Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Joana Maria Pedro

Ciências Humanas

História
  • mandonas: memórias, políticas e feminismos no cone sul (1980-2020)
  • A História das Mulheres é recente, data da segunda metade do século XX. Embora seja um sucesso editorial na disciplina História, é rara a presença de mulheres protagonistas. Mulheres que assumem liderança, são costumeiramente chamadas de Mandonas. Este termo pretende desqualificá-las, questionando a sua feminilidade. Quem são estas mulheres que chamamos de Mandonas? São lideranças? A pesquisa pretende narrar a trajetória de mulheres que se tornaram lideranças em diferentes campos no Cone Sul (Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai): na política, na religião, na educação, na arte, nos movimentos sociais, nas universidades, no campo (no sertão) e nas cidades, na arte, no feminismo e no anti-feminismo. Perceber sua atuação nas eleições, nas igrejas, nos diversos tipos de feminismos e de anti-feminismos, nas redes sociais e no ensino de História. Acompanhá-las nos espaços considerados de direita, de centro e de esquerda. Construir verbetes com seus nomes, divulgar suas trajetórias, trazer novas personagens para a História e, também, novas fontes para a História das Mulheres, através da implementação do acervo do LEGH – Laboratório de Estudos de Gênero e História da UFSC. As fontes serão buscadas na internet, em bibliotecas, livrarias de livros antigos e usados, acervos e arquivos públicos e privados; além da realização e transcrição de entrevistas utilizando a metodologia da história oral. Memórias, políticas e feminismos são categorias centrais deste projeto, desdobrando-se nas seguintes categorias de análise: mulheres, interseccionalidades, religiosidades, artivismos, anti-feminismos, movimento de mulheres, emoções e netnografias.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Joana Peixoto

Ciências Humanas

Educação
  • apropriação e objetivação de tecnologias no trabalho e na formação docente
  • A inserção de tecnologias no campo educacional apresenta uma crescente relevância na contemporaneidade, tanto a nível de senso comum como no discurso acadêmico, em suas diversas possibilidades e finalidades para todos os níveis de ensino. O discurso hegemônico sobre tal inserção indica como possíveis resultados a melhoria na qualidade dos processos de ensino e aprendizagem, redução de custos, maior motivação dos sujeitos envolvidos e promoção da inclusão digital. No entanto, para compreender a essência das relações entre tecnologias e educação é preciso investigar as questões de ordem pedagógica e didática que constituem o trabalho docente. Para isso, o presente projeto dá continuidade a duas pesquisas concluídas que abordaram a tecnologia na mediação da formação docente e do trabalho pedagógico, nas quais identificamos: lacunas na avaliação de políticas públicas educacionais para o uso de tecnologias, ausência do olhar do professor sobre a sua formação e desdobramentos desta no seu trabalho. A questão que norteia o presente projeto é o processo de apropriação de tecnologias em sua dimensão epistemológica e sua objetivação no trabalho e na formação docente. O objetivo deste projeto é explicar, a partir de um projeto formativo docente, a dinâmica entre apropriação e objetivação de tecnologias no trabalho docente. A metodologia da pesquisa consiste em três etapas principais com professores da educação básica pública do município de Goiânia, quais são: entrevista, um projeto formativo, a ser desenvolvido em um curso, e re-entrevista. O projeto formativo será voltado para temática das tecnologias em sua dimensão epistemológica, com atividades teórico-práticas coletivas. O processo de entrevista e re-entrevista, a ser aprimorado a partir do já realizado em pesquisa anterior, nos permitirá apreender os elementos da racionalidade docente que se objetivam em seu trabalho. Os resultados desta pesquisa serão materializados em dois produtos: vídeo documental e e-book.
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás - GO - Brasil
  • 11/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Joandes Henrique Fonteque

Ciências Agrárias

Medicina Veterinária
  • fatores de risco, soroprevalência, genotipagem e associação do locus bola-drb3 com a resistência ao vírus da leucose enzoótica em bovinos leiteiros.
  • A Leucose Enzoótica Bovina (LEB) é responsável por inúmeras perdas econômicas. O vírus causador desta enfermidade leva à queda na produção leiteira, perda de peso, morte de animais e restrições à comercialização dos bovinos. A enfermidade é causada pelo Vírus da Leucose Bovina (VLB), um retrovírus com genoma composto por uma dupla fita de RNA e durante sua replicação realiza transcrição reversa integrando-se ao genoma do hospedeiro, principalmente dos linfócitos B e T dos bovinos, que são hospedeiros naturais. Em SC, foi pesquisada a prevalência, obtendo-se uma soroprevalência de 42% no rebanho leiteiro geral. A obtenção de novos dados é importante para que sejam avaliados os fatores de risco, que determinam prevalências diferentes de acordo com o manejo. A LEB não tem tratamento, assim, o conhecimento sobre da resistência dos animais ao vírus é importante para a seleção em programas de melhoramento genético. Sob este enfoque, o locus BoLA DRB3 precisa ser investigado, pois acredita-se que a resistência apresentada por alguns bovinos ao VLB está relacionada às características do BoLA (Bovine Leukocites Antigens). O objetivo deste estudo é determinar a prevalência e os genótipos do VLB em rebanhos leiteiros de SC, bem como conhecer os alelos do gene BoLA-DRB3 presentes nesta população, além de determinar os fatores de risco para a enfermidade. Conforme já realizado em outros estudos no mundo, sabe-se que bovinos leiteiros tem alta prevalência de leucose em função do manejo intensivo, no entanto, sabe-se também que alguns animais podem não contrair a infecção, e nestes casos, os alelos do gene BoLA-DRB3 devem ser investigados de modo a verificar uma possível associação com a resistência à enfermidade. Para tal, as técnicas de sorologia (ELISA) e biologia molecular (PCR e sequenciamento) serão utilizadas para a obtenção dos dados após a colheita das amostras de sangue. Um questionário epidemiológico será aplicado para a determinação dos fatores de risco.
  • Universidade do Estado de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

João Alcione Sganderla Figueiredo

Outra

Ciências Ambientais
  • formação de recursos humanos em nível de doutorado e consolidação das redes de pesquisa em temas estratégicos
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Feevale - RS - Brasil
  • 08/01/2020-08/01/2025
Foto de perfil

João Alencar Pamphile

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • otimização, padronização e reuso do nanobiocompósito af-fe3o4, obtido da interação de aspergillus flavus endofítico e nanopartículas magnéticas (fe3o4), para remoção de contaminantes de águas
  • Grandes quantidades de corantes sintéticos azo são descarregadas em cursos de água, impactando os ecossistemas e os seres humanos. As metodologias convencionais para tratamento de águas não são completamente eficientes na remoção desta classe de corantes. Com isso, outros métodos têm se destacado, como a biorremediação utilizando micro-organismos como agentes de biodegradação ou biotransformação de compostos presentes no resíduo tóxico em formas inócuas que não ofereçam riscos de impacto ambiental. Recentemente, o Laboratório de Biotecnologia Microbiana da Universidade Estadual de Maringá (LBIOMIC/UEM) realizou o depósito do pedido de patente intitulado “Processo de obtenção de nanobiocompósito de Aspergillus flavus endofítico e nanopartículas magnéticas (Fe3O4) com potencial de biorremediação de corante e sua reutilização” (Processo INPI nº: BR 10 2020 014930-0), junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). Com isso, o grupo LBIOMIC/UEM vem se destacando na pesquisa de aplicação biotecnológica de nanobiocompósitos na biorremediação de águas contaminadas com rejeitos tóxicos. Assim, este projeto visa complementar o referido pedido de patente depositado, com a ampliação do uso do nanobiocompósito obtido (NBC Af-Fe3O4), com a otimização e padronização da obtenção e utilização da sua biomassa, bem como a realização de experimentos para verificação da reutilização máxima (número de ciclos de reutilização), estudos de cinética da reação e de remoção de poluentes (corantes e outros compostos) do meio aquoso (estudos químicos).
  • Universidade Estadual de Maringá - PR - Brasil
  • 21/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

João Alexandre Ribeiro Gonçalves Barbosa

Ciências Biológicas

Biofísica
  • estudos estruturais e funcionais das esterol c24-metiltransferases dos fungos patogênicos humanos candida auris e aspergillus fumigatus visando o desenvolvimento de potenciais fármacos antifúngicos
  • Infecções fúngicas invasivas são a maior causa de mortalidade entre os pacientes imunodeprimidos, sendo principalmente causadas pelos gêneros Candida e Aspergillus. Destacam-se as espécies Candida auris com altas taxas de mortalidade chegando a 72% e Aspergillus fumigatus com taxas entre 60% e 90%. Existem apenas quatro classes principais de medicamentos antifúngicos disponíveis para tratar infecções fúngicas invasivas, os azóis, os polienos, as equinocandinas e as fluoropiridinas. O fato de os fungos serem eucarióticos, com estreita relação evolutiva com hospedeiros humanos dificulta a busca por alvos antifúngicos. O ergosterol é um lipídio essencial para a viabilidade fúngica pois é responsável pela fluidez e permeabilidade da membrana. Colesterol e ergosterol compartilham a mesma via metabólica até a etapa de síntese de zimosterol, a partir deste ponto se diferenciam e utilizam enzimas distintas. Atualmente, o principal alvo é a enzima lanosterol 14-α-demethylase, codificada pelo gene erg11 e inibida por azóis, que atua em etapa comum das vias do colesterol e ergosterol. Consequentemente, pacientes podem apresentar efeitos colaterais durante o tratamento com azóis, além da ineficiência no tratamento de C. auris e A. fumigatu devido à sua resistência a essa classe de compostos. O gene erg6, presente em fungos e ausente em humanos codifica a esterol C-24 metiltransferase (SMT) que atua adicionando um grupo metil ao C-24 do zimosterol convertendo-o a fecosterol, ou, alternativamente, ao lanosterol convertendo-o em eburicol. A ausência da SMT em humanos torna-a um excelente alvo terapêutico. Até o momento, nenhuma estrutura cristalográfica de SMT foi resolvida, dado crucial para o conhecimento detalhado das interações entre as proteínas e outras moléculas. Portanto, o objetivo deste projeto é fornecer informações estruturais e funcionais das SMTs de C. auris e de A. fumigatus para o desenvolvimento de fármacos potentes e seletivos.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

João Augusto Mattar Neto

Ciências Humanas

Educação
  • desenvolvimento de competências digitais em professores e estudantes da educação básica e superior
  • O desenvolvimento de competências digitais em educação já era uma preocupação antes da pandemia da covid-19, que deixou mais patente sua importância. As competências digitais envolvem conhecimentos, habilidades e atitudes relacionados à utilização de tecnologias digitais. Seu domínio é importante para o processo de ensino e aprendizagem. Assim, organizações educacionais enfrentam o desafio de incorporar o desenvolvimento dessas competências em seus planos de ensino. O problema a ser abordado nesta proposta é a complexidade da formação para o desenvolvimento de competências digitais. A questão específica a ser investigada é como desenvolver adequadamente competências digitais em professores e alunos. O projeto envolve inicialmente a avaliação do nível de competência digital de professores e alunos por meio da aplicação de instrumentos desenvolvidos e validados. Em seguida, prevê a elaboração, aplicação e avaliação de atividades visando o desenvolvimento de competências digitais em professores e estudantes. Por fim, serão realizados cursos de formação de professores para o desenvolvimento de competências digitais em alunos. A pesquisa é aplicada, explicativa, longitudinal e de campo, com uma abordagem de métodos mistos. A metodologia inclui surveys, intervenções com delineamento pré-experimental e estudos de caso. A coleta de dados ocorrerá por meio da aplicação de questionários e testes, complementada por entrevistas e observação. A análise dos dados quantitativos utilizará estatística descritiva e inferencial, e dos dados qualitativos, codificação e categorização. Espera-se que as propostas de atividades contribuam para o desenvolvimento de competências digitais em professores e alunos da educação básica e superior, assim como o curso de formação oriente os educadores a utilizarem essas estratégias em suas atividades docentes. A pesquisa em rede internacional é desenvolvida em parceria com a Université Téluq (Canadá) e a Universidade de Lisboa (Portugal).
  • Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - SP - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Joao Batista Calixto

Ciências Biológicas

Farmacologia
  • inovação em medicamentos e identificação de novos alvos terapêuticos - inct inovamed
  • Apesar dos esforços da CAPES e CNPq para formar pessoal e dos avanços da ciência brasileira em periódicos internacionais, o Brasil progrediu pouco com relação a apropriação do conhecimento para gerar inovação tecnológica. Na área de medicamentos, apesar do Brasil ser o oitavo mercado mundial, em 2013 tivemos um déficit na balança comercial da ordem de 7 bilhões de dólares. Fica portanto, claro que o Brasil necessita apoiar grupos de pesquisa das universidades, Institutos de pesquisa e ICTs, para estabelecer parcerias necessárias ao fortalecimento das atividades de P&D das indústrias farmacêuticas de capital nacional e, reduzir a médio e longo prazo, esse déficit de conhecimento que separa o Brasil dos países desenvolvidos e alguns em desenvolvimento. Através da interação entre diferentes instituições brasileiras e colaboradores internacionais, esta proposta visa o desenvolvimento de novos fármacos e a pesquisa de novos alvos terapêuticos. Este projeto, portanto, pretende contribuir para avançar a inovação e a ciência de qualidade na área de desenvolvimento de medicamentos e tem os seguintes objetivos: 1) Estabelecer parcerias com as principais indústrias farmacêuticas brasileiras (de capital nacional ou multinacional) visando realizar pesquisas pré-clínicas e clínicas nas seguintes áreas: câncer, depressão, ansiedade, psoríase, coceira; e doenças crônicas e degenerativas (artrite reumatóide, doença de Alzheimer, dor e esclerose múltipla), com especial ênfase na interação entre o sistema imune e o sistema nervoso; 2)Identificar e validar novos alvos terapêuticos para as doenças citadas acima, empregando técnicas de biologia celular e molecular, além de estudos funcionais clássicos; 3) Produzir ciência de alta qualidade com publicações em revistas internacionais de destacado prestigio internacional e contribuir para a inserção internacional do grupo e para o aumento da visibilidade da ciência e tecnologia brasileira; 4) Formar recursos humanos nas áreas relacionadas ao desenvolvimento de medicamentos e na identificação e validação de alvos biológicos de interesse ao desenvolvimento de medicamentos; 5) Apoiar grupos emergentes nas áreas de farmacologia, neurociências, biotecnologia e biologia parasitária visando a consolidação dos mesmos; 6) Contribuir para a melhoria dos programas de pós-graduação onde estes grupos encontram-se inseridos; 7) Apoiar e disseminar o emprego das boas práticas de laboratório, necessárias ao desenvolvimento de medicamentos,no Brasil; 8) Disseminar para a comunidade em geral, através de congressos, simpósios, sites, cursos, palestras; os avanços recentes que vêm ocorrendo na área de medicamentos e estimular as parcerias entre as universidades/centros de pesquisa e as empresas. O projeto conta com dois centros modernos de pesquisas pré-clínica (CIEnP) e clinica (NPDM) que possuem experiência em trabalhar em parceria com as industrias farmacêuticas. O primeiro grupo liderado pelo coordenador deste INCT tem mais de 25 anos de experiência em estudos pré-clínicos e participou do desenvolvimento de alguns produtos que estão no mercado como: Acheflan, Syntocalm (Lab. Aché) e Flavonoides de passiflora (linha Cronos, Natura, além de 4 medicamentos que estão em estudos clínicos. O grupo da UFC liderado pelo vice-coordenador deste INCT foi pioneiro na realização de estudos clínicos no Brasil, sendo um dos grupos que mais colaborou com a introdução bem sucedida dos medicamentos genéricos no Brasil. Os dois grupos agora contando com excelentes estruturas para o desenvolvimento de pesquisa pré-clínica e clínica, financiados pelo MCTI, MS, governo de SC e BNDES; pretendem trabalhar em colaboração e em estreita parceria com as principais indústrias farmacêuticas estabelecidas no Brasil, para que com o apoio das políticas públicas, colaborar para que o país se torne, em médio e longo prazo, menos dependente da importação de medicamentos. Além disso, o projeto conta com pesquisadores com boa formação acadêmica e experiência na área de farmacologia e biologia molecular das seguintes universidades: UFSC, UFPR, UFRJ, UNIVALI, UNCEUMA, além de 9 pesquisadores colaboradores internacionais. Espera-se que o desenvolvimento do presente projeto permitirá atingir as seguintes metas: 1. consolidação de parcerias com as principais indústrias farmacêuticas brasileiras (de capital nacional ou multinacional), estabelecer uma rede de cooperação entre diferentes IES brasileiras e estrangeiras; 2. identificar e validar novos alvos terapêuticos para o câncer, depressão, ansiedade, psoríase, coceira; e doenças crônicas e degenerativas (artrite reumatóide, coceira, psiríase, doença de Alzheimer, depressão, esclerose múltipla, dor crônica); 3. produção de ciência de alta qualidade disseminada através de publicações em revistas internacionais de alto impacto 4. formação de recursos humanos em diferentes níveis (graduação, mestrado, doutorado, pós-doc) nas áreas relacionadas ao desenvolvimento de medicamentos e na identificação e validação de alvos biológicos. 5. consolidação de grupos de pesquisa e melhoria dos programas de pós-graduação emergentes nas área de farmacologia, neurociências, biotecnologia e biologia parasitária; 6. Apoiar a disseminação do emprego de boas práticas laboratoriais, necessárias ao desenvolvimento da área de medicamentos no Brasil.
  • Centro de Inovação e Ensaios Pré-Clínicos - SC - Brasil
  • 28/11/2016-30/11/2024
Foto de perfil

João Batista de Macedo Freire Filho

Ciências Sociais Aplicadas

Comunicação
  • a comunhão da aversão: mídia, política e sensibilidade moral
  • Este projeto de pesquisa possui como tema a mobilização política do “idioma moral do nojo” efetuada por líderes e porta-vozes da extrema-direita no Brasil e a consequente construção de figuras execráveis, descritas, numa profusão de textos e de imagens, como portadoras de atributos, disposições e ideais capazes de contaminar e de corromper toda a nação. O objetivo da pesquisa é, mais especificamente, analisar como discursos e artefatos midiáticos produzidos por grupos conservadores e por representantes da extrema-direita acionam, de modo sistemático, a retórica e a iconografia do asco com o intuito de rechaçar integrantes de movimentos sociais e de partidos políticos associados ao campo progressista. Argumentamos que é fundamental estudar tais representações desumanizadoras do oponente político, porque sua circulação crescente, em diferentes esferas, comporta significativas consequências psíquicas e materiais: além de servir para deslegitimar as reivindicações de minorias por direitos civis, inclusão social e reconhecimento cultural, pode contribuir para racionalizar medidas repressivas e atitudes hostis (em certos casos, até mesmo letais) contra as presumidas ameaças aos bons costumes, à vida produtiva e à segurança nacional. O quadro de referência teórico da nossa investigação é composto, essencialmente, por trabalhos de pesquisadores das áreas das ciências sociais e da filosofia que abordam o nojo como uma emoção hierárquica e política — o substrato afetivo da construção de barreiras simbólicas e concretas contra a mobilidade social e espacial do Outro asqueroso e intolerável. Para o exame do material que integra o corpus empírico, tomamos como base arcabouço analítico proposto por Sara Ahmed, em The Cultural Politics of Emotion, para desvendar como figuras de linguagem afetivamente carregadas (metáfora e metonímias, em especial) produzem a emotividade dos textos culturais que movem os leitores, aproximando-os ou afastando-os de determinados objetos e corpos.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Joao Batista Florindo

Ciências Exatas e da Terra

Ciência da Computação
  • análise de imagens médicas usando redes convolucionais profundas e descritores fractais
  • Este projeto propõe o estudo e desenvolvimento de ferramentas matematico-computacionais para análise de imagens médicas combinando redes neurais profundas com geometria fractal. As redes neurais profundas convolucionais têm se popularizado também na análise de imagens médicas, porém os descritores clássicos, como os fractais, ainda são competitivos nesta área, além de, na maioria das vezes, poderem ser mais facilmente interpretados. Neste contexto, propõe-se que ambas as abordagens sejam combinadas. Tal combinação se dá de dois modos: treinando a rede a partir da imagem original e da imagem submetida a uma transformação multifractal ou calculando a dimensão fractal da saída associada a cada filtro aprendido pelas camadas convolucionais da rede. Os descritores extraídos serão aplicados a dois problemas da área médica: análise de evolução do Adenoma Pleomórfico para Carcinoma (câncer) e estudo da relação entre imagens de tecidos afetados pelo Carcinoma Neuroendócrino de Pulmão do tipo ``de Pequenas Células'' com a expectativa de vida do paciente. Espera-se que os resultados obtidos tragam implicações importantes para a sociedade, ajudando na melhor compreensão destes processos carcinogênicos e fomentando assim possibilidades tanto de um diagnóstico mais precoce quanto de um tratamento mais eficaz, melhorando assim a qualidade e a expectativa de vida do paciente.
  • Universidade Estadual de Campinas - SP - Brasil
  • 18/02/2019-28/02/2023
Foto de perfil

João Batista Garcia Canalle

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • 25 olimpíada brasileira de astronomia e astronautica
  • Vamos realizar a 25ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica em cerca de 10.000 escolas com a participação de aproximadamente 1.000.000 alunos do ensino fundamental e médio, haja vista que em 2021 participaram, mesmo com pandemia, 481.525 alunos. A realização da OBA, contudo, implica na realização de diversos eventos dela decorrentes que abaixo listamos. Realização do Curso à distância de Astronomia para alunos participantes das “seletivas”, isto é, para alunos que tentarão participar das equipes internacionais. Realização da Jornada Espacial com cerca de 60 alunos e 60 professores dentre aqueles alunos do ensino médio que se destacaram nas respostas às perguntas de Astronáutica. Realização da XVI Mostra Brasileira de Foguetes entre alunos do ensino fundamental e médio entre todas as escolas previamente cadastradas para participarem da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica. Realização de 10 Jornadas de Foguetes com os alunos campeões em suas Escolas. Realização das Provas seletivas a partir das quais selecionamos as equipes internacionais. Participação na Olimpíada Latino-americana de Astronomia e Astronáutica a qual em 2022. Participação na Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica a qual em 2022. Organização dos Encontros Regionais de Ensino de Astronomia em cerca de oito diferentes cidades do Brasil.
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 10/12/2021-31/12/2023
Foto de perfil

João Batista Garcia Canalle

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • 24 olimpíada brasileira de astronomia e astronautica
  • Vide projeto anexo
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 22/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

João Batista Lopes

Outra

Ciências Ambientais
  • desenvolvimento de compósito destinado a design ecológico de mobiliário
  • O desenvolvimento de materiais a partir de fontes renováveis vem despertando interesse dos meios científicos, técnicos e produtivos, considerando-se a possibilidade da inserção no mercado de produtos eficientes, energeticamente, ancorados nas amplas abordagens da sustentabilidade. A fibra de penas de frango é um produto biodegradável, que dentre outras aplicações, tem se apresentado, potencialmente, eficaz como reforço de materiais da construção civil. Trata-se de produto de baixa densidade, excelente compressibilidade e resiliência, capacidade de amortecimento de som, retenção de calor e morfologia com distinta estrutura de farpas. Ressalte-se, ainda que a produção de frango de corte o Brasil tem se firmado como importante atividade econômica, porém, em contrapartida, gera grande volume de resíduo, especialmente, as penas, que se não forem utilizadas devidamente, pode provocar grande impacto ambiental. Assim, tem-se como hipótese que a associação penas de frango com resinas pode se tornar alternativa sustentável no desenvolvimento de compósito com aplicação direta na fabricação de móveis, minimizando o uso de madeiras maciças, bem como materiais como o MDF e MDP. Com o presente estudo, pretende-se avaliar o potencial das fibras de penas a serem utilizadas como reforço em base de matriz polimérica, para a utilização no design de interiores, bem como de mobiliário. O material será obtido nos abatedouros de Teresina, em seguida, submetido a tratamento físico, visando a limpeza do material para se obter um resíduo de boa qualidade. As penas passarão por um processo de desidratação em estufa a 60ºC, por 48 horas. Em sequência, os compósitos serão confeccionados com diferentes proporções de fibra de penas e resina, devendo-se avaliar as propriedades por meio de testes de resistência a tração, impacto, absorção, inchaço, microdureza, decomposição do material, investigação microscópica comparativa sobre as características e propriedades intrínsecas, em relação ao MDF.
  • Universidade Federal do Piauí - PI - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

João Batista Rosolem

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • laboratório integrador cpqd (sisfóton-mcti)
  • Desde sua criação, em 1976, o CPQD destaca-se como um elo entre as universidades, cujo foco é a pesquisa científica (centradas na geração de conhecimento), e as empresas, cujo foco são produtos inovadores (centradas na exploração do conhecimento), colaborando no desenvolvimento e disseminação do conhecimento (tecnologia) para o setor empresarial. O CPQD possui um amplo ecossistema de parceiros e grande experiência na composição de arranjos produtivos visando consolidar a rede de inovação ideal, integrando atores com competências e tecnologias complementares (academia, startups, empresas, indústrias e governo). Na proposta do CPQD a integração dos laboratórios do Sisfóton-MCTI será feita pelos Laboratório de Sensoriamento e Monitoração Óptica (LSMO) e Laboratório de Integração Fotônica (LIF). O LSMO possui 4 doutores, 2 mestres, e 2 engenheiros e 1 técnico em seu quadro de pesquisadores. Os pesquisadores do LSMO através de projetos de pesquisa e desenvolvimento da ANEEL, da ANP e da FINEP desenvolveram projetos e introduziram redes de sensoriamento óptico em diversas empresas do setor elétrico e de óleo e gás, atendo como objetivo a demonstração de suas vantagens. Entre estas empresas citamos a Petrobrás, Cemig, Eletrobrás, Repspol, CPLF, Copel, Baesa, Prysmian, Foz do Chapecó, Engie-Tractebel, Epasa, DME. O número de patentes solicitadas pelo LSMO é de 27, sendo que 6 patentes já foram concedidas. O número de artigos publicados em periódicos Qualis/CAPES A1 é de 27 e o número de artigos publicados em anais de eventos nacionais e internacionais é 80. Uma característica que diferencia o LSMO de outros laboratórios é sua vocação para aplicações reais de sensores ópticos, sendo que em todos os projetos são realizados testes de campo dos sistemas desenvolvidos. Já o LIF possui 2 doutores, 1 mestre, 1 engenheiro e 1 bolsista em seu quadro de pesquisadores. Os pesquisadores do LIF, através de projetos de pesquisa e desenvolvimento da FINEP atualmente desenvolvem componentes fotônicos (moduladores, fotodetectores, etc) dentro do contexto do projeto “Sistemas Ópticos em 1TB/s para Internet do Futuro”. Através de projetos no âmbito Embrapii desenvolve projetos de lasers sintonizáveis de cavidade integrada para aplicações em sistemas ópticos de telecomunicações, cuja transferência de tecnologia para o mercado se dará através da empresa parceira IDEA sistemas eletrônicos. Com relação ao LIF, todos os pesquisadores são membros da Sociedade Brasileira de Fotônica, atuando em conjunto nas determinações e direcionamentos desta Sociedade perante o cenário global das tecnologias fotônicas. Mantém parcerias com empresas tais como Padtec e Idea sistemas eletrônicos e diversas universidades, com destaque à Unicamp, USP, UFPB e centros de pesquisa tais como CNPEM e CTI. A estratégica para se obter a integração dos laboratórios dos Sisfóton se baseia na execução das seguintes atividades: Atividade 1 – Conhecer Laboratórios 1.1 - Conhecer os laboratórios de Fotônica aprovados na chamada Sisfóton e mapear o ecossistema de cada laboratório. 1.2 - Conhecer o desenvolvimento do estado da arte em Fotônica através de participação em eventos internacionais, substancialmente nos temas desenvolvidos pelos laboratórios do Sisfóton. 1.3 - Difundir uma visão única entre os laboratórios baseada nos princípios do Sistema Nacional de Laboratórios de Fotônica (Sisfóton-MCTI). Atividade 2 – Acompanhar Laboratórios 2.1 - Acompanhar qualitativamente o desenvolvimento dos projetos aprovados pelos laboratórios de Fotônica. 2.2 - Interagir com instituições parceiras regionais de forma a facilitar a integração dos laboratórios nacionalmente. 3.3 - Evidenciar para os laboratórios do Sisfóton o desenvolvimento da fotônica no país em relação a visão de estado da arte/futuro a ser difundida periodicamente pelo Laboratório Integrador. Ao mesmo tempo analisar nas áreas que sendo priorizadas/trabalhadas se existem deficiências. Atividade 3 - Integrar Laboratórios 3.1 - Promover encontros com periodicidade semestral com apresentações conjuntas dos laboratórios de Fotônica junto com empresas/startups de forma a difundir modelos de negócio, formas de operação e de boas práticas, além de compartilhamento de experiências. 3.2 - Identificar demandas específicas de cada laboratório do Sisfóton, auxiliar no suprimento das necessidades a partir da cooperação entre os demais integrantes da rede e avaliar a prontidão (readiness level) das tecnologias ópticas dos laboratórios para aplicações das empresas/startup. 3.3 - Planejar e realizar interações entre os laboratórios de Fotônica e empresas/startups a partir de eventuais de interesses manifestados pelos laboratórios e ou empresas, que levem a realização de negócios e investimentos. 3.4 - Promover encontros presenciais ou online com periodicidade anual entre os laboratórios nacionais de fotônica e laboratórios internacionais. Atividade 4 – Captar Recursos 4.1 - Acompanhar a disponibilidade de editais e ou chamadas de P&D de agências de fomento federais ou estaduais, Lei da Informática, Embrapii e de empresas atuantes no setor elétrico, petróleo, saúde, automotivo, entre outros, que tenham temas para submissão de projetos de Fotônica, como fontes de recursos adicionais aos laboratórios do Sisfóton. Atividade 5 – Divulgar Resultados 5.1 - Divulgar os resultados dos laboratórios de Fotônica e de possíveis interações com empresas através da realização de eventos de divulgação a serem realizados no CPQD ou nas instituições dos laboratórios de Fotônica. O CPQD irá construir também uma página na internet em seu domínio para a divulgação dos resultados. Outras atividades a serem propostas são promover a realização de webinars e visita virtuais em cada lab. 5.2 - Estimular a divulgação dos resultados científicos dos laboratórios de Fotônica através de publicações em capítulos de livros em periódicos de boa avaliação da CAPES. Atividade 6 – Finalizar Projeto 6.1 Finalização do projeto com a avaliação.
  • Fundação Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações - SP - Brasil
  • 19/07/2021-31/07/2024
Foto de perfil

João Batista Souza Junior

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • nanocelulose decorada com nanomateriais como plataforma multifuncional para aplicações em meio ambiente e biomedicina
  • A utilização das propriedades óticas, elétricas e magnéticas únicas observadas para nanomateriais requer o desenvolvimento de dispositivos que garantem a estabilidade química e coloidal dos sistemas nanoestruturados. Dessa forma, a utilização da nanocelulose como plataforma mecânica para ancorar nanomateriais destaca-se pela versatilidade de desenvolvimento de sistemas multifuncionais e de elevado valor tecnológico agregado. A nanocelulose foi escolhida pela sua elevada razão de área de superfície, possibilidade de funcionalização com químicos funcionais e elevado poder de absorção (aerogel). Variando os nanomateriais, diversas plataformas multifuncionais podem ser sintetizadas para utilização desde áreas como saúde (tratamento de feridas e liberação controlada de fármacos) a meio ambiente (remediação ambiental e plásticos biodegradáveis). O problema a ser abordado neste projeto é a obtenção de compósitos estáveis de nanocelulose obtidos pela funcionalização de superfície da nanocelulose (carboxilatos, aminas e tióis) e a ligação química com a superfície das nanopartículas (Fe2O3, Ag, Au e óxidos metálicos). Os nanocompósitos magnéticos serão avaliados frente as aplicações como aerogel para remediação ambiental, enquanto nanocompósitos com propriedades óticas e bacteriológica serão avaliados para aplicações em biomedicina. O diferencial deste projeto será a obtenção de compósitos com estabilidade química e estruturais adequadas para diferentes aplicações (multiplataforma), ou seja, nanopartículas estarão ancoradas na matriz com boa distribuição e evitando a agregação. A metodologia a ser abordada envolverá a utilização de protocolos de obtenção da nanocelulose já estabelecidas no grupo de síntese do LNNano e duas etapas de síntese dos nanocompósitos. O primeiro via síntese in situ das nanopartículas no meio reacional contendo a nanocelulose e o segundo a ancoragem de nanopartículas previamente sintetizadas através de mistura mecânica na matriz de nanocelulose.
  • Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais - SP - Brasil
  • 09/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

João Batista Tolentino Junior

Outra

Divulgação Científica
  • popularização da ciência no planalto serrano catarinense
  • A celebração do “Bicentenário da Independência: 200 anos de Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil”, sensibiliza a comunidade acadêmica para a divulgação da trajetória exitosa da ciência brasileira na construção do conhecimento, promoção da tecnologia e inovação ao longo desses últimos 200 anos. Nesse contexto, essa proposta visa contribuir com o desenvolvimento de atividades de divulgação e popularização da Ciência nos municípios da região da AMURC – Associação dos Municípios da Região do Contestado. Esta associação é composta por 5 municípios: Santa Cecília, Frei Rogério, Ponte Alta do Norte, São Cristóvão do Sul e Curitibanos, situados na região do Planalto Catarinense. Serão desenvolvidas atividades no Campus de Curitibanos da Universidade Federal de Santa Catarina tendo com público-alvo estudantes do ensino básico das escolas públicas dos municípios da região. Espera-se, com a realização deste evento, divulgar o conhecimento científico produzido nas instituições de Ciência e Tecnologia do Brasil e do mundo, com ênfase em seus benefícios para a comunidade local.
  • Universidade Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 18/09/2022-31/03/2023
Foto de perfil

João Carlos Medeiros

Ciências Agrárias

Agronomia
  • balanço de carbono em sistemas de cultivo de cacau (theobroma cacao) no bioma mata atlântica
  • A dinâmica dos gases de efeito estufa (GEE), relacionados às atividades agrícolas é dependente do manejo dos solos, o qual interfere na permanência destes no solo ou a emissão para a atmosfera, contribuindo para o aumento do efeito estufa. Visando a redução das emissões é preconizada a utilização de práticas de manejo que permitam a permanência desses gases no solo e o menor lançamento para a atmosfera. A região sul da Bahia nos últimos 30 anos vem passando por alterações no uso do solo, relacionadas aos sistemas de cultivo de cacau, principal atividade econômica da região. E, não existem ainda estudos que tenham avaliado emissões de GEE, nessa região do Brasil, considerando os sistemas de cultivo de cacau. Portanto, o trabalho será desenvolvido com o objetivo de identificar o montante de GEE emitidos em sistemas de cultivo de cacau, realizar o balanço de carbono orgânico do solo, e, gerar um índice monetário que relacione as emissões por unidade de cacau produzido. O estudo será realizado na CEPLAC, em Ilhéus, BA. Serão avaliados sistemas de cultivo de cacau predominantes na região, com quatro repetições: (i) SAF de cacau + açaí; (ii) SAF de cacau + cupuaçu; (iii) SAF cabruca, onde o cacau é cultivado no sub-bosque da mata atlântica; (iv) cacau a pleno sol consorciado com plantas de cobertura de espécies de Fabaceas nas entrelinhas; (v) cacau a pleno sol consorciado com Braquiária; (vi) Cacau a pleno sol consorciado com cobertura de plantas espontâneas; (vii) cacau a pleno sol mantendo o solo exposto e como referência (viii) mata atlântica nativa. Será realizada avaliação das emissões dos GEE (CO2, CH4 e N2O), o levantamento de dados de precipitação, temperatura média do ar, temperatura do solo e coleta de solo para determinação de análises relacionadas com as emissões (físicas, químicas e microbiológicas). Será avaliado o estoque de carbono orgânico total (COT) até 1m de profundidade e a produtividade de cacau nos sistemas avaliados.
  • Universidade Federal do Sul da Bahia - BA - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

João Carlos Palazzo de Mello

Ciências da Saúde

Farmácia
  • desenvolvimento de micropartículas mucoadesivas contendo extrato de baicuru como tratamento adjuvante na periodontite
  • As doenças periodontais, incluindo gengivite e periodontite, são um problema de saúde bucal global que afeta quase 10% da população mundial. Porphyromonas gingivalis é a principal bactéria envolvida nesses processos inflamatórios, pois é capaz de invadir o tecido do hospedeiro e colonizar o epitélio subgengival pela ação de proteases sobre as gengivas. Micropartículas mucoadesivas têm sido desenvolvidas com o objetivo de aderir a mucosa oral, liberando o(s) ativo(s) de forma prolongada, aumentando a eficácia, reduzindo efeitos adversos e melhorando a adesão do paciente ao tratamento, além de mascarar características organolépticas desagradáveis. Limonium brasiliense, popularmente conhecido como baicuru, é uma planta rica em polifenóis em seus rizomas. Esses compostos já são conhecidos por apresentarem boa atividade contra proteases de P. gingivalis. Além disso, apresentou potencial bacteriostático, antioxidante, antiviral e anti-inflamatório. O tratamento periodontal atualmente utilizado consiste no desbridamento mecânico e, eventualmente, no tratamento antibacteriano local e sistêmico. As terapias que usam antioxidantes podem ser interessantes para prevenir ou diminuir a degradação dos tecidos periodontais. Estudos recentes in vitro indicam atividade bacteriostática, anti-inflamatória e antioxidante de extratos de L. brasiliense e o uso de design fatorial para produzir diferentes tipos de extratos que demonstraram atividade antibacteriana frente a diferentes bactérias, incluindo as multirresistentes e bactérias relacionadas à doença periodontal. Estudos clínicos mais detalhados em seres humanos são necessários para comprovar a eficácia do extrato de L. brasiliense ou dos compostos isolados frente à doença periodontal. Sendo assim, o objetivo deste trabalho será avaliar o efeito clínico do extrato de L. brasiliense em micropartículas mucoadesivas como adjuvante no tratamento da doença periodontal em pacientes fumantes.
  • Universidade Estadual de Maringá - PR - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

João Cláudio Bassan de Moraes

Engenharias

Engenharia Civil
  • produção e caracterização de cimento à base de magnésio empregando lodo de estação de tratamento de água (leta)
  • Um tema global é a busca por opções de materiais na construção civil que apresentem melhores propriedades (mecânicas, físicas, etc.) e maior sustentabilidade (durabilidade, aproveitamento de resíduos, menor gasto energético, etc.). Dentro deste contexto, o cimento à base magnésio é uma opção de material que pode apresentar vantagens em relação ao cimento Portland, como menor demanda energética, melhor durabilidade e possibilidade de empregar fibras naturais como reforço, e ainda apresentar propriedades similares ao cimento convencional. Esse tipo de cimento pode ser obtido a partir da combinação de um material rico em óxido de magnésio e outro rico em silicato/aluminossilicato. Dentro da proposta de trabalho, a fonte de óxido de magnésio será a magnesita (MgCO3), enquanto o material empregado como fonte de aluminossilicato será um resíduo: o lodo de estação de tratamento de água (LETA). O problema geral que será resolvido com o emprego do LETA é fornecer um destino apropriado ao grande volume gerado deste resíduo, trazendo um caráter de sustentabilidade ao projeto. A destinação do LETA tem sido um grande desafio atualmente, e a possibilidade do emprego de grande volume deste resíduo em uma aplicação nobre, como a produção de cimentos, visa atender às demandas de propriedades do material e sustentáveis na construção civil. A principal questão deste trabalho é avaliar o LETA na produção de cimento à base de magnésio e fornecer uma destinação adequada a um resíduo através de uma aplicação nobre. Como o LETA é um material rico em aluminossilicatos, estudos preliminares mostraram que o resíduo tem grande potencial para ser empregado como matéria-prima em cimento à base magnésio. A magnesita e o LETA serão tratados termicamente combinados a fim de produzir o cimento à base de magnésio. Este cimento será caracterizado fisicamente e quimicamente, e depois será usado em pastas e argamassas para sua microestrutura, propriedades mecânicas/físicas e processo de hidratação.
  • Instituto Tecnológico de Aeronáutica - SP - Brasil
  • 21/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Joao Damasceno Martins Ladeira

Ciências Sociais Aplicadas

Comunicação
  • divulgadores científicos no brasil contemporâneo: criadores de audiovisual em plataformas de streaming
  • A pesquisa se foca nas reconfigurações recentes das indústrias culturais, abordando um grupo de criadores voltados à produção de audiovisual dirigido a plataformas de streaming como o YouTube. O projeto recorta canais de divulgação científica reunidos em torno do ScienceVlogs Brasil, projeto cuja premissa consiste em estabelecer critérios de excelência para conteúdo on-line. Considera-se tais criadores como um nicho ocupando lugar dentro de um campo amplo de produtores e distribuidores de imagens. Trata-se de criadores de menor porte, participando de uma estrutura complexa para produção de cultura, na qual estão presentes tanto personagens mais discretos quanto empresas de tecnologias como o Google e as demais big techs. Como pressuposto, entende-se que o ecossistema midiático se encontra em transformação, e que o audiovisual não se restringe mais às redes nacionais de televisão ou às emissoras globais distribuídas a cabo ou via satélite. Difundido decididamente pela internet, elabora um campo em que forças de diferentes intensidades se encontram em embate, recorrendo, cada uma delas, a estratégias distintas, retomando o referencial teórico de Bourdieu. A interação entre criadores e tecnologias de distribuição controladas por plataformas digitais transforma esses personagens em parte de um processo produtivo que flexibiliza as dinâmicas prévias para a apropriação da cultura. Nesse conflito, cada personagem desfruta de acesso a diferentes recursos, com capacidade desigual de manuseá-los. Mapear essa situação se torna o objetivo do projeto. O esforço se justifica pela necessidade de identificar tanto oportunidades quanto dificuldades estruturais, pensando em estratégias para profissionais que pretendam se envolver no circuito. A metodologia recorre à a entrevista com interesse de registrar a biografia dos personagens. A divulgação da pesquisa transformará as entrevistas num podcast, narrando a vivência dos produtores e concedendo maior visibilidade ao trabalho.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025