Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Vania Ribas Ulbricht

Ciências Humanas

Educação
  • coin- artefato para o desenvolvimento de material digital acessível
  • O projeto propõe a produção de um aplicativo web e mobile para representação interativa de diretrizes para produção de material educacional acessível. Através do protótipo desenvolvido para mobile e ambiente web, as diretrizes de recomendação da pesquisadora Macedo (2010) foram organizadas para que desenvolvedores e conteudistas de Objetos de Aprendizagem (OAs) possam utilizar as ferramentas de acessibilidade em seus projetos . Para validar a utilização do aplicativo para que desenvolvedores e conteudistas realizem a produção de conteúdos e Objetos de Aprendizagem (OAs) acessíveis, propõe-se também o desenvolvimento de um Ambiente Virtual de Ensino Aprendizagem (AVEA) com acessibilidade para pessoa com deficiência visual e auditiva, com objetivo de transferir e disseminar conhecimento. Buscando aproximar as diretrizes da visão de mundo dos usuários de acordo com o contexto de uso, objetivamos adequá-las ao ambiente das organizações e dos indivíduos. Dessa forma, profissionais e pesquisadores da área de OAs podem obter uma nova experiência na apropriação das recomendações e promover ações inclusivas.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vania Zanella Pinto

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • uso de extrato de erva mate nanoencapsulado no desenvolvimento de embalgens para alimentos
  • No projeto “Uso de extrato de erva mate nanoencapsulado no desenvolvimento de embalgens para alimentos” objetiva-se encapsular extrato de erva mate (Ilex paraguariensis) usando sistema blow spinning de formação de nanofibras e aplicar as fibras contendo extrato de erva mate como recobrimento em bandejas biodegradáveis e como cobertura ativa em frutas in natura. O projeto está divido em três Estudos a serem executados durante os três anos de vigência. No Estudo I objetiva-se encapsular extrato de erva mate empregando sistema blow spinning e diferentes polímeros como material de parede e, avaliar a eficiência de encapsulação e caracterizar os materiais nanoencapsulados. As variáveis independentes serão tipo de polímero, que apresenta 4 sub-níveis (Amido:PVA, Amido:PEO, PVA, PEO) e concentração do extrato de erva mate com quatro sub-níveis (0, 10, 25 e 50 mL/100g), totalizando 16 tratamentos. As variáveis dependentes (respostas) consistem na avaliação das propriedades da solução polimérica (viscosidade e condutividade elétrica) e solubilidade em água e em ácido das nanofibras obtidas, bem como eficiência de encapsulamento (EE), a sua estabilidade térmica (DSC, TG), estrutura química (FTIR-ATR), morfologia verificada com microscópios, atividade antimicrobiana e concentração inibitória mínima (CIM) e compostos fenóis totais, além da caracterização prévia do extrato. No Estudo II objetiva-se recobrir bandejas expandidas de amido e celulose/nanocelulose com extrato de erva mate nanoencapsulado. A produção das bandejas será estudada variando-se a concentração amido (10, 15, 20 e 25 g/100 mL solução) e a concentração de fibras de celulose (0, 10, 15, 25 e 50 g/g de amido), totalizando 16 tratamentos. As bandejas serão caracterizadas e recobertas com nanofibras contendo extrato de erva mate (Estudo I) empregando o material que apresentou maior teor de compostos fenólicos e atividade antimicrobiana. As respostas serão cor, morfologia, espessura e densidade, absorção de água, propriedades mecânicas, propriedades térmicas (DSC, TG), estrutura química (FTIR-ATR), atividade antimicrobiana e concentração inibitória mínima (CIM) e degradabilidade. No Estudo III objetiva-se aplicar cobertura ativa com nanofibras contendo extrato de erva mate (Estudo I) para ampliar a vida útil de frutas de mamão papaia in natura. As frutas serão caracterizadas, no início e durante 40 dias de armazenamento. As avaliações nas frutas serão massa fresca e incidência de podridão, coloração dos frutos, sólidos solúveis (SS), acidez titulável (AT) e a relação SS/AT, pH, firmeza e compostos fenólicos. Assim ao final, almeja-se instalar uma estação de blow spinning, desenvolver nanofibras ativas e obter produtos tecnológicos, tais como bandejas biodegradáveis de amido expandido e coberturas ativas para frutas.
  • Universidade Federal da Fronteira Sul - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanilton Camilo de Souza

Ciências Humanas

Geografia
  • os erros conceituais e didáticos nos livros de geografia do ensino médio e nas práticas docentes: processos de retificação e mediação didática
  • A proposição desse projeto é desdobramento, por um lado, da Tese de Doutorado defendida em 2009 ocasião em que se postulou sobre a importância da mediação didática e da retificação do erro como conceitos capazes de promover significativa e qualitativamente a formação inicial do professor de Geografia. E, por outro lado, da investigação realizada em pós-doutoramento em 2014 quando analisou-se a primazia de erros conceituais próprios da Geografia e os erros didáticos presentes nas atividades de Estágio Curricular dos Licenciandos de Geografia e Pedagogia. Os argumentos dessas investigações fundamentaram-se nos postulados de Vigotski e Bachelard apontando que tanto o conceito de mediação didática quanto o conceito de retificação dos erros teóricos e conceituais da Geografia Escolar são dimensões capazes de permitir ações didáticas ao processo de construção do conhecimento por parte dos alunos da licenciatura, por se referirem às dimensões epistemológicas dessa construção. O conceito de mediação didática é uma tarefa que se tem debruçado desde 2007 quando iniciou-se, isoladamente, os estudos de Vigotski e, a partir de 2008, esses estudos ocorrem no Grupo de Estudos sobre Vigotski para o Ensino de Geografia. Diferentemente, os estudos sobre Gaston Bachelard no Ensino de Geografia, especificamente os relativos à retificação do erro como dimensão capaz de superar os obstáculos epistemológicos presentes na formação do professor de Geografia tem ocorrido isoladamente. Um curto diálogo ocorreu com um grupo de Didática das Ciências da Universidade de Sevilla, por ocasião do doutorado sanduiche desenvolvido nessa universidade e que tinham em Bachelard e, especificamente, a categoria erro, como rica dimensão didática para essa área do ensino. Através desse grupo, acessou-se as produções do francês Pierre Astolf, quem primeiro sistematizou as contribuições do erro no Ensino de Ciências. No Brasil, esses fundamentos didáticos são bastante incorporados no ensino dessa disciplina. Sob as inspirações de Bachelard (1968, 1996, 2004) e Astolf (2003, 1994, 1988) foi desenvolvido o pós-doutoramento na USP, momento em que, juntamente com a supervisora do programa da Faculdade de Educação dessa universidade, desenvolvemos uma metodologia de retificar os erros teóricos e didáticos da Geografia Escolar, detectados durantes os Estágios desenvolvidos nas escolas pelos licenciandos de Geografia e Pedagogia. Naquele momento, compreendíamos que os caminhos para retificar os erros detectados nesses estágios era, promover a mediação didática na construção do conhecimento profissional desses professores (SOUZA & CASTELAR, 2016). Os resultados dessa investigação apontaram, por um lado, que durante o desenvolvimento do estágio, os licenciando conseguiam perceber os erros (tanto os teóricos quanto os didáticos) sobre a Geografia Escolar durante o processo de planejamento. Nesse ato de planejar, era perceptivo algumas capacidades de retificar os erros e, com isso, definir outros encaminhamentos de aulas mais adequados. A pesquisa apontou, por outro lado, uma maior dificuldade de perceber os erros didáticos e conceituais da Geografia Escolar nas práticas de ensino. Naquele momento, nosso foco era essencialmente nas atividades de planejamento pois não tínhamos logística para acompanhar os estagiários na sua prática durante o estágio. No entanto, nas discussões com os licenciando eles apontavam para a dificuldade tanto de perceber tais erros como de retificá-los, a saber: dificuldade de superar o modelo de aula baseada na transmissão do conhecimento e dificuldade de exercer maior autonomia sobre os textos de livros didáticos. Em decorrência dessas investigações sobre a relevância de se tomar os erros relativos às nossas práticas profissionais no ensino de Geografia e a necessidade de retificá-los, temos dois desdobramento que jugamos importantes: o primeiro é o de reforçar o papel da mediação didática nos processos de aprendizagem dos alunos; o segundo diz respeito os desenvolvimento da Didática da Geografia a qual consideramos um campo epistêmico muito importante na formação do professor e nas práticas de ensino dessa disciplina. Em função dessa relevância por um lado e a necessidade de ampliarmos a investigação nas práticas de ensino, é que propomos esse projeto. O problema dessa proposta assenta-se no seguinte entendimento: as dificuldades de percepção e retificação de erros conceituais e didáticos de Geografia vivenciados pelos licenciandos em sua formação inicial estão presentes nas práticas de ensino de docentes de Geografia que já possui experiências na sala de aula? Que concepções de ensino e aprendizagem de Geografia estão presentes na prática do professor de Geografia? Quais os obstáculos conceituais e didáticos oriundos dos livros didáticos usados pelo professor de Geografia nas escolas? Que erros teóricos, conceituais e didáticos estão presentes ou são induzidos pelo livro didático? Que elementos da prática do professor de Geografia apontam para metodologias mediadoras na construção do conhecimento capazes de retificar os erros conceituais e didáticos? Que relação se estabelece entre as teorias educacionais, as teorias geográficas e os fundamentos da Didática da Geografia no processo de construção de uma metodologia de ensino coerente com o que se pensa e com o que se ensina, tendo em vista as atividades didáticas desenvolvidas pelos professores nas suas práticas de ensino tendo como referência o livro didático? Qual a conexão possível entre tais fundamentos no contexto dessas práticas docentes? As conexões retificam os erros e mobilizam a construção do pensamento geográfico por parte do aluno?
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanina Macowski Durski Silva

Engenharias

Engenharia de Transportes
  • logística portuária: análise, modelagem matemática e simulação de operações visando a melhoria da eficiência operacional
  • Com a nova organização mundial, baseada na constituição de mercados globais, exige-se a criação de sistemas logísticos eficientes, capazes de escoar a produção para os mercados externos. Assim, os portos, como agentes de transporte, devem ser analisados como um elo extremamente importante na integração do mercado nacional e global e, a sua modernização encontra-se entre as principais ações a serem desenvolvidas no plano de redução dos custos nacionais, bem como no aumento das exportações. O Brasil, por apresentar características que o destacam no setor marítimo e fluvial, por possuir 7.408 km de fronteira com o Oceano Atlântico (principal porta de entrada e saída de cargas para o mundo) e devido ao ganho de escala e ao baixo custo, apresenta o modal aquaviário com a maior quantidade de carga escoada do país para o exterior. Assim, é imperativo a reestruturação do sistema portuário, tornando-se crucial analisar e avaliar o desempenho dos portos/terminais para melhorar e ampliar a importância e o desenvolvimento de uma região ou país. A análise dos portos/terminais brasileiros bem como dos agentes envolvidos na atividade do transporte aquaviário (sejam as indústrias, os operadores portuários, navegadores, etc.) é vital para o desenvolvimento regional e nacional, visto que os portos são entrada e saída para conexões com o mercado e, desse modo, a ineficiência ou gargalos apresentados nas operações logística-portuárias poderão tornar-se impedância para o desenvolvimento brasileiro. Em decorrência desse enfoque, a linha mestra desta proposta pode ser resumida da seguinte forma: desenvolvimento de métodos de modelagem matemática e de simulação associados à logística portuária (incluindo-se as operações de transporte marítimo), que permitam realizar uma análise comparativa entre os portos/terminais brasileiros e alguns internacionais, no tocante à eficiência operacional no intuito de reduzir condições indesejadas bem como custos elevados.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Varlei Rodrigues

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • desenvolvimento de (bio)sensores baseados em filmes poliméricos nanoestruturados com nanopartículas metálicas embebidas
  • A detecção específica de espécies relevantes, biológicas ou para monitoramento ambiental, com sensibilidade e seletividade cada vez maiores é um desafio importante nas ciências fundamentais e aplicadas. Intensos trabalhos de pesquisa introduziram nos últimos anos vários métodos para a detecção óptica de biomoléculas através de Raman, fluorescência ou espectroscopia de ressonância plasmônica de superfície. Devido a sua estreita largura espectral e forte amplificação de campos elétricos locais, o plasmon de superfície de nanopartículas (NPs) de metais nobres tem sido usado para melhorar a detecção até o nível da detecção de uma partícula única. Tem sido reportadas medidas SERS de rodamina usando substratos de NPs de Au em polímero, os detalhes da interação não são claros, principalmente devido à dificultade de controlar a distância entre NPs e molécula. Além disso, foram observadas grandes diferenças na amplificação e na resolução espectral das medidas. Apesar de recentes avanços, os filmes poliméricos ainda são raramente explorados em combinação com NPs metálicas. Esta ausência de pesquisa é surpreendente, tendo em mente o alto grau de aplicabilidade dos polímeros e das NPs, e pode ser atribuída ao alto grau de interdisciplinaridade necessária para o seu estudo. Assim, o potencial da combinação de polímeros e NPs está longe de ser totalmente explorado. O conhecimento detalhado de como combinar as possibilidades e versatilidades de polímeros e das NPs metálicas é crucial para uma possível aplicação tecnológica futura. O objetivo deste projeto é compreender a influência das propriedades físicas e químicas de filmes poliméricos dopados com NPs metálicas para o seu uso em sensores. Para isso pretendemos fabricar e caracterizar amostras modelo de filmes de polímero com NPs metálicas incorporadas com controle total sobre composição, tamanho e concentração. Vamos estudar como o ambiente polimérico influencia as propriedades das NPS metálicas, como sua estrutura cristalina, posição do pico de ressonância plasmônica, transferência de carga e extinção magnética na interface. Também vamos abordar como a presença de NPs metálicas altera as propriedades físicas e químicas do filme polimérico, como sua condutividade, rigidez e permeabilidade. Vamos também verificar como o sistema nanoestruturado responde a estímulos externos como campos elétricos ou magnéticos, umidade, reagentes químicos. Finalmente, vamos analisar seu comportamento quando usados em arquiteturas de sensores. Uma vez que a combinação adequada de materiais seja encontrada e que o sistema nanoestruturado seja caracterizado, poderemos implementá-lo em protótipos de dispositivos sensores para testar seu desempenho.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022