Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Sidinei Rocha de Oliveira

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • a (re)construção de carreiras e mercados de trabalho na economia digital
  • O surgimento e a rápida ascensão de movimentos como a economia compartilhada (sharing economy) e a economia “gig” (gig economy) apontam para alterações de natureza econômica e social com potencial para afetar e modificar profundamente as relações de trabalho (Sundararajan, 2016). Fenômeno mundial, a economia gig pode ser entendida como o conjunto dos mercados que conectam, através de plataformas digitais, as demandas dos consumidores aos fornecedores por meio de trabalhos de curta duração: os “gigs” (Donovan, Bradley & Shimabukuro, 2016). Desse modo, ao se considerar aspectos ligados ao trabalho, percebe-se o destaque para práticas cada vez mais flexíveis de trabalho (Fleming, 2017) e o surgimento de novas práticas laborais. Além disso, muitas destas tarefas se apresentam como atividades informais, em que não há contrato, salário fixo, férias ou garantias de nenhuma natureza. Nota-se, entretanto, que estas novas formas de trabalho e emprego ligadas às plataformas têm sido pouco estudadas dentro da discussão de carreiras e mercado de trabalho (Greenwood & Wattal, 2017). Essa articulação entre carreira e mercado de trabalho na Economia Digital permite traspor uma crítica recorrente aos estudos sobre carreira – a falta de inovação nos trabalhos realizados –, bem como compreender como emergência de novos aspectos políticos e culturais, grupos de trabalhadores e atores que formam os mercados de trabalho marcam as relações de trabalho nos campos campo econômico e social. Dado o panorama descrito sobre o crescimento da Economia Digital, caracterizada pelos movimentos da economia compartilhada e da economia gig, e a partir das bases conceituais do mercado de trabalho e carreira que embasam esta discussão, este trabalho apresenta duas questões centrais para pesquisa: Como se formam os mercados de trabalho na Economia Digital? Como se constroem as carreiras em novas ocupações ligadas à Economia Digital? Para responder a estas questões, este projeto estrutura-se em quatro etapas: 1) Discussão teórica sobre a formação de novos mercados de trabalho e carreira na Economia Digital, cuja base teórica servirá de base para o desenvolvimento de estudos empíricos; 2) Estudos com profissionais que atuam em atividades ligadas ao campo das startups; ; 3) Estudos sobre mercado de trabalho e carreiras relacionados com a atividade de motoristas de aplicativos; e 4) Estudos sobre mercados de trabalho e carreiras relacionados com a atividade de desenvolvedores de softwares.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022