Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Alfred Sholl Franco

Engenharias

Engenharia Civil
  • ix olimpíada brasileira de neurociências
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 28/05/2021-31/05/2023
Foto de perfil

Alfredo Carlos Storck

Ciências Humanas

Filosofia
  • scholastica colonialis: a filosofia escolástica no período colonial
  • 1. Investigação acerca de um período pouco estudado na história da filosofia: a recepção da filosofia no período colonial: análise das técnicas de ensino, modalidades de difusão do conhecimento filosófico, levantamento de autores e obras do período. 2. A caracterização da Scholastica colonialis como ciclo de produção do conhecimento filosófico no início da modernidade. A transmissão da filosofia europeia e seu impacto no período colonial. 3. A proliferação de universidades e centros de formação fora do continente europeu é acompanhada da formação de um nome gênero literário: o cursus philosophicus. O objetivo é do projeto consiste em analisar as variedades desse modelo, seu impacto na definição dos currículos, as principais correntes filosóficas que atuaram na confecção desse modelo. 4. O projeto pretende investigar a produção filosófica do período colonial, analisando como as teses interpretativas ad mentem Thomae e ad mentem Scoti influenciarão na caracterização de diversos problemas filosóficos: natureza da lógica, dos transcendentais, da natureza dos atos cognitivos, da justiça, da redistribuição. 5. O material apresentado durante o projeto evidencia não somente a existência das duas correntes interpretativas acima mencionadas, mas também oferece indícios de outras que permanecem completamente inexploradas e que necessitam ser completamente inventariadas. 6. Análise prosopográfica do material, com disponibilização de autores, obras, biografia e elaboração de material explicativo.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 23/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Alfredo Ribeiro Neto

Engenharias

Engenharia Sanitária
  • risco associado a eventos extremos hidrometeorológicos e medidas adaptativas no nordeste e amazônia.
  • Os biomas Caatinga e Amazônia são reconhecidamente hotspots diante de cenários do clima futuro. Os impactos nessas regiões serão mais graves devido à provável intensificação do clima e do regime hidrológico, que leva ao aumento da frequência dos eventos extremos de seca e cheia. Além dos dois biomas citados, a pesquisa se propõe a estudar os efeitos da intensificação do clima em cidades da zona costeira como, por exemplo, as localizadas no Estado de Pernambuco. A pesquisa utilizará análise de risco considerando o clima presente e futuro para, em seguida, propor medidas adaptativas que visam o aumento da resiliência dos sistemas estudados. Para isso, as seguintes etapas devem ser realizadas. Seleção de indicadores e índices. Inicialmente, deve-se levantar os indicadores utilizados em trabalhos realizados no âmbito do território brasileiro. Exemplos que podem ser citados são o Plano Nacional de Segurança Hídrica (PNSH) (ANA, 2019) e a Quarta Comunicação Nacional (4CN) (MCTI, 2019). Parte das dimensões dos dois estudos citados acima tem como base indicadores relacionados a eventos extremos. É o caso da disponibilidade hídrica dada pela vazão com 90% de permanência (Q90), resiliência (reservação de água, potencial de armazenamento subterrâneo e variabilidade pluviométrica), ecossistêmica (vazão Q95) e vulnerabilidade a inundações. Processamento dos dados. Os dados básicos para o cálculo dos indicadores consistem de variáveis hidrometeorológicas como precipitação, temperatura do ar, vazão nos rios, armazenamento em aquíferos, umidade do solo, dentre outras. Dados medidos em estações in situ, produtos de sensoriamento remoto, reanálises e Modelos de Circulação Global (MCG) compõem o rol de possibilidades de fontes. Para a avaliação relacionada aos cenários do IPCC, deve-se utilizar os dados provenientes das simulações dos Modelos de Circulação Global (MCG) do Coupled Model Intercomparison Project Phase 6 (CMIP6). Modelagem hidrológica e cálculo dos índices. Após seleção, os indicadores serão calculados com base nas variáveis hidrometeorológicas. A vazão nos rios será uma variável chave na análise de eventos extremos associados à segurança hídrica nas áreas de estudo. Com as séries temporais de descargas nos rios, será possível calcular as vazões de referência Q5, Q10, Q90, Q95 e Q7,10. Para a obtenção das séries de vazões, será selecionado um modelo que permita a representação dos processos hidrológicos tendo como entrada a precipitação, evapotranspiração potencial, mapas de cobertura e uso da terra, tipo de solo, dentre outras informações. Dois modelos são potenciais candidatos para simulação nas áreas de estudo. O Modelo Hidrológico de Grandes Bacias (MGB-IPH) já foi aplicado satisfatoriamente em escalas comparáveis às que o projeto se propõe a estudar (Ribeiro Neto et al., 2016; Brêda et al., 2020). Outra possibilidade é o modelo WRH-Hydro Modelling System (WRF-Hydro) desenvolvido no National Center for Atmospheric Research dos Estados Unidos (NCAR) (Gochis et al., 2014). Risco de impacto. Tomando-se o arcabouço teórico proposto em IPCC (2014), o risco de impacto será estimado com as dimensões de ameaça climática, vulnerabilidade e exposição. Na literatura, as análises de risco seguem normalmente essa tríade e atuam na quantificação da frequência dos eventos e de seus respectivos danos. Consequentemente, análises probabilísticas podem ser executadas para o desenvolvimento de índices e mapeamento do risco. A dimensão da ameaça climática será tratada conforme descrito nos itens anteriores da metodologia (processamento de dados do CMIP6, simulação hidrológica e cálculo dos indicadores). A vulnerabilidade será composta por indicadores capazes de representar os aspectos de sensibilidade dos sistemas e da capacidade adaptativa nas condições atuais das áreas de estudo. A exposição deve seguir estratégia semelhante no que diz respeito à sua caracterização conforme as condições atuais. Estratégias de recuperação hídrica no NEB. É necessário desenvolver ações que garantam o aumento do estoque de água continental no NEB considerando as magnitudes dos impactos já observados na disponibilidade hídrica e também em condição de aquecimento de 2°C na temperatura regional, que para a região é esperado ocorrer entre 2040 e 2050. Medidas de adaptação. IPCC (2014) chama a atenção para a importância da busca de soluções e medidas adaptativas em consonância com o desenvolvimento sustentável. São os casos, por exemplo, de incremento de infraestruturas e consumo que podem trazer consequências para o meio ambiente. Há opções para adaptação que envolvem de um lado, a melhora na gestão da demanda por água e, por outro lado, a ampliação e garantia de serviços ambientais úteis para lidar com os extremos hidrometeorológicos. Em qualquer situação, o fortalecimento do arcabouço responsável pelo gerenciamento dos recursos hídricos é essencial no enfrentamento dos impactos advindos da variabilidade climática do presente e das mudanças futuras. O Plano Nacional de Segurança Hídrica será investigado através da estrutura de análise socioecológica apresentada por Ostrom (2009). Outras estruturas de investigações de sistemas socioecológicos também poderão ser consideradas no decorrer do projeto.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 15/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Alice Maria Melville Paiva Della Libera

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • o microbioma da glândula mamária bovina: indo mais longe em nossa compreensão dessa questão complexa.
  • A hipótese baseia-se na existência de um microbioma mamário que interage fisiológica e patologicamente, com impacto na eficiência das atuais ações de gestão da mastite bovina, seu perfil microbiológico, imunológico e de resiliência mamária. Pela importância da mastite bovina para produção de leite, muito se investe acerca de patógenos e tratamentos antimicrobianos, progressivamente insustentáveis. Em alguns países, o emprego de antimicrobianos já é legalmente controlado, assim como das exigências de bem-estar animal e boas práticas de produção motivam a quebra de paradigmas sobre a saúde mamária. Outros estudos tiveram o mesmo objetivo, mas os resultados ainda são inconclusivos. A presente proposta parte de validações anteriores e visa investigar a existência de microrganismos comensais em animais nulíparos. Serão triadas pelos critérios de inclusão amostral, oito bezerras, com 12 meses, das quais serão coletadas, três amostras, em rigor de protocolo para análise metagenômica: pele (controle) e duas amostras de tecido mamário em diferentes profundidades. Posteriormente, as amostras teciduais serão processadas, maceradas, tratadas com monoazida de propídio, submetidas à extração de DNA e encaminhadas à análise metagenômica. Uma equipe alinhada em suas competências, internacionalização e com perfil comprovado em estudos anteriores, por suas publicações e registro de propriedade intelectual, integra o estudo e consequente formação de recursos humanos, divulgação científica e apropriação social do conhecimento. O impacto socioeconômico e ambiental da pecuária leiteira exige uma visão global, sustentável, ampliado pelas ciências ômicas. São perspectivas que precedem inovações com propriedade intelectual e inteligência artificial, já descritas em outras espécies e que poderão aumentar a competitividade científica internacional e as oportunidades ao cenário nacional.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025