Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Alexandre de Oliveira e Aguiar

Outra

Ciências Ambientais
  • monitoramento participativo para o manejo da biodiversidade e dos recursos naturais na resex marinha baia do iguape, bahia
  • A Reserva Extrativista Marinha da Baia de Iguapé (RESEX) é uma unidade de conservação localizada no Estado da Bahia. Os principais produtos explorados são recursos marinhos. Embora a RESEX não tenha ainda um Plano de Manejo, existe um "Acordo de Gestão", instrumento que estabelece critérios para os volumes a serem extraídos visando manter a sustentabilidade da área. Faz-se necessário, nesse momento, entender a efetividade dos objetivos e das obrigações contidas nesse acordo, para que seja constantemente revisto, avaliado e ajustado sempre que necessário. Esta necessidade foi claramente expressa pelo representante do ICMBio quando da articulação desta proposta. Para isso, a presente proposta tem como objetivo o estabelecimento de parâmetros e indicadores para o monitoramento participativo da biodiversidade tendo como base o cumprimento do Acordo de Gestão. O Objetivo geral do projeto proposto é estabelecer parâmetros e indicadores para o monitoramento participativo da biodiversidade tendo como base o Acordo de Gestão da RESEX. Os objetivos específicos são: compreender o envolvimento das comunidades locais no cumprimento do Acordo de Gestão; identificar potencialidades e barreiras para contribuição das comunidades e instituições envolvidas com o monitoramento da biodiversidade local; identificar articulações reais e potenciais para monitoramento participativo da biodiversidade; Identificar métodos reais e potenciais para monitoramento participativo da biodiversidade; compreender a percepção das comunidades locais e instituições sobre o Acordo de gestão e sua eficácia; estabelecer, em conjunto com as comunidades, parâmetros e indicadores de monitoramento para avaliar a efetividade do Acordo de Gestão da RESEX sobre a biodiversidade. A metodologia proposta traz um olhar construtivista e tem como linha mestra a pesquisa participativa, em que a construção do conhecimento valoriza a comunidade e os cidadãos como centro desta construção. No caso do monitoramento participativo a metodologia prevê valorizar as principais preocupações da população local e os conhecimentos que já detém sobre os métodos de monitoramento da biodiversidade local. A construção de conhecimento se dá por meio de ciclos e iterações, em que a reflexão tem um papel mediador em cada uma dessas iterações. A abordagem metodológica participativa permite uma composição de diferentes técnicas, incluindo: entrevistas, grupos focais, observação direta, etnografia, e pesquisa quantitativa com questionários fechados. São previstas as seguintes etapas para o trabalho: uma etapa inicial de preparação; uma segunda de reconhecimento da área e dos atores sociais; uma terceira voltada ao aprofundamento da percepção dos principais problemas pela comunidade, dos métodos de monitoramento já existentes e das possibilidades de articulação entre os vários atores visando a sustentabilidade; a quarta etapa visa refletir junto à comunidade os resultados e propostas; e a quinta visa acompanhar o funcionamento inicial do monitoramento participativo proposto e avaliar esse funcionamento inicial para propor melhorias; e a última é um fechamento das lições aprendidas com a comunidade. Como principais contribuições, espera-se: avançar no conhecimento das percepções locais sobre a biodiversidade, sua conservação e o potencial econômico da conservação; avançar no conhecimento do funcionamento das redes de pessoas e instituições que interagem no local; identificar práticas existentes e práticas potenciais de monitoramento participativo; apoiar o fortalecimento da gestão da Resex; gerar informações para tomada de decisão do Conselho Deliberativo da Resex e com isso apoiar o fortalecimento da gestão da Unidade de Conservação; apoiar o fortalecimento de estruturas e rotinas para monitoramento participativo da biodiversidade e do andamento das ações previstas no Acordo de Gestão; apoiar o fortalecimento da circulação de informações entre ICMBio, Comunidades e Conselho Deliberativo; contribuir para avaliar se a efetividade do cumprimento do acordo de gestão; e contribuir para avaliar se os critérios adotados no Acordo de gestão são adequados a longo prazo para conservação da biodiversidade.
  • Universidade Nove de Julho - SP - Brasil
  • 11/12/2017-30/11/2020
Foto de perfil

Alexandre de Pádua Carrieri

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • governança em cooperativas de pequeno e médio porte no estado de minas gerais: uma análise de gênero, governança e o empoderamento.
  • O presente projeto busca preencher uma lacuna existente nas sistematização de informações sobre pequenas e médias cooperativas no estado de Minas Gerais e compreender os processos e práticas de governança e a participação das mulheres nos processos decisórios. Para tanto, propõe-se o mapeamento dos arranjos de governança cooperativa de pequeno e médio porte no Estado; análise dos dados e seleção da cooperativas conforme categorias a serem estudadas; a realização de um survey com todas as cooperativas pequenas e médias com base no seu capital social disponibilizada pela OCEMG. Posteriormente, serão selecionadas cinco cooperativas para aprofundamento do estudo. A partir do desenvolvimento deste projeto, esperamos que contribuir ampliar o debate e entendimento da temática, sobretudo das cooperativas como empreendimentos econômicos solidários que promovem valores acerca da democracia, autogestão e equidade de gênero. Evidenciando e problematizando a temática de gênero e mulheres dentro do cooperativismo ligado à governança. Com relação aos objetivos propostos, esperamos que sejam elaborados conceitos, processos e práticas cotidianas que envolvem a tomada de decisões nos empreendimentos cooperativos. Além de fomentar as pesquisas e desenvolvimentos de teorias que correlacionem gênero, cooperativismo e governança.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 08/09/2018-30/09/2021
Foto de perfil

Alexandre de Pádua Carrieri

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • identidades e práticas estratégicas cotidianas dos negócios relativos à saúde no contexto da bioeconomia
  • No processo passado, Universal/2014 estivemos estudando a cadeia da morte, pensávamos estudar somente Belo Horizonte, mas o projeto expandiu para o Brasil, ou pelo menos regiões sudeste e sul. Um tema que nós tangenciamos foi a bioeconomia (Foucault, 2008a; 2008b; 2012; 2014a; 20014b, Waldby 2000 e 2002, CE 2005, Birch 2007, HILGARTNER 2007, Birch e Tyfield 2013). Neste sentido, objeto deste projeto universal e leva em conta negócios que transformam a saúde em bens comercializados no mercado em alguns espaços de atuação diversa e espalhados pelo país. Em sua maioria realizam procedimentos médicos, com tecnologias variadas e diferentes objetivos (cuidados paliativos, intervenções cirúrgicas, etc.), e no caso específico dos laboratórios, exames patológicos (BERLITZ, 2011) em pacientes encaminhados por médicos da rede pública e privada de saúde. Buscaremos com este projeto compreender como esta rede/malha de negócios atual, suas caraterísticas organizacionais, formas estruturais e organizativas (familiar ou não), agentes financiadores (pacientes, empresas privadas, profissionais do SUS, vigilância sanitária, municipalidades, etc.). Com a proposição deste projeto tentaremos elucidar mais profundamente esta teia de negócios. Assim, o objetivo deste projeto universal , além de impulsionar o NEOS para a internacionalização em pesquisa, é estudar as identidades e práticas estratégicas cotidianas dos negócios relativos à saúde no contexto da bioeconomia, tendo como base para a investigação empírica as cidades de Belo Horizonte, São Paulo, Itajaí, Joinvile e Blumenau. No caso especial de Belo Horizonte, buscaremos construir, o que denominamos, de rede/malha bioeconômica que aos poucos está sendo remontada nesta cidade com laboratórios, clínicas de análise, farmácias de manipulação, de microbiologia, de anatomia patológica, hospitais e clínicas de saúde. Essa pesquisa concentra-se na gestão das equipes no universo dos equipamentos de saúde. Por conseguinte, identificaremos os atores e o conjunto de práticas, saberes e relações sociais conformadores do mundo profissional deles. Os temas que propomos fazem parte de processos em constante construção, como o caso da identidade, que de acordo com Woodward (2014), está em contínua transformação, em contínuo processo de construção e desconstrução, nunca tem um fim. O tema das práticas estratégicas é um tema importante também, no caso deste projeto, está ligado as estratégias de sobrevivência dos atores sociais envolvidos diretamente ao tema estudado, ao (bio)negócio. O assunto da vitalidade traz conjuntamente profissões (e negócios) que não são bem reconhecidos pela sociedade. Profissões como a de biólogo, bioquímico, técnico, médico patologista clínico, médico hematologista, entre outras, que não foram estudadas pelos EORs e nem pela Administração, cujos sujeitos envolvidos desenvolvem práticas de reconhecimento que podem ser oportunizadas por esta pesquisa aqui proposta.No intuito de entender essas práticas a partir de sua complexidade, lógica e simbólica, no que compete ao mundo dos negócios evolvendo os equipamentos de saúde, optamos por considerar o bionegócio, sob um olhar atento à articulação prática e política, em que tudo o que é ou foi produzido está relacionado ao corpo biológico, na forma de recursos (corporificados) que permitem a apropriação de ideais e tecnologias. A exemplo, a ocorrência de uma mercantilização da vida organizada dos homens em relação aos próprios homens, incluindo aqui a mercantilização do final da vida (que foi melhor estudado no negócio funerário).Esta pesquisa é provocada devido às várias vozes – atores de diferentes áreas de informação e níveis hierárquicos – envolvidas nos processos cotidianos de criação, manutenção e desenvolvimento da indústria de saúde. Muitas dessas vozes não são escutadas quando se trata de sua vida organizada constituindo uma alteridade. É procurando entender a interação desses agentes com sua vida organizada, como em dialogismo – e permeadas por polifonias – é que se constitui este projeto. Assim, é justamente no sentido de explorar esses temas, e mais especificamente a relação entre eles, que se insere esta proposta de pesquisa, cujo eixo central de raciocínio é norteado pela seguinte questão: como os atores sociais que interagem cotidianamente com a vitalidade e a morbidade constroem suas narrativas de identidades com base nas estratégias de sobrevivência dos negócios comercializam a saúde enquanto mercadoria? O que se pretende é, a partir do entendimento da vida organizada como um conjunto de narrativas, compreender a(s) lógica(s) (quando há) subjacentes as construções discursivas e a forma como elas se manifestam objetivamente ou contribuem para a conformação objetiva de uma determinada realidade sóciohistórico-cultural. Nesse sentido, o que se faz necessário é o modo de apreensão e interpretação dos discursos, no intuito de se descobrir e compreender o que está por detrás dos mesmos. Ao se concordar sobre esse potencial das narrativas, resta enfrentar o desafio de coletá-las para que se possa fazer uma análise dos discursos que as permeiam. Nesse sentido, neste estudo, serão usadas entrevistas semi-estruturadas, para a coleta de informações com base somente em um roteiro de apoio, de forma a possibilitar maior flexibilidade no tratamento das questões e dos próprios entrevistados. Segundo Thiollent (2013), as entrevistas semi-estruturadas são estratégias capazes de introduzir o pesquisador no universo cultural dos indivíduos. Deve-se também destacar que serão coletados documentos relativos às histórias das empresas mortuárias além da realização de observações assistemáticas no cotidiano das organizações investigadas. Para viabilizar essas análises utilizar-se-á o método do estudo multi-casos, para se poder montar a “nova” rede/cadeia do mercado laboratorial em Belo Horizonte (como exemplo empírico) e nas outras cidades estudadas.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Alexandre Dias Kassuga

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • efeitos da acidificação da água dos oceanos em crustáceos decápodes
  • Mudanças climáticas de origem antropogênica podem ter profundos efeitos sobre organismos marinhos. Acredita-se que o aumento na concentração de CO2 atmosférico poderá causar uma diminuição no pH dos oceanos, o que favorece a dissolução do Carbonato de Cálcio (CaCO3). Este fenômeno pode ter efeitos negativos em espécies que utilizam o CaCO3 na formação de carapaças, conchas e exoesqueletos. Efeitos a curto prazo são conhecidos para algumas espécies de crustáceos decápodes, tanto na fase adulta como na fase larval. No entanto, os efeitos a longo prazo sobre o ciclo de vida, reprodução e estágios larvais ainda são desconhecidos. O presente estudo visa entender os efeitos da acidificação da água do mar, induzida pelo aumento na concentração de CO2, no ciclo de vida de camarões marinhos. Para tanto, serão utilizados camarões do gênero Lysmata como modelo. Algumas espécies deste gênero tem seu ciclo de vida extensamente estudado, devido ao seu grande interesse comercial no mercado ornamental. Por isso, estas espécies são ideais para estudos de efeitos a longo prazo de variáveis ambientais, uma vez que podem ser observados em laboratório ao longo de todo ciclo de vida, e possivelmente por diversas gerações. Para a realização desse projeto, os adultos serão cultivados em sistemas recirculantes onde serão observados os efeitos de pH reduzido por indução de CO2 sobre seu ciclo de vida e ciclo reprodutivo. As larvas serão cultivadas individualmente, sendo observado sua frequência de mudas, taxa de sobrevivência, ingestão, egestão e desenvolvimento. Espera-se entender melhor os possíveis efeitos de uma eventual acidificação dos oceanos em espécies de crustáceos decápodes, tendo em vista o grande de interesse comercial e sócio-econômico de algumas espécies deste grupo.
  • Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022