Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ana Maria Baptista Menezes

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • prematuridade e doenças crônicas nao transmissiveis nos adultos jovens (30 anos) da coorte de nascidos vivos de 1993, pelotas, rs
  • Em 1998, Barker propôs que as doenças crônicas não transmissíveis (sigla em inglês: NCD) podem resultar não somente da genética ou estilo de vida não saudável do indivíduo, como também do desenvolvimento intrauterino e do pós-natal imediato. A partir daí, várias pesquisas buscam mostrar a relação entre condições de nascimento desfavoráveis e doenças crônicas tardias. O presente projeto visa avaliar a associação entre prematuridade nos membros da coorte de nascimento de 1993, Pelotas, RS, com desfechos tardios nestes participantes aos 30 anos de idade. A informação sobre idade gestacional foi obtida ao nascimento sendo prematuridade definida como os nascidos de mães com <37 semanas de gestação. Na próxima visita da coorte, aos 30 anos (ano de 2023), serão avaliados desfechos como doenças cardiovasculares, pulmonares, déficit de atenção (TDAH), violência, dentre outras, através de proxys para essas futuras doenças ja que são adultos jovens. Através de alguns exames como função pulmonar, pressão arterial, ultrassom de carótida, IMC, composição corporal por DXA e BOD Pod, assim como a informação por questionários (red cap) sobre dieta, atividade física, saúde mental e violência poderemos detectar, precocemente, alterações para futuras doenças. Há evidência de países de alta renda que prematuros estão em risco de doenças em longo prazo. No nosso meio, sabe-se pelas quatro coortes de nascimento de Pelotas (1982, 1993, 2004 e 2015) que a prevalência de prematuridade aumentou de 5,8% em 1982 para 13,8%, em 2015. Acredita-se que esta epidemia de pré-termos esteja diretamente ligada à epidemia da cesária. Nossa hipótese é de crianças nascidas pré-termo estão em maior risco de desenvolverem doenças na vida adulta comparadas a crianças nascidas a termo. A estratégia metodológica para este projeto é o fato de termos uma coorte de nascimento prospectiva e de base populacional com informações desde o nascimento e seguimento da mesma em várias idades ao longo do ciclo vita
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 14/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Ana Maria Benko Iseppon

Tecnologias

Desenvolvimento Tecnológico e Industrial
  • bioinformática, ômicas e biotecnologia aplicadas ao feijão-caupi visando à resistência contra patógenos e pragas
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 29/11/2019-30/11/2022
Foto de perfil

Ana Maria Benko Iseppon

Ciências Biológicas

Genética
  • big-data e computação em nuvem na identificação de substâncias bioativas inspiradas na flora da caatinga e da mata atlântica
  • Nos últimos 15 anos houve avanços significativos nas tecnologias de sequenciamento de ácidos nucleicos. Tais sequências são atualmente obtidas com rapidez, maior precisão e cobertura de até centenas de vezes para cada genoma de interesse. Esses avanços abriram oportunidades para estudo de espécies não-modelo que até então permaneciam à margem dos avanços das ciências ômicas. Por outro lado, o acesso facilitado a essas tecnologias resultou em uma proliferação sem precedentes de dados, com ênfase para genomas e transcriptomas. Tais dados, por sua vez, necessitam de tratamento analítico para que sejam disponibilizados em bancos de dados em benefício de diversos grupos e da comunidade em geral. Após processamento os dados precisam ser integrados a outros dados de ômicas, dados laboratoriais (wet-lab) ou mesmo dados fenotípicos, em bancos de dados integrados, tornam-se ainda mais complexos. Cada novo gene-candidato pode ser analisado em um contexto estrutural e evolutivo, bem como seus produtos codificados, as proteínas, as quais ainda demandam análises sobre sua estrutura secundária e terciária, sua estabilidade (modelagem) em diferentes ambientes (dinâmica molecular) ou ainda a modelagem de sua interação com seus celulares ou moleculares. No conjunto essas análises estão entre as mais complexas da ciência moderna, podendo ser classificadas como Big Data. Nosso grupo dispõe de transcriptomas e genomas de plantas, seus patógenos e microbiontes, analisados de forma integrada e isolada, havendo grande demanda por acesso a recursos de computação em nuvem. Plantas possuem os maiores e mais redundantes genomas de nosso planeta, suportando grandes mudanças na dinâmica e proporção entre DNA codificante e não codificante. Tal plasticidade resulta em um número significativo de isoformas proteicas com funções específicas, observadas para várias categorias moleculares, com ênfase para famílias proteicas associadas à resposta a estresses bióticos. O Brasil apresenta alta biodiversidade, mas ainda são escassas as pesquisas abordando aspectos genéticos e moleculares das plantas e microrganismos em ambientes neotropicais, sendo essa carência ainda maior quanto às espécies ocorrentes no Nordeste Brasileiro. Essa região se destaca por abrigar os domínios da Mata Atlântica e da Caatinga, com diversas formações vegetacionais como os brejos de altitude, as restingas, manguezais, cerrado, matas úmidas, bem como diversas subcategorias da caatinga, sendo a região considerada um dos centros mundiais de biodiversidade. Os grupos proponentes deste projeto têm trabalhado em análises de genômica funcional e estrutural envolvendo plantas, patógenos microbianos e estresses ambientais importantes para a região nordeste. Nesse sentido, temos identificado e avaliado genes/proteínas candidatos para o entendimento das relações planta-patógeno e planta-ambiente, avaliando seu potencial biotecnológico. Os estudos incluirão prospecção de transcriptomas já gerados pelo nosso grupo a partir de espécies altamente adaptadas às condições estressantes do nordeste Brasileiro, incluindo uma leguminosa arbórea conhecida popularmente como ‘Catingueira’ (Cenostigma pyramidallis), uma leguminosa arbustiva do semiárido (Stylosanthes scabra), além de uma espécie amplamente usada na medicina popular (Calotropis procera. Todas as três espécies chamam a atenção pelas condições extremas de estresse que conseguem suportar, sendo consideradas potenciais doadoras de genes/proteínas bioativas. Também dispomos de transcriptomas de plantas cultivadas, como a videira (Vitis vinifera) e o feijão-caupi (Vigna unguiculata), sob condições de estresse biótico (interação com bactéria, vírus e fungo, respectivamente) e abiótico (déficit hídrico e salinidade). Os transcriptomas já foram processados, anotados e ancorados em genomas de referência, estando esses dados e os proteomas conceituais disponíveis em plataformas multiusuários. Além desses, acabamos de sequenciar 12 genomas completos de plantas superiores incluindo além das espécies acima citadas, a planta medicinal conhecida como Velame (Croton heliotropiifolius) conhecida por sua atividade antimicrobiana, anti-inflamatória, antifebril para uso tanto externo como no sistema gastrointestinal, incluindo também compostos com atividade larvicida. O presente projeto avaliará o potencial biotecnológico de categorias moleculares específicas, incluindo peptídeos antimicrobianos, fatores de transcrição e genes da resposta cruzada (responsíveis tanto a estresses bióticos como abióticos) nas plantas citadas. Também sequenciamos 150 genomas completos de fitopatógenos, cujas ilhas de patogenicidade e virulência estão sendo identificadas para docagem de seus efetores contra genes de resistência de plantas em estudo. Após análises bioinformáticas, as inferências biotecnológicas incluirão expressão heteróloga testes in vitro e in vivo de proteínas e peptídeos isolados ou sintetizados. Já dispomos de 80 peptídeos-candidatos selecionados entre milhares de genes diferencialmente expressos e exclusivos das plantas em análise (dos quais três foram recentemente submetidos a patenteamento). Ao final do estudo pretendemos ter desenvolvido no mínimo duas plantas transgênicas expressando genes de defesa contra patógenos, além da expressão heteróloga e síntese de peptídeos antimicrobianos cuja atividade será avaliada in vitro e in vivo com vistas a seu patenteamento. Alguns peptídeos antimicrobianos serão modificados e reduzidos visando à otimização de sua atividade contra patógenos humanos e vegetais. Os melhores candidatos serão avaliados quanto à sua toxicidade, mutagenicidade e antimutagenicidade considerando a geração de fármacos antimicrobianos. Sendo assim, é de essencial importância a aprovação deste projeto para processamento, pré-armazenamento e facilidade de disponibilização de nossos Big Data apresentados. No presente projeto está sendo incluída toda a equipe responsável pelas análises de bioinformática.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 31/08/2020-31/08/2022