Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ricardo Toledo Neder

Ciências Humanas

Sociologia
  • fundo rotativo solidário como tecnologia social para redes de mediadores/formadores territoriais de políticas integrativas de trabalho, habitat & ambiente entre grupos sob risco social (vulnerabilidade socioambiental, subemprego & desemprego) no distrito
  • Trata-se de implantar fundos rotativos solidários enquanto uma tecnologia social que exige a formação e capacitação de grupos, em igualdade de gênero, para atuar com o perfil de mediadores/formadores Territoriais para tecnologia social em questões e demandas sociais urbanas e rurais específicas (convertidas em microprojetos). Serão focalizadas ações nos seguintes Territórios: Itapoã-Paranoá (IP); Mestre D’Armas-Planaltina/DF (MDP), Varjão-Serrinha/Lago Oeste-DF (VSLO), Cidade Estrutural/Taguatinga (CTT) e dois assentamentos da reforma agrária na região norte de Planaltina DF (Pequeno William e Oziel III) e o Quilombo Mesquita (DF/GO). Serão selecionados 21 grupos familiares (3 por território) dentre pessoa arrolada em Programa Social/Cadunico em famílias sob condições de risco social (vulnerabilidade de saúde, socioambiental, desemprego e subemprego) e inscritas no Cadunico/ Programas Sociais. Elas serão envolvidas com a criação de microprojetos vinculados nos territórios com possibilidades de arranjos locais a partir de trilhas temáticas de experiências com tecnologia social: (i) Agrourbania & Saúde: agricultura urbana & cidadania para fomento de práticas de participação de famílias sob risco social a partir das práticas de vigilância epidemiológica, saúde coletiva e agricultura periurbana/agroecologia em torno da alimentação orgânica/in natura; (ii) Arte & design social: experiências de exploração de possibilidades de criação de artes e artesanatos, peças e produtos para trocas e comércio solidário em pontos e feiras de arte livre, associadas com expressões de produção musical, teatral, circense, da cultura local sob registro de participação organizada mediante banco de horas para trocas sociais; (iii) Urbanismo Participativo e Trabalhos Emergentes: levantar demandas e vocações por meio da análise do problema (identidade local, saberes existentes, padrões espaciais e de acontecimentos de acordo com as dimensões da sustentabilidade, social, cultural e emocional, econômica e ambiental), e sistematizar tais padrões para estabelecer uma linguagem com a comunidade, aumentando a sua participação no processo, na forma de códigos geradores. Formar e capacitar grupos, em igualdade de gênero, para atuar com o perfil de Mediadores/Formadores Territoriais para tecnologia social em questões e demandas sociais urbanas e rurais específicas (convertidas em microprojetos). Serão focalizadas ações nos seguintes Territórios: Itapoã-Paranoá; Mestre D’Armas-Planaltina/DF (MDP), Varjão-Serrinha/Lago Oeste-DF, Cidade Estrutural/Taguatinga e dois assentamentos da reforma agrária na região norte de Planaltina DF (Pequeno William e Oziel III),e no Quilombo Mesquita (DF/GO). Serão selecionados 21 grupos familiares (3 por território) dentre pessoa arrolada em Programa Social/Cadunico em famílias sob condições de risco social (vulnerabilidade de saúde, socioambiental, desemprego e subemprego) e inscritas no Cadunico/ Programas Sociais. Elas serão envolvidas com a criação de microprojetos vinculados nos territórios com possibilidades de arranjos locais a partir de trilhas temáticas de experiências com tecnologia social: (i) Agrourbania & Saúde: agricultura urbana & cidadania para fomento de práticas de participação de famílias sob risco social a partir das práticas de vigilância epidemiológica, saúde coletiva e agricultura periurbana/agroecologia em torno da alimentação orgânica/in natura; (ii) Arte & design social: experiências de exploração de possibilidades de criação de artes e artesanatos, peças e produtos para trocas e comércio solidário em pontos e feiras de arte livre, associadas com expressões de produção musical, teatral, circense, da cultura local sob registro de participação organizada mediante banco de horas para trocas sociais; (iii) Urbanismo Participativo e Trabalhos Emergentes: levantar demandas e vocações por meio da análise do problema (identidade local, saberes existentes, padrões espaciais e de acontecimentos de acordo com as dimensões da sustentabilidade, social, cultural e emocional, econômica e ambiental), e sistematizar tais padrões para estabelecer uma linguagem com a comunidade, aumentando a sua participação no processo, na forma de códigos geradores. (iv) Fundos rotativos solidários nos territórios: o edital condiciona que seja quantificado/qualificado “o impacto das tecnologias sociais na renda das famílias dos territórios onde serão implementadas”. Para que esta geração de renda possa ocorrer, é necessário microcrédito; entre outras experiências de finanças populares importantes no Brasil, está a dos fundos rotativos solidários (formado a partir de uma certa quantia em doação, e depois administrado pelo coletivo com o objetivo de financiar gastos correntes, ou (micro)projetos que geram renda; tanto num caso como no outro, o tomador/a deve devolver; há um conselho gestor que recomenda e aprova o crédito para os associUntitled 1ado/as do Fundo; à medida em que o numero de pessoas vai crescendo e o crédito vai circulando e retornando, há estímulo para mais gente entrar, e ser beneficiada com crédito para consumo imediato (em geral limitado a 20%), e para microprojetos.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 01/12/2018-30/05/2021
Foto de perfil

Ricardo Toshio Fujiwara

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • novos testes sorológicos para diagnóstico da esquistossomose mansoni e geo-helmintíases – da sorologia convencional para bioinformática e nanotecnologia
  • Apesar do desenvolvimento tecnológico que tem sido observado na área de saúde humana, as doenças causadas por infecções parasitárias ainda representam um grave problema de saúde pública, afetando 1,8 bilhões de pessoas em todo o mundo. De forma geral, as infecções parasitárias, especialmente as helmintoses, são doenças crônicas e debilitantes que impactam negativamente a saúde e produtividade do trabalhador, bem como o desenvolvimento intelectual e físico de crianças infectadas, especialmente em populações pobres. As políticas públicas de controle das principais helmintoses que afetam populações humanas, como esquistossomose e geohelmintoses, são baseadas principalmente no tratamento em massa dos indivíduos em áreas de alta endemicidade ou em diagnóstico e tratamento dos indivíduos infectados em locais de baixa e moderada prevalência. Estas medidas, apesar de ter resultado em redução expressiva da carga parasitária e, consequentemente, dos casos mais graves das doenças, não previnem reinfecções e ainda favorecem o estabelecimento de resistência ao tratamento e a manutenção de indivíduos infectados com baixa carga parasitaria, que geralmente são assintomáticos e não tem acesso ao tratamento. Por outro lado, o tratamento seletivo de pessoas infectadas demanda a utilização de testes mais sensíveis e específicos de diagnóstico, capazes de identificar indivíduos com baixa carga parasitária e/ou falhas de tratamento, que permitem a contaminação ambiental e a manutenção da transmissão dos parasitos. A utilização das técnicas clássicas de exame de fezes tem se mostrado pouco eficiente para diagnóstico destes casos, especialmente em indivíduos infectados por Schistosoma mansoni e Strongyloides stercoralis, helmintos que produzem e/ou eliminam poucos ovos ou larvas nas fezes, e até com geohelmintos que produzem muitos ovos, mas vivem em áreas submetidas a intervenções frequentes sem controle de cura. Este novo cenário epidemiológico das helmintoses no Brasil tem sido o foco dos estudos realizados pelo nosso grupo de pesquisa. Especificamente no caso da Esquistossomose, nossos dados demonstraram que o exame de fezes pelo método de Kato-Katz, técnica utilizada pelo serviço de saúde para identificar infecção por S. mansoni em áreas endêmicas e prescrever o tratamento especifico, apresenta pouca sensibilidade para diagnosticar indivíduos com baixa carga. Nestas populações também foi verificado que a maioria dos testes parasitológicos utilizados isoladamente, bem como o teste rápido comercialmente disponível (POC-CCA), teve baixa sensibilidade e pouca concordância com o teste de referência criado pela combinação de todos os testes parasitológicos empregados. Também foi verificado que o teste parasitológico Helmintex e a técnica molecular de PCR em Tempo Real em amostras de fezes, foram as técnicas mais sensíveis para diagnostico de indivíduos com baixa carga parasitária; entretanto, estas metodologias ainda são muito laboriosas, caras e demandam estrutura laboratorial mais sofisticada, sendo muitas vezes inviável de ser utilizada em áreas endêmicas. Desta forma, as metodologias de diagnostico disponíveis até o momento não permitirão atingir a meta de eliminação da esquistossomose como problema de saúde pública e/ou interrupção da transmissão da infecção no país. Baseado nestes dados, nossa equipe iniciou um estudo para padronizar e validar técnicas sorológicas para diagnostico de indivíduos infectados por Schistosoma mansoni, verificando a reatividade de diferentes isotipos de anticorpos do soro de indivíduos com perfil parasitológico bem estabelecido e utilizando diferentes extratos antigênicos do parasito. Os dados obtidos até o momento indicam que a reatividade de IgG4 e IgG1 frente a antígenos solúveis obtidos de vermes adultos apresentam boa sensibilidade para o diagnóstico de S. mansoni, mesmo em indivíduos com baixa carga parasitária. Estes dados nos permitem identificar, isolar e caracterizar antígenos reativos nos testes de ELISA que possam ser utilizados para o desenvolvimento de testes rápidos em plataformas convencionais e funcionalizados a nanobiosensores para ser detectado na nova plataforma de diagnostico baseado em nanofotonica – EPEL (Espectrômetro Portátil de Espalhamento de Luz), desenvolvido e patenteado pelos pesquisadores da UFMG e licenciada pela empresa Neovision (BHTec - http://www.neovision.med.br/). O desenvolvimento destas novas ferramentas de diagnostico permitirá aliar o aumento de sensibilidade do teste com a rapidez, facilidade de realização e baixo custo. As novas alternativas de diagnostico serão inicialmente avaliadas no soro de camundongos experimentalmente infectados, onde carga, tempo de infecção, cura parasitológica e reinfecção podem ser facilmente testados. As ferramentas que apresentarem melhor desempenho serão validadas nos indivíduos das áreas endêmicas selecionadas, que serão previamente caracterizados através de exames parasitológicos, utilizando a técnica de Kato-Katz (carga e detecção de geohelmintos) e Helmintex (teste referência para esquistossomose), avaliação clínica e ultrassonografica. Acreditamos que estes dados permitirão a construção de um novo guia de conduta para diagnostico e controle da esquistossomose baseado na realidade epidemiológica atual da doença e visando sua eliminação. Em paralelo, trabalhando em diferentes áreas eco-epidemiológicas no Centro-Oeste, Nordeste e Norte do país, testes sorológicos convencionais e plataformas novas (Imunocromatografia e EPEL) podem ser desenvolvidos e testados como alternativa para detecção de geo-helmintíases ocultas e/ou com carga parasitária reduzida, conforme indicado no território nacional durante o mais recente Inquérito Nacional para Esquistossomose e Geo-Helmintoses.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 01/03/2020-28/02/2023
Foto de perfil

Ricardo Toshio Fujiwara

Ciências Biológicas

Parasitologia
  • desenvolvimento de uma vacina quimérica multicomponente para o controle das infecções causadas por tripanossomatídeos
  • As tripanossomíases, causadas por parasitos dos gêneros Leishmania e Trypanosoma, afetam mais de 8 milhões de pessoas no mundo. Esses parasitos são responsáveis pelas leishmanioses e tripanossomíases americana e africana que, juntas, geram a perda de aproximadamente 4,27 milhões de anos de vida ajustados por incapacidade (DALYs) e constituem um grave problema de saúde pública, sobretudo no Brasil. As leishmanioses englobam um complexo grupo de doenças parasitárias que podem levar a um caráter espectral de manifestações clínicas, classificadas em cutânea, mucocutânea, cutâneo-difusa e visceral. Já a doença de Chagas, também conhecida como tripanossomíase americana, é causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi e pode ser dividida em duas fases. A fase inicial ou aguda dura aproximadamente de 2 a 3 meses é caracterizada por uma elevada parasitemia e, na maioria dos casos, é assintomática. A fase crônica da infecção é caracterizada pela diminuição da parasitemia e pode ser caracterizada nas formas indeterminada, cardíaca e/ou digestiva. O controle dessas doenças é baseado principalmente no controle do inseto vetor e tratamento dos indivíduos infectados. Entretanto, nem sempre essas medidas são eficazes, pela dificuldade de controle dos insetos vetores e pela toxicidade do tratamento disponíveis, que não resultam na completa cura do indivíduo. Além disso, o número de indivíduos infectados continua crescente, mostrando-se necessário e urgente uma forma de controle mais efetiva, como por exemplo o desenvolvimento de uma vacina capaz de proteger contra todas essas doenças. O uso de uma vacina multimérica polivalente poderia beneficiar o controle de múltiplos patógenos relacionados, gerando uma resposta imune que poderia reduzir a carga parasitária, morbidade da doença e transmissão ao inseto vetor, ao mesmo tempo que geraria uma economia para o setor produtivo e Sistema Brasileiro de Saúde por permitir um único processo vacinal contra diversas doenças negligenciadas.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ricardo Tostes Gazzinelli

Ciências Biológicas

Imunologia
  • inct para o desenvolvimento de vacinas
  • As vacinas são consideradas umas das mais bem sucedidas intervenções da medicina no controle das doenças infecciosas. Infelizmente, o número de novas vacinas que sejam efetivas e disponíveis comercialmente é muito pequeno. Entretanto, grandes descobertas científicas e avanços tecnológicos recentes criaram condições promissoras para o progresso no desenho racional de vacinas. Neste contexto, nós propomos o INSTITUTO NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM VACINAS (INCTV) para suprir uma demanda científica e tecnológica existente e acelerar o desenvolvimento de vacinas contras doenças infecciosas de interesse médico e veterinário. O INCTV será estruturado em três grandes divisões: (I) Divisão de doenças infecciosas e imunologia; (II) Divisão de tecnologia em vacinas; e (III) Divisão de desenvolvimento de vacinas. A Divisão de Doenças infecciosas e imunologia abrangerá três áreas principais: (a) imunologia; (b) Interação patógeno-hospedeiro; e (c) genômica, que juntas darão suporte científico básico para o desenvolvimento de vacinas que induzem imunidade protetora robusta e duradoura. A Divisão de tecnologia em vacinas será estruturada em quarto plataformas tecnológicas que serão utilizadas para a geração de novas formulações vacinais: (a) descoberta de adjuvantes; (b) descoberta de antígenos; (c) sistemas de entrega do antígeno; e (d) vetores vacinais vivos atenuados. Finalmente, na Divisão de desenvolvimento de vacinas, as formulações vacinais avançadas, derivadas dos estudo de prova-de-conceito nos laboratórios de pesquisa, seguirão para testes de imunogenicidade e toxicidade em modelos pré-clínicos e ensaios clínicos de fase I bem controlados. Por fim, o grande volume de dados gerado pelas diferentes divisões alimentarão o nosso Núcleo de Vacinologia de Sistemas que combinará análises de sistemas com modelos computacionais e matemáticos fornecendo embasamento para o desenho racional de novas vacinas e para melhorar outras já existentes. Baseado na experiência do nosso grupo, no impacto esperado para a saúde pública, e na ausência de alternativas para controle da doença, nós escolhemos a Doença de Chagas, a Dengue, Leishmanione e Malária causada por P. vivax como alvos de estudo da nossa proposta. Para atingirmos nossas metas, nós reunimos um grupo multidisciplinar composto por cientistas bem estabelecidos assim como jovens promissores com experiências nas áreas de bioquímica, biologia celular, medicina clínica, imunologia, microbiologia, biologia molecular, bioinformática, parasitologia, farmacologia e veterinária, os quais nos permitirão lidar com as questões fundamentalmente necessárias para o desenvolvimento de novas vacinas.
  • Fundação Oswaldo Cruz - MG - Brasil
  • 23/11/2016-30/11/2022
Foto de perfil

Ricardo Tostes Gazzinelli

Ciências Biológicas

Imunologia
  • monitoração de indivíduos assintomáticos com parasitemia subpatente pelo plasmodium vivax e seu potencial de transmissão para o anopheles (nyssorynchus) darlingi.
  • A infecção por Plasmodium vivax, causa predominante da malária na Ásia e na América Latina, afeta aproximadamente 14 milhões de indivíduos anualmente, com efeitos adversos consideráveis na saúde e no desenvolvimento socioeconômico. Além disso, infecções assintomáticas por P. vivax, decorrente do desenvolvimento da imunidade clínica, são comumente relatadas mesmo em locais de baixa endemicidade, como na maioria das regiões da bacia amazônica. Muitos destes indivíduos têm infecção assintomática subpatente (isto é, indetectáveis por microscopia convencional ou testes rápidos de diagnóstico), mas podem infectar mosquitos vetores, constituindo um reservatório infeccioso silencioso que desafia os esforços de eliminação da malária. Devido à difícil detecção de pacientes com malária assintomática, sem sinais clínicos de doença e microscopia de gota espessa negativa, este subconjunto de pacientes infectados por P. vivax é pouco conhecido, apesar de sua potencial relevância na manutenção do ciclo do parasito em áreas hipoendêmicas. Nesta proposta, pretendemos buscar dois objetivos principais. Recentemente, desenvolvemos um teste rápido imunocromatográfico para detectar IgM e IgG contra malária por P. vivax e determinamos sua sensibilidade e especificidade em comparação à microscopia de gota espessa e à PCR quantitativa para detectar pacientes sintomáticos e indivíduos assintomáticos, respectivamente. Nosso primeiro objetivo será a otimização desse teste rápido para a malária por P. vivax para detectar infecções sintomáticas e assintomáticas em campo, em áreas com infraestrutura precária. Até agora a eficiência da transmissão de P. vivax de pacientes assintomáticos para A. darlingi, bem como sua relevância em manter o ciclo de vida do parasito em campo, é desconhecida. Nosso grupo estabeleceu recentemente uma das primeiras colônias de A. darlingi no mundo e, certamente, a primeira no Brasil, que está atualmente em sua vigésima geração. Essa infraestrutura permite alcançar um segundo objetivo do projeto, que é determinar a eficiência dos indivíduos assintomáticos na transmissão do parasito P. vivax ao A. darlingi, o vetor mais importante da malária na Amazônia. Os indivíduos detectados pelo teste rápido terão a parasitemia total e a gametocitemia definidas pela PCR quantitativa e o sangue será utilizado para alimentar o mosquito nos ensaios de alimentação sanguínea. Ter a capacidade de identificar indivíduos assintomáticos em campo e entender a importância desses indivíduos na transmissão de P. vivax ao mosquito é fundamental para o esforço mundial de eliminar a malária no Brasil e em outros países afetados por esta doença devastadora.
  • Fundação Oswaldo Cruz - MG - Brasil
  • 01/01/2020-31/12/2022
Foto de perfil

Ricardo Tostes Gazzinelli

Ciências Biológicas

Imunologia
  • inteligência artificial e saúde
  • A proposta da Sociedade Brasileira de Imunologia é realizar ações de grande impacto e coordenadas para atingir toda a sociedade, em especial estudantes, pais e professores. Para tanto, estruturou três importantes momentos: (1) uma exposição virtual sobre Covid-19, com foco em conceitos básicos de saúde e imunologia, novas tecnologias e inteligência artificial, com lançamento para o primeiro dia da Semana de C&T, (2) um curso sobre "Inteligência Artificial e Saúde" a ser dado diariamente entre 17 e 23 de outubro de 2020 por professores youtubers (que possuem milhões de seguidores e são relevantes nas redes sociais) e com pré-anúncio feito no dia 15 de Outubro, que é o Dia dos Professores e (3) uma ação coordenada envolvendo as cinco regionais da SBI e colaboradores, a qual vai incluir tuitaço. Somado aos pontos apresentados, a SBI fará a publicação de podcasts, artigos e lives ao longo da Semana.
  • Sociedade Brasileira de Imunologia - SP - Brasil
  • 23/10/2020-30/04/2021
Foto de perfil

Ricardo Utsunomia

Ciências Agrárias

Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca
  • estudos genômicos sobre a determinação sexual no peixe megaleporinus macrocephalus (characiformes, anostomidae)
  • Os mecanismos responsáveis pela determinação genética do sexo (SD) em vertebrados são diversificados e distintos. Em mamíferos, o gene SRY presente no cromossomo Y é o principal responsável pelo desenvolvimento dos processos relacionados à diversificação sexual, enquanto em aves, o gene DMRT1 é quem se apresenta como o fator de SD, mas, ao contrário do esperado, está localizado no cromossomo Z e não no elemento heteromórfico W. Em peixes, pelo menos cinco genes master já foram identificados como responsáveis pelo desencadeamento deste processo em cinco distintas espécies tidas como modelos. Além disso, múltiplas regiões distribuídas nos cromossomos do complemento normal também podem atuar na SD em algumas espécies deste grupo. Até o momento, cerca de 6% das espécies de peixes Neotropicais estudadas teve caracterizada a presença de cromossomos heteromórficos ligados ao sexo e pouco se sabe sobre a existência de genes ou regiões responsáveis pela determinação do sexo nos componentes deste grupo. Neste sentido, a espécie Megaleporinus macrocephalus (piauçu) se apresenta como um modelo para estudos de SD, uma vez que apresenta um notável sistema de heteromorfismo cromossômico ligado ao sexo do tipo ZW e seu manejo em laboratório, no que se refere a aspectos de manutenção e reprodução, é perfeitamente viável e rotineiro; ressalte-se ainda seu importante valor econômico em programas de piscicultura. Assim, os objetivos do presente projeto envolvem a identificação e caracterização massiva de marcadores moleculares para a construção de um mapa genético de alta densidade para o piauçu, que estabelecerá as bases necessárias para análises de associação de genótipos com fenótipos, considerando-se, neste caso o processo de determinação do sexo, permitindo o mapeamento de loci responsáveis por tais características. Desta forma, as atividades envolverão a investigação dos fatores genéticos responsáveis pela SD em M. macrocephalus como forma de ampliar a compreensão dos mecanismos envolvidos na origem, evolução e estrutura funcional no processo de determinação de sexo neste grupo de organismos e também sobre o papel dos heteromorfismos cromossômicos ligados ao sexo em peixes.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ricardo Vianna Nunes

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • farinha de mexilhão dourado com diferentes granulometrias na alimentação de frangos de corte
  • A invasão do mexilhão dourado (Limnoperma fortunei) nos ambientes aquáticos é considerada um fator de desequilíbrio ambiental ocasionando danos operacionais em usinas hidrelétricas bem como interferência na comunidade fitoplanctônica. Para tanto, alternativas de uso deste molusco vêm sendo estudadas, como a utilização em rações animais na forma de farinha, considerando o alto nível de cálcio apresentado. No entanto, mesmo com sua potencialidade, até o momento não existem dados científicos que correlacionem a inclusão da farinha de mexilhão dourado com diferentes granulometrias na alimentação de frangos de corte. Assim, este projeto tem como objetivo determinar a digestibilidade do cálcio bem como avaliar a influência do tamanho das partículas da farinha de mexilhão dourado sobre parâmetros de desempenho, parâmetros sanguíneos, fisiológicos e de qualidade óssea de frangos de corte em diferentes idades. Os experimentos consistirão em um ensaio de metabolismo para determinar a digestibilidade do cálcio da farinha e três experimentos para avaliar a inclusão da farinha de mexilhão dourado nas dietas de frangos de corte em diferentes idades, 1 a 21 dias (experimento I), 22 a 42 dias (experimento II) e 1 a 42 dias (experimento III). Para o ensaio de metabolismo serão utilizadas 150 aves distribuídas em um delineamento inteiramente casualizado com cinco tratamentos (quatro diferentes valores geométricos da farinha de mexilhão dourado (peneiras de 2, 4, 6 e 8 mm) e uma ração testemunha com calcário calcitico comercial), seis repetições e cinco aves por unidade experimental. Para cada experimento de desempenho, serão utilizados 1100 pintos de corte, distribuídos em um delineamento inteiramente casualizado, com cinco tratamentos (quatro diferentes valores geométricos da farinha de mexilhão dourado (peneiras de 2, 4, 6 e 8 mm) e uma ração testemunha com calcário calcitico comercial), com dez repetições e 22 aves por unidade experimental. A ração e a água serão fornecidas à vontade, sendo todas as rações isonutritivas e isoenergéticas, à base de milho e farelo de soja, formuladas para atender as exigências nutricionais para as fases experimentais. A farinha de mexilhão substituirá em 100% o calcário calcítico da ração. Espera-se com este projeto dar um destino economicamente viável e ambientalmente adequado para esta espécie de molusco, via fabricação de farinha, a ser utilizada nas rações de aves.
  • Universidade Estadual do Oeste do Paraná - PR - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2021
Foto de perfil

Ricardo Weinlich

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • terapia gênica para epidermólise bolhosa distrófica recessiva: indução de exon skipping do gene col7a1 através da edição gênica por base-editing.
  • Epidermólise Bolhosa Distrófica Recessiva (EBDR) é uma doença genética rara, causada por diferentes mutações no gene COL7A1, que codifica a proteína colágeno VII (C7). Estudos com pacientes brasileiros detectaram uma alta frequência de mutações no exon 54, especialmente a c.5047C>T. A ausência de C7 promove a formação de erupções cutâneas, feridas crônicas e processos inflamatórios nos epitélios, causando complicações graves, como infecções recorrentes, sepse, deformidades, além de incidência elevada de carcinomas. A EBDR está elencada na Política Nacional de Atenção Integral às Pessoas com Doenças Raras, por apresentar letalidade precoce elevada, morbidade extrema e não possuir, até o momento, alternativa terapêutica. Recentes avanços nas técnicas de terapia gênica, tais como CRISPR/Cas9 e Base-Editing, tem trazido novas perspectivas de tratamento para doenças genéticas. Neste projeto exploratório, propomos utilizar a técnica de Base-Editing, ainda mais precisa do que a CRISPR/Cas9, para induzir o skipping do exon 54, o que permitiria a expressão de um C7 funcional. Para a entrega das ferramentas de edição gênica, utilizaremos o Sendai virus, que possui uma série de vantagens, incluindo a alta taxa de infectividade e incapacidade de integração. Duas abordagens distintas serão utilizadas para a prospecção de potenciais produtos terapêuticos. Na primeira, fibroblastos de biópsias de pacientes serão editados e servirão de fonte celular para a montagem de peles, para futuro transplante autólogo em regiões de feridas. A segunda abordagem irá avaliar a entrega, por aplicação tópica, das ferramentas de edição gênica diretamente nas áreas de feridas através de modelos tridimensionais de pele. Para aprimorar a eficácia de transdução, iremos testar a incorporação do Sendai em macro e microgeis de alginato. Ambos produtos tem o potencial de acelerar a cicatrização das feridas dos pacientes, reduzindo as chances de infecção e impactando positivamente em sua qualidade de vida.
  • Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein - SP - Brasil
  • 13/12/2020-31/12/2023
Foto de perfil

Richard Boarato David

Ciências Biológicas

Fisiologia
  • avaliação da atividade rombencefálica durante a produção de apetite ao sódio em ratos com hipertensão renovascular
  • O íon sódio é fundamental para a manutenção da homeostase. Apesar de sua importância para a regulação da volemia e da osmolaridade plasmática, o consumo excessivo de sódio é um fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, como a hipertensão arterial, uma das principais causas de mortalidade no mundo. Apesar da ampla difusão dos malefícios causados pelo sódio em excesso, a recomendação de redução da ingestão de sal é muitas vezes negligenciada pela população em geral e, ainda, por pacientes submetidos a farmacoterapia anti-hipertensiva. Isto pode ser devido, em parte, a atuação de mecanismos motivacionais relacionados ao desejo de ingerir sal. Em animais experimentais, tanto a depleção de sódio do meio extracelular como a hipertensão renovascular de Goldblatt 2-rins 1-clipe (2R1C) ativam o sistema renina-angiotensina II-aldosterona (SRAA). Este sistema, que ativa vias neurais facilitadoras do apetite ao sódio sensíveis à angiotensina II e à aldosterona, é sensibilizado (torna-se hiper-reativo) em ratos com hipertensão renovascular, conforme demonstrado recentemente por nosso grupo de pesquisa (Roncari et al., Peptides 333:17-26, 2018). Por outro lado, o apetite ao sódio é inibido pelo núcleo parabraquial lateral (NPBL), um centro integrador de sinais centrais e periféricos localizado na ponte encefálica. Estudos prévios demonstraram que a desativação do mecanismo inibidor do NPBL, obtida através de injeções bilaterais de antagonista de receptores serotonérgicos metisergida ou agonista de adrenoceptores-alfa2 moxonidina, potencializa a ingestão de sódio e aumenta a ativação neuronal no bulbo encefálico em ratos desidratados normotensos (David et. al, Physiol Behav 151:111-20, 2015). Recentemente verificamos que ratos 2R1C apresentam ativação crônica e persistente do SRAA, aumento transitório da ingestão espontânea de NaCl hipertônico, e alta ingestão de NaCl hipertônico após tratamento com injeções de moxonidina no NPBL (dados submetidos para publicação). Estes resultados indicam que ao longo do desenvolvimento da hipertensão 2R1C os sistemas facilitadores e inibidores da ingestão de sódio são ativados paralelamente. Portanto, é possível que a injeção de moxonidina no NPBL de ratos 2R1C promova maior ativação de um subgrupo neuronal bulbar sensível à aldosterona (expressam a enzima 11-beta-HSD2), o qual é envolvido na facilitação da ingestão de sódio, além de menor atividade em região inibidora da ingestão de sódio (neurônios catecolaminérgicos A2 que expressam tirosina hidroxilase). Ainda, a privação hídrica, um modelo não farmacológico útil para testar a ativação de mecanismos facilitatórios e inibitórios para a ingestão de sódio, poderia induzir inicialmente a ativação do NPBL e da região A2 e, posteriormente à reidratação parcial por ingestão de água, momento da expressão do apetite ao sódio neste modelo, poderia induzir ativação de neurônios 11-beta-HSD2. Assim, propomos neste projeto o estudo imuno-histoquímico para detecção de proteína Fos (marcador de atividade celular) em neurônios 11-beta-HSD2 ou em neurônios TH da área A2 do rombencéfalo de ratos 2R1C. Os modelos de indução de apetite ao sódio serão as injeções de moxonidina no NPBL de ratos 2R1C ou a privação hídrica seguida de reidratação parcial (De Luca Jr. Physiol Behav, 5:535-544, 2010). Esperamos que ratos com hipertensão 2R1C apresentem: I) maior número de neurônios 11-beta-HSD2/Fos-positivos em relação aos demais controles em resposta à injeção de moxonidina no NPBL; II) maior número de neurônios TH/Fos-positivos no NTS e Fos-positivos no NPBL em relação aos ratos normotensos após privação hídrica; III) maior número de neurônios 11-beta-HSD2/Fos-positivos no NTS em relação aos ratos normotensos após a privação hídrica seguida de reidratação parcial. Assim, o estudo proposto poderá contribuir para uma melhor compreensão sobre o funcionamento dos mecanismos neurais envolvidos na facilitação e na inibição da ingestão de sódio, especialmente em relação ao papel do tronco encefálico no controle do comportamento ingestivo em situação patológica de hipertensão renovascular.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022