Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Albertina Xavier da Rosa Corrêa

Engenharias

Engenharia Sanitária
  • mulheres nas ciências exatas e engenharias: um despertar de competências para soluções ecológicas e sustentáveis
  • O lançamento de poluentes nos cursos hídricos é uma das principais causas de degradação dos ecossistemas naturais, e diretamente associado à veiculação de doenças. No Brasil, 40% da população não possui esgotamento sanitário, e grande parte que possui encontra-se na região sudeste. Ainda assim, apenas 45% do esgoto coletado é tratado adequadamente, agravando problemas urbanos, saúde pública e qualidade de vida. Nos últimos anos, profissionais das ciências exatas e engenharias vêm pesquisando tecnologias alternativas que solucionem ou minimizem os impactos gerados pela falta de saneamento básico. Apesar do número de mulheres cursando engenharia ter crescido 67,8% nos últimos 20 anos, ainda em 2018 as ciências exatas e engenharias são vistas como áreas predominantemente masculinas. Desta forma, o presente projeto tem como objetivo despertar a vocação profissional das alunas de escolas públicas, para as áreas de engenharias e ciências exatas, fortalecendo o aprendizado entre mulheres na resolução de questões socioambientais, com foco em saneamento básico. Para alcançar os resultados esperados serão realizadas ações junto às alunas e professoras de três escolas básicas dos municípios de Bombinhas (EEB Prefeito Leopoldo José Guerreiro), Camboriú (E.E.B. Terezinha Garcia) e Itajaí (E.E.B. Raul Bayer Laus), para a projeção de sistemas de tratamentos de efluentes utilizando técnicas de fitorremediação, ou seja, jardins flutuantes. Serão beneficiados, diretamente, mais de 1000 pessoas, entre alunos, professores e funcionários, e indiretamente toda a comunidade inserida no contexto das escolas. Em cada escola serão selecionadas as alunas que farão parte da equipe do projeto. Posteriormente, serão realizadas atividades teóricas e práticas, que proporcionem às alunas conhecimento científico sobre sistemas de tratamento de efluentes (fossa filtro, rede coletora e tratamento ecológico); parâmetros físicos da água e dos efluentes; jardins filtrantes; e vegetação aplicada às técnicas de fitorremediação. Serão também oportunizadas ações que permitam às alunas desenvolver técnicas de projeto nos softwares SketchUp e AutoCAD; construir os protótipos dos jardins flutuantes em ‘bancada’ manual – maquete, de acordo com a realidade de cada escola; e em impressora 3D. Durante o processo, serão ainda trabalhadas as competências acadêmicas das alunas por meio da elaboração de artigos científicos e apresentação dos resultados do projeto para a comunidade onde as escolas estão inseridas, bem como à comunidade acadêmica. As ações contemplarão atividades na Universidade, que propiciem a iniciação à pesquisa; atividades de divulgação das ações desenvolvidas no âmbito do projeto tanto nas escolas, quando para a comunidade acadêmica e por meio de redes sociais. Espera-se que, ao final do período de execução do projeto, as alunas das escolas estaduais contempladas, compreendam que possuem capacidade e competência para atuar nas ciências exatas e engenharias, utilizando o conhecimento científico no auxílio da resolução de problemas sócio ambientais causados pela própria ação humana. Além disso, espera-se que estas escolas sejam o início de ações locais para resolução de problemas que afetam toda a população, uma vez que as mesmas constituem espaços para a construção de soluções, aproximando a gestão pública e privada no comprometimento mútuo da resolução dos problemas ambientais e sociais.
  • Universidade do Vale do Itajaí - SC - Brasil
  • 22/03/2021-30/09/2022