Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Valmor Ziegler

Ciências Agrárias

Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • estudos da temperatura de armazenamento, do tempo de germinação e da aplicação de feijão-mungo (vigna radiata l.) em produtos alimentícios
  • O feijão-mungo (Vigna radiata L.) é um grão com alto valor agregado, principalmente pela sua destinação para a produção de brotos, também chamados de Moyashi. Em virtude disso, estudos que busquem minimizar as perdas desse grão na pós-colheita, assim como otimizar a germinação desses grãos, identificando o momento da germinação com maior produção de compostos bioativos e a aplicação desses grãos em produtos alimentícios se tornam relevantes para contribuir com avanços técnico-científico e econômicos na cadeia produtiva desse grão. Nesse contexto, objetiva-se, com esse estudo, estudar a temperatura de armazenamento, o tempo de germinação e a aplicação de feijão-mungo (Vigna radiata L.) em produtos alimentícios. Espera-se com esse projeto: a) Identificar a melhor condição de temperatura durante o período de armazenamento para a manutenção de propriedades fisiológicas, nutricionais e bioativas dos grãos de feijão-mungo; b) Identificar o tempo de germinação dos grãos de feijão-mungo que apresenta a maior concentração de compostos bioativos; c) Identificar os efeitos do extrato de grãos de feijão-mungo germinado na inibição de células cancerígenas; d) Avaliar o potencial anti-inflamatório do extrato de grãos de feijão-mungo germinado; e) Desenvolver pelo menos dois produtos alimentícios adicionados de derivados de feijão-mungo com potencial de produção em grande escala, apresentando aceitação sensorial acima de 70%. A partir do cumprimento dessas metas, será possível a formação de recursos humanos, publicação de trabalhos em revistas científicas e em eventos da área, além do desenvolvimento de um fármaco com potencial de inibição de células cancerígenas e de células inflamatórias e também o desenvolvimento de produtos alimentícios.
  • Universidade do Vale do Rio dos Sinos - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Valtencir Zucolotto

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • rede tb teranósticos: desenvolvimento de kits de teste rápido para o diagnóstico da tuberculose e de novas estratégias de terapia para tratamento combinado da tuberculose resistente
  • A tuberculose (TB) é uma doença infecciosa causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis que afeta com mais frequência os pulmões, mas pode infectar qualquer parte do corpo, incluindo os ossos e o sistema nervoso. A bactéria se espalha facilmente pelo ar quando pessoas infectadas tossem, falam, cospem ou espirram, aumentando as chances de transmissão. No Brasil a TB nunca foi uma doença erradicada, e mesmo em países desenvolvidos como Estados Unidos e Inglaterra, onde essa doença havia sido cessada, um alarmante aumento de novos casos iniciou-se na década de 1980. Se não diagnosticada e tratada rapidamente, essa doença pode matar em poucos dias. Por se tratar de uma doença infecciosa, a TB se espalha rapidamente por todo o mundo, e em especial no Brasil causando milhares de infecções e gerando altíssimos gastos para o Sistema Único de Saúde (SUS). Os principais desafios desta infecção incluem diagnósticos específicos e maior eficiência no tratamento. O diagnóstico é realizado por meio de um conjunto de sintomas, e após detecção da bactéria no escarro do paciente infectado. O tratamento tem se tornado cada ver mais complexo uma vez que já existem casos de resistências aos antibióticos anti-TB. Sendo assim, se faz necessário o desenvolvimento de sistemas de diagnóstico para TB a partir de dispositivos de baixo custo e de rápida especificidade, assim como um tratamento mais eficaz a partir da melhora na biodistribuição dos medicamentos existentes anti-TB. A aplicação de nanotecnologia, tanto no diagnóstico, quanto na terapia pode ser uma excelente estratégia. A utilização de biossensores nanoestruturados pode promover melhora na sensibilidade e especificidade do diagnóstico. Na terapia, o carreamento de ativos anti-TB e liberação controlada associado à terapia fototérmica poderá aumentar o tempo de permanência e ação do fármaco. Nosso objetivo nesse projeto Multicentros é desenvolver avanços em terapia e diagnóstico (área denominada Teranóstica) em duas frentes de pesquisa, ambos, 1) dispositivos de teste rápido (Kits biossensores) nanoestruturados para diagnóstico da TB no plasma do paciente e 2) sistemas nanocarreadores dos ativos anti-TB incluindo isoniazida, rifampicina e etambutol entre outros e nanopartículas para melhorar o tratamento da TB. Ressaltamos que o projeto prevê o desenvolvimento de tecnologias altamente inovadoras em diagnóstico e terapia para TB, e esclarecemos que apesar de ser um projeto que atuará principalmente na fase pré-clínica, NÃO se trata de um projeto inicial para prova de conceito. Ao contrário, esse projeto é uma extensão do projeto em andamento em uma rede coordenada pelo no nosso grupo GNano /USP para desenvolvimento de kits de diagnóstico pra Zika e Dengue (CNPq: Processo: 440496/2016-0), Capes: Processo: 88881.130763/2016-01 programa zika 2075/2016), que encerra-se em 2020, e já está na fase avançada de obtenção dos protótipos. ASSIM, ESPERAMOS QUE COM O PRESENTE PROJETO, TODA EXPERTISE PRODUZIDA NO KIT DE DETECÇÃO DE ZIKA E DENGUE QUE JÁ ESTÁ EM FASE AVANÇADA PARA O DESENVOLVIMENTO DE TESTE COMERCIAL PARA DIAGNÓSTICO, POSSA SER ADAPTADA E TRANSFERIDA/OTIMIZADA PARA UM KIT INÉDITO NO MERCADO, DE TESTES RÁPIDOS PARA TUBERCULOSE. O mesmo se aplica para o segundo objetivo do projeto, de nanocarreadores para terapia de TB resistente, uma vez que em outros projetos que nosso grupo participa desenvolvemos tal metodologia pra entrega de fármacos em câncer (Células Tronco e Terapia Celular no Câncer Processo: INCT Fapesp 14/50947-7. Novamente, no presente projeto pretendemos otimizar esses sistemas para a terapia da TB resistente. O projeto em rede é multicentro e inserido no âmbito do BRICS onde conta com a colaboração de pesquisadores da África do Sul e da India, a saber: Prof. Dr. Ahmed A. Hussein, Chemistry department, Cape Peninsula University of Technology, South Africa e Dr. L. Robindro Singh, North-Eastern Hill University, Shillong, India. As frentes principais de pesquisa são: i) sistema de kit diagnóstico baseados em imunossensores e ii) sistemas nanoencapsulados contendo ativos anti-TB e nanopartículas para tratamento da tuberculose resistente. Além dos centros de pesquisa da Índia e da África do Sul, o projeto conta com pesquisadores de três grandes centros do Brasil, o Grupo de Nanomedicina e Nanotoxicologia (IFSC/USP) (coordenador), EMBRAPA Instrumentação (São Carlos) e INMETRO. O projeto prevê como entregáveis um Kit para teste rápido da TB capaz de diagnosticar de maneira rápida e precisa, e sistemas nanoencapsulados para tratamento combinado da TB. Esses sistemas poderão ser rapidamente absorvidos pelo SUS, principalmente o sistema diagnóstico, levando a testes mais precisos e acessíveis à população brasileira, permitindo um maior número de diagnósticos a menor custo. Além disso, espera-se a formação de recursos humanos altamente qualificados numa área altamente relevante e multidisciplinar. Possíveis testes clínicos com os dispositivos/terapêuticos aqui desenvolvidos poderão ser realizados em colaboração com outras redes dentro dessa chamada, a ser gerenciado pelo DECIT.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 17/06/2020-30/06/2023
Foto de perfil

Valtencir Zucolotto

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • células artificiais biomiméticas a base de linfócitos engenheirados como estratégia inovadora na terapia do câncer
  • O câncer compreende um grupo heterogêneo de doenças de origem multifatorial de grande incidência e mortalidade. Considerado um dos maiores problemas de saúde pública mundial, representa atualmente a principal barreira ao aumento da expectativa de vida. De acordo com a Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC, do inglês, International Agency for Research on Cancer), em 2018, 18,1 milhões de novo casos foram diagnosticados e 9,6 milhões de óbitos registrados. No Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), aproximadamente 600.000 novos casos de câncer ocorreram anualmente, entre 2018 e 2019, e as estimativas para cada ano do triênio 2020-2022, serão de aproximadamente 625 mil novos casos. O tratamento do câncer representa um grande desafio para a comunidade médica. Embora grandes avanços no diagnóstico e tratamento de diferentes neoplasias tenham sido alcançados nos últimos anos, a partir de abordagens (bio)tecnológicas, ainda há a necessidade de busca de alternativas capazes de garantir um aumento significativo da qualidade e expectativa de vida do paciente. É urgente a necessidade de desenvolvimento de novas abordagens terapêuticas contra o câncer. A terapia alvo-dirigida de fármacos utilizando biomoléculas como ligantes visa favorecer a vetorização sítio-específica para região tumoral, minimizando os efeitos colaterais sistêmicos. Nesse cenário, a nanomedicina, que contempla hoje uma grande área da nanotecnologia, representa uma importante ferramenta na abordagem de novas possibilidades terapêuticas e diagnósticas voltadas às neoplasias, apresentando bons resultados e superando dificuldades comuns dos tratamentos convencionais. Mais recentemente, o desenvolvimento de células artificias baseadas no uso de membranas extraídas de células tumorais e de linfócitos e destinadas à criação de nanovesículas para o encapsulamento de diferentes quimioterápicos, representa uma tecnologia inovadora, com enorme potencial na terapia anti-câncer. As nanoestruturas formadas atuam como células artificiais biomiméticas (CAB) e podem combinar as vantagens da entrega específica do fármaco através da identificação pelo autorreconhecimento com a capacidade da camuflagem diante do sistema imunológico. Adicionalmente, a modulação de aspectos imunológicos proporcionando a apresentação de antígenos ocorre de maneira mais efetiva e, portanto, favorece o desenvolvimento de um perfil de ativação anti-tumoral nas células imunocompetentes. Nesse projeto serão desenvolvidas células artificiais compostas por lipídeos e proteínas extraídas da membrana de células tumorais (pulmão: A549 ou glioblastoma: SW1088 e U251) combinadas com membranas de linfócitos T (J.RT3-T3.5 ou J.CaM1.6), e engenheiradas para entrega específica de diferentes agentes terapêuticos. As células artificiais serão utilizadas para direcionar carboplatina e temozolamida, para o tratamento alvo de tumor de pulmão NSCLC e glioblastoma, respectivamente. As células artificiais também serão utilizadas para o carreamento de bevacizumabe, um anticorpo monoclonal recombinante que inibe fatores pró-angiogênicos. O estudo ampliará o conhecimento acerca das doenças, do desempenho dos nanossistemas no ambiente tumoral, e trará grande contribuição científica e (bio)médica na luta contra o câncer. Contamos com uma equipe multidisciplinar em um projeto multicêntrico, que congrega pesquisadores do Grupo de Nanomedicina e Nanotoxicologia da USP São Carlos (SP), com experiência em várias linhas de pesquisa voltadas para Nanomedicina teranóstica, e do Hospital Pediátrico Pequeno Príncipe, Curitiba (PR), referência em oncologia no país que possui projetos inovadores em imunoterapias contra o câncer. Essa equipe de pesquisadores e alunos possui experiência nas temáticas aqui propostas e também atuará como agentes de difusão científica e ações de extensão à comunidade, como previsto no projeto.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 07/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Valtencir Zucolotto

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • nanomateriais teranósticos para diagnóstico e (foto)terapia contra o câncer
  • Recentes avanços em nanociência e nanotecnologia têm expandido nossa habilidade para desenvolver nanoestruturas multifuncionais que combinem especificidade e funções terapêuticas e de diagnóstico em um único complexo nanoestruturado. Estes materiais, chamados de “teranósticos”, têm se mostrado interessantes para diversas aplicações, principalmente no diagnóstico precoce e tratamento de doenças, incluindo o câncer. A versatilidade destas estruturas baseadas em nanomateriais advém da possibilidade de incorporação de vários tipos de moléculas na superfície de uma única nanopartícula, fazendo com que desempenhem múltiplas funções. Este projeto de pesquisa prevê o desenvolvimento de novos materiais nanoestruturados compostos por nanocásulas poliméricas carreadoras de fármacos e nanoparticulas ou nanobastões (nanorods), conjugados com biomoléculas de reconhecimento como anticorpos e proteínas a serem utilizadas como plataformas de diagnóstico e/ou terapia. Pretende-se, ainda, incorporar a estas estruturas, antitumorais, permitindo que estas drogas sejam direcionadas especificamente para células tumorais, promovendo a liberação controlada, que pode ainda ser combinada com aquecimento provocado por fotohipertermia. Ênfase será dada ao entendimento da interação entre estes compostos por técnicas espectroscópicas, microscópicas e de calorimetria, visando a obtenção de sistemas com elevada estabilidade e propriedades bem definidas que são requeridas para aplicações em medicina. Estes nanoconjugados serão ainda avaliados quanto a sua toxicidade in vitro bem como sua especificidade e interação com diferentes tipos de células tumorais e saudáveis.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Valter Afonso Vieira

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • quando julgamentos intuitivos e deliberativos melhoram a capacidade ambidestra de aquisição e retenção de clientes em prol do aumento da performance
  • Construindo a partir da auto-teoria cognitiva experiencial, esta pesquisa desenvolve um modelo teórico que propõe a orientação ambidestra intuitiva e deliberativa como preditor da ambidestria de retenção e aquisição de vendedores, o que, como consequência, aumenta o desempenho de vendas. Design / metodologia / abordagem. Os vendedores envolvidos no estudo representam indivíduos diferentes que vendem uma ampla variedade de produtos para um consumidor final. Sugerimos duas pesquisas para alcançar e testar o modelo conceitual.
  • Universidade Estadual de Maringá - PR - Brasil
  • 18/02/2019-31/05/2022
Foto de perfil

Valter Joviniano de Santana Filho

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • efeito da estimulação elétrica transcutânea nervosa no sistema nervoso autônomo cardiovascular de mulheres com fibromialgia: ensaio clínico randomizado
  • Introdução: A fibromialgia (FM) é uma síndrome multifatorial e incapacitante, caracterizada por presença de dor muscular crônica do tipo não-inflamatória, redução do limiar de dor – hiperalgesia, e resposta anormal a estímulos não-dolorosos – alodinia. A Disautonia é uma desregulação das aferências autonômicas, que dentre outros fatores, provoca alteração dos batimentos cardíacos, verificada por meio da variabilidade da frequência cardíaca (VFC). Objetivo: Avaliar os efeitos da Eletroestimulação Transcutânea Nervosa (TENS) no sistema nervoso autônomo cardiovascular de mulheres com fibromialgia. Métodos: Trata-se de um estudo aleatorizado, duplamente encoberto, controlado por grupo placebo. Mulheres com fibromialgia, com idade entre 18 e 60 anos, sendentárias e que não façam uso de drogas vasoativas serão avaliadas por meio do teste de estresse ortostático ativo (TEOA), da termografia infravermelha, da pressão arterial (PA) e da eletrocardiografia, antes e após a intervenção. As voluntárias serão alocadas nos grupos experimental e placebo, por meio de envelopes opacos e lacrados. A TENS será aplicada durante 30 minutos, com frequência de 70 Hz, duração de pulso de 150ms e intensidade de acordo com conforto sensorial. Resultados: Todos os dados encontrados serão colocados em planilhas do Microsoft® Office Excel, 2010. As análises estatísticas serão realizadas no software SPSS 15, com valores de p considerados significantes quando menores do que 0,05. Os dados serão apresentados graficamente como média ± erro padrão da média. Será permitido o uso do teste de z-score para identificação de outliers. Desfechos: Espera-se que a TENS provoque aumento da VFC, expressada pela alteração do tempo dos intervalos RR, avaliada durante a aplicação da corrente; aumento da PA nos primeiros 15 segundos de ortostase no TEOA no grupo experimental, assim como aumento da vasodilatação periférica, registrada pelas imagens termográficas
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Van Sérgio da Silva Alves

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • a pseudo-eletrodinâmica quântica e aplicações a sistemas bidimensionais da física da matéria condensada
  • Recentes resultados, tais como o entendimento da condutividade mínima no grafeno, a previsão do efeito Hall quântico de vale \cite{PRX} e a obtenção com grande precisão do fator giromagnético do elétron no grafeno \cite{FATORg}, este último sem ajustes de nenhum parâmetro, são indicações robustas que revelam a Pseudo-Eletrodinâmica Quântica (PQED) \cite{MarinoPQED} como sendo a verdadeira interação eletromagnética nesses sistemas. Recentemente, também foi proposto uma nova maneira de controlar a renormalização da velocidade de Fermi ($v_F$) do elétron em uma folha de grafeno usando a PQED. Isso ocorre quando uma folha de grafeno é colocado paralelo à uma placa perfeitamente condutora ou quando imerso numa cavidade \cite{NPHYB,NPHYB2}. Neste modelo (PQED) os elétrons se movem em um plano enquanto que os fótons vivem no espaço tridimensional. Essas características tornam a PQED o modelo ideal para investigar o papel da interação eletromagnética em sistemas bi-dimensionais. Neste projeto serão desenvolvidos estudos de Teoria Quântica de Campos (TQC) aplicada a sistemas bi-dimensionais da Física da Matéria Condensada. Investigaremos a influência da interação eletromagnética nas propriedades topológicas e de transporte em alguns materiais como o siliceno, fosforeno e os TMD's (Transition-Metal Dichalcogenides) utilizando PQED como modelo. Utilizaremos métodos perturbativos e não perturbativos em TQC para realizar esses estudos. Investigaremos também outras formas de controlar a renormalização de $v_F$. Pretendemos também levar em consideração as impurezas existentes nesses sistemas, os quais podem ser simuladas em TQC por uma interação de contato tipo Gross-Neveu \cite{Jin}, e os fónos da rede que podem ser introduzidos através de uma ineração de Thirring. Esperamos que os resultados obtidos forneçam predições teóricas úteis a futuras investigações experimentais.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanda Carneiro de Claudino Sales

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • geomorfologia dos maciços cristalinos do nordeste setentrional brasileiro: origem, evolução e geoambiente
  • O relevo do Nordeste setentrional brasileiro (Ceará e áreas adjacentes do Rio Grande do Norte e Paraíba) configura morfoestruturas antigas que foram reestruturadas durante a divisão do Gondwana no Cretáceo, dentre as quais se situam os maciços cristalinos. Esses relevos são sustentados por granitos delimitados por zonas de cisalhamento, as quais foram reativadas durante o rifting cretáceo. Representam segmentos residuais dos ombros do rift, e seriam formas residuais. No entanto, pesquisas diversas vêm indicando a ocorrência de soerguimentos terciários de vários maciços, colocando-os como estruturais. Do ponto de vista morfoclimático, faltam dados sobre erosão e sedimentação, em particular para o Plio-Pleistoceno, considerado como o período mais importante para a esculturação da paisagem nos estudos clássicos. O presente projeto tem por objetivo contribuir para a produção de novos dados sobre esses elementos. Para tanto, realizará análise morfoestrutural e realizará a datação de superfícies e depósitos através do uso pioneiro de isótopos cosmogênicos e Luminescência Opticamente Estimulada – LOE/SAR. Em adição, visa fazer levantamento dos elementos do meio ambiente numa perspectiva geossistêmica, procurando agregar dados da realidade atual ao quadro evolutivo da paisagem regional. A pesquisa define como elemento de análise quatro áreas-piloto representativas do Nordeste setentrional, os maciços da Meruoca (Ceará), Pereiro (Ceará), Teixeiras (Paraíba) e Martins (Rio Grande do Norte).
  • Universidade Estadual Vale do Acaraú - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanda Jorgetti

Ciências da Saúde

Medicina
  • o uso de desferroxamina no tratamento da sobrecarga de ferro em doentes em diálise: impacto na remodelação óssea, função miocárdica e armazenamento no fígado.
  • Introdução: A doença renal crônica (DRC) cursa com várias comorbidades, entre elas a anemia. A perda de função renal leva a uma queda na produção de eritropoietina (EPO) além de deficiência de ferro (Fe). A suplementação de Fe nos pacientes em diálise, é indicada para manter níveis de ferritina superiores a 100 mg/dl e uma saturação de transferrina maior que 20%. Entretanto, a reposição excessiva desse elemento, pode gerar Fe livre não ligado a transferrina que se deposita em diferentes orgãos como coração, fígado e tecido ósseo. O diagnóstico da sobrecarga de Fe, sua significância clínica e implicações terapêuticas, são pouco estudados nos pacientes com DRC especialmente naqueles tratados por hemodiálise. Este estudo tem como objetivos, estudar pacientes em hemodiálise com suspeita clinica e laboratorial de sobrecarga de ferro, além de avaliar o impacto do tratamento com Desferroxamina (DFO) no fígado, coração e ossos desses pacientes dialíticos. Métodos: Estudo clínico, prospectivo, longitudinal, não controlado, composto por 30 pacientes. Serão incluídos no estudo pacientes com pelo menos 3 meses de hemodiálise, maiores de 18 anos, com níveis de ferritina sérica igual ou maior que 1000 mg/l, e, excluídos pacientes com doenças hepáticas, neoplasias, HIV, uso prévio de DFO e transplante renal anterior. Os pacientes serão avaliados no início do estudo, a seguir receberão tratamento com DFO 5mg/kg/semana por 12 meses e reavaliados: biópsia óssea transilíaca, Ressonância Nuclear Magnética (RNM) de coração e fígado, Densitometria óssea (DXA), Ecocardiograma e Radiografia simples de ossos longos, bacia e abdome lateral. Os exames laboratoriais: Cálcio (Ca), fósforo (P), fosfatase alcalina (FA), paratormônio (PTH), hepcidina (HPN), Fe, ferritina e índice de saturação de transferrina (IST) serão avaliados a cada três meses.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Vanda Lúcia Ferreira

Ciências Biológicas

Ecologia
  • anfíbios e répteis: predadores e presas
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - MS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022