Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Adriana Marotti de Mello

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • redução de incerteza no fornecimento em cadeias de suprimento fechadas
  • Cadeias de suprimento diretas são aquelas que envolvem a movimentação de matérias primas e produtos desde os produtores até os consumidores finais. Já as cadeias reversas são aquelas que são iniciadas nos consumidores finais com fluxos de materiais em direção aos produtores, através do reprocessamento (reuso e/ou reparo, reforma, remanufatura e reciclagem) de produtos em final de vida útil, transformando-os em produtos novamente usáveis. Quando as cadeias diretas e reversas são integradas, elas formam a cadeia de suprimento de ciclo fechado (CSCF). O fechamento do ciclo produtivo pode trazer impactos positivos para o meio ambiente, através da redução da geração de resíduos e do consumo de matérias primas e energia. (Quariguasi Frota Neto, Walther, Bloemhof, Van Nunen, & Spengler, 2010; Zhao, Cao, Li, Wang, Liu, Li & Zhang,2018). Ainda que o tema esteja atraindo cada vez mais a atenção da academia, das empresas e do poder público nos últimos anos (e.g., Govindan, Soleimani & Kannan, 2015; Rudrajeet, 2017 ; Sandberg, Rudrajeet & Jukka, 2018), ainda não há um total entendimento sobre como implementar e gerenciar efetivamente esse tipo de cadeia de suprimentos. Tanto nas cadeias de suprimento diretas quanto nas fechadas, a estabilidade e previsibilidade no fornecimento de materiais são fundamentais para a sincronia e o funcionamento eficiente da cadeia. Nesse sentido, o presente projeto procura abordar esse relevante problema empírico – as ineficiências sistêmicas que ocorrem nas cadeias de suprimentos fechadas. Pretende-se estudar cadeias de suprimento fechadas, entendendo quais as causas de incertezas e instabilidades na demanda de resíduos e de produtos remanufaturados/reciclados, buscando discutir como as práticas de gestão de cadeia de suprimentos podem contribuir para a redução dessa incerteza e instabilidade. Ao estudar iniciativas de gestão em cadeias de suprimento fechadas em diferentes indústrias, tanto na Europa quanto no Brasil, pretende-se entender quais fatores podem ter impacto na transição para cadeias de suprimento fechadas e como diferentes atores podem auxiliar (ou prejudicar) essa transição. Os resultados pretendem contribuir para a teoria, e em especial para a teoria relacionada a Gestão de cadeias de suprimentos fechadas e economia circular (Govindan & Hasanagic, 2018, Braz et al, 2018, Homrich , Galvão , Abadia & Carvalho, 2018, Merli, Preziosi & Acampora, 2017) , para o desenvolvimento de metodologias de pesquisa na área e para a gestão de empresas do setor e para a proposição de políticas públicas.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Adriana Nunes Correia

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • materiais nanoestruturados a partir de eletrólitos não aquosos baseados em cloreto de colina
  • Um dos maiores desafios para o desenvolvimento de materiais nanoestruturados para produção de dispositivos fotovoltaicos, bem como para redução de CO2, é a formação de filmes finos com certo ordenamento estrutural. Diferentes metodologias de produção/obtenção têm sido recentemente desenvolvidas. Uma das estratégias utilizadas nesta área é a utilização do processo de eletrodeposição, principalmente em função da possibilidade de obtenção de filmes finos em proporções estequiométricas com estrutura cristalina definida. Porém, este processo exige o controle de diferentes parâmetros, tais como pH do meio, proporção das espécies eletroativas a serem depositadas e, por vezes, a adição de aditivos. Apesar de diferentes metodologias já existentes, não há sequência metodológica eficaz para produção de filmes finos que preserve todas as propriedades físicas e químicas necessárias para aplicação em células solares e para redução de CO2. Na última década, diferentes procedimentos experimentais foram desenvolvidos, dentre eles a influência do substrato eletródico, a adição de aditivos, alteração do método de eletrodeposição, o que possibilitou a obtenção de filmes com propriedades até então desconhecidas. Recentemente, diferentes sistemas não aquosos constituídos por líquidos iônicos e/ou solventes eutéticos vêm sendo utilizados para obtenção de filmes finos estruturalmente ordenados que possibilitem o aumento da eficiência dos processos, porém há ausência na literatura de estudo sistemático com tal objetivo. Sendo assim, surge o desafio de estudar os processos de modificação e de caracterização superficial de materiais nanoestruturados obtidos a partir de revestimentos metálicos condutores, tais como Cu-In, Sn-Cu e Sn-In, empregando líquidos iônicos e/ou solventes eutéticos e tendo em mente os controles microestrutural e morfológico dos filmes finos formados, como catalisadores em processos de conversão de energia.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022