Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Adriano Sakai Okamoto

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • avaliação proteômica e microbiômica na modulação da microbiota cecal de frangos de corte contra salmonella heidelberg induzida pela comunicação de bactérias ácido láticas
  • O Brasil é o maior exportador de carne de frango, conforme informativo da Associação Brasileira de Proteína Animal de 2019, o que aumenta sua preocupação com a qualidade e segurança alimentar. Por esse motivo, a disseminação de patógenos continua sendo um desafio, principalmente da Salmonella spp., bactéria causadora da salmonelose, uma enfermidade que pode atingir as aves, sendo considerada uma das zoonoses mais comuns e importantes. Assim, como prevenção à colonização da mucosa intestinal por enteropatógenos, produtos com a função de modular a microbiota intestinal da ave, tais como os probióticos, majoritariamente compostos por bactérias ácido láticas (BALs) foram desenvolvidos. Além do antagonismo direto sobre as salmonelas, as BALs exercem um mecanismo de comunicação bacteriana, o qual impele a microbiota intestinal a inibir o patógeno de forma coletiva. Ao alcançar uma densidade populacional mínima, esse comportamento é desencadeado, levando ao reconhecimento e secreção de peptídeos indutores. O objetivo desse estudo será avaliar a potencialização da inibição de Salmonella Heidelberg por amostras de bactérias ácido láticas, in vitro e in vivo, moduladas por indutores da comunicação bacteriana, analisando a composição do indutor por proteômica e avaliação da microbiota cecal da ave por análise microbiômica antes e após a comunicação bacteriana.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 07/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Afonso de Albuquerque

Ciências Sociais Aplicadas

Comunicação
  • a internacionalização da pesquisa brasileira em comunicação: concepções, desafios e oportunidades
  • A academia brasileira tem incorporado métricas de internacionalização como indicadores de qualidade nas políticas científicas. No entanto, os elementos a definirem “pesquisa de qualidade” se consolidaram orientadas pela expansão econômica global do ensino superior nos anos 1990, em torno dos princípios do capitalismo acadêmico. Geridos por instituições privadas, os rankings que propõem medir qualidade e impacto da produção científica privilegiam instituições e periódicos dos Estados Unidos, Reino Unido e outros países ocidentais, favorecendo a circulação científica em veículos acadêmicos de acesso restrito (muitos inacessíveis aos pesquisadores brasileiros). Diante deste cenário de limitações à circulação em circuitos internacionais de prestígio, a ideia de internacionalização precisa ser avaliada à luz dos desafios que a compreendem. Quais as consequências que essas políticas trazem à produção científica de pesquisadores brasileiros da área de Comunicação? Além de identificar os desafios impostos à internacionalização da produção brasileira em Comunicação, esta pesquisa busca inventariar e desenvolver indicadores de internacionalização capazes de reconhecer os obstáculos enfrentados quanto à circulação em periódicos estrangeiros bem qualificados. A intenção é oferecer subsídios capazes de aprimorar as políticas científicas nacionais a fim de refletir o estado atual da área e que permitir uma integração mais efetiva entre comunidades de cientistas nacionais e internacionais. A equipe acumula produção científica internacional e experiência metodológica. Pretende-se, através de coleta de dados acerca de publicações qualificadas internacionais, elaborar análises de redes bibliométricas; aplicar surveys e entrevistas semiestruturadas com os pesquisadores brasileiros da área sobre suas percepções sobre internacionalização; e elaborar indicadores (a partir de método Delphi) para medir o desempenho da internacionalização da área, consolidados em uma plataforma pública.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 18/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Afonso Luís Barth

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • instituto nacional de pesquisa em resistência a antimicrobianos
  • A resistência aos agentes antimicrobianos (RA) foi considerada por muito tempo apenas um problema clínico em infecções hospitalares, e, geralmente, confinado apenas àqueles pacientes mais graves. Entretanto, o fenômeno da RA vem tornando-se um desafio complexo de saúde pública global, e a aplicação de uma estratégia única ou simples não será suficiente para conter totalmente o surgimento e propagação de microrganismos infecciosos com capacidade de adquirir resistência aos agentes antimicrobianos disponíveis. A atual falta de novos agentes antimicrobianos para substituir aqueles que se tornam clinicamente ineficazes traz urgência no desenvolvimento tecnológico de novas ferramentas face à busca de novos agentes, adicionada à necessidade de proteger a eficácia dos antimicrobianos já existentes. O Brasil, um país com dimensões continentais, e o maior da América Latina, é caracterizado por muitas variações geográficas e econômicas, além de possuir importantes centros médicos de excelência. A formação de uma rede efetivamente integrada de pesquisadores envolvidos na questão de “resistência bacteriana” no país deverá atender esta demanda e permitirá estabelecer um padrão de atuação entre os diferentes laboratórios do Brasil. Com a utilização de tecnologias inovadoras, o INPRA pretende prestar serviços para a identificação e caracterização molecular de mecanismos de resistência em amostras bacterianas de origem clínica (hospitalar e comunitária) e ambiental, estabelecer critérios nacionais de padronização do teste de suscetibilidade atuando em conjunto com o BrCAST, avaliar a atividade antimicrobiana de moléculas bioativas de diversas fontes da biodiversidade brasileira, além de criar um banco de dados representativo do território nacional, permitir a transferência dos conhecimentos e tecnologias adquiridos para laboratórios de pequeno e médio portes, formar recursos humanos especializados e firmar parcerias com órgãos governamentais, como a ANVISA. O Instituto será constituído de 14 laboratórios associados, os quais atuarão em seis núcleos principais para cumprir os objetivos de pesquisa. Além da integração entre os pesquisadores dos diferentes grupos de pesquisa, o grupo pretende firmar acordos de cooperação com diversos pesquisadores internacionais e com instituições públicas de saúde e educação.
  • Hospital de Clínicas de Porto Alegre - RS - Brasil
  • 28/11/2016-30/11/2024
Foto de perfil

Afonso Luís Barth

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • aplicação das tecnologias ômicas para caracterização de biomarcadores microbianos e protéicos em pacientes com sepse
  • A Sepse é uma resposta imunológica desregulada à infecção resultando em disfunção orgânica e potencialmente morte, sendo um grande problema de saúde pública. O Brasil tem uma das maiores taxas de mortalidade por sepse no mundo, com mais de 15 mil casos/ano e 32,2% de mortalidade, segundo o Instituto Latino-Americano de Sepse (ILAS). Alterações no microbioma intestinal (MI) podem predispor à sepse, permitindo a proliferação de microrganismos patogênicos, (inclusive multirresistentes como Enterococcus spp e Escherichia coli), com a redução de microrganismos considerados benéficos, dos filos Bacteroidetes e Firmicutes, e consequente diminuição da produção de ácidos graxos de cadeia curta. A hipótese principal deste estudo é que biomarcadores associados a disfunção do MI podem ser preditores para o desenvolvimento de sepse, bem como marcadores de gravidade da doença, pois a disbiose gera um ciclo vicioso de ruptura da microbiota intestinal, promovendo alterações imunológicas que podem favorecer o desenvolvimento da sepse (Matteo Bassetti et al., 2020; William D. Miller et al., 2021). Assim, o objetivo deste estudo será caracterizar marcadores microbiológicos e protéicos em pacientes com sepse que possam ser utilizados como preditores da doença e/ou marcadores de prognóstico. Dados de abundância, diversidade e estrutura do MI serão avaliados e relacionados com dados de expressão gênica microbiana e dados clínicos dos pacientes. O estudo das rotas e interações metabólicas também será aplicado para ampliar a caracterização dos biomarcadores. Utilizaremos as técnicas de metaproteômica e o sequenciamento do 16S rRNA (metagenômica) usando amostras de fezes de pacientes internados com infecção, sendo um grupo com sepse (caso) e o outro sem sepse (controle). Os resultados contribuirão no desenvolvimento de estratégias terapêuticas inovadoras para modulação do MI, com potencial para alteração do impacto da sepse na morbimortalidade de pacientes hospitalizados.
  • Hospital de Clínicas de Porto Alegre - RS - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Afranio Rodrigues Pereira

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • ressonância e acoplamento entre gelos de spin artificiais termodinâmicos e supercondutores
  • Nesta proposta investigaremos a termodinâmica de GSA fabricados através de desbaste físico de filmes finos com 25nm de Gadolínio ou Nitreto de Gadolínio, os filmes são crescidos por Sputtering pelo grupo do professor Moodera no Massachusetts Institute of Technology MIT – USA e nanofabricados no INL, mas passarão a ser crescidos e nanofabricados no LabSpiN, com a aquisição de sistema de nanolitografia. Também serão realizadas investigações teórico-experimentais basicas do acoplamento mediado por portadores de carga por medidas de magnetização e ressonância em função da temperatura e da transição supercondutoras da camada metálica interligando as ilhas.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 18/02/2019-31/05/2022