Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Silvia Inês Dallavalle de Pádua

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • promoção do gerenciamento de processos de negócio (bpm) em organizações de saúde: uma proposta de modelo considerando capacidade dinâmica
  • A Visão Baseada em Recursos - VBR aborda as capacidades dinâmicas, que são capacidades pertencentes à organização que lhe possibilitam ajustar suas competências para lidar com as demandas ambientais. O sucesso das iniciativas de promoção de gerenciamento de processos de negócio ou Business Process Management - BPM é dependente das Capacidades Dinâmicas, fato ainda pouco abordado em estudos acadêmicos. As organizações ligadas a saúde, como as unidades de Pesquisa Clínica, tem buscado soluções de maneira individual uma vez que ambiente é muito dinâmico e complexo e requer uma equipe multidisciplinar: médico investigador, coordenadores do estudo clinico, participantes da pesquisa (pacientes), enfermeiras e farmacêuticos. As barreiras para conduzir protocolos de pesquisa clínica são universais: complexidade do protocolo, aumento da carga de recursos para coletar e gerenciar esses dados entre outras. O objetivo deste estudo é construir um modelo para a promoção do Gerenciamento de Processos de Negócio em Unidade de Pesquisa Clínica com foco na facilidade de adaptação dinâmica aos desafios operacionais e demandas erráticas. A pesquisa é teórico-empírica e qualitativa com a estratégia de pesquisa-ação. A pesquisa será realizada em quatro fases: (1) Fundamentação teórica; (2) Estrutura analítica do projeto (3) Pesquisa-ação; (4) Proposição do modelo. Com a conclusão da pesquisa, há a pretensão de propor um modelo para a promoção de BPM que contemple a capacidade de adaptação, os papéis e responsabilidades, a integração da gestão dos processos com a gestão de projetos, técnicas e fases de acordo com os principais pressupostos teóricos postulados pela literatura especializada. Espera-se como benefícios contribuir com a fronteira do conhecimento sobre a promoção de BPM em Pesquisa Clínica e Visão Baseada em Recursos RVB e Capacidades Dinâmicas.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Silvia Luzia Frateschi Trivelato

Ciências Humanas

Educação
  • elementos da cultura científica nas práticas escolares
  • Nos propormos a investigar e descrever elementos próprios da cultura científica presentes em práticas e atividades escolares. Inserimos nosso projeto na perspectiva da Alfabetização Científica, reconhecendo os três eixos estruturantes estabelecidos por Sasseron e Carvalho (2008), e damos destaque àquele que se relaciona à compreensão da natureza da ciência, focalizando atividades que ofereçam oportunidade aos alunos de compreenderem como a ciência se desenvolve e de se apropriarem da cultura científica. As propostas de ensino por investigação estão alinhadas com a Alfabetização Científica, na medida em que valorizam a natureza investigativa dos processos de produção de conhecimento científico, promovendo a discussão de ideias, a consideração de evidências e a elaboração de argumentos. Um aspecto bastante destacado no processo é o continuum evidência-explicação, que se baseia no desenvolvimento de critérios epistêmicos que determinam o que é válido na investigação. Neste projeto vamos acompanhar situações escolares em que se desenvolvem sequências de ensino por investigação, em salas de aula de escolas públicas e particulares. Nosso objetivo é descrever e analisar como os estudantes se apropriam de elementos da cultura científica, ou seja, como compartilham construtos conceituais, práticas epistêmicas e ferramentas culturais próprias da ciência em situações de interação, ao longo de sequências de ensino por investigação. Vamos acompanhar o desenvolvimento de sequências de ensino em sua íntegra, e tomar registros das situações de interação professor - alunos, alunos – alunos, das ações e anotações do professor, das produções dos aluno, etc. Os dados recolhidos serão sistematizados e organizados para constituir um acervo que servirá não apenas para esta pesquisa, mas também a outras que tenham interesse em estudar situações de sala de aula. No âmbito do presente projeto, um dos objetivos específicos é descrever as interações que ocorrem entre professor e alunos, buscando compreender o papel do professor na construção de significados e no engajamento dos estudantes em processos investigativos. Especialmente voltados para esse objetivo, utilizaremos o sistema analítico construído por Mortimer e Scott (2002 e 2003) e enfoques que a ele se somaram nas metodologia empregada por Ricci (2014) e Rezende (2015). Nos valemos também dos tipos de perguntas propostos por Machado e Sasseron (2012), e nos servimos dessas categorias como potencial indicador das intenções do professor nas etapas investigativas, permitindo relacionar com o engajamento dos estudantes. O segundo objetivo específico do projeto está relacionado à identificação de ferramentas culturais (textos, gestos, inscrições literárias) empregadas no desenvolvimento de conceitos e temas. Nos baseamos em Prain e Tytler (2013) que valorizam a construção de inscrições literárias pelos estudantes, por entender que essa é uma prática que utiliza ferramentas simbólicas e materiais na construção de significados, e por entender que tal prática promove uma aprendizagem epistêmica num determinado campo de conhecimento. Para a análise das diferentes linguagens e ferramentas culturais, teremos como recurso a estratégia metodológica desenvolvida por Rezende (2015), que adotou uma notação própria para viabilizar o registro simultâneo das intervenções orais, dos gestos e das representações visuais que compunham a construção de inscrição literária ao longo de uma aula de biologia. Em mais um objetivo específico, focalizamos a produção de argumentos, tanto do ponto de vista de descrever e analisar as situações e as condições em que tal produção ocorre ou é demandada, assim como nos interessa analisar o próprio argumento produzido. Para isso nos valemos do TAP (Padrão de Argumento de Toulmin) e desdobramentos de análise que esse padrão enseja. Nos interessa também analisar os argumentos como produto de articulações entre evidências e explicações. O último objetivo específico do projeto se refere a um mapeamento das ações da dimensão epistêmica. Para além de um quadro descritivo das situações que serão analisadas, nos interessa avaliar as articulações entre as práticas escolares e as práticas científicas nessa dimensão epistêmica, explorando ainda as particularidade do campo de conhecimento. O trabalho de Kelly (2008) nos dá a base para caracterizar as práticas epistêmicas; já o trabalho de Kelly e Licona (2018) fornece o apoio necessário para que dessas práticas se derivem descritores próprios para cada situação, ou ainda, campo disciplinar e, principalmente, destaca a mudança do sujeito epistêmico (de indivíduo para grupo social relevante). Temos usado esses e outros trabalhos para a constituição de categorias de análise em pesquisas já desenvolvidas, que servem de ponto de partida (SILVA ET AL, 2018, no prelo). O projeto produzirá quatro sínteses analíticas, submetidas na forma de artigos e divulgadas também em congressos da área.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Silvia Márcia Ferreira Meletti

Ciências Humanas

Educação
  • escolarização do aluno com deficiência: uma análise dos indicadores educacionais brasileiros.
  • A pesquisa tem por objetivo analisar o modo como o atendimento educacional para o aluno com deficiência está organizado na educação básica das diferentes regiões geográficas brasileiras em termos de acesso, permanência e da natureza dos serviços educacionais organizados e destinados a esta população. Especificamente busca: identificar e analisar as condições de acesso das pessoas com deficiência à educação cotejando os dados oficiais do poder público sobre incidência demográfica e matrículas na educação básica brasileira; caracterizar e analisar os eventos educacionais sobre as condições de permanência na educação básica das pessoas com deficiência; caracterizar e analisar as condições de acesso e permanência de pessoas com deficiência na educação básica brasileira segundo regiões demográficas e unidades federadas do país. Para tanto, tomamos como unidade de análise a incidência demográfica e os eventos educacionais sobre o acesso e as condições de permanência na educação básica dessa população, tendo como fonte as estatísticas públicas do Censo da Educação Básica de 2007 a 2019, coletadas e divulgadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP).
  • Universidade Estadual de Londrina - PR - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Silvia Maria Meira Magalhães

Ciências da Saúde

Medicina
  • células supressoras derivadas da linhagem mielóide (mdsc’s) como reguladoras do processo inflamatório nos pacientes portadores de síndromes mielodisplásicas
  • As síndromes mielodisplásicas (SMDs) representam um grupo heterogêneo de doenças hematopoéticas que acometem indivíduos com idade superior a 60 anos, têm patogênese complexa que inclui desordem nas vias de sinalização, morte precoce das células progenitoras hematopoéticas (CPH) por apoptose (hematopoese ineficaz) e insuficiência medular. O diagnóstico é baseado nos achados de citopenias isoladas ou combinadas no sangue periférico, na identificação de alterações morfológicas em células hematopoéticas (displasias) e na presença de alterações citogenéticas. Muitos distúrbios envolvendo o sistema imunológico têm sido descritos na SMD por promover o desenvolvimento de inflamação e doença autoimune. Atualmente, uma população de células imunossupressoras de origem mielóide têm sido alvo de estudos em pacientes com câncer. As chamadas MDSC’s (células supressoras derivadas da linhagem mielóide) constituem um grupo de células mielóides progenitoras imaturas (iMC’s) com características heterogêneas na morfologia, em marcadores fenotípicos e na função celular, diferenciando-se em células mononucleares imaturas como as M-MDSC’s e a polimorfonucleares imaturas como PMN-MDSC’s. O papel das MDSC’s na proliferação do tumor, através da promoção da neovascularização e a invasão dessas células tumorais levando à metástase ainda não está totalmente descrito na literatura. A utilização da imunofenotipagem por citometria de fluxo permite a análise da expressão desses antígenos celulares, identificando quantitativa e qualitativamente expressões anormais relacionadas à linhagem e à maturação celular, evidenciando o aumento de células imaturas com imunofenótipos aberrantes. Diante do exposto, os objetivos desse estudo são avaliar a presença dessas células em pacientes portadores de SMD; comparar os resultados com um grupo de idosos sadios e diferenciar os subtipos de células MDSC’s de acordo com a classificação da SMD; avaliar os níveis séricos de interleucinas IL-1, IL-6, IL-10, IL-13; e mensurar o nível de fator de crescimento VEGF nesses pacientes.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022