Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Gabriela Trindade Perry

Ciências Humanas

Educação
  • o quanto eu quero este certificado? desestimulando a burla em moocs
  • MOOCs são cursos online, massivos e abertos, com expressivo potencial de democratização do conhecimento – e que podem ser uma resposta aos desafios impostos pela economia e pela pandemia de Covid-19. Por isso, em 2016 criamos a plataforma Lúmina (baseada em Moodle), que hoje tem mais de 400 mil inscritos e 80 MOOCs. Como os MOOC (usualmente) não têm acompanhamento por professores e oferecem poucas opções de avaliação automatizada, é fácil obter certificados por meio de comportamentos indesejados – por exemplo, usando contas secundárias para coletar respostas; plágio; respondendo de forma lacônica em fóruns e wikis. O motivo desse comportamento é que o certificado tem valor para órgãos públicos para fins de progressão/capacitação ou como comprovantes de “horas complementares” em cursos de graduação. Por isso, estamos adaptando a Teoria das Expectativas e Valores para estimar a probabilidade de conclusão do curso (CAAE 45733221.6.0000.5347), considerando a expectativa de ser bem-sucedido, a importância do certificado e o custo para se engajar no curso. Atualmente estamos realizando a avaliação psicométrica dos instrumentos de coleta. Com base nisso, identificaremos perfis (por exemplo: oportunista, desalentado, engajado, burlador), que serão usados como categorias de um modelo de aprendizagem de máquina, que considerará o design instrucional na categorização dos estudantes nos perfis. Este modelo estará representando numa dashboard, que o professor usará para decidir se deve dificultar ou facilitar o acesso ao certificado, testando o impacto de diferentes configurações em seu curso. Um benefício extra é que os plugins que criarmos poderão ser utilizados por outras plataformas Moodle. As etapas da pesquisa serão: 1) elaboração do modelo de previsão dos perfis; 2) seleção e preparação dos MOOCs que serão objeto da pesquisa; 3) criação da dashboard; 4) análise de dados e elaboração de relatórios.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 11/05/2022-31/05/2025
Foto de perfil

Gean Paulo Michel

Engenharias

Engenharia Sanitária
  • conectividade hidrossedimentológica como peça-chave ao entendimento da dinâmica de água e sedimentos em bacias montanhosas
  • A erosão é um dos maiores problemas ambientais, acarretando impactos locais e regionais. Para abordar esta problemática, a teoria da Conectividade Hidrossedimentológica (CH) vem sendo mundialmente empregada. A CH é definida como a transferência de água e sedimentos entre compartimentos da paisagem. A produção de água e sedimento depende das características estruturais da bacia e da magnitude e frequência dos processos hidrossedimentológicos, os quais promovem a transferência espaço-temporal de matéria. Assim, caracterizar a CH do sistema consiste em compreender onde, quando e em que intensidade esses processos ocorrerão. Em bacias montanhosas, a dinâmica dos sedimentos apresenta diversidade de processos, desde erosão laminar até movimentos de massa, o que representa um desafio para metodologias tradicionais de estimativas de produção de sedimentos e é onde a teoria da CH vem demonstrando potencial de aplicabilidade. A hipótese aqui levantada é que o uso da teoria da CH em estudos de bacias montanhosas permite uma quantificação espaço-temporal da dinâmica de água e sedimentos (e.g. quantificação da produção de sedimentos) e um melhor entendimento dos próprios processos hidrossedimentológicos envolvidos. Estudos atuais mostram que a CH é peça-chave para o entendimento da dinâmica de sedimentos e a tratam como uma propriedade emergente do sistema. Quando expressa por índices, representa padrões espaço-temporais de transferência de sedimentos ao longo da bacia. Assim, a associação de valores destes índices a valores de quantificação dos processos, obtidos por monitoramento e modelagem, pode resultar na emergência de novas metodologias de representação e quantificação da dinâmica dos sedimentos. A proposta tem como base o monitoramento, em diferentes escalas, de parâmetros/processos hidrossedimentológicos de uma bacia montanhosa. À luz dos resultados, a teoria da CH será empregada em índices e modelos, visando a melhor representação da dinâmica hidrossedimentológica.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 09/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Geanne Karla Novais Santos

Outra

Divulgação Científica
  • iii semana intermunicipal de ciência e tecnologia do paulista e municípios parceiros
  • A III Semana Intermunicipal de Ciência e Tecnologia do Paulista e Municípios Parceiros tem como finalidade a divulgação e popularização do conhecimento científico. A partir da realização de Evento de Comunicação Científica em Rádio, TV e outras mídias; Mostras de Vídeos e Exposição Científica de Ciência, Tecnologia e Informação, a popularização da ciência e da temática Bicentenário da Independência: 200 anos de Ciência Tecnologia e Informação no Brasil ocorre aliada com a problematização da sustentabilidade ambiental, vinculada com práticas cotidianas, valorização do saber popular e tradicional, e instigando a promoção de valores socioculturais e econômicos mais ecológicos e sustentáveis. Além disso, busca-se estimular o interesse de meninas nas carreiras científicas. O evento abrangerá três municípios que fazem parte da Região Metropolitana do Recife: Paulista (proponente), Itamaracá e Jaboatão dos Guararapes. Com grande população jovem, esses municípios necessitam encontrar soluções mais sustentáveis para o processo de desenvolvimento no qual estão inseridos, estimular a continuidade dos estudos para o ensino médio, técnico e superior, além de ampliar a inserção das comunidades de baixa renda nos projetos de desenvolvimento local de forma mais efetiva. O evento ocorrerá de forma online e presencial contando com palestras (lives) em redes sociais integrando o tema central às questões socioambientais; exibição de vídeos ambientais, palestras e exposições presenciais nos municípios; visita de estudantes da rede municipal ao Projeto Futuras Cientistas (CETENE-PE); oficina de agroecologia para pequenos agricultores com produção de cartilha sobre práticas agroecológicas e oficina antropológica com os pescadores artesanais. A SEMA-Paulista tem atuado com dedicação para a popularização da ciência, tecnologia e informação desde os editais da 16ª e 17ª SNCT. Este projeto e seus produtos serão de suma importância para a continuidade da divulgação científica.
  • PREFEITURA MUNICIPAL DO PAULSITA-PE - PE - Brasil
  • 15/09/2022-31/03/2023
Foto de perfil

Gecilane Ferreira

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • viii feira de ciências do estado do tocantins: caminhos e perspectivas
  • O presente Projeto tem como principal objetivo colaborar para a melhoria do Ensino de Ciências e Biologia no nível Fundamental e Médio da rede de ensino da Educação Básica do Estado do Tocantins – Região Norte do Brasil, por meio da introdução de uma prática de pesquisa no Ensino de Ciências e Biologia, bem como, estimular o processo interdisciplinar por meio da realização de projetos. A proposta tem como tema central a realização da VIII Feira de Ciências do Estado do Tocantins, tendo como tema: Pesquisa na Educação Básica: caminhos e perspectivas. O evento terá em sua programação momentos de reflexão sobre o que é e como fazer ciências. Tem por objetivo também, selecionar dez trabalhos de pesquisa realizados por alunos da Educação Básica que se destacarem dentro dos critérios estabelecidos para avaliação, sendo estes premiados com troféus e Bolsas de Iniciação Científica Junior – CNPq. Os trabalhos serão apresentados na formal de painel por dois alunos tendo um professor orientador e publicados seus resumos num livro do evento (Anais). Para melhor apresentação dos resultados dos trabalhos, os alunos poderão também utilizar, mapas, modelos, maquetes e outros recursos.
  • Universidade Federal do Tocantins - TO - Brasil
  • 31/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

Geilsa Costa Santos Baptista

Ciências Humanas

Educação
  • interculturalidade na formação docente para o letramento científico e tomada de decisões por estudantes de comunidades tradicionais
  • A presente pesquisa, que tem natureza qualitativa e o interacionismo simbólico como abordagem central, objetiva descrever e fomentar a formação docente e ensino intercultural de ciências naturais e biologia como forma de contribuir para o letramento científico e a tomada de decisões por parte dos estudantes oriundos de comunidades tradicionais, tendo como base a etnobiologia, a história e a filosofia das ciências. Os procedimentos metodológicos têm amparo na pesquisa ação e consistirá em dois momentos, envolvendo uma escola pública estadual do Retiro, município de Coração de Maria, Bahia. 1. Diagnóstico, com a realização de entrevistas semiestruturadas com professores de ciências naturais e biologia bem como com estudantes agricultores dos níveis Fundamental e Médio a fim de conhecer as suas realidades, expectativas e interesses no que tange ao diálogo intercultural e letramento científico; elaborar e avaliar programas de cursos de formação de professores de ciências e biologia para o diálogo intercultural, letramento científico e tomada de decisões pelos estudantes e 2. Aplicação de um curso de formação continuada envolvendo aspectos teóricos (da etnobiologia, da história e da filosofia da ciência) e práticos (da etnobiologia e do ensino de ciências) com investigação de saberes tradicionais, elaboração e aplicações em salas de aula de recursos e sequências didáticas e montagem de um laboratório de etnobiologia agrícola na escola. Serão realizadas entrevistas semiestruturadas com os professores de biologia do colégio sob estudo antes e após as suas participações nos referidos cursos a fim de avaliar o impacto nas suas formações e aprendizagens dos estudantes agricultores. Os registros serão gravados e anotados em diários de campo e as análises serão sobre os conteúdos, com geração de categorias temáticas e em diálogos com a literatura da área de ensino de ciências e da etnobiologia.
  • Universidade Estadual de Feira de Santana - BA - Brasil
  • 24/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Geisa Colebrusco de Souza Gonçalves

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • modelos de organização de serviços e custos relacionados à atenção domiciliar: uma revisão de escopo
  • Resumo: Mudanças no perfil epidemiológico das populações faz com que os sistemas de saúde organizem modelos de assistências que são condizentes com essas mudanças, favorecendo assim o bom funcionamento das Redes de Atenção à Saúde, sua articulação e relação entre serviços de modo a dar conta das necessidades de saúde dos indivíduos e famílias. Objetivo: mapear, de forma ampla e sintetizar as evidências disponíveis sobre as diferentes formas de atenção domiciliar, de modelos e serviços e de equipes de assistência domiciliar adotados pelos sistemas de saúde no mundo e os custos decorrentes dessas propostas. Metodologia: Trata-se de uma revisão de escopo, delineada a partir das diretrizes proposta pelo Joanna Briggs Institute. O mnemônico utilizado será o PCC, População: gestores, profissionais de saúde, indivíduos, cuidadores domiciliares e/ou famílias; Conceito: modelos de serviços, de equipes de atenção à saúde e custos e Contexto: atenção domiciliar. A pergunta de pesquisa deste estudo é: Qual são os modelos de serviços e de equipes de atenção à saúde e os custos envolvidos na atenção domiciliar existentes nos sistemas de saúde? Resultados esperados: As contribuições geradas pretendem subsidiar os diferentes tomadores de decisão com sínteses de evidências dos modelos de atenção e de organização dos serviços e de equipes, além dos custos implicados na assistência domiciliar para subsidiar a construção e proposição de políticas públicas de saúde voltadas à atenção domiciliar.
  • Universidade Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 14/12/2021-31/12/2022
Foto de perfil

Geisa Lopes Cordeiro

Ciências Humanas

Educação
  • o despertar à ciência: “visitando um museu científico”
  • Com o objetivo de oportunizar um engajamento mais abrangente à ciência, tem-se como estratégia principal atividades interdisciplinares que encantem e motivem diversos perfis de estudantes a terem interesse intensificador por essa linha de conhecimento. A esse respeito, sabe-se que nem todos os alunos terão em suas vidas a oportunidade de visitar um museu, Museu do Amanhã, Museu Paulista, Museu da Língua Portuguesa, Museu Nacional, ambientes de arte e ciência que poderiam alcançar a todos, mas não é uma realidade. Nesse sentido, o presente projeto tem como finalidade oferecer aos alunos, docentes e comunidade externa-escolar uma experiência incrível a qual incluirá conhecimentos teóricos e práticos sobre como é estar em um museu científico. Para fins didáticos, entende-se que toda experiência vivida “in loco” é extremamente relevante para os resultados e absorção do saber. Assim, pensando na importância da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, espera-se disponibilizar com esse estudo uma representação simbólica a todos os envolvidos, seja em âmbito educacional, seja em âmbito comunitário. Nessa perspectiva, compreende-se que não se pode amar a ciência sem conhecê-la; com isso, a vivência intrínseca levará os participantes ao conhecimento didático e à experiência acerca de como é estar em um “Museu científico”. Não se pode negar de que vivemos em tempos imediatistas, dos quais envolver uma criança / um adolescente / e até um adulto, em ações interdisciplinares, é um desafio. Contudo, o tema desta semana cientifica é consideravelmente interessante para os jovens. O público-alvo envolve alunos de uma escola pública localizada em Tangará da Serra – MT. Com este projeto, esperamos despertar nos participantes a visão de interdisciplinaridade necessárias na ciência, bem como orientá-los quanto a possibilidade de transcenderem conhecimento por meio da arte e da ciência.
  • Prefeitura Municipal de Tangará da Serra - MT - Brasil
  • 12/09/2022-31/03/2023
Foto de perfil

Geise Teixeira do Nascimento

Outra

Divulgação Científica
  • fecinova 2022 – feira de ciências e tecnologias de nova andradina - ms
  • A FECINOVA de 2022, Feira de Ciência e Tecnologia de Nova Andradina, vem em sua nona edição para estabelecer e ampliar as propostas feitas em suas edições anteriores. Uma vez que é uma feira de ciência de nível municipal, tem como objetivo divulgar a educação científica entre professores e estudantes de redes educacionais locais, estaduais e federais, promovendo o ensino do método científico e, acima de tudo, cativando e motivando o público-alvo em formas envolventes de ensino e aprendizagem. Com o objetivo de apresentar 80 trabalhos do ensino básico e secundário, a FECINOVA de 2022 tem um papel importante na integração da comunidade local em sua produção científica e para aproximar as instituições de ensino locais que promovem a cooperação mútua. Como parte do cenário científico local do Vale do Ivinhema, espera-se que a FECINOVA de 2022 contribua ainda mais para a expansão dos horizontes científicos e tecnológicos dos participantes.
  • Instituto Federal de Mato Grosso do Sul - MS - Brasil
  • 24/01/2022-31/01/2024
Foto de perfil

Gelmires de Araujo Neves

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • desenvolvimento de cerâmicas porosas: aplicação em tratamento de águas e biomateriais
  • A contaminação dos recursos hídricos e escassez de água potável e o aumento significativo das doenças relacionadas ao envelhecimento, como a osteoporose e os traumas ósseos associados a ela. Essas duas questões têm grande impacto social e econômico e exigem grande esforço de pesquisadores para encontrar alternativas que minimizem esses impactos, que afetarão a segurança hídrica e alimentar, a saúde e a qualidade de vida da população ao longo deste século. Neste contexto, surgem as inovações nos métodos de processamento de cerâmicas porosos que podem contribuir para a evolução dos sistemas de filtração e tratamento de águas e auxiliar no progresso dos biomateriais. Assim, visando atender essas grandes demanda da sociedade e inovar no aprimoramento de uma tecnologia mais acessível, este projeto tem por objetivo o desenvolvimento de cerâmicas porosas para aplicação em tratamento de águas e biomateriais utilizando a técnica de freeze casting, se caracterizando como um projeto científico-tecnológico de inovação. Para tanto serão utilizadas matérias primas locais, de baixo custo, para a produção de membranas cerâmicas utilizando a técnica de freeze casting. Também serão utilizados materiais carbonáceos (MDCs) oriundos da pirolise de redes metalorgânicas (MOFs) associados a espumas cerâmicas produzidas por freeze casting para obter membranas com elevada capacidade adsortiva, maximizando o potencial de filtração e purificação dos materiais desenvolvidos. Paralelamente também será usada a rota de freeze casting para a produção de scaffolds de cerâmicas bioativa através de uma rota inovadora que possibilita a obtenção de cerâmicas porosas com poros isométricos, interconectados e com dimensões acima de 100 micrometros. Assim, com a execução do projeto espera-se desenvolver uma metodologia inovadora que possa ser usada tanto para a produção de membranas cerâmicas como para o desenvolvimento de scaffolds mais acessíveis e eficientes.
  • Universidade Federal de Campina Grande - PB - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

George Rêgo Albuquerque

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • o avanço da uesc em áreas estratégicas: saúde e bioeconomia
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Estadual de Santa Cruz - BA - Brasil
  • 08/01/2020-08/01/2025
Foto de perfil

Georgiana Eurides de Carvalho Marques

Outra

Divulgação Científica
  • bicentenário da independência: 200 anos de ciência, tecnologia e inovação no brasil
  • O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA) foi criado através da Lei 11.892/2008, no entanto sua história iniciou em 1909 com as Escolas de Aprendizes. Ao longo dos anos, vem desenvolvendo uma Educação Profissional e Tecnológica que busca a sintonia das potencialidades de desenvolvimento local e regional, através de um regime especial de base educacional humanístico-técnico científica. Atualmente, desenvolve 780 projetos de iniciação científica e tecnológica, 126 projetos de extensão e oferece cursos nas modalidades do ensino médio, graduação e pós-graduação para mais de 34.000 alunos. A instituição, anualmente, desenvolve atividades referente a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, com atividades pontuais nos 29 campi espalhados no Estado do Maranhão e com fomento do CNPq, FAPEMA e da própria instituição. A partir da experiência exitosa desenvolvida na 18ºSNCT pelo IFMA, este propõe-se este ano desenvolver atividades assíncronas e síncronas que abranjam os alunos e servidores da instituição, assim como toda a sociedade, em uma discussão voltada para a “BICENTENÁRIO DA INDEPENDÊNCIA: 200 anos de ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil”. Desse modo, a presente proposta objetiva a realização da Semana de Ciência e Tecnologia do IFMA para o ano de 2022 a fim contribuir na divulgação e na popularização da ciência no Estado do Maranhão. Durante os dias 13 de outubro e de 22 a 25 novembro de 2022, serão oferecidas atividades nas modalidades híbrida (on-line e presencial), trazendo para diferentes ambientes a integração da comunidade acadêmica do Instituto Federal do Maranhão e a sociedade civil. Os principais parceiros para a realização desse evento são a Fundação de Amparo à Pesquisa do Maranhão (FAPEMA), Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e as secretarias de Educação e de Ciência e Tecnologia da prefeitura de São Luís e do Governo do Estado do Maranhão.
  • Instituto Federal do Maranhão - MA - Brasil
  • 12/09/2022-31/03/2023
Foto de perfil

Geraldine Alves dos Santos

Ciências Humanas

Psicologia
  • análise da relação entre síndrome da fragilidade, estratégias de seleção, otimização e compensação, fadiga emocional e dermatoglifia em pessoas idosas
  • O Consenso Brasileiro de Fragilidade em Idosos desenvolvido pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (2018) apontou a necessidade de ampliar os estudos sobre a Síndrome de Fragilidade em pessoas idosas brasileiras demonstrando a relevância de novos estudos que permitam a identificação precoce e objetiva. Os estudos têm identificado muitas variáveis para a manutenção da qualidade de vida durante a velhice. Entretanto, a manutenção da funcionalidade não ocorre apenas na velhice avançada quando já está instalada a síndrome da fragilidade. Precisamos de indicadores que apontem os riscos de desenvolvimento da síndrome da fragilidade antes que ela ocorra. Um dos estudos mais consolidados é o CHS (Cardiovascular Health Study) que desenvolveu um instrumento que tem sido aplicado mundialmente para avaliar a fragilidade. A Rede Fibra de pesquisa (Estudo da Fragilidade na população idosa brasileira) estudou a relação desta avaliação fisiológica da fragilidade, ou seja, do fenótipo da fragilidade, com os aspectos sociais e psicológicos, encontrando associações significativas principalmente com as variáveis psicológicas. O objetivo geral do presente estudo é avaliar a associação dos parâmetros da síndrome de fragilidade desenvolvida pelo CHS, com as estratégias de seleção, otimização e compensação, fadiga física e emocional e a dermatoglifia. O delineamento metodológico será quantitativo, correlacional e transversal. A amostra será composta por 400 pessoas idosas, com idade entre 60 e 79 anos, de ambos os sexos. Os instrumentos utilizados serão: Fenótipo da Fragilidade do CHS; Inventário SOC-12; Escala de Avalição da Fadiga (EAF); Técnica de dermatoglifia. As análises serão realizadas pelo Programa SPSS v. 25.0 e utilizado o teste de correlação de Spearman (p ≤0,05). Portanto, será possível a detecção precoce da possibilidade do desenvolvimento da síndrome de fragilidade e o estabelecimento de programas de intervenção física e psicológica.
  • Universidade Feevale - RS - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Geraldo Alves Damasceno Junior

Ciências Biológicas

Ecologia
  • estudo de longa duração dos efeitos do fogo ao longo do gradiente de inundação no pantanal
  • O fogo em áreas inundáveis coloca dois fenômenos opostos trabalhando de maneira alternada proporcionando para a biota condições extremas ao longo de um ciclo sazonal. O Pantanal é uma das maiores áreas úmidas tropicais contínuas do mundo, sujeita a eventos sazonais de cheia e seca e plurianuais de fogo. No que tange ao fogo, o Pantanal tem passado por um grande ciclo de seca com grandes incêndios florestais como nos anos de 2019 e 2020. A dinâmica dessa interação do fogo com a inundação sazonal e as suas consequências na biota, na paisagem e como isso pode ser utilizado no manejo sustentável dos seus recursos naturais ainda são pouco compreendidos pela ciência. O presente projeto tem como objetivo avaliar o efeito do fogo recorrente e da inundação na dinâmica da biota, da paisagem e dos serviços ecossistêmicos para subsidiar o manejo sustentável no Pantanal associado à cultura local. O projeto será executado numa área que abrange os Pantanais do Miranda-Abobral, Nabileque, Paraguai e Nhecolândia, onde (com exceção da Nhecolândia) estão concentradas as maiores incidências de focos de calor nos últimos 20 anos, segundo dados obtidos junto ao site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. É nessa área que a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (proponente) tem maior disponibilidade de infra estrutura com uma base de pesquisas e um Campus universitário (Corumbá), onde está localizada uma Área de Proteção Ambiental (APA da Baía Negra), a reserva indígena Kadiwéu e a fazenda Nhumirim da Embrapa. O estudo será realizado com desenho adaptativo. Serão mapeadas as áreas queimadas por ano, com auxílio de imagens de satélite, dos últimos 20 anos para se estabelecer o histórico de fogo da região. O mapeamento terá resolução de 30 m. A partir desse mapeamento serão selecionadas áreas com histórico de fogo diferentes para realização de estudos experimentais e observacionais. Serão selecionadas para os estudos áreas com diferentes históricos de fogo. Serão realizados experimentos de queima controlada para avaliar o efeito do fogo ao longo do gradiente de inundação na dinâmica de áreas de campo utilizadas como pasto nativo para o gado, de campos de arroz nativo, que é colhido por membros de comunidades ribeirinhas para melhoria de renda, de espécies arbóreas e liquens. Serão também avaliadas as variações nos solos com fogo e com a inundação e seus possíveis efeitos na dinâmica da vegetação. Além disso serão avaliadas ao longo dos anos a capacidade de rebrota das espécies, seus sistemas subterrâneos, banco de sementes e de plântulas além da dinâmica de variação das estratégias de dispersão ao longo do gradiente de inundação com históricos de fogo diferentes. Serão selecionadas 10 espécies vegetais dentre as mais abundantes nas diferentes fisionomias para estudo da variação ao longo do tempo dos compostos secundários em relação ao gradiente de inundação e com fogo. Serão também avaliados os efeitos do fogo na dinâmica da ictiofauna, do zooplancton, dos anuros, da fauna de grandes mamíferos e das redes de interação de polinizadores e plantas. O projeto pretende ainda avaliar o conhecimento tradicional das populações ribeirinhas, fazendeiros e indígenas em relação ao manejo do fogo e suas consequências nas áreas inundáveis. Verificar ainda qual a percepção da população em relação a doenças que podem estar associadas a ocorrência das queimadas e dos incêndios florestais e quais as plantas medicinais utilizadas para resolver esses problemas. A dinâmica da variação do carbono nos solos será também avaliada ao longo do gradiente de inundação com diferentes históricos de fogo. Em nível de paisagem serão estudadas também as características das paisagens com maior histórico de fogo recorrente. As áreas queimadas nos grandes incêndios florestais de 2019 e 2020 também poderão ser aproveitadas no desenho.
  • Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - MS - Brasil
  • 03/12/2020-31/12/2024
Foto de perfil

Geraldo Andrade Carvalho

Ciências Agrárias

Agronomia
  • nanoformulações de inseticidas botânicos contra percevejos e lagartas: eficiência, seletividade e modo de ação
  • O uso intensivo de inseticidas sintéticos na agricultura tem causado seleção de populações de pragas resistentes, eliminação de organismos não-alvo e contaminação ambiental. Diante disso, o governo brasileiro lançou em 2020 o Programa Nacional de Bioinsumos (PNB) objetivando aproveitar o potencial da biodiversidade e ampliar a oferta de matéria-prima para produção agrícola sustentável. Considerando que o Brasil apresenta mais de 40 milhões de ha de soja e milho e que essas culturas sofrem com o intenso ataque de pragas, tais como, lagartas e percevejos, é comum o uso de inseticidas sintéticos, exigindo constantemente novos princípios ativos para seu controle. Nesse contexto, torna-se evidente a necessidade de novos produtos desenvolvidos com base sustentáveis. Essa proposta tem como objetivo desenvolver nanoformulações baseadas em inseticidas botânicos para o manejo de lagartas do complexo Spodoptera e de percevejos, e que sejam seletivos a organismos não-alvo. É sabido que entre os principais entraves para a comercialização de inseticidas botânicos estão a baixa estabilidade durante o armazenamento e transporte; baixo período residual; necessidade de grande quantidade de ingrediente ativo, além do escasso conhecimento sobre seu modo de ação. Para contornar esses problemas, o desenvolvimento de inseticidas botânicos em misturas e nanoformulações (tecnologia que aumenta até 30% a eficiência do ativo) vem se mostrando promissor. Portanto, nesse projeto a hipótese a ser investigada é que inseticidas botânicos, em misturas e nanoformulados, são mais tóxicos para as pragas; exigem menor quantidade de ingrediente ativo; são mais persistentes e estáveis; e são compatíveis com organismos não-alvo, quando comparados em sua forma convencional. Para isso, as nanoformulações serão testadas quanto à sua toxicidade para insetos pragas e a segurança para organismos não-alvo. As bases fisiológicas e moleculares do mecanismo de ação desses compostos também serão investigadas.
  • Universidade Federal de Lavras - MG - Brasil
  • 08/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Geraldo Tadeu dos Santos

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • estratégias de alimentação para vacas leiteiras com alimentos alternativos e uso de antioxidantes naturais
  • Com aumento da demanda por alimentos (ALI) e elevação dos custos é urgente o uso de alternativas na nutrição animal. ALI de boa composição nutricional promovem saúde aos animais, contribuem para pecuária mais lucrativa e sustentável e resultam em produtos de qualidade (Qlde) aos humanos. A silagem da parte aérea da rama de mandioca (SPARM) pode ser uma alternativa para os ruminantes (RU), uma vez que, esta possui boa qualidade nutricional, é rica em tanino e substitui a silagem de milho. Assim como a SPARM, a Acácia negra (Acacia mearnsii) (AN) é fonte de taninos e pode ser uma opção, como aditivo, na alimentação de RU, na modulação da degradação da proteína e redução da emissão de metano. Entretanto, diferente da cultura do milho, não se sabe qual a melhor variedade de mandioca para ser ensilada, momento da colheita, o quanto a SPARM poderia substituir a silagem de milho e qual seu efeito sobre os parâmetros metabólicos, produtivos e de qualidade do leite (QLeite). Da mesma forma, não se tem definido níveis de uso do tanino da AN e seus efeitos sobre esses mesmos parâmetros. Dado a qualidade da composição química da SPARM ela pode atender as exigências de vacas lactantes de média produção. Assim, nossa hipótese é que há uma variedade mais indicada para ensilagem, assim como uma melhor idade para o corte. Os taninos provenientes dessas duas fontes são eficazes em reduzir a produção de metano, melhorar o desempenho animal e a QLeite. Para isso, serão conduzidos experimentos in vitro, in situ e in vivo, onde serão avaliadas a Qlde nutricional, fermentativa e microbiológica da SPARM, além da metabolômica não direcionada da SPARM, a idade ideal do corte da parte aérea, e quais os efeitos dos taninos presentes na silagem e na AN sobre a população microbiana ruminal e de proteases endógenas em células somáticas do leite e análise qualitativa da expressão de genes envolvidos no metabolismo, antioxidantes na glândula mamária.
  • Universidade Estadual de Maringá - PR - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Geraldo Wellington Rocha Fernandes

Ciências Humanas

Educação
  • a promoção da alfabetização científica e tecnológica em comunidades e escolas de educação básica no alto jequitinhonha (mg) a partir das metodologias e abordaegens diferenciadas em ensino de ciências
  • Este projeto é proposto por dois Grupos de Pesquisa (GP) em “Ensino de Ciências” da UFVJM: o Grupo de Pesquisa em Abordagens e Metodologias de Ensino de Ciências - GPAMEC e o Grupo de Estudos em Teoria Ator-Rede e Educação – GETARE. Este projeto tem como objetivos: 1) Compreender como as ações e propostas do GPAMEC e GETARE podem contribuir para a Alfabetização Científica e Tecnológica de crianças, jovens e professores de Ciências da Natureza da educação básica, nas escolas e comunidades do Alto Jequitinhonha em Minas Gerais; e 2) Analisar como as crianças, jovens e professores compreendem essas ações e propostas. Fazem parte deste projeto os seguintes contextos: 1) Municípios do Alto Jequitinhonha: 17 municípios; 2) Escolas participantes: serão selecionadas, a partir do menor Ideb, uma a duas escolas por município; 3) Professores de Ciências de algumas escolas do Alto Jequitinhonha; 4) Estudantes da educação básica: cujos professores de Ciências estiverem participando do projeto; 5) Professores da UFVJM: vinculados aos dois GP; 6) Estudantes de graduação: participantes dos GP; e 7) Estudantes de pós-graduação: pós-graduandos do PPGECMaT que poderão desenvolver e aplicar os seus produtos nas escolas participantes. As ações consistirão em duas fases: 1) ações de formação continuada com os professores de Ciências da Natureza, em forma de Seminários/Oficinas, baseadas nos princípios teóricos das Metodologias e Abordagens Diferenciadas em Ensino de Ciências (MADECs), que serão desenvolvidos pelos dois GP; e 2) ações com os estudantes nas aulas de Ciências, das escolas participantes, baseadas nas MADECs. Os sujeitos participantes da pesquisa serão professores de Ciências e alunos das escolas parceiras, do Alto Jequitinhonha. Os dados, de natureza qualitativa, serão provenientes de: a) Videogravação; b) Textos e Narrativas; etc. e que serão analisados pela Análise Textual Discursiva (ATD) e pelos marcos teóricos-conceituais de cada GP.
  • Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - Campus JK - MG - Brasil
  • 07/04/2022-30/04/2025
Foto de perfil

Geraldo Wilson Afonso Fernandes

Ciências Biológicas

Ecologia
  • mudanças globais em montanhas tropicais
  • As mudanças provocadas pelo aquecimento global são rápidas em comparação com tempo demandado para a evolução e colonização das espécies - de milhares de anos. Muitos estudos já revelam o deslocamento de espécies de plantas e animais para regiões mais altas, conforme aumenta a temperatura do globo. As espécies raras e adaptadas ao frio são as mais ameaçadas de risco de extinção por não terem mais para onde se mover. Nas montanhas estão ocorrendo os primeiros colapsos da biodiversidade do planeta, e essas mudanças provocarão a extinção de uma parcela expressiva da riqueza de vida na Terra. Nossas modelagens sobre espécies de pássaros e anfíbios indicam a mesma tendência, infelizmente e clamam por medidas urgentes e políticas públicas sólidas e duradouras. Aliado às mudanças globais, o campo rupestre no Espinhaço apresenta outro enorme desafio, o de sobreviver face à velocidade das incessantes pressões causadas pelo uso irracional do seu patrimônio natural e ignorância da população em entender que o “tip point” ou colapso permanente pode estar se aproximando rapidamente. No sítio de Pesquisas de Longa Duração na Serra do Cipó (Sítio 17), estamos progredindo rapidamente e fortemente na geração e fornecimento de informações precisas das variações do clima e de respostas da biodiversidade e serviços ecossistêmicos em função das mudanças climáticas e de uso do solo. Uma análise crítica das três fases iniciais do PELD CRSC evidencia um enorme e sólido sucesso que nos permite pleitear a renovação para esta nova etapa. A seleção dos sítios para a instalação das estações de monitoramento climático foi discutida com detalhes, pois precisava-se de locais seguros e logística para o trabalho e manutenção. Uma vez instaladas, iniciamos prontamente as coletas para determinação dos padrões de elevação e climáticos, além dos mecanismos que determinam a biodiversidade nas montanhas do Espinhaço. Há fortes indícios de tendência a um forte aumento na temperatura e diminuição da precipitação na região, o que pode ocasionar um profundo impacto na vida de mais de 50 milhões de brasileiros. Os dados anteriores mostraram que a região de estudo é detentora da maior diversidade mundial de fungos micorrízicos arbusculares, de grande importância em segurança alimentar, biodiversidade e funcionamento de ecossistemas. Também registramos uma altíssima diversidade de insetos como formigas (290 espécies), incluindo seis novas espécies para a ciência. O mesmo padrão foi observado para borboletas (2 espécies novas) e muitas outras espécies novas tem sido descobertas. Ampliamos o conhecimento do funcionamento do ecossistema extremo do campo rupestre, sobre as estratégias de sintonia entre solo-clima-vegetação-fauna-microrganismos. Geramos modelos de distribuição de várias espécies e interações em função destas adaptações. Estes resultados inéditos têm propiciado traduzir este conhecimento para a sociedade e auxiliar no desenvolvimento de políticas públicas para a conservação desta região. Os resultados do sitio CRSC têm sido publicados nos melhores periódicos nacionais e internacionais e rapidamente traduzidos para a sociedade, conforme lista de publicações oferecidas no projeto. O projeto tem também servido para o treinamento de um grande número de estudantes e na publicação de livros nacionais e internacionais. Nesta etapa, iremos i) dar continuidade ao monitoramento climático, ampliando-o e modernizando-o de forma que os mesmos possam ser utilizados pela sociedade científica e tomadores de decisão; ii) iniciar os primeiros estudos do clima passado do Espinhaço tendo como foco a região dos campos rupestres e conectar tais achados a vegetação atual e futura; iii) iniciar estudos de um dos processos mais importantes na montagem e dinâmica ecossistêmica, o da decomposição; iv) dar prosseguimento no entendimento das variações da flora e fauna, em especial aquelas espécies que respondem aos distúrbios antrópicos, tais como o fogo – representadas pelo banco de sementes de espécies regenerantes e de consumidores primários); v) entender como as variações climáticas podem alterar a distribuição de espécies da flora e da fauna ao longo do ambiente montanhoso, além de possíveis mudanças na fenologia vegetal e em interações como a polinização; vi) entender como que algumas espécies podem influenciar a montagem e dinâmicas dos ecossistemas. Além disso, estamos propondo novos projetos tendo em vista a rápida dinâmica com que as mudanças no uso do solo tem afetado nos padrões de distribuição da biodiversidade e funcionamento do campo rupestre. Assim, iremos também vi) buscar consolidar o conhecimento sobre as espécies invasoras nos ecossistemas montanhosos; vii) ampliar o conhecimento dos táxons indicadores das mudanças climáticas, construindo um sólido banco de dados empíricos, viii) dar continuidade ao monitoramento daqueles grupos de invertebrados indicadores da qualidade da água frente aos distúrbios climáticos e antrópicos ao longo do gradiente altitudinal; ix) aprofundar o conhecimento sobre as meta-comunidades de invertebrados, incluindo aqueles indicadores de mudanças globais nas ilhas de floresta atlântica nos cumes do Espinhaço com vistas a inserir as dinâmicas nestas florestas como sentinelas das mudanças globais em montanhas. Ao final desta nova fase, iremos sintetizar o conhecimento e desenvolver modelos em várias áreas, tais como aqueles envolvendo o banco de espécies regenerantes e de solo, além de modelos de distribuição de espécies endêmicas e invasoras, da distribuição e nicho de algumas espécies estruturantes e ameaçadas do campo rupestre. Este conhecimento é importante para entender o funcionamento dos frágeis ecossistemas de montanhas e dos impactos sobre sua alteração na gigantesca população que depende dos serviços ambientais fornecidos pelas montanhas do Espinhaço. Novamente, a geração de conhecimento sólido sobre estas montanhas e seus campos rupestres tem sido possível apenas graças a estudos a longo prazo.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 15/12/2020-31/12/2024
Foto de perfil

Gerardo Magela Vieira Júnior

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • contribuição genética, química e farmacológica à anurofauna e flora dos biomas cerrado e caatinga do estado do piauí
  • A crescente ação humana aliada a fatores ambientais vem colaborando com a destruição e/ou extinção de espécies que habitam os mais variados biomas ao redor do mundo. O estado do Piauí, possui dois importantes biomas do Brasil, o Cerrado (segundo maior bioma brasileiro) e a Caatinga (bioma endêmico), ambos passam por um processo de desertificação no estado, extinguindo consigo espécies da flora e fauna ainda pouco estudadas do ponto de vista genético, químico e farmacológico. As espécies da fauna e flora carregam consigo biomoléculas com alto potencial farmacológico, sendo que a diversidade de metabólicos encontrados em espécies vegetais e animais pode ser reflexo da variabilidade genética. A análise da variação genética e química detectada pode corroborar informações importantes para o monitoramento das espécies, na identificação e preservação de genótipos ainda pouco estudados e endêmicos, a fim de se explorar racionalmente o potencial da biodiversidade brasileira. Em virtude do exposto, a presente proposta tem como objetivo estudar a variabilidade genética e química de espécies de plantas e anfíbios dos biomas cerrado e caatinga do estado do Piauí, concomitante à busca de substâncias com potencial farmacológico frente às atividades cardiovascular, antioxidante, cicatrizante, citotóxica, antimalárica e anti-inflamatória. Para atingir os objetivos, a equipe de pesquisa, apesar de emergente, conta com pesquisadores com experiência em química de produtos naturais, estudos de variabilidade genética, realização de atividades farmacológicas e identificação de espécies, e que já possuem pesquisas em andamento com diversas espécies vegetais e de anfíbios dos biomas citados, além de parcerias com outros grupos de pesquisas para realização de atividades biológicas em modelos in vivo e in vitro. A equipe também dispõe de laboratórios com infraestrutura para realização da pesquisa proposta e a sua execução contribuirá para a formação de recursos humanos qualificados.
  • Universidade Federal do Piauí - PI - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Gercina Ângela de Lima

Ciências Sociais Aplicadas

Ciência da Informação
  • centro de pesquisas em representação do conhecimento e recuperação da informação (ceprecri)
  • Projeto para criação de um Centro de Pesquisas em Representação do Conhecimento e Recuperação da Informação (CEPRECRI) para pesquisa e ensino no âmbito da Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais, envolve o curso de Biblioteconomia e o Programa de Pós-graduação, o Departamento de Computação e Sistemas, da UFOP, e Departamento de Engenharias de Telecomunicações e Mecatrônica, da UFSJ. Tem por objetivo criar um ambiente de pesquisa, ensino e aprendizagem que permita desenvolver reflexões teóricas para a aplicação de práticas inovadoras nas atividades acadêmicas de ensino-aprendizagem e de pesquisa, para a formação dos alunos do curso de biblioteconomia e de pós-graduação. Essas práticas englobam os campos técnicos, tecnológicos e humanísticos inerentes à profissão, que serão alcançados com a realização de experiências, estudos e projetos nas seguintes áreas: Fundamentos em Biblioteconomia e Ciência da Informação; Organização e tratamento da Informação; Recursos e Serviços de informação; Gestão da Informação; Tecnologias da Informação. A criação do CEPRECRI se justifica por: (a) ser uma iniciativa de pesquisadores da área com objetivo comum de estudar temáticas nucleares do tratamento da informação; (b) projetar um ambiente de aprendizado formado por uma estrutura física organizada que funcionará como um espaço de práticas e pesquisas, onde será possível, a partir de estudos teóricos, a realização de experimentos. Espera-se que esse ambiente auxilie os docentes e discentes a ampliar seu olhar crítico-reflexivo em relação à situação ideal (visão da teoria) e a situação material (visão da prática real).
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Gerd Bruno da Rocha

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • q-babel: química quântica e computacional, bioinformática e biotecnologia interdisciplinares em saúde, agronegócio e energia: novos inibidores para a ricina e novas beta-glicosidases para o bioetanol.
  • O Brasil tem na biotecnologia um amplo potencial para alavancar sua competitividade, devido à sua enorme biodiversidade. Este potencial encontra particular nicho no setor produtivo brasileiro do agronegócio e da indústria de biocombustíveis. Estas áreas se sobrepõem na produção do óleo da mamona para biodiesel e fins industriais, bem como na produção do bioetanol a partir de bagaço lignocelulósico (etanol de segunda geração ou 2G). Contudo, ambos os setores apresentam entraves para seu crescimento desimpedido em viabilidade econômica e sustentabilidade. O agronegócio da mamona tem na ricina, uma enzima do pericarpo interno da semente e com toxicidade 10 vezes maior que a do veneno de cascavel, um forte atenuante, dados os riscos de acidentes e seu potencial no bioterrorismo. Já as enzimas que controlam o passo limitante na fase de sacarificação para o etanol 2G, as beta-Glicosidases, tendem a serem fortemente inibidas pelos monossacarídeos produzidos (inibindo assim, todo o processo) e desnaturadas pelas condições extremas necessárias nos biorreatores. Assim, a busca racional por novas moléculas e métodos que possam inibir ou de alguma forma desativar a toxicidade da ricina, bem como da engenharia das -glicosidases de forma a otimizá-las para a produção de etanol 2G, se tornam metas de imediato impacto para a biotecnologia e setor produtivo brasileiros. Esta proposta, reúne uma rede de especialistas computacionais e experimentais que já vêm trabalhando em sinergia nesses dois tópicos há mais de 7 anos, a rede BaBEL (http://babel.dcc.ufmg.br/). Pretende-se o uso sinérgico de química teórica, bioinformática e métodos experimentais in vitro e in situ na predição, prospecção e validação de novos inibidores da ricina e de novos mutantes de -Glicosidases que permitam a melhor sanação nos entraves técnicos do agronegócio da mamona e da produção de etanol 2G. Estas metas têm impacto iminente para a química/bioquímica teórica aplicada e para o setor produtivo brasileiro.
  • Universidade Federal da Paraíba - PB - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025