Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Silvio Segundo Salej Higgins

Ciências Humanas

Sociologia
  • covid-19: proposta de um modelo epidemiológico que incorpora estruturas sociais de contágio
  • O objetivo geral consiste em produzir indicadores epidemiológicos que permitam associar características epidemiológicas a diversos fatores sociométricos, estando estes vinculados às iterações sociais em diversos contextos de socialização. Os objetivos específicos 1) Estruturar e propor modelos de distribuições paramétricas para grafos que sejam compatíveis com formas de interação em círculos sociais-chave para prever o curso da pandemia e assim escolher as melhores estratégias de desconfiamento. Quatro são os círculos sociais considerados relevantes: vizinhanças em favelas, centros comerciais e supermercados, instituições de ensino e equipamentos de transporte público. 2) Fazer análise estatística dos modelos propostos para círculos sociais-chave, nas estratégias graduais de desconfiamento, assim como especificar ou estimar os parâmetros epidemiológicos destes contextos de interação. 3) Realizar as simulações tanto para os círculos de interação como para a propagação da epidemia e representar graficamente de maneira apropriada os resultados, por exemplo curvas do número de infectados ao longo do tempo nestes contextos. Isto permitirá também assinalar os efeitos de diversos regímenes de distanciamento social. 4) Construir indicadores apropriados, por exemplo o número básico de reprodução RO, para a indicação dos efeitos dos diversos cenários de distanciamento sobre os efeitos estimados em cada um dos círculos sociais considerados. 5) Montar interfaces simples e em linguagem aberta para os usuários destes modelos, assim como manuais explicativos. 6) Promover a iteração de grupos de pesquisa epidemiológica no Equador e Brasil.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 16/07/2020-15/09/2022
Foto de perfil

Silvio Segundo Salej Higgins

Ciências Humanas

Sociologia
  • religião e empregabilidade - a força dos laços fracos e fortes em grupos religiosos pentecostais
  • Entre 2002 e 2013 o Brasil pode ser considerado um país afluente com ganhos crescentes na média salarial. Concomitantemente, registrou-se um processo de de mudança no perfil religioso da população. Esta pesquisa vai ao encontro desta dupla tendência para pesquisar de forma específica como os grupos religiosos de maior expressão na guinada protestante, as comunidades de culto pentecostal, transformaram-se num mecanismo específico de acesso ao mercado de trabalho formal ao mesmo tempo que criam oportunidades de emprego por conta própria. Invocamos a teoria sociológica de Mark Granovetter (1973) segundo a qual as estruturas de proximidade, ou redes interação, operam como fatores que fazem a diferença no acesso a um posto de trabalho. Neste caso, lançamos a hipótese de que as comunidades de culto operam como bolsas informais de emprego para seus membros ao mesmo tempo que cultivam uma visão de mundo própria da mobilidade social ascendente, do sucesso e do esforço individual como certitudo salutis. Neste ponto, a doutrina da prosperidade é decisiva. Metodologicamente, propomos uma pesquisa tipo survey em seis grandes capitais do Brasil entre grupos de culto pentecostal,com representatividade demográfica para este segmento específico.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022