Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Heraldo Luis de Vasconcelos

Ciências Biológicas

Ecologia
  • impactos antrópicos sobre a biodiversidade do cerrado e os processos ecológicos na região do triângulo mineiro e sudeste de goiás
  • Um dos principais desafios da ecologia e da biologia da conservação é compreender os direcionadores dos padrões de biodiversidade e como a ação humana está alterando estes padrões. Este conhecimento é necessário para melhor protegermos a diversidade regional e os serviços ecossistêmicos, para a implementação de ações efetivas de manejo e para prevenir a perda de espécies e a homogeneização das comunidades. A transformação e a perturbação dos ecossistemas naturais quase que invariavelmente causam perda de diversidade. Entretanto, as respostas de diferentes grupos taxonômicos, ou mesmo de diferentes espécies de um mesmo grupo, às ações humanas, tendem a ser idiossincráticas. Algumas espécies são capazes de sobreviver e proliferar nos ambientes alterados e podem ser favorecidas pela ação humana. De outro lado, há espécies que não toleram as novas condições e assim eventualmente só conseguem sobreviver em paisagens pouco modificadas. Assim, uma questão fundamental é saber quantas e quais espécies persistem nas paisagens modificadas pelo homem e quais são as características que as diferem das espécies dependentes das áreas naturais. O Cerrado, bioma que abriga a savana mais biodiversa do mundo, está seriamente ameaçado pelo desmatamento. Esta situação não é diferente na área de estudos do sítio “Triângulo Mineiro e Sudeste de Goiás” (TMSG) do Programa Ecológico de Longa Duração (PELD-CNPq), onde grande parte da vegetação nativa foi substituída por pastagens, cultivos e áreas urbanas. Ainda assim, 25% da área total de abrangência deste sítio (136.784 km2) abriga manchas de florestas estacionais, cerrados de estrutura variável, ou vegetação campestre em relativo bom estado de preservação. Entretanto, há evidências de que diversos fatores poderão comprometer a conservação da biodiversidade na região do Triângulo Mineiro e Sudeste de Goiás. Um destes é a intensificação da agricultura. Outro fator são as mudanças climáticas e as alterações no regime natural de fogo. As temperaturas máximas anuais na região do sítio TMSG aumentaram 2,5oC em apenas 40 anos, enquanto a quantidade de focos de incêndio aumentou de maneira exponencial nos últimos 15 anos. Por outro lado, a supressão do fogo em reservas de cerrado está promovendo um adensamento da vegetação e a ocorrência de incêndios de alta severidade, os quais ameaçam a conservação das espécies e das interações ecológicas nestas reservas. Também, com o aumento da atividade agrícola e com a expansão das áreas urbanas e industriais na região a poluição tornou-se um motivo de preocupação. Esta pode causar não apenas a extinção local de espécies, mas também, como demonstrado recentemente por pesquisadores do sítio TMSG, causar alterações no núcleo das células sanguíneas, no perfil leucocitário e/ou no padrão de vocalização das aves nativas. Da mesma forma, estudos desenvolvidos pelo sítio TMSG, indicam que o aumento nas deposições atmosféricas de nitrogênio pode afetar a ciclagem de nutrientes e favorecer o processo de invasão biológica em áreas nativas do Cerrado. Desta forma, o sítio TMSG, encontra-se em uma posição ímpar para avaliar como a poluição, as mudanças climáticas, no uso da terra, e no regime de fogo irão afetar a biodiversidade do Cerrado. Desenvolvemos estudos de longo prazo nas unidades de conservação da região além de realizar coletas esporádicas nos diversos elementos da paisagem regional (i.e., em áreas urbanas, áreas agrícolas, pastagens e reflorestamentos). Propomos aqui utilizar as séries temporais de dados resultantes destes estudos (obtidas para diferentes grupos taxonômicos) para avaliar eventuais tendências populacionais. Nossas análises preliminares com comunidades de árvores, abelhas Euglossini e formigas arborícolas, mostram que eventos severos de perturbação (e.g. incêndios de alta intensidade, alterações no nível do lençol freático) tem efeitos marcantes sobre a dinâmica destas comunidades. Entretanto, pouco sabemos sobre como as espécies individuais respondem à estas mudanças e quais eventualmente são as características (traços) das espécies que as fazem mais ou menos resistentes à perturbação. Ademais, utilizaremos dados obtidos (durante fases anteriores de nosso projeto assim como na fase proposta aqui) em múltiplas áreas e em múltiplos usos da terra para a) determinar os impactos das mudanças no regime natural de queimadas e no uso da terra sobre a diversidade taxonômica, funcional e filogenética da biota; b) determinar quais espécies persistem nas paisagens modificadas pelo homem e quais são as características que as diferem das espécies dependentes das áreas naturais; c) determinar a importância das estrutura da paisagem em explicar a probabilidade de ocorrência das espécies; e d) desenvolver modelos de distribuição de espécies na área de estudo. Daremos continuidade aos estudos que têm avaliado os efeitos da poluição do ar e do aumento nas deposições atmosféricas de nitrogênio. Avaliaremos até que ponto as alterações fisiológicas e comportamentais correlacionam-se aos níveis locais de poluição atmosférica. Continuaremos a avaliar os efeitos da fertilização experimental com nitrogênio (em curso desde 2007) sobre a biomassa de gramíneas nativas e exóticas e o recrutamento de plântulas. Avaliaremos também o impacto de moluscos invasores sobre a fauna de reservatórios artificiais. A difusão e transferência do conhecimento obtido se darão através: 1) da publicação de artigos em periódicos acadêmicos especializados; 2) da elaboração e publicação de artigos de divulgação científica; 3) da formação de recursos humanos qualificados (alunos de graduação e pós-graduação) para trabalhar com a temática “Biodiversidade do Cerrado”; 4) da divulgação de informações sobre o sítio e seus resultados dentro do nosso website, e 5) através de palestras e atividades lúdicas (com alunos de escolas públicas) de educação ambiental.
  • Universidade Federal de Uberlândia - MG - Brasil
  • 03/12/2020-31/12/2024
Foto de perfil

Hercules Nunes de Araujo

Ciências da Saúde

Medicina
  • estudo da fisiopatologia de doenças neuropsiquiátricas
  • Vide projeto anexo
  • Universidade do Sul de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 01/04/2020-31/03/2025
Foto de perfil

Herman Sander Mansur

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • desenvolvimento de produtos multifuncionais e individualizáveis para o tratamento de lesões de diabetes: bioengenharia de tecido epitelial
  • A pele é o maior tecido do corpo humano e possui uma estrutura complexa, além disso, desempenha diversas funções essenciais. Portanto, lesões na pele causadas por doenças crônicas e degenerativas como câncer e diabetes afetam a sua integridade necessitando auxílio no reparo de suas funções. Dados de 2019 colocam o Brasil em quinto lugar no mundo em número de pessoas acometidas por Diabetes Mellitus (DM). Segundo a International Diabetes Federation (IDF) nesse ano foram cerca de 16 milhões de adultos acometidos e cerca de 50 bilhões de dólares com gastos relacionados ao DM no Brasil. Lesões ulcerosas nos membros inferiores estão entre as complicações mais frequentes em pacientes com DM e suas consequências podem ser dramáticas para a vida do indivíduo, desde feridas crônicas dolorosas e infecções, até levando a amputações. Dados de 2016 do ministério da saúde apontam que 5,8% de pacientes com diagnóstico de DM há mais de dez anos apresentam feridas na região dos pés e a amputação dos membros inferiores ocorre em 2,4% desses pacientes. Até o momento, apesar de existirem diversas terapias tópicas para úlceras diabéticas, infelizmente nem sempre elas favorecem o processo de cicatrização. Em geral, o tratamento local para feridas crônicas se baseia em criar um ambiente limpo, protegido e úmido na área afetada que possibilite a cicatrização utilizando os materiais de curativo. O objetivo principal deste projeto de pesquisa científica, tecnológica e inovação é o desenvolvimento e a realização de ensaios exploratórios e não clínicos em novos produtos terapêuticos de engenharia tecidual direcionados para lesões ulcerosas de diabetes, que serão constituídos por células autólogas integradas ao suporte estrutural tridimensional baseado em hidrogéis de polímeros naturais biocompatíveis, atuando para favorecer e induzir o reparo da lesão, com a possibilidade de incorporação de diversas funcionalidades indutoras e terapêuticas e do conceito de medicina individualizada. Para atender este objetivo, os produtos de engenharia tecidual produzidos irão possuir propriedades biológicas, físico-químicas e mecânicas compatíveis com a aplicação e poderão incorporar, ainda, substâncias terapêuticas e regeneradoras como fármacos, fatores de crescimento, peptídeos e/ou outros bioativos de forma a obter um produto individualizado e multifuncional para tratamento para tratamento da ferida diabética Grau I nos Estágios A (ausência de infecção ou isquemia) ou B (com infecção), conforme classificação da Universidade do Texas. Este será o primeiro sistema multifuncional avançado “inteligente” para reparação de lesões epiteliais decorrentes de diabetes, um problema ainda sem solução, que é adaptável às especificidades do paciente pela integração de diferentes componentes/funcionalidades. Permite ainda, replicação para outros tipos de lesões epiteliais como aquelas provocadas por queimaduras, traumas, acidentes e outras doenças (melanoma e insuficiência vascular). Além da ineficácia, os impactos econômicos para o Sistema único de Saúde (SUS) das lesões ulcerosas associadas à DM são consideráveis envolvendo gastos com profissionais de saúde, exames de imagem e laboratório, medicamentos, procedimentos e terapias não farmacológicas, curativos, internações, sapatos e próteses ortopédicos e muletas, etc. Um estudo publicado em 2020 (https://doi.org/10.26633/RPSP.2020.32) estimou que os custos do SUS atribuíveis à diabetes no ano de 2018 foi de 1,04 bilhões de reais. Com os produtos desenvolvidos, que serão economicamente viáveis para o SUS, espera-se reduzir estes valores pelo aumento da eficiência dos processos de cicatrização, com redução os tempos de fechamento das feridas. Além disso, a presente proposta atende a missão do SUS que preconiza a universalização do acesso, integralidade da atenção, equidade, descentralização da gestão, hierarquização dos serviços e controle social.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 07/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Hernan Maycol Falla Luza

Ciências Exatas e da Terra

Matemática
  • geometria global de conexões, webs e folheações holomorfas.
  • Neste projeto serão abordados os seguintes assuntos: conexões sobre curvas e superfícies projetivas, geometria global de folheações, webs e arranjos de retas. Estamos interessados em espaços de moduli de campos de Higgs sobre uma superfície de Riemann, estruturas afins/projetivas logarítimcas em superfícies, folheações tóricas, folheações com feixe tangente decomponível e webs planas no plano projetivo. O objetivo principal do projeto é o a busca da classificação dos objetos propostos para estudo. Estes assuntos vem sendo trabalhados pelos pesquisadores do projeto e existem vários resultados de classificação obtidos para alguns casos particulares (como por exemplo estudo de conexões locais, folheações e webs de grau baixo). Algumas estratégias são: estudar a correspondência entre campos de Higgs e representações do grupo fundamental de uma superfície de Riemann; utilizar a correspondência entre estruturas projetivas, webs e vizinhanças de curvas racionais; estudar folheações por curvas tangentes a uma folheação dada. Para folheações em variedades tóricas a estratégia é estudar a estabilidade de folheações de tipo pull-back e logarítmicas; finalmente no caso de arranjos de retas, a proposta é relacionar os problemas da geografía de tais arranjos com propriedades de folheações associadas naturalmente a eles.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 04/04/2022-30/04/2025
Foto de perfil

Hernán Ramiro Ramírez

Ciências Humanas

História
  • configuração e crise de um novo homem para novas relações de trabalho: o caso brasileiro em perspectiva transdisciplinar e global
  • As formas de trabalho têm se transformado para se ajustar a etapas de sucessivos modos de produção, inclusive modelando as características humanas e sociais, para se adequar a essas condições. Na atual etapa capitalista, esse processo possui um ponto de inflexão em torno do início da década de sessenta, quando o modelo fordista começa a mostrar limitações e uma nova etapa passa a ser desenhada. Abriu-se ali um extenso período que aprofunda essas mudanças para que o capitalismo pudesse atender os desafios da transformação paradigmática que se operava, pois se bem conserva ainda a estrutura fordista de produção, os câmbios tecnológicos permitem um avanço acelerado, que supostamente as velhas condições de produção atravancam, as que devem ser removidas para permitir, em tese, seu desenvolvimento. No Brasil, o modelo substitutivo entra em crise e a solução foi a adoção de outro, que passou a ser definido como neoliberal, no qual seus imperativos se centram em liberar as forças ao jogo do mercado, inclusive o trabalho, com menos restrições, para o qual se realizam diversas investidas para transformar não apenas a legislação em curso, mas suas bases ideológicas, pois o novo trabalhador pressupõe a subjetivação de um novo homem, com qualidades e capacidades diferentes. Dentro desse universo, as formas de trabalho de revolução 4.0 aparecem como as mais relevantes, um dos objetos desta pesquisa, para o qual foi necessário educar, em sentido amplo, esses novos homens e trabalhadores, assim como introduzir mudanças na regulamentação, para o qual instituições e agentes passam a agir. Estudaremos esse fenômeno no Brasil numa perspectiva transversal e global, focando na sua evolução no longo prazo, em particular a adequação social das formas de trabalho, seja por meio da legislação ou das ações educativas, em particular as promovidas por entidades empresariais ou da sociedade civil, com estudos empíricos e teóricos sobre casos particulares detalhados para cada pesquisador.
  • Universidade do Vale do Rio dos Sinos - RS - Brasil
  • 18/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Hernandes Faustino de Carvalho

Ciências Biológicas

Morfologia
  • instituto nacional de ciência e tecnologia em fotônica aplicada à biologia celular - infabic
  • Em cinco anos, o INFABiC criou uma estrutura de pesquisa de alto impacto para a ciência brasileira, em uma área do conhecimento associada à próxima revolução científico-tecnológica, a biologia celular. Isto se deve tanto à infraestrutura ultra moderna do parque de equipamentos disponíveis, como à forma de organização para a utilização desse laboratório, com total suporte técnico e científico de uma equipe multidisciplinar. A contrapartida da UNICAMP contratando dois PhDs para apoio à pesquisa foi fundamental na operacionalidade e manutenção dos equipamentos, permitindo acesso universal. Além disso, o corpo permanente, coordenação e pessoal de apoio à pesquisa, garantem que a memória de experimentos bem sucedidos seja transferida a outros usuários. Mais de 60 grupos, de quatro regiões (nordeste, centro-oeste, sul e sudeste) do País, utilizaram a infraestrutura do INFABiC, em um processo de aprendizado coletivo nesse primeiro período. Assim, métodos como microscopia TPEF, SHG, FLIM, FRET fazem hoje parte do cotidiano de vários pesquisadores em ciências da vida. A sinergia associada à criação de uma plataforma multimodal com a forma de atuação do INFABiC evita atividades fragmentadas e tecnicamente isoladas. A organização de workshops teórico-práticos, para mais de 300 participantes, tem difundido o conhecimento do instituto na comunidade científica. A plataforma multimodal integrada de microscopias fotônicas, única no Brasil, inclui hoje técnicas de fluorescência multifóton; FLIM; FRAP; FRET; FCS; spinning disk para aquisição com taxas de até 1000 quadros/segundo; técnicas de óptica não linear SHG, SFG, THG e CARS, espectroscopia Raman, super resolução near field AFM/Tip enhancement, e sistema de manipulação e medidas biomecânicas de pinças ópticas e corte a laser. Inclui também uma unidade de criação e manutenção de Zebrafish (Danio Core). Essa infraestrutura e organização atraíram para a equipe desta proposta tanto pesquisadores sêniores quanto jovens com alto potencial, com propostas mais ousadas no estudo de aspectos dinâmicos, quantitativos e mecanísticos de células, organelas e moléculas únicas em vários modelos biológicos. Deste modo, a nova proposta para o INFABiC pretende fomentar a interação entre subgrupos deste conjunto ampliado de pesquisadores, e alavancar a pesquisa científica em alguns temas chave em biologia celular, principalmente (1) ciclo celular/diferenciação celular/câncer; (2) biologia de vasos/angiogênese e (3) microbiologia. Alguns destes temas aproximam-nos da pesquisa translacional, em consonância com nossas colaborações com outros INCTs da área médica. Reforçaremos a busca por modelos dinâmicos integradores, como cultivo celular in vitro e utilização de Zebrafish, minimizando o uso de mamíferos em experimentação animal. Pretendemos também mapear o que há disponível no País e nos tornar depositários de vetores, construções customizadas acopladas com proteínas fluorescentes, expressão de proteínas recombinantes, permitindo o acesso a vários animais transgênicos, para acelerar o acesso a estes insumos específicos. Para realizar pesquisa no estado da arte nos temas citados acima, e no contexto da expansão do INFABiC, propomos ampliar/estimular o uso das técnicas disponíveis no aprofundamento destes estudos biológicos bem como adquirir um sistema de super resolução com capacidade de acompanhar a trajetória de moléculas isoladas em 3 dimensões. Esse sistema será utilizado, por exemplo, na pesquisa de bioquímica em moléculas isoladas (in singulo), numa área pouco explorada no país. Entre os métodos mais sofisticados disponíveis, pretendemos ampliar o número de estudos de interação entre proteínas utilizando FRET-FLIM; estimular o uso de FCS na observação de reações bioquímicas em poucas moléculas e do tip-enhancement, combinado com as pinças ópticas, para estudos de bioquímica in singulo. Além disso, a inclusão de novas expertises no grupo de pesquisadores, em áreas como engenharia, química e farmácia permitirá a inclusão de ferramentas de modelagem, síntese orgânica e de novos fármacos, microengenharia e microfluídica, na solução de questões de interesse do grupo, encorajando a abordagem de questões mais complexas. Um outro ponto importante é a realização de ação transformativa, especialmente nos laboratórios associados do tipo II, permitindo que atuem como agentes difusores locais dos objetivos do INFABiC. Para este fim, procuraremos estimular a formação de subredes que ultrapassem os limites geográficos, a partir de aumento significativo na mobilidade dos pesquisadores de nossa equipe. Além disso, equiparemos alguns centros com técnicas mais básicas, desonerando a utilização dos equipamentos atuais, acoplados a métodos mais sofisticados. Ampliaremos também nossa atuação em ensino de óptica/fotônica, biologia celular e molecular, análise de imagens, filosofia da ciência e método científico, nos diversos níveis da educação formal, incluindo mecanismos didáticos e EAD, para termos abrangência nacional. Grande parte de nossas ações serão centradas na Rede Virtual de Biologia Celular Avançada de Campinas, que planejamos lançar logo no primeiro ano de atividades. A adoção da Biologia Celular e Molecular e a busca por abordagens mecanísticas como eixo norteador da proposta tornou possível agrupar uma equipe multidisciplinar em temas de pesquisa e expertises, capaz de agir de forma integrada na produção de resultados que ultrapassam a simples junção casual de esforços, no sentido literal de sinergismo. A continuidade do financiamento para o INFABiC garantirá a coesão da equipe e o seu funcionamento em rede, ultrapassando barreiras geográficas e institucionais.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 28/11/2016-30/11/2024
Foto de perfil

Heulália Charalo Rafante

Ciências Humanas

Educação
  • uma plataforma digital para gestão de dados multimídia do acervo histórico obtido nas sociedades pestalozzi do rio de janeiro e de minas gerais
  • As pesquisas nas Sociedades Pestalozzi do Rio de Janeiro e de Minas Gerais, no desenvolvimento do Projeto Universal (01/2016), resultou no registro do acervo histórico dessas instituições no formato JPEG, totalizando trinta mil fotografias, que trazem importantes contribuições para as pesquisas sobre a História da Educação Especial no Brasil, uma vez que as Sociedades Pestalozzi foram hegemônicas nesse campo nas décadas de 1960 a 1990, período contemplado pelas referidas fotos. Nesse sentido, os objetivos são: organizar, catalogar, descrever, classificar, categorizar e disponibilizar, por meio de uma plataforma digital, o acervo das Sociedades Pestalozzi de Minas Gerais e do Estado do Rio de Janeiro, criando um guia de fontes online, além de identificar temas de pesquisa para serem desenvolvidos pelos alunos envolvidos. A organização do acervo será orientada pelas normas internacionais de arquivística, efetivadas pelo Conselho Internacional de Arquivos, consolidada na General International Standard Archival Description (LOPES, 2002). A criação da plataforma digital estará sob a coordenação dos pesquisadores do Curso de Sistemas e Mídias Digitais, do Instituto Universidade Virtual (UFC), Gabriel Antoine Louis Paillard e Leonardo Oliveira Moreira, que compõem a equipe dessa proposta. Para a criação do guia de fontes, serão considerados os estudos sobre a teoria e a metodologia da História, a História da Educação Especial brasileira e os referenciais de Gramsci (2001), sobre a formação dos intelectuais e seu papel na construção e manutenção da hegemonia social e do domínio estatal. Busca-se apropriar dos principais referenciais do campo da História para orientar o trabalho; conhecer o contexto da Educação Especial no período da constituição das fontes; compreender as instituições supracitadas nas suas funções técnicas e no seu papel histórico, considerando sua relação com a sociedade e com o Estado
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 06/06/2022-30/06/2025
Foto de perfil

Heveson Luís Lima de Matos

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • desenvolvimento de conversores solares à base de silicatos contendo íons terras raras para aplicação na agricultura
  • Com a perspectiva de crescimento da população mundial haverá uma demanda cada vez maior por alimentos. Nesse contexto, garantir uma produção agrícola sustentável, sem a necessidade de abertura de novas áreas agricultáveis, compatível com o aumento da demanda por alimento é um desafio enorme para o setor. Os avanços tecnológicos recentes já vêm contribuindo para uma liberação mais controlada de insumos agrícolas e uso racional da água nos processos de irrigação. Entretanto, o estresse hídrico, cada vez mais frequente em algumas regiões do país, associado a alta taxa de emissão de luz UV, são alguns dos fatores que afetam a taxa de crescimento e produtividade da planta. Uma maneira de reduzir esses impactos na qualidade das safras é utilizando conversores solares, que absorvem na região do UV e emitem em comprimentos de onda úteis a planta (região do vermelho ou azul). Ambos correspondem aos comprimentos de onda de absorção dos carotenoides e da clorofila, melhorando os processos de manutenção da vida dos vegetais, tais como fotossíntese, nutrição, dentre outros. Dessa forma, o objetivo principal dessa proposta é produzir materiais luminescentes, atóxico e não bioacumulável, à base de silicatos dopados e/ou co-dopados com terras raras e investigar a sua capacidade de converter a luz UV em luz útil para a planta. Além disso, por outra via, também será realizada a síntese dos silicatos dopados e/ou co-dopados com terras raras a partir de precursores derivados de resíduos agroalimentares como, por exemplo, cinza de casca de arroz e casca de ovos Os materiais silicatos são excelentes matrizes hospedeiras para absorção na região do UV, e com boa estabilidade térmica e química. Por fim, a proposta tem potencial de inovação economicamente sustentável, que possa contribuir para uma agricultura verde e para a entrega de soluções de desenvolvimento sustentável da Agenda 2030 da ONU.
  • Universidade Federal do Oeste da Bahia - BA - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Hilda Petrs Silva

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • desenvolvimento de vetores de raav para terapia gênica neuroprotetora mediada por crispr/cas9
  • O glaucoma é uma doença neurodegenerativa e a principal causa de cegueira irreversível no mundo, que ocorre de forma progressiva e de início silencioso, na maioria dos casos. A perda progressiva da visão afeta a capacidade funcional e qualidade de vida, principalmente dos idosos. O envelhecimento da população fez o glaucoma saltar no Brasil de 900 mil casos em 2010 para 2,5 milhões em 2018. Com 2,2 milhões de atendimentos de pacientes com glaucoma pelo SUS no ano de 2016, a um custo de R$ 174,6 milhões e com aumento anual no número de pacientes, o glaucoma é considerado um problema de saúde pública com várias políticas públicas destinadas desde informar a população, à normativas de atendimento e tratamento para profissionais de saúde. A hipertensão ocular é o principal fator de risco para o glaucoma, porém, não é indispensável para progressão da doença, que pode evoluir para cegueira em até 40% dos glaucomatosos. As abordagens de tratamento baseiam-se todas na diminuição de pressão intraocular, ou pelo uso diário de colírios, que levam a muito efeitos colaterais indesejados, ou tratamento mais invasivo, cirúrgico. As evidências de que a abordagem de tratamento para diminuição da pressão intraocular não é suficiente para impedir a perda de visão, bem como as altas taxas de falhas na adesão ao tratamento, atingindo 30-70% dos pacientes, associado aos altos gastos, reforçam a necessidade de novas terapias de caráter neuroprotetor e permanente. Nesse contexto destaca-se a terapia gênica, um conjunto de técnicas de intervenção única, destinada a transferir material genético exógeno para células com finalidade terapêutica. É importante notar que, apesar do custo elevado para o Sistema Único de Saúde no Brasil, um medicamento de aplicação única tem potencial de reduzir gastos a longo prazo, quando comparado ao somatório dos custos de tratamento de algumas doenças. No presente projeto propomos o desenvolvimento de um produto de terapia avançada baseado na tecnologia de CRISPR-Cas9 com emprego de vetores de vírus adeno-associado recombinante, para terapia gênica permanente do glaucoma por inserção do transgene neuroprotetor MAX nas células ganglionares da retina, aplicado por injeção intravítrea, técnica simples e com baixos efeitos colaterais.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 07/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Hilma Helena Macedo de Vasconcelos

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • tomografia e análise de dados de estados quânticos em sistemas fotônicos e dispositivos semicondutores
  • Estimar o estado de um sistema quântico é uma ferramenta importante para o processamento de informações quânticas. Ele permite, por exemplo, quantificar a precisão dos estados preparados, diagnosticar erros nos estados e estimar propriedades como medidas de emaranhamento. Esse projeto tem dois eixos: 1) Desenvolver um método para inferir a compressão, temperatura e magnitude de deslocamento de um sistema com base nas medições do estado de Fock e 2) Explorar o processamento quântico de informação em pontos quânticos (PQ), incluindo a reconstrução tomográfica de estados em PQ carregados. Em experimento recente (Science, 364, 1163, 2019), o grupo de íons aprisionados do NIST apresentou a primeira demonstração de um protocolo, baseado em compressão reversível, para amplificação (idealmente sem ruído) dos deslocamentos do oscilador mecânico. Este método de amplificação é aplicável a qualquer oscilador harmônico em que a compressão reversível possa ser implementada mais rapidamente do que a decoerência do sistema. O protocolo foi implementado com um oscilador mecânico de íon aprisionado. O grupo agora busca uma forma de melhoria da análise de dados para experimentos desse tipo que serão realizados no futuro, motivando o primeiro eixo desse projeto. O segundo eixo do projeto está focado em dois tipos de sistemas físicos: pontos quânticos acoplados com cavidades fotônicas e pontos quânticos carregados. No primeiro sistema, nossos objetivos centrais são a manipulação do estado quântico de luz da cavidade fotônica através de sua interação com o ponto quântico, e o desenvolvimento de um novo protocolo de medida indireta desse estado. Em pontos quânticos carregados, é do nosso interesse aprimorar uma proposta preliminar de tomografia da matriz densidade de estados emaranhados gerados em pontos quânticos carregados.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Holmer Savastano Junior

Engenharias

Engenharia Civil
  • aplicação de cimento magnesiano na produção de compósitos cimentícios reforçados com fibras lignocelulósicas e sua aplicação na captura de co2 da indústria sucroalcooleira.
  • Ligantes inorgânicos a base de misturas de MgO e MgSO4 (MOS) são atualmente materiais de interesse na fabricação de matrizes a serem utilizadas em Compósitos Cimentícios Reforçados com Fibras (CCRF). Tais materiais apresentam menor peso, baixa condutividade térmica, baixa alcalinidade e alta resistência à abrasão e ao fogo. Por ser um cimento a base de MgO, a economia energética e a liberação de CO2 equivalente durante a sua produção e aplicação são menores do que o cimento Portland, o que gera menor impacto ambiental com a sua aplicação em larga escala. O objetivo desta pesquisa é produzir matrizes de MOS estáveis para a produção de compósitos reforçados com fibras vegetais. A pesquisa propõe o uso de matrizes de MOS com a aplicação de fibras lignocelulósicas como forma de se aproveitar a biomassa existente e a posterior carbonatação com CO2 produzido pela indústria sucroalcooleira. A produção de fibrocimento a base de MOS visa atender a demanda brasileira e mundial por materiais compósitos com aplicações em coberturas, e sistemas construtivos do tipo wood wall. As principais etapas deste projeto de pesquisa se baseiam em: I) formulação de uma matriz a base de MgO e MgSO4 com estabilidade química e mecânica para ser utilizada em diversos ambientes e resistir às intempéries. A etapa de formulação pretende obter uma matriz com formulação Mg(OH)2.MgSO4.H2O com razões molares de 5:1:7, que são resistentes à ambientes úmidos e representam uma melhoria nas propriedades dos compósitos fabricados; II) Utilização de fibras vegetais como forma de melhorar as propriedades mecânicas dos compósitos e promover uma economia circular; III) Promover ensaios de carbonatação e envelhecimento acelerado dos compósitos para se aplicar os compósitos na captação de CO2 gerado em processos industriais, visando melhorar as propriedades dos fibrocimentos expostos às intempéries. A pesquisa busca a obtenção de materiais com alto desempenho, duráveis e sustentáveis.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 03/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Honerio Coutinho de Jesus

Outra

Divulgação Científica
  • show de química promovendo a transversalidade da ciência.
  • O espetáculo Show de Química (www.showdequimica.com.br) inicializou-se em 1992 na PUC-Rio com o objetivo de popularizar a Química. A partir de 1998 ganhou status de projeto após registro na Pró-reitora de extensão da UFES, após a incorporação de outras ações, como oficinas, redação de livro e construção de kits experimentais. Ao longo destes 29 anos de trabalho, 168 shows e dezenas de oficinas e entrevistas foram realizados em escolas e eventos no país, contribuindo com a difusão científica no país, e motivando alunos e professores para inserção de temáticas químicas em seus estudos e os despertando para uma melhor compreensão do mundo ao seu redor, propiciando assim a transversalidade do conhecimento, e participação nas temáticas elencadas pelo MCTIC através de editais para a popularização da ciência. Tais ações visam mitigar o fosso intelectual existente no nosso país para as áreas das ciências exatas e tecnológicas. O projeto Show de Química tem recebido financiamentos do CNPq e da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (FAPES - apoio financeiro em 2008, 2010, 2012, 2015 e 2016), que resultaram em diversos desdobramentos educacionais. Entre 2011 e 2013 o projeto recebeu um importante aporte financeiro do CNPq dentro do Ano Internacional da Química que resultou na apresentação de 43 shows em escolas e eventos, distribuição de 550 exemplares da 1ª edição do livro Show de Química para escolas, universidades e museus do país, e confecção e distribuição de 24 kits experimentais para escolas do estado do ES. No ano de 2016 o projeto recebeu um novo recurso do CNPq (Chamada MCTI/CNPq Nº 09/2015 ARC) com a realização de 4 shows e diversas oficinas, e em 2017 realizou 7 shows e 6 oficinas em escolas de tempo integral da SEDU-ES (MCTIC/CNPq Nº 02/2017). No ano de 2019 novamente o projeto recebeu apoio financeiro do CNPq (Chamada CNPq/MCTIC Nº 09/2019) com realização de 6 shows e 6 oficinas. No ano passado o projeto novamente foi contemplado pelo CNPq no edital da SNCT 2020, mas devido à pandemia Covid-19, as ações previstas inicialmente de forma presencial (5 shows e 5 oficinas) tiveram que ser substituídas por ações remotas (5 palestras gravadas para congressos online, 4 oficinas experimentais e 2 lives). A presente proposta pretende dar continuidade as ações já desenvolvidas, permitindo abranger um relevante público de escolas do ensino médio de 5 municípios do interior do estado do ES, de forma a contribuir para a divulgação e popularização da química e de suas conexões, ou seja, promover a transversalidade da ciência, atrelado à tecnologia e inovação. No processo de ensino-aprendizagem, tem sido desafiador para o professor, passar o conhecimento de forma satisfatória, quando se tenta personalizar o ensino levando em consideração a realidade de cada aluno. Este notável desafio aponta para transversalidade do conhecimento, o que acarreta na aproximação das pessoas consigo mesmas e com a natureza. Desse modo, o território da transversalidade é ao mesmo tempo científico, social, cultural, econômico, ambiental, político e governamental. A transversalidade se justifica pela articulação entre diferentes campos do conhecimento, segmentos políticos e sociais, sob temas ou desafios comuns. Neste sentido a Química se beneficia deste “território” de conhecimento, trazendo para o aluno e professor experiências múltiplas e convergentes. A promoção de atividades integradas entre os diferentes componentes curriculares no Ensino Médio pode possibilitar a criação de inúmeras situações de aprendizagem nos espaços escolares e, por consequência, favorecer a compreensão dos estudantes sobre os conceitos que perpassam as Ciências. Logo, ao propor atividades que transcendem os espaços escolares, além de favorecer o processo de aprendizagem, podem estimular os estudantes a terem interesse e curiosidade pelas aulas. Tendo em vista o exposto acima, a presente proposta objetiva divulgar e popularizar a química para alunos e professores da rede básica de ensino do estado do ES, em 5 municípios interiores do estado do ES, que possuem baixos índices de desenvolvimento humano (IDHM), proporcionando a interiorização das ações da SNCT, uma educação diversa, democrática e inclusiva. As atividades serão realizadas entre os dias 4 e 8 de outubro de 2021, mais uma live no dia 15/10/21. No período da manhã de cada escola visitada, o espetáculo Show de Química® será apresentado, para causar um vislumbre e encantamento para a plateia de alunos. No período vespertino os alunos participarão de oficinas que abordarão temas educacionais e tecnológicos, aliados a alguns objetivos da agenda 2030 da ONU, como: Objetivo 4 - Assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos; Objetivo 5 - Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas; Objetivo 6 - Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos; Objetivo 13 - Tomar medidas urgentes para combater a mudança do clima e seus impactos. Em todos estes temas a Química tem um papel importante, que permeia de forma transversal e equilibrada as três dimensões do desenvolvimento sustentável: a econômica, a social e a ambiental O show de química de manhã possui 1 hora de duração (previsão de 200 alunos por apresentação). Já as oficinas à tarde consumirão 3,5 horas totais, com entrada de grupos com 30 alunos a cada 40 min (4 turmas totais ou 120 alunos por dia). Estas atividades contarão com a participação de alunos do Departamento de Química da UFES que atenderão centenas de alunos do estado do ES, e terão o apoio da Secretaria de Estado da Educação (SEDU) e das escolas envolvidas. A participação do público será avaliada por questionários entregues durante as apresentações, de forma a aprimorar o projeto e avaliar os participantes sobre questões atuais sobre a importância da Química na sociedade e suas conexões com a tecnologia.
  • Universidade Federal do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 06/10/2021-31/10/2023
Foto de perfil

Hubert Marie Lacoin

Ciências Exatas e da Terra

Probabilidade e Estatística
  • aspetos probabilistas e combinatoriais da mecánica estatística
  • Desejamos pesquisar temas de mecânica estatística, envolvendo especialistas vindo de duas áreas distintas: Probabilidade e Combinatória. Mecânica estatística é uma área da física teórica que modela fenômenos físicos usando uma descrição microscópica com duas características: 1- O espaço físico é considerado como "discreto" representado por uma rede periódica como Z^d. 2- O estado de um sistema é descrito por uma distribuição de probabilidade no espaço das configurações possíveis. A compreensão rigorosa de muitos modelos de mecânica estatística apresenta importantes desafios matemáticos. A nossa ideia neste projeto é de unir esforços de matemáticos vindo de duas áreas. Probabilidade e Combinatória, para tentar resolver o problema da fixação pela dinâmica de Glauber a temperatura zero em Z^2. A dinâmica de Glauber é uma cadeia de Markov derivada do Modelo de Ising. A cada vértice da rede bidimensional é associado um spin cujo valor é regularmente atualizado. Quando uma atualização ocorre, o spin toma o mesmo valor que a maioria dos seus vizinhos. Uma questão aberta por mais de 20 anos pare este modelo é de saber se, começando com uma leve maioria de spins +, a rede vai ficar em algum momento completamente ocupada por spins positivos. Há um consenso científico, com o qual concordamos, que a resposta a essa pergunta é positiva. A dinâmica tem o efeito de reduzir o número de pares de vizinhos com spin opostos. Por essa razão se espera que em tempos grandes, o sistema se torne localmente monocromático. A pequena maioria de spin + inicial deveria ser suficiente para forçar o sistema a "fixar" do lado +. Uma estratégia para atacar esta pergunta é começar com o estudo do problema mais simples da dinâmica de Glauber num toro finito, onde já se sabe pela teoria das cadeias de Markov que a dinâmica para em um estado absorvente.
  • Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada - RJ - Brasil
  • 04/04/2022-30/04/2025
Foto de perfil

Hugo Caire de Castro Faria Neto

Ciências Biológicas

Farmacologia
  • rede para estudos colaborativos sobre a patogênese da covid-19
  • A recente pandemia de coronavírus (COVID-19) está se espalhando rapidamente e vem evoluindo com elevada morbidade e letalidade. O agente responsável SARS-CoV-2 pode acarretar infecção do trato respiratório, caracterizada principalmente por febre e tosse, podendo evoluir para pneumonia grave e falência respiratória aguda. A letalidade dos pacientes intubados varia em função do país envolvido (40-80%). O conhecimento a respeito dos mecanismos fisiopatológicos da COVID-19 ainda são bastante limitados o que dificulta a identificação de alvos terapêuticos e biomarcadores de evolução. Frente a este desafio, propõe-se aqui a criação de uma rede multidisciplinar de pesquisadores comprometidos em realizar pesquisas básicas e translacionais para melhor compreender a fisiopatologia da COVID-19 e, neste processo, identificar potenciais alvos terapêuticos e biomarcadores que possam ser de utilidade clínica. Combinaremos de estudos in vitro com cultura 2D ou 3D (esferoides) de células epiteliais e endoteliais, incluindo-se também a análise de amostras de sangue de pacientes com diagnóstico de COVID-19 e a análise histopatológica de órgãos e tecidos obtidos a partir de biopsia guiada por ultrasonografia. Iremos investigar o impacto da ativação de RAS/KKS sobre a infecção por SARS-COV2 e a interrelação entre a resposta imune e os processos trombo-inflamatórios que caracterizam a forma grave da COVID-19. Para atender tal fim, criamos uma rede nacional de investigação multidisciplinar, promovendo o sinergismo entre os laboratórios e hospitais da rede para que, através do compartilhamento de infraestrutura, expertise e conhecimento, possam fazer contribuições relevantes para solucionar esse importante problema de saúde pública. Fazem parte desta rede 43 pesquisadores (10 Nível 1 do CNPq) representando 9 instituições renomadas do país, a saber a Fundação Oswaldo Cruz, a Universidade Federal do Rio de Janeiro, a Universidade de São Paulo, a Universidade Federal Fluminense, a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, o Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, o Hospital Copa D´Or, o Hospital São Rafael e a Universidade de São Paulo-Ribeirão Preto. A divulgação dos resultados será feita em revistas de impacto internacional. Desenvolveremos ainda uma série de ações para transferência de conhecimento à sociedade, com ações de divulgação da ciência na mídia (Jornais, Facebook, Instagram, Twitter, Televisão). Esperamos que os conhecimentos e aplicações desenvolvidas ao longo do projeto possam, num futuro próximo, serem incorporados ao acervo de terapias do Sistema Único de Saúde (SUS), e que contribuam para rápida recuperação do paciente e menor letalidade da COVID-19.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 24/07/2020-23/08/2022
Foto de perfil

Hugo Danilo Fernández Sare

Ciências Exatas e da Terra

Matemática
  • métodos matemáticos aplicados à estabilidade de sistemas dinâmicos em edps
  • A área de Sistemas Dinâmicos gerados por EDPs, lineares ou não lineares, associadas a fenômenos físicos, é uma das áreas de investigação mais abrangentes em Análise e EDPs. Estudos sobre a boa colocação, estabilização e existência de Atratores para estes sistemas têm gerado diversos resultados relevantes, principalmente pela aplicação de métodos matemáticos desenvolvidos recentemente na área da análise funcional. Neste contexto o principal objetivo deste projeto gira em torno do estudo de métodos matemáticos associados à estabilidade de sistemas dinâmicos gerados por sistemas de EDPs que surgem na termo-mecânica como alternativa aos modelos clássicos existentes. A dificuldade no estudo destes "novos" modelos, do ponto de vista matemático, radica no fato em que eles se tornam dissipativamente mais fracos quando comparados com modelos clássicos análogos. Em termos gerais, abordamos dois grandes grupos de modelos: Modelos em Termoelasticidade Hiperbólica e modelos em Viscoelasticidade. Em ambos os casos começamos com a formulação de sistemas baseados em leis físicas que incluem um maior número de variáveis nos sistemas dinâmicos resultantes e cujas soluções se aproximem melhor dos fenômenos modelados. Aqui, nosso interesse estará focado no estudo e desenvolvimento de métodos matemáticos aplicados à estabilidade de soluções para estes modelos assim como a existência de Atratores para os sistemas dinâmicos correspondentes. Nossa análise será baseada em caracterizações recentes desenvolvidas para semi-grupos de operadores diferenciais. Cada modelo estabelecido possui fundamentos físicos sólidos enquanto à modelagem e aplicações, e eles também são matéria de investigação em projetos desenvolvidos em outros países coordenados por pesquisadores com os quais trabalhamos frequentemente e que fazem parte do presente projeto.
  • Universidade Federal de Juiz de Fora - MG - Brasil
  • 24/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Hugo Heleno Camilo Costa

Ciências Humanas

Educação
  • políticas de currículo, discurso e conhecimento: o caso do novo ensino médio
  • Este projeto visa abordar as políticas de currículo para a Educação Básica, com foco principal no nível médio. Particularmente, focaliza o Novo Ensino Médio (NEM), dinamizado na política em que se constitui a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), tendo em vista os sentidos de integração curricular envolvidos nas ideias de ensino por áreas do conhecimento e itinerários formativos, bem como nas críticas projetadas à organização curricular por disciplinas. Para isto, serão apropriadas contribuições do pensamento pós-fundacional e pós-estrutural, de Ernesto Laclau, e do pensamento da desconstrução, de Jacques Derrida, bem como dos estudos de Alice Lopes e Elizabeth Macedo sobre currículo, para o aprofundamento da compreensão da política curricular quanto às interpretações do que é conhecer/conhecimento, sujeito educado, finalidades sociais da educação, entre outras perspectivas produtoras de sentidos na política. Estrategicamente, serão mobilizadas as concepções de discurso, tradução, diferença, hegemonia, sujeito e contexto, com vistas à leitura da política curricular como produzida em um texto mais amplo, sob contínua tradução, irrestrito a documentos considerados “oficiais”. Neste sentido, serão abordadas: propostas curriculares nacionais, estaduais e locais, principalmente compreendendo os estados de Mato Grosso e Rio de Janeiro; produções qualificadas (tais como artigos e capítulos de livros) associadas ao tema, bem como outras produções que possam estar relacionadas ao campo discursivo da BNCC. Além disso, serão realizadas entrevistas com atores envolvidos na produção da política, tais como pesquisadores, consultores, professores da Educação Básica.
  • Universidade Federal de Mato Grosso - MT - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Hugo Marcelo Veit

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • reciclagem de smartphones e seus componentes para recuperação de metais valiosos e críticos
  • O projeto trata da recuperação e reciclagem de materiais/metais presentes em resíduos eletroeletrônicos, especialmente de Smartphones. A produção e comercialização destes equipamentos aumenta a cada ano enquanto a sua vida útil é cada vez menor, ocasionando uma crescente geração deste tipo de resíduo. Aliado a isso, estes equipamentos possuem uma composição química muito variada incluindo metais valiosos e metais críticos, contidos em listas de criticidade da Europa, EUA e Brasil. Para a maioria destes metais, o teor presente em resíduos eletroeletrônicos é superior ao encontrado nos minérios, sua matéria prima natural. Assim, este projeto se propõe, inicialmente, a caracterizar os resíduos de smartphones pós consumo, identificar os principais metais que os compões, suas quantidades e definir os principais metais-alvo, ou seja, aqueles metais para os quais serão empregadas as rotas e processos de reciclagem. Na sequencia, processos de reciclagem serão testados com smartphones inteiros e também com equipamentos desmontados de acordo com os seus principais componentes. Processos prévios como moagem, separação granulométrica, magnética e eletrostática serão utilizados para obter frações concentradas nos metais de interesse. Após, processos térmicos de Pirólise serão testados, visto o grau de inovação desta técnica para este tipo de resíduo. Desta forma, pretende-se desenvolver rotas de reciclagem que obtenham no final metais de interesse e/ou frações concentradas em determinados metais que possam ser encaminhados para processos de reciclagem já conhecidos e desenvolvidos para grandes escalas.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Hugo Neves Brandao

Ciências da Saúde

Farmácia
  • caracterização química e atividades biológicas de geoprópolis coletadas na bahia - brasil
  • O uso de produtos naturais é considerado um dos primeiros recursos terapêuticos utilizados pelo homem. A OMS vem estimulando os países a buscarem fontes naturais para prevenção e recuperação da saúde. No Brasil a institucionalização dessa abordagem se deu com o estabelecimento da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC), incluindo a utilização da própolis. As abelhas “sem ferrão” do gênero Melipona produzem um material resultante da mistura de resinas vegetais, cera, secreções de glândulas das abelhas misturadas a terra ou barro, semelhante à própolis, porém denominada de geoprópolis. A geoprópolis, produzida pelas Meliponini, apresenta como principais aspectos: grânulos de consistência heterogênea e inodoros, coloração marrom escura e sabor amargo, além de mostrar-se mais rígida que a própolis, devido à presença de compostos minerais. No caso da geoprópolis são poucas as informações sobre a composição química e atividades biológicas e, devido à crescente relevância econômica da meliponicultura e de seus produtos, a obtenção dessas informações é fundamental para identificar e garantir o padrão de qualidade desse produto natural. O presente projeto tem por objetivo realizar estudo de caracterização química, físico-química e atividades biológicas de amostras de geoprópolis coletadas na Bahia. Para isso, serão utilizadas técnicas clássicas e modernas de cromatografia, protocolos padronizados de análises físico-químicas e testes de atividade que incluem ação genotóxica, citotóxica e fotoprotetora. Além dos ensaios de atividade in vitro, a predição de atividade biológica e tóxica através da utilização de computadores (in silico) também será realizada. Dessa forma, a importância deste estudo, se justifica pela carência de estudos do perfil químico e farmacológico de geoprópolis produzido por abelhas nativas e na possibilidade de caracterização das substâncias encontradas, avaliando-as quanto ao seu potencial biológico e toxicológico.
  • Universidade Estadual de Feira de Santana - BA - Brasil
  • 03/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Hugo Perazzo Pedroso Barbosa

Ciências da Saúde

Medicina
  • estudo randomizado para avaliar segurança, adesão e custo-efetividade do tratamento simplificado da hepatite c na atenção primária de saúde comparado com tratamento standard-of-care por especialistas no âmbito do sistema único de saúde
  • A hepatite crônica C é um problema de saúde pública no Brasil e no mundo. Estima-se que globalmente cerca de 70 milhões de pessoas estão cronicamente infectados pelo vírus da da hepatite C (HCV, “hepatitis C virus”). No Brasil, estima-se que cerca de 650.000 pessoas estejam vivendo cronicamente infectadas pelo HCV. Recentemente, o Prêmio Nobel 2020 em Medicina foi entregue aos cientistas que descobriram o HCV. A hepatite crônica C é uma doença silenciosa e a maioria das pessoas não tem ciência da infecção crônica pelo HCV. A hepatite crônica C pode evoluir em até 20% dos casos para cirrose hepática em 10-15 anos. Em 2016, Ministério da Saúde do Brasil assinou um acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) para definir estratégias para (micro) eliminação da hepatite crônica C e redução em 65% nas mortes relacionadas com hepatites virais até 2030. Novas ferramentas para diagnóstico por testes rápidos e métodos não-invasivos para detecção da cirrose hepática estão disponíveis para identificação e manejo de pessoas com hepatite C. Além disso, novos medicamentos (antivirais de ação direta) seguros e altamente eficazes estão disponíveis desde de 2015 para tratamento da hepatite C pelo Sistema Único de Saúde (SUS). As taxas de cura da hepatite C, resposta virológica sustentada (RVS), dos antivirais de ação direta em estudos realizados no Brasil e na América Latina são superiores a 90%. A cura da hepatite C associa-se com redução na incidência de carcinoma hepatocelular e necessidade de transplante hepático, melhora na qualidade de vida e redução na transmissão do HCV (tratamento como prevenção). Apesar deste avanço tecnológico para diagnóstico precoce e disponibilidade de drogas seguras e eficazes, a cascata de cuidado contínuo da hepatite C ainda é bastante deficiente no Brasil. Provavelmente, não atingiremos as metas pactuadas com OMS no prazo estipulado. Estima-se que apenas 10% dos indivíduos sabidamente portadores de hepatite C atinjam a cura (RVS). Isto se explica pois existe uma escassez de rastreamento e poucas vagas disponíveis em centros terceários para tratamento da hepatite C por especialistas. Além disso, são necessárias diversas visitas entre diagnóstico e início do tratamento por antivirais de ação direta induzindo a perda de seguimento/desistência por parte dos pacientes sem finalização do tratamento/RVS. Estudos internacionais vêm descrevendo taxas de RVS pelo tratamento da hepatite C simplificado e realizado por não-especialistas na atenção primária de saúde similares aos pacientes tratados em centros terceários por especialistas (standard-of-care). Porém, a melhor estratégia para manejo da hepatite C no âmbito do SUS ainda não está amplamente definida. Este projeto tem como objetivo principal avaliar o impacto de prova de conceito (“proof-of-concept”) de estratégias de testagem e tratamento (“test-and-treat”) na cascata de cuidado contínuo da hepatite C. Este projeto é composto por dois estudos que serão conduzidos em paralelo. O Estudo I trata-se de um estudo transversal de rastreamento populacional por testes rápidos para determinar a prevalência da hepatite crônica C em pessoas em acompanhamento na atenção básica de saúde. O número de pessoas a serem rastreadas no Estudo I (n=30.000 pessoas) foi calculado com base na prevalência da hepatite C no Brasil e tamanho amostral necessário em cada braço das estratégias de tratamento da hepatite crônica C do Estudo II considerando acréscimo de 10% devido potencial recusa na participação. O Estudo II é um ensaio clínico de fase IV, randomizado (1:1) do tipo aberto para avaliação de não-inferioridade do tratamento da hepatite C simplificado e descentralizado [“Simplified-and-Descentralized (SD) HCV treatment”; braço experimental] comparado com tratamento referência por especialista [“Standard-of-Care (SC) HCV treatment”; braço controle] no âmbito do SUS. Todos os indivíduos com hepatite crônica C identificados pelo Estudo I serão elegíveis para participação no Estudo II. Os participantes dos dois braços do Estudo II (n=140; sendo 70 em cada braço) receberão o mesmo regime terapêutico para tratamento da hepatite C: sofosbuvir/velpatasvir (SOF/VEL) 400/100 mg 01 comprimido por via oral por dia durante 12 semanas. O cálculo amostral do ensaio clínico de não-inferioridade consideroua taxa de RVS por SOF/VEL 400/100 mg por 12 semanas na vida real de 95%, diferença máximal de taxa de RVS entre as duas estratégias de 10%, erro alfa de 5% (α=0,05) e potência do estudo de 80% (1-β=0,80). SOF/VEL é droga pan-genotípica, segura e altamente eficaz, sendo medicamento de referência pelas diretrizes internacionais e pelo Ministério da Saúde para tratamento da hepatite C. O objetivo primário do Estudo II será avaliar a adesão, segurança e custo-efetividade de duas estratégias diferentes com mesma droga: tratamento simplificado (visitas presenciais e remotas) e descentralizado (por generalistas/médicos de família na atenção primária de saúde) comparado com tratamento standard-of-care (por especialistas com visitas presenciais em centros terceários). Os resultados produzidos por este projeto serão essenciais para geração de evidências para subsidiar estratégias de saúde pública custo-efetivas para diagnóstico e tratamento da hepatite C no âmbito do SUS no Brasil. Após a validação desta prova de conceito (proof-of-concept), este modelo poderá ser replicado em larga escala no território brasileiro pelo SUS A melhora da cascata de cuidados contínuos na hepatite C, aumento do acesso ao tratamento e aceleração da cura do HCV auxiliará na redução de novos casos, eliminação da hepatite C e diminuição da mortalidade relacionada com hepatites virais. Portanto, a melhora da cascata de cuidados contínuo da hepatite C no Brasil vai permitir atingir as metas pactuadas com OMS o mais próximo do prazo estipulado.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 03/12/2020-30/06/2023
Foto de perfil

Hugo Ricardo Zschommler Sandim

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • interação metal-hidrogênio em aços inoxidáveis austeníticos (aisi 317l) e superdúplex (uns s39274) para uso na exploração de petróleo e gás
  • Aços inoxidáveis austenítico (317L) e superdúplex (UNS S39274) vêm sendo utilizados na indústria de óleo e gás devido a sua moderada resistência à fluência, moderada resistência mecânica e boa resistência à corrosão em meios ácidos com a presença de cloretos e sulfetos em temperaturas elevadas. O aço 317L possui maior teor de molibdênio que aumenta a resistência à corrosão por pites, além de promover endurecimento por solução sólida. Possui baixo teor de carbono, o que reduz o risco à sensitização em processos térmicos (recozimento) e na soldagem. Além da ferrita delta na condição inicial, forma bastante martensita induzida por deformação na criolaminação em 77 K. Já o aço superduplex alia elevadas resistências mecânica e à corrosão, ideais para aplicações em ambientes salinos e corrosivos. Tubos sem costura deste aço podem ser utilizados em poços de petróleo off-shore. Para alcançarem a resistência mecânica elevada, é necessário que os tubos de aço superduplex passem por intensa deformação plástica a frio. Pretende-se estudar o efeito do aumento da fração de martensita induzida por deformação no aço 317L e do encruamento no caso do superdúplex na permeação do hidrogênio nestes aços, variável relevante na seleção de materiais para a indústria de óleo e gás. Estes aços diferem quanto à arquitetura microestrutural, mas têm em comum o refinamento da microestrutura e o aumento expressivo da densidade de discordâncias na ferrita após deformação plástica. A caracterização destes aços utilizará microscopia ótica, difração de elétrons retroespalhados, microscopia eletrônica de transmissão, medidas de dureza Vickers, magnetização DC, dilatometria e difração de raios X (método modificado de Williamson-Hall) para determinação da densidade de discordâncias. Os resultados da permeação e dessorção de hidrogênio e suas respectivas dependências com a temperatura serão correlacionados com as microestruturas no estado encruado, em especial as armadilhas para hidrogênio.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025