com excesso de CO2 para cura de produtos de cimento reforçados com fibras de celulose e sintéticas, focando a produção de telhas onduladas. Entretanto as fibras sintéticas, normalmente utilizadas em associação com as celulósicas são muito caras, aumentando muito o custo do produto final. Adicionalmente, existem problemas tanto de instabilidade dimensional destes produtos de fibrocimento como de fissuras de borda causadas pela retração durante sua secagem. A presente tecnologia pretende diminuir gradualmente a utilização das fibras sintéticas e com isso diminuir drasticamente o custo de matéria-prima dos fibrocimentos sem amianto. A presente proposta de pesquisa é uma resposta a essa demanda por novos processos e produtos de cimento reforçado com fibras, e adequados ao consumo brasileiro de materiais para cobertura, fachadas, divisórias e paredes do tipo “dry wall”. É ainda a via para formação de mão-de-obra qualificada para a expansão do mercado de fibrocimentos no Brasil. As principais etapas deste projeto são: (i) benchmarking; (ii) adaptação de novo processo de cura e análise das propriedades físico-mecânicas do compósito; (iii) reformulação do compósito fibroso, pela seleção e pela adequação das fibras e da matriz cimentícia; (iv) determinação das propriedades químicas e microestruturais do novo material para caracterização do seu desempenho em relação aos requisitos técnicos do setor, e (v) estudo da sua durabilidade e estabilidade no longo prazo (simulação da exposição a intempéries).
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Honerio Coutinho de Jesus

Outra

Multidisciplinar
  • show de química despertando novas fronteiras da ciência: inteligência artificial.
  • O espetáculo Show de Química (www.showdequimica.com.br) inicializou-se em 1992 na PUC-Rio com o objetivo de popularizar a Química. A partir de 1998 ganhou status de projeto após registro na Pró-reitora de extensão da UFES, após a incorporação de outras ações, como oficinas, redação de livro e construção de kits experimentais. Ao longo destes 28 anos de trabalho, 164 shows e dezenas de oficinas e entrevistas foram realizados em escolas e eventos no país, contribuindo com a difusão científica no país, e motivando alunos e professores para inserção de temáticas químicas em seus estudos e os despertando para uma melhor compreensão do mundo ao seu redor, propiciando uma multi e interdisciplinaridade do conhecimento, e participação nas temáticas elencadas pelo MCTIC através de editais para a popularização da ciência. Tais ações visam mitigar o fosso intelectual existente no nosso país para as áreas das ciências exatas e tecnológicas. O projeto Show de Química tem recebido financiamentos do CNPq e da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (FAPES - apoio financeiro em 2008, 2010, 2012, 2015 e 2016), que resultaram em diversos desdobramentos educacionais. Entre 2011 e 2013 o projeto recebeu um importante aporte financeiro do CNPq dentro do Ano Internacional da Química que resultou na apresentação de 43 shows em escolas e eventos, distribuição de 550 exemplares da 1ª edição do livro Show de Química para escolas, universidades e museus do país, e confecção e distribuição de 24 kits experimentais para escolas do estado do ES. No ano de 2016 o projeto recebeu um novo recurso do CNPq (Chamada MCTI/CNPq Nº 09/2015 ARC) com a realização de 4 shows e diversas oficinas, e em 2017 realizou 7 shows e 6 oficinas em escolas de tempo integral da SEDU-ES (MCTIC/CNPq Nº 02/2017). No ano de 2019 novamente o projeto recebeu apoio financeiro do CNPq (Chamada CNPq/MCTIC Nº 09/2019) com realização de 6 shows e 6 oficinas. A presente proposta pretende dar continuidade as ações já desenvolvidas, permitindo abranger um relevante público de escolas do ensino médio de 5 municípios do interior do estado do ES, de forma a contribuir para a divulgação e popularização da química e de suas conexões, atrelado agora à nova fronteira da ciência brasileira: a inteligência Artificial (IA). No processo de ensino-aprendizagem, tem sido desafiador, e uma tarefa quase impossível, para o professor passar o conhecimento satisfatoriamente quando se tenta personalizar o ensino levando em consideração a realidade de cada aluno. E, é nesse sentido, que a IA surge promovendo um salto nas pesquisas científicas e ganhando espaço na área da Química como um recurso democrático e que pode se tornar uma aliada do professor e dos alunos na troca de conhecimento dentro e fora da sala de aula. Concomitantemente, de acordo com o relatório Tendências em Inteligência Artificial na Educação no período de 2017 a 2030, a IA, quando aplicada à Educação, torna-se uma área de pesquisa multi e interdisciplinar, uma vez que contempla o uso de tecnologias da IA em sistemas cujo objetivo é o ensino e a aprendizagem, resultando nos chamados Ecossistemas Educacionais. Tendo em vista o exposto acima, a presente proposta objetiva discutir o uso de plataformas baseadas na IA e sua contribuição no processo de aprendizagem dentro e fora da sala de aula na disciplina de química; discorrer como a IA pode auxiliar o professor no alcance dos objetivos; e verificar quais iniciativas educacionais baseadas em IA estão sendo desenvolvidas no Brasil e no mundo. Vale ressaltar que a IA aplicada à Educação é potencialmente capaz de aperfeiçoar o ensino on-line através de programas de aprendizagem adaptativa e sistemas tutores, o que chamamos de personalização adaptativa. Estas temáticas serão amplamente abordadas nas oficinas e shows a serem apresentadas nas escolas visitadas. Em síntese, pretende-se nesta proposta divulgar e popularizar a química para alunos e professores da rede básica de ensino de 5 municípios interiores do estado do ES, com menores índices de desenvolvimento humano (IDHM), e que nunca foram visitados pela equipe do projeto Show de Química, proporcionando a interiorização das ações da SNCT, uma educação diversa, democrática e inclusiva. Para as oficinas apresentadas no período vespertino (shows de manhã), os alunos participantes poderão reproduzir diversas experiências químicas interessantes com um viés tecnológico e ambiental, a exemplo de i) cinética química no dia a dia e na indústria, ii) importância do hidrogênio como fonte limpa de energia, e iii) química das baterias, eletroquímica e Tratamento de Efluentes. O quarto tema da oficina será sobre Inteligência artificial: a nova fronteira da ciência brasileira, onde discutiremos diversas aplicações desta área na química moderna. Um quinto tema da oficina versará sobre Tecnologias Convergentes e Habilitadoras, onde apresentaremos aos alunos conceitos sobre Nanotecnologia, Fotônica, Materiais Avançados e Tecnologias para a Manufatura Avançada. O show de química de manhã possui 1 hora de duração, e as oficinas à tarde consumirão 3,5 horas totais, com entrada de turmas de 30 alunos a cada 40 min (4 turmas totais ou 120 alunos por dia). Estas atividades contarão com a participação de alunos do Departamento de Química da UFES que atenderão centenas de alunos do estado do ES, e terão o apoio da Secretaria de Estado da Educação (SEDU) e das escolas envolvidas, o que contribuirá para o desenvolvimento escolar e acadêmico dos participantes. A participação do público será avaliada por questionários entregues durante as apresentações, de forma a aprimorar o projeto e avaliar os participantes sobre questões atuais sobre a importância da Química na sociedade e aplicação da Inteligência Artificial na química. Reportagens, vídeos e mídia digital (p.ex. Instagram e Youtube) serão produzidos para popularização das atividades desenvolvidas.
  • Universidade Federal do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 27/10/2020-30/04/2021
Foto de perfil

Howard Lopes Ribeiro Junior

Ciências da Saúde

Medicina
  • papel da via de controle do ciclo celular, do ponto de checagem e do fuso mitótico na patogênese das citopenias na síndrome mielodisplásica: uma abordagem epigenética e de expressão proteica
  • A Síndrome Mielodisplásica (SMD) é um grupo de doenças clonais das células progenitoras hematopoéticas caracterizadas por citopenia(s), displasia de uma ou mais linhagens celulares e aumento do risco de desenvolvimento de leucemia mielóide aguda (LMA). Sabe-se que as alterações na proliferação, maturação e processo de apoptose das células tronco hematopoéticas provocam o quadro de hematopoese ineficaz, uma condição na qual a medula óssea (MO) torna-se incapaz de produzir e liberar um número adequado de células maduras para o sangue periférico. O processo de hematopoiese ineficaz na SMD é resultado do aumento da susceptibilidade dos progenitores mielóides clonais à apoptose e à capacidade de resposta limitada dessas células a fatores de crescimento, o que leva a presença das citopenias, apesar do paciente possuir uma medula geralmente hipercelular. O quadro de citopenias podem levar o paciente com SMD à dependência de transfusões e aumentar a sua susceptibilidade a infecções e hemorragias. Nesta temática, nosso grupo de pesquisa vem se esforçando em avaliar o papel dos alvos moleculares atuantes na regulação do controle do ciclo celular, do ponto de checagem e do fuso mitótico como fatores etiológicos da Síndrome Mielodisplásica. Em nosso estudos obtivemos resultados importantes sobre o papel do perfil de expressão de alvos relacionados à via de controle do ciclo celular (CDKN1A), do ponto de checagem (MAD2 e CDC20) e do fuso mitótico (AURKA, AURKB e TPX2) na etiologia das citopenias da SMD. Contudo, não está claro por qual mecanismo molecular é desencadeada a desregulação destes alvos, sendo sugerido que há um padrão de hipometilação destes genes, desregulando, também, seu padrão de expressão proteica. Neste contexto, objetivamos investigar, em um estudo do tipo caso-controle retro-prospectivo, o papel da via de controle do ciclo celular, do ponto de checagem e do fuso mitótico na patogênese das citopenias na Síndrome Mielodisplásica a partir de uma abordagem epigenética e proteômica em amostras de células da medula óssea de, aproximadamente, 200 pacientes com Síndrome Mielodisplásica. Estima-se identificar que estes alvos estão relacionados à patogênese das citopenias periféricas, características do paciente com Síndrome Mielodisplásia, correspondendo a possíveis novos biomarcadores etiológicos e terapêuticos para esta doença.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Huarrisson Azevedo Santos

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • estudo da função de genes diferencialmente expressos em resposta a infecção por theileria equi em rhipicephalus microplus
  • A presente proposta de pesquisa tem como objetivo principal obter o perfil transcriptoma diferencial por biblioteca subtrativa supressiva seguido de sequenciamento em larga escala da glândula salivar de Rhipicephalus (Boophilus) microplus em resposta a infecção por T. equi. Com isso, gerar o perfil transcricional da infecção por T. equi em glândula salivar de R. microplus; gerar o perfil transcricional da glândula salivar de R. microplus quando submetidos a infestação em equinos e bovinos livres de hemoparasitos; identificar o polimorfismo relacionado a regulação gênica, especialmente aqueles ligados ao processamento dos transcritos; identificar o polimorfismo gênico (INDELs, SNPs e mismatches) para gerar marcadores in silico; elaborar mapas sintênicos para predizer a localização, ordem e posicionamento dos genes nos devidos grupos de ligação; criar um banco de dados do perfil do transcriptoma que será disponibilizado para a comunidade científica de interesse comum; Caracterizar a função biológica dos genes diferencialmente expressos na glândula salivar de R. microplus em resposta a infecção por T. equi através da técnica de RNA interference (RNAi) e Anotar a função biológica putativa por meio de ferramentas de bioinformática e identificar genes de interesse a constituírem antígenos candidatos para testes sorológicos ou antígenos vacinais. Em relação aos métodos tradicionais de análise de sequências transcritas, a proposta prevê em curto prazo que resultados quantitativos sejam obtidos, pois a identificação de genes de interesse passíveis de serem utilizados com alvos vacinais ou que interfiram na transmissibilidade do patógeno permitirão em longo prazo obter produtos biotecnológicos que contribuirão para a elaboração de uma nova alternativa para o controle dessa importante doença dos equinos, bem como para pesquisas de proteínas que possa ter potencial para uso na medicina humana e também em patologias de importância veterinária. Em relação aos aspectos qualitativos, as mudanças nos padrões tecnológicos propostas pelo projeto preveem uma contribuição significativa para o avanço do conhecimento científico do tema em tela. Irá gerar também informações genéticas e moleculares para aplicação biotecnológica de alto valor científico para a exploração em muitos outros estudos, do referido parasito, bem como poderá ser expandido e aplicado a outros hemoparasitos de importância veterinária.
  • Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Hugo Caire de Castro Faria Neto

Ciências Biológicas

Farmacologia
  • rede para estudos colaborativos sobre a patogênese da covid-19
  • A recente pandemia de coronavírus (COVID-19) está se espalhando rapidamente e vem evoluindo com elevada morbidade e letalidade. O agente responsável SARS-CoV-2 pode acarretar infecção do trato respiratório, caracterizada principalmente por febre e tosse, podendo evoluir para pneumonia grave e falência respiratória aguda. A letalidade dos pacientes intubados varia em função do país envolvido (40-80%). O conhecimento a respeito dos mecanismos fisiopatológicos da COVID-19 ainda são bastante limitados o que dificulta a identificação de alvos terapêuticos e biomarcadores de evolução. Frente a este desafio, propõe-se aqui a criação de uma rede multidisciplinar de pesquisadores comprometidos em realizar pesquisas básicas e translacionais para melhor compreender a fisiopatologia da COVID-19 e, neste processo, identificar potenciais alvos terapêuticos e biomarcadores que possam ser de utilidade clínica. Combinaremos de estudos in vitro com cultura 2D ou 3D (esferoides) de células epiteliais e endoteliais, incluindo-se também a análise de amostras de sangue de pacientes com diagnóstico de COVID-19 e a análise histopatológica de órgãos e tecidos obtidos a partir de biopsia guiada por ultrasonografia. Iremos investigar o impacto da ativação de RAS/KKS sobre a infecção por SARS-COV2 e a interrelação entre a resposta imune e os processos trombo-inflamatórios que caracterizam a forma grave da COVID-19. Para atender tal fim, criamos uma rede nacional de investigação multidisciplinar, promovendo o sinergismo entre os laboratórios e hospitais da rede para que, através do compartilhamento de infraestrutura, expertise e conhecimento, possam fazer contribuições relevantes para solucionar esse importante problema de saúde pública. Fazem parte desta rede 43 pesquisadores (10 Nível 1 do CNPq) representando 9 instituições renomadas do país, a saber a Fundação Oswaldo Cruz, a Universidade Federal do Rio de Janeiro, a Universidade de São Paulo, a Universidade Federal Fluminense, a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, o Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, o Hospital Copa D´Or, o Hospital São Rafael e a Universidade de São Paulo-Ribeirão Preto. A divulgação dos resultados será feita em revistas de impacto internacional. Desenvolveremos ainda uma série de ações para transferência de conhecimento à sociedade, com ações de divulgação da ciência na mídia (Jornais, Facebook, Instagram, Twitter, Televisão). Esperamos que os conhecimentos e aplicações desenvolvidas ao longo do projeto possam, num futuro próximo, serem incorporados ao acervo de terapias do Sistema Único de Saúde (SUS), e que contribuam para rápida recuperação do paciente e menor letalidade da COVID-19.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 24/07/2020-23/08/2022
Foto de perfil

Hugo Caire de Castro Faria Neto

Ciências Biológicas

Farmacologia
  • dano cognitivo e alterações de comportamento após sepse peri-natal: estudo fisiopatológico
  • O desenvolvimento do sistema nervoso começa em períodos embrionários, onde as mudanças mais dramáticas ocorrem durante a vida pré-natal. Outras mudanças ocorrem após os 2 anos de idade, e esse processo de desenvolvimento continua durante toda a adolescência. O termo sepse é usado para denotar uma condição sistêmica de infecção e inflamação que está associada a alterações hemodinâmicas, resultando em disfunções orgânicas. A sepse gestacional pode prejudicar o desenvolvimento do sistema nervoso central e promover danos permanentes ao comportamento de adolescentes e adultos. O objetivo de nossa investigação é avaliar o comprometimento sináptico, inflamatório e cognitivo por meio de testes comportamentais em machos e fêmeas de camundongos jovens e adultos submetidos à sepse durante o período gestacional. Para este fim, camundongos no 14º dia embrionário serão administrados com solução salina a 0,9% (grupo salina) ou Klebsiella spp. (3X106UFC) (grupo sepse) por instilação intratraqueal e tratado com meropenem após 5h, 24h, 48h e 72h. Serão avaliadas respostas comportamentais e cognitivas em filhotes aos 2, 8, 30 e 60 dias após o nascimento. Também avaliaremos marcadores neuroinflamatórios, integridade da sinapse e fatores derivados do cérebro, como o BDNF. Resultados preliminares mostram dano motor no grupo sepse em animais aos 2 e 8 dias de idade. Nós não encontramos nenhuma diferença entre o grupo de solução salina e sepse quando a ansiedade ou as habilidades motoras foram avaliadas em camundongos machos e fêmeas aos 30 e 60 dias. Nossas investigações irão lançar luz sobre o impacto da sepse perinatal no desenvolvimento do sistema nervoso central e suas possíveis conseqüências para a cognição e comportamento.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Hugo Eduardo Pimentel Motta Siscar

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • fecitecx 2020 - feira de ciência e tecnologia de coxim
  • A presente proposta é pertinente ao escopo do objeto, assim como está devidamente correlacionada com os objetivos propostos. A feira de ciências do IFMS Campus Coxim- FECITECX- é uma importante vitrine das pesquisas desenvolvidas no campus, sendo, desse modo, um importante instrumento de divulgação da ciência para os alunos de nível fundamental e médio que visitam a feira. Estimulados, estes alunos poderão prosseguir seus estudos utilizando a experimentação científica como uma significativa ferramenta para o desenvolvimento de suas competências. Entre os objetivos dessa mostra, está a seleção do(s) melhor(es) trabalhos para serem apresentados nas feiras de abrangência nacional e internacional.
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul - MS - Brasil
  • 03/02/2020-28/02/2021
Foto de perfil

Hugo Enrique Hernandez Figueroa

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • biossensor plasmônico baseado em interferometria trimodal
  • Esta proposta envolve atividades de pesquisa tecnológica, e tem como objetivo o desenvolvimento de sistemas nanofotônicos bioativos compactos baseados em interferômetros trimodais plasmônicos. A altíssima sensibilidade produto do extenso campo evanescente dos dispositivos trimodais, será ainda maior pelos plasmons gerado no nosso sistema. A combinação do conceito anteriormente descrito com tecnologias de produção em massa para definir a manipulação de fluidos (Laser por escrita direta - litografia H-Line) será a base de uma tecnologia fundamental com futuras aplicações que vão desde a segurança alimentar até o diagnóstico médico-clínico. Este novo conceito, pode ser alcançado mediante o aproveitamento das extraordinárias propriedades do sistema de escrita DWL, capaz de fabricar estruturas bem definidas com resolução manométrica. A combinação das tecnologias detalhadas neste resumo, oferecem as seguintes vantagens: No nosso biossensor plasmônico trimodal o aumento do comprimento de interação e no campo evanescente (EF) é drástico, proporcionando uma redução do limite de detecção (LOD) pelo menos 100 vezes (esperados 1000), em comparação com técnicas convencionais reportadas na literatura. Nosso dispositivo será adequado para detectar metabolitos segregados a partir da bactéria Klebsiella pneumoniae, e assim ser capaz, não só para detectar a presença de bactérias, mas mais importante ainda, para determinar o seu estado. Isto abrirá a porta para medir a resistência antimicrobiana e a concentração inibitória mínima de fármacos específicos. O tempo para obter os resultados produto da analise feita no nosso dispositivo será de alguns minutos e não vai ser necessário esperar longas horas por um resultado confiável. A especificidade será garantida em nosso dispositivo através da biofuncionalização feita no componente proposto, com base em anticorpos específicos criados usando o hapteno PC1, minimizando assim o número de positivos falsos/negativos. O dispositivo proposto é baseado em trabalho de pesquisa realizado pelo grupo de pesquisa liderado pelo proponente [1-6], e é fundamentado no uso de guias fotônicos poliméricos e estruturas plasmônicas a fim de garantir flexibilidade de fabricação, confiabilidade, baixo consumo de energia e potencial de produção em massa com reduzidos custos de fabricação.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Hugo Heleno Camilo Costa

Ciências Humanas

Educação
  • sentidos de conhecimento nas políticas de currículo: a geografia e a base nacional comum curricular
  • Pautado no entrelaçamento de aportes teóricos de Ernesto Laclau e Jacques Derrida, este projeto de pesquisa se constitui com foco na investigação das políticas de currículo para a Educação Básica. Propõe a abordagem às articulações políticas tramadas na produção das políticas em torno da Base Nacional Comum Curricular. Particularmente, chama a atenção para o caso da disciplina Geografia conferindo especial atenção ao modo como esta disciplina negocia sentidos com os textos da BNCC para o Ensino Fundamental e o nível Médio. Especificamente, o projeto tem como ancoragem empírica diferentes textos oficiais, postos em circulação em diferentes momentos políticos do Brasil, perfazendo recorte temporal iniciado na divulgação dos Parâmetros Curriculares Nacionais, propostos na década de 1990, até a divulgação do documento para o Ensino Médio da BNCC, apresentado em 2018. O projeto pretende abordar o nome "conhecimento", entendendo-o como significante por meio do qual a expectativa de reforma, que baseia a proposição da Base, se sustenta. Paralelamente, o projeto busca acompanhar a reiteração do discurso de interdisciplinaridade em sua relação conflituosa com os discursos de campos disciplinares como o da Geografia. A atenção a esta relação se apóia no indício de que é justamente nessa tensão que estão em jogo os sentidos de conhecimento que tendem a nortear o debate sobre currículo.
  • Universidade Federal de Mato Grosso - MT - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Hugo Marco Consciência Silvestre

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • parcerias públicas-públicas e a cooperação intermunicipal para a prestação de serviços públicos nos governos locais brasileiros
  • A cooperação entre governos locais, através das parcerias Públicas-públicas e/ou a Cooperação intermunicipal, permite reduzir os custos operacionais e organizacionais na prestação de serviços públicos? (cf. MARANDO, 1968, p. 196). A Nova Gestão Pública (NGP) surgiu no final do século passado como modelo alternativo à administração pública tradicional para a prestação de serviços públicos. A administração pública tradicional era assumida como ineficiente e ineficaz, logo, não servia os interesses dos cidadãos (OSBORNE, 2006). Daí que a NGP tenha vindo a ser materializada nos vários países, incluindo o Brasil, pela venda dos bens públicos e pelo estabelecimento de parcerias Público-privadas (PPPs) em setores onde, tradicionalmente, os serviços públicos eram prestados por organizações do setor público. Pela adoção das PPPs, visa-se a partilha de responsabilidades entre os parceiros, incidindo a cooperação nos níveis de gestão estratégica e operacional (DA CRUZ; MARQUES, 2012). Tal partilha de responsabilidades era tida como benéfica, porque apresentando objetivos comuns, os parceiros iriam beneficiar a sociedade com operações conjuntas onde as organizações privadas são idealizadas como mais eficientes na utilização dos recursos escassos e, consequentemente, apresentando uma redução dos custos operacionais e organizacionais na prestação de serviços públicos (BROWN; POTOSKI; VAN SLYKE, 2006). Contudo, os ganhos de eficiência e, consequentemente, a redução dos custos operacionais e organizacionais apresentam resultados mistos (BEL, FAGEDA e WARNER, 2010) ou mesmo escassos (HOSSAIN; AHMED, 2015). Por estas razões, o envolvimento das organizações do setor privado na prestação de serviços públicos não cumpriu as expectativas políticas e teóricas para a sua utilização (BEL; WARNER, 2008; HALL; LOBINA; MOTTE, 2005; TERHORST, 2008; WARNER, 2011). Em resultado dos vários estudos, tem vindo a aumentar a discussão acadêmica sobre o envolvimento das organizações do setor privado na prestação de serviços públicos e muito em especial após a crise financeira mundial de 2008 (DOLLERY; GRANT; KORTT, 2012). Se a justificativa política para a adoção das PPPs se suportava no alcance de um equilíbrio das finanças das organizações do setor público enquanto os investimentos do setor privado aumentavam (SILVESTRE; MARQUES; GOMES, 2018), as dificuldades financeiras da época tiveram um impacto profundo nas utilidades públicas, nomeadamente pelas dificuldades de financiamento vivenciados (DA CRUZ;MARQUES, 2012; JENSEN, 2016). Recentemente, tem-se assistido a um movimento em favor da cooperação entre as organizações públicas, tido como alternativa para melhorar a prestação de serviços (MILWARD; PROVAN, 2003). Tais sinergias poderão resultar em parcerias Públicas-públicas (PuPs) (o arranjo organizacional para prestação de serviços públicos que envolve vários níveis de governo, ex. entre prefeituras e governo estadual ou federal) e cooperação intermunicipal (CI) (o arranjo entre organizações do mesmo nível de governo, ou seja, entre governos locais) (SILVESTRE; MARQUES; GOMES, 2018). Acredita-se que estes arranjos se associam a maiores níveis de eficiência operacional, maior eficácia e, concomitantemente, a uma maior equidade para os cidadãos no que tange ao acesso aos serviços públicos (BOVAIRD, 2014). Esta crença é potenciada pela possibilidade de aproveitamento das economias de escala, identificadas como um dos primeiros objetivos a serem alcançados entre os parceiros envolvidos (BEL; WARNER, 2015; DA CRUZ; MARQUES, 2012). “As economias de escala existem quando o custo médio diminui ao mesmo tempo que a produção aumenta” e esta é a principal finalidade para a existência da cooperação pública (BEL;WARNER, 2015, p. 55). Esta estratégia mostra-se crucial, principalmente para pequenos municípios, que estão mais sujeitos a baixar os seus custos organizacionais e operacionais se estiverem envolvidos em tais alianças (WARNER, 2011). De realçar, numa comparação com as PPPs, que os custos de transação tendem a diminuir quando o arranjo envolve parceiros públicos, porque se evitam os comportamentos oportunísticos que ocorrem quando organizações do setor privado são envolvidas na negociação (CITRONI; LIPPI; PROFETI, 2013). Pese este facto, e para Keast e Brown (2006), diferenças entre a retórica da colaboração não levam necessariamente a um ‘novo modo de trabalhar’, mas poderão trazer inovação para a prestação de serviços públicos. Por estes motivos, é importante estimular a cooperação entre os parceiros públicos e para que se assista a uma implementação efetiva das políticas públicas idealizadas (KEAST; 2011). Pelo que foi referido, este projeto justifica-se para que se possa conhecer das reais potencialidades da cooperação entre organizações do setor público no Brasil para a prestação de serviços públicos. Em primeiro lugar, é necessária uma confirmação empírica acerca do potencial destes arranjos organizacionais na diminuição dos custos operacionais e organizacionais (WARNER, 2011). Em segundo lugar, é exigível a análise deste fenômeno para além da experiência Anglo-Saxônica, e muito em especial quando estes modelos têm sido utilizados em vários continentes, como na Ásia, África e América Latina (SABBIONI, 2008; KURKI; PIETILÄ; KATKO, 2016). O Brasil e pela sua importância na América-Latina, é um estudo de caso imprescindível para a compreensão do fenômeno. Em terceiro lugar, a grande maioria dos estudos na área, centra-se no setor da coleta de lixo (BLAKA, 2017) enquanto esta pesquisa propõe a análise de vários setores: assistência social, educação, saúde, saneamento, habitação, urbanismo, gestão ambiental, turismo, entre outros. Em quarto lugar, a equipe de pesquisa reúne doutores com diferentes vivencias e experiências internacionais em Administração Pública em nível municipal que serão convergidas para a uma cooperação sinérgica para uma discussão profícua sobre o tema em voga.
  • Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Hugo Pacheco de Freitas Fraga

Ciências Biológicas

Botânica
  • análises fisiológicas, bioquímicas e morfoanatômicas durante a morfogênese de podocarpus lambertii klotzch ex endl. e araucaria angustifolia (bertol.) kuntze
  • A indução e controle da morfogênese vegetal in vitro oportunizam o estudo da célula, tecido, órgão ou organismo inteiro. Dentre as possíveis rotas morfogenéticas de plantas in vitro destacam-se a embriogênese somática (ES) e a organogênese. Essas rotas morfogenéticas são acompanhadas por alterações bioquímicas e morfoanatômicas expressivas no ambiente das células e seus componentes. Neste sentido, o presente projeto tem como objetivo geral a caracterização dos processos morfogenéticos durante a ES e organogênese de duas coníferas nativas do Brasil, Araucaria angustifolia e Podocarpus lambertii, visando sua caracterização, propagação e conservação ex situ. Para tanto, é proposto: a) Caracterizar, através de estudos morfoanatômicos, os processos de morfogênese durante a embriogênese zigótica e somática de P. lambertii; b) Otimizar o processo de maturação e conversão dos embriões somáticos de P. lambertii; c) Desenvolver protocolos de micropropagação via organogênese para P. lambertii; d) Avaliar a influência de diferentes compostos suplementados ao meio de cultura durante a embriogênese somática de A. angustifolia do ponto de vista bioquímico e morfológico; e) Desenvolver protocolos de criopreservação para P. lambertii. Os resultados a serem obtidos no presente projeto permitirão uma maior compreensão dos aspectos bioquímicos e morfoanatômicos associados ao processo de morfogênese in vivo e in vitro das espécies-alvo, bem como irão gerar informações relevantes sobre a importância da manipulação das condições de cultivo durante o estabelecimento de protocolos eficientes para micropropagação e conservação in vitro. Além disso, os resultados aqui obtidos possibilitarão estabelecer estratégias mais robustas para a conservação ex situ e o uso das espécies-alvo do projeto e avançar no conhecimento científico subjacente a estas (bio)tecnologias.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Hugo Saba Pereira Cardoso

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • rede de vigilância de arboviroses - cenários epidemiológicos a partir de modelagem computacional com marcadores de correlações entre municípios
  • As arboviroses são problemas de saúde pública que apresentam complexidade no seu combate. Os meios físicos de propagação, a dinâmica das correlações entre os municípios e a influencia de outros fatores ambientais, precisam ser analisados para orientar políticas públicas eficazes para combater este problema. Este estudo visa apresentar marcadores criados a partir da sincronização da ocorrência de casos entre municípios, dados sócios-econômicos e ambientais das cidades brasileiras, identificando os municípios que exercem papéis importantes na disseminação das arboviroses no Brasil. Com o objetivo de encontrar um padrão quanto ao processo de disseminação, esta pesquisa tratará modelos computacionais com base em: redes complexas, time varying graph (TVG) e sincronização de series temporais. Na montagem das redes de sincronização, serão utilizados métodos como: Motif-Synchronization, TVG, Big Data, Machine Learning e Dados em Painel. Após aplicação de alguns dos modelo apresentados, serão mapeados padrões de comportamento da disseminação entre municípios da arbovirose estudada. Buscando como resultado, a construção de cenários de difusão do agente, capazes de apontar o comportamento das arboviroses no Brasil.
  • Universidade do Estado da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Hugo Valadares Siqueira

Engenharias

Engenharia de Produção
  • previsão de séries de insumos renováveis para geração de energia elétrica
  • A contribuição científico-tecnológica deste projeto de pesquisa é apresentar uma metodologia para previsão de séries de vazões a usinas hidrelétricas e séries de ventos com vistas a contribuir para o planejamento energético de curto, médio e longo prazos e precificação da energia, além de colaborar na manutenção de um sistema sustentável, barato e baseado na utilização de recursos renováveis. Para tal, a utilização das máquinas desorganizadas em conjunto com modelos de seleção de variáveis alicerçados na literatura será avaliada e sistematizada. O avanço deste projeto tem o potencial de impactar diretamente na redução custo computacional hoje necessário para solução de problemas dessa natureza.
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Humberto Corrêa da Silva Filho

Ciências da Saúde

Medicina
  • alterações estruturais cerebrais e cognição em mulheres com história de depressão na gestação e aspectos do neurodesenvolvimento de seus filhos
  • Durante o ciclo reprodutivo feminino há períodos de maior ou menor risco para o desenvolvimento de transtornos psiquiátricos. O período perinatal parece ser uma fase de maior risco, particularmente para o desenvolvimento de depressão. De fato, cerca de 15% das mulheres podem ter um episódio depressivo no pós-parto enquanto que na gestação, particularmente no segundo trimestre gestacional, período de maior risco, até 18,5% delas podem fazer um episódio depressivo. A maior parte das mulheres terá, ao longo de suas vidas, pelos menos uma gestação. É um período de intensas mudanças psico-socais, mas também biológicas, com mudanças fisiológicas adaptativas comandadas por alterações endócrinas. Alterações poderiam também ocorrer no cérebro, principalmente mediadas pelos hormônios esteróides. Recentemente, Hoekzema, Elseline, et al. (Nature Neuroscience, 2017) mostraram que, de fato, a gestação também pode afetar o volume da massa cinzenta. Os pesquisadores mostraram que alterações, particularmente em regiões ligadas a cognição social, ocorreriam durante a gestação e sugerem que esse poderia ser um processo adaptativo, preparando a mulher para a ligação com seu bebe no pós-parto. Considerando-se a alta prevalência de uma depressão na gestação, uma pergunta que ainda devemos responder é: qual seria o impacto dela nesse processo. Ou seja, a mulheres deprimidas teriam as mesmas alterações que as não deprimidas? Ocorreria também nas deprimidas esse processo adaptativo? Objetivos O objetivo principal de nosso estudo é confirmar os achados desse estudo anterior bem como, de forma original, avaliar o impacto de uma depressão gestacional nesse processo. Vamos também avaliar aspectos da cognição e habilidades sociais nas mulheres e aspectos do neurodesenvolvimento das crianças. Métodos Temos atualmente em andamento na UFMG uma grande coorte de estudo de depressão peri-parto com 892 mulheres já incluídas. Todas avaliadas no segundo e terceiros trimestres gestacionais e no pós-parto com escalas e entrevistas estruturadas para depressão, outros diagnósticos além de dezenas de outros parâmetros. Dessas selecionaremos 80 para comparar a morfologia cerebral de mulheres que tiveram (n=40) e não tiveram depressão durante a gestação (n=40), todas com gestação a menos de dois anos. Essas serão comparadas com nulíparas (n=40). Os três grupos pareados por idade e nível sócio-econômico. Realizaremos em todas uma ressonância magnética de 3 tesla e também exames de PET-Scan. Resultados esperados Esperamos contribuir de forma significativa para os conhecimentos nesse campo por se tratar de estudo na fronteira do conhecimento na área.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Humberto Ferreira de Oliveira Quites

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • estratégias da gestão municipal no combate ao covid-19 na atenção primária – estudo em minas gerais
  • Diante da importância da Atenção Primária no cenário da pandemia, onde suas práticas são cada vez mais necessárias e exigidas neste contexto, este estudo busca esclarecer o cenário atual de ações e estratégias utilizadas no combate ao COVID-19 envolvendo a gestão municipal. O objetivo do trabalho consiste em analisar as atividades realizadas na Atenção Primária em Saúde (APS) pelos gestores municipais em Minas Gerais, por meio de um estudo de método quantitativo. Será inicialmente aplicado um questionário online junto a uma amostra de secretários municipais em todo o Estado. Os dados serão trabalhados por meio de análise multivariada. Com o estudo pretendemos subsidiar um debate sobre as estratégias utilizadas, sua operacionalização e resultados inerentes ao combate a esta infecção no nível primário de Atenção à Saúde usando a informação.
  • Universidade Federal de São João Del-Rei - MG - Brasil
  • 16/07/2020-15/09/2022
Foto de perfil

Humberto Gracher Riella

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • síntese de materiais inteligentes com sustentabilidade: aditivos nanoestruturados para agricultura
  • O projeto visa à obtenção e caracterização de nanopartículas de óxidos metálicos, zinco, magnésio, cálcio e zircônio para aplicação no setro da agricultura para o melhoramento do seu desempenho em comparação aos materiais macroestruturados. Apesar de a agroindústria ter se desenvolvido no Brasil, praticamente não existem trabalhos expressivos dedicados ao agronegócio com materiais nanestruturados , a fim de diminuir a quantidade de agrotóxicos utilizados e de fertilizantes, reduzir o número de operações de correção de solos e suprir a necessidade de magnésio, zinco, cálcio e zircônio para o melhor desenvolvimento dos estádios germinativos . O uso de fertilizantes a base de magnésio, cálcio, zinco e zircônio na agricultura é fortemente influenciado pelas características climáticas e físico-químicas dos solos dos locais de plantios e pelo processo de lixiviação pela ação das chuvas. Assim, a grande parte dos recursos destes óxidos metálicos destinados aos plantios não são disponibilizados para as plantas e a cultura agrícola necessita de procedimentos periódicos de correções de solo, que em muitos casos, não são eficientes e geram prejuízos significativos. Os estudos voltados ao campo da agronomia e engenharia mostram que, os maiores desenvolvimentos na área tratam do uso de nanomateriais, tanto para fertilização quanto para controle de agentes patógenos. Porém, não há trabalhos direcionados a aplicação destes nanomateriais como agentes de tratamento das sementes, em substituição aos procedimentos tradicionais de correções dos solos. Portanto, este projeto trata de estudos voltados a avaliação e definição de processos de obtenção de nanopartículas de óxidos metálicos,de incorporação das nanopartículas em fertilizantes agrícolas avaliação do desempenho da planta nos seu estádio de germinação. O projeto organizado em três etapas, i) Síntese das nanopartículas de óxido metálicos a partir de rotas de sol-gel, soloquímica e síntese verde ii) Avaliação das propriedades físicas, químicas, ecotoxicológicas e microbiológicas das nanopartículas de óxidos metálicos. O conjunto destas ações serão realizadas por pesquisadores do Laboratório de Materiais e Corrosão – LABMAC do Departamento de Engenharia Química e Engenharia de Alimentos da UFSC e IPEN,SATC E UNISUL. O resultado efetivo deste projeto prevê uma aplicação inovadora de materiais nanoestruturadosanestruturados na agricultura em substituição aos materiais macroestruturados , com o objetivo de incorporação e com maior eficiência de elementos metálicos na escala nano. O efeito será positivo e direto no melhoramento do desempenho da planta de soja em todos os seus estádios. O processo nanotecnológico que será pesquisado contribuirá para o aprimoramento das atuais metodologias aplicadas para a correção de metais zinco, magnésio, cálcio e zircônio nos solos e será operacionalmente mais eficiente nas várias culturas. Portanto, este projeto de pesquisa com caráter científico e tecnológico está estruturado para a avaliação de diferentes rotas de síntese convencional e verde para obtenção de nanopartículas de óxido de magnésio, zinco, cálcio e zircônio para a avaliação da eficiência dos materiais nanoestruturados aplicados como aditivos em fertilizantes agrícolas em comparação aos materiais macroestruturados de zinco, cálcio, magnésio e zircônio. Cada uma destas atividades será seguida por caracterizações físicas e químicas pertinentes para avaliação dos resultados e aplicações no setor agropecuário com planejamento experimental e pesquisadores do grupo de pesquisa aplicando de forma inédita a simulação computacional na síntese dos materiais nanoestruturados.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Humberto José da Rocha

Ciências Humanas

História
  • história dos movimentos sociais no sul do brasil: bandidos, milenários e mediadores
  • Nesse projeto de pesquisa os movimentos sociais representam um ponto de convergência ante a complexidade interdisciplinar e multiescalar da abordagem teórico-metodológica. Norbert Elias (Escritos e Ensaio I) propõe a análise sob a perspectiva de um “processo social” compreendendo “estágios” que não representam cortes instantâneos, mas se estabelecem através de surtos em diferentes direções ante a complexidade do processo. Na mesma linha, mas sobre a teoria dos movimentos sociais, Sidney Tarrow (O poder em movimento) considera o processo histórico e assinala “ciclos de protestos” englobando eventos de culminância que são mais do que uma soma desconectada, mas um período em que as restrições e reações se acentuam conformando uma unidade de análise. Disto, esta proposta de pesquisa implica na análise de um processo histórico de desenvolvimento econômico, político e cultural em que, de acordo com Alberto Melucci (A Invenção do presente), os movimentos sociais são indicativos de mudanças nas lógicas dos cursos desses processos. Mobilizações sociais de contestação e resistência podem ser percebidas ao longo da história brasileira. Maria da Glória Gohn (História dos movimentos e lutas sociais no Brasil) mapeou as principais desde o século XIX quando lutas esparsas assinalavam questões como escravidão, territoriais, tributos, poder público, regime político e lutas entre categorias econômicas, até o século XX quando, com o avanço da democracia e da complexidade das relações sociais, as pautas se mostram mais difusas e se voltam mais claramente no sentido dos direitos humanos. Incluso nesse processo, o sul do Brasil apresenta especificidades e similaridades em relação à escala nacional e global que merecem atenção pelo fato de ser esta região do país um lugar por excelência para a emergência de movimentos sociais de repercussões internacionais. A literatura especializada aborda com maior profundidade o período entre as décadas de 1960 e 1980 quando emergem o MASTER no Rio Grande do Sul, o MASTRO no Paraná e as ocupações simultâneas em Santa Catarina resultando na estruturação de movimentos consagrados como o MST, MAB, MMC e MPA que, junto com outros movimentos derivados desse processo convergiram em escala mundial para organizações como a Via Campesina. Não obstante a importância desse período, este projeto parte de uma perspectiva maior sobre a história dos movimentos sociais em que se estabelece um recorte prévio e aproximado do processo nos seguintes estágios: Insurreições primitivas (meados do século XIX e início do século XX), mediações políticas (primeira metade do século XX), Movimentos Sociais Clássicos (segunda metade do século XX) e Novos Movimentos Sociais (final século XX em diante). Na oportunidade deste edital de pesquisa, a proposta se restringe a estudar o que entendemos como os dois primeiros estágios desse processo no sul do Brasil. O primeiro tem como referencial a Lei de Terras (1850) e a chegada das empresas de colonização e infraestrutura, quando o Brasil assevera um processo de acumulação primitiva nos termos propostos por Karl Marx (O Capital) condicionando situação semelhante à analisada por autores como Marc Bloch (A terra e seus homens) e Edward Thompson (Costumes em comum) sobre a Europa do século XVIII quando a modernização industrial refletiu em uma mudança brusca do regime “tradicional” de uso da terra (coletivo, rotatório, abundante) para a “individualização” mediante propriedades privadas sob a égide do Estado em parceria com as empresas privadas. Esse choque econômico foi acompanhado de descontinuidades políticas e culturais que foram explicitadas em movimentos de resistência como dos Negros na Inglaterra do século XVIII, conforme apresenta Thompson (Senhores em caçadores), e as revoltas de destruição de máquinas e incêndios ocorridas no século XIX e analisadas por Eric Hobsbawm e George Rudé (Capitão Swing). No sul do Brasil verificam-se insurreições primitivas tanto na perspectiva de movimentos milenários tais como o Falanstério do Saí e a Colônia do Palmital, a Revolta dos Muckers, a Colônia Cecília e o Contestado, quanto na perspectiva dos bandidos sociais como Minho Flores, Zeca Vacariano, Gaudêncio dos Santos, Capitão Belo, Paco Sanchez e o Bando do João Inácio. O segundo estágio tem como marco a ascensão de Getúlio Vargas ao governo em 1930 representando outra descontinuidade desse processo de acumulação em que a aceleração da industrialização inicia o Brasil no que Cardoso de Mello chamou de “Capitalismo Tardio”. Os reflexos dessa aceleração são percebidos na intensificação da colonização e da urbanização incidindo em um novo estágio das mobilizações sociais. Entre as décadas de 1930 e 1960 acontecem mobilizações de natureza semelhante ao período anterior só que, nessa fase, incrementadas pelo que George Rudé (Ideologia e protesto popular) chama de “ideologia derivada”, exógena, que potencializa a “ideologia inerente”, endógena, de forma a mediar as mobilizações sociais para além de revoltas espontâneas ou meras reações às crises. Nesse cenário é que as ideologias políticas tais como a anarquista, comunista e trabalhista diferenciam as mobilizações sociais em um período marcado por iniciativas governamentais modernizantes de aceleração industrial nas fábricas alcançando a modernização do campo com a chamada Revolução Verde a partir dos anos 1960. Nesse período também se verificam insurreições primitivas tais como as ações de Pedro Santin e Jair de Moura Calixto ou mobilizações coletivas como a dos Monges Barbudos, as Ligas Camponesas, a Revolta de Porecatu e a Revolta dos Posseiros. Todavia, o diferencial é o contorno político-ideológico na linha das mediações. Analisamos esse processo histórico na perspectiva do que Eric Hobsbawm caracterizou como “rebeliões primitivas” no sentido de que não se configuram teórica e metodologicamente como movimentos sociais na concepção atual do termo, todavia, correspondem a uma espécie de gênese desses movimentos.
  • Universidade Federal da Fronteira Sul - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Humberto Schubert Coelho

Ciências Humanas

Filosofia
  • o papel da ideia de imortalidade da alma na filosofia clássica alemã
  • A ideia de imortalidade ou sobrevivência do indivíduo à morte corporal tem sido abordada de muitas e muito criativas maneiras desde a Antiguidade. De acordo com especialistas neste conceito, como M. Suddoth, C. D. Broad e N. Grossman, filósofos podem optar por abordar a questão segundo interesses éticos, evidencialistas, teológicos e ontológicos, ou, o que também é muitíssimo comum, podem principiar por questões nesses campos e terminar com conclusões favoráveis ou desfavoráveis à ideia de imortalidade da consciência humana. Estamos interessados no intenso tratamento dado por pensadores alemães a este conceito, entre 1770 e 1820, não raro com contribuições revolucionárias à discussão. Este é notadamente o caso de Imannuel Kant, que mudou o foco das especulações ontológicas que visavam provar a imortalidade da alma para uma esperança crítica e prática na mesma. Esta guinada teve enorme influencia sobre a discussão posterior sobre a ideia de imortalidade, o que torna sua compreensão fundamental para o debate mais contemporâneo.
  • Universidade Federal de Juiz de Fora - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022