Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Tânia Maria de Araújo

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • vigilância e monitoramento de doenças infecciosas entre trabalhadores e trabalhadoras do setor saúde
  • Este estudo encontra-se estruturado em quatro subprojetos que destinam-se, em conjunto, a: (a) estimar a ocorrência de três grupos de doenças infecciosas (hepatites virais, HIV e Sífilis) entre trabalhadores da saúde no Brasil e na Bahia, utilizando dados do SINAN; (b) conduzir estudo epidemiológico para avaliação dessas doenças infecciosas entre trabalhadores da atenção básica e de média complexidade em dois municípios da Bahia, analisando os fatores associados à sua ocorrência, com destaque para as exposições ocupacionais, uma vez que a contaminação de dois dos agravos estudados é determinada ou facilitada pelas características e condições do ambiente de trabalho; (c) avaliar as medidas profiláticas existentes, nível de utilização dessas medidas, bem como conhecer as barreiras de acesso ou outros aspectos que impedem ou favorecem a adoção dessas medidas; (d) propor um sistema de monitoramento e acompanhamento dos trabalhadores da saúde com a finalidade de intensificar as medidas para combate das doenças infecciosas no trabalho em saúde, na rede de atenção à saúde. Este projeto será desenvolvido com a participação de três universidades públicas (UEFS, UFRB e UFBA) e os serviços de saúde dos municípios envolvidos (Atenção Básica, CEREST e CTA). Para cada um desses subprojetos desenhou-se procedimentos metodológicos específicos. O subprojeto 1 utilizará dados de um sistema de informação, o SINAN. No segundo subprojeto será conduzido inquérito para avaliação da situação de saúde dos trabalhadores para as doenças infecciosas de interesse neste estudo (HIV, hepatites virais e sífilis), bem como das características e condições de trabalho. Será utilizado questionário com informações sociodemográficas e ocupacionais e realizados testes rápidos para detecção/triagem das doenças de interesse. No terceiro subprojeto será realizado estudo qualitativo para análise do conhecimento dos trabalhadores sobre as medidas profiláticas existentes para proteção contra as doenças infecciosas e os fatores que determinam, dificultando ou estimulando, o uso dessas medidas. A análise dos aspectos subjetivos será privilegiada neste estudo. O subprojeto quatro tem finalidade aplicada, visando tornar os dados coletados e analisados úteis para a biossegurança e gestão das condições de trabalho nos serviços de saúde estudados. Assim, objetiva contribuir para o esboço de um sistema de informação para monitoramento e acompanhamento das situações de exposição e de ocorrência de doenças no setor saúde. Os resultados deste estudo contribuirão para o adequado dimensionamento de questões relativas às doenças infecciosas, especialmente aquelas relacionadas ao trabalho em saúde, bem como de medidas que poderão ser adotadas para o enfrentamento das doenças infecciosas entre esses trabalhadores.
  • Universidade Estadual de Feira de Santana - BA - Brasil
  • 01/06/2017-31/07/2021
Foto de perfil

Tânia Maria de Moura

Ciências Biológicas

Botânica
  • estudos taxonômicos, filogenéticos e biogeográficos para os táxons de lupinus l. (leguminosae – papilionoideae) ocorrentes no leste da américa do sul
  • Leguminosae é a terceira maior família de Angiospermas em número de espécies e a segunda maior em importância econômica. É representada por mais de 770 gêneros agrupados em seis subfamílias. Papilionoideae é a maior delas, com mais de 400 gêneros. Dentre estes, Lupinus destaca-se pelo número de espécies (220-230 spp.), por sua ampla distribuição geográfica e pelo alto grau de endemismo. As espécies do gênero apresentam vasta diversidade morfológica e são de problemática delimitação. Diversos estudos sobre Lupinus têm sido publicado ao longo dos anos. No entanto, a delimitação de muitos táxons ainda é imprecisa e tratamentos taxonômicos abrangendo grandes grupos ou amplas áreas geográficas ainda são escassos. Estudos filogenéticos apontam o gênero como monofilético, de origem no velho mundo e subdividido em três linhagens principais: (1) espécies ocorrentes no Mediterrâneo e norte da África, grupo irmão dos táxons unifoliolados da América do Norte; (2) espécies no leste da América do Sul, grupo irmão dos representantes de inflorescências azuladas da América do Norte; e (3) aquelas à oeste do Novo Mundo, representadas pelos táxons distribuídos na região dos Andes e no México, derivados de diferentes linhagens ocorrentes no oeste dos Estados Unidos da América. A maioria dos estudos desenvolvidos até o momento focam nas espécies ocorrentes no oeste do Novo Mundo. Até o momento, 59 táxons, muitos com delimitações problemáticas, são registrados para o leste da América do Sul; apenas 17 espécies foram amostradas em estudos filogenéticos. Portanto, pouco se sabe sobre as relações evolutivas entre os representantes presentes nessa porção do continente. Além disso, hipóteses relacionadas às rotas de colonização das espécies nessa região são escassas. Sendo assim, o presente trabalho tem por objetivo apresentar um tratamento taxonômico para as espécies de Lupinus ocorrentes no leste da América do Sul e elucidar hipóteses filogenéticas e biogeográficas para os táxons ocorrentes nessa região
  • Universidade Estadual do Centro-Oeste - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022