Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Alex Sandro Coitinho Sant'Ana

Ciências Humanas

Educação
  • exposição de educação não formal: tecnologias sociais educativas por uma (trans) formação (pós) humana e (pós) crítica
  • A educação não formal ou não escolar, também conhecida ainda como educação social, tendo a pedagogia social como uma possibilidade de especificidade na busca de sua compreensão, é tema abordado em componentes curriculares de cursos superiores de graduação em licenciatura, mas que ainda demanda divulgação das ações desenvolvidas pelas mais variadas organizações, de diferentes naturezas jurídicas, inclusive de não-instituições, com a devida fundamentação teórica que cada espaço educacional não escolar desvela. O evento objetiva oferecer espaços sociais e/ou ciberespaciais de uma universidade pública para divulgação das mais variadas experiências educativas e formativas não escolares teoricamente fundamentadas, no intuito de que o intercâmbio das interações em ambiente acadêmica permita a cada organização refletir e aperfeiçoar o seu fazer educativo e formativo, além de ecoar suas vozes visando sua afirmação social como mais uma possibilidade de atuação para egressos das licenciaturas e outros profissionais e protagonistas sociais que atuam ou desejam atuar como educadores sociais, beneficiando brasileiros especialmente em situação de vulnerabilidade social.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 12/09/2022-31/03/2023
Foto de perfil

Alex Sandro Gomes

Ciências Humanas

Educação
  • análise e visualização de dados para regulação da aprendizagem no ensino médio
  • O projeto aborda a regulação da aprendizagem de estudantes do Ensino Médio, que estabelece a capacidade metacognitiva de definir objetivos de aprendizagem, realizar ações e monitorar o atingimento de metas. O tema é objeto de pesquisa contemporâneo das áreas de Educação, Psicologia Cognitiva e Computação na subárea Computer Supported Collaborative Learning (CSCL). O fenômeno é estudado em modalidades de ensino presencial e em modalidades híbridas e remotas, nas quais as colaborações são mediadas por ambientes virtuais de aprendizagem (AVA). São estudadas versões individuais (autorregulação) e colaborativas (corregulação) da regulação da aprendizagem. O desenvolvimento dessa competência é infrequente nas práticas de ensino centradas na apropriação do conteúdo. Sua relevância social está no ganho da autonomia dos estudantes a aprenderem ao longo da vida e aperfeiçoarem suas aptidões para a prática efetiva da Educação a Distância. Fazemos a hipótese de que o monitoramento e apresentação de dados educacionais relativos ao comportamentos dos estudantes em (AVA) pode contribuir para o desenvolvimento de suas competências metacognitivas e regular processos de aprendizagem. A literatura internacional analisa diferentes alternativas computacionais para mediar o desenvolvimento da competência de regulação da aprendizagem. Enquanto isso, a literatura brasileira denuncia o tratamento omisso ao tema junto aos estudantes na Educação Básica. O projeto objetiva desenvolver módulo de regulação da aprendizagem para o AVA Redu.Digital, alinhado às Competências Gerais e Específicas e Habilidades da Base Nacional Comum Curricular - BNCC do Ensino Médio em parceria com a empresa Viitra.com. Adotaremos práticas de Design Etnográfico e Técnicas de Mineração de Dados Educacionais para conceber painel de visualização de dados da regulação da aprendizagem a servir de base a processo de mediação do desenvolvimento dessa competência no Ensino Médio.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alex Sandro Gomes Pessoa

Ciências Humanas

Psicologia
  • impactos da pandemia covid-19 no cotidiano de adolescentes brasileiros em situação de vulnerabilidade social
  • A pandemia do COVID-19 tem acentuado a preocupação sobre as condições de adolescentes em situação de vulnerabilidade social no Brasil e no mundo. No caso da população infanto-juvenil em situação de vulnerabilidade social, os cuidados deveriam ser redobrados, pois entende-se que a pandemia da COVID-19 acentuou as desigualdades já existentes. Sabe-se que a proteção de crianças e adolescentes durante surtos de doenças anteriores já deixaram indicativos da ocorrência de aumento significativo dos riscos já existentes para essa população. A pandemia do COVID-19 e suas consequências para a população juvenil devem ser analisadas de modo multifatorial, considerando as vulnerabilidades sociais já existentes e as suas acentuações no últimos anos. Assim, considera-se imprescindível avaliar de que forma a pandemia afetou a vida de adolescentes brasileiros que já vivenciavam situações de vulnerabilidades e expostos a fatores de risco. Dessa forma, o objetivo do estudo é compreender os impactos das experiências da pandemia para o desenvolvimento de adolescentes brasileiros que se encontram em situação de vulnerabilidade social. Sendo assim, a presente pesquisa se configura como um estudo misto simultâneo, exploratório-descritivo, com delineamento transversal e desenvolvido a partir de um estudo de casos múltiplos. Os participantes serão, aproximadamente, 125 adolescentes das cinco regiões brasileiras (Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul), com idade entre 12 e 18 anos, de ambos os sexos e em situação de vulnerabilidade social (em cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto e fechado, que vivem em instituições de acolhimento, em situação de rua e estudantes de escolas públicas localizadas em territórios com altos índices de exclusão social). Os dados serão coletados por meio de questionários e entrevistas, bem como serão analisados com softwares específicos para dados qualitativos e quantitativo.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 07/04/2022-30/04/2025
Foto de perfil

Alex Verdério

Ciências Humanas

Educação
  • sustentabilidade, educação do campo e agroecologia: organização sócio-produtiva e processos formativos em assentamentos rurais na bahia, no paraná e em santa catarina.
  • A proposta, com caráter interinstitucional e interdisciplinar, mantém fortes vínculos com a Educação Básica e articula pesquisadores da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, da Universidade Federal de Santa Catarina e pós-graduandos de mais três instituições com vínculos nas escolas envolvidas. Tem por objetivo impulsionar a investigação, produção e divulgação científica, por meio da pesquisa básica na área de Tecnologias para o Desenvolvimento Sustentável, aprofundando a compreensão sobre a relação Educação do Campo e Agroecologia para o delineamento de estratégias na promoção da sustentabilidade em assentamentos rurais. O lócus da pesquisa abarca as práticas inovadoras sustentáveis nos agroecossistemas da Escola Técnica de Agroecologia Luana Carvalho na Bahia, do Colégio Estadual do Campo Iraci Salete Strozak no Paraná e da Escola Vinte e Cinco de Maio em Santa Catarina. A questão central volta-se para o levantamento e análise de práticas inovadoras vivenciadas a partir das conexões entre organização sócio-produtiva e processos formativos na relação Educação do Campo e Agroecologia e que podem fomentar a formulação de estratégias de promoção do desenvolvimento sustentável nos agroecossistemas. É crível o potencial de conceber o desenvolvimento sustentável a partir das realidades e contextos. Nesse exercício investigativo, a prática social como ponto de partida traz a tona conhecimentos construídos no trabalho e nas relações, isso passa por compreender os saberes, os valores e a interação social como elementos basilares na organização sócio-produtiva e nas práticas formativas. A inferência sobre as conexões entre essas dimensões têm na escola um espaço fecundo e pertinente no inventário de práticas inovadoras que promovam o desenvolvimento sustentável. Isso impulsiona a viabilidade investigativa e metodológica da pesquisa com participação efetiva dos atores na popularização do conhecimento produzido.
  • Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - BA - Brasil
  • 28/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Alexander Christian Vibrans

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • iffsc - estratégias csr e dinâmica da diversidade taxonômica, estrutural e funcional da floresta atlântica subtropical
  • Florestas constituem o maior sumidouro terrestre de carbono atmosférico, o que confere a elas um importante papel na mitigação das mudanças climáticas. Nesse contexto, as florestas secundárias têm participação crescente, especialmente nas regiões (sub)tropicais. No Brasil, a maior parte da Mata Atlântica é atualmente composta por florestas secundárias. Conhecer a dinâmica dessas florestas é fundamental para protegê-las, restaurá-las e manejá-las. Do ponto de vista logístico e financeiro, é um desafio obter estimativas populacionais robustas de mudanças taxonômicas, estruturais e funcionais, visto que para isso é necessária a coleta de dados em parcelas permanentes distribuídas de forma probabilística em toda a população, e não em áreas escolhidas arbitrariamente ou por conveniência. Ainda é incompleto o entendimento das interações ecológicas entre as espécies que moldam o processo sucessional, a acumulação de biomassa e o sequestro de carbono. Desta forma, precisa ser esclarecido quais espécies, atributos e estratégias funcionais estão direcionando o desenvolvimento da Floresta Atlântica subtropical, inclusive frente às mudanças climáticas. Pretendemos investigar, como itens-chave, as taxas de ingressos de indivíduos e espécies, de incremento dos sobreviventes e de mortalidade por espécie, bem como mudanças na diversidade taxonômica, estrutural e funcional das florestas catarinenses. Esta proposta acrescenta a investigação da influência de atributos funcionais das espécies arbóreas no desenvolvimento das florestas. Em especial, hipotetizamos que as análises das estratégias CSR permitirão quantificar o papel de espécies competidoras, tolerantes ao estresse e ruderais na variação da composição de espécies e no processo de acumulação de biomassa nas florestas. O Inventário Florístico Florestal de SC (IFFSC), com 499 parcelas, construiu uma base de dados pública para a execução desta proposta, que consiste na terceira remedição de 36 parcelas instaladas em 2008.
  • Fundação Universidade Regional de Blumenau - SC - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025