Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Thais Baptista da Rocha

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • comportamento da linha de costa e vulnerabilidade à erosão costeira no complexo deltaico do rio paraíba do sul (rj)
  • As praias arenosas são ambientes dinâmicos que sofrem constantes processos de erosão e acreção, devido a alternância na energia das ondas, alterações no transporte litorâneo, variação do nível do mar, além de fatores antrópicos. No litoral fluminense, o Complexo Deltaico do Rio Paraíba do Sul (CDRPS) envolve cerca de 1/4 do litoral fluminense, e possui características de evolução quaternária, dinâmica sedimentar e exposição às ondas de tempestade diversificadas. Associado a esses fatores, a presença de obras de engenharia costeira faz com que esse litoral tenha um comportamento de linha de costa heterogêneo, com a presença de pontos localizados de intensa erosão costeira. Nesse sentido, o presente projeto de pesquisa tem como objetivo principal avaliar a dinâmica da Linha de Costa (LC) entre 1976 e 2021 no CDRPS, a partir da análise nas escalas interdecadal e interanual; bem como avaliar aspectos de dinâmica costeira, suscetibilidade e vulnerabilidade à erosão costeira. Para a avaliação da dinâmica da linha de costa na escala interdecadal serão utilizadas fotografias aéreas e ortofotos, abarcando o intervalo temporal entre 1976-2021. Para a avaliação na escala interanual, serão utilizados perfis de praia distribuídos ao longo do CDRPS, cujo intervalo temporal compreenderá aproximadamente quinze anos de monitoramento, de 2005 a 2021. A partir da utilização de geoindicadores, será avaliada a suscetibilidade à erosão costeira, baseado em critérios físicos. Já para mapear o grau de vulnerabilidade, serão utilizados critérios de ocupação da orla marítima. Apesar das previsões de mudanças climáticas e do aumento global do nível do mar, há poucos estudos sobre os possíveis impactos desses cenários na costa brasileira. Além disso, espera-se que com a proposta da Metodologia Multiescalar da Linha de Costa (MMLC), seja possível avaliar se os processos de erosão e acreção possuem significado de tendência ou de evento.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Thaís Billalba Carvalho

Ciências Agrárias

Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca
  • manipulação de fatores ambientais para subsidiar a cadeia produtiva do matrinxã, brycon amazonicus (spix & agassiz, 1829)
  • A matrinxã (Brycon amazonicus) está entre as espécies com grande potencial para a piscicultura, devido ao seu bom desempenho produtivo. Entretanto, um dos entraves no sistema de criação é o reduzido fornecimento de juvenis, causado principalmente pela agressividade e alta mortalidade durante a larvicultura. Assim, este trabalho tem por objetivo propor melhores condições de intensidade luminosa, temperatura da água e salinidade, com o intuito de minimizar a exibição do comportamento agressivo e potencializar a sobrevivência e o desempenho em matrinxã. Além disso, pretende-se promover a divulgação do conhecimento científico aos produtores, por meio da discussão das dificuldades e perspectivas para a larvicultura dessa espécie. Este estudo foi dividido em cinco etapas: Etapa 1: serão testados três diferentes níveis de intensidade luminosa: menor (20 lx), intermediária (200 lx) e maior (2000 lx), com três repetições para cada tratamento. Etapa 2: serão comparados dois tratamentos experimentais: menor temperatura (24 °C) e maior temperatura da água (29 °C), com cinco repetições de cada tratamento. Etapa 3: larvas serão submetidas a três tratamentos experimentais: 0, 2 e 4 g de sal comum/L, com 10 repetições cada. Etapa 4: Para a validação das condições de intensidade luminosa, temperatura da água e salinidade, será comparado o desempenho zootécnico de juvenis de matrinxã submetidos à dois tratamentos experimentais (n=3) durante 30 dias: sistema teste= intensidade luminosa, temperatura e salinidade da água definidas nas etapas 1 a 3; sistema convencional= 20.000 lx, 29 0C e 0g/l de sal. Em períodos específicos será analisada a taxa de sobrevivência e os indicadores de desempenho zootécnico. Etapa 5: será realizado um workshop intitulado “Canibalismo e larvicultura de matrinx㔠constituído de um conjunto de mesa redonda, palestras e um momento para a troca de conhecimento com os produtores, tendo como finalidade o debate sobre o tema proposto. Assim, pretende-se disponibilizar informações que permitam contribuir para o desenvolvimento do setor produtivo e para a melhoria da produtividade do matrinxã, que é considerado uma potencialidade para suprir a demanda de consumo do pescado na região da Amazônia.
  • Universidade Federal do Amazonas - AM - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Thaís de Bessa Gontijo de Oliveira

Ciências Sociais Aplicadas

Direito
  • impactos legais da utilização de big data no processo de combate à inadimplência de uma concessionária de serviço público: desenvolvimento metodológico e testes em um banco de dados reais;
  • A Enacom tem desenvolvido diversos projetos para o setor elétrico que envolvem a utilização de inteligência computacional para o suporte à decisão. Entre os projetos em desenvolvimento, destaca-se o projeto para dar suporte ao combate à inadimplência que está em andamento para a Cemig Distribuição S.A. A Cemig tem convivido nos últimos anos com um aumento considerável dos clientes inadimplentes, sendo que em um dia típico a base chega à mais de 900 mil devedores de um volume de 8,5 milhões de clientes ativos. A Enacom desenvolve atualmente, como estratégia para resolver este problema, ferramenta que emprega processamento massivo de dados Big Data para identificar os clientes que sofrerão autuações como a negativação de crédito e cortes de energia. Este processamento é realizado de forma preditiva com métodos do tipo caixa preta, isto é, métodos que aprendem utilizando os dados sem definir aspecto de como o modelo deve funcionar. Esta proposta tem como objetivo estudar as implicações jurídicas da utilização destes modelos, definindo estratégias para avaliar se os modelos estão de acordo com as leis vigentes e, principalmente, se eles respeitam os objetivos fundamentais da República, em particular, se os problemas relativos à pobreza, à marginalização e às desigualdades sociais e regionais são agravados ou amenizados com o emprego dessas ferramentas. Com uma equipe multi-disciplinar, esta proposta explorará dados reais disponibilizados pela Cemig, em uma situação de grande impacto para a sociedade brasileira.
  • Engenharia Assistida por Computador - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Thais Pires Miranda

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • estratégias reprodutivas e capacidade dispersiva de espécies de hydrozoa (cnidaria) na costa do brasil: uma abordagem filogeográfica
  • Nas espécies da classe Hydrozoa (filo Cnidaria), a fase planctônica de medusa (sexuada) é classicamente considerada mais eficiente para dispersão, enquanto que o pólipo (assexuado) é bentônico e vive em associação com outros objetos/organismos flutuantes. Na maioria das espécies, entretanto, ocorre a supressão da medusa e uma ampla variação de estratégias reprodutivas, as quais refletem-se em distribuições biogeográficas contraditórias de espécies holoplanctônicas (somente com medusa no ciclo de vida), meroplanctônicas (com medusas e pólipos no ciclo de vida) e bentônicas (somente com o pólipo no ciclo de vida). Abordagens filogeográficas específicas, relacionando fluxo gênico e estrutura genética com diferentes estratégias reprodutivas em Hydrozoa são raras/inexistentes e, portanto, este projeto tem como objetivo investigar a capacidade dispersiva de hidrozoários holoplanctônicos, meroplanctônicos e bentônicos, tendo como base o uso de DNAmt e nuclear para uma abordagem filogeográfica. Usaremos como espécies-modelo de estudo para cada ciclo, Liriope tetraphylla (ciclo holoplanctônico), Obelia geniculata (ciclo meroplanctônico) e Eudendrium carneum (ciclo bentônico). Serão coletados 10-15 indivíduos de cada espécie nos ambientes planctônico (L. tetraphylla) e bentônico (O. geniculata e E. carneum) das três províncias biogeográficas marinhas brasileiras existentes, representadas, a princípio, pelas regiões municipais de Salinópolis (PA), Maceió (AL), Aracruz (ES), São Sebastião (SP) e Bombinhas (SC). As análises filogeográficas serão feitas por meio do sequenciamento dos genes ITS (nuclear), COI e 16S (mitocondriais). O gene 16S, comumente usado como barcode em estudos com Hydrozoa, também será utilizado para a confirmação da identificação prévia das espécies. A construção de árvores filogenéticas e de hipóteses de coalescência serão feitas por Máxima Parcimônia, Máxima Verossimilhança e inferência Bayesiana. As análises populacionais serão feitas com base em AMOVA e estatísticas F de Wright. Ademais, calcularemos a estrutura genética das populações e os índices de diversidade haplotípica e nucleotídica (sequências COI e ITS), e construiremos uma rede de haplótipos para a análise da relação entre os indivíduos e populações. Espera-se com este projeto, obter maior clareza com relação ao papel biogeográfico da medusa na distribuição das espécies de Hydrozoa e um maior entendimento filogeográfico das espécies estudadas. Adicionalmente, espera-se obter informações sobre as diferentes estratégias reprodutivas e a capacidade dispersiva da classe como um todo. O estudo tem potencial de fornecer informações importantes para maior entendimento de padrões biogeográficos e filogeográficos marinhos em associação com diferentes biologias de espécies de invertebrados.
  • Universidade Estadual de Londrina - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Thaís Regis Aranha Rossi

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • construção das propostas de financiamento para a saúde no legislativo, suas mudanças e relações com o sistema de saúde: uma análise comparativa entre brasil e reino unido
  • O sistema de saúde brasileiro, o Sistema Único de Saúde (SUS), e o National Health Service (NHS), do Reino Unido, são baseados na universalidade, caráter público e integralidade. O NHS foi formulado em 1948, no pós-guerra, tendo contribuído para a consolidação dos direitos humanos no Reino. O SUS foi criado em 1988 com a redemocratização do país e também representou um avanço no direito à saúde. Um dos componentes centrais de um Sistema de Saúde é seu financiamento, pois expressa o grau de priorização de determinada ação do Estado. O Legislativo é fundamental no processo de definição e determinação da política de saúde. A análise dessas leis expressa o grau de priorização das políticas de saúde bucal no nível federal, assim como o grau de formalização destas no orçamento federal. O comparativo do SUS com o modelo britânico, suas semelhanças e diferenças com o sistema parlamentarista podem servir de base para compreensão de nós críticos no Sistema brasileiro e apontar perspectiva. Os estudos revisados têm se apoiado em descrições sobre projetos para a saúde no Legislativo brasileiro e não foram encontrados estudos com esta temática sobre o Parlamento Inglês. Poucos são os trabalhos que vêm investigando as construções especificamente relacionadas ao financiamento no Legislativo. Diante da revisão realizada, diversas perguntas não foram elucidadas pelos estudos publicados ou permanecem parcialmente respondidas: como se conforma o espaço das comissões legislativas de saúde nos distintos períodos? Quem foram os agentes responsáveis pela construção dos projetos e atos relativos ao financiamento setorial no Legislativo? Qual a sua inserção no que diz respeito aos diversos campos do espaço social? Ainda, qual o espaço dos possíveis históricos que estiveram relacionados ao curso dos projetos/ atos relativos ao financiamento da saúde e como se deu esse processo? Quais atos tratam do financiamento da saúde no Legislativo do Brasil e do Reino Unidos? Quais as implicações destes atos nos Sistemas de Saúde? Quais as principais transformações ocorridas quanto ao financiamento dos Sistemas de Saúde no âmbito do Legislativo no Reino Unido e Brasil? Esse estudo almeja contribuir para com respostas a essas questões por meio de estudo sóciohistórico.
  • Universidade do Estado da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Thais Scotti do Canto Dorow

Ciências Biológicas

Biologia Geral
  • 3ª edição espaço ciência:mostra de ciências e matemática de santa maria
  • A presente proposta, por meio da organização da 3ª edição da mostra científica “Espaço Ciência: Mostra de Ciências e Matemática de Santa Maria”, pretende ser um espaço para a exposição, discussão e aprendizagem por projetos. Sabe-se que as Mostras Científicas representam uma oportunidade para alfabetização científica e possibilitam a interação das interfaces escola-universidade na sociedade, isto é, tornam-se centros privilegiados para trocas de conhecimentos e experiências entre cursos de graduação, pós-graduação e a educação básica. Em experiências anteriores com Mostras Científicas, o grupo proponente da atual proposta, constatou que é possível contribuir para alfabetização científica de jovens da educação básica, além de despertar vocações científico-tecnológicas, além do interesse desses jovens talentosos para a carreira docente. Além disso, constatou-se que a realização dessas ações contribuiu de fato para empoderamento das meninas durante a participação da mostra, visto que, representaram na 1ª edição do evento o maior público participante. Dito isso, é possível ressaltar que as mostras possuem a característica de um evento educacional sistematizado, e representam espaços significativos para a divulgação científica, transmissão e vivência da cultura científica. Ainda, destacam-se como centros onde “o fazer ciência” torna-se uma experiência viável, em vez de estudar sobre ciências, dessa forma, as mostras colaboram para alfabetização científica de alunos da educação básica. Dessa forma, esta proposta visa transforma-se em uma ação concreta para colaborar com o avanço do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica no município de Santa Maria-RS, sendo uma fonte de estímulo para estudantes e educadores transporem seus limites usuais. O Espaço Ciência realizará uma mostra científico-tecnológica, selecionado e premiando os melhores projetos de alunos, professores orientadores e escolas da rede pública e privada do município de Santa Maria-RS, dentro do eixo temático principal “Cultura Digital e Educação: avanços e desafios da ciência e tecnologia”. Além disso, o evento oferecerá oficinas itinerantes durante o 1º semestre de 2019 sobre o tema, buscando alcançar a comunidade escolar e colaborar tanto para formação continuada de professores da educação básica e como para a construção de conhecimentos dos alunos sobre fazer ciência e quais as implicações da cultura digital para a educação.
  • Universidade Franciscana - RS - Brasil
  • 04/12/2018-31/12/2020
Foto de perfil

Thais Soares Kronemberger

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • gestão social e esfera pública: em busca da efetividade participativa na promoção do desenvolvimento
  • O projeto em tela insere-se na temática sobre a interface entre gestão social e esferas públicas na construção da cidadania e democracia participativa. Tem como principal objetivo analisar os arranjos institucionais de participação no município de Volta Redonda-RJ e sua contribuição para a elaboração de políticas e projetos públicos dedicados ao bem estar social da população. A escolha do município de Volta Redonda, localizado na microrregião do Vale do Paraíba Fluminense no estado do Rio de Janeiro, justifica-se pelas iniciativas da gestão pública atual em promover ações de fortalecimento dos mecanismos institucionais de cogestão entre Estado-Sociedade refletidas na inserção da diretriz participativa em instrumentos de gestão, como o plano plurianual (2018-2021), o planejamento estratégico do município (2017-2037), além da implantação do orçamento participativo na modalidade híbrida pelo uso das tecnologias da informação e comunicação (TICs). Por gestão social compreende-se a gestão participativa no campo das políticas públicas, visando à deliberação como forma de decisão política sobre questões relacionadas ao desenvolvimento do território (TENÓRIO, 2010; 2008). Para tanto, a constituição de esferas públicas se tornaria necessária para a realização do processo de discussão e da prática deliberativa, constituindo, desta maneira, o lócus da gestão social no território (CANÇADO; PEREIRA; TENÓRIO, 2013). Parte-se do pressuposto que a prática democrática, dialógica e participativa é geradora de oportunidades sendo o seu fortalecimento essencial para garantir melhores condições de vida à sociedade, o que a torna um componente do desenvolvimento (SEN,2000). A metodologia da pesquisa, de natureza qualitativa e do tipo exploratório, adota o método de estudo de caso. A coleta de dados será realizada por pesquisas bibliográfica, documental e de campo. O tratamento dos dados possuirá a forma qualitativa, a partir da técnica de análise de conteúdo por grade mista, na qual categorias de análise serão definidas preliminarmente sendo também incorporadas durante o processo de análise. Os resultados esperados encontram-se na dimensão de análise sobre a efetividade dos arranjos institucionais de participação na gestão pública e sua contribuição para a elaboração de políticas públicas municipais. Pretende-se gerar um diagnóstico propositivo que alie pesquisa e extensão universitária a partir da identificação de entraves no funcionamento destes espaços para, com isso gerar propostas que fortaleçam os mecanismos de democracia participativa no município em tela ou até mesmo evidenciar questões que redefinam a dinâmica de funcionamento destes espaços.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Thaísa Sala Michelan

Ciências Biológicas

Ecologia
  • efeitos de uma invasora nos padrões macroecológicos de comunidades nativas: uma comparação entre sua área de origem (brasil) e uma área invadida (china)
  • Os estudos sobre invasões biológicas têm um grande interesse aplicado, voltado para o manejo das espécies introduzidas que se tornam praga, mas são também uteis para testar hipóteses ecológicas, evolutivas e biogeográficas. Interações interespecíficas, especialmente entre espécie nativa e invasora, mesmo em escalas espaciais e temporais menores, podem se propagar para escalas regionais e alterar padrões macroecológicos. No presente projeto, pretendemos testar se as invasões por macrófitas aquáticas alteram alguns dos padrões macroecológicos que são largamente descritos por essa área da ecologia, preencher algumas lacunas conceituais que unem a teoria das invasões biológicas à macroecologia, em ecossistemas aquáticos tropicais e comparar padrões macroecológicos da comunidade nativa de macrófitas e como eles são influenciados por uma espécie altamente invasora usando como controle o local de origem dessa espécie (região neotropical). Testaremos a hipótese de que “os padrões macroecológicos sofrem alterações no local onde a espécie invasora foi introduzida, mas não no local onde ela é nativa”. Nesse trabalho dividimos os padrões a serem testados em três enfoques macroecológicos: (a) mudança nos padrões de frequência de distribuição de atributos; (b) mudança nos padrões de relação entre atributos e (c) padrões de alterações dos atributos no espaço e tempo. Nesse trabalho serão coletadas amostras em 100-120 ecossistemas distribuídos na Amazônia (Estado do Pará), no sul do Brasil (Estados do Paraná e São Paulo) e na China (Província de Yunnan). Em cada estação de amostragem será lançado um quadrado de 1m2 (1m x 1m) em estandes dominado por E. crassipes e em estandes não colonizados ou não dominados por essa espécie. Todas as espécies presentes dentro dos quadrados serão registradas e atribuídas, visualmente, os respectivos valores de porcentagem de cobertura. Para cada enfoque macroecológico será feito uma análise estatística, sendo que: (i) para testar diferenças na composição das comunidades e na diversidade beta com e sem dominância E. crassipes, foi utilizada uma análise de variância multivariada permutacional e aplicado o teste de homogeneidade de dispersão; (ii e iii) as distribuições geométricas e log-normais (para assembleias invadidas e não invadidas, respectivamente e entre os dois países no qual E. crassipes é nativa e invasora - Brasil e China) serão testadas utilizando o teste de bondade de ajuste de Kolmogorov-Smirnov; (iv) para a relação entre abundância local e o número de locais colonizados em uma região será empregada uma ANCOVA considerando a abundância local e a área (respectivamente) como variáveis contínuas e locais com e sem dominância de E. crassipes como fator nos dois países; e (v) para a relação S-Área será realizada uma ANCOVA para testar o paralelismo das retas entre assembleias com e sem dominância de E. crassipes para os dois países.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Thales Domingos Arantes

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • diagnóstico micológico, caracterização molecular (filogenética) e epidemiológica de sporothrix spp. na região metropolitana de natal/rn
  • A esporotricose é uma micose subcutânea de perfil zoonótico, comum em áreas tropicais e temperadas, causada por fungos termo-dimórficos do gênero Sporothrix. A forma micelial é saprófita de solos ricos em matéria orgânica, que por implantação traumática (via clássica) ou por inalação de partículas fúngicas viáveis (via alternativa) infectam hospedeiros susceptíveis, convertendo-se na forma de levedura quando em parasitismo. No Brasil, as espécies patogênicas de Sporothrix mais frequentes são: Sporothrix schenckii sensu strictu, S. brasiliensis e S. globosa, enquanto a espécie S. mexicana é menos frequente. Como zoonose, a esporotricose é mais frequente em gatos, quando comparada a outros animais, devido ao comportamento territorialista dos gatos, associado à maior capacidade de disseminação do fungo nestes hospedeiros. No Rio Grande do Norte, nenhum caso havia sido reportado até meados de 2016, ano em que um quadro epizoótico teve início. Atualmente devido ao grande número de casos confirmados em felinos e humanos a esporotricose tornou-se um problema em saúde pública no Natal e região metropolitana. O correto diagnóstico desta micose direciona o tratamento, possibilitando também a caracterização biológica da espécie fúngica. Por este motivo, objetivamos isolar e identificar (cultura e PCR-RFLP do gene da Calmodulina) os Sporothrix spp. obtidos principalmente em amostras animais e esporadicamente em casos de infecção humana. Como proposta inovadora, esperamos estabelecer no diagnóstico da esporotricose o uso dos elementos genéticos autocatalíticos introns do grupo I e intein PRP8 como marcadores moleculares, que podem também gerar informação para associação destes como potenciais alvos terapêuticos no tratamento da esporotricose.
  • Universidade Federal de Goiás - GO - Brasil
  • 18/02/2019-31/10/2022
Foto de perfil

Thales Renato Ochotorena de Freitas

Ciências Biológicas

Biologia Geral
  • estudo de longa duração dos golfinhos nariz-de-garrafa, tursiops truncatus, do arquipélago de são pedro e são paulo, e avaliação da biodiversidade das águas do entorno através de uma abordagem ecossistêmica (dna ambiental e monitoramento acústico passivo)
  • Mais de 20 anos de pesquisa sendo desenvolvidas no Arquipélago de São Pedro e São Paulo (ASPSP) viabilizou não apenas descobertas sobre a biodiversidade local, mas também informações acerca de suas relações biológicas e do grau de vulnerabilidade de algumas espécies. Uma dessas descobertas, no início do PROARQUIPÉLAGO, foi a existência de uma população de golfinhos nariz-de-garrafa, Tursiops truncatus, nas águas de São Pedro e São Paulo, que desde 2005, e ao longo de três edições do Programa (Editais MCT/CNPq nº 56/2005, 26/2009, 39/2012), vem sendo monitorada pela nossa equipe. Os dados obtidos até o momento são surpreendentes e intrigantes, mas, sobretudo preocupantes. Através do monitoramento inicial dos animais por foto-identificação, descobrimos que a população é residente, composta por indivíduos com altos índices de fidelidade ao local. Mas, ao contrário do esperado para uma população tão pequena e geograficamente isolada, ao analisarmos os dados de biologia molecular, constatamos que essa população não apresentava evidências de endocruzamento e tampouco de ser geneticamente fechada, apresentando haplótipos compartilhados com populações do Atlântico Norte. Já os estudos de bioacústica revelaram o uso de sinais de comunicação específicos, provavelmente devido a adaptações às características do ambiente oceânico e distanciamento geográfico de outros grupos. Todas essas informações são inéditas, instigantes e despertam o interesse em aprofundar as pesquisas. Recentemente, análises de contaminantes trouxeram também uma apreensão – estes animais, apesar da considerável distância da ação direta de atividades antrópicas, exibem altos índices de poluentes orgânicos persistentes. As relações da cadeia trófica, dinâmica dos processos de bioacumulação e biomagnificação, a influência das correntes atmosféricas e oceânicas na dispersão destes compostos, assim como o impacto destes contaminantes a médio e longo prazo na reprodução, sobrevivência e viabilidade dessa população, ainda precisam ser estabelecidas. Com isto, torna-se imperativo o monitoramento dessa população, bem como a reavaliação e aprofundamento dessas informações. Pretendemos, assim, ampliar o número de amostras coletadas para análises genéticas e de contaminantes. O sequenciamento de nova geração, a ser usado pela primeira vez nessa população, é uma análise que permite investigar os parâmetros populacionais, sócio-genéticos e reprodutivos, superando muitas limitações do sequenciamento tradicional. Como possuímos dados prévios dessa população, essa análise ainda permitirá traçar uma comparação demográfica ao longo dos anos. Como complemento às análises de contaminantes serão avaliadas as lesões no DNA através da medida do comprimento telomérico, uma abordagem inovadora que acessa o status de saúde da população. Também será mantido o monitoramento visual, atualizando-se o catálogo de fotoidentificação e ampliando-se a área de estudo ao redor do ASPSP para reavaliar o tamanho e composição da população, o desaparecimento ou surgimento de novos indivíduos e, principalmente, o nascimento de filhotes. Do mesmo modo, dar-se-á sequência ao estudo de monitoramento acústico, determinado padrões de ocupação diária e sazonal e uso do habitat pela população. Mamíferos marinhos são animais de vida longa, e muitos problemas decorrentes das ações antrópicas, como um eventual declínio populacional devido à redução na fertilidade causada por contaminantes, são revelados somente após anos de monitoramento. Apesar disto, podem ser considerados organismos bioindicadores para o ambiente onde se encontram, sinalizando problemas que passariam despercebidos. Salientamos que a presente proposta parte de uma base de dados prévia, com informações coletadas em 18 expedições anteriores, o que permite reavaliá-las, refiná-las e compará-las, expandindo o conhecimento atual sobre essa população. Este é o primeiro estudo de longa-duração de uma população oceânica de golfinhos dessa espécie no Oceano Atlântico Equatorial, e o PROARQUIPÉLAGO, através de um esforço constante de aporte de recursos e capacitação de pesquisadores, vêm permitindo que estudos com tal viés sejam desenvolvidos nas regiões da ZEE Brasileira. Esta é uma oportunidade única para a comunidade científica estudar a ecologia da espécie em ambiente pelágico, contribuindo para seu conhecimento a um nível global. Outras espécies podem revelar preocupações similares quanto ao seu status de conservação. Assim, o presente projeto propõe-se a avaliar a biodiversidade e os níveis de contaminação de cetáceos e peixes nas águas do ASPSP, valendo-se da inovadora e não-invasiva técnica de DNA ambiental. Organismos-chave na cadeia trófica serão avaliados a fim de se estimar os níveis de bioacumulação de poluentes. Será também iniciado o monitoramento acústico passivo, registrando a diversidade das espécies de cetáceos nas adjacências do ASPSP. Com isto, espera-se gerar um quadro representativo da região, permitindo a comparação da biodiversidade e qualidade ambiental com outros ecossistemas, e servindo como banco de dados de referência para trabalhos futuros. Além de tecnologias robustas, reuniu-se uma equipe multidisciplinar, com pesquisadores de diversas áreas do conhecimento, como zoologia, genética, ecologia, oceanologia e bioacústica. O projeto compromete-se ainda com alguns dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU, como o que se refere à conservação dos oceanos, mares e recursos marinhos. As ilhas oceânicas abrangem cerca de 3% da superfície do planeta, e devido ao seu isolamento geográfico são ambientes que abrigam uma biodiversidade única, sendo conhecidos como viveiros da vida marinha. Pesquisas desenvolvidas no âmbito do ASPSP, principalmente as que visam desvendar a complexidade dos ecossistemas, levando em consideração animais sentinelas e processos oceânicos, podem oferecer informações capazes de contribuir substancialmente em tomadas de decisão relativas à conservação.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 28/11/2019-30/11/2022