Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Susy Rodrigues Simonetti

Ciências Sociais Aplicadas

Turismo
  • economia criativa como alternativa de desenvolvimento local: a produção do artesanato e o turismo comunitário nas regiões do alto e baixo rio negro (am)
  • De acordo com o Ministério da Cultura, o turismo se configura como um componente da economia criativa, um setor criativo. Sua importância é inegável na medida em que o desenvolvimento regional está sob orientação estratégica do Governo Federal para a Amazônia, ao apontar a atividade como um dos Arranjos Produtivos Locais (APLs) e que precisa ser desenvolvida visando à sustentabilidade em todas as suas dimensões. Diretamente relacionado a esse setor criativo, sendo considerado um setor criativo nuclear, está o artesanato, foco deste trabalho. O estudo se revela de fundamental importância por entrelaçar a valorização da cultura baseada em saberes tradicionais, nas práticas e na dinâmica econômica local, protagonizada pelas comunidades, cuja lógica difere da perspectiva produtivista do capital, com destaque para o artesanato. Dessa forma, o objetivo deste estudo é conhecer iniciativas e oportunidades em Economia Criativa por meio da produção do artesanato e do turismo na Comunidade do Lago do Acajatuba, a qual se autoidentifica como ribeirinha, região do Baixo Rio Negro, e na Comunidade Indígena do Areal, Alto Rio Negro (AM). Em suas especificidades, pretende-se mapear as iniciativas de Economia da Cultura nas duas áreas; caracterizar a dinâmica das práticas dos atores sociais envolvidos na cadeia produtiva do artesanato; e discutir de que forma o empreendedorismo cultural e criativo se articulam nas comunidades para possibilitar o desenvolvimento do turismo local. Em consonância com tal entendimento, o método dialético e a abordagem quanti-qualitativa conduzirão a pesquisa, cujos procedimentos metodológicos serão baseados na triangulação metodológica e: 1) no aporte de categorias como economia criativa e turismo cultural, no cenário dos debates e estudos vigentes; 2) e na adoção de técnicas e instrumentais, em uma modalidade de pesquisa interação que se constitui em uma abordagem inovadora das premissas e práticas da pesquisa-ação. A abordagem analítica das informações coligidas serão processadas à luz do Método de Análise de Conteúdo de Bardin (1977) composto por um conjunto de técnicas de análise, sequenciadas em três momentos: (a) pré-análise, (b) exploração do material e (c) tratamento dos resultados e a interpretação. Após a obtenção dos dados, serão feitos recortes de enunciados, para efetuar a categorização e estabelecer subcategorias dos dados, os quais serão ordenados a partir de aspectos cognitivos, práticos, críticos e afetivos. No que se refere às fontes de informação, serão utilizados dados de origem primária, com coleta de dados junto aos informantes in loco, e dados de origem secundária, cujas informações produzidas e organizadas sobre o contexto estudado e sobre o público alvo, estão disponíveis em relatórios, atas, mapas, entre outros. Quanto aos instrumentais de coletas de dados, destacam-se: entrevistas semiestruturadas, conversas informais e formulário (com questões abertas e fechadas) do levantamento socioeconômico (com 15 artesãos associados em cada comunidade, informantes chave, lideranças e para o mapeamento das iniciativas de Economia Criativa); caderno de campo, registros fonográficos e fotográficos (da produção de artesanato da comunidade); observação sistemática e assistemática (acompanhamento de atividades produtivas, político-organizativas e culturais - festas, celebrações). Os resultados e produtos gerados no estudo servirão para subsidiar as práticas organizativas e produtivas das comunidades participantes do estudo. Além de fornecer informações qualificadas para a atuação de profissionais de diferentes áreas, seja junto às comunidades locais ou em outros contextos similares com as devidas adaptações.
  • Universidade do Estado do Amazonas - AM - Brasil
  • 18/02/2019-31/10/2022