Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

João Ricardo Vieira Iganci

Ciências Biológicas

Botânica
  • pampa singular: popularização da ciência através de ações transversais
  • O projeto visa criar espaços educativos, de diálogos e participação para pensar coletivamente no potencial do ecoturismo e da conservação da biodiversidade como negócios socioambientais de impacto para a região do bioma Pampa. Nesta construção coletiva do saber, desenvolveremos conhecimentos e práticas que estimulem o pertencimento, empoderamento a autonomia dos sujeitos envolvidos. Através da sensibilização para o ecoturismo focado na paisagem, criaremos espaços para que a comunidade pense o seu território como um potencial socioeconômico. Assim, a metodologia ativa de aprendizagem englobará diferentes práticas com o objetivo de fazer do aluno o protagonista da própria aprendizagem, participando ativamente de sua jornada educativa e estimulando o interesse em assuntos promissores para o desenvolvimento sustentável da região. As atividades promoverão o estímulo a uma maior responsabilidade do estudante pela construção do próprio saber em instituições de ensino básico nos municípios abrangidos pela proposta. Assim, o estudante se envolve no processo de aprendizagem de maneira ativa, superando a ideia de aulas expositivas e com pouca interação do tradicional processo de ensino. Serão empregadas ações de arte-educação e edu-comunicação através de oficinas direcionadas para estudantes e professores da rede básica de ensino. Nestas ferramentas os estudantes serão estimulados a contarem suas próprias histórias, criando espaços de diálogo para pensar em formas de gerar renda e conservar a biodiversidade. Na metodologia ativa, os estudantes são protagonistas e participam na resolução de problemas de forma colaborativa, onde o engajamento, empoderamento e pertencimento são estimulados pelos facilitadores. Desta forma, espera-se popularizar a Ciência no interior do estado do Rio Grande do Sul e contribuir para a conservação dos recursos naturais remanescentes. Ao final do projeto, será realizada a Primeira Mostra Científica Pampa Singular, em alusão ao dia do bioma Pampa.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 08/12/2021-31/12/2023
Foto de perfil

João Ricardo Vieira Iganci

Outra

Divulgação Científica
  • pampa singular: transversalidade na ciência e na arte para o desenvolvimento sustentável
  • O Museu de Ciências Naturais Carlos Ritter apresenta em seu acervo uma importante coleção representativa da biodiversidade do bioma Pampa. Conservar este patrimônio e levar o conhecimento à comunidade são importantes atividades desenvolvidas pelo Museu, capazes de despertar o interesse pelo conhecimento e conservação da biodiversidade. A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia representa um grande potencial para estimular o contato da comunidade com o Museu e assim fomentar a divulgação e popularização da ciência em Pelotas e região. Desta forma, o projeto visa criar espaços educativos, de diálogos e participação para pensar coletivamente no potencial da divulgação científica e popularização da ciência para a conservação da biodiversidade e desenvolvimento sustentável do bioma Pampa. Nesta construção coletiva do saber, desenvolveremos conhecimentos e práticas que estimulem o pertencimento, o empoderamento e a autonomia dos sujeitos envolvidos. Através da sensibilização para a biodiversidade local, criaremos espaços para que a comunidade pense o seu território como um potencial socioeconômico sustentável. Assim, a metodologia ativa de aprendizagem englobará diferentes práticas com o objetivo de fazer do aluno o protagonista da própria aprendizagem, participando ativamente de sua jornada educativa e estimulando o interesse em assuntos promissores para o desenvolvimento sustentável. As atividades promoverão o estímulo a uma maior responsabilidade do estudante pela construção do próprio saber em instituições de ensino básico. Serão empregadas ações de arte-educação e edu-comunicação como ferramentas onde os estudantes serão estimulados a desenvolver a sensibilidade pelos ecossistemas que os rodeiam, criando espaços de diálogo para pensar culturas e história através de ferramentas da ciência e da arte. Através da organização de oficinas, palestras, workshop e uma exposição temática virtual, será possível mobilizar a comunidade para ampliar a visitação ao Museu, elevando ainda mais o diálogo entre a comunidade científica e a população em geral. A exposição temática abordará a Ilustração Científica, apresentando espécies ameaçadas de extinção, empregando a transversalidade entre ciência e arte. Desta forma, será possível destacar a importância de conhecer e preservar a biodiversidade local, empregando a arte como potente ferramenta para acelerar o processo de sensibilização da comunidade para a necessidade de conservar os recursos naturais, contribuindo para as metas firmadas pelo Brasil junto à Convenção da Diversidade Biológica e com os objetivos de desenvolvimento sustentável.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 05/10/2021-31/10/2023
Foto de perfil

João Ricardo Vieira Iganci

Ciências Biológicas

Botânica
  • pampa singular: transversalidade e conservação da flora endêmica
  • Apenas 10% da flora endêmica do Pampa tem avaliação formal do risco de extinção, o que é necessário para indicar áreas prioritárias para conservação. Métodos em Inteligência Artificial surgem do desafio de acessar o estado de conservação de toda a flora, indicando espécies e áreas em risco. A expansão da agricultura e o aumento de espécies invasoras, por sua vez, transformam a paisagem, fragmentam habitats e reduzem a biodiversidade no Pampa. A pecuária no Rio Grande do Sul iniciou em 1607, através dos espanhóis, e durante as expedições dos primeiros naturalistas, as paisagens originais do Pampa já sofriam influência antrópica. Os relatos e ilustrações desta época evidenciam as transformações na paisagem ao longo do tempo. O Pampa guarda singularidades ainda inexploradas pelo turismo ecológico sustentável. Integrar diferentes disciplinas e atores assegura maior efetividade na conservação dos recursos naturais. Assim, integrar a comunidade é o primeiro passo para conservar espécies ameaçadas e contribuir para o desenvolvimento regional através de alternativas socioeconômicas. Neste contexto, o projeto avaliará o estado de conservação da flora endêmica do Pampa e sensibilizará a comunidade local para a conservação, e é guiado pelas perguntas: Quais espécies são endêmicas e ameaçadas de extinção no Pampa brasileiro? O que os relatos naturalistas dos séculos XVIII e XIX revelam sobre a vegetação original do Pampa? Qual o nível atual de conhecimento sobre biodiversidade do Pampa nas comunidades locais e qual o impacto da educação ambiental para a conservação? O estado de conservação da flora endêmica do Pampa será avaliado através das categorias e critérios da IUCN, aplicando Inteligência Artificial; um resgate histórico sobre paisagens naturais do Pampa será produzido. Oficinas de educação em ciências e arte-educação sensibilizarão a comunidade e promoverão o sentimento de pertencimento local e o conhecimento da biodiversidade para a conservação e uso sustentável.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

João Ricardo Viola dos Santos

Ciências Humanas

Educação
  • formações e atuações de professores que ensinam matemática e atividades baseadas em categorias do cotidiano
  • Se por um lado, a formação de professores que ensinam matemática ainda é um tema de grande relevância e complexidade no contexto educacional, visto os distanciamentos entre formação inicial e atuação na Educação Básica, por outro, as transformações em nossa sociedade contemporânea, o avanço do individualismo, o aprofundamento das desigualdades sociais, e de modo geral, as complexas e problemáticas relações entre seres humanos, máquinas e natureza, nos impõe a construção de estratégias outras para lidar com esses desafios. O homem não é mais o centro das discussões em nossa era caracterizada como antropoceno. Em muitos contextos, perspectivas humanistas, muitas vezes pautadas em dicotomias e teleologias de progresso e melhorias, parecem não dar mais conta. Diante disso, o objetivo desse projeto é investigar processos de formação e atuação de professores que ensinam matemática, nos quais atividades baseadas em categorias do cotidiano são implementadas. Nesses espaços as atividades são operadas como convites para construção de outras lógicas e outros modos de atravessar discussões e/ou problematizações matemáticas, políticas, econômicas, culturais, filosóficas com os professores. Por meio de uma abordagem qualitativa de pesquisa e tomando o Modelo dos Campos Semânticos como principal referência teórico-metodológica, em composições com perspectivas pós-humanistas, produziremos nossos dados a partir de múltiplos instrumentos de acordo com as características dos espaços de formação e atuação de professores aos quais focaremos nossas discussões, sendo alguns deles: Residência Pedagógica, PIBID, Estágio Supervisionado, Disciplinas na Licenciatura em Matemática, Grupos de Trabalho com professores que ensinam matemática. Nossa intenção, de modo geral, é construir alternativas para formação inicial e continuada de professores que ensinam matemática, bem como para o trabalho em sala de aula, por meio de produções, discussões e problematizações dessas atividades.
  • Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - MS - Brasil
  • 09/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

João Roberto Moro

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • feira de ciência e tecnologia do estado de são paulo
  • A feira tem como objetivos incentivar jovens estudantes dos ensinos fundamental, médio e técnico a iniciar pesquisas científicas nas diversas áreas do conhecimento, ser um instrumento de divulgação e popularização das ciências entre o público não especializado, motivar estudantes a seguirem na carreira científica, capacitar professores e estudantes na elaboração e desenvolvimento de projetos de pesquisa, estreitar a relação entre centros de pesquisa, escolas e comunidade, incentivar a experimentação científica e pensamento crítico desde os primeiros anos de escolarização e contribuir para o desenvolvimento científico e tecnológico da região e do país. As metas propostas para a feira são a capacitação de professores de escolas estaduais e municipais da região, a aumento da participação de trabalhos de escolas públicas da região na feira, o envolvimento da comunidade acadêmica na elaboração de projetos, incrementar o número de visitantes e alcance da feira entre o público não especializado, tornar a feira referência na região em divulgação científica. Para se atingir os objetivos e metas, são planejadas diversas ações antes e durante a feira. Como auxílio na elaboração de projetos e capacitação de estudantes e professores, a feira oferece um material online com orientações de como se elaborar um projeto de pesquisa, desde os passos iniciais até o momento de apresentação do trabalho nas feiras. Além desse material, é oferecido um curso o curso gratuito, de 60h, "Metodologia Científica e Orientação de Projetos de Pesquisa no Ensino Médio", voltado para professores da rede pública. A Comissão organizadora disponibiliza, duas vezes por mês, plantões de dúvidas para estudantes e professores, com o objetivo de auxiliar na elaboração dos projetos. Para marcar o início dos trabalhos de pesquisa, a feira realiza um minicurso sobre Design Thinking. Durante a feira são feitas pesquisas de opinião com participantes, estudantes e autores para avaliarmos os resultados da feira. Além da apresentação de trabalhos dos estudantes, a feira conta com diferentes atividades. Todos os anos, nos horários de início, intervalos e fim da exposição, ocorrem apresentações culturais como peças de teatro, música, exposições, literatura, oficias, entre outros. Ocorrem também atividades relacionadas com sustentabilidade e preservação do meio ambiente, como plantio de árvores, oficinas de aproveitamento de material de reciclagem, palestras de orientação, entre outras. A feira é aberta para estudantes do 8° e 9° ano do ensino fundamental e ensino médio e técnico. Os estudantes podem submeter trabalhos nas áreas de (i) Informática, (Iii) Engenharias; (iii) Ciências exatas e da natureza; (iv) Ciências Humanas e Linguagem. A submissão de trabalhos é feita a partir do Plano de Pesquisa e Resumo de projeto em nosso sistema. A seleção de trabalhos para a feira ocorrem em 3 etapas: (i) verificação da documentação; (ii) pré-avaliação por consultores ad hoc; (iii) análise pelo Comitê Técnico. A apresentação de trabalhos ocorre durante os 3 dias da feira, onde os autores apresentam seus resultados para a comunidade e para avaliadores ad hoc. A avaliação do trabalho é feita a partir da análise dos seguintes tópicos dos projetos apresentados: criatividade e inovação, método científico ou engenharia, profundidade, habilidade, apresentação oral, análise de documentos. Para cada tópico é atribuída uma nota de 1 a 5 e os projetos são classificados e premiados. Ao final da feira, são verificados alguns indicadores de acompanhamento para avaliação da feira, como por exemplo, o alcance das divulgações em mídias sociais, a quantidade de pessoas cadastradas no sistema de avaliação, apoios e colaboradores conseguidos, número de trabalhos inscritos. Agendamento de escolas, número de visitantes, porcentagem de trabalhos presentes e ausentes, alcance das publicações em mídias sociais, impacto na imprensa, pesquisa de satisfação entre os participantes.
  • Instituto Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 02/03/2021-31/03/2023
Foto de perfil

João Tomé de Farias Neto

Ciências Agrárias

Agronomia
  • melhoramento genético de euterpe olerecea e euterpe precatoria na amazônia - melhoraçai- fase iii
  • O açaí é a fruteira nativa da Amazônia com maior expansão de área cultivada nos últimos anos, resultado do grande aumento da demanda pela polpa de seus frutos, tanto no mercado interno como externo. De acordo com estatísticas do IBGE (2020) a receita do açaí (R$ 4,754 bilhões) foi a 3a maior entre as frutas produzidas no Brasil, inferior apenas a laranja (R$ 10,898 bilhões) e banana (R$ 8,638 bilhões). A demanda superou a capacidade de produção do extrativismo, o que motivou investimento no cultivo comercial do açaí. Para assegurar o desenvolvimento sustentável da cadeia produtiva do açaí cultivado é necessário desenvolver tecnologias que proporcionem alta produtividade, qualidade, precocidade e segurança contra problemas bióticos e abióticos, fato possível através de programa de melhoramento genético. A Embrapa Amazônia Oriental iniciou na década de 90 um programa de melhoramento da espécie Euterpe oleracea (açaí de touceira), que já resultou no lançamento de duas cultivares (BRS Pará em 2005 e BRS Pai d’égua em 2019) e recentemente foi estabelecido um programa de melhoramento da espécie E. precatoria (açaí solteiro). Ambas as espécies apresentam grande variabilidade genética para vários caracteres, fato que permite antever altos ganhos genéticos via seleção. e ocorrem em regiões e condições edafoclimáticas distintas, divergindo para várias características de planta e fruto, como composição da polpa e período de safra, o que justifica o investimento no melhoramento de ambas. Nesta proposta serão avaliadas progênies de meios-irmãos de E. oleracea e E. precatoria em experimentos já estabelecidos em campo e realizar coleta de germoplasma de E. precatoria visando o estabelecimento de novos experimentos. Também será avaliado o transcriptoma de E. oleracea de resposta a estresse hídrico, visando identificar sequências de DNA que poderão ser trabalhadas como marcadores genéticos para realização de seleção precoce.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - PA - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

João Trindade Marques

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • aprendizado de máquina para análise de bibliotecas de metatranscriptômica e identificação de sequências virais independente de similaridade de sequência: prova de conceito em amostras de mosquitos vetores
  • O estudo da biodiversidade é importante do ponto de vista ecológico para podermos entender a evolução e adaptação das espécies, e do ponto de vista biotecnológico e médico para permitir o desenvolvimento de estratégias de uso ou controle de organismos. Os vírus contribuem com uma grande parte da diversidade genética observada em diversos ambientes. O estudo da biodiversidade é limitado pela capacidade de identificação de microrganismos em laboratório. Nesse contexto, a metagenômica permite o estudo da diversidade genética coletiva presente em um ecossistema através do sequenciamento direto do material genético isolado do meio ambiente. A metagenômica tem sido empregada em estudos para identificação do conjunto de vírus, o viroma, em amostras biológicas. A caracterização do viroma de mosquitos do gênero Aedes tem uma particular significância para a saúde humana, visto que mosquitos transmitem diversos vírus com potencial para causarem epidemias, como o Zika virus, Dengue virus e Chikungunya virus. Além disso, a caracterização do viroma de mosquitos vetores é fundamental para o monitoramento de vírus emergentes ou re-emergentes que posam como grande ameaça a saúde pública. As estartégiuas convencionais de procura por similaridade de sequência contra referências conhecidas são uma grande limitação para a descoberta de novos vírus. Os vírus possuem genomas pequenos que evoluem rapidamente, e sua classificação por similaridade contra referências conhecidas pode fornecer uma estimativa equivocada da real dimensão dos viromas. Nosso grupo foi pioneiro na ideia da utilização de características independentes da sequência primária como o perfil de pequenos RNAs gerados por uma dada sequência como uma assinatura viral. Esta ideia, proposta e implementada pelo nosso grupo, permite a descoberta de novos vírus mesmo que não tenham similaridade de sequência com nenhuma referência depositada em bancos de dados. Nesta proposta, nosso grupo se propõe a expandir os estudos iniciais utilizando modelos de aprendizado de máquina (do inglês machine learning) para extrair novas características básicas de sequências de origem viral que possam ser utilizadas para identificação e classificação de vírus. Desta maneira, em uma época com baixo custo do sequenciamento em larga escala e a rápida expansão do número de sequencias depositadas, nossa estratégia pode ajudar na classificação de sequências órfãs também chamadas como a matéria negra dos projetos de sequenciamento, que não possuem similaridade dom referências conhecidas, e que são normalmente descartas.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 20/08/2020-31/08/2022
Foto de perfil

João Victor Nicolini

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • desenvolvimento de biossensores nanoestruturados de pla/grafeno impressos em 3d: uma nova plataforma de biossensoriamento de baixo custo e modulável para detecção eletroquímica de doenças.
  • Tecnologias emergentes baseadas em eletrodos de impressão para a fabricação avançada de materiais de eletrodos impressos abrem novos caminhos para várias aplicações eletroquímicas. A liberdade de design possibilitada pela impressão 3D abre possibilidades para o desenvolvimento de novos materiais e dispositivos de detecção eletroquímica em grande escala, de forma rápida, de baixo custo, sob a geometria e propriedades desejadas e geração mínima de resíduos. Esta proposta consiste no desenvolvimento de um nanocompósito condutor constituído de poli-ácido lático (PLA) e grafeno (GO) por impressão 3D visando sua aplicação em plataformas de biossensoriamento para detecção eletroquímica precisa e eficaz de doenças que estão em preocupação mundial como câncer, diabetes, COVID-19 e Zika vírus, por exemplo. A maioria dos eletrodos não podem ser inteiramente seletivos para detecção de uma única espécie em diferentes meios biológicos. Além disso apresentam alto custo, o que compromete a utilização em larga escala. Por esta razão, é imprescindível o desenvolvimento de biossensores eletroquímicos altamente seletivos para aplicação em meios complexos, de baixo custo e moduláveis à imobilização de biomoléculas de interesse para o analito a ser detectado. A impressão 3D substitui etapas de fabricação e instrumentação demoradas e protocolos caros para fabricar sensores. No entanto, o desempenho de biossensores é afetado pelo tipo de materiais do eletrodo impresso e métodos de fabricação empregados. Biossensores baseados em plataformas impressas 3D incorporando nanomateriais condutores, como o grafeno, exibem características atraentes, como melhor desempenho, custo-benefício, escalabilidade e alta seletividade para vários analitos eletroativos direcionados. Desta forma, os eletrodos de PLA/grafeno serão produzidos por impressão 3D e as biomoléculas imobilizadas por ligação covalente para obtenção dos biossensores. A detecção dos analitos será realizadas por medidas eletroquímicas.
  • Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Joaquim Albenisio Gomes da Silveira

Ciências Agrárias

Agronomia
  • variabilidade espaço-temporal de respostas fisiológicas e aclimatação em plantas de arroz sob salinidade.
  • Os mecanismos responsáveis pela aclimatação das plantas aos estímulos externos ainda permanecem pouco conhecidos, o que limita a manipulação desses processos para a obtenção de fenótipos com maior resiliência a estresses ambientais. Parte dessa limitação se deve ao fato de que tais respostas ocorrem em diferentes escalas de tempo e com diferentes sensibilidades locais nos diversos módulos que formam as plantas (ex. folhas em diferentes posições espaciais e com diferentes idades fisiológicas). Isso se deve ao fato de que geralmente estudos dessa natureza são desenvolvidos em plantas modelo sob condições controladas e raramente envolvem uma perspectiva integradora multi-escalar e sua variabilidade temporal. Neste contexto, o foco do presente estudo é desenvolver uma abordagem integrativa das relações entre a planta e seu ambiente, utilizando como modelo de estudo plantas de arroz submetidas a condições de salinidade, que é um forte limitador da produção agrícola em áreas de várzea. A partir de experimentos delineados baseados em perguntas específicas, pretende-se testar a hipótese principal de que a variabilidade espaço-temporal das respostas à salinidade possui uma estreita relação com a capacidade de aclimatação de plantas de arroz às condições adversas. Pretende-se demonstrar que uma alta variabilidade espaço-temporal confere maior resiliência às plantas, especialmente sob condições de estresse recorrente e/ou diferentes níveis de controle ambiental, quando efeitos da memória da planta podem emergir na forma de uma nova propriedade ou característica fisiológica. As análises serão realizadas em diferentes órgãos da planta (dimensão espacial) avaliando desde alterações epigenéticas, expressão de genes do ritmo circadiano , atividade de enzimas antioxidantes, dinâmica das trocas gasosas, crescimento e do acúmulo de proteínas e metabólitos. As avaliações serão realizadas com frequência de amostragem (dimensão temporal) ao longo da evolução das respostas à salinidade.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Joaquim de Araújo Nóbrega

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • preparo de amostras inorgânicas usando radiação micro-ondas e investigações sobre padrões internos em plasmas
  • Este projeto de pesquisa abordará duas linhas principais de investigação: (1) desenvolvimento de procedimentos de preparo de amostras inorgânicas assistidos por radiação micro-ondas e (2) medidas de emissão (linhas atômicas e iônicas) em plasmas acoplados indutivamente. A primeira linha de pesquisa focará a contínua redução do uso de reagentes agressivos para o preparo de amostras inorgânicas. Nesse sentido serão investigados procedimentos assistidos por radiação micro-ondas em forno de alta pressão e temperatura (199 bar e 300 oC) e forno mufla com aquecimento rápido. No caso de procedimentos de fusão, a aplicabilidade de processos de síntese mecanoquímica serão investigados. As soluções geradas em ambos os procedimentos deverão ser compatíveis com determinações de elementos por espectrometria de emissão óptica plasma acoplado indutivamente (ICP OES) e com plasma de micro-ondas (MIP OES). Além do uso desses métodos instrumentais para análises elementares, aspectos relacionados com a escolha e o desempenho de padrões internos e estratégias especiais de calibração serão sistematicamente investigados. Assim, o objetivo geral desta proposta é o desenvolvimento de procedimentos de análise química com capacidade de determinação de elementos traço de forma multielementar combinando-se conceitos modernos em preparo de amostras e tratamento de dados analíticos. Busca-se gerar uma melhor compreensão de processos de preparo de amostras por via úmida, via seca e fusão sob altas temperaturas e sobre estratégias para aperfeiçoamento de exatidão de medições analíticas efetuadas usando plasmas.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023
Foto de perfil

Joaquim Miguel Maia

Engenharias

Engenharia Biomédica
  • avaliação e desenvolvimento de novas técnicas para processamento de sinais e geração de imagens de ultrassom em plataformas abertas de pesquisa
  • Este projeto tem por objetivo o estudo e desenvolvimento de novas técnicas de processamento digital de sinais para geração de imagens de ultrassom em tempo real que permitam o aumento da taxa de quadros por segundo e a otimização na qualidade da imagem. As técnicas a serem avaliadas envolvem o uso de ondas planas (plane wave) e esparsidade na excitação dos elementos transdutores, de forma a permitir a geração de imagens nos modos B, Doppler e de Elastografia. O trabalho será desenvolvido utilizando-se uma plataforma de pesquisa Verasonics Vantage® 128, um equipamento Siemens Acuson X300 e um Ultrasonix Sonix MDP com interface para pesquisa e pacote para elastografia, de forma a auxiliar no desenvolvimento e testes das rotinas desenvolvidas e no estudo de novas técnicas de imageamento ultrarrápido baseado em plane wave. Além dos equipamentos comerciais, serão utilizados os dados da plataforma de pesquisa de arquitetura aberta ULTRA-ORS, que foi implementada no Laboratório de Ultrassom da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), e também os dados de uma nova plataforma que vem sendo desenvolvida em colaboração com outros grupos do Brasil e que receberá uma atualização de hardware pela equipe da UTFPR durante a vigência deste projeto. Os testes para validação dos algoritmos desenvolvidos serão realizados utilizando-se objetos de testes (phantoms) de uso geral, de contraste e detalhes, e de elastografia. A avaliação dos resultados será feita através da comparação com imagens reconstruídas por técnicas tradicionais e parâmetros de resolução e contraste. Espera-se como resultados principais do trabalho a obtenção de novos algoritmos de processamento/geração de imagens que possam ser utilizados futuramente para auxiliar no desenvolvimento de um equipamento nacional de ultrassom para auxílio ao diagnóstico por imagens, além da formação e capacitação de recursos humanos na área de Engenharia Biomédica, com especialização na área de ultrassom em medicina.
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Joaquim Tavares da Conceição

Ciências Humanas

Educação
  • identidade e responsabilidade histórica. organização e preservação de documentos no centro de pesquisa documentação e memória do colégio de aplicação - ufs (cemdap)
  • O projeto busca ampliar os processos de produção e a organização e preservação da massa documental histórica sob a custódia no Centro de Pesquisa, Documentação e Memória, do Colégio de Aplicação-UFS (Cemdap), e produzir compreensões históricas do Colégio e/ou de seus agentes educativos e da Universidade. A proposta é aderente ao eixo temático da área da História da Educação denominado Patrimônio Educativo, Arquivos e Acervos. Deficiências nos processos e práticas de guarda têm gerado dificuldades para a preservação do acervo documental para o acesso à documentação e, por conseguinte, a produção de fontes. Diante disso, o projeto deverá discutir aspectos relacionados com os processos e práticas de guarda, seleção e preservação do acervo escolar; manejo de fontes; funções e finalidades de centros de memória, história oral e patrimônio histórico educativo. Defende-se a hipótese de que a massa documental custodiada no Cemdap reveste-se de importância pela sua natureza de patrimônio educativo e pela perspectiva de responder a questões em torno de configurações e funções de colégios de aplicação de universidades federais. A existência de uma massa documental custodiada no Cemdap; o resultado exitoso de projetos e produções anteriores; o envolvimento de uma equipe e grupos de pesquisas envolvidos e a colaboração do Centro de Memória-Unicamp (CMU) são indicativos da viabilidade da proposta. O estudo utilizará a pesquisa documental, técnicas de manejo de arquivos e procedimentos da história oral (produção de documentação audiovisual), além de reflexões a respeito de tratamento e preservação documental, memória e patrimônio educativo. O projeto apresenta três eixos de desenvolvimento e interligações: organização e tratamento do conjunto de documentos históricos produzidos e/ou acumulados pelo Colégio de Aplicação; a produção de documentação audiovisual e o estudo histórico da entidade produtora da massa documental.
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 23/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Jochen Schongart

Ciências Biológicas

Ecologia
  • sítios demonstrativos de ecossistemas de áreas úmidas oligotróficas pristinos e impactados na amazônia central: encontrando tendências e preenchendo lacunas
  • A integridade da vasta região Amazônica está intrinsicamente relacionada ao equilíbrio de interações biosfera-atmosfera e de ciclos hidrológicos e biogeoquímicos, que exercem influência também sobre outras regiões do Brasil e do Planeta. Além disso, a Amazônia hospeda uma mega biodiversidade que fornece múltiplos serviços ecossistêmicos essenciais para a região, e para a manutenção da qualidade de vida humana de seus habitantes. Entretanto, a região vem sofrendo um conjunto de distúrbios sem precedentes, como resultado das mudanças do clima e das formas de uso da terra, bem como pelas sinergias entre esses vetores de mudanças. A severa degradação ambiental vem sendo intensamente discutida para as florestas de terra-firme, porém, esta discussão ainda necessita ser aprofundada para as diferentes áreas úmidas (AUs) da região que cobrem mais de 30% na Amazônia, e onde muitos empreendimentos impactantes vêm sendo implantados. As AUs são elementos-chave na paisagem amazônica, pois abrigam enorme biodiversidade parcialmente endêmica, e são importantes motores para processos de diversificação e especiação. Além disso, fornecem serviços ecossistêmicos fundamentais para a sociedade, como armazenamento e purificação da água, abastecimento das águas subterrâneas, regulação do clima, manutenção dos ciclos biogeoquímicos e de nutrientes, fornecendo recursos naturais para grandes centros urbanos e para a subsistência das populações tradicionais e indígenas, contribuindo para sua salvaguarda cultural. Desde 2013, o PELD-MAUA se dedica ao estudo integrado de dois dos principais ecossistemas de áreas úmidas (AUs) oligotróficas florestadas na Amazônia Central: a) os igapós ao longo dos rios de água-preta, que cobrem mais de 140.000 km² da região, ocorrem sobre solos pobres, e sofrem pulsos de inundação regulares e previsíveis por águas de elevada acidez, provenientes das formações cratônicas do Escudo da Guiana, e b) as campinaranas, que ocorrem de forma fragmentada em um total de mais de 330.000 km² da região, e se caracterizam por solos ácidos e arenosos, fortemente lixiviados, de baixíssima fertilidade, que podem sofrer alagamento na estação chuvosa, mas são expostos a déficit hídrico na estação seca, pela baixa capacidade de armazenamento de água dos solos. Mudanças climáticas se tornaram uma realidade para a Bacia Amazônica nas últimas décadas, principalmente pela manifestação de aumentos de temperatura e pela intensificação dos regimes pluviométricos e ciclos hidrológicos, resultando no aumento significativo de cheias e secas em sua região central. Para as próximas duas décadas, além do aumento da temperatura, secas severas associadas ao fenômeno El Niño podem ser esperadas para a Amazônia, afetando diretamente extensas áreas de igapós e campinaranas, ambientes com alta vulnerabilidade às secas e incêndios. A capacidade das espécies arbóreas de sobreviver a estas condições extremas depende de suas adaptações e traços funcionais relacionados ao ajuste a estes fatores. Assim, conhecer essas adaptações é essencial frente às mudanças climáticas previstas. Principalmente as florestas de igapó são vulneráveis ao fogo devido ao microclima seco, grande estoque de serapilheira e tapete de raízes finas na superfície do solo, formando uma enorme camada combustível. A lenta sucessão secundária mantém as cicatrizes de queimadas colonizadas por uma vegetação aberta, exposta a fogos recorrentes devido às fontes de ignição abundantes. Outra ameaça às AUs é o planejamento e instalação de mais de 400 usinas hidrelétricas (>1 MW) na Bacia Amazônica. Muitos estudos com foco nas áreas das barragens e reservatórios apontam graves impactos socioambientais das hidrelétricas. Porém, os impactos nos igapós a jusante das barragens são grandemente negligenciados. O PELD-MAUA vem preencher esta lacuna, diferenciando este projeto de outras abordagens. Uma primeira síntese de distúrbios ao longo de 35 anos da hidrelétrica de Balbina já permite a formulação de recomendações concretas para políticas públicas em relação à operação e avaliação de impacto ambiental (EIA/RIMA) desses empreendimentos. Os futuros cenários resultantes da sinergia entre os impactos induzidos por mudanças do clima (aumento das temperaturas e intensificação dos ciclos hidrológicos) e uso de terra (incêndios, barragens hidrelétricas) podem resultar em distúrbios severos que ameaçam a integridade funcional das AUs amazônicas. A degradação ambiental progressiva pode aproximar as AUs oligotróficas ao ponto de não retorno, devido à sua alta vulnerabilidade, baixa resiliência e lenta dinâmica regenerativa. Esse ponto de não retorno já foi estimado para as florestas de terra-firme, porém, para os sistemas de AUs amazônicas ainda não existe essa abordagem. Frente aos cenários previstos de mudanças do clima e de intensificação do uso de terra, a Fase III do PELD-MAUA visa elucidar os impactos destes vetores nas campinaranas e igapós por meio de uma abordagem transdisciplinar, combinando monitoramento (parcelas permanentes), estudos em campo, experimentos (microcosmo, casa de vegetação) e análises retrospectivas (sensoriamento remoto, dendroecologia), desde o nível da população, interações da biota (árvores, herbáceas, epífitas, fungos, peixes) até o da paisagem. Serão assim criados sítios demonstrativos que, embasados em um conhecimento científico robusto, permitam apontar os impactos oriundos de mudanças climáticas e uso da terra nestas AUs, e disseminá-los para um público abrangente com estratégias de ampla divulgação, por meio de diversas plataformas de mídia. Além disso, o projeto vai consolidar sítios que permitam expandir estudos para outras AUs oligotróficas e validar modelos, fornecendo um conhecimento científico integrado sobre a biodiversidade, as inter-relações de componentes chaves da biota, sobre processos e serviços ecossistêmicos e funcionamento integral das AUs oligotróficas, integrando também aspectos socioambientais e políticas públicas.
  • Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - AM - Brasil
  • 07/12/2020-31/12/2024
Foto de perfil

Joel Christopher Creed

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • um mapa de habitat e serviços ecossistêmicos das gramas marinhas do brasil
  • As gramas marinhas formam extensas pradarias ou bancos submersos vegetados ao longo de quase toda a costa do Brasil, em lagunas, estuários, baías e entorno de recifes de corais. Estes ecossistemas fornecem importantes serviços ecossistêmicos como oxigenação e depuração da água, habitat, proteção da costa, recursos pesqueiros, sequestro de carbono atmosférico e mitigação das mudanças climáticas. Apesar de sua importância, o conhecimento sobre estes sistemas no Brasil é insuficiente e áreas provavelmente subestimadas. As lacunas sobre sua distribuição, abundância, extensão e biodiversidade representam um “gargalo” científico para o desenvolvimento de planos de conservação, aos níveis, regional, nacional e global. Neste sentido, o mapeamento detalhado do habitat e seus serviços são essenciais para previsões sobre mudança do clima, modelos de distribuição de espécies, avaliações de conectividade e cálculos de taxas de sequestro de carbono. O objetivo deste projeto é a compilação e a integração das informações espalhados nos diversos bancos de dados e instituições do país sobre os ecossistemas de gramas marinhas no Brasil de modo a criar um mapa atual. Para isso, as informações mantidas pelos laboratórios da UERJ e FURG, que estudam estes sistemas desde a década de 80, serão atualizadas através de buscas online e de consultas com pesquisadores, compondo uma base de dados georreferenciada. Os dados compilados serão corroborados, complementados por levantamentos de campo e analisados para descrever padrões na sua conectividade e serviços. Os registros serão publicados e incluídos em um portal bilingue (POR-ING), voltado para o público geral e a comunidade científica e com acesso gratuito. Parte do portal será dedicado à ciência cidadã, onde o público poderá postar registros fotográficos. Os resultados do projeto colocarão o ecossistema de pradarias brasileiras em evidência, com impactos nacionais e internacionais para a ciência, conservação e economia azul.
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Joel Thiago Klein

Ciências Humanas

Filosofia
  • conceitos e perspectivas da liberdade
  • A liberdade foi um dos conceitos centrais sobre o qual a ciência e a sociedade moderna se desenvolveram. A partir da sua ampliação e diversificação desenvolveu-se o pluralismo social, religioso, o avanço científico, o estado de direito e os direitos individuais. As diversas esferas nas quais a liberdade precisa se estruturar geram inevitáveis conflitos, que se não forem claramente compreendidos, delimitados e regulados, podem colapsar sob seu próprio fundamento. Nesse sentido, surgem pleitos de uma liberdade para não ser vacinado, para desinformar, para impor legalmente posições religiosas, para ensinar criacionismo em escolas, para comprar armas ou desmatar, todos esses são exemplos de situações que nossa sociedade enfrenta e serão absolutamente decisivos para definir o futuro da democracia, da sociedade e da ciência, ou sua ausência. Esse projeto pretende apresentar um mapeamento dos diversos conceitos e perspectivas que a liberdade assumiu desde a filosofia moderna, nas tradições do republicanismo, do liberalismo e do conservadorismo, tendo em vista também diversas esferas, como o âmbito social, religioso, acadêmico, estético, jurídico, político e intergeracional. Pretende-se avaliar como a liberdade interage com a igualdade política e social e como ela opera como um valor capaz de mobilizar a ação política. Utilizando uma metodologia de reconstrução e contextualização histórica e de análise conceitual a partir de problemas, nossa hipótese é a de que apesar de haver uma grande divergência quanto às definições e limites da liberdade, é possível encontrar um denominador comum no que se pode chamar de liberdade dos modernos, a qual está na base tanto das concepções republicanas, liberais quanto conservadoras e que elas excluem a versão ideológica e sem compromisso teórico que vem sendo utilizada para minar os fundamentos do estado de direito, da democracia, da liberdade acadêmico-científica e do pluralismo.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 14/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Joelson Gonçalves de Carvalho

Ciências Sociais Aplicadas

Economia
  • terra, agroecologia e universidade: articulando saberes, trocando experiências e construindo conhecimentos
  • Esse projeto tem como objetivo a criação e consolidação de um Núcleo de Estudo em Agroecologia e Produção Orgânica (NEA) no campus de São Carlos da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), a fim de fortalecer as alianças entre a comunidade universitária e as comunidades rurais da agricultura familiar no estado de São Paulo. Temos por foco, especialmente, o desenvolvimento de trabalhos de extensão rural baseados em princípios agroecológicos e metodologias participativas em assentamentos da Reforma Agrária e junto aos povos e comunidades tradicionais do território. Assim, tem por principais objetivos: 1) ampliar, divulgar e fortalecer o debate e reconhecimento de um modelo de desenvolvimento rural baseado na transição agroecológica e na agricultura familiar na comunidade universitária; 2) promover metodologias participativas de pesquisa e extensão na formação de estudantes e docentes; 3) promover e consolidar a transição agroecológica nas comunidades rurais do território por meio da constituição de parcerias, baseadas na articulação entre instituições públicas e privadas parceiras do projeto, três grupos de referências e demais sujeitos sociais envolvidos nas ações propostas; 4) fortalecer as atividades produtivas, o cooperativismo, o acesso a mercados e políticas públicas junto aos grupos de agricultores familiares do território; 5) valorizar as identidades de agricultores familiares assentados da reforma agrária e povos e comunidades tradicionais junto à comunidade da UFSCar, populações dos municípios do território e governos municipais e estadual. O público-alvo deste projeto são os agricultores familiares, assentados da reforma agrária e comunidades tradicionais, visto que o objetivo final de todas as atividades relacionadas a esse projeto é o diálogo, construção e socialização de saberes que apoiem a consolidação de sistemas de produção de base ecológica voltados para esse público. Pretende-se criar 3 grupos de referência, a partir do trabalho com três assentamentos rurais no estado de São Paulo, todos na modalidade de Projeto de Desenvolvimento Sustentável (PDS), a saber: o PDS Mário Lago, em Ribeirão Preto; o PDS Sepé Tiaraju, localizado na divisa dos municípios de Serrana e Serra Azul e, por fim, o PDS Santa Helena, no município de São Carlos. Dentre os objetivos específicos, cabe destacar: 1) Estabelecer a UFSCar como um centro de referência multidisciplinar em construção e socialização de saberes agroecológicos, dentro de uma perspectiva de horizontalização dos processos dialógicos de ensino, pesquisa e extensão; 2) Consolidar uma rede de docentes, técnicos, estudantes e parceiros engajados em promover o debate sobre a Agroecologia, transição agroecológica e sistemas de produção orgânicos, bem como questões ambientais e agricultura convencional em fóruns internos e externos à Universidade; 3) Empoderar os grupos de pesquisa, ensino e extensão envolvidos no projeto, bem como os parceiros, com ferramentas de pesquisa participativa, pesquisa-ação e observação participante, de modo a nortear, subsidiar e fortalecer os projetos desenvolvidos pela comunidade universitária em territórios complexos como os dos assentamentos rurais, comunidades tradicionais, entre outros; 4) Implantar três grupos de referência, em suas respectivas áreas, destinados a sediar projetos pedagógicos de ensino, pesquisa e extensão que tematizem Agroecologia, transição agroecológica e sistemas de produção orgânicos; 5) Apoiar os diferentes movimentos sociais do campo e coletivos de agricultores em suas demandas em relação à Agroecologia, a exemplo do incentivo de feiras livres, beneficiamento mínimo, comercialização de cestas agroecológicas, cooperativismos, acesso a políticas públicas e etc. Do ponto de vista dos resultados esperados e das metas, a equipe do projeto se propõe a: Promover a troca de experiências entre agricultores familiares, assentados da reforma agrária e comunidades tradicionais, pesquisadores e extensionistas que atuem dentro dos princípios da Agroecologia, nos territórios circundantes dos quatro campi da UFSCar, com o apoio de outros NEAs e CVTs já constituídos e a constituir; Fortalecer os grupos locais de compra direta de produtos orgânicos e em transição provindos da agricultura familiar, assentados da reforma agrária e comunidades tradicionais envolvidos no projeto, priorizando-se os grupos de referência elencados; Apoiar a organização e formalização de organizações de Controle Social para a garantia da qualidade orgânica, sendo estes Organizações de Controle Social (OCSs) ou Sistemas Participativos de Garantia (SPGs); Realizar um seminário final de avaliação e repasses de resultados do projeto, que possa ser gravado e que também possa servir de memória para nortear ações futuras; Sistematizar experiências já existentes de transição agroecológica nos grupos de referência elencados no projeto, envolvendo sistemas de produção de base ecológica e sistemas agroflorestais, contribuindo assim para a construção do conhecimento agroecológico e Sistematizar, a partir das trocas de saberes e relações dialógicas com os sujeitos sociais envolvidos no projeto, uma “agenda social de pesquisa”, que, oriunda como se pretende, terá capilaridade social e materialidade nos problemas concretos urgentes e emergentes socialmente, agenda essa que será levada aos discentes e docentes da Universidade, interessados e comprometidos com a temática. O projeto proposto, orientado pelas mesmas preocupações da Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Pnapo), volta a suas ações e objetivos para atuar junto às organizações sociais do campo, comunidades tradicionais, assentamentos rurais e agricultores familiares em geral, com o intuito de fortalecer a Agroecologia, a transição agroecológica e os sistemas de produção orgânicos na região de Ribeirão Preto e São Carlos.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 01/08/2017-31/10/2022
Foto de perfil

John Elton de Brito Leite Cunha

Engenharias

Engenharia Civil
  • nova geração de modelos para estimativas de evapotranspiração para o semiárido brasileiro
  • O Sensoriamento Remoto (SR) é o modo mais eficiente de monitorar a superfície terrestre e de obter estimativas regionais de evapotranspiração (ET). Contudo, as observações de satélite não têm uma assinatura específica que possa ser diretamente atribuída à ET. A ET tem sido obtida por combinação das observações de satélite nas várias bandas do espectro eletromagnético com valores de variáveis climáticas medidas ao nível da superfície. Os métodos utilizados para calcular a ET a partir dos produtos de SR vão desde modelos físicos a empíricos. Em aplicações de grande escala, os métodos de base física surgem como os preferidos, mas muitas vezes estes modelos dependem de simplificações excessivas das resistências aerodinâmicas ou dependência de parâmetros locais. Essas soluções pragmáticas são necessárias, mas limitam a sua performance. Por outro lado, abordagens empíricas, como Machine Learning (ML), são muito úteis para mapear entradas e saídas, sendo capazes identificar os parâmetros relevantes e que não podem ser ignorados no processo de modelagem. As mensurações realizadas pelos sensores de superfície para ground truth são sensíveis aos ventos no instante de medição, tendo sua resposta representada por uma área de contribuição (footprint). Contudo, o problema em estimar ET em grande escala usando técnicas de ML é a incompatibilidade de escala de observação de cada sensor. A calibração/validação de modelos híbridos (físicos com ML) só pode ser alcançada com a compatibilização das escalas espaciais de observações botânica, sensores remoto e superfície. Técnicas de hibridização serão aplicadas para reamostragem e agregação dos modelos de ET avaliados. A configuração do modelo híbrido mais eficiente será submetida ao processamento em computação em nuvem para construção de bases de dados de ET em escala regional. Esta nova base de dados elevará o uso das informações de ET para gestão dos recursos hídricos e avaliação dos impactos ambientais no Semiárido brasileiro.
  • Universidade Federal de Campina Grande - PB - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

John Fredy Franco Baquero

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • desenvolvimento de métodos de otimização para o planejamento de sistemas de distribuição com recursos energéticos distribuídos no contexto de mercados locais de eletricidade
  • Recursos energéticos distribuídos (REDs) como veículos elétricos, geração distribuída renovável e sistemas de armazenamento de energia devem ser adequadamente integrados no futuro sistema de distribuição de energia elétrica (SDEE), de forma a trazer benefícios econômicos e ambientais para a sociedade. Portanto, o planejamento da expansão e da operação do SDEE deve facilitar essa integração ao tempo que levem em conta o desafio das incertezas dos REDs. Recentemente, o conceito de mercados locais de eletricidade (MLEs) tem sido discutido para aproveitar os REDs e promover a participação de todos os agentes no SDEE, sendo indispensável sua consideração no planejamento. Assim, novos conceitos e métodos para auxiliar o planejador do SDEE são necessários para enfrentar os desafios de integrar REDs no contexto de MLEs. Essas ferramentas de apoio na tomada de decisão do planejamento devem evitar investimentos excessivos na expansão da rede e manter a qualidade do serviço para uma alta penetração de REDs, visando aproveitá-los adequadamente. Este projeto de pesquisa visa o desenvolvimento de métodos de otimização para o planejamento do futuro SDEEE no contexto de MLEs, em que os REDs podem fazer ofertas de capacidade de potência e programas de gestão pelo lado da demanda são incluídos. Os métodos de otimização devem estar baseados em Programação Estocástica e Programação Robusta, para que as soluções de planejamento da expansão e da operação sejam adequadas perante as incertezas de curto e de longo prazo (intermitência de geração renovável, demanda dos usuários e nível futuro de penetração de REDs). Os métodos serão avaliados usando sistemas teste da literatura, permitindo quantificar a contribuição no aumento na integração de REDs, a redução no custo da energia para os usuários finais, a mitigação de impactos ambientais e a melhora na qualidade do serviço.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

John William MacQuarrie

Ciências Exatas e da Terra

Matemática
  • desenvolvimento e utilização de ferramentas computacionais na teoria dos grupos e as suas representações.
  • Seguindo a numeração sugerida: 1. Grupos e as suas representações, que exercem um papel fundamental dentro da área da álgebra, possuem descrições compactas e portanto são adequados de serem estudados por meios computacionais. O projeto ampliará o conhecimento de tais estruturas algébricas, desenvolvendo e utilizando ferramentas computacionais. 2. O projeto terá três focos: desenvolver algoritmos práticos para o problema de isomorfismo explícito de grupos clássicos; desenvolver algoritmos para construir reticulados p-ádicos para um p-grupo abeliano; desenvolver técnicas para estudar fatorações de grupos de comprimento minimal e atacar a conjectura de Babai sobre o grafo de Cayley dos grupos clássicos. 3. Desenvolver algoritmos para serem implementados nos sistemas computacionais GAP e Magma, integrar tais ferramentas nos sistemas e utilizar elas para atacar conjecturas importantes e famosas de álgebra -- os programas resolverão o problema de isomorfismo para dados grupos clássicos; calcularão reticulados p-ádicos para p-grupos abelianos finitos; estudarão fatorações de comprimento minimal de um grupo como produto de subgrupos. A importância do projeto vem da importância das conjecturas para ser atacadas, e da utilidade geral das ferramentas propostas dentro da comunidade internacional de álgebra. 4. A hipótese principal do projeto é que ferramentas computacionais são fundamentais para estudar problemas teóricos de álgebra. 5. Os três membros da equipe já utilizaram sistemas computacionais para chegar em conclusões teóricas, um deles com algoritmos já implementados nos sistemas GAP e Magma. As ferramentas propostas são altamente computáveis e a equipe já tem ideias concretas de como implementá-las. 6. Metodologias: em grupos clássicos, baseada na computação do centralizador de uma involução aleatória; em reticulados, baseada numa correspondência com módulos sobre corpos finitos; em fatorações de grupos, baseada em computações com o gráfo de Cayley.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Joice Melo Vieira

Ciências Sociais Aplicadas

Demografia
  • as famílias brasileiras e o bem-estar de crianças e adolescentes: uma abordagem sociodemográfica sobre diversidade e desigualdades
  • Por segunda transição demográfica entende-se uma nova etapa da história das populações humanas caracterizada pelo declínio das taxas de nupcialidade, aumento da prevalência de uniões consensuais, de divórcios e de nascimentos fora do casamento, bem como uma fecundidade abaixo do nível de reposição populacional (<2,1 filhos por mulher). A maioria dos estudos realizados no Brasil adotam uma perspectiva adultocêntrica dessas transformações. O que está acorrendo com os níveis de bem-estar de crianças e adolescentes à medida que se identificam traços de uma segunda transição demográfica no Brasil? A abordagem adotada visa documentar níveis de bem-estar de crianças e adolescentes inseridos nas diversas configurações familiares. Serão considerados como dimensões de análise: a erradicação do trabalho entre menores de 14 anos; autopercepção sobre estados depressivos e emocionais; frequência escolar e continuidade dos estudos em nível apropriado para a idade; iniciação sexual, entrada em união e início da trajetória reprodutiva ainda durante a menoridade; e os cuidados recebidos. A principal hipótese é de que os arranjos familiares que emergem na segunda transição demográfica impactam de forma distinta crianças e adolescentes procedentes grupos étnicos, estratos socioeconômicos e áreas geográficas diferentes. Por conseguinte, na ausência de políticas sociais, as disparidades entre crianças e adolescentes na base e no topo da pirâmide social devem se intensificar tal como já documentado para os Estados Unidos. A metodologia pauta-se em análises descritivas e multivariadas explorando as fontes de dados disponíveis: Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (2012-presente); Pesquisa Nacional de Saúde (2013 e 2019); Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (2015 e 2019); censos demográficos, entre outras. As análises considerarão diferenciais segundo sexo, raça/cor, grande região, faixa de renda domiciliar per capita e composição do domicílio de residência.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 13/02/2022-28/02/2025