Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Vivian Vasconcelos Costa

Ciências Biológicas

Morfologia
  • novas opções terapêuticas para o tratamento da síndrome congênita do zika: papel de drogas neuroprotetoras e antivirais.
  • Nos anos de 2015/16, foi observado um aumento da prevalência de microcefalia em estados Brasileiros com transmissão confirmada do Zika virus e co-circulação de outros Flavivirus, em comparação aos estados sem transmissão. Recentemente, os primeiros estudos realizados em uma coorte dessas crianças de 19-24 meses de idade demonstrou que a microcefalia é apenas o cenário patológico mais grave. Crianças nascidas na mesma época, mas não diagnosticadas ao nascimento, desenvolveram complicações motoras e neurológicas de gravidade variada (visão, audição, fala, cognição e locomoção). Entretanto, ainda não se sabe qual o impacto dessas alterações a longo prazo nesses indivíduos. Dados preliminares do nosso grupo, utilizando um modelo embrionário de infecção pelo ZIKV, demonstram que a infecção intrauterina em camundongos induz a ocorrência do fenômeno de ativação imune materna (MIA) e que esse fenômeno é potencializado na presença de imunidade previa para outros Flavivirus, via fenômeno de intensificação dependente de anticorpos (ADE). A ocorrência destes fenômenos impactam diretamente o neurodesenvolvimento da prole, causando consequências que vão desde o período gestacional ate a fase adulta. Utilizando modelos in vitro de cultura primaria de neurônios e in vivo de infecção de camundongos adultos altamente susceptíveis a infecção pelo ZIKV (linhagem A129), demonstramos recentemente o papel terapêutico de duas drogas (uma neuroprotetora e outra antiviral) durante a infecção pelo ZIKV, entretanto a validação desses resultados em um modelo mais ecológico e translacional que mimetize a síndrome congênita do Zika e suas consequências torna-se necessária. Assim, o objetivo do presente projeto visa avaliar o papel terapêutico isolado e sinérgico de drogas neuroprotetoras (memantina) e antivirais (peptídeo AH) na prevenção das consequências da síndrome congênita do Zika. Para isso, utilizaremos um modelo de infecção congênita pelo ZIKV na presença e ausência de imunidade previa a outros Flavivirus. Avaliaremos o efeito isolado e sinérgico destes fármacos em prevenir o desenvolvimento de manifestações neuropsiquiátricas e motoras graves, bem como investigaremos os mecanismos celulares e moleculares associados com a proteção de tais alterações. Esperamos assim, contribuir para a identificação de potenciais alvos terapêuticos contra essas manifestações.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022