Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ana Fabrícia Braga Magalhães

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • modelos de equações estruturais aplicados à avaliação genética de duas linhagens de codornas de corte
  • A codorna é considerada um animal experimental, por ser uma espécie facilmente observada em ambientes de laboratório e de campo, além de ser um animal de porte pequeno, com boas habilidades de postura e facilidade de reprodução. Os programas de melhoramento genético de outras espécies tem buscado a redução do intervalo de geração, enquanto nas codornas podemos encontrar isso naturalmente, uma vez que pode ser obtida cerca de quatro gerações em um ano. No entanto, existem poucos grupos de pesquisas no Brasil que trabalham com o melhoramento de codornas, e esses poucos tem concentrado os estudos apenas em características de crescimento e reprodutivas, tendo em vista que a coleta de dados de qualidade da carne é mais onerosa, por isso o objetivo desse projeto é realizar a coleta de dados de qualidade da carne em codornas e investigar o relacionamento delas com características de crescimento e reprodutivas utilizando modelos de equações estruturais. As codornas que serão utilizadas nesse estudo são provenientes do Setor de Coturnicultura, do Departamento de Zootecnia da UFVJM, localizada em Diamantina-MG (DZO). Atualmente, o Programa de Melhoramento de Aves da UFVJM possui duas linhagens (LF1 e LF2) de codornas de corte, com coleta de dados em todas as gerações de características de crescimento e reprodutivas. Será incluído nesse estudo o peso ao nascer, aos 7, 14, 21, 28, 35 e 42 dias de idade. Enquanto as reprodutivas serão: idade ao primeiro ovo, peso da matriz ao primeiro ovo, mortalidade. Serão abatidos 1.000 animais com 42 dias de idade na sala de abate do DZO e serão analisadas no Setor de Ciências e Tecnologia dos Produtos de Origem Animal, do DZO para: rendimento de carcaça quente e resfriada, peso e rendimento do peito, peso e rendimento das pernas, pH, capacidade de retenção de água, perda de peso por cozimento, coloração e maciez. Será utilizado modelos de equações estruturais investigar o relacionamento entre entre as diversas características coletadas.
  • Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - Campus JK - MG - Brasil
  • 09/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Ana Gisele da Costa Neves Ferreira

Ciências Biológicas

Bioquímica
  • mapeamento estrutural de complexos toxina-antitoxina em busca de novas terapêuticas antiofídicas
  • Em 2017, a Organização Mundial de Saúde classificou o envenenamento por serpentes como doença tropical negligenciada de máxima prioridade. Na América do Sul, o maior desafio no tratamento destes acidentes são os graves danos teciduais, que levam a altas taxas de morbidade. O objetivo deste projeto é gerar conhecimento necessário ao desenvolvimento de inibidores eficazes contra toxinas com ação local [metaloendopeptidases (SVMPs) e fosfolipases A2 (PLA2s)]. Nossa busca por novas alternativas terapêuticas baseia-se em milhares de anos de coevolução entre animais peçonhentos e aqueles resistentes ao envenenamento. O fenômeno de resistência pode ser explicado pela presença de inibidores séricos glicoproteicos capazes de formar complexos inativos com várias toxinas homólogas, impedindo sua ação deletéria. Neste projeto, a estratégia de Biologia Estrutural Integrativa será usada na compreensão estrutural dos complexos não-covalentes de alta afinidade formados entre os inibidores DM43 e DM64 (respectivamente, proteínas anti-hemorrágica e antimiotóxica do soro do gambá Didelphis aurita) e diferentes SVMPs e PLA2s de venenos de serpentes. A espectrometria de massas (MS) de alta resolução combinada com cross-linking químico (XL-MS) será nossa principal ferramenta analítica. As restrições de distância determinadas por MS serão integradas em pipelines de modelagem e docking moleculares. Pretendemos também testar novas estratégias para a geração de dados estruturais complementares, utilizando cristalografia de raios X. As análises estruturais, juntamente com a expressão de domínios heterólogos e a síntese de peptídeos das antitoxinas, deverão permitir o mapeamento dos determinantes estruturais mínimos dos inibidores envolvidos na interação com as suas toxinas-alvo. Os resultados serão fundamentais para o desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas, visando o desenho racional de fármacos peptídicos capazes de mitigar o problema da toxicidade local causada por SVMPs e PLA2s.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Gretel Echazú Böschemeier

Ciências Humanas

Antropologia
  • boas práticas sobre a covid-19 no rio grande do norte, paraíba e ceará: tradução e elaboração de materiais nos territórios
  • Nesse projeto propomos um diálogo entre saberes com comunidades locais a partir do olhar da saúde coletiva, a antropologia interseccional e os processos de tradução cultural. Com o intuito de pensar de forma conjunta processos sócio-sanitários e políticas públicas e de controle relativos à pandemia e pós-pandemia da COVID-19, realizaremos pesquisa de intervenção, participativa e inclusiva, visando à sistematização de saberes científicos, técnicos, da experiência e da tradição em diálogo. Nesse intuito, trabalharemos estratégias de educação popular e comunicação em saúde para a formação de multiplicadores(as) em sete comunidades do Rio Grande do Norte, Paraíba e Ceará. Para tal finalidade, formaremos um corpus de textos estratégicos composto por atualizações técnico-científicas, registros de políticas sócio-sanitárias e experiências de sucesso de base comunitária que tiveram lugar em outras latitudes globais e que foram escritos em inglês, francês e/ou espanhol. Depois de traduzidos, os conteúdos serão adaptados a várias linguagens da comunicação popular (gráficos, contos, vídeos) e compartilhados com as comunidades através de um trabalho em rede com suas lideranças. Por sua vez, elas estimularão a construção de novos materiais de primeira mão (diários, mapas, fotografias, mini relatos em vídeo, áudios) que serão sistematizados em registros de diversas naturezas (folhetos, protocolos, manuais, cordéis, cartazes institucionais, podcasts, entre outros) os quais serão colocados para circular dentro e entre comunidades e territórios. Os entrelaçamentos entre olhares diversos sobre o mundo, ciência, técnicas, tecnologias e práticas sociais permitirão a todos(as) agentes envolvidos(as) pensar em “boas práticas” em autocuidado e cuidado comunitário face à uma realidade global urgente. Consideramos que os lugares comunitários são, por excelência, aqueles que possuem as respostas mais criativas, resilientes e resistentes frente à progressiva crise pandêmica e suas consequências, incluindo a possível emergência de outras síndromes respiratórias agudas. Por sua vez, consideramos que um trabalho comunitário de base tem potência para contribuir na diminuição da crescente pressão sobre as instituições e pessoal do Sistema Público de Saúde, preservando as taxas de ocupação de leitos no sistema e ampliando a educação em saúde para fora dos espaços institucionais. São sete as comunidades-territórios que fazem parte da presente proposta: o Movimento de Pessoas em Situação de Rua e Jovens da Periferia Urbana de Natal organizados na Rede Emancipa - ambos grupos de Natal -, a rede de pescadores(as) Mangue Mar, a comunidade indígena do Amarelão - de João Câmara -, a Associação Comunitária Reciclando para a Vida - de Mossoró -, todos em Rio Grande do Norte, a Comunidade Cigana Calon da Paraíba e a Federação Indígena do Ceará. Os materiais traduzidos e adequados segundo as necessidades das comunidades serão disparadores para a criação de registros locais enraizados nos saberes e práticas de cada comunidade local. Nossa proposta observa a necessidade de produzir novas "caixas de ferramentas" para a produção de conhecimento e “boas práticas” sócio-sanitárias, levando em conta a implicação dos sujeitos – individuais e comunitário-territoriais nos processos de produção e análise. Espera-se que o projeto impacte em e entre comunidades locais, facilitando não somente o acesso mas também a própria construção de informações confiáveis ajustadas às realidades de cada comunidade e território, bem como seu alcance em outros contextos de âmbito nacional e global. Nota importante: Anexos I, II e II com materiais relativos aos projetos de tradução e encontro de saberes em curso não foram anexados por motivos de espaço mas se encontram disponíveis para avaliação.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 16/07/2020-15/08/2022
Foto de perfil

Ana Heloisa Maia

Ciências Agrárias

Agronomia
  • núcleo de estudos, pesquisa e extensão em agroecologia (nepea) da unemat nova xavantina: transformando as bases produtivas no vale do araguaia a partir da construção do conhecimento agroecológico
  • Experiências mostram que os sistemas de produção agroecológica têm grande potencial de responder às necessidades de produção, alimentação da família e participação no mercado, sem provocar danos ambientais. Entretanto, ainda são incipientes os incentivos a produção agroecológica na região do Vale do Araguaia, e em muitos casos o agricultor se sente desmotivado em buscar iniciativas voltadas para o desenvolvimento de práticas alternativas nos estabelecimentos, principalmente em função da falta de assistência técnica. Neste aspecto, a criação do Núcleo de Estudos, Pesquisa e Extensão (NEPEA) da UNEMAT Nova Xavantina, torna-se fundamental para promover ações que valorizem a agricultura familiar e os aspectos inerentes ao processo produtivo com vistas a promoção do desenvolvimento rural local/regional. Assim, visa-se contribuir com as trocas de experiências e a promoção do diálogo entre pesquisadores, acadêmicos e agricultores com o intuito de expandir o conhecimento a partir da democratização dos saberes, sob enfoque interdisciplinar e interinstitucional aproximando as discussões da realidade social dos atores envolvidos.
  • Universidade do Estado de Mato Grosso - MT - Brasil
  • 01/08/2017-31/10/2022
Foto de perfil

Ana Karina Bezerra Pinheiro

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • vulnerabilidades ao hiv da população lgbt e mulheres em situação de rua e em privação de liberdade
  • A vulnerabilidade se diferencia do risco, pois, ao passo que, esse demonstra quais as chances de adoecimento de um indivíduo ou população, a vulnerabilidade evidencia possíveis fatores de adoecimento, de não adoecimento e as formas de enfrentá-lo. Na área da saúde, vulnerabilidade tem uma maior relação com algumas populações específicas, tais como pessoas em situação de rua, mulheres, população LGBT, população encarcerada e pessoas com HIV/Aids. Diante do exposto, percebe-se que a compreensão das vulnerabilidades de mulheres e da população LGBT em situação de rua e nos presídios ao HIV, torna-se relevante para o planejamento e desenvolvimento de ações de melhoria contínua da qualidade da assistência, superação das barreiras de acesso às instituições de saúde e ações concretas para o redirecionamento dos serviços de atenção à saúde. Objetiva-se analisar as vulnerabilidades pessoais, sociais e programáticas para o HIV de mulheres e da população LGBT em situação de rua e em privação de liberdade. Trata-se de estudo de multimétodos composto por dois subprojetos de pesquisa: (1) Vulnerabilidades pessoais, sociais e programáticas ao HIV de mulheres e população LGBT em situação de rua; (2) Vulnerabilidades pessoais, sociais e programáticas ao HIV de mulheres e população LGBT em privação de liberdade. O recrutamento da amostra acontecerá nos dois centros de referência para população em situação de rua de Fortaleza e em duas unidades prisionais na zona metropolitana do município. Serão coletados dados quantitativos relativos aos fatores de vulnerabilidade e qualitativos relacionados às percepções de risco e significados atribuídos ao HIV. O programa SPSS será utilizado para construção do banco de dados e tratamento estatístico dos dados quantitativos. A primeira fase da análise estatística consistirá na realização de componentes descritivos, por meio dos cálculos das frequências, de medidas de tendência central e de medidas de dispersão. Para as medidas de tendência central, será realizado o teste de Kolmogorov-Smirnov, a fim de identificar a normalidade de distribuição dos dados. Para as inferências estatísticas serão investigadas associações entre as variáveis dependentes e independentes do estudo. Será realizada análise bivariada usando o teste qui-quadrado de Pearson, com adoção do nível de significância menor que 0,05. A análise comparativa das médias será realizada pelo ANOVA e pelo teste t de Student. Posteriormente, os resultados serão apresentados na forma de tabelas ilustrativas, categorizados segundo as sessões do instrumento. A análise dos dados qualitativos se dará a partir da análise de conteúdo utilizando o Software IRAMUTEQ (Interface de R pour analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionneires). Os resultados serão discutidos conforme a literatura pertinente e o conceito de vulnerabilidade. Este estudo respeitará os princípios éticos e legais no Brasil de acordo com o Conselho Nacional de Saúde (CNS) e será submetido à avaliação do Comitê de Ética e Pesquisa (CEP) com base na Resolução 466/12.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 02/01/2020-31/01/2023