Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Rafael Humberto de Carvalho

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • identificação e caracterização de fraudes em produtos cárneos
  • O controle de qualidade na indústria de carnes é tradicionalmente realizado por meio de análises químicas, físicas e microbiológicas. Estas análises são demoradas, trabalhosas e destrutivas. Em geral, estes métodos podem ser substituídos por técnicas instrumentais indiretas, rápidas e de fácil operação. Nesse contexto, a análise por meio de espectros digitais (espectrometria) tem sido utilizada na inspeção de produtos alimentícios, na linha de processamento, para avaliação da qualidade de alimentos e identificação rápida de problemas de qualidade com mínima intervenção humana e assim evita os demorados processos para preparo de amostras. Esta técnica oferece uma série de vantagens em relação aos métodos tradicionais de avaliação de qualidade, incluindo as medições rápidas, objetivas e o preparo de amostras. Há facilidade de adaptação para medidas “on-line” e possibilidade de determinação simultânea de vários atributos. Não menos importante, despontam os parâmetros físico-químicos, a oxidação de proteínas e lipídeos em carnes e seus derivados, pois tais fenômenos contribuem para a piora na qualidade nutricional e perda da inocuidade do produto. Além disso, os produtos das oxidações estão intimamente correlacionados com inúmeras enfermidades que acometem a saúde humana. Desta forma, este projeto visa desenvolver e aplicar a técnica de espectroscopia para classificação e avaliação de produtos cárneos fraudados, bem como avaliar os parâmetros físicos-químicos, oxidação de proteínas e lipídeos nesses produtos. Uma vez desenvolvido o método, os resultados promoverá subsídios tecnológicos e científicos para a indústria cárnea e órgãos de fiscalização, permitindo maior rapidez na verificação dos produtos, a fim de garantir maior qualidade aos seus produtos. Além da contribuição técnica e científica, este projeto atenderá também a formação de estudantes de iniciação centífica com disseminações dos resultados em eventos nacionais e internacionais e publicações em periódicos científicos de impacto na área.
  • Universidade Estadual de Londrina - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rafael Ivan Chambouleyron

Ciências Humanas

História
  • as drogas do sertão e o comércio atlântico (séculos xvii e xviii)
  • Esta pesquisa analisa o lugar das drogas do sertão no comércio atlântico, nos séculos XVII e XVIII. Nesse sentido, se propõe a compreender as redes mercantis nas quais estavam inseridos esses gêneros, buscando entender quais grupos intervinham nesse processo, e buscando desvendar os mercados europeus, para além de Lisboa, que recebiam produtos amazônicos.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021
Foto de perfil

Rafael José Navas da Silva

Ciências Agrárias

Agronomia
  • a certificação orgânica por controle social na venda direta: impactos na agricultura familiar de alagoas
  • Nos últimos anos a produção orgânica no Brasil e no mundo vem aumentando em especial pela crescente preocupação dos consumidores quanto à qualidade dos alimentos e riscos de contaminação por agroquímicos. Nesse cenário, a certificação orgânica proporciona maior garantia de que produtos rotulados e comercializados como orgânicos tenham de fato sido produzidos dentro dos padrões desse modelo de produção e seguindo as normas e legislação estabelecidas. No Brasil, a legislação sobre o tema é definida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o qual contemplou na Lei nº 10.831/2003 a possibilidade de obtenção da certificação orgânica de forma gratuita para os agricultores familiares que seguem as normas e que vendem diretamente aos consumidores. Essa modalidade é denominada de “Controle Social na Venda Direta”, sendo uma exceção existente apenas no Brasil, e quem dá a garantia da qualidade orgânica é o próprio produtor, acompanhado de perto pela sociedade, tendo como base a relação de confiança entre quem vende e quem compra. Essa possibilidade permite aos agricultores familiares agregarem valor aos seus produtos, sem custo adicional, pois as demais formas de certificação geram custos elevados em razão de auditorias regulares às propriedades, o que inviabiliza a certificação para os segmentos menos capitalizados. Em Alagoas existem 97 produtores nessa modalidade, que se localizam nas distintas regiões do estado e comercializam seus produtos nos principais centros consumidores. Nesse contexto, o objetivo desse projeto é analisar os impactos do sistema de Certificação por Controle Social na Venda Direta nos modos de produção e geração de renda entre agricultores familiares de Alagoas. O presente projeto busca uma abordagem interdisciplinar entre questões técnicas de produção e manejo e impactos socioeconômicos da certificação orgânica, bem como a compreensão dos agricultores quanto à legislação e as dificuldade encontradas no processo. A pesquisa será realizada com 68 agricultores familiares inseridos no Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos, que compõem 11 grupos de controle social, distribuídos em 13 municípios, nas três mesorregiões de Alagoas, contemplando aproximadamente 70% dos beneficiados por essa modalidade de certificação no estado. Para o levantamento dos dados serão utilizadas técnicas com princípios sociológicos e antropológicos, por meio de entrevistas parcialmente estruturadas (em que há um diálogo livre entre pesquisador e informantes), observação participante (em que o pesquisador participa da rotina e atividades dos pesquisados), e a Escala Brasileira de Insegurança Alimentar (EBIA) para diagnóstico de segurança alimentar. Como resultado pretende-se compreender as estratégias adotadas na produção orgânica animal e vegetal, considerando as características das propriedades, os benefícios e impactos para comercialização dos produtos e geração de renda, bem como a compreensão e cumprimento das normas previstas na legislação e as dificuldades encontradas pelos agricultores. Como impacto do projeto, espera-se a obtenção de dados que orientem a difusão da certificação orgânica por Controle Social na Venda Direta entre agricultores, bem como as estratégias de produção adotadas. Como produto, pretende-se a apresentação e publicação de trabalhos em eventos científicos e de artigos em periódicos e dados para subsidiar ações na área.
  • Universidade Federal de Alagoas - AL - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rafael José Vilela de Oliveira

Ciências Agrárias

Agronomia
  • micobiota endofitica foliar em árvores de sombra de um plantio de cacau (cabruca) no sul da bahia, brasil
  • Fungos endofíticos são definidos como microrganismos que habitam tecidos de vegetais sem causar prejuízos ao seu hospedeiro (AZEVEDO & ARAÚJO, 2007). Estes microrganismos podem conferir a sua planta hospedeira maior resistência à ambientes estressantes (MARINA et al., 2011), contribuindo na tolerância à estresses abióticos como altas e baixas temperaturas, salinidade e seca (HUBBARD, 2013; RODRIGUEZ et al., 2008). Também podem promover o crescimento das plantas (BARELLI et al., 2016; KHAN et al., 2011; HAMAYUN et al., 2010) por meio da fixação de nitrogênio, assimilação de fósforo e produção de fito-hormônios (HOFFMAN et al., 2013; KOZYROVSKA et al., 1996; STOLTZFUS et al., 1997; VESSEY et al., 2003). Além disso, algumas espécies podem ser utilizadas no controle biológico de pragas de interesse agronômico (SUDHA et al., 2016; VIDAL et al., 2015), controle de doenças vegetais (LARRAN et al., 2016; SOUZA et al., 2016) e na proteção contra diferente patógenos (BACON et al., 2016). Fungos endofíticos têm sido estudados em vários vegetais de interesse econômico como arroz, café, soja e uva (LIMA et al., 2014; NAIK et al., 2009; OLIVEIRA et al., 2014a; PIMENTE et al., 2006; SETTE et al., 2006; VARANDA et al., 2016; VAZ et al., 2014;) além de vegetais de regiões tropicais (ARNOLD & LUTZONI 2007; SINGH et al., 2017; SOLIS et al., 2017; SURYANARAYANAN et al. 2011). Outros estudos recentes têm sugerido que a diversidade de fungos é mais acentuada em áreas tropicais úmidas (ARNOLD et al., 2000; CHANDRA, 2012). Segundo checklist realizado por Silva et al. (2012) foram reportadas mais de 200 espécies de fungos endofíticos ocorrendo em diversos hospedeiros de regiões tropicais. O Brasil tem demonstrados ser uma importante fonte de novidades taxonômicas de espécies de fungos endofíticos além de espécies promissoras na utilização na indústria e na agricultura. Táxons encontrados em espécies de plantas economicamente importantes no nordeste brasileiro têm sido descritos como novas espécies: Phaeosphaeria nodulispora em Cocos nucifera (OLIVEIRA et al., 2014c), Pseudophialophora sorghi em Sorghum bicolor (CROUS et al., 2017) e Preussia citrullina em Citrullus lanatus (CROUS et al., 2018). Na Mata atlântica, Neopestalotiopsis pernambucana foi descrita como uma nova espécie (SILVÉRIO et al., 2016) e na Caatinga Bezerromycetales e Wiesneriomycetales foram descritas como novas ordens, Bezerromycetaceae como nova família, Bezerromyces e Xiliomyces como novos gêneros e B. brasiliensis, B. pernambucoensis, X. brasiliensis como novas espécies (BEZERRA et al., 2017). Cabruca é sistema tradicional de cultivo do cacau no sul da Bahia, no qual as mudas são plantadas à sombra das árvores da mata nativa, após esta ter sido submetida a um raleamento de seu sub-bosque. O sul da Bahia apresenta ainda uma significativa concentração de árvores nativas devido ao sistema tradicional de plantio do cacau sob a sombra da floresta raleada (ARAÚJO et al. 1998) sendo o Sistema Agroflorestal Cabruca de grande relevância para os remanescentes de Mata Atlântica do sul Bahia (OLIVEIRA et al., 2011). No entanto, devido à crise econômica, os produtores vêm procurando novas fontes complementares de renda e em muitos casos substituindo as árvores sombreadoras nativas por exóticas de interesse econômico (SAMBUICHI 2006). Diante disso, o objetivo deste trabalho é estudar a diversidade de fungos endofíticos com base em dados morfológicos e moleculares (DNA) em folhas de espécies nativas localizada em sistema agroflorestal de cultivo de cacau (cabruca) no sul da Bahia, Brasil.
  • Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira - DF - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rafael Leite Braz

Ciências Agrárias

Recursos Florestais e Engenharia Florestal
  • qualidade da madeira e seu potencial energético de espécies da caatinga provenientes do plano de manejo florestal sustentável no estado de pernambuco
  • No Brasil, a biomassa tem grande expressão quando se trata de suprimento energético do país, sendo a madeira uma da mais utilizadas. Na região do nordeste, no Estado de Pernambuco, diversas espécies florestais do bioma caatinga são exploradas, principalmente para a produção energética, utilizada pelas indústrias calcinadoras, uma vez que o estado é um dos maiores produtores de gesso, havendo a necessidade de um grande número de madeira, a ser utilizada no processo de produção. Essas espécies florestais precisam ser mais bem investigadas tanto pela sua produtividade quanto a qualidade da madeira e seu potencial energético, colaborando na seleção das espécies em um plano de manejo florestal sustentável. Neste contexto, objetiva-se buscar informações das espécies da região do nordeste, do bioma Caatinga, especificamente no Estado de Pernambuco quanto às características da madeira (anatômica, física e química) e do carvão vegetal produzido, bem como o seu potencial energético, a fim de fornecer subsídios para a seleção de espécie, bem como o seu indicativo da utilização final da madeira. O material de pesquisa será proveniente de um plano de manejo sustentável na cidade de Floresta – PE. As espécies serão avaliadas quanto as suas características para a produção de biomassa, propriedades da madeira e avaliação do carvão vegetal. Será criado um banco de dados com informações das propriedades avaliadas e o indicativos de uso para cada espécie. Com base nas informações obtidas, espera-se colaborar para o que os planos de manejo florestal na região realmente sejam seletivos, eliminando a ideia de que para produção energética qualquer biomassa pode vim a ser utilizada, reduzindo ações de exploração descontroladas. Busca-se também um planejamento e crescimento florestal associado à produção e ao emprego final madeira seja no setor energético ou não, contribuindo para a preservação do bioma Caatinga, além de corroborar no uso da madeira pelas indústrias calcinadoras.
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco - PE - Brasil
  • 01/06/2017-31/07/2021
Foto de perfil

Rafael Linden

Ciências da Saúde

Farmácia
  • desenvolvimento e validação de estratégias analíticas inovadoras para estimar o consumo de drogas através da análise de esgoto em novo hamburgo-rs
  • O abuso de drogas lícitas e ilícitas (DLI) é um problema global para a saúde pública, bem como para o bem-estar social e econômico. Desta forma, existe um interesse significativo em monitorar o seu consumo. Informações epidemiológicas relevantes sobre hábitos de vida podem ser obtidas a partir da análise química de águas residuais urbanas. Esta abordagem, denominada epidemiologia baseada no esgoto (EBE), baseia-se na análise de produtos específicos de excreção humana em águas residuais como indicadores de consumo da população servida pela rede de esgotos sob investigação. A EBE tem sido aplicada com sucesso como uma abordagem adequada para a estimativa do consumo de drogas ilícitas, mas também tem sido empregado recentemente para avaliar outros fatores relacionados ao estilo de vida, como consumo de álcool e nicotina. Além dessa abordagem epidemiológica, também há implicações ambientais. Apesar das concentrações ambientais serem baixas, elas podem potencialmente afetar a saúde humana e o ecossistema. O presente trabalho tem por objetivo quantificar DLI no influente de uma estação de tratamento de esgoto (ETE) e com isso estimar o consumo de drogas pela população. Para o cálculo da estimativa de consumo é necessário obter uma amostra representativa e para isto uma das alternativas é a coleta de águas residuais com amostradores passivos. O amostrador integrativo químico orgânico polar (Polar organic chemical integrative sampler, POCIS) será desenvolvido e validado neste estudo. Para quantificar os analitos será desenvolvido e validado um método analítico de elevada sensibilidade baseado em cromatografia líquida de alta eficiência associada a espectrometria de massas sequencial (LC-MS/MS).
  • Universidade Feevale - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rafael Maciel de Freitas

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • o infravermelho próximo (nirs) como ferramenta para aprimorar a vigilância epidemiológica de arbovírus
  • Arboviroses como dengue, chikungunya, Zika e febre amarela causam grande impacto econômico, altas morbidades e significativo número de óbitos nos centros urbanos brasileiros. Com a exceção da febre amarela, não existem vacinas comerciais eficazes para proteção humana. Desta maneira, a forma mais indicada para mitigar ou evitar surtos ainda é intensificar atividades de controle vetorial. Contudo, considerando que os casos de qualquer agravo são heterogêneos no espaço e no tempo, campanhas de controle vetorial não devem se homogêneas no território, mas precisam ser guiadas para as áreas da cidade onde há maior risco de haver transmissão. Por exemplo, campanhas de controle poderiam ser direcionadas para os arredores do local onde um mosquito infectado foi detectado. Essa proposta pretende avaliar a eficácia de uma nova tecnologia em diagnosticar infecção de arbovírus em Aedes aegypti coletados em campo. Para o diagnóstico, usaremos uma técnica conhecida como NIRS (Near Infrared Spectroscopy), a espectroscopia do infravermelho próximo. A técnica mede a energia vibracional irradiada refletida de uma amostra biológica pela penetração parcial do feixe eletromagnético, entre 700 e 2500 nanômetros. Esta técnica é considerada: (a) não destrutiva, pois preserva o material biológico, (b) de baixo custo, pois não requer aplicação de reagentes e (c) rápida, visto que um técnico treinado é capaz de realizar a leitura de uma amostra em apenas 3 segundos. Alterações no espectro de absorção são causadas por diferenças na composição e concentração de moléculas orgânicas presentes na amostra (em nosso caso em mosquitos Aedes aegypti). O diagnóstico de infecção por arbovírus (DENV, ZIKV, CHIKV e FA) será investigado em Rio de Janeiro/RJ e Foz do Iguaçu/PR. A coleta de mosquitos adultos se dará através de aspiradores costais (Rio de Janeiro) ou de 3476 armadilhas Adultrap vistoriadas uma vez por mês desde março/2016 (Foz). Usaremos a densidade de Ae. aegypti coletados e o diagnóstico de infecção viral para produzir mapas de risco de transmissão para cada agravo, em cada localidade. Juntamente com as Instituições colaboradoras dos municípios escolhidos, uma ação específica de controle será executada, desde busca e eliminação de criadouros (Rio de Janeiro) até aplicação de adulticida. Por fim avaliaremos o impacto que o diagnóstico rápido, seguido de ações de controle/tratamento, podem ter na epidemiologia de arboviroses nestas localidades.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rafael Mariante Meyer

Ciências Biológicas

Morfologia
  • disseminação de toxoplasma gondii pelo epitélio intestinal em modelos murinos de infecção oral: o papel de neutrófilos e da elastase neutrofílica no controle da infecção
  • O protozoário intracelular Toxoplasma gondii encontra-se amplamente distribuído na natureza, infectando virtualmente todas as espécies animais de sangue quente. Seu sucesso reside, em parte, nos mecanismos de transmissão que apresenta, incluindo, dentre outros, a rota oral de infecção pela ingestão de cistos presentes em carnes cruas ou malcozidas. O encontro entre o parasito e o sistema imune do hospedeiro também é determinante para o sucesso da infecção. Sabe-se que leucócitos medeiam respostas imunes essenciais que levam à proteção do hospedeiro e ao controle da toxoplasmose. Paradoxalmente, presume-se que esta função migratória inerente aos leucócitos seja utilizada pelo T. gondii para mediar sua dispersão no organismo, através de um mecanismo que envolve o transporte do parasito pelos leucócitos. Um papel primordial dos neutrófilos na infecção intestinal por T. gondii foi descrito recentemente, e observou-se que essas células são capazes de disseminar o parasito pelo lúmen intestinal. Contudo, os mecanismos envolvidos neste processo permanecem desconhecidos. Desta forma, estudos da interação entre T. gondii e neutrófilos serão instrumentais para a compreensão dos meios pelos quais o parasito ganha acesso ao epitélio intestinal e, a partir dele, se dissemina para outras regiões do organismo. Sendo assim, o presente projeto tem como objetivo investigar o papel de neutrófilos no controle da infecção de células hospedeiras pelo T. gondii, bem como no controle da disseminação do parasito, avaliando a contribuição da elastase neutrofílica – um importante agente microbicida produzido por neutrófilos – na inibição da infecção. Utilizando um modelo in vivo de infecção oral de camundongos e um modelo in vitro de barreira intestinal – associados a técnicas de microscopia ótica e eletrônica, biologia molecular e ensaios imunoenzimáticos – avaliaremos os componentes celulares envolvidos no processo de disseminação do parasito e os mecanismos envolvidos. Uma vez elucidados, esses mecanismos devem fornecer informações valiosas a respeito da interação entre o T. gondii e a célula hospedeira, possibilitando a exploração de aspectos estruturais e moleculares da interação que contribuam, por exemplo, para o desenvolvimento de estratégias terapêuticas que visem à intervenção da infecção oral, principal rota de infecção utilizada pelo parasito.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 01/06/2017-30/06/2021
Foto de perfil

Rafael Matos Ximenes

Ciências da Saúde

Farmácia
  • myrciaria floribunda (h.west ex willd.) o.berg (myrtaceae): um super fruto da caatinga com potencial para o tratamento de doenças inflamatórias intestinais
  • Myrciaria floribunda (H.West ex Willd.) O.Berg (Myrtaceae) é uma espécie nativa do Brasil e encontrada em todo o território nacional. Seus frutos, consumidos in natura ou na forma de doces e licores, são ricos em compostos fenólicos (como ácido elágico e gálico), flavonóis (como quercetina, isoquercetina e campferol), antocianinas (principalmente delfinidina 3-O-glicosídeo e cianidina 3-O-glicosídeo), vitaminas (ácido ascórbicos e carotenoides), além de fibras solúveis. Além do consumo alimentar, a espécie é utilizada na medicina popular no tratamento de inflamações e afecções do trato gastrointestinal. Sua composição, aliada ao uso etnofarmacológico da espécie, aponta para uma possível eficácia no tratamento de doenças inflamatórias intestinal. Esse conjunto formado por doenças como a colite ulcerativa e a doença de Crohn tem como principal tratamento os aminossalicilatos, corticosteroides e imunossupressores, os quais possuem importantes efeitos adversos e nem sempre são eficazes em induzir e manter a remissão da doença. Neste contexto, vários estudos demonstram o papel da dieta e de suplementos alimentares na indução e/ou manutenção da remissão, tanto quando utilizados sozinhos quanto em associação a terapia alopática. Em vista disso, este projeto de pesquisa objetiva determinar a eficácia dos extratos dos frutos de M. floribunda no tratamento da colite ulcerativa em camundongos e desenvolver um sistema de liberação cólon-específico para o extrato, uma vez que as antocianinas são moléculas relativamente passíveis de oxidação.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rafael Menezes da Costa

Ciências Biológicas

Farmacologia
  • contribuição da testosterona para as alterações vasculares associadas à obesidade: estudo de mecanismos envolvidos
  • A obesidade é considerada uma das principais causas de morbidade e mortalidade em grande parcela da população mundial, uma vez que, de modo independente, ou em associação com outras doenças, é considerada um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de desordens cardiovasculares. As complicações clínicas observadas no sistema cardiovascular em decorrência da obesidade não estão relacionadas apenas às modificações diretas no coração e no metabolismo sistêmico, sendo que o acúmulo de tecido adiposo também resulta em modificações funcionais dos vasos sanguíneos. Na obesidade se observa aumento dos níveis pressóricos e da contração do músculo liso vascular, além de redução do relaxamento vascular à acetilcolina, um vasodilatador dependente de células endoteliais. Ainda neste contexto, a disfunção vascular é mediada por prostanóides, tromboxano e espécies reativas de oxigênio (ERO), que culminam no estresse oxidativo. Atualmente, vários estudos demostram que os mecanismos deflagrados por componentes neurais e endócrinos podem justificar o aumento nos depósitos de gordura corporal em indivíduos obesos. A testosterona, um andrógeno anabólico predominantemente masculino, está associado ao metabolismo sistêmico e complicações vasculares em condições fisiopatológicas. Recentemente, têm sido descritas ações da testosterona sobre a geração de ERO e consequente estresse oxidativo em células vasculares, o que resulta em disfunção vascular. Durante a obesidade, diversos tipos celulares desenvolveram programas adaptativos para neutralizar o estresse oxidativo. Esta resposta requer três componentes essenciais: a) elementos de resposta antioxidante (ERA); b) Fator nuclear relacionado a E2 (Nrf2), o principal fator de transcrição que se liga a ERA, e recruta a maquinaria transcricional para expressão de genes antioxidantes tais como os genes que codificam para a heme oxigenase-1, NAD(P)H:quinona oxidoredutase1, glutationa S-transferase, glutationa peroxidase, catalase, superóxido dismutase entre outros; c) Keap1, uma proteína citosólica repressora que se liga ao Nrf2 e o retém no citoplasma. Considerando que 1) obesidade leva ao estresse oxidativo vascular, 2) testosterona é um potente indutor de ERO e 3) que Nrf2 é um fator de transcrição sensível ao estado redox, promovendo transcrição de genes antioxidantes, este projeto testará a hipótese que a testosterona regula negativamente o sistema antioxidante Nrf2, favorecendo o acúmulo de ERO e subsequente disfunção vascular em modelo experimental de obesidade. Camundongos C57BL/6J serão submetidos a orquiectomia (o ducto eferente de cada testículo será ligado e os testículos removidos) ou a pseudo-orquiectomia (Sham). Os camundongos receberão dieta controle ou dieta hiperlipídica durante 18 semanas. Nestas condições, a função vascular será avaliada frente à agentes vasoconstritores e vasodilatadores. A geração de ERO será avaliada por ensaios de quimiluminescência e fluorescência e a atividade de Nrf2 será avaliada por medidas de translocação nuclear. O papel das ERO e de Nrf2 na função vascular será avaliado utilizando ferramentas farmacológicas que inibam a formação de ERO e ativem o sistema Nrf2, respectivamente. Para refinar mecanismos, células vasculares serão estimuladas com testosterona, avaliando a geração de ERO, atividade de Nrf2, bem como proteínas que regulam este sistema, através de técnicas de quimiluminescência, fluorescência e western blotting, respectivamente. As vias de sinalização ativadas pela testosterona, dependentes de receptor, serão investigadas utilizado ferramentas farmacológicas que antagonizem os receptores para andrógenos e inibam a transcrição gênica. Este estudo fornecerá importantes contribuições para um melhor esclarecimento dos mecanismos envolvidos na disfunção vascular associada à obesidade. Adicionalmente, a compreensão da relação existente entre a testosterona, estresse oxidativo e sistema Nrf2 contribuirá em intervenções e novas buscas para que tratamentos mais efetivos possam ser desenvolvidos no que tange à disfunção vascular associada à obesidade.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022