Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Roseli de Deus Lopes

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • 18a. feira brasileira de ciências e engenharia - febrace 2020
  • A Feira Brasileira de Ciências e Engenharia – FEBRACE (http://www.febrace.org.br/inspiradores) é um programa criado com o objetivo de induzir e servir de referência para outros programas, projetos e ações, em todo o país, voltados ao estímulo à cultura nacional e ao empreendedorismo em C&T&I na educação básica (fundamental e média) e técnica. Neste sentido, a equipe FEBRACE desenvolve ações ao longo de todo o ano, com uma maior intensidade e visibilidade durante a mostra anual de finalistas (em março, dentro do campus da capital da USP) e durante a participação de finalistas da FEBRACE na Internacional Science and Engineering Fair – ISEF (em maio, nos EUA, junto a finalistas de mais de 70 países). Além disso, a FEBRACE tem parceria com a I-SWEEEP - International Sustainable World, a Genius Olympiad, e com o Instituto Weisman para seleção de estudantes brasileiros para seus programas. A FEBRACE propicia a aproximação entre escolas, universidades e centros de pesquisa e induz a interação espontânea entre estudantes, professores, profissionais e cientistas, criando espaços de trocas de experiências, de novas oportunidades e de ampliação das fronteiras do conhecimento. Estas aproximações e interações acontecem durante a mostra presencial e ao longo de todo o ano, por meio de seus diversos recursos eletrônicos incluindo redes sociais, mediados pela equipe FEBRACE. Inserido no contexto de diversas ações de formação e disseminação voltadas à identificação, valorização e desenvolvimento de novos talentos, a FEBRACE realiza anualmente na USP no mês de março, desde 2003, um grande evento que reúne jovens talentos pré-universitários em Ciências e Engenharia e seus orientadores. Em março de 2020, a ação FEBRACE - Feira Brasileira de Ciências e Engenharia completará dezoito anos de estímulo à cultura científica, à inovação e ao empreendedorismo na educação básica e técnica brasileira, consolidando sua mostra de finalistas como a maior feira de ciências e engenharia do Brasil em abrangência territorial. As principais estatísticas da evolução dos 17 anos da FEBRACE são apresentadas no documento FEBRACE – Feira Brasileira de Ciências e Engenharia: Inspirando e Despertando Futuros Líderes, disponível em www.febrace.org.br/inspiradores. Nesta proposta destacamos uma síntese da difusão e do impacto da FEBRACE no Brasil: a) somente a 17ª edição da FEBRACE envolveu diretamente mais de 72.000 estudantes de 27 unidades da federação, que desenvolveram projetos investigativos e os submeteram diretamente ou através de uma das 116 feiras afiliadas. Foram selecionados para a mostra 332 projetos, apresentados por 751 estudantes finalistas acompanhados por 480 professores orientadores/coorientadores; b) em seus 17 anos de realização já participaram da FEBRACE mais de 1.100 munícipios brasileiros representados com projetos finalistas, e mais de 3.800 professores orientadores do ensino fundamental, médio e técnico; c) em 17 anos, foram credenciados 260 projetos para feiras internacionais, com destaque para a ISEF, onde os estudantes brasileiros conquistaram 80 prêmios extremamente importantes para o país; d) A FEBRACE, desde sua criação obteve mais de 5.800 inserções espontâneas na mídia (impressa, digital e televisiva). O local de realização da mostra de finalistas é fator determinante de sucesso para atingir os objetivos deste programa. Todas as edições da mostra anual de finalistas da FEBRACE, incluindo a próxima de março de 2020, sempre foram sediadas no campus de São Paulo da Universidade de São Paulo (USP), uma das maiores e mais importantes Universidades do Brasil e do mundo. Realizar a mostra dentro do campus da capital da USP assegura a participação ativa de um maior número de avaliadores (mais de 350 avaliadores voluntários) e visitantes altamente qualificados, o que por sua vez garantiu a rápida consolidação e disseminação da marca FEBRACE como de qualidade e credibilidade científica, que serve de referência para outras feiras e ações no país. Este selo de qualidade e credibilidade, segundo pesquisas realizadas junto aos participantes de anos anteriores, também é absolutamente fundamental para que os estudantes e professores finalistas de todo o país consigam captar recursos para sua participação na feira (viagens, translado e hospedagem), bem como tenham maior repercussão na mídia local quando são selecionados como finalistas (o que faz com que outros estudantes, professores, profissionais e pesquisadores passem a conhecer e se interessar pelo tema – efeito de indução desejado). Estudos e estratégias estão sendo aprofundados, no sentido de melhor impulsionar e apoiar ações contínuas, com o mesmo referencial de qualidade, em diferentes regiões do país. Hoje, há uma rede de 116 feiras, de diversas Unidades da Federação, afiliadas e acompanhadas pela FEBRACE 2020. Observa-se uma implantação gradativa de feiras regionais, estaduais e municipais de estímulo à criatividade, inovação e empreendedorismo que se utilizam dos referenciais definidos e divulgados pela FEBRACE. Outro ponto que merece destaque é que este projeto envolve também o acompanhamento pela equipe da FEBRACE, à distância, da implementação e execução de projetos de bolsistas CNPq de Iniciação Científica Junior. A cada ano, por meio deste edital, a FEBRACE premia 70 estudantes de diferentes localidades brasileiras com bolsas CNPq de ICJr, cujo acompanhamento para implementação e execução demanda de nossa equipe uma intensa dedicação e procedimentos rigorosos.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 07/01/2020-31/01/2022
Foto de perfil

Roseli de Deus Lopes

Ciências Humanas

Educação
  • avaliação de impacto da adoção de abordagens envolvendo iniciação à pesquisa e participação em feiras investigativas na educação básica, por meio de aplicação de visual analytics & learning analytics
  • Vide projeto anexo
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 12/08/2019-30/11/2021
Foto de perfil

Roseli Esquerdo Lopes

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • educação, inclusão escolar e terapia ocupacional: perspectivas e produções de terapeutas ocupacionais em relação à escola
  • A presente pesquisa debruça-se sobre a temática da educação em interface com a terapia ocupacional, com destaque para os sentidos da inclusão escolar e para a escola pública no Brasil. Trata-se, quanto a seus objetivos gerais, de apreender a articulação que vem sendo feita por terapeutas ocupacionais entre Educação e Terapia Ocupacional e de discutir as proposições no âmbito da terapia ocupacional quanto a contribuições desta com relação à escola. Para tanto, se realizará um levantamento e a revisão sistemática de publicações nas principais bases de dados acadêmicas, nacionais e internacionais, no que se refere à educação, escola, educação especial e educação inclusiva, articuladas à terapia ocupacional. Ainda, serão levantados os pesquisadores brasileiros da área de terapia ocupacional que se dedicam à temática em tela, bem como suas produções. Tais pesquisadores serão convidados a colaborar com esta pesquisa por meio da concessão de uma entrevista que versará sobre suas perspectivas, aportes e propostas quanto ao foco deste estudo e, também, sobre como veem a formação dos terapeutas ocupacionais naquilo que vislumbram (ou não) como demandas da escola e da educação para o campo de atenção de terapeutas ocupacionais. Finalmente, propõe-se o um mapeamento de terapeutas ocupacionais atuantes no setor da educação, com destaque para suas ações práticas relacionadas à escola. Espera-se com este trabalho o fomento de uma discussão na terapia ocupacional, no que tange ao campo da educação e a suas demandas, como também à ampliação da reflexão entre aqueles que se voltam para a escola, tomando-se a complexidade da educação brasileira, e sua dificuldade secular, na efetivação de uma escola pública de qualidade para, de fato, todos.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Roseli Gedanke Shavitt

Ciências da Saúde

Medicina
  • biomarcadores cerebrais como preditores de resposta aos inibidores seletivos de recaptura de serotonina no transtorno obsessivo-compulsivo: desenvolvimento de um paradigma rumo à medicina personalizada
  • Esta proposta situa-se na área temática “Biotecnologia e biomedicina, incluindo saúde humana e neurociência”. Os distúrbios neuropsiquiátricos são responsáveis por grande parte da carga de doenças nos países do BRICS. O transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) é uma das condições mais prevalentes e incapacitantes dessas condições, mas é também potencialmente um dos mais fáceis de se entender por meio da biotecnologia e da biomedicina modernas. Isto deve-se à semelhança dos sintomas do TOC em todo o mundo, aos avanços na compreensão dos neurocircuitos deste distúrbio e à sua resposta seletiva às farmacoterapias serotoninérgicas. Nossa proposta é combinar uma grande amostra de indivíduos com TOC de três países diferentes (Brasil, Índia e África do Sul) e empregar métodos padronizados de neuroimagem para determinar bioassinaturas específicas que possam predizer a resposta à farmacoterapia com um inibidor seletivo de recaptura de serotonina (SSRI). Os três centros participantes desempenharão papéis equivalentes neste projeto. Em todos os locais, as imagens cerebrais estruturais e funcionais serão adquiridas na linha de base e após 12 semanas de tratamento exclusivo com sertralina até 200 mg / dia. Da mesma forma, medidas clínicas e avaliações neurocognitivas serão obtidas na linha de base e no pós-tratamento. Ao identificarmos variáveis clínicas, neurocognitivas e de neuroimagem associadas à resposta aos ISRS em indivíduos com TOC, esperamos desenvolver um paradigma de sucesso da medicina personalizada na área da neurociência clínica, o que seria um passo importante para a saúde humana.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 08/08/2019-31/08/2022
Foto de perfil

Rosely Sichieri

Ciências da Saúde

Nutrição
  • impacto da redução do consumo de açúcar, sódio e gordura nas mortes evitáveis por doenças crônicas não transmissíveis no brasil
  • Mais de 70% das mortes ocorridas no Brasil são decorrentes das doenças crônicas não transmissíveis. O objetivo do projeto é de estimar para a população brasileira a redução das mortes evitáveis de doença cerebrovascular, da doença isquêmica do coração e de diabetes mellitus tipo 2, que seriam decorrentes de modificações na alimentação relacionadas ao consumo de sal, açúcar e tipos de gordura estimados a partir do Inquérito Nacional de Alimentação de 2008-2009. A mortalidade será calculada por sexo e para a faixa etária de 30 a 69 anos de idade. A média dos óbitos por ano serão obtidos do site do DATASUS do Ministério da Saúde para os anos 2015 a 2017. As estimativas serão avaliadas para redução para zero no consumo de bebidas adoçadas e para redução em 50% delas. Também utilizaremos o consumo de açúcares livres com ponto de corte em 10% e de 5% do consumo total de energia. Para sal a redução será para valores menores ou igual a 2000mg/dia, e para consumo de gordura trans menor do que 0,5% do consumo de energia. Será também estimada a redução das mortes evitáveis até 2030, em função modificações no consumo de açúcar, sal e gorduras, estratificada para estabilização da prevalência da obesidade e aumento da obesidade proporcional ao da década 2010. O cálculo dos riscos relativos terá por base os dados do Global burden of disease (GBD) e metánalises atualizadas.
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 03/02/2020-28/02/2022
Foto de perfil

Rosely Sichieri

Ciências da Saúde

Nutrição
  • evolução do consumo alimentar no brasil de 2008-2009 para 2017-2018: análise dos inquéritos nacionai
  • Na Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) do Brasil, realizada em 2008/2009 foi incluído um instrumento de coleta de informações de consumo individual de alimentos, denominado Módulo de Consumo - POF7. Esse esforço para obtenção do perfil de consumo da população brasileira com 10 anos ou mais de idade foi uma parceria da Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição (CGPAN antiga) com o IBGE e o seu desenvolvimento e analise foram coordenados por mim e pela professora Rosangela Pereira da UFRJ, mas seu desenvolvimento contou com o apoio de especialistas em nutrição de todo o país. Uma nova edição da POF coletou dados até agosto de 2018 e a definição dos instrumentos de coleta contou com grupo de coordenação ampliado que irá também fazer a análise de dados de consumo individual. A coordenação desse modulo incorporou duas novas parcerias: a professora Edna Massae Yokoo, da UFF e a professora Dirce Maria Lobo Marchioni da USP. O presente projeto propõe avaliar os dados desse módulo de consumo individual em relação a: 1) alimentos mais consumidos dentro e fora do domicilio; 2) adequação de consumo de macro e alguns micronutrientes; 3) comparação das estimativas de consumo de 2008-2009 com as de 2017-2018, para adolescentes, adultos e idosos. Adicionalmente serão atualizados os dois softwares: Brasil Nutri e Erica- consumo, com a base de dados da POF para utilização por pesquisadores da área. Ainda, os recursos serão utilizados para realizar adicionais medidas bioquímicas do estudo de validação do instrumento utilizado em 2018, sendo que o Principal Investigador dessa proposta é a professora Dirce ML Marchioni.
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosemar Batista da Silva

Engenharias

Engenharia Mecânica
  • monitoramento da integridade de peças submetidas ao processo de retificação por meio da técnica da impedância eletromecânica
  • A busca por técnicas de monitoramento de processos de fabricação em tempo real e que sejam confiáveis e rápidas tem sido o foco de muitas pesquisas. E especificamente na retificação, por ser quase um dos últimos processo na cadeia de manufatura, a atenção tem sido no sentido de encontrar técnicas não destrutivas de avaliação de integridade de superfícies dos componentes usinados que sejam rápidas e confiáveis. Em algumas situações, apenas pelo método de observação visual e pelo acabamento da peça não é possível identificar se houve danos térmicos (alteração na dureza ou microtrincas por exemplo). E esta identificação exige o corte e preparação de amostra da peça, às vezes líquidos penetrantes ou ainda medição de tensões residuais. Ao realizar análise metalográfica configura-se uma técnica destrutiva além de demandar tempo, insumos, máquina e energia elétrica. No caso da medição de tensão residual, os equipamentos possuem elevado custo. Por outro lado, se a peça não é inspecionada e ela sofreu alteração de dureza além do permitido para cada aplicação ou trinca (que só se revela com a presença de ácido clorídrico, por exemplo), ela irá perder a sua funcionalidade e consequentemente será descartada. Neste sentido, a técnica da impedância eletromecânica (IEM), que tem características não destrutivas, e que já vem sendo empregada com sucesso em aplicações da construção civil, aeroespacial, dentre outras, para detecção de danos estruturais, destaca-se como uma opção para aplicação em processos de usinagem, como a retificação. Aos serem retificadas as peças estão mais propensas a danos de origem térmica e podem comprometer a funcionalidade delas e levar a prejuízos. Nesta técnica são empregados sensores piezelétricos de PZT (titanato zirconato de chumbo) de baixo custo que são colados às peças para monitorar mudanças na rigidez da estrutura e na massa dos componentes. A técnica IEM se baseia na função de resposta em frequência e, partir da resposta dinâmica da estrutura, o sensor de PZT se deforma, gerando um campo elétrico. Embora a diferença de potencial aplicada em uma sensor de PZT seja inferior a 1V, ela gera uma alta frequência de excitação em determinados pontos da estrutura, logo caso algum dano como deformação plástica ou trinca ocorra na estrutura da peça, a resposta dinâmica da mesma é alterada e, portanto, detectada através da resposta elétrica do sensor de PZT. E a identificação do dano é obtida por meio da comparação entre os valores da impedância elétrica do transdutor medida com a estrutura (peça) em sua condição inicial (sem dano) e da impedância medida após a estrutura ter sofrido um possível dano, no caso após o processo de retificação. Por fim, a comparação é expressa por meio de índices de falha métrica. E por ainda terem sido encontrados apenas dois trabalhos científicos publicados na Língua Inglesa sobre aplicações da técnica IEM em processos de retificação, sendo um deles aquele gerado como resultado do pós doutoramento deste proponente (disponível em https://link.springer.com/article/10.1007/s00170-018-2390-2) sob a supervisão do Prof. Fabrício Baptista. O outro foi gerado no doutorado de Marchi (disponível em http://iopscience.iop.org/article/10.1088/0957-0233/26/4/045601/meta) sob a orientação do prof. Paulo Aguiar. Nestes dois trabalhos foram analisadas apenas correlação das assinaturas de impedância com a rugosidade e coloração da peça (trabalho de Marchi), microdureza na superfície e tensões residuais, além de ter sido investigado apenas uma pequena faixa de velocidade da peça e de penetração de trabalho para apenas um material da peça (aço para moldes). Com estes trabalhos surgiu a motivação para a elaboração deste projeto de pesquisa por perceber que há ainda muito a ser explorado sobre a técnica IEM. Por exemplo, se a dimensão e massa das peças, a forma de preparação das amostras, diâmetro dos fios nos sensores PZT, temperatura do recipiente em que são colocadas as amostras para medição, posicionamento do sensor PZT, velocidade de corte e tipo de rebolo influenciam nas assinaturas de impedância, como também qual dos índices de cálculos de falha métrica apresenta melhor correlação com os parâmetros que configuram danos térmicos em peças retificadas. Neste projeto, a eficiência da técnica IEM será avaliada na integridade de peças em aço endurecido e no Inconel 718. E além do aspecto científico e tecnológico, a intenção é estender o que foi iniciado em IEM na UNESP para o Lab. de Usinagem da UFU para as pesquisas em retificação, oferecendo mais uma ferramenta de apoio para identificar danos térmicos nas peças usinadas. Das pesquisas desenvolvidas por este proponente e da literatura, sabe-se que o Inconel 718 é mais susceptível a danos térmicos que muitos aços, que comprometem o seu desempenho, especialmente por que ele é muito empregado em aplicações aeronáuticas, portanto as peças devem ser isentas de danos estruturais, fazendo dele um material adequado para ser avaliado nesta proposta. Na proposta serão variadas as velocidades de corte e da mesa, penetração de trabalho, dimensões das amostras, granulometria do rebolo convencional, dressador e fluido de corte. Quanto ao procedimento de medição da impedância, incluem-se resumidamente a preparação da superfície da peça para a colagem do sensor de PZT, montagem dos terminais no sensor, conexão dos fios à placa de aquisição de sinais e ao computador (ambos a serem adquiridos com recursos deste projeto) com o programa específico para o tratamento dos sinais que foi desenvolvido por (Baptista, 2010). Portanto, por causa da parceria estabelecida entre os integrantes deste projeto, interinstitucional e com outras IES, acredita-se que a aprovação deste projeto permitirá a geração de novos produtos, como depósito de patente e publicações em periódicos de alto rigor editorial, integração entre pesquisadores e, sobretudo, a formação continuada de recursos humanos.
  • Universidade Federal de Uberlândia - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosemary Aparecida de Carvalho

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • incorporação de compostos ativos naturais utilizando-se a técnica de impressão em matrizes poliméricas produzidas por tape-casting
  • A utilização de filmes de desintegração oral como meio de liberação de agentes ativos ou fármacos na mucosa da boca vem crescendo nos últimos anos, devido à facilidade de absorção destes agentes sem a necessidade de água, causando grande aceitação pelos pacientes. Dentre as macromoléculas naturais, a quitosana e a hidroximetilpropil celulose (HPMC) se destacam, devido à capacidade de formação de filmes de desintegração oral, além de sua biocompatibilidade, biodegradabilidade, não-toxicidade e baixo custo. Porém, um dos grandes problemas envolvendo a produção de filmes orais adicionados de princípios ativos está na forma de incorporação destes agentes na matriz, uma vez que os métodos comuns podem degradar o produto. Dentre as técnicas utilizadas para incorporação de agentes à uma matriz polimérica, o método de impressão, que consiste na adição de uma camada do agente ativo no filme, através de uma impressora comum, tem se destacado. Através desta técnica é possível se preparar filmes de maneira personalizada e com maior precisão. A própolis, uma resina complexa proveniente das abelhas, é conhecida por suas propriedades antifúngicas, antioxidantes e anti-inflamatórias, podendo ser adicionadas aos filmes de desintegração oral, promovendo efeitos benéficos aos pacientes, como no tratamento de queimaduras, diabetes, feridas cirúrgicas entre outros. Assim, o objetivo deste estudo será a produção e caracterização de filmes de desintegração oral à base de quitosana e HPMC, adicionados de extrato de própolis verde pela técnica de impressão. O extrato da resina da própolis será avaliado quanto à concentração de compostos fenólicos, pelos métodos de Folin-Ciocalteu, além das análises de poder redutor (FRAP) e sequestro de radicais livres (DPPH•). Serão produzidos filmes de desintegração oral à base de quitosana e HPMC, pela técnica de tape-casting, e à eles serão adicionados quantidades diferentes de extrato etanólico de própolis, determinado pelo número de camadas impressas nos filmes (1 a 4 camadas). Estes serão caracterizados quanto ao conteúdo de água, matéria total solúvel, propriedades mecânicas (tração na ruptura, elongação e módulo elástico), cor, opacidade, angulo de contato, espectroscopia de infravermelho com transformada de Fourier (FTIR), microscopia eletrônica de varredura (MEV), pH de superfície e estabilidade. Além disso, serão realizados testes de atividade antioxidante e anti-inflamatória nos filmes.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Rosemary Dore Heijmans

Ciências Humanas

Educação
  • processos de evasão e permanência estudantil no instituto federal de minas gerais e suas relações com os cursos técnicos, os cursos de licenciatura e o desenvolvimento de pesquisa científica e aplicada
  • O presente projeto propõe analisar processos associados à evasão e à permanência de estudantes em cursos técnicos de nível médio e em cursos superiores de licenciatura, bem como a relação entre esses processos e o envolvimento dos estudantes com a pesquisa científica e aplicada realizada nas instituições que compõem o Instituto Federal de Minas Gerais. Constitui-se num desdobramento e aprofundamento de duas pesquisas coordenadas pela proponente, entre 2008 e 2015, sobre a educação profissional, evasão e permanência escolar em Minas Gerais. Ambas as pesquisas tiveram apoio do CNPq (Bolsa de Produtividade) e do Programa Observatório da Educação (CAPES/INEP). O trabalho abordou diferentes aspectos da educação profissional: a organização dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, a formação e o trabalho docente, o sucesso dos estudantes, assim como três formas de saída da educação técnica: o abandono escolar, a transição para o mundo do trabalho e a transição para o ensino superior. A pesquisa envolveu 37 instituições da Rede Federal de Educação Profissional de Minas Gerais, aplicando-se 1.769 questionários aos estudantes, 689 aos docentes e 46 aos gestores. Com o presente projeto, pretende-se continuar o estudo sobre a educação profissional no ensino técnico de nível médio, com ênfase na pesquisa qualitativa, possibilitando a triangulação com as informações que constam do banco de dados quantitativo, construído na pesquisa anterior, abrangendo informações sobre discentes, docentes, gestores e instituições da rede federal de educação profissional. O projeto também introduz novas perspectivas: a evasão na educação superior tecnológica e a exploração da relação entre permanência escolar e envolvimento de estudantes com a pesquisa científica desenvolvida nas instituições. Considerando o enfoque qualitativo da problemática a ser analisada, o universo da pesquisa foi delimitado às unidades do Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG). Assim, com base em reflexões fundamentadas no contexto empírico do IFMG, este projeto busca contribuir para o avanço do debate sobre o fenômeno da evasão e a identificação de estratégias e políticas que sustentem a permanência dos estudantes no sistema educacional.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021
Foto de perfil

Rosemary Hoffmann Ribani

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • valorização dos frutos, subprodutos e resíduos das palmeiras nativas brasileiras (maximiliana maripa e euterpe edulis) como fonte de compostos bioativos e nutricionais.
  • O território brasileiro possui um valioso reservatório de palmeiras nativas e a investigação de suas espécies têm contribuído com a preservação e valorização da biodiversidade brasileira. Pesquisas com os frutos e subprodutos dessas palmeiras podem impulsionar outras opções de exploração agrícola para o país de forma racional, sustentável e eficiente. Além disso, a investigação de fontes não convencionais de alimentos pode contribuir para a redução da exploração excessiva dos recursos ou esgotamento das matérias-primas e encontrar produtos com novas características tecnológicas, com propriedades bioativas inerentes e com melhor valor nutricional. Dentre as palmeiras nativas, duas foram escolhidas como objeto de estudo desta proposta, as espécies Maximiliana maripa (Aubl.) Drude e Euterpe edulis, devido ao potencial nutricional dos seus frutos. Embora o projeto tenha sido proposto inicialmente para essas duas espécies, este servirá como base para outras investigações. O inajazeiro (Maximiliana maripa (Aubl.) Drude) é encontrado em toda a Amazônia brasileira, tendo sua maior incidência no estado do Pará, no estuário do Rio Amazonas, chegando até o Maranhão (Bezerra, 2011). Os frutos do Inajá podem ter 100% de aproveitamento, pois do mesocarpo obtém-se óleo (37,16%), proteína (14,25%) e água (5,80%), enquanto as amêndoas produzem 59,28% de óleo, 19,25% de proteínas e 5,8% de água, além de outros materiais (Pesce, 1947). Um dos produtos de potencial industrial obtido a partir da polpa do fruto de Inajá é o seu óleo, que pode ser extraído a partir de diferentes técnicas como as convencionais, utilizando solventes orgânicos (Soxhlet), ou ainda técnica não convencional (extração supercrítica com CO2). Além do óleo, após a extração, é gerada uma farinha desengordurada que, por sua vez, também possui potencial de exploração industrial. A partir da farinha de Inajá pode ser extraída a fração amilácea ainda não caracterizada em estudos quanto às suas propriedades físico-química, térmicas, morfológicas e funcionais. A espécie Euterpe edulis Mart. é uma das palmeiras mais representativas da floresta tropical Atlântica, também conhecido popularmente como juçara. É uma das espécies nativas mais exploradas desse ecossistema, devido ao alto valor comercial do palmito oriundo do corte do meristema apical, o que implica na morte da palmeira. Assim, a utilização dos frutos tem sido apontada como alternativa e estratégia importante para a conservação dessa espécie. Os frutos de juçara apresentam propriedades sensoriais e nutricionais semelhantes ao açaí da Amazônia (Euterpe oleracea e Euterpe precatoria) (Troian et al., 2014). A polpa de juçara apresenta-se como potencial fonte de antioxidantes naturais e de compostos fenólicos, principalmente antocianinas (Bicudo et al 2014). Os seus frutos são comumente utilizados na produção de polpa congelada. Entretanto, somente 26% do fruto de juçara corresponde à polpa da fruta. O resíduo remanescente é composto de endocarpo fibroso (semente ou coquinho) e borra. A borra é obtida após o peneiramento da polpa para retirada de casca e fibras, e carrega em sua composição os constituintes bioativos da polpa, porém em frações menores. Com exceção da polpa, os subprodutos oriundos do processamento, em sua maioria são descartados, utilizados para replantio, ou empregados em artesanatos. Tendo em vista que muitos subprodutos podem conter importantes teores de nutrientes e de compostos bioativos, a valorização desses produtos secundários apresenta-se não só como uma necessidade, mas como uma oportunidade de obtenção de novos produtos com melhor valor agregado. Os subprodutos, segundo o processamento e a matéria-prima de origem, podem conter níveis variáveis de nutrientes básicos lipídeos, proteínas, minerais, carboidratos, componentes funcionais (peptídeos bioativos, vitaminas, carotenóides, antocianinas, compostos fenólicos, entre outros). Os produtos elaborados a partir dessas fontes não convencionais podem vir a incluir novos aditivos e ingredientes alimentares com propriedades tecnológicas e funcionais diversificadas. Um dos grandes desafios atuais centra-se no desenvolvimento dos processos biotecnológicos e químicos envolvidos na recuperação desses nutrientes básicos e dos compostos funcionais relevantes. A recuperação desses componentes pode compreender várias fases que, dependendo do grau de pureza a atingir, apresenta grau crescente de complexidade. Neste sentido, o grupo de pesquisa orientado pela professora proponente Dra. Rosemary H. Ribani tem apresentado resultados importantes relacionadas ao estudo de matrizes alimentares não convencionais, subprodutos ou não, de espécies nativas do Brasil. Trabalhos recentes apontam a obtenção de amido bioativo a partir de fontes não convencionais, como de semente de nêspera (Eriobotrya japônica) (Barbi et al., 2018), de resíduo de cúrcuma da Amazônia (Curcuma longa L.) (Hornung et al., 2018) e de espécies de inhame (Dioscoreaceas sp) (Hornung et al. 2017a). Outros trabalhos recentes do grupo apontam a extração de óleos a partir de amêndoas não convencionais, como a sapucaia (Lecythis pisonis Cambess.) (Teixeira et al., 2018). Neste sentido, o objetivo da presente proposta é a caracterização, identificação e extração de compostos bioativos e majoritários de frutos de inajá e dos resíduos da despolpa de frutos de juçara (semente e borra). Os compostos isolados a partir dessas matrizes também serão avaliados com relação ao potencial antioxidante e propriedades funcionais. Finalmente, visando o emprego de tecnologias limpas e matrizes sustentáveis o presente projeto propõe ainda o uso dos componentes estruturais extraídos dessas matrizes para formulação de embalagens biodegradáveis. Ainda, também é proposta a incorporação de compostos bioativos, como antocianinas e compostos fenólicos visando conferir a essas embalagens propriedades antioxidantes, antimicrobianas ou permitir a elaboração de embalagens inteligentes.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022