Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Anete Trajman

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • diagnóstico auxiliado por computador para exclusão de tuberculose ativa em contatos de pacientes com tuberculose pulmonar – quebrando a cadeia de transmissão
  • Apesar de evitável e curável, a tuberculose (TB) ainda é a principal causa de morte por um único agente infeccioso no mundo.(1) Diferentes estratégias para aumentar a detecção da TB e a conclusão do tratamento nas últimas duas décadas não permitiram atingir as metas dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas para incidência de TB e declínio da mortalidade. A OMS(2) e as Nações Unidas(3) têm agora metas específicas para eliminar a TB até 2050 (End TB Strategy), e o tratamento preventivo da TB (TPT) desempenha um papel estratégico para atingir essas metas.(4) A prevenção da TB ativa através do tratamento da infecção latente por Mycobaterium tuberculosis (ILTB) é uma pedra angular para alcançar a eliminação da TB.(5) A ILTB afeta cerca de 25% da população mundial(6) e aqueles com alto risco de progressão para TB ativa, como pacientes com condições imunossupressoras ou com infecção recente, devem ser tratados para prevenir adoecimento. Os contatos de pacientes com TB pulmonar ativa são a maior população existente direcionada ao tratamento com ILTB. A declaração das Nações Unidas de 2018 recomenda tratar, até 2022, 6 milhões de pessoas vivendo com HIV (PVH), 4 milhões de contatos de crianças e 20 milhões de contatos de adultos de pacientes com tuberculose ativa.(7) Isso não é uma tarefa fácil, porque a cascata do cuidado com os contatos inclui várias etapas, desde o teste da ILTB, a exclusão da TB ativa e a prescrição e adesão ao tratamento. Muitas perdas ocorrem em todas as etapas dessa cascata, e menos de 20% daqueles destinados ao tratamento completam o TPT.(8) No Brasil, menos de 2% completam o TPT, com as maiores perdas nos estágios iniciais da cascata.(9) O passo da exclusão da TB ativa é um gargalo em muitos países de baixa e média renda (LMIC, da sigla em inglês), incluindo o Brasil. Atualmente, a OMS(4) e o Ministério da Saúde do Brasil(10) recomendam a triagem de sintomas e a radiografia de tórax (RxT). O risco de adoecimento é tão alto nas PVH e em crianças com menos de 5 anos de idade que a OMS recomenda que em países de alta carga da doença (todos LMIC), essa etapa possa ser pulada nessas duas subpopulações. O Brasil, no entanto, recomenda RxT em todos os contatos antes que o TPT possa ser prescrito.(10) A indisponibilidade da RxT e a necessidade de especialistas para interpretar os resultados atrasam ou impedem a exclusão da TB e portanto o início do TPT. Alterações do parênquima pulmonar por doenças que não TB ativa incluem sequelas de TB (fibrose, bronquiectasias, cavidades, calcificações), doença pulmonar obstrutiva crônica, pneumonias agudas, tumores, adenomegalias entre outras. Diversas imagens pulmonares que aparecem nos pacientes com a COVID-19, que recentemente atingiu já milhares de pessoas no planeta e pode acometer mais de metade da população, mesmo sem provocar sintomas, podem permanecer como sequela pulmonar, dificultando ainda mais a interpretação da RxT. Aplicativos que utilizam inteligência artificial foram desenvolvidos para superar essa barreira.(11–13) Nossa equipe tem trabalhado em estratégias para simplificar a cascata de atendimento de contatos e PLH para expandir o TPT nos LMIC. Anteriormente, trabalhamos em um novo teste baseado em soro para excluir TB, que apresentou um elevado valor preditivo negativo.(14) No projeto atual, pretendemos validar e desenvolver aplicativos para ler RxT de contatos e distinguir (a) padrões normais; (b) lesões parenquimatosas não relacionadas à TB e (c) lesões ativas da TB. O aplicativo desenvolvido pelo grupo será disponibilizado para incorporação no SUS, sem custos. Isso permitiria a exclusão no mesmo dia da TB ativa e a possibilidade de prescrição de TPR. Para isso, trabalharemos com uma equipe multidisciplinar que incluirá especialistas em TB, saúde pública e engenheiros especializados em inteligência artificial. Para aprendizado de máquina, usaremos um banco de dados RxT normal, de participantes de dois ensaios clínicos de diferentes regimes para tratar LTBI(15,16) e bancos de dados disponíveis publicamente de múltiplos RxT com e sem TB.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 20/06/2020-30/06/2023
Foto de perfil

Angel Roberto Barchuk

Ciências Biológicas

Genética
  • redes de expressão gênica responsáveis pela plasticidade do desenvolvimento cerebral em resposta a diferenciais nutricionais – o modelo apis mellifera
  • O desenvolvimento de características complexas é influenciado por sinais ambientais cujos diferentes inputs são integrados no sistema genômico através da participação de mediadores epigenéticos. Na abelha altamente social Apis mellifera, diferenciais nutricionais durante o desenvolvimento pós-embrionário conduzem ao surgimento de fêmeas adultas fenotipicamente diferentes, conhecidas como rainhas e operárias. Um dos eventos que definem este difenismo é o desenvolvimento do cérebro larval. Nosso grupo mostrou que as larvas de rainhas, que são alimentadas com grandes quantidades de geleia real, desenvolvem um cérebro maior e mais rapidamente do que as de operárias, e que este desenvolvimento diferencial acontece a partir do quarto estágio larval (L4). Estes resultados mostram que o diferencial nutricional favorável às rainhas determina o desenvolvimento diferencial do sistema nervoso. Porém, hipotetizamos que as diferenças morfológicas encontradas em L4 devem ser determinadas molecularmente em estágios larvais anteriores. Esta determinação inicial estaria representada pela interação entre os produtos de vários genes, na forma de uma rede de expressão que responde ao diferencial nutricional, responsável pela geração de diferenciações morfológicas observadas em estágios seguintes. Assim, propomos identificar no cérebro de L3 genes que respondam ao diferencial nutricional e sejam responsáveis pelo difenismo cerebral inicial destas castas. Para isso, usando RNA-Seq, obteremos os transcriptomas e genes diferencialmente expressos de cérebros L3 de rainhas e operárias. Com esses dados e os disponíveis sobre microRNAs (presentes nas geleias real e de operárias e os conhecidamente associados a processos neurogênicos) elaboraremos redes complexas conceituais de interação gênica. Estas redes serão testadas mediante duas abordagens, i. Descritiva: RT-qPCR e imunolocalização de produtos proteicos; ii. Funcional: Ensaios in vitro de interação microRNA-mRNA alvo usando construções com o gene da luciferase como repórter e ensaios in vivo utilizando antagomirs na dieta de larvas em desenvolvimento.
  • Universidade Federal de Alfenas - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ângela Adriane Schmidt Bersch

Ciências Humanas

Educação
  • a corporeidade e a ludicidade nas infâncias
  • O projeto de pesquisa objetiva identificar os papéis dos educadores na mediação das infâncias em contextos ecológicos microssistêmicos; estabelecer a relação com a perspectiva sistêmica na formação de educadores ambientais; investigar a cultura corporal, o movimento lúdico e a corporeidade nas e com as infâncias em diferentes contextos formais e não formaisdo município de Rio Grande e região. Nossa aposta é que através da práxis entre e com os educadores nos momentos formativos possamos escutar as inquietações, as angústias, as certezas, as expectativas para que assim, possamos criar um questionário semi-estruturado pelos e com os apontamentos dos educadores das infâncias, seguido de entrevista reflexiva. E na sucessão será organizado uma formação com os educadores para assim, poder dar um retorno e ao mesmo tempo pela oportunidade de vivenciar as experiências com eles. Este processo é o resultado esperados com a pesquisa, ou seja, um espaço para compartilhar, escutar, identificar os papéis dos educadores, investigar a cultura corporal, o movimento corporal lúdico nas infâncias e a corporeidade.
  • Universidade Federal do Rio Grande - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Angela Borges Masuero

Engenharias

Engenharia Civil
  • estimativa da vida útil de fachadas a partir da investigação da sua degradação
  • As fachadas dos edifícios interferem não apenas na arquitetura, mas também no entorno da edificação, valorizando ou desvalorizando os espaços, de acordo seu nível de manutenção e/ou degradação. A importância da manutenção das edificações e estudos que busquem garantir sua vida útil é inquestionável. A atividade da construção civil é bastante poluidora, assim, aumentar o tempo de uso das edificações é de extrema relevância do ponto de vista ambiental. No entanto prever esta vida útil ainda é uma questão em aberto. Assim, o objetivo desta pesquisa é colaborar com o entendimento da deterioração das fachadas dos edifícios com revestimento em argamassa - revestimento amplamente utilizado nos mais diversos padrões de edificação, tornando-se de grande interesse social- relacionadas aos materiais e agentes agressivos bioclimáticos, baseado na degradação das edificações e assim prever, ainda em fase de projeto, a vida útil destes revestimentos, períodos de a manutenção a partir do mapeamento e da mensuração de danos e simulações higrotérmicas deste componente. Com os resultados, pretende-se calcular os fatores de degradação das amostras através de métodos bastante utilizados internacionalmente, gerando gráficos que estimem a degradação ao longo do tempo, e assim, relacioná-los com ações de manutenção e vida útil dos elementos analisados. Ainda espera-se compreender quais as regiões de fachadas estão mais suscetíveis à deterioração além de soluções que possam diminuir a degradação dos materiais quando expostos aos agentes bioclimáticos locais, aumentando sua vida útil.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Angela Burlamaqui Klautau

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • propriedade magnéticas e dinâmicas de nano-magnetos
  • Neste projeto, objetivamos realizar estudos teóricos de nano-sistemas magnéticos, utilizando métodos ab initio de cálculo de estrutura eletrônica e dinâmica de spin atomística. O nosso projeto tem como meta o aprimoramento de ferramentas teóricas avançadas baseadas em métodos ab initio de cálculo de estrutura eletrônica, para analisar resultados experimentais e, também, predizer as propriedades de nanoestruturas magnéticas metálicas com potencial para aplicações tecnológicas. Os tópicos e sistemas principais de interesse são: investigação de materiais com configuração magnética complexa, correlações eletrônicas, propriedades espectroscópicas e dinâmica de spin atomística. Mais especificamente, pretendemos implementar a obtenção do parâmetro de Gilbert (damping) como um pós-processamento de cálculos em métodos de primeiros princípios. Essa nova funcionalidade será, então, empregada para sistemas de interesse como as multicamadas metálicas com potencial aparecimento de estruturas magnéticas topologicamente protegidas, chamadas de skyrmions e no estudo de pequenas excitações magnéticas para executar novas operações lógicas (magnonics). Também estudaremos a origem microscópica da interação de troca de materiais clássicos e sistemas complexos. A realização deste projeto permitirá dar prosseguimento aos nossos estudos nesta área, que têm resultado em publicações recentes em periódicos como Physical Review Letters, Nature-Scientific Reports, Physics Review B e Journal of Physics – Condensed Matter. Com esta proposta pretendemos obter recursos de custeio para manutenção de estações de trabalho (workstations) de alto desempenho do grupo de Nanomagnetismo Teórico (NanomagTheor), coordenado pela pesquisadora proponente desta proposta, permitindo assim, realizar as implementações de novas funcionalidades nos métodos de primeiros e cálculos dos sistemas propostos. Além dos estudos citados, o projeto terá uma forte componente na formação de estudantes através do desenvolvimento de dissertações de mestrado e de teses de doutorado, a serem orientadas pela proponente desta proposta na Universidade Federal do Pará (UFPA). Também objetivamos dar continuidade nas cooperações científicas entre o grupo de pesquisa NanomagTheor da UFPA, e grupos de pesquisa da Universidade de São Paulo e da Universidade de Uppsala (Uppsala University). Note-se que estes grupos, brasileiros e estrangeiro, possuem habilidades e técnicas complementares, permitindo abordar problemas bastante complexos e de interesse em nanomagnetismo. Com esta proposta solicitamos também duas bolsas de iniciação científica, e objetivamos também oferecer aos alunos de Iniciação Científica envolvidos nesta proposta um treinamento dirigido para Física da Matéria Condensada, permitindo um embasamento sólido para que estes possam vir a desenvolver seus trabalhos de pós-graduação nesta área. Como indicador de desempenho, ao final deste projeto, deveremos ter publicado artigos em revistas internacionais de alto impacto, além de ter inserido estudantes de pós-graduação do Brasil em pesquisas que envolvam problemas que são o estado-da-arte em nanomagnetismo.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Angela Fabíola Alves Chagas

Lingüística, Letras e Artes

Lingüística
  • língua ikpeng: contribuições para a prática escolar e para o conhecimento científico
  • Este projeto tem como primeiro objetivo a elaboração de materiais que possuam relevância e aplicação direta na educação escolar do povo Ikpeng (Karib), na área de língua materna, contribuindo assim para melhorias no processo de escolarização diferenciada desta população indígena. Para isso, o projeto visa a elaboração de uma Gramática Descritiva Básica, de cunho pedagógico, que contenha os principais aspectos fonológicos, morfológicos e sintáticos da língua Ikpeng; de uma Base de Dados Lexical, em formato de glossário, a ser anexado à gramática, que futuramente poderá vir a ser um Dicionário Bilíngue Ikpeng/Português, e de uma coletânea de narrativas tradicionais, em língua Ikpeng, que permitirá o acesso igualitário entre os membros da comunidade às memórias ancestrais do povo e facilitará a aprendizagem de leitura/escrita na língua nativa. Um segundo objetivo do projeto, intrinsecamente vinculado ao primeiro, consiste em contribuir para o conhecimento científico sobre a língua Ikpeng que, como é o caso da maioria das línguas indígenas do continente, ainda carece de documentação e descrição com o grau de amplitude e o nível de profundidade desejados. O aprofundamento da descrição da língua Ikpeng é de interesse ao estudo da Tipologia Linguística, da Fonética e Fonologia, além de servir de aporte crucial para o aprofundamento de estudos histórico-comparativos da família linguística Karib.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ângela França Versiani

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • relações no desenvolvimento da capacidade absortiva: um estudo nas indústrias de minas gerais e santa catarina
  • Este projeto tem como objetivo analisar o papel da aprendizagem dos agentes sociais, das rotinas e dos mecanismos organizacionais na capacidade absortiva das empresas. Sua elaboração teórica se respalda no debate contemporâneo sobre a sequência dos processos adotados pelas empresas para absorver conhecimentos externos e aplicá-los a fins de inovação. Uma das lacunas de pesquisa suscitadas por esse debate está em revelar como as relações configuram a capacidade absortiva das empresas. Visando contribuir para dirimir tal lacuna, propõe-se uma pesquisa que contemple as empresas do setor de fabricação dos produtos químicos e farmacêutico do estado de Minas Gerais e o estado de Santa Catarina. O desenho metodológico combinará as estratégias do método qualitativo e quantitativo para permitir abrangência e profundidade, concomitantes, dos resultados de pesquisa
  • Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Angela Luzia Branco Pinto Duarte

Ciências da Saúde

Medicina
  • ensaios pré-clínicos para avaliação da atividade imunomoduladora e anti-fibrótica da vitamina d na esclerose sistêmica
  • A Esclerose Sistêmica é uma doença do tecido conjuntivo, de etiologia desconhecida, caracterizada essencialmente por fibrose progressiva da pele e órgãos internos. Apesar de ser uma doença relativamente rara, é considerada de extrema importância dentro da Reumatologia, tendo em vista seu importante impacto na morbimortalidade, sendo considerada a mais grave das colagenoses. Os mecanismos fisiopatogênicos são complexos e ainda pouco compreendidos, traduzindo a heterogeneidade clínica da doença e a dificuldade em se estabelecer um tratamento eficaz. Até o momento, as modalidades terapêuticas disponíveis são direcionadas para o tratamento dos sintomas, não existindo ainda nenhum fármaco que comprovadamente atue interferindo na progressão da fibrose, que representa a via final comum da doença. Neste contexto, fica clara a necessidade de estudos que visem à descoberta de novos alvos e de novos fármacos a serem utilizados no tratamento desta doença. A vitamina D têm sido alvo de um número crescente de pesquisas nos últimos anos, demonstrando sua função além do metabolismo do cálcio e da formação óssea, incluindo sua interação com o sistema imunológico. Além da evidência de maior prevalência de hipovitaminose D em pacientes com doenças reumáticas autoimunes, foi descrita associação com atividade da doença em lúpus eritematoso sistêmico e artrite reumatoide. Estudos in vitro sugerem uma inibição das vias Th1 e Th17, além de um possível efeito antifibrótico. Sendo assim, o objetivo geral desta proposta é avaliar a atividade imunomoduladora e anti-fibrótica da vitamina D em células mononucleadas do sangue periférico e em fibroblastos de pacientes com Esclerose Sistêmica. Trata-se de uma proposta multidisciplinar e de relevante impacto científico. Para a execução das diversas atividades necessárias para o desenvolvimento do projeto serão incluídos pacientes portadores de Esclerose Sistêmica, selecionados do ambulatório especializado no Serviço de Reumatologia do Hospital das Clínicas-UFPE, sob coordenação da Profa. Dra. Angela Duarte, Professora Titular e Chefe do Serviço de Reumatologia do HC-UFPE. Esses pacientes serão submetidos a coleta de sangue e biópsia de pele para avaliar como estas células respondem após o tratamento com a vitamina D. Os ensaios biológicos serão realizados no Núcleo de Pesquisa em Inovação Terapêutica (NUPIT) da UFPE e coordenado pela Profa. Dra Maira Galdino da Rocha Pitta, Profa. Adjunto/DE da UFPE. Vale ressaltar que este projeto é de grande importância para a pesquisa na UFPE, pois permite firmar colaborações entre os médicos professores da área clínica do Hospital das Clínicas e os pesquisadores da área básica da UFPE. Além disso, busca-se o aprimoramento do conhecimento sobre aspectos imuno-farmacológicos e sua aplicação na prática clínica, fortalecimento das condições para a implantação de ensaios clínicos adequados para pesquisa qualificada e de ponta, contribuindo assim para o conhecimento científico na nossa região. Destaca-se também que aprovação deste projeto dará parte do suporte financeiro necessário ao desenvolvimento do projeto de pesquisa submetido e aprovado pela coordenadora da presente proposta no edital de bolsa de produtividade em pesquisa.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 01/06/2017-31/10/2020
Foto de perfil

Angela Maria Geraldo Pierin

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • o controle da pressão arterial em hipertensos em tratamento ambulatorial: avaliação da adesão ao tratamento e implementação de um sistema de orientação por telefonia móvel em ensaio clínico randomizado
  • Introdução A hipertensão arterial é uma doença crônica com prevalência em torno de 30% em nosso meio e é um dos principais fatores de risco para as doenças cardiovasculares. O controle da pressão arterial é a forma mais eficaz para evitar as complicações da hipertensão, porém suas taxas ainda são insatisfatórias e frequentemente associadas à baixa adesão ao tratamento. Dessa forma, os profissionais de saúde devem adotar novas estratégias de intervenção para aumentar o controle dos hipertensos como o envio de mensagens pelo telefone celular. Objetivos Avaliar a adesão ao tratamento e o controle da pressão arterial; e comparar o efeito do envio de mensagens de texto por telefonia móvel versus a assistência usual, em hipertensos com acompanhamento ambulatorial. Métodos O estudo será realizado no ambulatório da Unidade de Hipertensão da Disciplina de Nefrologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em duas fases. Na fase 1, será realizado estudo exploratório, transversal para avaliar o controle e a adesão ao tratamento em uma amostra aleatória de 253 hipertensos. Os critérios de inclusão são: idade >18 anos, diagnóstico de hipertensão arterial, apresentar escore no Mini Exame do Estado Mental compatível com a escolaridade e aceitar participar do estudo. Os critérios de exclusão na fase 1 são: hipertensão secundária e gestantes. Na fase 2 será realizado um ensaio clínico randomizado para avaliar o efeito do envio de mensagens de texto por telefonia móvel com os hipertensos com pressão arterial não controlada e excluídos aqueles com idade >65 anos, pressão arterial sistólica >180 mmHg e/ou diastólica >110 mmHg, taxa de filtração glomerular <30 ml/min e Índice de Massa Corporal >40 Kg/m². Os hipertensos serão alocados de maneira randomizada em dois grupos (estudo e controle) com 114 participantes em cada grupo. Os hipertensos do grupo estudo irão receber mensagens de texto, tipo SMS, com orientações sobre a doença e tratamento, duas vezes por semana e durante 10 semanas. Os hipertensos alocados no grupo controle receberão os cuidados usuais já realizados na instituição, inclusive panfleto educativo sobre a doença e tratamento. Será realizada entrevista para coleta dos dados biopsicossociais; hábitos e estilos de vida; comorbidades; e medicamentos em uso. Serão coletados ainda, dados antropométricos, exames laboratoriais e medidas da pressão arterial de consultório com aparelho automático validado. Os hipertensos da fase 2, serão avaliados novamente ao final de 10 semanas, inclusive com Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial. Em todos hipertensos da proposta, a adesão ao tratamento medicamentoso anti-hipertensivo será avaliada de maneira direta, através da análise de material biológico (urina) com a técnica da cromatografia líquida de alta eficiência associada à espectrometria de massa; e de forma indireta pela Escala de Adesão Terapêutica de Oito Itens de Morisky (MMAS-8). A proposta foi aprovada por Comitê de Ética e todos que concordarem participar irão assinar Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Os dados serão analisados com teste Qui-quadrado ou teste exato de Fisher. As médias serão comparadas com testes paramétricos (teste t-Student). O nível de significância será de p<0,05.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Angela Maria Moraes

Engenharias

Engenharia Química
  • engenharia tecidual: desenvolvimento de biomateriais poliméricos bioativos associados a células-tronco mesenquimais para a terapia de lesões osteocondrais
  • Um dos grandes desafios da atualidade é prover meios e materiais apropriados para o reparo e a substituição de órgãos e tecidos lesionados ou não funcionais, sendo esta temática de natureza essencialmente multidisciplinar. Percebe-se claramente um apreciável aumento da demanda de técnicas e biomateriais apropriados para este fim, tanto em decorrência de melhorias nas abordagens terapêuticas, que levaram a uma drástica evolução da medicina nos últimos 50 anos, quanto devido ao aumento da expectativa média da vida humana, que aumentou em mais de 10 anos no mesmo período globalmente. Assim, estratégias e materiais que possam ser empregados, por exemplo, para a terapia de lesões em tecidos moles como pele, cartilagem e mucosas, ou tecidos duros, como ossos, são de grande interesse, particularmente para a população de idosos, que apresenta apreciável susceptibilidade a estas condições. Neste contexto, no presente projeto pretende-se envidar esforços no desenvolvimento e caracterização de novos materiais de uso clínico, sintéticos ou de origem natural, que possam ser empregados de forma isolada ou em conjunto com células e outros agentes bioativos com fins terapêuticos. Em particular, tem-se por meta a produção de materiais aplicáveis na terapia de lesões de tecidos cartilaginosos e ósseos. Assim, um dos objetivos específicos do projeto é a obtenção de hidrogéis injetáveis responsivos a estímulos térmicos (líquidos à temperatura ambiente, mas capazes de gelificar em temperaturas próximas e um pouco inferiores a 37 ºC), pelo uso de polissacarídeos biocompatíveis e biodegradáveis. A produção dos hidrogéis será realizada pela mistura de metilcelulose, goma xantana e carboximetil quitosana, pretendendo-se também realizar a incorporação dos fármacos ácido gálico, dexametasona e diclofenaco de sódio e também de MSCs nas matrizes, com vistas ao aumento do resultado terapêutico, além do fator de diferenciação kartogenina, com o objetivo de promover a obtenção de condrócitos. Como fator de estimulação para a produção de tecidos ósseos, pretende-se incorporar aos hidrogéis hidroxiapatita. Espera-se que os hidrogéis sejam citocompatíveis, estáveis e que apresentem apropriadas interações entre os compostos que os compõem, com poros interconectados de pelo menos 300 µm em diâmetro e desempenho adequado quanto à compressão suportada pela cartilagem normal. Outro objetivo específico do projeto é a obtenção de estruturas condrais macroscópicas viáveis por meio da Biofabricação, visando à terapia de lesões em tecidos cartilaginosos, em uma abordagem inovadora que combinará o desenvolvimento de uma biotinta na qual poderão ser suspensos esferoides teciduais obtidos pelo cultivo de células estromais mesenquimais (MSCs) de modo a obter uma estrutura implantável por bioimpressão 3D estabilizada por uma matriz de polímeros sintéticos biodegradáveis. Abordagens relacionadas a aspectos tradicionais de engenharia, como reologia, geometria e propriedades mecânicas apropriadas, estabilidade dimensional durante a impressão, capacidade de absorção e de degradação na presença de soluções que simulem fluidos fisiológicos serão explorados, assim como aspectos biológicos relativos à biocompatibilidade, manutenção da viabilidade, taxa de proliferação e diferenciação celular em condrócitos (típicos de tecidos cartilaginosos). A matriz a ser impressa terá estrutura e geometria inspiradas na análise de tecidos cartilaginosos descelularizados por meio de extração de material orgânico solúvel pelo uso de tensoativos combinados com CO2 em condições supercríticas. Para a realização desta proposta, conta-se com a infra-estrutura da Faculdade de Engenharia Química da UNICAMP e com a parceria de diversos grupos do país e do exterior, por exemplo, das equipes do Dr. Jorge Vicente Lopes da Silva (do Núcleo de Tecnologias Tridimensionais do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer), do Prof. Dr. Ibsen Bellini Coimbra (da Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP), do Prof. Dr. Paulo de Traso Vieira e Rosa (do Instituto de Química da UNICAMP), do Prof. Dr. Lorenzo Moroni (do Departamento de Regeneração de Tecidos Complexos da Universidade de Maastricht, Maastricht, Holanda) e do Prof. Dr. Daniel Kelly (da Escola de Engenharia do Trinity College, Dublin, Irlanda), além do apoio da empresa R.Crio, que atua na área de preservação de células tronco.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ângela Maria Quintão Lana

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • seleção de gramíneas do gênero paspalum para sistemas agrossilvipastoril: avaliação agronômica, nutricional e cinética ruminal
  • A degradação das pastagens tem sido um grande entrave da bovinocultura de corte, sendo as forrageiras a base da alimentação do rebanho, totalizando 215,2 milhões de cabeças (IBGE, 2016). Assim, é fundamental a busca de técnicas para a pecuária capazes de reduzir os impactos ambientais, tornando-a viável para o produtor. O projeto intitulado por “Seleção de Gramíneas do Gênero Paspalum para Sistemas Agrossilvipastoril: Avaliação agronômica, nutricional e cinética ruminal” tem como objetivo avaliar diferentes acessos da gramínea forrageira do gênero Paspalum, visando à busca de um genótipo mais tolerante à restrição da luminosidade e, que apresente boa capacidade de desempenho produtivo aliado à qualidade nutricional da forragem. O experimento será conduzido em casa de vegetação e no campo experimental da Embrapa Gado de Leite, em Coronel Pacheco, Minas Gerais/Brasil. Serão avaliados 22 acessos da gramínea do gênero Paspalum oriundos do banco ativo de germoplasma da Embrapa Pecuária Sudeste. Será avaliada a taxa de germinação e desenvolvimento dos acessos do gênero Paspalum em casa de vegetação (Fase I). No campo, na fase II, os acessos serão avaliados quanto aos aspectos de desempenho produtivo e qualidade nutricional. E ainda, na Fase III do projeto, será estimada a emissão de gases e cinética de degradação ruminal dos componentes nutricionais dos acessos de gramíneas do gênero Paspalum, selecionados na fase anterior com base na produtividade e qualidade nutricional. Os dados da etapa preliminar (Fase I) serão avaliados por teste de agrupamento de Scott-Knott, admitindo taxa de erro α = 0,05. A fase II será submetida à análise de variância (ANOVA) no delineamento inteiramente ao acaso, em arranjo em parcelas subdivididas. As médias serão comparadas pelo teste de Tukey (p<0,05). Para as variáveis, será estimada a correlação de Pearson para avaliação da associação entre as respostas. Na fase III, será utilizado o modelo estatístico no delineamento inteiramente ao acaso em arranjo em parcela sub – subdivididas acessos (A) x 2 taxa de luminosidade x 15 tempos de avaliação, com o acesso na parcela, taxa de luminosidade na subparcela e os tempos de avalição na sub-subparcela, com quatro repetições. Para comparação dos acessos e taxa de luminosidade será utilizada a metodologia de Tukey, enquanto, para os tempos de avaliação será feita estimativa de modelo de regressão. Será admitida a taxa de erro α igual a 0,05 e, posterior cálculo do poder do teste será aplicado nos contrastes.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ângela Pawlowski

Outra

Divulgação Científica
  • iii mostra de tecnologia, educação e ciência (iii m-tec) do instituto federal de educação, ciência e tecnologia farroupilha - campus santo ângelo
  • A III Mostra de Tecnologia, Educação e Ciência (M-TEC) é um evento promovido pelo Instituto Federal Farroupilha (IFFar) - Campus Santo Ângelo e ocorrerá durante a Semana Nacional da Ciência e Tecnologia, no mês de outubro de 2019. O evento é destinado à participação de instituições de ensino médio, técnico, superior e pós-graduação da comunidade local (município de Santo Ângelo) e regional (região Noroeste do estado do Rio Grande do Sul). Em sua primeira edição, o evento foi realizado nos dias 25 e 26 de outubro de 2017 e contou com a apresentação de 115 trabalhos inscritos nas áreas temáticas Ambiente e Saúde, Informação e Comunicação, Recursos Naturais e Interdisciplinar. Os trabalhos foram inscritos mediante a apresentação de um resumo simples, os quais foram avaliados por pares. Os resumos aprovados foram publicados nos anais do evento sob o ISSN 2594-861X. Já em 2018, a II M-TEC contou com a inscrição de aproximadamente 200 trabalhos, dos quais 110 referem-se a trabalhos de estudantes de ensino médio. O evento irá ocorrer nos dias 15 e 16 de outubro do corrente ano, tendo como objetivo oportunizar espaço e tempo para compartilhar trabalhos, estudos e projetos no campo do Ensino, da Pesquisa e da Extensão, elaborados por estudantes e pesquisadores do IFFar e das instituições de ensino da comunidade local e regional, na forma de exposição, apresentação e discussão. Assim, o evento visa o protagonismo dos estudantes como agentes transformadores da sociedade na qual estão inseridos por meio do compartilhamento dos seus saberes, promovendo a popularização da ciência. Os objetivos específicos da proposta de utilização do apoio financeiro incluem a locação de estrutura para a realização de palestras e mostras culturais durante o evento, e, principalmente, o custeio da participação dos palestrantes.
  • Instituto Federal Farroupilha - RS - Brasil
  • 04/12/2018-31/12/2020
Foto de perfil

Angela Salomão Macedo Salinet

Engenharias

Engenharia Biomédica
  • desenvolvimento de sistema de avaliação da circulação encefálica para auxiliar diagnóstico e tratamento de pacientes neurológicos
  • O mecanismo de autorregulação cerebral tem um papel crucial na homeostase encefálica; ele é responsável por manter o fluxo sanguíneo encefálico (FSE) constante apesar da variação da pressão arterial (PA) entre os limites de 60 a 140 mmHg. A constatação desta relação levou a progressos acerca da quantificação da autorregulação, empregando-se técnicas de processamento capazes de extrair informações relativas à interação entre PA e FSE. Ao longo dos últimos 20 anos, um software foi desenvolvido pela Universidade de Leicester (Inglaterra) aos quais contêm as principais técnicas de avaliação da autorregulação cerebral. No entanto, o processamento dos dados é realizado dentro do sistema operacional DOS, sistema obsoleto e incompatível com computadores atuais, impossibilitando a comunicação com os equipamentos médicos e dificultando a implementação de novas técnicas de processamento de sinais fisiológicos. Além disso, a ampla variedade de parâmetros utilizados para o cálculo da autorregulação cerebral faz com que os resultados entres os centros seja divergente. Neste contexto, este projeto visa desenvolver uma plataforma de software inovadora para o monitoramento em tempo real da autorregulação cerebral, bem como investigar mais profundamente como as diferentes configurações dos parâmetros podem afetar o cálculo deste mecanismo. Os resultados deste projeto certamente irão revolucionar o manejo clínico ofertado a pacientes com patologias neurológicas, principalmente na escolha das medidas neuroprotetoras que afetam o fluxo encefálico.
  • Universidade Federal do ABC - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Angélica Aparecida Tanus Benatti Alvim

Ciências Sociais Aplicadas

Arquitetura e Urbanismo
  • projetos de urbanização de assentamentos precários e áreas de proteção ambiental: as dimensões da sustentabilidade
  • Na atualidade, a associação entre riscos e vulnerabilidade, quando enfocados na perspectiva da interação entre moradia e áreas de proteção ambiental é emergente. Os processos de produção social dos espaços urbanos no Brasil, muitas vezes dissociados de políticas públicas e projetos de intervenção articulados e includentes, têm potencializado desastres, catástrofes, elevando riscos e as vulnerabilidades nas cidades. Esta pesquisa tem como propósito aprofundar e testar um método de avaliação de projetos de urbanização de assentamentos precários, implementados em áreas protegidas ou ambientalmente vulneráveis, verificando em que medida incorporam as múltiplas dimensões da sustentabilidade. Para tanto, será realizado um inventário dos principais projetos para urbanização de assentamentos precários, localizados em áreas protegidas ou ambientalmente vulneráveis de algumas importantes cidades brasileiras, que possuem características particulares relacionadas à proteção ambiental. Do conjunto de projetos identificados na primeira fase da pesquisa, serão escolhidos alguns com vistas à aplicação do método de avaliação, especialmente aqueles que minimamente contemplem aspectos das dimensões da sustentabilidade, a saber: ambiental, urbana, socioeconômica e político-institucional. A hipótese central que orienta a pesquisa é que os projetos de urbanização de assentamentos precários em áreas ambientalmente vulneráveis, apesar de avanços, apresentam lacunas que não consideram de forma sistêmica, todas as dimensões que envolvem a sustentabilidade ambiental e urbana. Como importante referência para a construção do método, a pesquisa sistematizará alguns projetos implementados na Colombia, com destaque para Bogotá e Medellin. A relevância desta pesquisa, se dá na medida em que se possa identificar tipologias de intervenções para urbanização, que auxiliem na recuperação de áreas ambientalmente vulneráveis situadas em centros urbanos. contribuindo para reduzir a degradação ambiental, e, ao mesmo tempo, os efeitos nocivos relacionados à qualidade de vida das populações de baixa renda residentes nestas localidades. Pretende-se a partir da avaliação destes estudos de caso, extrair importantes lições para a formulação e implementação de projetos de urbanização de assentamentos precários em cidades brasileiras.
  • Universidade Presbiteriana Mackenzie - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Angélica da Conceição Oliveira Coelho

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • uso de equipamentos de proteção individual pelos profissionais de saúde da atenção primária à saúde no combate a covid 19
  • A pandemia do COVID-19 se originou na China ao final de dezembro de 2019 e foi declarada como emergência de saúde pública global por causa da alta transmissibilidade do vírus e rápido espalhamento por quase todos os países do mundo. O Brasil é o segundo colocado em número de casos confirmados na região das Américas. A transmissão da COVID-19 ocorre de pessoa a pessoa por meio de gotículas respiratórias e/ou contato direto de um indivíduo infectado, sintomático ou assintomático, com um indivíduo suscetível. Para conter a transmissão algumas medidas globais de saúde pública vêm sendo adotadas, como isolamento de casos e contatos, distanciamento social, e disponibilização de recursos humanos e materiais para os serviços de saúde. Profissionais de saúde são mais susceptíveis à contaminacao do que a populacao geral pois atuam diretamente na assistência aos sintomáticos respiratórios, assintomáticos e pré-sintomáticos (que também transmitem o vírus). Estes profisionais, que atuam na linha de frente no combate à COVID-19 tem sofrido impactos negativos da doença, como contaminacao, adoecimento e morte. Assim, o uso de equipamentos de proteção individual (EPI) é fundamental para a segurança destes profissionais, que devem ter habilidades e competências para o uso correto dos EPIs. Contudo, verifica-se que, de maneira geral, uso de EPI por trabalhadores da área de saúde não é adotado de maneira eficaz por todos os profissionais. A Atenção Primária à Saúde (APS) é a principal porta de entrada do Sistema Único de Saúde e cobre até 80% dos atendimentos em saúde no país, sendo assim crucial na resposta à surtos e epidemias, como a que estamos vivenciando. Desta forma, a adesão, e uso rigoroso e adequado de EPI por profssionais da APS é fundamental para a contenção da epidemia e para a proteção dos próprios profissionais. O objetivo do estudo é avaliar a adesão e o uso adequado de EPIs pelos profissionais dos serviços de APS e os fatores de risco relacionados. Trata-se de estudo transversal descritivo e analítico. Os participantes do estudo serão todos os profissionais atuantes na APS dos municípios brasileiros que aceitarem participar livremente. Os dados serão coletados por meio de questionário estruturado autoaplicável elaborado no Google Forms, ferramenta de acesso gratuito. O link para acessar o questionário será enviado para os profissionais por e-mail e/ou por meio de aplicativos de smartphones. Antes da aplicação, o questionário será submetido a validação de conteúdo por especialistas na área. O tratamento e análise dos dados serão realizados no Software SPSS. Para análise dos dados será utilizado a estatística descritiva, associação e concordância. Espera-se que este estudo contribua para a elaboração de políticas públicas no Brasil relacionadas a segurança dos profissionais de saúde da APS. O adoecimento desses profissionais impactaria de forma negativa na assistência aos usuários dos serviços de saúde, pois o profissional infectado assintomático poderia atuar como fonte de infecção e quando sintomático teria que ser afastado das atividades laborais. Além disso, dependendo das características individuais tem o risco de ter formas graves da doença e inclusive evoluir para óbito. Acredita-se que os achados deste estudo podem ser considerados cruciais para o planejamento de ações de educação quanto a adesão e uso correto e racional dos EPIs.
  • Universidade Federal de Juiz de Fora - MG - Brasil
  • 16/07/2020-15/08/2022
Foto de perfil

Angelica de Oliveira Gomes

Ciências Biológicas

Biologia Geral
  • estudo da interação de diferentes protozoários parasitos com a interface materno-fetal
  • Infecções placentárias são uma importante causa de doença fetal e materna no mundo todo. Além de mediar nutrição e trocas gasosas a placenta também é responsável por prevenir a transmissão vertical de patógenos. Ao mesmo tempo, a placenta deve servir como barreira contra a resposta imunológica materna aos aloantígenos paternos do embrião/feto. Para conseguir esta função, a placenta conta mecanismos de defesa imune inata, tais como a presença de uma barreira placentária composta pelas células trofoblásticas. Além disso, desenvolve um perfil de resposta reguladora capaz de prevenir resposta exacerbada aos antígenos paternos. Entretanto, uma resposta de perfil regulador não é adequada para o controle de várias infecções parasitárias. Desta forma, alguns parasitos são capazes de vencer a barreira placentária e estabelecer infecção da placenta, muitas vezes ocasionando em transmissão vertical da infecção. Dentre os parasitos que conseguem infectar a placenta, existe variações de relação parasito-hospedeiro, principalmente com relação à chances de se estabelecer uma infecção congênita. Alguns parasitos (ex. T. gondii) apresentam altas chances de transmissão vertical, enquanto outros apresentam chances moderadas (ex. T. cruzi) ou raras (L. infantum). Desta forma, hipotetizamos que as variações nas chances de transmissão congênita estejam associadas aos diferentes aspectos da relação parasito-hospedeiro. Assim, o objetivo do presente estudo é avaliar as várias formas de interação de diferentes parasitos com a interface materno-fetal. Para isso, será construído um modelo de estudo in vitro, no qual vilos placentários serão coletados de placentas provenientes de gestação a termo, sem complicações. As explantes de placenta serão cultivadas e infectados com taquizoítas de T. gondii, formas tripomastigotas de T. cruzi e formas promastigotas de L. infantum. Alternativamente, culturas controle serão mantidas sem infecção. Será estabelecida uma cinética de infecção de 24, 48 e 72 horas e após estes períodos sobrenadantes de cultura serão coletados para avaliação do perfil de citocinas secretadas. Além disso, explantes de placenta serão coletados e processados para microscopia de luz e eletrônica para avaliação da localização dos parasitos e integridade da barreira placentária. Por fim, explantes serão coletados para avaliação de carga parasitária usando método de PCR ou ainda serão processados para reação de western blotting para avaliação de proteínas da lâmina basal, assim como proteínas de sinalização intracelular. Como base no estudo proposto esperamos entender quais os principais mecanismos que diferem a infecções congênitas de alta prevalência das infecções de ocorrência moderada ou rara.
  • Universidade Federal do Triângulo Mineiro - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Angelica Maria Penteado Martins Dias

Ciências Biológicas

Zoologia
  • inct dos hymenoptera parasitóides
  • O INCT-HYMPAR continuará sendo um centro de investigação e gestão da biodiversidade brasileira, idealizado para apoiar os esforços para o seu conhecimento e promover a sua sustentabilidade. O Instituto trabalhará sob a premissa de que a melhor maneira para conservar a biodiversidade é estudá-la, valorizá-la e aproveitar as oportunidades que esta oferece para melhorar a qualidade de vida do homem. Será uma organização que envolverá universidades, empresas, institutos de pesquisa e outras entidades públicas e privadas nacionais e internacionais.Seu trabalho se relacionará principalmente a inventários e monitoramento ambiental utilizando espécies de Hymenoptera parasitoides dos ecossistemas de mata atlântica, cerrado, amazonia, caatinga, pantanal e agroecossistemas; conservação com finalidade de proteção e uso sustentável da biodiversidade pelo setor público e privado; comunicação e educação, disseminando informação e conhecimento da biodiversidade em diferentes segmentos da sociedade, mediante projetos de extensão que buscarão fortalecer o componente ambiental de ações e decisões da população; bioinformática , desenvolvendo e aplicando ferramentas para apoiar os processos de geração, administração, análise e disseminação de dados sobre a biodiversidade, disponiveis em bancos de dados; bioprospecção, buscandoo uso sustentável e aplicação comercial dos recursos da biodiversidade, por meio de convênios de investigação para a busca de espécies bioindicadoras, de importância para o controle biológico, substâncias químicas, genes, que possam ser utilizados principalmente pelo setor agrícola. Em sua primeira versão, esse INCT foi uma iniciativa de um grupo de pesquisadores atuando na região sudeste brasileira. Nesta nova proposta, vários novos grupos nacionais e internacionais foram incluídos, conferindo ao INCT uma característica mais integrativa para ampliar o conhecimento da biodiversidade, dos mecanismos de conservação e o desenvolvimento sustentável, além da formação de recursos humanos. Nessa integração buscaremos aplicar o conhecimento científico da biodiversidade a atividades educacionais e econômicas como a agricultura e ecoturismo e o desenvolvimento de mecanismos de prestação de serviços ambientais.Nesta nova proposta são incluídos estudos em outras áreas da America do Sul, Das instituições brasileiras participantes, cinco deverão incluir coleções de Hymenoptera parasitoides; três em fase adiantada de informatização. Muitas espécies desconhecidas continuarão sendo descobertas e descritas a partir de novas amostragens em áreas endêmicas e vulneráveis, nunca pesquisadas antes sobre esse assunto. Haverá continuidade, do estudo da dinâmica estacional de espécies de insetos fitófagos e parasitoides abrangendo, regiões de diferentes altitudes. A investigação em regiões de elevada altitude de Mata Atlântica tem revelado, como esperado, a constatação de que nelas existe fauna bem menos comum em relação a áreas de altitudes mais baixas.Devido a parcerias estabelecidas com outras instituições brasileiras, houve expansão das atividades do INCT para as regiões Centro-Oeste (Universidade Católica Dom Bosco - áreas de cerrado, Pantanal e agroecossistemas), Nordeste (Universidade Estadual de Feira de Santana e Embrapa Meio Norte – áreas de caatinga; Embrapa Semiárido, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Universidade Federal de Alagoas, Embrapa Agroindústria Tropical - agroecossistemas), Norte (Embrapa Acre – área de floresta amazônica) e Sul (Universidade Federal do Paraná, Universidade Estadual de Londrina, EMATER, Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade Comunitária da Região de Chapecó, Universidade Federal da Fronteira Sul, Universidade Federalde Pelotas, Embrapa Uva e Vinho – agroecossistemas). Essas novas parcerias incluem colaboração com alguns pesquisadores que tiveram a sua formação acadêmica no âmbito do INCT –HYMPAR /Sudeste.Daremos continuidade à compilação do conhecimento sobre relações entre aranhas e himenópteros parasitoides no Brasil. Trata-se de uma linha de pesquisa totalmente nova no Brasil, já que até a criação do instituto todos os estudos a respeito de interações entre aranhas e parasitoides, incluindo manipulação comportamental, haviam sido feitos no exterior. Sistemas integrados de produção agrícola tem aumentado significativamente sua inclusão no cenário produtivo brasileiro. Com esses sistemas é possível restabelecer serviços ambientais que haviam sido perdidos nos sistemas de produção convencionais, baseados em monoculturas. Os estudos do INCT têm mostrado de que maneira o controle de pragas pode ocorrer em sistemas integrados, identificando organismos-chaves nesses processosNesta nova proposta continuaremos integrando as atividades do INCT a grupos internacionais de pesquisa, disponibilizando, nos diferentes meios de divulgação, os resultados obtidos em pesquisa, ensino e extensão. Continuaremos também aproximando as atividades acadêmicas da comunidade em geral, integrando pesquisa e educação. Haverá uma maior colaboração com pesquisadores de instituições estrangeiras propiciando a conclusão de vários manuscritos submetidos e a troca de informações, visando a implementação de projetos futuros de colaboração. Os serviços ambientais em sistemas agroflorestais terão continuidade, com a participação na capacitação de pesquisadores entomologistas do Brasil e da África em controle biológico, com instalação de biofábricas com o objetivo de fornecer insetos para o controle de pragas de milho em substituição a agroquímicos. A capacitação para estrangeiros será ampliada, com a inclusão de pelo menos uma universidade do Peru, com estudantes e pesquisadores dispostos a se especializar no conhecimento dos Hymenoptera parasitoides.Serão desenvolvidos novos protocolos para trabalhos de campo e laboratório, incluindo estudos de sequenciamento genético.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 26/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

Angelica Martins de Souza Gonçalves

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • sintomas não psicóticos entre profissionais de enfermagem que surgiram no contexto de trabalho da covid-19.
  • A pandemia de COVID 19 tem desencadeado impactos na saúde mental dos profissionais de enfermagem, principalmente naqueles que estão na linha de frente do atendimento e cuidado, gerando sofrimento psíquico, tais como, insônia, angústia, depressão e ansiedade, considerados sintomas não psicóticos, e Burnout. Entretanto, para o profissional de enfermagem que já faz tratamento psiquiátrico ou que apresenta comorbidades cardiovasculares, respiratórias, endócrinas (principalmente diabetes), imunológicas, a situação pode se agravar. Nesse sentido, outro fator preocupante envolve o profissional de enfermagem que pertence à faixa etária de 60 anos de idade ou mais, por estar no grupo de maior risco de contaminação, conforme estudo comparativo entre pacientes chineses idosos e jovens. Todas essas questões fazem das pessoas idosas seres mais vulneráveis à COVID 19, o que pode intensificar o sofrimento psíquico. Diante do exposto, torna-se relevante e pertinente avaliar as condições psíquicas dos profissionais de enfermagem, considerando o perfil laborar e a idade dos envolvidos. Ressalta-se que no Brasil, até o momento, não foram produzidos estudos que possam gerar métricas para avaliação de sintomas relacionados a transtornos mentais que surgiram no contexto da pandemia (e que poderão ter desfecho em um diagnosticados num futuro próximo). Pesquisas dessa natureza são bastante relevantes, visto que, obviamente, outros danos relacionados à COVID-19 interferirão com perfil de adoecimento do país, especialmente de pessoas que hoje enfrentam a linha de frente. Neste contexto, o objetivo deste estudo é avaliar nos profissionais de enfermagem a presença de sintomas não psicóticos que surgiram no contexto de trabalho durante a pandemia.
  • Universidade Federal de São Carlos - SP - Brasil
  • 16/07/2020-15/08/2022
Foto de perfil

Angélica Salatino de Oliveira

Ciências Biológicas

Genética
  • identificação de possíveis biomarcadores associados ao tdah em crianças e adolescentes: mirnas e microbiota intestinal.
  • O transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) é um dos transtornos mentais mais comuns na infância e adolescência, caracterizado por sintomas de desatenção, impulsividade e hiperatividade. A prevalência do TDAH foi estimada em torno de 5% das crianças em idade escolar ao redor do mundo. Apesar do curso clínico desta patologia ser bastante complexo, frequentemente os sintomas persistem ao longo da vida, sugerindo que o TDAH seja uma doença crônica do desenvolvimento. O principal tratamento é farmacológico, com uso do metilfenidato. Apesar de inúmeros estudos, a etiologia desse transtorno ainda não foi totalmente esclarecida. Sugere-se que o TDAH seja determinado por muitos fatores genéticos e ambientais que interagem entre si de uma forma altamente complexa. A herdabilidade estimada do TDAH é de 74%, sendo uma das mais altas em relação a outros transtornos psiquiátricos. Tem se tornado cada vez mais consensual na comunidade científica a necessidade de encontrar biomarcadores que poderiam ser utilizados na psiquiatria para aumentar a confiabilidade do diagnóstico clínico, prever o desenvolvimento de transtornos e/ou auxiliar nas decisões do melhor tratamento. Para isso, biomarcadores e medidas objetivas de psicopatologia que diferenciem saúde e doença ou que diferenciem uma doença de outra precisam ser encontradas. Os microRNAs (miRNAs), os quais são reguladores importantes da expressão gênica, formam um grupo de possíveis candidatos a biomarcadores associados ao TDAH. Estudos apontam que o papel dos miRNAs parece ser crucial no TDAH não somente pela modulação da expressão de genes já associados ao transtorno, mas também pelo efeito de variantes genéticas nos genes de miRNAs que podem acarretar seu desequilíbrio. Outro possível biomarcador que ainda é pouco explorado na literatura é a microbiota intestinal (MI). Diversas evidências têm mostrado que a MI influencia o funcionamento cerebral e comportamento através do eixo microbiota-intestino-cérebro e, portanto, a desregulação na flora intestinal pode estar ligada a diferentes doenças psiquiátricas, incluindo o TDAH. O objetivo principal desse projeto é investigar possíveis biomarcadores específicos do TDAH através das análises de expressão de miRNAs em sangue periférico e da microbiota intestinal em uma amostra brasileira de crianças e adolescentes.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Angélica Sousa da Mata

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • dinâmicas sociais e sincronização em redes complexas com métrica
  • A aplicação de métodos e técnicas da física estatística em problemas interdisciplinares tem se tornado cada vez mais frequente. O avanço computacional nas últimas décadas tem possibilitado um estudo mais detalhado de sistemas complexos a fim de modelar, com características cada vez mais reais, sistemas sociais, tecnológicos e biológicos. Fenômenos elementares como a sincronização e modelos tradicionais, tais como o modelo votante, são exemplos de processos dinâmicos com regras simples de interação entre os elementos do sistema, mas que, quando relacionados a um substrato heterogêneo como as redes complexas, dão origem a fenômenos não-triviais. Neste contexto é que surge a principal motivação deste projeto de pesquisa: estudar processos dinâmicos em redes complexas utilizando ferramentas computacionais e analíticas. Especificamente serão estudados modelos de dinâmicas sociais como o modelo do votante e o modelo de Sznajd. Também será investigado o fenômeno de sincronização em redes utilizando o modelo de Kuramoto, que leva em consideração o acoplamento de osciladores não-idênticos. Tais processos dinâmicos serão estudados em substratos mais realistas nos quais levamos em consideração, além da heterogeneidade da rede, a correlação entre graus, a afinidade entre os nós da rede, a distância euclideana entre eles, etc. Finalmente, do ponto de vista interdisciplinar, serão aplicados os conhecimentos adquiridos em simulações, teorias e caracterização de redes no estudo de processos dinâmicos em redes reais, tais como redes de transmissão de energia elétrica e redes sociais, como a do Facebook.
  • Universidade Federal de Lavras - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022