Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Adelino Vieira de Godoy Netto

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • compostos organometálicos de paládio(ii) contendo oximas: síntese, citotoxicidade e interação com o biomoléculas
  • Essa proposta tem como objetivo a síntese, caracterização e avaliação da atividade citotóxica contra células tumorais de novos ciclometalados de fórmula geral [Pd(C2,N-oximas)(Cl)(PR3)] {PR3 = fosfinas terciárias monodentadas). A caracterização dos complexos será realizada com base nos resultados obtidos pelas técnicas de análise elementar, espectroscopia no IV e de RMN, espectrometria de massas ESI/MS, termogravimetria (TG) e difração de raios X de monocristal. A estabilidade dos complexos em meio fisiológico será analisada por espectroscopia no UV-Vis. O ensaio do M.T.T. será utilizado para determinar a citotoxicidade dos complexos frente à células normais e linhagens de tumores sensíveis e resistentes à cisplatina. Os complexos com Fator de Resistência (FR) e Índice Terapêutico (IT) promissores com relação à cisplatina serão submetidos aos ensaios de interação com a catepsina B e CT-DNA. O potencial de indução de apoptose e a ação dos ciclopaladados sobre o crescimento celular serão avaliados por citometria de fluxo.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020
Foto de perfil

Ademar Arthur Chioro dos Reis

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • rede de atenção às urgências e a produção viva de mapas de cuidados
  • O SUS é definido como uma rede regionalizada e hierarquizada de ações e serviços de saúde, cuja materialização nas últimas décadas propicou avanços e desafios na estruturação do sistema (Chioro dos Reis et al, 2017). A implantação das Redes de Atenção à Saúde (RAS) a partir de 2010 representou uma nova etapa de organização do sistema, com o objetivo de garantir a integralidade e mudar os modos de produzir cuidado. As redes temáticas priorizadas foram: Cegonha, Urgência e Emergência, Psicossocial, da Pessoa com Deficiência e Doenças Crônicas (Brasil, 2011, 2012, 2014). As RAS propõem um novo modelo de estruturação do sistema com o objetivo de se obter melhores resultados epidemiológicos e de integralidade (Brasil, 2010), já utilizado em diversos países onde predominam condições crônicas, como o Canadá e a Europa Ocidental (Mendes, 2010), como estratégia para garantia da integralidade, economia de escala e de escopo. A Rede de Atenção às Urgências (RUE) foi proposta com a finalidade de articular e integrar os equipamentos de saúde, ampliar e qualificar o acesso dos usuários às urgências/emergências, de forma ágil e oportuna, a partir de pontos de atenção: UBS, serviços de atenção pré-hospitalar, hospitais e atenção domiciliar (Brasil, 2011). Avanços têm sido alcançados, mas há dificuldades a serem superadas para se engendrar novos arranjos de gestão e governança e instituir uma nova cultura institucional na saúde (Jorge, 2014). Na experiência de implementação das Redes Temáticas podemos identificar dois grandes campos conceituais que se interconectam: as Redes de Atenção à Saúde (Mendes, 2010) e as Redes Vivas de Saúde (Merhy et al, 2014), cujas relações não são determinísticas ou dicotômicas, mas imanentes e complementares. A definição das RAS como redes constituídas por diversos pontos de atenção à saúde, com centralidade da atenção básica, sistemas logísticos e de apoio (Mendes, 2010), contem elementos estrutural-funcionalistas e traz um novo modelo de financiamento (incentivos e/ou orçamentação global atrelados à metas) que busca superar a lógica de remuneração por procedimentos (Moreira et al, 2017). A proposta de implementação das RAS aposta no fortalecimento da da governança regional, mas as 438 regiões de saúde instituídas no país e os espaços regionais de gestão não garantem um processo vivo e potente de regionalização (Chioro dos Reis et al, 2017). A regionalização, mais do que um processo de organização das ações e dos serviços, é uma construção política que deve favorecer o diálogo entre os atores locais e os gestores para o reconhecimento e enfrentamento das necessidades de saúde dos territórios específicos (Mendes et al, 2015). A RUE, conduzida com forte indução financeira, baseada no planejamento regional e em instrumentos legais-normativos extensos aplicados em diferentes realidades, pode ter desencadeado processos meramente burocratizados, mas sem necessariamente obter os resultados propostos (Tofani, 2016). Já o conceito de Redes Vivas de Saúde é fundamentado no processo micropolítico de gestão e do trabalho em saúde. Chioro dos Reis et al (2017) propõem a Regionalização Viva como potencializador da gestão e governança regional sob a perspectiva micropolítica. Cecílo (2007) já alertava que não há arranjo institucional que consiga capturar ou circunscrever a complexidade das relações institucionais. Também o protagonismo dos usuários, ao construírem seus próprios itinerários terapêuticos, através do regime de “regulação leiga”, transcende as estruturas e processos rígidos (Cecílio, 2014). O estranhamento e a externalidade dos gestores com o espaço micropolítico traduz-se em práticas e modelos de implementação de políticas públicas que buscam normalizar e controlar este território (Cecílio, 2012). Ou seja, as políticas oficiais são reprocessadas e adquirem novos desenhos nem sempre “planejados” por seus formuladores (Chioro dos Reis, 2011). Questão central da pesquisa: quais mapas de cuidado tem sido produzidos a partir da implementação da RUE? Objetivo geral: analisar o processo de implementação e conformação dos modos de produção do cuidado da Rede de Atenção às Urgências (RUE) em duas regiões de saúde. Objetivos específicos: a) Identificar analisadores da produção micropolítica presentes no processo de pactuação e implementação da RUE; b) Analisar as diferentes produções no processo de gestão a partir de sua implementação nas regiões de saúde de Campinas (SP) e Passo Fundo (RS); c) Caracterizar as transformações ocorridas nos modos de produção do cuidado em saúde a partir da implementação da RUE nas regiões de saúde. Metodologia: A pesquisa terá caráter qualitativo, analítico, com abordagem micropolítica. Caracteriza-se como estudo de casos e fará uso do método biográfico. Fases da pesquisa: revisão bibliográfica e análise de documentos oficiais da formulação da RUE; coleta de depoimentos com informantes-chave identificados entre os gestores do SUS nas regiões de saúde; entrevistas com usuários-guia para a coleta de narrativas sobre o uso da rede; entrevistas em profundidade com gerentes de diferentes serviços que compõem a RUE. O material empírico será analisado por planos de visibilidade mediante as categorias identificadas, tendo como referência a “Abordagem do Ciclo de Políticas Públicas”, desenvolvido por Ball. Resultados esperados: O principal resultado é o aprofundamento de formulações teórico-conceituais em relação aos processos de formulação e implementação de políticas de saúde, contribuindo para o alargamento do pensamento teórico sobre as dinâmicas organizacionais e a superação de modelos teóricos demasiados simplificados e funcionalizantes, com baixa capacidade para compreender e intervir em complexas dinâmicas organizacionais. Produtos esperados: 2 mestrados acadêmicos e 1 doutorado; 1 livro; 3 artigos; 6 trabalhos em congressos; relatório técnico para compartilhamento com gestores do SUS.
  • Universidade Federal de São Paulo - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2022
Foto de perfil

Ademar Avelar de Almeida Júnior

Ciências da Saúde

Educação Física
  • efeito agudo de uma sessão de exercícios com pesos associado à suplementação de glutamina sobre as funções cognitivas, cardiovasculares e metabólicas de mulheres com hiv/ aids, tratadas com a terapia antiretroviral altamente ativa
  • O objetivo do presente estudo será avaliar o efeito de uma sessão de exercícios com pesos, associada à suplementação de glutamina sobre as funções cognitivas, parâmetros cardiovasculares e metabólicos de pessoas vivendo com HIV/AIDS. A amostra será composta por mulheres com HIV/AIDS, que fazem uso da Terapia Antiretroviral Altamente Ativa. As participantes serão randomizadas em um procedimento duplo-cego para receberem durante sete dias a suplementação de Glutamina Dipeptídeo (GLD) e/ ou Placebo (PLA). Ao término deste primeiro período, as participantes realizarão uma sessão de exercícios com pesos com avaliações cognitivas, cardiovasculares, bioquímicas e metabólicas realizadas antes (pré) e após a sessão de exercícios. Em seguida as participantes repousarão durante sete dias para que os estoques iniciais possam retornar aos níveis basais (washout). Na sequência, ocorrerá um cruzamento dos grupos, de modo que, quem recebeu a GLD na primeira semana passará a suplementar por sete dias com PLA (maltodextrina) e vice-versa. A função cognitiva será avaliada antes e imediatamente após a sessão de exercício, mediante a aplicação do teste de Stroop e o teste de N-Back. Os parâmetros cardiovasculares serão avaliados a partir da medida da pressão arterial (PA) e da variabilidade da frequência cardíaca (VFC). A PA será avaliada uma única vez, 10 min antes da sessão de exercício e, após o protocolo de exercício, será monitorada a cada 20 min, durante duas horas. Para tanto será utilizado um equipamento da marca Omron HEM-7200. A VFC será monitorada antes, durante e após (120 min) a sessão de exercícios, utilizando um equipamento da marca Polar V800. O sangue arterial, para dosagens dos marcadores inflamatórios e de estresse oxidativo, será coletado em três momentos, sendo: imediatamente antes, uma hora após e duas horas após o protocolo de exercício com pesos. A sessão de exercícios será constituída de sete exercícios com pesos envolvendo diferentes grupamentos musculares, com três séries de 8-12 repetições, a uma intensidade auto-selecionada (5-7 da escala de OMINI-RES), com intervalo de 90 segundos entre as séries e 120 segundos entre os exercícios. Para análise estatística utilizaremos a análise de variância de dois fatores para medidas repetidas, tendo o grupo (GLD e PLA) e o tempo (pré e pós-sessão). O nível de significância adotado será de P <0,05. Espera-se que o exercício com pesos ocasione respostas em dois sentidos, particularmente por ser avaliado de forma aguda. Se por um lado é possível que exista um impacto positivo nas variáveis cardiovasculares e cognitivas, por outro pode ocorrer aumento de processo inflamatório e de estresse oxidativo. Nesse sentido, espera-se que o aumento dos estoques corporais de glutamina, via suplementação exógena, possa propiciar um ambiente favorável para a manutenção da capacidade de defesa do sistema imunológico e, consequentemente, atenuar as respostas inflamatórias e o estresse oxidativo provocados pelo exercício agudo.
  • Universidade Estadual de Maringá - PR - Brasil
  • 01/06/2017-31/05/2020