Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Sandra Eli Sartoreto de Oliveira Martins

Ciências Humanas

Educação
  • acessibilidade e inclusão em contextos universitários diferenciados
  • Modificar para acolher, ressignificar para incluir: premissas fundamentais no mundo contemporâneo. Movimentos que nos levam a reordenar os paradigmas sociais e a repensar os caminhos para a construção de uma sociedade inclusiva. Defender tal princípio implica, por conseguinte, compreender o papel da educação nesse processo e, em especial, reconhecer o direito da participação de pessoas com deficiência na Educação Superior. Diante dessas premissas, esta pesquisa tem por finalidade traçar um panorama das culturas, políticas e práticas educacionais inclusivas direcionadas a estudantes com deficiência, em três universidades públicas de países da América Latina – Brasil, Argentina e Uruguai. Esta pesquisa deriva das ações da Rede de Pesquisa “Acessibilidade no ensino superior” (OBEDUC/CAPES) e conta com a participação de pesquisadores que atuam no Comitê Acadêmico de Discapacidad y Accesibilidad/Associação do Grupo de Universidades de Montevideo (CAAyD AUGM) e na Red Interuniversitaria Latinoamericana y del Caribe sobre Discapacidad y Directos Humanos/UNPL – Argentina. Assim, constituem objetivos específicos desta pesquisa: a) delinear o perfil de estudantes com deficiência matriculados em cursos de graduação nos contextos investigados e b) identificar e analisar as barreiras de acessibilidade nas universidades públicas sob o ponto de vista de graduandos com deficiência. Constitui-se lócus de desenvolvimento da pesquisa três universidades públicas localizadas, em contextos internacionais distintos. O trabalho será desenvolvido em quatro etapas. A primeira refere-se ao processo de caracterização do perfil dos estudantes com deficiência por intermédio de dados censitários disponíveis no sistema de matricula das instituições pesquisadas - IES. A segunda e a terceira etapas compreenderão a adaptação e aplicação de questões norteadoras presentes no Índice de Inclusão para o Ensino Superior – INES. Trata- se um instrumento que tem por finalidade auxiliar na identificação de barreiras de acessibilidade no Ensino Superior que se desenvolverá dois momentos distintos a saber: a) envio dos INES para tradução de profissionais da área educação especial; b) adaptação do Questionário e das questões norteadoras do INES pelo grupo de coordenadores das IES e c) aplicação do Questionário (QIIESA) a amostra do estudo. A quarta e última refere-se ao tratamento e análise dos dados recolhidos que qualificam o perfil e as condições de acessibilidade sob o ponto de vista de universitários com deficiência matriculados nos cursos de graduação. O tratamento de dados do Questionário (QIIESA) se efetivará pelo o uso da técnica de distribuição dos valores atribuídos para mensuração na escala tipo Likert, sendo submetida a tratamento descritivo de correspondência múltipla. Espera-se que os resultados alcançados contribuam para alargar os conhecimentos produzidos sobre a formulação de culturas, políticas e práticas inclusivas na Educação Superior, em contextos internacionais diferenciados.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Sandra Garrido de Barros

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • o campo da saúde suplementar no brasil e suas relações com o sistema único de saúde (2003-2018)
  • Estudo qualitativo com abordagem socio-histórica, utilizando o referencial da sociologia reflexiva de Bourdieu, com objetivo de analisar a estrutura, dinâmica e principais transformações no campo da saúde suplementar no Brasil no período de 2003 a 2018, bem como a regulação e o financiamento públicos do campo da saúde suplementar e suas implicações para o SUS; o subespaço dos prestadores privados de serviços de assistência à saúde; bem como o espaço das empresas de produtos de saúde. Esta proposta faz parte de um Programa Integrado de Pesquisas na área de análise de políticas de saúde, estando relacionado ao Projeto “Transformações nos Espaços da Saúde no Brasil e suas implicações para o Sistema Único de Saúde (1988-2018)”, coordenado pela Profa. Ligia Maria Vieira da Silva. O período de estudo relaciona-se à data posterior à criação da Agência Nacional de Saúde Suplementar e ao contexto específico da saúde em 2018 com o início da vigência da Emenda Constitucional n° 95/2016, que fixou limites para as despesas primárias, inclusive na saúde. Para fins de análise, serão considerados dois momentos: a) o período denominado de “conservação-mudança” (2003-2015), e, b) o momento de fortalecimento de propostas que comprometem os princípios e concepções do SUS (2016-2018). Nos dois momentos serão mapeadas as principais questões em jogo no campo e suas relações com o SUS. A análise da estrutura, dinâmica e principais transformações do campo será realizada a partir de análise documental (legislação específica sobre o tema, notícias veiculadas na imprensa e em endereços eletrônicos de entidades relacionadas ao campo, estudos e pesquisas sobre o tema), tendo como ponto de partida a estrutura do campo da saúde suplementar identificada por Vilarinho (2003) na constituição do campo. Será utilizada também a estratégia da bola de neve. Serão entrevistados agentes do espaço das operadoras de planos privados de saúde, do espaço de prestadores de serviços, privados de saúde, do espaço dos consumidores, e do campo burocrático e do espaço da indústria de equipamentos. As trajetórias dos agentes serão analisadas a partir das entrevistas. No caso de pessoas já falecidas, serão reconstruídas por meio de biografias, currículos, sites da internet e também dos seus textos publicados (artigos e livros). A análise seguirá roteiro testado anteriormente, adaptando-o para cada entrevistado. A análise das espécies de capital será feita por meio dos critérios adaptados para cada conjuntura. A regulação e financiamento públicos da Saúde Suplementar serão investigadas a partir de estudo retrospectivo da regulação dos planos privados e da análise da série histórica do financiamento do setor, através de renúncias fiscais (através dos Demonstrativos de Gastos Tributários de 1989 a 2018), bem como do não ressarcimento ao SUS (por meio do índice de efetivo pagamento e ressarcimento ao SUS de 2004 a 2018). Todos os valores serão corrigidos pelo IPCA para que sejam comparáveis entre si. Para aferir as relações entre as posições e as diferentes tomadas de posição, será realizada uma análise múltipla de correspondências entre as posições, aferidas principalmente por meio dos capitais dos agentes e principais tomadas de posição em relação a natureza e características do Sistema Nacional de Saúde e às polêmicas em relação a sua relação com o campo da saúde suplementar. As entrevistas serão transcritas, editadas e analisadas à medida da sua realização. Será utilizado o programa NVivo 11 para análise das informações obtidas. O tamanho da amostra intencional será definido por saturação. As condições históricas que tornaram possíveis as diferentes configurações do espaço da saúde e mais especificamente do campo da saúde suplementar porventura encontradas serão analisadas por meio de fontes bibliográficas e documentais. O projeto foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa do Instituto de Saúde Coletiva (CEP/ISC).
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Sandra Gesteira Coelho

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • efeito do estresse térmico pelo frio em bezerros leiteiros, durante a fase neonatal, sobre comportamento alimentar, consumo, digestibilidade, partição de energia, desempenho e resposta imune
  • Nas regiões sul, sudeste e centro oeste, regiões de maior produção de leite no Brasil, nos meses de maio a setembro as temperaturas mínimas atingem valores fora da Zona Termoneutra (ZTN 15 a 26º C) dos bezerros durante a noite e madrugada, e em muitas localidades também durante o dia, o que leva os bezerros a enfrentar o estresse pelo frio tornando-os mais susceptíveis a doenças. No entanto pouca atenção tem sido dada cientificamente aos efeitos do estresse pelo frio. Os conhecimentos sobre os efeitos do estresse pelo frio foram gerados na década de 70 e 80 não sendo possível mensurar adequadamente seu custo energético e impactos sobre desempenho e sistema imune. Desta forma objetiva-se avaliar o efeito do estresse térmico pelo frio, em câmara climática e respirométrica, nos parâmetros de comportamento alimentar, consumo, digestibilidade, partição de energia, desempenho, saúde e resposta imune, em bezerros durante a fase neonatal. O experimento será realizado na Escola de Veterinária da UFMG, localizado em Belo Horizonte, MG. Serão utilizados 36 bezerros Holandês do nascimento a 40 dias de idade. Após o nascimento os bezerros serão identificados, separados das mães, terão o umbigo curado, receberão colostro (de alta qualidade de banco previamente preparado), pesados e transportados a Escola de Veterinária UFMG, onde serão alojados em gaiolas metabólicas dentro de câmara climática e durante avaliações de respirometria em câmara respirométrica com temperatura controlada. Os animais serão distribuídos em dois tratamentos com 18 animais cada: Controle: temperatura dentro da zona termoneutra - os animais serão alojados em câmara climática e respirométrica com temperatura e umidade controlada - ITU 66,1 20º C e 65% UR (24h/d) ; tratamento Estresse pelo frio: simulação de situação de estresse pelo frio durante noite e madrugada - os animais serão alojados em câmara climática e ou respirométrica com temperatura e umidade controlada (12 h 8º C e 50% UR; 12 h 18º C e 50% UR. Os animais receberão seis litros de sucedâneo por dia (12,5% matéria seca), distribuídos em duas refeições, água e concentrado à vontade. Serão avaliados: comportamento alimentar, consumo diário de alimentos, ganho de peso, digestibilidade de alimentos, partição energética da dieta, concentrações de glicose, insulina, betahidroxibutirato,hemograma semanal; frequência e severidade de desordens na saúde e status e resposta imune. O delineamento será inteiramente casualizado. Os modelos serão ajustados no software SAS (versão 9.4; SAS Institute Inc., Cary, NC), utilizando-se do procedimento MIXED. Os resultados dos exames físicos e escore fecal serão avaliados por meio de testes não paramétricos. Espera-se ao final do projeto conhecer os efeitos do estresse pelo frio sobre desempenho e resposta imune e que seja possível traçar estratégias de mitigação do estresse pelo frio na criação de bezerras leiteiras.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022