Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Vívian da Silva Braz

Outra

Ciências Ambientais
  • mostra científica em cocalzinho/goiás- bicentenário da independência: 200 anos de ciência, tecnologia e inovação no brasil
  • No Brasil a dimensão prática do conhecimento tem permanecido, historicamente, em segundo plano. Este fato tende a ser uma característica geral da educação brasileira. A realização da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia constitui, desse modo uma contribuição importante para atenuar, e quem saber colaborar para minimizar essa lacuna lastimável. É necessário familiarizar o estudante com a pesquisa, formando cidadãos capazes de responder às necessidades do mundo atual. Nesse sentido, os pesquisadores têm um importante papel a cumprir. Por meio da divulgação precisa e responsável dos avanços técnico científicos e dos impactos que eles possam ter sobre as pessoas, esses profissionais podem contribuir de forma decisiva para a construção de uma consciência crítica da sociedade brasileira. Esta proposta tem por objetivo popularizar a produção científica e tecnológica a fim de estimular escolares da rede municipal de Cocalzinho a refletir, experimentar e problematizar a ciência e a tecnologia. Destaca-se que a escola que será atendida por essa proposta é a Escola Municipal Modelo de Cocalzinho, onde detecta-se uma grande carência em iniciativas de acesso não formal ao conhecimento por meio dos estudantes. Portanto, o evento pretende conduzir de forma transversal das discussões sobre ciência e tecnologia com os escolares, especialmente, entendo o papel crucial desses conceitos com alavanca do desenvolvimento humano e para a sustentabilidade socioambiental. O Evento ocorrerá por meio do intercâmbio entre o Ensino Superior e o Ensino Fundamental. A UniEvangélica trará para os escolares as práticas e pesquisas realizadas em diversos ramos da ciência e tecnologia, promovendo o contato e acesso das crianças à ciência na prática. Pretende-se aproximar os profissionais da ciência dos jovens estudantes, promovendo a socialização do saber produzido no Brasil, bem como despertando o interesse dos mesmos a uma formação voltada à solução de seus problemas regionais.
  • Universidade Evangélica de Goiás - GO - Brasil
  • 20/09/2022-31/03/2023
Foto de perfil

Vivian Machado de Menezes

Outra

Divulgação Científica
  • iv feira de ciências da cantu na uffs
  • A IV Feira de Ciências da Cantu na UFFS consiste em um evento proposto para proporcionar uma ferramenta de divulgação científica e interação entre a Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) - Campus Laranjeiras do Sul, escolas e comunidade externa da região de abrangência da Instituição. Já foram realizadas três edições da Feira, em 2017, 2018 e 2019, onde foram possibilitados momentos de comunicação científica entre estudantes, professores, técnicos, pesquisadores e visitantes com temas de pesquisas nas mais diversas áreas do conhecimento. Os dados levantados apontam que o desenvolvimento destas atividades promoveu a aproximação entre os membros da comunidade acadêmica, das escolas municipais, estaduais e particulares da região e do entorno do Território Cantuquiriguaçu-PR com a UFFS - Campus Laranjeiras do Sul, fortaleceu o envolvimento de todos em atividades científicas, além de auxiliar na divulgação da Universidade e dos cursos ofertados no Campus Laranjeiras do Sul. A Feira de Ciências da Cantu na UFFS é uma oportunidade importante para que os participantes validem seus projetos de pesquisa e pratiquem suas habilidades comunicativas, socializando seus trabalhos com diferentes públicos da comunidade escolar, acadêmica e regional.
  • Universidade Federal da Fronteira Sul - SC - Brasil
  • 19/09/2022-31/03/2023
Foto de perfil

Vívian Vanessa França Henn

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • explorando fases quânticas em nanomateriais: desenvolvimento de funcionais da densidade e aplicações via dft
  • O grande desafio de descrever a matéria completamente, ou seja, compreender todas as suas propriedades e características, é o tratamento quântico dos sistemas interagentes de muitos corpos. A tarefa se torna ainda mais difícil ao lidar com sistemas quânticos complexos na presença de heterogeneidades espaciais, como bordas, impurezas localizadas, potenciais confinantes, desordem. No entanto, essas heterogeneidades não são apenas comuns, mas muitas vezes inevitáveis em nanomateriais realistas. Portanto, é crucial estudar modelos teóricos heterogêneos para que as simulações numéricas sejam suscetíveis de aplicação a dispositivos reais. A Teoria do Funcional da Densidade (DFT) é uma ferramenta poderosa para investigar tais nanoestruturas interagentes e espacialmente heterogêneas. No entanto, o sucesso dos cálculos de DFT está intrinsecamente relacionado à qualidade e performance dos funcionais de densidade adotados. Neste projeto, propomos construir, otimizar e aplicar funcionais da densidade em cálculos de DFT para investigar emaranhamento quântico e transições de fase quânticas em nanomateriais heterogêneos. Exploraremos fenômenos críticos em metais, isolantes, supercondutores convencionais e superfluidos exóticos, bem como sua relação com o grau de emaranhamento dos nanomateriais. Estudos envolvendo estados emaranhados são oportunos para o desenvolvimento de tecnologias quânticas. Nosso objetivo é duplo: usar o emaranhamento como uma possível testemunha das transições de fase quânticas e entender a relação das fases com o graus de emaranhamento, visando a aplicação desses materiais em tecnologias quânticas. Iremos também investigar como todos esses fenômenos são afetados pela temperatura e pela dimensionalidade do modelo. Assim, as linhas de pesquisa propostas neste projeto vão desde a pesquisa fundamental, passando pelo desenvolvimento metodológico, até aplicações nas propriedades dos nanomateriais.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Viviana Borges Corte

Outra

Divulgação Científica
  • v mostra de biologia: 200 anos de ciência, tecnologia e inovação no brasil
  • A Mostra de Biologia chega a sua quinta edição com histórico de sucesso no alcance e envolvimento de estudantes da educação básica e suas comunidades escolares. O evento tem sido apoiado pelo MCTI desde sua terceira edição por meio dos editais SNCT 2019, 2020 e 2021. Tendo o conhecimento científico e o avanço tecnológico como referência estratégica, a V Mostra de Biologia, focada no bicentenário da independência do Brasil, caracteriza-se pela promoção de atividades de educação não formal e de divulgação científica que tem como objetivo principal estimular o aprendizado e a percepção do papel da ciência na sociedade e como instrumento de fortalecimento da educação formal (Ensino Fundamental I e II, Ensino Médio e Educação Tecnológica), não-formal e informal, visando à divulgação do conhecimento científico e tecnológico construído ao longo dos anos. Para isso, a Mostra trará uma viagem no tempo por meio da qual os visitantes poderão passear por diferentes momentos na história do Brasil desde as viagens e expedições ao Brasil do naturalista britânico Charles Darwin em 1832 e 1836 e as contribuições do naturalista teuto-brasileiro Fritz Muller em 1864, encontrando os(as) cientistas brasileiros que marcaram época, com destaque à discussão o papel das mulheres na ciência brasileira e como ampliar a participação das mulheres na ciência no Brasil. Visitaremos as primeiras instituições científicas brasileiras, descobrindo seu legado, sua importância e os principais avanços científicos e tecnológicos dos últimos 200 anos. O evento conta com equipe multidisciplinar e multiprofissional, o que permitirá permear diversas áreas do conhecimento por diferentes formas - expositivas, interativas, nas modalidades presencial e virtual, as atividades da Mostra foram pensadas visando estimular a criatividade, o senso crítico, a curiosidade e o espírito científico por meio de Exposição, Seminário ou Ciclo de Palestras, Conjunto de Oficinas.
  • Universidade Federal do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 12/09/2022-31/03/2023
Foto de perfil

Viviana Borges Corte

Ciências Humanas

Educação
  • iv mostra de biologia: a ciência está em tudo!
  • Em um contexto de pandemia, agravada por correntes de desinformação, o mundo passa por grandes mudanças em todos os setores da atividade humana. A sociedade hoje conectada está cada vez mais diversa e globalizada. Estamos vivendo a quarta revolução industrial que transformará fundamentalmente a forma como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos (UNESCO, 2018). Não somente o setor industrial, mas como quase todos os setores da economia sofreram mudanças ocasionadas pela automatização, digitalização e desenvolvimento da internet. Além de mudanças econômicas e sociais, a era da digitalização também provocou mudanças profundas na comunicação. Redes sociais e plataformas de divulgação de conteúdo, como YOUTUBE®, blogs, entre outros, provocaram uma revolução na comunicação humana, diminuindo distâncias e democratizando a informação (COUTINHO & LISBÔA, 2011). Nos últimos anos, avanços incríveis aconteceram na ciência, tecnologia e inovações, levando a soluções rápidas para problemas reais, que pensávamos outrora que jamais seriam possíveis. Há, portanto, uma ruptura de paradigma entre as sociedades analógica e digital que mais do que conduzir-nos à Quarta Revolução Industrial, o avanço na ciência, tecnologia e inovações está provocando uma transformação cultural. Estas mudanças na sociedade, afetaram também a educação, desde a escola básica até o ensino universitário, que precisam ressignificar-se para atender às necessidades de crianças, jovens e adultos em um mundo cada vez mais diversificado, digitalizado e globalizado. Além da educação formal, essa realidade também se apresenta em transformação nas diversas formas de veiculação da informação entre as pessoas das diversas classes sociais ou culturais. Há de se pensar em uma forma nova de comunicar ciência à sociedade. Daí podemos refletir sobre ‘como e o que ensinar para nossos jovens e adultos em um mundo onde as mudanças tecnológicas são tão rápidas?’ ‘Como preparar os jovens para um mercado de trabalho e para uma sociedade cada vez mais digitalizada, diversificada, globalizada e altamente conectada?’ As crianças de hoje já nasceram num mundo digital, por isso o uso de celulares, tablets e outras tecnologias está cada vez mais comum em seu cotidiano e consequentemente no espaço escolar. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística de 2018 apontam que 79,1% dos lares brasileiros estão conectados a uma rede de internet, ou seja, 126,9 milhões de pessoas. A facilidade de acesso à informação popularizou-se, nunca houve, na história da humanidade, as mesmas facilidades de propagação de notícias como há agora! Se antes existia uma disputa entre professores e celulares, hoje muitos educadores já criaram formas de unir educação com tecnologia para potencializar a aprendizagem. Pensar em escolas usando recursos como realidade aumentada ou até inteligência artificial, para muitos, já não parece uma cena futurista. Freire (2019) destaca que a situação de aprendizagem deve considerar um problema real do mundo, pois “ensinar exige compreender que a educação é uma forma de intervenção no mundo”, ou seja, a educação deve ser transformadora (FREIRE, 2019, p.96). Apesar de reconhecer que a educação é capaz de intervir no mundo, Paulo Freire destaca que a educação por si não muda o mundo. Ela muda as pessoas, e estas sim, mudam o mundo (FREIRE, 1989). Deste modo, o olhar do professor não deve ser apenas para o conteúdo ou projeto pedagógico, mas sim um olhar mais atento ao desenvolvimento pessoal e integral do aluno. Dessa forma, a IV Mostra de Biologia: ‘A ciência está em tudo!’ visa abordar a transversalidade da ciência, tecnologia e inovações para o futuro do planeta, integrando o mundo natural (real) e o mundo tecnológico (virtual) como forma de despertar nas crianças e jovens a curiosidade em explorar e aprender cada vez mais. Tendo o conhecimento científico e o avanço tecnológico como referência estratégica, a IV Mostra de Biologia, focada na “transversalidade da ciência, tecnologia e inovações para o planeta”, caracteriza-se pela promoção de atividades de educação não formal e de divulgação científica que tem como objetivo principal estimular o aprendizado e a percepção do papel da ciência na sociedade e como instrumento de fortalecimento da educação formal (Ensino Fundamental I e II, Ensino Médio e Educação Tecnológica), não-formal e informal, visando à divulgação do conhecimento científico e tecnológico. Para isso, a Mostra trará um tema que desperta a curiosidade dos públicos de todas as idades: “Tem ciência aqui?” A partir dessa reflexão, queremos aprimorar a formação dos estudantes, unindo as capacidades de “produzir conhecimentos com uma cidadania que sabe pensar” (DEMO, 2010, p. 10) e com isso encontrar soluções que integram natureza e tecnologia para os problemas do dia-a-dia. As atividades serão desenvolvidas por estudantes dos cursos de Ciências Biológicas, Química, Engenharias, Oceanografia, Geografia, Pedagogia, Línguas e Letras e Psicologia. Participam ainda, mestrandos do Programa de Mestrado Profissional em Ensino de Biologia - PROFBio e alunos de Ensino Fundamental e Médio atendidos pelo Núcleo de Atendimento a alunos com Altas Habilidades e Superdotação (NAAHS) da Secretaria de Estado da Educação (SEDU). Em sua quarta edição, a Mostra de Biologia exibirá a ciência, tecnologia e inovações em perspectiva transversal, permeando diversas áreas do conhecimento por diferentes formas - expositivas, interativas, nas modalidades presencial e/ou virtual. As atividades propostas foram pensadas visando estimular a criatividade, o senso crítico, a curiosidade e o espírito científico por meio de Exposição de CT&I, Seminário ou Ciclo de Palestras, Conjunto de Oficinas de CT&I, Mostra de Vídeos.
  • Universidade Federal do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 05/10/2021-31/10/2023