Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Relma Urel Carbone Carneiro

Ciências Humanas

Educação
  • o papel da educação especial em tempos de inclusão escolar: a perspectiva do professor especializado
  • No Brasil, a partir da década de 1970, o tema da Educação Especial ganhou nova dimensão no campo educacional. No decorrer desse período, a educação especial passou por algumas reformulações conceituais e de atendimento, baseadas principalmente, nos princípios de normalização e integração escolar. Em virtude desse modelo ter sido criticado, exatamente porque a culpa da não adaptação recaía sobre o sujeito, surgiu então, no bojo das políticas sociais inclusivas, a mais recente e muito significativa reformulação em termos conceituais e mesmo quanto ao modelo de atendimento, chegando à escola como inclusão educacional, propondo-se a abranger as minorias excluídas do sistema educacional, entre elas os alunos Público Alvo da Educação Especial (PAEE). A universalização do acesso à escola regular é preeminente em uma sociedade inclusiva. Contudo, alguns estudos vêm apontando as dificuldades apresentadas pelo sistema comum de ensino, tanto no que se refere à organização e infraestrutura dos espaços escolares, quanto à formação de professores. A inclusão educacional para ser de qualidade pressupõe muitas alterações no espaço escolar. Nesse novo modelo educacional a Educação Especial deixa de ser substitutiva e passa a ser complementar à educação comum, o que implica em um trabalho de parceria e colaboração. O ensino colaborativo faz parte da proposta educacional de alguns países, e tem favorecido à inclusão dos alunos PAEE. Nessa direção, o objetivo principal dessa pesquisa é analisar o trabalho desenvolvido pelo professor especializado neste contexto de transição do papel da Educação Especial de um modelo substitutivo para um modelo complementar. Para tanto, utilizaremos uma metodologia de abordagem qualitativa do tipo descritiva e como técnica para coleta de dados o grupo focal. Para análise e interpretação dos dados coletados, será utilizada a Análise de Conteúdo.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renan Alves Resende

Ciências da Saúde

Fisioterapia e Terapia Ocupacional
  • efeitos de uma palmilha com elevação medial na cinemática e cinética de corredores com aumento do varismo e da pronação do pé durante a corrida
  • A prática de corrida é muito comum e tem aumentado consideravelmente nos últimos anos. Entretanto, corredores apresentam alta prevalência de lesões por overuse. Especificamente, a pronação excessiva durante a corrida está associada a algumas lesões de membros inferiores em corredores, como a síndrome do estresse tibial medial e a tendinopatia patelar. Aumento do varismo de antepé e retropé contribui para a pronação excessiva durante a corrida. Dessa forma, palmilhas com elevação medial no antepé e no retropé são intervenções possíveis para reduzir a pronação excessiva em corredores com aumento do varismo de antepé e retropé. Entretanto, os efeitos de uma palmilha com elevação medial sobre a mecânica de membros inferiores durante a corrida ainda ainda não estão claros na literatura, possivelmente porque estudos prévios incluíram indivíduos que não apresentavam alterações do alinhamento do pé e pronação excessiva. Este estudo avaliará os efeitos de uma palmilha com correção de antepé, retropé e suporte de arco plantar sobre a cinemática e cinética de membros inferiores durante a fase de apoio da corrida de corredores com aumento do varismo de pé e pronação excessiva durante a corrida. Foi realizado um cálculo amostral utilizando o software G*Power com as seguintes variáveis de entrada: teste t dependente, poder estatístico desejado de 80%, nível de significância de 0,05, e um tamanho de efeito médio esperado (d = 0,7). Esse cálculo resultou em um tamanho amostral mínimo estimado de 19 participantes. Os seguintes critérios de inclusão serão utilizados: idade entre 18 e 40 anos, correr pelo menos 20 km por semana durante os últimos 6 meses, não apresentar doenças neurológicas ou ortopédicas, não apresentar história de cirurgias em membros inferiores e coluna e não ter utilizado palmilhas nos últimos 6 meses, não apresentar discrepância de comprimento de membros maior que 0,5 cm, apresentar padrão de contato inicial com o calcanhar e pronação excessiva durante a fase de apoio da corrida e apresentar alinhamento do pé em varo igual ou maior que 10 graus. Inicialmente, foram aplicados os critérios de inclusão do estudo, a fim de garantir uma amostra que represente corredores candidatos ao uso de palmilhas. Os seguintes procedimentos serão implementados para avaliar os critérios de inclusão do estudo: medida do alinhamento do complexo articular do pé, análise qualitativa da corrida baseada em análise de vídeo bidimensional para identificar o padrão de contato inicial e a magnitude de pronação do pé durante a fase de apoio da corrida e avaliação do comprimento dos membros inferiores. Posteriormente, os deslocamentos angulares e momentos internos de força de tornozelo, joelho e quadril serão avaliados no sistema Qualisys (Oqus 3+) sincronizado a 3 plataformas de força (Bertec FP 4060-08) durante duas condições experimentais: 1) condição controle – utilizando par de palmilhas planas no antepé e no retropé e com suporte de arco semirrígido; e 2) condição palmilha – utilizando par de palmilhas com suporte de arco semirrígido e com elevação medial sob o antepé e retropé de 7 graus cada. Os dados da corrida serão processados utilizando o software Visual3D (C-motion, Inc., Rockville, USA). Os dados cinemáticos e cinéticos originais serão filtrados utilizando um filtro Butterworth com frequência de corte de 15 Hz e 25 Hz, respectivamente. O contato inicial e a retirada do pé durante a corrida serão determinados automaticamente no Visual3D utilizando o vetor vertical da força de reação do solo com um ponto de corte de 10 N. As seguintes variáveis cinemáticas serão computadas: (i) inversão-eversão de tornozelo; (ii) adução-abdução e rotação medial-lateral de joelho; (iii) adução-abdução e rotação medial-lateral de quadril; e (iv) queda pélvica ipsilateral-contralateral. As variáveis cinéticas incluirão o momento interno de tornozelo no plano frontal e os momentos internos de joelho e quadril nos planos frontal e transverso. Os momentos internos serão calculados utilizando o procedimento de dinâmica inversa, normalizados em relação à massa muscular (kg) e reportados em Nm/kg. Os dados de deslocamento angular e momento interno serão normalizados em 101 pontos, um para cada porcentagem da fase de apoio da corrida. A análise de componentes principais para séries temporais será utilizada para a redução dos dados. O critério de 90% de variância original explicada será utilizado para determinar o número de componentes a serem retidos para a análise estatística. Os escores de cada componente principal de uma variável retidos para análise serão computados como a soma dos produtos dos escores centrados e o seu coeficiente correspondente na carga vetorial do componente principal. Então, caso mais de um componente principal demonstre diferença estatística para uma mesma variável, apenas o componente principal descrevendo a maior porcentagem da variação original dos dados será reportado. Esse procedimento reduzirá as chances de cometermos erro tipo I. Os escores dos componentes principais retidos para análise serão testados para distribuição normal utilizando o teste de Shapiro-wilk e então comparados entre as condições utilizando test t dependente, para escores com distribuição normal, e Wilcoxon pareado, para escores com distribuição não-normal. O nível de significância será de 0,05. Os tamanhos de efeito, valor r, das comparações com diferenças estatísticas também serão computados. Será utilizado o método da reconstrução de um componente para interpretar as diferenças entre as condições nos escores dos componentes principais. Esse método isola o padrão de variação capturado pelo componente principal onde as condições apresentaram diferença estatística.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renan Cardoso Lima

Ciências Agrárias

Agronomia
  • densidade de plantas associada ao uso de genótipo com resistência parcial no controle do mofo-branco do feijoeiro
  • O feijão é cultivado atualmente com densidade de 12 a 15 plantas por metro. Em áreas com histórico de mofo-branco (MB), doença causada pelo patógeno de solo Sclerotinia sclerotiorum, essa população de plantas pode resultar em microclima relativamente úmido no dossel e assim favorecer o patógeno. O objetivo será avaliar o desempenho de feijoeiros em diferentes densidades de plantas, em genótipos que diferem quanto à resistência parcial de campo ao MB, quando cultivados em áreas com histórico da doença. A influência do uso de fungicida para controle de mofo-branco na resposta dos feijoeiros a densidades de plantas também será avaliada. Serão conduzidos três experimentos em Sorriso-MT, na safra de outono-inverno, com irrigação via pivô central, em área com histórico de MB, nos anos de 2019 a 2021. Os tratamentos serão dispostos no arranjo fatorial 4 x 2 x 2: plantas por metro (4, 7, 10 ou 13), genótipos VC 17, com resistência parcial ao MB ou BRSMG Madrepérola, suscetível ao MB, com ou sem aplicação do fungicida fluazinam. Será utilizado o delineamento em blocos casualizados, com quatro repetições. Serão avaliadas o acamamento, cobertura do solo, intensidade (incidência + severidade) do MB, massa de escleródios e a produtividade de grãos. Essas variáveis dependentes serão submetidas ao teste de correlação. Ademais será avaliada a transmissão de Sclerotinia sclerotiorum por semente (método Neon-R). Será utilizado o teste de Duncan a 5 % de probabilidade para comparar as médias do número de plantas por metro e o teste F para comparar os genótipos e os níveis de fungicida. Com base nos resultados, será possível recomendar uma densidade de plantas de feijão do tipo III, com resistência parcial ao mofo-branco, que permita redução da doença e que não traga redução de produtividade. Os resultados serão analisados tanto para o caso dos agricultores que usam fungicida para o controle do mofo-branco quanto para os que não usam (agricultura orgânica).
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renan de Queiroz Maffei

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • mapeamento semântico de ambientes utilizando múltiplos robôs
  • Atualmente estamos observando robôs autônomos inteligentes deixando gradualmente o chão de fábrica e passando a conviver com pessoas em suas casas e trabalhos. Sabe-se que um requisito mı́nimo para o desenvolvimento de robôs verdadeiramente autônomos é que eles sejam dotados da capacidade de se mover, sem supervisão, através de ambientes do mundo real. Portanto, a autonomia deles depende fortemente da capacidade de manter o conhecimento de sua posição no espaço, o que significa localizar-se quando um mapa do ambiente é conhecido a priori ou, se não for este o caso, construir um mapa do ambiente ao mesmo tempo em que aprimora sua localização. Este último problema é denominado SLAM (sigla de "Simultaneous Localization and Mapping" ou "Localização e Mapeamento Simultâneos"), e consiste em um dos problemas mais difíceis na robótica móvel. Neste projeto é proposto o desenvolvimento de uma solução nova para SLAM semântico usando um time de robôs heterogêneos. Embora muitos trabalhos desenvolvidos nos últimos anos sirvam de base ao projeto, soluções para muitos desafios inerentes ao problema em questão ainda devem ser investigados. Desafios como a fusão de informação semântica e métrica oriundas de diferentes fontes em diferentes intervalos de tempo, e o uso de inferência semântica para aprimorar o mapeamento são problemas em aberto. De fato, enquanto podemos dizer que o problema de SLAM métrico tradicional encontra uma formulação consistente na literatura devido aos muitos anos de estudos aprofundados, o mesmo não pode ser dito sobre a inclusão de informação semântica no SLAM, especialmente considerando múltiplos robôs, visto que esta ainda é uma área em caráter bastante preliminar e com muito potencial para avanços.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renan de Souza Rezende

Outra

Ciências Ambientais
  • processos ecológicos na avaliação de impactos ambientais de pequenas centrais hidrelétricas em ecossistemas subtropicais
  • A energia hidrelétrica é a principal fonte de energia no Brasil, e a construção de barragens e reservatórios em ecossistemas lóticos aumentou substancialmente nos últimos anos. Apesar da relevância dessa fonte renovável de energia, existem alguns problemas ambientais causados por represas hidrelétricas. Por exemplo, as barragens podem alterar o fluxo de água a jusante e o transporte de sedimentos, alterando os ciclos biogeoquímicos e a estrutura e dinâmica do habitat ao longo do rio e da vegetação ribeirinha. Em alguns casos, a modificação do habitat em córregos e áreas ribeirinhas é sutil e negligenciada por métodos rotineiros de avaliação e monitoramento do impacto ambiental. Por outro lado, a modificação do habitat devido à implementação da barragem pode influenciar fortemente os processos ecossistêmicos, como a decomposição e, consequentemente, o funcionamento do ecossistema. As interações entre o ambiente físico e biológico geram os processos ecológicos e as funções ecossistêmicas, que podem ser reconceitualizadas enquanto serviços ecossistêmicos na medida em que determinada função traz implícita a ideia de valor humano. A qualidade de vida está atrelada aos serviços gerados pelos ecossistemas e é fundamental saber como as interferências antropogênicas, como crescimento econômico e populacional, afetam a capacidade ecossistêmica de gerar serviços essenciais de vida (ou seja, melhor qualidade da água, preservação do estoque pesqueiro e outros). Nossos objetivos serão (i) avaliar os efeitos do represamento de riachos subtropicais na decomposição foliar e colonização de serapilheira por micróbios (através de biomassa) e comunidades invertebradas (abundância relativa de grupos tróficos funcionais e densidade e riqueza de invertebrados). Além disso, (ii) utilizar o processo de decomposição foliar (processo ecológico) e as comunidades decompositoras como uma ferramenta de avaliação ambiental de impactos antrópicos leves (ex. mudança do sistema lótico para lêntico). Nossa hipótese é que o represamento de um riacho diminui a taxa de decomposição foliar, levando há uma diminuição do fluxo de energia no ecossistema aquático e como consequência uma menor biomassa de microrganismos e abundância de invertebrados fragmentadores. Isto se deve as mudanças das características físicas (redução de fluxo e oxigenação), químicas (aumento da turbidez e poluentes agrícolas) da água e da zona riparia (supressão da vegetação na área da barragem e após a barragem) e sua hidrodinâmica (mudança do sistema lótico para lêntico) do corpo aquático. Este estudo será realizado em três Pequenas Centrais Hidrelétricas nas bacias dos rios Chapecó (Chapecozinho) e Irani. A região hidrográfica dos rios Chapecó (Chapecozinho) e Irani está localizada na porção centro-oeste do estado de Santa Catarina, Brasil. Esta região abrange 60 municípios, dos quais 44 (74%) têm menos de 10.000 pessoas. A ocupação territorial (colonização) desses pequenos municípios começou no início do século XX e mudou a paisagem devido às atividades econômicas relacionadas à extração de madeira, agricultura e pecuária. Mais de 25 pequenas represas hidrelétricas existem nas bases de Chapecó (Chapecozinho) e Irani, e esse número pode dobrar nos próximos anos. Para avaliar o impacto das barragens na decomposição da serapilheira, um total de três pontos de amostragem por riacho será selecionado: um ponto para ser usado como referência (T1); seguido por um ponto na barragem (T2); e um terceiro depois da barragem (T3).
  • Universidade Comunitária da Região de Chapecó - SC - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renan Maestri

Ciências Biológicas

Ecologia
  • ecologia e evolução de radiações evolutivas continentais: qual a frequência das radiações adaptativas?
  • Este projeto tem como objetivo desenvolver uma linha de pesquisa para entender os fatores históricos, ecológicos, e o papel de restrições evolutivas na origem da diversidade fenotípica em radiações evolutivas. Inúmeras hipóteses foram propostas ao longo dos últimos 20 anos para explicar a origem e manutenção da biodiversidade em radiações evolutivas adaptativas ou não-adaptativas (i.e., eventos em que múltiplas espécies aparecem em curtos intervalos de tempo). No entanto, a maioria das explicações surgiu a partir de estudos em arquipélagos, e recentemente, estudos em escalas continentais tem desafiado a visão comumente encontrada em ilhas: de que a oportunidade ecológica é o principal mecanismo explicando a origem da diversidade fenotípica. Em escalas continentais, a grande extensão de área disponível pode oferecer mais oportunidades para redução de sobreposição de nicho entre espécies, permitindo a diversificação independente e simultânea de múltiplas espécies sem uma mudança ecológica correspondente. Este projeto propõe (i) a execução de estudos para preencher essa lacuna e ajudar a entender os mecanismos ecológicos e evolutivos responsáveis pela diversificação fenotípica de grupos atuais; e (ii) proporcionar formação sólida e adequada em ecologia e evolução para alunos de graduação e pós-graduação (mestrado e doutorado) que farão parte do grupo de pesquisa.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renan Magalhaes Montenegro Junior

Ciências da Saúde

Medicina
  • avaliação do metabolismo mineral e densidade mineral óssea de pacientes com lipodistrofia congênita generalizada
  • A síndrome de Seip-Berdinarelli, também chamada Lipodistrofia Congênita Generalizada (LCG), é uma condição autossômica recessiva rara, caracterizada por massa de tecido adiposo extremamente reduzida e intensa resistência insulínica. As características clínicas incluem hepatoesplenomegalia com doença hepática gordurosa, metabolismo glicêmico alterado, fácies acromegóide e dislipidemia grave. Estes pacientes geralmente apresentam densidade mineral óssea (DMO) elevada. Mecanismos propostos para o achado incluem a ação da hiperinsulinemia e da hipoleptinemia sobre a proliferação dos osteoblastos, além da redução da globulina de ligação de hormônios sexuais (SHBG) com aumento da fração livre dos mesmos. Além disso, o aumento de massa muscular nestes pacientes, decorrente dos efeitos anabólicos da hiperinsulinemia, pode contribuir para a maior DMO em virtude das interações entre células musculares e ósseas. Contudo, o metabolismo ósseo nestes pacientes é bastante complexo e ainda não compreendido completamente. Na casuística dos pacientes acompanhados no Hospital Universitário da Universidade Federal do Ceará foi observada uma tendência inexplicada a hiperfosfatemia em 42% dos pacientes. Esse estudo tem como objetivo a avaliação da DMO, da massa magra e do metabolismo mineral dos pacientes com LCG identificados no estado do Ceará a fim de compreender as interações entre osso, músculo e tecido adiposo. A casuística será composta por 24 pacientes portadores de LCG e 24 controles saudáveis, com índice de massa corpórea entre 20 e 25 Kg/m², pareados para sexo e idade. Pacientes e controles serao submetidos a dosagens de de cálcio total, cálcio ionizado, albumina, fósforo, 25OHD, 1,25(OH)2D, magnésio, PTH, creatinina, colesterol total (CT), colesterol HDL (HDL), colesterol LDL (LDL), triglicerídeos (TG), glicemia de jejum, insulina basal, hemoglobina glicada (HbA1c), leptina e FGF23. Serao também submetidos a densitometria óssea para avaliação da DMO e bioimpedância para mensuração da massa magra.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renan Oliveira Silva Damasceno

Ciências Biológicas

Farmacologia
  • papel do eixo heme oxigenase i/caveolina-1 na patogênese da diarreia provocada por toxina do vibrio cholerae: um estudo morfofuncional e da resposta inflamatória
  • A cólera é uma doença infecciosa aguda caracterizada como segunda principal causa de mortalidade no mundo entre crianças, e uma das principais causas de morbidade em adultos. O agente causador da cólera é a bactéria Vibrio cholerae, que se multiplica rapidamente no intestino humano produzindo uma potente toxina que provoca uma diarreia aguda intensa, que se não tratada tem evolução rápida, em horas, com desidratação grave. A incidência dessa doença tem aumentado globalmente na última década, quando surtos de cólera passaram a afetar vários continentes. No entanto a sua patogênese ainda não está completamente elucidada e existe a necessidade pela busca de novos alvos terapêuticos. É conhecido que a toxina inicia sua ação pela ligação com alta afinidade e especificidade ao seu receptor GM1 localizado na de membrana na porção apical dos enterócitos, seguido de internalização pela maquinaria da célula hospedeira, ao qual pode ocorrer por diferentes vias destacando-se o mecanismo dependente de caveolina-1. Assim, estudos focando na identificação da via de sinalização envolvida nesse processo pode ajudar na identificação de novos alvos terapêuticos. Estudos têm demonstrado que a sinalização mediada por monóxido de carbono (CO) produzido via hemeoxigenase 1 (HO-1) é crucial para modulação da expressão de caveolina-1 e que as respostas anti-inflamatórias e antioxidantes mediadas pela HO-1, podem ajudar no restabelecimento da homeostase celular. Neste sentido, essa via de sinalização leva a hipótese de o CO pode modular negativamente aspectos pivôs na fisiopatologia da cólera. Assim, a presente proposta via avaliar o papel do eixo HO-1/caveolina-1 na patogênese da diarreia provocada por toxina de Vibrio cholerae, por meio de análise morfológica, funcional e da resposta inflamatória em um modelo animal. Além disso, esse trabalho poderá conduzir para estudos posteriores relacionados a uma nova abordagem terapêutica que utilize moléculas liberadoras de monóxido de carbono para o tratamento da diarreia secretória na cólera.
  • Centro Universitário UNINTA - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renan Peixoto Rosário

Ciências Exatas e da Terra

Oceanografia
  • monitoramento oceanográfico de semi-cativeiro de peixe-boi marinho (trichechus manatus): resex marinha de soure, marajó, pará.
  • Segundo Sousa, (2018), a Zona Costeira Amazônica (ZCA) é a única região no mundo onde à ocorrência de duas espécies do gênero Trichechus: o peixe-boi das Antilhas (T. manatus) e o peixe-boi da Amazônia (T. inunguis). A “Lista Nacional Oficial de Espécies da Fauna Ameaçadas de Extinção” do Ministério do Meio Ambiente classifica a espécie como “Em perigo”. E a União Internacional para a Conservação da Natureza (sigla em inglês, IUCN) classifica como “Vulnerável”, enfrentando risco de extinção em médio prazo. Neste contexto, ações que visem preservar a espécie são importantes. Atuando na conservação dos mamíferos aquáticos da Zona Costeira Amazônica (ZCA) há 5 anos, a organização não governamental (ONG) Instituto Bicho D’água: conservação socioambiental (IBD) está executando um projeto de reabilitação, soltura e monitoramento de peixe-boi marinho, no qual será construído um semi-cativeiro para a fase de reabilitação. Logo, entender os processos oceanográficos físicos e sedimentológicos da região é de fundamental importância para o manejo e planejamento das ações na área do semi-cativeiro. Com isso, esse projeto visa propor desenvolver uma metodologia de monitoramento hidrodinâmico e sedimentológico para a manutenção de semi-cativeiro utilizado para a reabilitação de peixe-boi marinho na região costeira. A área piloto escolhida para a realização do projeto, é o estuário do Rio Paracauari localizado no município de Soure, ilha do Marajó, estado do Pará. A área específica escolhida, está sob influência da Reserva Extrativista (Resex) Marinha de Soure, que é administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Para isso, serão realizadas campanhas de coleta de dados hidrográficos (salinidade, temperatura), hidrodinâmicos (intensidade e direção das correntes), turbidez e sedimentológicos de fundo na área piloto de três em três meses ao longo de um ano. Além disso, será monitorado de forma contínua a salinidade, temperatura e nível (maré), com o intuito de entender as variabilidades diárias e sazonais desses parâmetros ao longo de um ano. O produto final desta proposta é a elaboração de um protocolo de monitoramento hidrodinâmico e sedimentar para regiões costeiras com potencial para a instalação de semi-cativeiro de peixe boi marinho. Vale ressaltar que só na América do Sul a espécie se distribui da Colômbia até o Estado de Alagoas no Brasil. Considerando a carência de dados na ZCA, a obtenção de mais informações a respeitos dos processos físicos e sedimentares de regiões estuarinas, especialmente no que tange à parte hidrodinâmica, será de fundamental importância para o gerenciamento da Resex marinha de Soure. Pretende-se ainda, firmar parcerias profícuas com as instituições envolvidas no projeto (IBD e ICMBio). Ademais, as atividades previstas no projeto contribuirão para a formação de recursos humanos a nível de graduação e pós graduação da Universidade Federal do Pará.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Renan Pereira Monteiro

Ciências Humanas

Psicologia
  • adultério, e daí? preditores e implicações de transgressões morais de políticos
  • A cada dia a polarização política aumenta no Brasil, entretanto, esse fenômeno é pouco estudado em nosso contexto. Ademais, observamos que uma série de candidatos e políticos respondem por crimes de corrupção ou cometem outras transgressões morais (e.g., adultério, dirigir embriagado) o que resulta em dissonância cognitiva em seus apoiadores/eleitores. Concretamente, como as pessoas agem após descobrirem uma transgressão moral de seus candidatos e qual seria a consequência desta transgressão? Uma das alternativas para reduzir a dissonância cognitiva é perceber o político em questão com menos credibilidade e confiança, entretanto, simultaneamente, políticos de outros partidos serão desvalorizados mais ainda. A contribuição da presente proposta a literatura é verificar se isso ocorre, a desvalorização da oposição para reduzir a dissonância. Se a predição se confirmar, as implicações serão de grande alcance porque sugerem que as transgressões morais têm pequenas consequências. Ademais, além de propormos um mecanismo subjacente como consequência da transgressão moral, verificaremos se pensar sobre a importância de determinado valor auxiliará na redução do impacto causado pela dissonância.
  • Universidade Federal de Mato Grosso - MT - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022