Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Giseli Dalla Nora

Ciências Humanas

Geografia
  • crise hídrica e incêndios florestais no pantanal brasileiro: impactos socioambientais e alternativas de resiliência das comunidades tradicionais pantaneiras
  • Os incêndios florestais vêm se agravando no Pantanal. Entre janeiro de 1985 e dezembro de 2020,nenhum bioma brasileiro foi tão atingido pelo fogo como o Pantanal com 57% da área total queimada e a redução de 74% da sua superfície de água. Nesse contexto, os impactos socioambientais atingem de múltiplas formas as comunidades tradicionais que dependem diretamente das águas para sua sobrevivência e produção. Diante da problemática descrita, a presente pesquisa tem como principal objetivo identificar as causas e os impactos socioambientais da escassez hídrica e dos incêndios florestais nas comunidades que integram a Rede de Comunidades Tradicionais Pantaneiras, bem como registrar e divulgar as alternativas de resiliência. De forma específica, buscar-se-á :a) analisar as políticas públicas e programas; b) realizar diagnóstico socioeconômico, cultural e ambiental; c) Selecionar e aprimorar modelos de práticas eficientes a fim de disseminá-los como tecnologia social e subsidiar políticas e programas governamentais; d) desenvolver indicadores de processos socioambientais para os diferentes atores sociais produzindo processos de alfabetização científica, educação ambiental e Patrimonial. A principal hipótese é que tais problemas estão ocorrendo devido à transformação e intensificação das atividades econômicas capitalistas, aliadas às mudanças nas relações sociais e nos aspectos culturais, fatos que implicam em um uso econômico mais intensivo do Pantanal sem preocupações conservacionistas e preservacionistas. Os aportes metodológicos estão centrados nas seguintes etapas: 1 - seleção e análise de documental (análise de conteúdo; software NVivo12) 2 – Realização do Diagnóstico Socioambiental; Identificação e seleção de práticas de resiliência; 3 – criação de Indicadores (barômetro da sustentabilidade);4- Realização de oficinas participativas. 5 – Disseminação do conhecimento cientifico e das alternativas de resiliência em diferentes mídias e periódico
  • Universidade Federal de Mato Grosso - MT - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Giselle Cristina Martins Real

Ciências Humanas

Educação
  • política de validação de diplomas estrangeiros no brasil: impactos no/do contexto institucional
  • A proposta é engendrada a partir da centralidade da política de validação de títulos de graduação e de pós-graduação no país, considerando a crescente demanda originária de processos migratórios, que envolvem, sobretudo, brasileiros. Observa-se que há: i) normativas aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), particularmente, a emissão da Resolução N. 3/2016; ii) programas criados pelo Executivo Federal: Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida) e Plataforma Carolina Bori; ações do Legislativo como a aprovação da Lei N. 13.959/2019 e a tramitação do Projeto de Lei N. 7841/2014; e, a emissão de acórdãos emanados do Supremo Tribunal Federal sobre a temática. Portanto, é notável que o Estado brasileiro está em ação, embora análises acerca dos resultados e impactos dessas ações sejam incipientes. Nesse sentido, adota-se o seguinte problema norteador: Qual(is) impacto(s) da/na política de validação de diplomas nas/das instituições de educação superior? Elege-se a abordagem quanti-qualitativa, a partir da análise dos dados acerca do quantitativo de processos de revalidação e reconhecimento de títulos estrangeiros disponível de forma aberta no Portal Carolina Bori e, ainda, dos dados fechados acerca do Revalida a serem solicitados ao INEP. Também, serão coletados dados por meio de entrevistas junto aos gestores envolvidos nesses processos, como: do Fórum dos Pró-Reitores de Graduação e de Pós-graduação, da Associação Nacional de Pós-Graduandos, da Secretaria de Ensino Superior do Ministério da Educação e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Objetiva-se identificar e analisar impactos da política nacional de validação de títulos estrangeiros no contexto das instituições de educação superior, com vistas a subsidiar, com tais informações, as decisões públicas de aperfeiçoamento dos processos regulatórios e a (re)formulação de políticas indutoras de internacionalização, com menores efeitos colaterais.
  • Universidade Federal da Grande Dourados - MS - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Giselle Rôças

Outra

Divulgação Científica
  • pode menina aqui? sempre!
  • RESUMO: Na pandemia de COVID-19 há falta de acesso aos direitos básicos por parte da população; educação é um deles. As taxas de evasão escolar feminina aumentaram, justificada por causas conhecidas. No mundo científico e tecnológico a evasão feminina também está presente, resultante do desequilíbrio entre gêneros fruto de uma Ciência androcêntrica. Com o advento da pandemia alunos em vulnerabilidade social, tiveram mais dificuldades de interagir e completar seus estudos. A exclusão digital e a defasagem do parque tecnológico escolar são causas apontadas; porém a desigualdade de gênero e de oportunidades tem sido um agravante. Assim delineia-se a questão: Como despertar o interesse das estudantes do ensino fundamental e médio pelo conhecimento e o sentimento de pertencimento ao mundo científico e tecnológico pelo desenvolvimento de trabalho e pesquisas na área das Ciências junto a essas meninas e jovens mulheres (alunas da educação básica e da EJA) assumindo-as como centro de ação e reflexão de suas escolhas e despertando novos talentos? Traça-se como objetivo central motivar o interesse das estudantes e despertar o sentimento de pertencimento ao mundo acadêmico, científico e tecnológico na área das Ciências junto a essas meninas e jovens mulheres, despertando novos talentos, a partir da execução de projetos desenvolvidos em ações entre as comunidades escolares da rede pública e o IFRJ. Assume-se a metodologia do tipo participante, com desenvolvimento de atividades entre a IES proponente e as alunas participantes. As escolas de educação básica parceiras são aquelas nas quais doutorandas do IFRJ. Os dados coletados serão analisados de acordo com o uso da análise de livre interpretação. Espera-se que através da inclusão das alunas do ensino fundamental II e médio da modalidade regular e EJA da educação básica, vocações científicas e/ou tecnológicas, além do interesse pela popularização a ciência sejam despertados.
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Gislaine Camila Lapasini Leal

Engenharias

Engenharia de Produção
  • aplicação de técnicas de mineração de dados em registros de acidentes de trabalho e custos previdenciários acidentários
  • A Segurança e Saúde do Trabalho é a prática de proteção da segurança e saúde do trabalhador com ações que minimizem a probabilidade de ocorrer acidentes de trabalho. O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) possui bases de dados que armazenam registros de todos os benefícios concedidos aos segurados ou trabalhadores que sofreram um acidente de trabalho. O INSS, desde dezembro de 2018, publica mensalmente os dados dos benefícios concedidos por acidentes de trabalho, com uma média superior a 400 mil registros por mês. Nessa base são armazenados registros sobre o valor dos benefícios, motivo dos afastamentos de acordo com a classificação internacional de doenças (CID), concessão de aposentadorias, auxílio doença, cidade, idade, entre outros, resultando em uma grande quantidade de registros históricos. A existência dessa base abre oportunidades para a aplicação de técnicas de mineração de dados, as quais permitem análises não triviais e a identificação de padrões em grandes conjuntos de dados. Nesse contexto, o objetivo do trabalho é aplicar técnicas de mineração de dados para predizer os benefícios concedidos devido aos acidentes de trabalho, buscando identificar correlações com variáveis disponíveis na base como, por exemplo, o CID, gênero, unidade federativa, idade, etc. Também serão utilizadas bases auxiliares para complementar informações e aumentar o poder preditivo das tarefas de mineração de dados. Como resultado deste projeto, espera-se obter uma avaliação sobre a concessão de benefícios resultantes de acidentes de trabalho e disponibilizar indicadores sobre custos previdenciários acidentários que subsidiem políticas e programas de ações preventivas. Também será analisado o impacto da recente pandemia do COVID-19.
  • Universidade Estadual de Maringá - PR - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Gislene Aparecida dos Santos

Ciências Humanas

Geografia
  • redes de organização e gestão dos movimentos migratórios no brasil
  • O Brasil, desde os anos 2000, insere-se no circuito das migrações provindas dos países da América do Sul e do Caribe. Aliado a este curso migratório, se instalou no Brasil uma rede de organizações internacionais dedicadas à migração. Entre elas destacamos a OIM - Organização internacional para as Migração (OIM), que tem tido um papel no ordenamento e gestão migratória no território brasileiro. Suas ações quanto à distribuição espacial dos migrantes, inserção no mercado de trabalho e na governança local da migração implicam um rearranjo institucional na gestão do fluxo migratório internacional. Para entender e analisar este contexto do ordenamento do território, pela circulação de população temos por objetivos descrever: a configuração geográfica do padrão de localização e distribuição da OIM no Brasil, identificar suas articulações realizadas com as instituições estatais e com as redes sociais dos migrantes. Visa-se assim apreender e analisar o conteúdo de suas ações no Brasil na gestão e controle migratório. Metodologicamente, nos valemos do arcabouço conceitual sobre as redes geográficas, a relação entre organizações internacionais e o Estado nacional, e as políticas globais de securitização migratória. Na escala nacional, atenção será dada para ações da OIM articuladas entre os estados de Roraima e Santa Catarina, regiões transfronteiriças e inseridas no circuito migratório. Será realizada uma análise dos dados referentes ao perfil do fluxo migratório e a conjunção destes procedimentos resultará no entendimento sobre a particularidade do Brasil na arena global das políticas migratórias, o seu papel nas redes de organizações internacionais migratórias e análise dos processos da construção das escalas políticas das migrações internacionais. O Projeto se adere á área: Desenvolvimento Sustentável e qualidade de vida.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 11/04/2022-30/04/2025
Foto de perfil

Gislene Figueiredo Ortiz Porangaba

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • viver na cidade tropical: risco e vulnerabilidade sociambiental
  • Estudar risco e vulnerabilidade socioambiental nas cidades, exige uma abordagem ampla e complexa, pois, os mesmos não decorrem apenas de características naturais, mas está intrínseco às questões socioeconômicas que acometem as pessoas que vivem no espaço urbano (MENDONÇA, 2010, 2016). Nessa linha, a presente proposta de pesquisa tem por objetivo identificar, mapear e classificar os diferentes grupos sociais, do ponto de vista socioeconômico, em risco e vulnerabilidade socioambiental da cidade de Três Lagoas (MS), com enfoque na exposição à ilha de calor urbana (ICU), gerando assim, um índice de vulnerabilidade socioambiental urbano. Tem-se como hipótese central da pesquisa que os diferentes grupos sociais da cidade, vivenciam os efeitos da ICU de forma desigual, pois a produção do espaço urbano ocorreu e ocorre de forma díspar, acarretando assim grupos sociais em vulnerabilidade socioambiental. Em um esforço de desdobrar diálogos que minimizem a dualidade histórica e a produção científica contemporânea da ciência geográfica, os procedimentos metodológicos dessa proposta versam sobre duas dimensões, a primeira de cunho quantitativo com o levantamento de dados socioeconômicos sobre renda, trabalho, moradia e mobilidade urbana; identificação e mapeamento das características de uso e ocupação do solo e mensuração de temperatura do ar para identificar as ICUs, e por outro lado, os procedimentos de cunho qualitativo com o intuito de compreender as vivências dos diferentes grupos sociais, que vivenciam, no cotidiano, diferentes impactos quanto ao clima e as ICUs na cidade. E assim, a partir de procedimentos metodológicos que agregam elementos da geografia física e geografia humana, identificar, de maneira unificada, quais são os grupos sociais em vulnerabilidade à ICU e propor uma classificação da vulnerabilidade socioambiental, que poderá subsidiar o planejamento ambiental-urbano, ações de mitigação à ICU ligadas a melhorias na qualidade de vida dos citadinos.
  • Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - MS - Brasil
  • 08/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Gislene Maria da Silva Ganade

Ciências Biológicas

Ecologia
  • restauração de caatinga: efeitos da biodiversidade e processos de facilitação na reconstrução de ecossistemas semiaridos
  • A Caatinga é um ecossistema brasileiro que se encontra entre os três ecossistemas mais degradados do Brasil apresentando um pequeno número de áreas protegidas e regiões com alto risco de desertificação. Métodos de restauração florestal desenvolvidos para esse ecossistema são ainda incipientes e raramente incorporam em seu delineamento informações científicas avançadas sobre processos ecológicos que moldam o funcionamento, a biodiversidade e o uso sustentável de produtos da floresta para populações humanas locais. O presente projeto tem como objetivo monitorar em longo prazo um experimento de ampla escala de restauração de Caatinga implementado em 2016 com intuito de definir metodologias de restauração mais eficientes para a Caatinga em termos de promoção de biodiversidade, serviços ecossistêmicos e potencial de exploração de produtos químicos comercializáveis pela população local a partir do plantio e uso sustentável das áreas restauradas. Para tanto, o projeto testa como a diversidade e composição de espécies, e processos de facilitação poderiam influenciar o funcionamento do ecossistema restaurado e sua resistência à desertificação. Utilizando uma tecnologia de ponta desenvolvida por nosso grupo de pesquisa para implementar em 2016 um experimento de restauração de Caatinga em larga escala na Floresta Nacional de Açu, FLONA de Açú – ICMBio, no Estado Rio Grande do Norte. Esse experimento está ligado a uma rede internacional de experimentos de plantio de florestas que contempla 17 países localizados em todos os continentes, sendo o nosso experimento o primeiro representante da América do Sul (http://www.treedivnet.ugent.be/ExpBrazilDry.html). Todos os experimentos dessa rede testam como a diversidade de espécies arbóreas influenciaria o funcionamento do ecossistema florestal. O nosso experimento foi estabelecido seguindo o delineamento de partições aleatórias que permite que sejam avaliados separadamente os efeitos da diversidade e da composição de espécies sobre o funcionamento das comunidades restauradas. Restauramos comunidades de Caatinga com 6 níveis de riqueza de espécies: 0 (controle sem plantio), 1, 2, 4, 8 e 16 espécies, utilizando 45 composições aleatórias de espécies com um mínimo de 3 repetições em cada tratamento. Cada comunidade contém 32 arvores distribuídas de maneira regular em uma parcela, com um total de 155 parcelas e 4704 mudas. Estudos experimentais realizados previamente definiram o potencial facilitador dessas espécies arbóreas através do cálculo de um índice de interação relativa para cada espécie (RII). Esse valor de RII por espécie foi utilizado para calcular a média ponderada dos valores de RII para cada comunidade restaurada (índice de capacidade de facilitação da comunidade). Os primeiros quatro anos de levantamento de dados (2016 a 2020) foram realizados nas estações chuvosas onde registramos a sobrevivência e crescimento das plantas, e efetuamos a poda da vegetação herbácea competidora e o replantio de mudas mortas. A partir da estação chuvosa de 2021, serão coletadas as seguintes variáveis de funcionamento ecossistêmico: 1) estoque de carbono; 2) taxa de decomposição de serrapilheira; 3) aporte de serapilheira; 4) acúmulo de nutrientes no solo; 5) salinidade do solo; 6) taxa de erosão do solo; 7) taxa de compactação do solo e 8) colonização espontânea de vegetação 9) colonização e uso de habitat da fauna de insetos, anfibios, repteis e aves; 10) porcentagem de solo exposto para cálculo das taxas de contração das manchas vegetais restauradas (índice de propensão à desertificação) e 11) coletas e analise de produtos quimicos de interesse comercial que possam ser retirados das arvores plantadas, especialmente taninos (dos galhos) e derivados fenólicos (das folhas). As medidas de funcionamento ecossistêmico serão comparadas entre comunidades vegetais restauradas para identificar como as variáveis, diversidade de espécies arbóreas, proporção de espécies arbóreas facilitadoras e composição de espécies arbóreas facilitadoras influenciam o sucesso de funcionamento das comunidades restauradas e sua resistência a desertificação. Adicionalmente, esse trabalho pretende definir quais as comunidades vegetais seriam mais eficientes em promover servicos ecossistemicos e quimiodiversidade para a extracao de produtos de interesse farmacêutico e/ou cosmético que podem ser retirados das arvores plantadas (folhas e galhos). Essa tecnologia sera difundida atraves de cursos para a comunidade local e multiplicadores. O presente projeto visa dar continuidade à produção de tecnologias de ponta para a restauração de Caatinga que vem sendo desenvolvidas pela UFRN há vários anos, obtendo subsídio para criação de modelos de restauração que compatibilizem a preservação da biodiversidade, o funcionamento dos ecossistemas semiáridos e a convivência sustentável dos seres humanos com o semiárido. Esse trabalho está alinhado com dois grandes interesses nacionais: 1) o Programa de Ação Nacional de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca (PAN-Brasil) (MMA 2005) e 2) o comprometimento do governo Brasileiro de restaurar 22 milhões de hectares de terra degradada até 2030. Adicionalmente, os resultados obtidos neste estudo podem contribuir para geração de informações inovadoras para o desenvolvimento de programas de plantio do setor produtivo de restauração para a compensação ambiental e de pequenos proprietários de terra. Em termos globais, as informações inovadoras geradas por este estudo pretendem contribuir para o avanço no desenvolvimento de técnicas de restauração de sistemas semiáridos que aumentem sua capacidade de uso sustentável pelas populações locais, captura de carbono e resistência à desertificação.Vide projeto anexo
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 05/12/2020-30/04/2024
Foto de perfil

Giuliana Aparecida Santini Pigatto

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • perdas de alimentos e sistemas sustentáveis: análise à luz de abordagens de governanças
  • 1.As perdas de alimentos (nível processamento a montante) representam 10% de toda a produção de alimentos (dados 2016), em países da América Latina e Caribe (FAO, 2019). 2.Em países em desenvolvimento alimentos são perdidos devido à colheita prematura, sendo desperdiçado se não for adequado para consumo (FAO, 2012). Instalações de armazenamento deficientes e falta de infraestrutura causam perdas de alimentos, também, em pós-colheita (ROLLE, 2006; FAO, 2012). 3. É preciso avaliar com atenção os impactos nos níveis de produção, pós-colheita e processamento. Problema de investigação: como a relação de governança estabelecida entre os segmentos de processamentos e seus fornecedores, sejam de alimentos ou de insumos e/ou materiais possibilita a redução de perdas de alimentos e o alcance de sistemas agroalimentares sustentáveis? A pesquisa contribui aos segmentos de produção a processamento, inclusive a aspectos de logística e armazenamento; em ações integradas e sinérgicas pelos atores; e a reduzir o custo dos alimentos para o consumidor. 4. H1 Coordenação dos sistemas alimentares pode ter efeitos ambíguos sobre a geração e a prevenção das perdas e desperdícios, dependendo do foco estratégico e dos instrumentos de coordenação; H2 Padrões privados de qualidade do alimento podem levar à rejeição de alimentos aptos para o consumo; H3 Os aspectos de monitoramento às PDAs nos sistemas alimentares sustentáveis requerem estruturas de governança contratuais e de arranjos cooperativos. 5. Em HLPE (2014) nota-se que o setor privado pode assumir seu papel em alterar as práticas quanto aos padrões usados para aceitar ou rejeitar o que é produzido. 6. O método envolve levantamento teórico mais aprofundado em Economia dos Custos de Transação e Governança Multistakeholders, Sistemas Alimentares Sustentáveis, e PDAs; será utilizado o método multicasos, desenvolvido a partir de empresas focais de processamentos em bovino de corte, farináceo e lácteos, na perspectiva Brasil e França.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Giuliano Arns Rampinelli

Engenharias

Engenharia de Energia
  • desenvolvimento de planta virtual de potência para supervisão e previsão de desempenho e diagnóstico de falhas em usinas fotovoltaicas com módulos bifaciais
  • A energia solar fotovoltaica é uma tecnologia que apresenta maturidade, confiabilidade, competitividade econômica e sustentabilidade. O desenvolvimento de ferramentas de supervisão e previsão de desempenho e identificação e diagnóstico de falhas podem ter impacto positivo na fase de operação das usinas fotovoltaicas. Uma solução tecnológica é o desenvolvimento de plantas virtuais de potência a partir da arquitetura do Digital Twin. O objetivo do presente projeto de pesquisa é desenvolver uma planta virtual de potência para supervisão e previsão de desempenho e diagnóstico de falhas em usinas fotovoltaicas com módulos bifaciais e convencionais. O projeto de pesquisa será executado pelo Núcleo Tecnológico de Energia Elétrica e pelo Laboratório de Pesquisa Aplicada da UFSC e pelo Laboratório de Energia Solar da UFRGS. A integradora de sistemas fotovoltaicos Lenergy Energia Solar é colaboradora do projeto. O projeto de pesquisa está dividido em 15 etapas e 5 eixos norteadores: (i) projeto, instalação, monitoramento e análise de dois sistemas fotovoltaicos de referência com módulos bifaciais e convencionais com potências da ordem de 3 kW, (ii) monitoramento e análise de quatro usinas fotovoltaicas de campo com módulos bifaciais e convencionais com potências entre 50 kW e 90 kW, (iii) desenvolvimento, validação e aplicação de metodologia de previsão de curto prazo da geração de energia elétrica de sistemas fotovoltaicos, (iv) desenvolvimento, validação e aplicação de uma planta virtual de potência de usinas fotovoltaicas e (v) transferência de conhecimento à comunidade científica e formação de recursos humanos. Espera-se que a planta virtual de potência e sua respectiva potencialidade de monitoramento e análise possa ser um relevante suporte para supervisão técnica de usinas fotovoltaicas com módulos bifaciais e convencionais. Espera-se que a planta virtual de potência seja capaz de monitorar, analisar e aprender continuamente com o status da usina fotovoltaica real.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 05/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Giuliano Elias Pereira

Ciências Agrárias

Agronomia
  • tecnologias vitícolas e enológicas para o incremento da qualidade de uvas e vinhos tintos na serra gaúcha
  • A produção comercial brasileira de vinhos finos, com cultivares Vitis vinifera L., é recente (desde os anos 60-70), em relação aos países vitivinícolas tradicionais, sendo a Serra Gaúcha a região mais importante. Apesar de promissora, a SG impõe alguns gargalos para a viticultura, como alta pluviosidade em muitos ciclos de produção (>100 mm/mês), favorecendo vigor vegetativo, maturação irregular da uva, doenças fúngicas e erosão do solo. Estes fatores comprometem a vida útil dos vinhedos, a qualidade enológica da uva e a competitividade dos vinhos, em relação aos importados. A vitivinicultura é uma atividade que gera renda, emprego e desenvolvimento rural, envolvendo prioritariamente pequenas propriedades de agricultura familiar na Serra Gaúcha. Portanto, todas ações que possibilitem o aprimoramento e a sustentabilidade dessa prática agrícola terão grande impacto econômico e social. Diante desse cenário, esta proposta visa aprimorar a qualidade e competitividade dos vinhos tintos da Serra Gaúcha com o ajuste de quatro tecnologias que atendem, de modo sinérgico e complementar, a sustentabilidade dessa região vitivinícola: i) manejo da cobertura do solo com diferentes plantas, evitando erosão e proporcionando controle de vigor e ganhos na qualidade enológica das uvas; ii) sistema de condução inovador para a videira (lira modulável), que possibilitará aumentar a produtividade dos vinhedos, a uniformidade de maturação, a qualidade dos vinhos e reduzir os custos de produção; iii) técnica da crioconcentração, para elevar a proporção de compostos desejáveis à qualidade dos vinhos; e iv) diferentes tempos de maceração/extração e uso de blends, para obter vinhos com elevada tipicidade e valor agregado. A partir desses resultados, pretende-se selecionar as melhores estratégias, ou combinações destas tecnologias, que permitam melhorar a qualidade dos vinhos tintos, a competividade, a rentabilidade e a sustentabilidade do setor vitivinícola na Serra Gaúcha.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - RS - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Giuliano Tostes Novais

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • classificação climática aplicada ao território brasileiro
  • Este projeto propõe um novo sistema de classificação climática para o território brasileiro, baseado em um mapeamento que leva em consideração as unidades climáticas criadas por Novais (2019). Essa classificação possui uma hierarquia, dividida em: (1ª) Zona Climática, de controle astronômico, determinado pela incidência dos raios solares (ou ângulo zenital) durante o ano; (2ª) Clima Zonal, regulado pela temperatura média do mês mais frio; (3ª) Domínio, controlado pela temperatura, por sistemas atmosféricos, por atuações de anticiclones, frentes frias e pela possibilidade de formação de geada; 4ª) Subdomínio, determinado pela quantidade de meses secos; e (5ª) Tipo Climático, mostra a localização dos Domínios e Subdomínios no território brasileiro, podendo ser expandidos para o continente. A temperatura média do mês mais frio é a principal variável térmica utilizada no trabalho, adquirida através de dados de reanálise com alta resolução espacial (1 km), fornecida pelo algoritmo CHELSA (Climatologia em alta resolução para a superfície terrestre), que também mostra os valores de precipitação pluviométrica mensais de 1979 à 2013. A metodologia para determinação de mês seco consiste na diferença entre a precipitação pluviométrica e a evapotranspiração potencial, um dos principais elementos do Balanço Hídrico Climatológico Normal de Thornthwaite. O detalhamento das unidades climáticas, fornece subsídios para novos estudos regionais dentro da Climatologia Aplicada, apresentando dados de forma mais didática para o ensino e aprendizagem dessa ciência. Esse sistema pode auxiliar também em atividades antrópicas que visam um melhor planejamento das condições ambientais de cada localidade estudada.
  • Universidade Estadual de Goiás - GO - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Giuseppe Pintaúde

Engenharias

Engenharia Mecânica
  • caracterização tribológica, eletroquímica e microestrutural de materiais tratados superficialmente para indústria offshore
  • A indústria petrolífera utiliza critérios extremamente rigorosos para seleção de materiais, que se baseiam no pior dano possível de ocorrência, induzido pela presença de H2S e CO2. Isto acarreta em perda de outros desempenhos, especialmente quando há contato mecânico, pois há um limitador de dureza imposto pelas normas NACE MR0175/ISO 15156. Neste sentido, o emprego de tratamentos de superfície, em particular os termoquímicos como nitretação e cementação, aumentam a dureza sem prejuízo para os modos de fratura induzidos pela presença dos gases citados, podendo ainda melhorar a resistência à corrosão. Este Projeto de Pesquisa objetiva neste cenário comparar as resistências ao desgaste e à corrosão da liga considerada mais nobre pela NACE MR0175 - superliga Inconel - e de aços inoxidáveis duplex, que são amplamente empregados pela indústria offshore. Os custos de fabricação destes materiais são elevados, tanto como matéria-prima quanto como fabricação (usinagem). O emprego seguro do aço inoxidável tratado termoquímicamente garantiria uma redução de custo substancial e o aumento da resistência ao desgaste para componentes que assim são solicitados. O Núcleo de Excelência NESAP compõe esta proposta, dispondo de instalações em 3 universidades - UTFPR, UFPR e UEPG, além do apoio da University of Birmingham - para nitretação ou cementação assistida por plasma, bem como um conjunto de equipamentos para determinar o comportamento das amostras produzidas quanto à tribocorrosão.
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Giuseppi Gava Camiletti

Outra

Divulgação Científica
  • show de física da ufes
  • As atividades presenciais envolvem apresentação de experimentos de Física, em estilo teatral. É conduzido por dois locutores dialogando entre si e promovendo uma interação da plateia com os experimentos. O entendimento mais aprofundado dos experimentos é feita pós-Show, no formato de oficinas, de acordo com o interesse dos participantes. As atividades voltadas para a interação digital são constituídas de explicações sobre curiosidades da Física, na forma de postagem ilustradas, e explicações sobre temas atuais da Física, na forma de podcasts gravados diretamente com os cientistas. O objetivo principal é despertar o interesse e curiosidade para a Ciência e estimular o espírito científico dos participantes. Nosso público alvo são estudantes e professores da educação básica. Desde o início das atividades, no ano de 2011, temos atendido um público presencial de 4 mil participantes/ano. Mais detalhes das atividades podem ser encontrados em www.showdefisica.ufes.br.
  • Universidade Federal do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 12/09/2022-31/03/2023
Foto de perfil

Giuseppi Gava Camiletti

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • show de física da ufes
  • O Show de Física da UFES é um projeto de Extensão Universitária e a principal atividade presencial é a apresentação de experimentos de Física das áreas de mecânica (banco de pregos), mecânica dos fluidos (canhão de vórtices), termodinâmica (congelamento de balões, congelamento de chips do tipo fandangos, choque térmico, todos usando nitrogênio líquido), ondas sonoras (tubo de Rubens) e eletromagnetismo (bola de plasma), em estilo teatral. É conduzido por dois locutores dialogando entre si e promovendo uma interação da plateia com os experimentos em uma apresentação com 1 hora de duração. O breve vídeo disponível no link (https://www.youtube.com/watch?v=w4SvWUloQKA) pode fornecer uma boa ideia de como são as apresentações. As explicações dos experimentos e utilidade no dia a dia dos participantes é feita pós-Show, no formato de oficina, que pode ter duração de uma a três horas, de acordo com o interesse dos participantes. Com a pandemia, essas atividades tiveram sua frequência diminuída e depois precisaram ser paralisadas. Sendo assim, a continuidade das atividades do projeto ocorreu a partir do desenvolvimento de conteúdos voltados para o “mundo digital”, constituídos de explicações sobre curiosidades da Física, na forma de postagem ilustradas e de gravação de podcasts com explicações sobre temas atuais da Física. As curiosidades são postadas na rede social Instagram do projeto (@showdefisica) e os podcasts, gravados diretamente com os cientistas e pesquisadores, são disponibilizados no youtube e spotify (showdefisica.ufes). O objetivo principal do projeto é promover a popularização da ciência, despertando a curiosidade para a Ciência e estimulando o espírito científico dos participantes. O público alvo são professores e estudantes da educação básica. Participantes: Desde o início das atividades, no ano de 2011, temos atendido um público entre 3 a 4 mil participantes/ano. Com o início das atividades voltadas para as redes sociais do projeto, em 2020 atingimos um público aproximado de 6.500 pessoas. Mais detalhes das atividades podem ser encontrados em www.showdefisica.ufes.br.
  • Universidade Federal do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 05/10/2021-31/10/2023
Foto de perfil

Glauber Eduardo de Oliveira Santos

Ciências Sociais Aplicadas

Turismo
  • avaliação do potencial de destinos turísticos: implicações das teorias da economia comportamental para o planejamento e investimento público em turismo
  • O desperdício de investimentos no desenvolvimento de destinos turísticos no Brasil é marcante. Apesar do grande investimento realizado nas últimas décadas em novos destinos, poucos efetivamente alcançaram o sucesso. Embora o insucesso de muitos destinos tenha explicações políticas, econômicas e culturais, entre outras, processos de avaliação sistematicamente enviesados resultam em investimentos ineficientes e desperdício de recursos. Repetidos erros de previsão e estimação evidenciam a existência de vieses no julgamento de gestores sobre o potencial de destinos turísticos. Logo, explicar o processo de formação repetida de avaliações equivocadas contribui para a eficiência do planejamento, investimento e gestão pública do turismo. Uma das explicações possíveis para erros de previsão é de ordem cognitiva. Desta forma, o objetivo principal deste projeto é estudar os processos cognitivos utilizados na avaliação do potencial turístico dos destinos por parte dos gestores públicos. Apoiada na literatura de heurísticas e vieses e na economia comportamental, a hipótese central da pesquisa é de que processos cognitivos enviesados podem explicar parte do problema dos erros de avaliação do potencial turístico. O projeto tem três etapas. A primeira será de entrevistas qualitativas de gestores públicos de turismo buscando a identificação dos processos cognitivos empregados na avaliação do potencial turístico de destinos. A segunda etapa será voltada para mensuração da incidência dos diferentes processos cognitivos. A terceira etapa será composta por um experimento de redução dos vieses cognitivos na avaliação do potencial turístico por meio de ações de educação e treinamento. Desta forma, este projeto oferece contribuições teóricas e práticas, ampliando o conhecimento nas áreas de economia comportamental, gestão e turismo, bem como desenvolvendo estratégias para a elaboração de estimativas mais precisas do retorno do investimento em projetos de desenvolvimento turístico.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Glauber Guimarães Cirino da Silva

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • caracterização de material particulado e identificação de fontes emissoras no leste da amazonia oriental
  • Aerossóis atmosféricos, também conhecidos como Material Particulado (MP), são de grande interesse nos estudos do clima e da qualidade do ar, e importantes indicadores de fontes de poluição ambiental. Na Amazônia Oriental brasileira, há uma grande diversidade de fontes emissoras naturais e antrópicas de MP. A região combina emissões biogênicas em áreas de floresta, emissões por queimadas, aerossóis marinhos, aerossóis urbanos e emissões relacionadas a atividades de agropecuária e mineração. Mesmo sendo esta uma importante região da Amazônia, quase nada se sabe até o momento sobre concentração e propriedades físico-químicas do MP emitido, pois inexiste rede de monitoramento da qualidade do ar que suporte estudos voltados à saúde humana local, ao clima e funcionamento de ecossistemas. Esta proposta tem por objetivo caracterizar a concentração e a composição inorgânica e elementar de MP no nordeste do Pará e identificar fontes e processos de transformação. Para isso, pretende-se realizar observações em três locais com diferentes usos do solo, entre agosto–setembro: uma área urbanizada em Belém/PA; uma área costeira de floresta de manguezal, em Salinópolis/PA, e uma área de pasto sob influência de mineração, em Abaetetuba/PA. Estes locais de amostragem são estratégicos para avaliar a influência de fontes emissoras de MP locais, regionais e de longa distância. A composição química de aerossóis será determinada utilizando fluorescência de raios-X, espectroscopia de infravermelho e microscopia eletrônica em colaboração com laboratórios parceiros, nacional e internacional. Fontes e transportes de MP serão investigados utilizando modelos receptores e medidas meteorológicas de superfície. A caracterização de aerossóis atmosféricos representa, aqui, uma perspectiva inédita das propriedades físico-químicas de MP na Amazônia Oriental; uma ação crítica para o desenvolvimento futuro de políticas públicas de mitigação dos impactos da poluição atmosférica na saúde e no meio ambiente.
  • Universidade Federal do Pará - PA - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Glauber Lima Moreira

Lingüística, Letras e Artes

Lingüística
  • protótipo de dicionário eletrônico de turismo para o ensino da língua espanhola para brasileiros
  • As pesquisas já realizadas mostram que o uso de dicionários, Monolíngues, Bilíngues, Semibilingues, etc., em sala de aula e fora dela, contribui efetiva na aprendizagem dos seus usuários e, principalmente, no desenvolvimento da aprendizagem dos estudantes, independente do seu conhecimento linguístico. Podemos aqui citar algumas destas investigações, a saber: Hernández Hernández (2001), Porto Dapena (2010), Maldonado (1998, 2012, 2017), etc. Nesse sentido, este projeto tem o objetivo principal de elaborar um dicionário semibilingue de espanhol no formato eletrônico de acesso aberto ao público em geral. Este dicionário será desenhado e direcionado, sobretudo, aos estudantes de espanhol que estão ligados ao setor do turismo. Esta proposta justifica-se pelo fato de, atualmente, não existir uma obra deste tipo no mercado editorial no Brasil e, por isso, faz-se necessário oferecermos uma ferramenta desta natureza, uma vez que será de grande utilidade para o ensino e para a realização de diversas pesquisas vinculadas à área de turismo. Como afirma Rodríguez Barcia (2016, 9), um dicionário é uma ferramenta importante porque é “[...] entendido como respuesta, como obra essencial, congénere a los procesos de descripción y aprendizaje de una lengua [...]”. Para a elaboração deste trabalho será necessário: i) preencher as fichas terminográficas; ii) desenhar a microestrutura abstrata, iii) redigir os verbetes que formarão o dicionário propriamente dito. Também faremos: a seleção dos candidatos a termos; a Apresentação, o Prólogo, a Introdução que explicará a estrutura da obra e como deverá ser consultada, além das partes finais com informações relevantes como, por exemplo, aspectos variados de interesse sobre a língua e a cultura hispânica, pontos turísticos de destaque e comidas e bebidas típicas dos países que falam o espanhol, e alguns aspectos gramaticais que julgamos pertinentes.
  • UNIVERSIDADE FEDERAL DO DELTA DO PARNAÍBA - PI - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Glaucia Fernandes Cota

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • desenvolvimento e validação de modelo de implementação de tecnologias em saúde para o sistema único de saúde (sus).
  • Atualmente o Sistema Único de Saúde (SUS) adota métodos explícitos de decisão baseados em evidências para subsidiar a tomada de decisão quanto à incorporação, exclusão, alteração ou ampliação das tecnologias em saúde. Dezenas de tecnologias são incorporadas pelo SUS a cada ano, dando início a um longo e complexo processo de implementação, ou seja, a disponibilização da tecnologia ao usuário final, o que deveria ocorrer em no máximo 180 dias. Diferentemente da fase de incorporação, as ações mínimas necessárias para a implementação ainda não foram sistematizadas de forma a garantir padronização, sustentabilidade, transparência e eficiência ao processo. Neste cenário, a adoção de um roteiro de ações coordenadas representa estratégia necessária para guiar e articular os gestores das diferentes esferas decisórias do SUS na execução das ações de implementação e monitoramento do uso das tecnologias incorporadas. Propomos uma estratégia baseada na ferramenta de gestão PDCA, sendo que roteiro de ações sequenciais será estabelecido e deve orientar gestores nos passos fundamentais para execução do processo: 1. caracterização da tecnologia/cenário/indicação,mapeamento da trajetória da tecnologia e do contexto de uso; 2. estabelecimento de estratégia de divulgação da tecnologia entre profissionais/usuários e implantação de mecanismos de automatização de uso e de canais interativos de comunicação com pontos focais; 3. identificação de indicadores críticos de uso e impacto e dos sistemas de registro monitoráveis; 4. planejamento de análise de impacto. Para validação do modelo, duas propostas de implementação serão construídas em conjunto com gestores, o que permitirá formação de expertise e consolidação do NATS-IRR como serviço estratégico para o SUS para consultoria/formação de recursos humanos. Ao fim, diretriz nacional de implementação será apresentada e deverá padronizar a implementação de tecnologias pelo SUS e a estratégia de monitoramento da tecnológico de forma continua.
  • Fundação Oswaldo Cruz - MG - Brasil
  • 26/05/2022-31/05/2024
Foto de perfil

Glaucia Morgana de Melo Guedes

Ciências Biológicas

Microbiologia
  • multirresistência em *pseudomonas aeruginosa* no ceará: perfil genômico e o reposicionamento de fármacos como estratégia de otimizar o efeito de antimicrobianos
  • A bactéria *Pseudomonas aeruginosa* é protagonista de grande parte das infecções relacionadas à assistência à saúde no Brasil. Sua multirresistência e fácil disseminação representam uma séria ameaça à saúde pública. Dentre os mecanismos de resistência empregados por *P. aeruginosa*, destacam-se a formação de biofilme, produção de beta-lactamases, e a expressão de bombas de efluxo. O uso de antimicrobianos no ambiente hospitalar, para tratar indivíduos com COVID-19 que desenvolveram infecções bacterianas secundárias, possivelmente intensificou esse fenômeno de resistência, favorecendo uma pressão seletiva de cepas multirresistentes. Diante desse cenário, se apresentam as seguintes questões: 1) Qual é o perfil genômico de resistência expresso por essas cepas circulantes no Ceará? 2) De que forma esses mecanismos podem ser controlados a partir do reposicionamento de fármacos e prospecção de drogas com potencial antimicrobiano? Pesquisas demonstram o potencial antimicrobiano de inibidores de bomba de efluxo (clorpromazina e fluoxetina) e de inibidores de beta-lactamases (magnolol; um composto natural isolado da casca de árvores de magnólia). Portanto, além da análise molecular, será investigado se os inibidores de bomba de efluxo e/ou magnolol podem otimizar a ação dos antimicrobianos. Considera-se uma ação de saúde pública, analisar as cepas de *P. aeruginosa* multirresistentes do Ceará, a fim de compreender seus mecanismos de resistência e buscar alternativas terapêuticas que facilitem seu controle no ambiente hospitalar. O projeto visa identificar os genes que codificam bombas de efluxo e beta-lactamases de cepas circulantes no Ceará, por meio da técnica de PCR em tempo real; e busca elucidar e controlar a multirresistência dessas cepas na forma planctônica e de biofilme, a partir do uso de inibidores de bomba de efluxo e/ou de beta-lactamases. Assim, esta proposta pretende compreender para melhor controlar a multirresistência em *P. aeruginosa*.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Glaucio Valdameri

Ciências Biológicas

Farmacologia
  • identificação de novos inibidores do transportador abcg2: triagem, mecanismo bioquímico de inibição e formulação farmacêutica
  • Mais da metade dos pacientes oncológicos não responde adequadamente ao tratamento quimioterápico, devido à resistência a múltiplas drogas (MDR). A superexpressão de transportadores ABC representa a principal causa do fenótipo de MDR. Dentre os transportadores ABC humanos, 3 são os principais e com comprovada relevância clínica: glicoproteína-P (P-gp), MRP1 e ABCG2 (BCRP). Considerando esse cenário, o desenvolvimento de inibidores dessas proteínas para uso associado com a quimioterapia convencional é uma estratégia extremamente promissora. Até a presente data, apenas inibidores da P-gp foram testados na clínica, ou seja, nenhum teste clínico foi realizado com inibidores dos transportadores MRP1 e ABCG2. Mesmo no caso dos inibidores da P-gp, o uso clínico ainda não foi inserido na rotina oncológica, haja vista que os resultados dos testes clínicos apontaram a necessidade de inibir os outros transportadores ABC, principalmente o transportador ABCG2. Assim, a identificação de potentes inibidores do transportador ABCG2 é urgente e extremamente atrativa para a indústria farmacêutica. O projeto vislumbra a identificação de novos inibidores através da triagem de diferentes classes de compostos. Algumas dessas classes são inibidores de segunda geração, ou seja, derivados de inibidores previamente identificados pelo grupo. Integrantes da equipe e colaboradores internacionais realizaram a síntese dos novos compostos que serão testados nesse projeto. A identificação dos inibidores será realizada através de análises de citometria de fluxo em células humanas transfectadas para superexpressar o transportador ABCG2. Para os melhores inibidores, o mecanismo bioquímico e molecular será avaliado por diferentes métodos in vitro: ensaio de transporte, citotoxicidade, conformação, tipo de inibição, expressão proteica, bem como análises in silico de modelagem molecular. Por fim, uma formulação farmacêutica baseada em lipídeos será realizada.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 18/03/2022-31/03/2025